bloguei
  Eu blogo, tu blogas, ele bloga, nós blogamos e todos dão opinião.
bloguei Ribeirão Preto Dicas, Notícias e Muito mais...
 
 Expoestados, uma mostra da gastronomia, artesanato, música e folclore do Brasil
A exposição com pavilhões de 26 estados e o Distrito Federal acontecerá até domingo no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha. São esperadas 100 mil pessoas.

Começou, na noite desta quarta-feira (25), a Expoestados, uma feira com pavilhões de 26 estados e o Distrito Federal com amostras de gastronomia, artesanato, música e folclore. A exposição acontecerá até domingo no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha e aguarda 100 mil pessoas.

Nos cinco dias de feira, os visitantes poderão provar pratos típicos de 22 estados por até R$ 25. Os portões abrem às 18h na quarta e na quinta e às 11h, de sexta a domingo. A entrada custa R$ 30 a inteira e R$ 15 a meia.

Um exemplo é o chef André Carvalho, do Bistrô Escondido, na Asa Norte. Criado em Pernambuco, André aprendeu a cozinhar desde cedo. Para a feira, ele preparou uma moqueca de sururu, um bolo de rolo e um arrumadinho. “No Nordeste todo mundo é criado dentro da cozinha”, brinca.As barracas de comida dos estados são tocadas por chefs de Brasília escolhidos a dedo pela curadora Renata Carvalho, do restaurante Loca Como Tu Madre. “Escolhemos pessoas que entendem da culinária de seus estados e podem representa-la com veracidade”, disse.

Além de poder provar a culinária de cada estado, os visitantes também poderão participar das aulas show, que ensinam os pratos típicos. Podem participar até 200 pessoas de cada aula.

No meio da feira, os visitantes podem passear por barracas de artesanato. São 34 barracas de artesãos do DF e uma do Rio Grande do Norte. O artesanato potiguar foi feito por pescadores da Vila Ponta Negra, em Natal.

“Estamos resgatando uma festa que tinha virado muito comercial”, diz Marco Antonio Toccolini, Presidente do Fórum Nacional das Representações Estaduais, entidade que organiza a feira. A Expoestados não acontecia em Brasília desde 2009.


Fonte: http://fatoonline.com.br/
 
 
 Estudantes de Gastronomia preparam pratos à base de insetos
Salsicha empanada com larva e doce de leite com barata estão entre pratos.
Professor diz que insetos oferecem mais proteína do que a carne de gado.

Uma turma de estudantes de Gastronomia de Florianópolis aceitou o convite para comer e preparar pratos a base de insetos, como mostrou o Jornal do Almoço. Professores deste grupo visitado pela reportagem da RBS TV enfatizam que os insetos apresentam mais proteína do que as carnes, além da facilidade de digestão, mas não é qualquer inseto que pode ir pro prato. 
“Usar insetos na gastronomia é uma forma de retorno às origens, porque, querendo ou não, os indígenas já consumiam e consomem insetos há tempos”, diz o professor Daniel Lorandi.
Conforme a reportagem da RBS TV, comer insetos faz bem, desde que sejam próprios para consumo, pois têm mais proteína que carne de boi, além de outras vantagens.

“Eles são de mais fácil digestão do que outras carnes, por exemplo, o inseto tem em média 40% de proteína, o que é um pouco mais do que a carne de gado, que nosso corpo demora muito para quebrar a proteína. A do inseto é prontamente absorvida”, afirma o chef de cozinha Rossano Linassi.

Mas não é todo inseto que está apto a ir parar na panela. “Se pegar o inseto que está na nossa casa, com certeza, ele é sujo, é vetor de doenças e não deve ser consumido de maneira nenhuma. Os insetos com os quais trabalho são todos de criação. Todos eles são limpos e talvez até mais do que outros tipos de carnes”, diz Linassi.
Entre as receitas da turma de estudantes estão salsicha empanada com larva, dadinhos de tapioca com larva, queijo com doce de leite e barata e rolinhos de vegetais com inseto.
“Tudo que é novidade, num primeiro momento, principalmente para o brasileiro choca, mas aos poucos, vai se adaptando como aconteceu com o sushi sashimi”, explica o professor Daniel Lorandi.

O professor faz referência à comida oriental que mesmo não fazendo parte da cultura brasileira, já caiu no gosto dos mais jovens. Se depender deles, os insetos têm chance de ir pelo mesmo caminho: “Parece um camarãozinho, né? Dá pra enganar, né?”, diz um dos alunos.

Fonte:  g1.globo.com
 
 
 Gastronomia paulista em festa, veja como foi a final do Sabor SP
Grande destaque ficou por conta dos 61 pratos finalistas, que atraíram um público estimado de 70 mil pessoas no Parque Villa-Lobos, na capital

Entre bicicletas, triciclos, skates, patins e caminhantes, o Parque Villa-Lobos foi palco da final do Festival Gastronômico Sabor SP neste último fim de semana (dias 7 e 8 de novembro), transformando-se em uma ambiente repleto de sabores, aromas, temperaturas e preferências, além de inúmeras atrações musicais.  

O grande destaque ficou por conta dos 61 pratos finalistas, que atraíram um público estimado de 70 mil pessoas, interessado em experimentar as guloseimas por preços acessíveis, de até 15 reais.   

Para muitos participantes, o programa da Secretaria de Estado de Turismo foi mais que um festival de gastronomia, mas sim um divisor de águas em suas vidas profissionais. O Sabor SP, da Secretaria de Estado da Cultura, percorreu 15 região do Estado de São Paulo, incentivando a gastronomia paulista e fortalecendo o turismo regional.

Fonte: saopaulo.sp.gov.br
 
 
 Evento reúne profissionais da gastronomia em Florença
FLORENÇA, 05 NOV (ANSA) - Cerca de 1,5 mil cozinheiros - alguns deles bastante renomados -, vários barmans, dezenas de sommeliers, aproximadamente 150 empresas relacionadas à produção de alimentos e vinhos e milhares de amantes da gastronomia estarão no "Food And Wine in Progress", em Florença.   

A 28ª edição do evento acontecerá entre os dias 8 e 10 de novembro e apresentará o trabalho de vários profissionais do ramo da culinária, com cooking shows, degustações, debates e palestras.   

Organizada pelo Congresso Italiano dos Cozinheiros, a feira foi apresentada na última terça-feira, dia 3, na cidade, e é promovida pela Federação Italiana de Cozinheiros (FIC) e pela União Regional de Cozinheiros Toscanos (Urct), em parceria com a Associação Italiana de Sommeliers da Toscana.   

As maiores atrações dos três dias de evento são Niki Romito, Claudio Sadler, Igles Corelli, Mauro Uliassi, Enrico Derfingher, Filippo La Mantia, Igor Macchia, Giancarlo Perbellini e Paolo Teverini, entre outros. (ANSA)


Fonte: noticias.uol.com.br/
 
 
 Harmonia entre a Ciência e a Igreja
Analisando as bases do cristianismo é fácil perceber que ele é uma religião diferente das outras pois, além da fé, é baseado na racionalidade

Em um pronunciamento na catedral da cidade alemã de Colônia, em 15 de novembro de 1980, o papa João Paulo II constatou que a relação entre a Ciência e a Igreja era muito mais harmoniosa na prática do que na parecia na teoria. Na ocasião o papa se dirigia a estudantes e professores universitários pela recordação dos 700 anos de falecimento de Santo Alberto Magno. O santo alemão é doutor da Igreja e padroeiro dos cientistas. Foi frade dominicano e seu intelecto abrangeu todas as áreas de conhecimento da época, desde a teologia, a filosofia, até as ciências naturais. Apesar de não ter havido muitos outros como ele na abrangência de conhecimentos investigados, há inúmeros outros que dedicaram suas vidas à fé e à ciência. Foi em relação a estas pessoas que se referiu o papa.

De fato, analisando as bases do cristianismo é fácil perceber que ele é uma religião diferente das outras pois, além da fé, é baseado na racionalidade. Deus se manifesta e é o Logos encarnado que se comunica com o homem. Percebendo que o universo pode ser compreendido intelectualmente, ou seja, é inteligível, o homem se lança neste empreendimento magnífico chamado ciência. Não só as ciências naturais, mas todas elas, as humanas, as filosóficas e, por que não, a teologia. Ou seja, o cristianismo dá bases para que o homem possa ter a pretensão de compreender não só o mundo, mas o próprio Deus. Claro que nossa capacidade é limitada, mas a vontade parece que não. Se o cristianismo pode ser identificado como uma religião racional, a relação entre a Igreja e a Ciência deve ser harmoniosa. Evidentemente que houveram alguns momentos de atrito, mas foram mínimos e via de regra hoje muito mal compreendidos. Na sua última coluna o Marcio clarificou alguns mitos sobre Galileu.

Ao longo da história sacerdotes, religiosos e religiosas sempre foram pessoas muito instruídas.

Grande parte desta erudição se deve aos estudos teológicos que faziam parte da formação e da vida destas pessoas. Evidentemente que pessoas instruídas tendem a ter os horizontes intelectuais abertos para outras áreas. Creio que esta seja a grande razão de terem surgido grandes cientistas entre muitas pessoas da Igreja. Copérnico, que propôs que a Terra girava em torno do Sol, era cônego. O descobridor do primeiro asteroide, Ceres, foi o padre Giuseppe Piazzi. Mendel descobriu as leis da genética no seu mosteiro na República Checa. E para citar só os mais famosos ainda é preciso lembrar do padre Lemaître que propôs a teoria do Big Bang e de Nicolau Steno, que foi bispo e é considerado o pai da Geologia moderna. Essa lista nada modesta só inclui sacerdotes cujos trabalhos científicos causaram grande impacto. Há muitos outros ainda que não foram citados. Uma lista como esta não quer dizer que a Igreja é um celeiro de vocações científicas, mas sim que na prática as relações entre a Igreja e a Ciência são muito frutíferas. Como afirmou o papa João Paulo II há 30 anos em Colônia.

Outro aspecto prático destas boas relações entre a Igreja e a Ciência são famosas Universidades criadas e/ou mantidas pela Igreja, onde a ciência é livre para ser desenvolvida. Além das Universidades, a Igreja ainda mantém institutos de pesquisa, como o Observatório Astronômico do Vaticano, do qual falei um pouco no último artigo. A Specola Vaticana, como é conhecido o Observatório, é mantido pela Santa Sé e por doações e gerenciado por padres jesuítas que também são astrônomos. Além do Observatório Astronômico a Santa Sé mantém uma das mais antigas academias de ciência do mundo. A Pontifícia Academia de Ciências é constituída por cientistas de renome mundial, muitos deles ganhadores do prêmio Nobel. Juntos eles discutem temas importantes referentes às grandes questões científicas mundiais, especialmente as que dizem respeito ao ser humano e ao futuro do planeta. Grande parte do trabalho desenvolvido pela Academia pode ser encontrado no site do vaticano e lido gratuitamente.

Mas muito embora a Igreja valorize a Ciência como um grande e importante empreendimento humano, ela não cansa de alertar para os perigos que a Ciência pode trazer se usada da maneira errada. Os riscos são vários, mas três se destacam e mereceram muita atenção nos discursos papais mais recentes, inclusive na última encíclica do papa Bento XVI, Caritas in Veritate. Em primeiro lugar está o risco do conhecimento científico ser usado por grupos de poder para dominar os outros. Já vimos isso com as bombas atômicas ou então com o monopólio de conhecimentos, como algumas patentes de remédios. Com o desenvolvimento tecnológico cada vez mais acelerado o risco do conhecimento ser usado efetivamente como arma é muito grande. É preciso que fiquemos todos muito alertas e que não aceitemos este tipo de uso indevido da ciência, que deve sempre promover o bem de todos.

Um segundo risco alertado pelo papa envolve as questões éticas relativas ao valor do ser humano. Como exemplo mais dramático temos as células tronco embrionárias e a eugenética, que é a manipulação genética do ser humano para criar pessoas “perfeitas”. Em seus discursos o papa tem lembrado que cada ser humano é uma criação única e que não faz sentido valorizar as pessoas só por meia dúzia de características (como beleza, força, inteligência) pois somos muito mais complexos que isso. A manipulação da vida humana em laboratório precisa respeitar as dignidade de cada ser humano e este é um limite claro para a Ciência. Definitivamente ela não é onipotente!

O terceiro risco que corremos com o desenvolvimento errado da Ciência é um risco moral. Frente ao sucesso das técnicas científicas muitos tendem a tornar absoluto o poder da Ciência crendo inclusive que ela é capaz de dar respostas às indagações humanas sobre o sentido da nossa existência. Estas visões são bem representadas hoje pelo cientificismo e pelo declínio moral de nossa época. O papa sempre alerta para falsidade do cientificismo, seu fracasso como princípio norteador da moral e o perigo de levar à intolerância religiosa.

Para encerrar quero dizer que vejo horizontes muito promissores para as relações entre a Ciência e a Igreja. Certamente há muitos pontos que podem ser delicados, como os três que citei acima, mas penso que a medida que a humanidade for conhecendo mais a Ciência, vai entender melhor seus limites e ver como, através da história, a Igreja sempre colaborou para o desenvolvimento científico. Sem que no entanto isto seja uma meta sua pois, como dizia o padre Lemaître, “à Igreja bastam a cruz e o evangelho”.


Fonte: http://pt.aleteia.org/2015/11/04/harmonia-entre-a-ciencia-e-a-igreja/
 
 
 Útil e agradável. Felipe Aranha leva gastronomia funcional para os coquetéis
Gaúcho radicado em São Paulo assina cardápios saudáveis para grifes renomadas como Louis Vuitton, Gucci e Versace

Felipe Aranha é mais um case de sucesso ao substituir terno e gravata por dólmã e toque blanche. Sempre ligado nas panelas, o gaúcho radicado em São Paulo é um dos pioneiros a trabalhar com gastronomia funcional no Brasil. 

Atualmente, Ipe, como é mais conhecido, assina coquetéis com comidas saudáveis e saborosas para grifes renomadas como Louis Vuitton, Gucci e Versace. 

Outro serviço que vem dando o que falar na capital paulista é o detox. Ipe entra na casa do cliente – entre cinco e 10 dias – e prepara as seis refeições diárias, além de ajudá- lo com compras e hábitos alimentares. Ele manda uma dica básica: 

– Tirar a farinha branca da vida, pois tudo o que é branco perdeu as propriedades no final do processo de polimento. A pessoa come puro carboidrato.


Fonte: zh.clicrbs.com.br/
 
 
 Festival IBU reúne gastronomia com shows de jazz e rock em Goiânia
Evento promete reunir os melhores cafés especiais e cervejas artesanais.
No dia do aniversário da capital, sobe ao palco a cantora Gal Costa.

O festival IBU Goiânia promete reunir as melhores marcas de cerveja artesanal e exclusivos produtores de café neste final de semana, no Centro Cultural Oscar Niemeyer. O evento também conta com shows de blues, jazz e rock.
Na sexta-feira (23), o saxofonista da banda Móveis Coloniais de Acaju, Esdras Nogueira, inaugura o palco do IBU. Ele apresenta canções do seu novo disco, intitulado Capivara.

A principal atração musical do sábado (24), dia do aniversário de Goiânia, é o show de Gal Costa, que se apresenta no Palácio da Música. O ingresso para o show dela é cobrado à parte da entrada para o evento.
Ainda no sábado, a banda Dom Casamata se apresenta com seu trio instrumental: baixo, bateria e guitarra. A programação de domingo (25) conta com o músico Pedro Martins, que venceu o Festival de Jazz de Montreaux.
De acordo com a organização, estão previstas cerca de 30 tendas de cerveja artesanal e dez, de café especial. A estrutura também conta com bares, praça gastronômica e palcos para apresentação musical de bandas e DJs.
Serviço:
Festival IBU Goiânia
Data: de 23 a 25 de outubro
Horário: dia 23: a partir das 18 horas/ dias 24 e 25: a partir das 14 horas
Local: Centro Cultural Oscar Niemeyer
Mais informações: www.ibugoiania.com.br


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Rio recebe o maior evento de gastronomia do mundo
Cidade foi a primeira cidade da América Latina que recebeu encontro.
Diretor comercial afirmou que Rio de Janeiro cria tendências.


O Rio recebe nesta quarta-feira (14) um evento internacional de gastronomia e hotelaria, o Sirha. O encontro será realizado pela primeira vez na América Latina e irá reunir 93 expositores. Com a expectativa de receber mais de 10 mil visitantes, o objetivo do evento é levar solução e inspiração para os profissionais do serviço de alimentação.

O diretor comercial do Sarha, Rubens Slaviski, afirmou que o evento escolheu o Rio como a primeira sede na América Latina porque é uma cidade que lança tendências. De acordo com ele, o Rio é um polo criador em diversas áreas.

"O Sirha é um evento que acontece na França já há 30 anos, o maior evento de gastronomia do mundo e ele tem algumas duplicações em cidades que lancem tendências em áreas gastronômicas. A gente escolheu o Rio de Janeiro porque é um polo lançador de tendências de todos os setores. Na moda, nos esportes e também na gastronomia o Rio lança tendência", afirmou Slaviski.

A exposição será realizada entre os dias 14 e 16 de outubro no Centro de Convenções Sul América, no Centro do Rio. O público pode encontrar stands de food trucks, exposição de marcas dos setores alimentício e hoteleiro, além de poder acompanhar uma competição que irá levar um chef brasileiro para uma competição internacional. O vencedor da etapa brasileira pode representar o Brasil na Copa do Mundo de lá Patisserie, que será realizada na França, em 2017.



Fonte: g1.globo.com
 
 
 Os realities culinários e as novas tendências da gastronomia
Um milhão seiscentos e sessenta e sete mil foi o número de tweets que a tela do “MasterChef Brasil” contabilizou assim que o último episódio do programa chegou ao fim, pouco depois da uma da manhã. O reality culinário se mostrou um fenômeno de mídia sem igual, com milhões de comentários nas redes sociais, memes compartilhados e notícias na imprensa. E é exatamente esse poder da influência social e digital que nos levanta uma nova questão: a necessidade das marcas e empresas adaptarem a publicidade ao que realmente atinge hoje as pessoas. Os métodos precisam ser reinventados constantemente para conquistar os clientes.
 
O sucesso que os programas estrangeiros como o norte-americano Chopped, os britânicos Hell´s Kitchen, Top Chef e Cake Boss fazem há alguns anos, traz com força para o nosso País essa influência. O programa da BAND contribuiu para consolidar os realities de gastronomia como uma forte tendência no Brasil. O SBT também já tem dois, a Globo um e o GNT estreou há pouco tempo o “Que seja doce”. A verdade é que a televisão está cheia de programas de culinária e gastronomia dos mais variados tipos. Desde os que ensinam receitas, até os reality shows competitivos, aos que mostram novas tendências gastronômicas.  Já ficou evidente que esse novo cenário é um ótimo outdoor para as propagandas de diversas marcas. Aquela tradição de publicar anúncios em grandes revistas e jornais está, cada dia mais, dando lugar à publicidade menos incisiva, em programas que estão em alta.
 
Toda essa visibilidade para a indústria alimentícia não é à toa. Muito se fala, discute e estuda sobre alimentação e tendências gastronômicas. Se antes os fast-foods como o Mc Donald´s eram os escolhidos como melhor opção para aquela refeição rápida e gostosa, hoje as pessoas estão, cada vez mais, adotando outros tipos de hábitos alimentares e tentando resgatar as formas de consumo mais naturais e saudáveis em busca de maior qualidade de vida.
 
Essa mudança de hábito fez com que o mercado de bares, restaurantes, lanchonetes e padarias adaptassem suas refeições para esse novo perfil. Não apenas nesse segmento, empresas de todos os tipos também precisam alinhar os processos de marketing e publicidade com consumidores mais exigentes em relação à qualidade do produto que consomem e ao envolvimento sustentável que a marca tem.
 
Um estudo realizado recentemente, o Brasil Foods Trends – 2020 revelou que a demanda por alimentos mais saudáveis é uma das maiores tendências para os próximos 10 anos. Os estabelecimentos que não acompanharem essas mudanças estarão fora do mercado em poucos anos. E mais do que isso, a disseminação do gourmet e dos pratos lindos e mirabolantes feitos em programas como o MasterChef fazem com que o consumidor queira ainda mais: receitas inovadoras, opções diferenciadas, estética na comida e praticidade e bons preços. Como fazer tudo isso?
 
 Entramos agora em uma outra tendência, influenciada por toda essa mudança no perfil dos consumidores e essa “gourmetização” dos alimentos tão assistida nos programas gastronômicos. Uma dica: Sabemos que comida de rua não é nenhuma novidade. Porém, uma reinvenção desse conceito se tornou uma febre em diversos locais no mundo e, mais recentemente, no Brasil também. 
 
É isso mesmo. O food truck é a nova tendência do mercado gastronômico. Com inovação na forma de vender e também nos pratos, os empreendedores e chefes de cozinha encontraram nesse negócio a oportunidade de ter o seu próprio empreendimento com um custo mais baixo, além de poder inovar nos pratos. A proposta dos restaurantes é justamente levar opções de comida gourmet para as ruas, lanches rápidos, mas não industrializados e pouco saudáveis como os fast-foods tradicionais conhecidos e ainda, com valores acessíveis.
 
Para se ter uma ideia, por causa do crescimento dessa demanda, uma oficina de São Paulo que transforma veículos normais em food trucks, teve um aumento de 150% em suas encomendas neste ano, com um faturamento em média de R$ 150 mil por mês. Sucesso em todo o mundo, as comidas vendidas pelos food trucks já até viraram programa de TV. No Brasil, o programa da GNT, Food Truck: A Batalha estreou há pouco tempo e já é recorde de audiência. 


Fonte: segs.com.br
 
 
 VI Festival de Gastronomia Orgânica acontece em São Paulo
Estado de São Paulo é o quarto maior produtor de orgânicos do Brasil

O governador Geraldo Alckmin visitou neste domingo, 18 de outubro, o VI Festival de Gastronomia Orgânica, no Parque da Água Branca. A Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro) apresentou as principais tecnologias e inovações de segurança alimentar.

Durante o evento, aconteceram oficinas de cozinha de alimentação saudável e de hortas caseiras de ervas frescas, na qual profissionais ensinara técnicas para incentivar a utilização de temperos naturais, além de atividades desenvolvidas para o cultivo agroecológico, em especial a orgânico, como a linha de crédito do Fundo de expansão do Agronegócio Paulista (Feap) para a conversão do cultivo convencional para o orgânico.


"Temos aqui alimentação sem agrotóxico, sem produtos químicos, industriais ou artificiais. O alimento é o melhor remédio e a alimentação de qualidade ainda proporciona uma alternativa econômica para o país e pequenos agricultores. Vejo com muito entusiamo essa feira maravilhosa no Parque da Água Branca  e como cresce essa filosofia de vida mais próxima da natureza". Informa o governador. 


Também houve exposição de sementes orgânicas, desenvolvidas pela Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), e da fazenda de orgânicos, da Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio (Apta), ambas da Secretaria de Agricultura e Abastecimento.

Secretaria de Agricultura apoia produção orgânica no Estado

Considerado um grande centro consumidor, o Estado de São Paulo é também o quarto maior produtor de orgânicos do Brasil. A Secretaria de Agricultura vem ofertando apoio irrestrito aos produtores de alimentos orgânicos, assim como faz com os da agricultura convencional. A Secretaria da Agricultura é favorável à alimentação de qualidade, produzida com sustentabilidade e com incremento na renda do produtor rural, utiliza da pesquisa, da assistência técnica e da extensão rural para capacitar seu corpo técnico e apoiar os produtores rurais que trabalham com orgânicos. Promove Dias de Campo, Semanas da Agricultura Orgânica, a edição de publicações específicas sobre o tema, bem como financiamentos e seguro rural.


As Unidades de Produção também tiveram um aumento significativo. Passaram de 10.064 em janeiro de 2014 para 13.323 em janeiro deste ano, ou seja, um acréscimo de 32%. A área total de produção orgânica no Brasil já chega a quase 750 mil hectares, sendo o Sudeste a região com maior área produtiva, chegando a 333 mil hectares. Em seguida, estão as regiões Norte (158 mil hectares), Nordeste (118,4 mil hectares), Centro-Oeste (101,8 mil hectares) e Sul, (37,6 mil hectares). 

Feira de Orgânicos
A Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio da Codeagro, realiza a feira de produtos orgânicos ao lado do Metrô Jabaquara, em São Paulo, todas as sextas-feiras, das 15h às 20h, com entrada gratuita, para aproximar o produtor rural e o consumidor.O objetivo é que a feira sirva de embrião para que outras, nos mesmos moldes, sejam realizadas em diversas regiões do Estado para fomentar o setor de produtos orgânicos e oferecer mais opções de alimentação saudável.

O projeto envolve produtores de Botucatu, Santo André, Suzano, Campinas, Sorocaba, Mogi das Cruzes, São Paulo, Embu Guaçu, Ibiúna e Itapevi. Ele está inserido no Projeto Bom Preço do Agricultor, da Codeagro, que visa articular ações para o desenvolvimento da economia regional, agregando valor à pequena e média produção de hortifrutigranjeiros, produtos agropecuários e agroindustriais. 


Cerca de 30 expositores distribuídos em 800 m² vendendo não apenas frutas e verduras, mas também pães, salgados, café, cosméticos, entre outros produtos. 

O espaço é da própria Secretaria de Agricultura e Abastecimento e já recebe, todos os domingos, das 4h às 13h, uma feira convencional por onde passam 22 mil pessoas, comprando cerca de 190 toneladas de alimentos por domingo.


Apta tem a única unidade que produz batata-semente orgânica

A Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), por meio da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Itararé, é a única instituição brasileira certificada e cadastrada para a produção de batatas-sementes orgânicas. 

A vantagem para os produtores são segurança fitossanitária do material que será plantado, menores custos e diminuição da dependência por sementes importadas. A expectativa é que as batatas-sementes orgânicas comecem a ser liberadas pela Apta para os produtores rurais em 2016.

A produção inicial será de 360mil quilos de batatas-sementes orgânicas das variedades Ibituaçu, Araci, Araci Ruiva, Itararé e Vitória, todas desenvolvidas pelo Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, com excelente qualidade culinária e ideais para a preparação de chips e purê, além da variedade Baraka. 

A UPD da Apta de Itararé é pioneira na produção de batatas-sementes orgânicas para disponibilização a produtores rurais. Para a certificação de 50hectares da Unidade de Pesquisa da Apta foram investidos, aproximadamente, R$ 400 mil, em aquisição de equipamentos e implementos, como tratores, pulverizadores, grade aradora, grade niveladora, plaina e lâmina. Além disso, as câmaras frias da Unidade passaram por revisão e foram identificadas para separar as áreas orgânicas e as convencionais. Um barracão de insumos também foi adequado.


Linha de crédito do FEAP 

O Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (FEAP) possui uma linha de crédito para Agricultura Orgânica. Essa linha foi criada em 2013, para atender a demanda dos produtores rurais convencionais que desejam fazer a conversão para a orgânica, estimulando a produção sustentável. 

O teto de financiamento de até R$200 mil por produtor rural pessoa física ou jurídica, e até R$500 mil por cooperativa e associação de produtores rurais. 

O prazo para pagamento é de 7anos, incluindo a carência de 4 anos. O juro é de 3% ano, com bônus de adimplência de 25% sobre a taxa de encargos de operação.


Fonte: saopaulo.sp.gov.br/
 
 
 Chef de cozinha alagoana é finalista de concurso de gastronomia no RJ
Giovanna Mayer disputa o Bocuse d’Or, as 'Olimpíadas da Gastronomia'.
Competição vai escolher três finalistas para representar o Brasil no México. 

A chef de cozinha alagoana Giovanna Mayer é uma das oito finalistas do concurso de gastronomia Bocuse d'Or, competição considerada as Olimpíadas dos Chefs, que acontece durante a edição brasileira do Salão Gastronômico Sirha até sexta-feira (16), no Rio de Janeiro.

Ela se destacou na competição após preparar dois pratos, um de carne e outro de peixe, fazendo uso de ingredientes determinados pelos jurados do concurso.

Aos 23 anos, Giovanna Mayer é a chef mais nova no páreo e se inscreveu no concurso quando ainda estudava gastronomia, em Barcelona, na Espanha.

Para ser selecionada, ela enviou duas receitas. A de carne tinha que conter a raiz chamada 'ora pro nóbis', e na de peixe era obrigatória a inclusão do chuchu.

“Quando recebi o convite para participar da seleção no Brasil foi uma surpresa! Eu realmente não esperava. Foi um desafio pensar nessas receitas com essas especificidades, ainda mais com o 'ora pro nóbis' que eu nem conhecia. Fiz muita pesquisa para selecionar as receitas e enviar’’, revela.

Para selecionar os candidatos, o concurso usou como requisito critérios como originalidade da receita, fidelidade aos ingredientes exigidos e a melhor apresentação do prato.
Já no Rio de Janeiro, Giovanna teve que encontrar um coach para cumprir as regras da competição. O chef Erik Noka foi o eleito. O mês que antecedeu a disputa foi dedicado aos treinos.
Na hora de cozinhar, a precisão em cada detalhe da receita foi crucial. O primeiro prato tinha que ser entregue com cinco horas de prova, e a segunda receita, no final da prova. Giovanna conta que não teve nem tempo de olhar para os jurados durante a prova do primeiro prato, pois já tinha que se concentrar em terminar o segundo.

“A gente sempre acha que pode fazer melhor. A cozinha é um lugar muito frágil, algo pode dar errado se eu me desconcentrar por um minuto. Mas ainda bem que consegui terminar e colocar em prática tudo que treinei. Agora, é torcer e esperar o resultado’’, conta.

Competição
O concurso acontece desde 1987 e foi criado pelo chefe Paul Bocuse, que há 50 anos garante ao seu restaurante três estrelas do Guia Michelin, nota máxima da tradicional publicação que seleciona bons restaurantes e hotéis em diversas regiões do mundo.

A seleção para a grande final, que acontecerá em Lyon, na França, dura 18 meses. São selecionados jovens de 24 países do mundo inteiro para competir. A seleção do Brasil vai escolher três finalistas para a competição no México, com concorrentes de 12 países, e de lá sairão os melhores chefs para disputar o grande prêmio.

A chef
Giovanna Mayer é formada pela Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo. Durante a graduação, ela trabalhou no Restaurante Paris 6. Depois de concluir o curso, foi para Lyon, na França, onde estudou na escola do Chef Paul Bocuse, criador do concurso. Em seguida, aperfeiçoou as técnicas fazendo vários cursos da área.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Prêmio Gourmet Vip elege os melhores da gastronomia capixaba
A edição deste ano contemplou 50 categorias. Entre os novos premiados estão paletas mexicanas, food truck, carne na chapa e utensílios gourmet e do lar

Requinte, luxo e alta gastronomia. Assim se resume a noite de entrega da 13ª edição do Prêmio Gourmet Vip, que aconteceu na última segunda-feira (5), em Jardim Camburi, Vitória. Uma forma de parabenizar aqueles que prestam serviço de excelência para o público do Espírito Santo. Confira a galeria de fotos da noite de premiação!

Um ano repleto de novidades na premiação! Agora são 50 modalidades diferentes da gastronomia do Estado prestigiadas com o prêmio. O Fala ES, programa responsável pela premiação, está cada vez mais vinculado ao mundo gastronômico.

“Esse prêmio passou a fazer parte do meu programa, o Fala ES, que completa neste ano 15 anos no ar. Então vem com muitas novidades porque eu ganhei um espaço gourmet novo para receber chefs e culinaristas no dia a dia. O Fala ES é o único programa diário ao vivo local que tem toda essa estrutura e o prêmio vem para consagrar esse momento importante de 15 anos do programa no ar com pessoas maravilhosas e queridas que vão ao nosso estúdio”, disse a apresentadora Tais Venâncio.

Alegria dos vencedores e incentivo para os demais candidatos aprimorarem seus serviços com o que há de melhor. O diretor geral da Rede Vitória, Fernando Machado, acredita que o prêmio faz com que os capixabas tenham referências para frequentar os estabelecimentos ao longo do ano. “O Prêmio Gourmet Vip já se estabeleceu e eu acho que é sempre muito bom porque as pessoas elegem os estabelecimentos e esses estabelecimentos a gente tem como referência para frequentarmos durante o ano”. 

Conheça os vencedores:

1) COZINHA ITALIANA    

DOMUS ITÁLICA    32.27%
PREFERITO    23.63%
BACCO    44.1%

2) COZINHA JAPONESA    

SUSHIMAR    29.18%
JAPA SAN    46.69%
YAHOO    24.13%

3) COZINHA CONTEMPORÂNEA    

VALENTINA    33.99%
VILA DOS CHEFS    34.82%
VERO RISTORANTE    31.18%

4) COZINHA DAS MONTANHAS    

DON BENIN    26.53%
ALECRIM    40.68%
VALSUGANA    32.79%

5) COZINHA CAPIXABA    

PAPAGUTH    37.17%
ESPERA MARÉ    39.16%
GOSTO PORTUGUÊS    23.67%

6) COZINHA RÁPIDA - SELF SERVICE    

SALADE VERTE    29.98%
TROPICAL    20.98%
GALETINHO    49.05%

7) COMIDA NATURAL    

BULLY’S    41.85%
BAGUETE’S NATURAL    24.08%
SUCO BAGAÇO    34.06%

8) COZINHA BRASILEIRA    

CANTO DA ROÇA    38.66%
RANCHO FORTE    23.26%
NINHO DA ROXINHA    38.08%

9) COZINHA INTERNACIONAL    

FUEGOS RESTAURANTE    28.23%
ARGENTO PARRILLA    42.81%
EL RACHID    28.96%

10) GASTRONOMIA EM HOTELARIA    

SHERATON VITÓRIA    40.48%
BRISTOL ALAMEDA VITÓRIA    27.76%
BRISTOL – PRAIA DO CANTO    31.76%

11) PRATO EXECUTIVO    

ALEIXO    43.13%
TAURUS    32.93%
PIU ESPECIARIAS    23.94%

12) PIZZARIA    

DON CAMALEONE    34.73%
DISK PIZZA PAULISTA    37.86%
MISTER PIZZA    27.41%

13) CARANGUEJO    

CARANGUEJO DO GIL    22.67%
ILHA DO CARANGUEJO    33.22%
CARANGUEJO DO ASSIS    44.11%

14) HAMBURGUERIA    

MELT HAMBURGUERIA    38.76%
BURGER STATION    29.46%
GOL BURGER SANDUICHERIA    31.78%

15) FRUTOS DO MAR    

ATLÂNTICA    33.47%
TIMONEIRO    28.76%
BOQUEIRÃO    37.78%

16) SORVETERIA    

FIORETTO    43.83%
LA PREMIATTA GELATERIA    28.31%
FREDDO    27.86%

17) PALETAS MEXICANAS    

LOS PALETEROS    45.52%
LAS PALETITAS    35.32%
HELADO MONTERREY    19.16%

18) PADARIA    

MONTE LÍBANO    52.55%
PÃO E COMPANHIA    24.72%
LEDUT CASA DE PÃES    22.74%

19) CAFETERIA    

CAFÉ BAMBOO    32.45%
DELTA Q    40.42%
CAFETERIA NÚMERO UM    27.13%

20) CERVEJARIA    

CASA DO CERVEJEIRO    25.85%
MR BEER    29.5%
LA VILLA CHOPPERIA    44.65%

21) CHOPP EXPRESS DELIVERY    

KAISER CHOPP    19.77%
ASHBY CHOPP    25.37%
BRAHMA EXPRESS    54.86%

22) CHOCOLATES    

LE CHOCOLATIER    45.59%
BRASIL CACAU    25.75%
KOPENHAGEN    28.66%

23) DOCERIA    

CHOCOLATERIA BRASIL    45.27%
DOÇURA    27.94%
CAKE & DELÍCIAS    26.79%

24) CHURRASCARIA    

VICTORIA GRILL    43.41%
GRAMADO    29.6%
MINUANO    26.99%

25) CARNE NA CHAPA    

DI DOMDOM    20.55%
DE LIRA    40.67%
CORONEL PICANHA    38.78%

26) BUFFET INFANTIL    

LOLLYPOP    57.88%
FANFARRA    20.94%
BENDITA HORA    21.18%

27) CERIMONIAL VITÓRIA    

LE BUFFET    59.05%
ITAMARATY HALL    22.28%
CENTRO DE CONVENÇÕES DE VITÓRIA    18.67%

28) CERIMONIAL VILA VELHA    

BOULEVARD HALL    24.94%
LE CHANDON    40.53%
CENTRO DE CONVENÇÕES DE VILA VELHA    34.53%

29) CERIMONIAL SERRA    

STEFFEN    39.72%
PORTO BELLO    37.86%
WARUNG    22.42%

30) UTENSÍLIOS GOURMET    

CRYSTAL GARDEN    31.8%
MGERAIS    35%
CETRINO    33.2%

31) UTENSÍLIOS DO LAR    

MINIPREÇO    36.36%
PONTOMIX    26.58%
NÉRIO & TÂNIA    37.06%

32) VINHOS    

CANTO DO VINHO    27.53%
WINE    55.45%
ESPAÇO D.O.C IMPORTADORA    17.02%

33) HAPPY HOUR    

CENARIUM LOUNGE BAR    22.14%
SPETACOLLO    56.86%
CASA RIO BOTEQUIM    21%

34) CAFÉ    

CAFÉ NÚMERO UM    53.93%
CAFÉ CAFUSO    27.46%
CAFÉ GLÓRIA    18.61%

35) REFRIGERANTE    

UAI    14.43%
COROA    38.27%
ANTÁRCTICA    47.3%

36) ÁGUA    

UAI    13.8%
PEDRA AZUL    58.24%
CAMPINHO    27.96%

37) LEITE    

SELITA    56.8%
ITAMBÉ    23.69%
DAMARE    19.52%

38) QUEIJOS    

RESERVA DOS IMIGRANTES    24.42%
TIROLEZ    21.25%
SELITA    54.33%

39) BISTRÔ    

DELLA BISTRÔ    42.61%
DAJU BISTRÔ    28.77%
AZTECA BISTRÔ    28.62%

40) SUPERMERCADO    

PERIM    47.03%
OK HIPERATACADO    17.01%
EXTRABOM    35.96%

41) PLANEJADOS COZINHA    

ROMANZZA    46.6%
DALMÓBILE    25.56%
BARTZEN    27.84%

42) BISCOITOS    

CLAÍD’S    34.32%
BOM BISCOITO    22.31%
PIRAQUÊ    43.36%

43) COZINHA E RECREAÇÃO    

RANCHO BELISKÃO    39.43%
PICANHA DA PRAIA    30.84%
BACANA    29.73%

44) FOOD TRUCK    

AVENIDA BRIGADEIROS    35.42%
CHICKS GOURMET    28.05%
HASTA LA PISTA    36.52%

45) ARTIGOS PARA FESTAS    

COLMEIA DAS FESTAS    31.37%
CENTRAL DE AVIAMENTOS SÃO PAULO    34.74%
PALÁCIO DAS FESTAS    33.89%

46) BEBEDOUROS    

BEBEDOUROS E CIA    35.36%
HOKEN    17.41%
EUROPA    47.23%

47) CARNES BRANCAS    

UNIAVES    45.04%
KIFRANGO    36.31%
OIFRANGO    18.65%

48) PATISSERIE    

REGINA MEYNARD    31.83%
EDNA JABOUR    38.09%
JÚLIA CANDEIAS    30.08%

49) CHEF DO ANO    

GUSTAVO CORRÊA – ITAMARATY HALL    11.56%
JÚLIO LEMOS – PAPAGUTH    7.12%
ASSIS TEIXEIRA – DOMUS ITÁLICA    13.4%
DUAINE CLEMENTS - LE BUFFET    30.78%
ORLANDO NARDI – PREFERITO    8.13%
FRANÇOIS TEISSONIÈRE - FUEGOS    6.2%
DANILLO AMARAL – CAPRI ITALIANO    14.09%
MATIAS, FERNANDO E CAROLINA SALÉM - ARGENTO PARRILLA    8.72%

50) TOP OF MIND    

LE BUFFET    46.55%
CAFÉ NUMERO UM    12.19%
ITAMARATY HALL    14.2%
DADALTO    11.05%
COFRIL    16.01%


Fonte: folhavitoria.com.br
 
 
 Ribeirão Preto terá terceira edição da Restaurant Week a partir do dia 28
Ribeirão Preto está mais uma vez no calendário do maior festival gastronômico brasileiro. Começa dia 28 de setembro a terceira edição local da Restaurant Week, que terá três semanas – até dia 18 de outubro, com a participação dos melhores restaurantes e bistrôs da cidade.

O tema do festival não poderia ser mais instigante: “Gastronomia afetiva”. Os chefs já criaram os menus que incluem entrada, prato principal e sobremesa a preço fixo de R$ 39,90 + R$ 1 da doação para o Hospital de Câncer de Ribeirão Preto (total R$ 40,90) no almoço e no R$ 51,90 + R$ 1 da doação para o Hospital de Câncer de Ribeirão Preto (total R$ 52,90) no jantar.

O público poderá fazer sua reserva de mesas pela internet e nos próximos dias, os organizadores divulgarão todos os menus de todas as casas participantes.

A Ribeirão Preto Restaurant Week realizada no primeiro semestre – de 19 de abril a 30 de março – superou os números do ano passado: cerca de 37 mil pessoas degustaram os menus oferecidos pelos 25 restaurantes participantes.

Fonte: TEXTO & CIA Comunicação

 
 
 Exposição espanhola desembarca no Brasil unindo gastronomia e design
Cozinhar é desenhar pratos", diz o chef espanhol Ferran Adrià: a fusão entre a gastronomia e a criatividade é exatamente a proposta da mostra "Tapas: Spanish Design for Food", que ficará em exibição em São Paulo até o próximo dia 8 de novembro, no Museu Casa Brasileira.

Após um périplo que a levou por Tóquio, Madri, Estados Unidos e México, a exposição agora apresenta ao público brasileiro a importância do design na evolução da gastronomia espanhola através de mais de 200 objetos usados para preparar ou desfrutar de uma refeição.

A melhor almotolia do mundo, projetada por Rafael Marquina em 1969; um alguidar construído com sedimentos do café e um totó transformado em mesa são alguns dos objetos que ilustram na exposição o "desenvolvimento da cultura gastronômica" na Espanha.

"O design se colocou a serviço da experiência de comer", explicou à Agência Efe o arquiteto e designer Juli Capella, curador da exposição, que foi aberta na terça-feira pelo embaixador da Espanha no Brasil, Manuel de La Camara Hermoso.

É nessa união entre a comida e o design na qual Adrià, nomeado cinco vezes o melhor chef do mundo, teve um papel fundamental.

"Ferran Adrià marcou um antes e depois do ponto de vista criativo. Ele volta a interpretar o passado acrescentando distintas disciplinas, entre elas o design", destacou Capella.

A mostra apresenta alguns dos objetos planejados por Adrià, mas também deixa espaço para a criação de outros dos grandes da culinária espanhola, como Joan Roca e Juan Mari Arzak, nomes de peso que a "Tapas" coloca ao lado de artistas como Antoni Miralda e Javier Mariscal.

A exposição, que pela primeira vez é realizada na América do Sul, é dividida em três espaços. No primeiro, "Tapas" abre as portas da cozinha e apresenta a evolução dos recipientes, entre eles a famosa moringa, tão apreciada pelo diretor de cinema espanhol Josep Joan Bigas Luna.

No segundo, o protagonista é a mesa, e nela o design chega pelos talheres, como os idealizados pelo restaurante El Bulli, de Ferran Adrià, em colaboração com o projetista industrial suíço Luki Huber, que vive na Espanha.

No terceiro é prestada uma homenagem à comida espanhola: os "chupa-chups" - cujo logo foi desenhado por Salvador Dali -, a paella, o chocolate e também as tapas espanholas, "o santo e a senha" da cozinha do país.

Suas origens remontam à Idade Média, quando nas tavernas eram utilizadas rabanadas de pão para tapar uma jarra, evitando, portanto, a entrada de migalhas no recipiente. Porém, o tempo deu espaço a uma versão mais sofisticada, na qual se fundem o design e a gastronomia.

Para o curador, a mostra, apresentada pela Ação Cultural Espanhola, não serve só para "divertir e instruir", mas também pode inspirar o Brasil, "um país rico em gastronomia".

"O Brasil é uma sociedade em rápida evolução, uma grande tradição e muito cuidado com o design, tem grandes arquitetos. Essa mostra vai servir de revulsivo", ressaltou Capella.

Por causa da exposição, a embaixada da Espanha no Brasil lançará em outubro a "Tapas Week", uma semana na qual o tira-gosto será oferecido em diferentes restaurantes de São Paulo.

Fonte: culinaria.terra.com.br
 
 
 Chef Cidinha Lamounier acredita no potencial da gastronomia mineira
“Somos excelentes profissionais, só precisamos de um marketing melhor para ganharmos o Brasil e o mundo”, concluiu a premiada chef Cidinha Lamounier, sobre a gastronomia mineira. Certificada como ProChef Nível 1 pelo Instituto Americano de Culinária, a profissional foi escolhida para representar Minas no cenário gastronômico entre os anos de 2015 e 2016, no prêmio máximo da gastronomia brasileira, o Dólmã. 

Detentora de um vasto conhecimento sobre a culinária mineira e brasileira, Cidinha usa seu talento não só para construir receitas repletas de sabor, memória e cultura, mas também para transmitir o que sabe. Estudiosa da área, ela decidiu dedicar seu tempo à docência e desistiu de trabalhar com qualquer coisa que não lhe desse prazer. Por isso, trocou as calculadoras científicas que utilizou por 19 anos trabalhando em banco, pela cozinha e a sala de aula.

A ouropretana se inscreveu em alguns cursos oferecidos pelo Senac, com o objetivo de abrir um negócio próprio e, no meio do caminho, acabou substituindo uma professora que se ausentaria por um tempo e descobriu uma nova paixão. Desde então, decidiu investir na carreira e não parou mais de ensinar. Chegou a ir para a França, onde ficou por dez dias e fez sete cursos diferentes. Hoje, executa seu trabalho como professora no curso de gastronomia da faculdade Promove.

No entanto, o sonho de abrir um restaurante é mantido e, segundo ela, “está mais vivo que nunca”. Cidinha acredita que até o próximo ano realiza este desejo adiado. “Estou no auge de ver o meu sonho realizado. E com foco na gastronomia mineira, quero valorizar o público e os produtores daqui e resgatar técnicas tradicionais para elaborar meu cardápio”, revela.

Sua referência profissional é Dona Lucinha, que é uma das principais figuras do cenário gastronômico que preserva a cozinha de origem, “gerada nos primeiros anos dos setecentos nas Minas do Ouro e do Diamante”, como é definida sua culinária no site da cozinheira. “Eu me inspiro muito na história dela”, conta Lamounier. A chef citou também a culinária moderna de Léo Paixão, além de Ivo Faria, como nomes que representam bem o atual cenário da gastronomia local.


Confit = Carne de Lata

O confit, técnica dita como sendo francesa, é uma tendência na gastronomia. Mas, na verdade, é uma forma antiga de conservar o alimento, desenvolvida especialmente por soldados na guerra para que a comida não entrasse em deterioração. Armazenar o alimento era o único objetivo para essa técnica. Hoje, o resgate da tradição se tornou mais uma forma de agregar sabor aos ingredientes. “Temos que resgatar todas as histórias possíveis da culinária”, ressalta a professora e chef Cidinha Lamounier.

Para representar tudo isso em que a profissional acredita e se apoia para desenvolver seu próprio estilo, Cidinha criou uma receita que chamou de “Porco do Brasil”, que é uma barriga de porco pururuca ao molho de rapadura com gengibre, aligot de canjica amarela, farofa de castanha do Brasil e crisps de taioba.

“Usei dois tipos de queijo no aligot, que é um tipo de purê: o tradicional queijo minas e uma muçarela. Ele ficou bem ‘puxa-puxa’”, explicou. Ela detalhou ainda que a barriga de porco foi feita em baixa temperatura, com muita paciência e cuidado. A chef fez questão de usar vários produtos nacionais, como o cumaru, a cachaça, rapadura, pimentas variadas e a taioba. “A taioba é um produto bastante mineiro, porém, mais utilizado no interior, especialmente em locais onde ela encontra com a água. Se plantado na beira de rios e brejos ela vai dar folha o ano inteiro, caso contrário, ela vai estar disponível mais no verão, quando temos mais chuvas”.

O interesse pela culinária de raiz não faz a chef descartar as novas técnicas e utensílios mais modernos, ao contrário, ela orienta a qualquer pessoa que queira ser um bom profissional de gastronomia a saber manipular qualquer alimento e equipamento, dos mais tradicionais aos mais tecnológicos. “Como vou propor uma coisa nova se não sei como as coisas começaram? O bom profissional tem que estar apto para assumir qualquer tipo de cozinha”, salienta. Como qualquer instrutora, Cidinha Lamounier também não consegue falar de sua paixão sem deixar uma lição. “Amam o que façam.

Façam o que amam. Escrevi isso uma vez no quadro, durante uma aula para os alunos refletirem. Eles disseram que nunca uma frase representou tão bem um profissional de cozinha. Sou apaixonada pela minha profissão”, finalizou.
 
 
 Conheça 4 clubes de assinatura dedicados a gastronomia
Há algum tempo os clubes de assinatura de beleza tomaram conta da internet, agora chegou a vez da gastronomia

Para quem busca produtos selecionados por especialistas e comodidade, o serviço de assinatura pode ser uma boa opção. Mediante pagamento mensal, empresas oferecem vinhos, queijos, cervejas e até cortes de carne que chegam direto em casa. Confira algumas opções:

Chocolat Du Jour

Aqui o assinante pode escolher entre o pacote romântico (529 reais para seis entregas), mensal ou semanal. Esse plano contém trufas, brigadeiros e outros tipos de chocolate.

Há também a assinatura de trufas, que permite a escolha entre seis sabores para as 22 unidades, seja para seis entregas (649 reais) ou para doze (1 149 reais). O pagamento é feito via cartão de crédito. 

Les Gourmand Club

Dedicados para quem precisa de ajuda na hora de ir para cozinha, mensalmente o Les Gourmand Club envia uma caixa com todos os ingredientes necessários (além de vinho para harmonizar com o menu) para um jantar elaborado pelos chefs da equipe.

A cada mês o menu é inspirado em uma região do planeta e inclui orientações para o preparo dos pratos. Há também a opção de compra de um menu avulso, sem a necessidade de assinatura. Quanto às opções de programas, existem pacotes a partir de R$120,00.

Oh! Minas

Minas Gerais é o berço de muitas comidas gostosas e, por sinal, de muitas bebidas também. 

Os kits, que são entregues mensalmente, são compostos por cinco ou seis produtos e incluem itens como Licor de Marula, Doce de Laranja ou Geleia de Chocolate com Castanha do Pará. De vez em quando pode conter uma cerveja artesanal da região no meio do kit também.

Os kits contém um item não gastronômico local. Há ainda, entre os planos, a opção de receber apenas doces. O kit regular custa R$69,90.

Chefs Club

Esse é um clube de assinatura que te dá descontos de 30-50% em centenas de restaurantes Brasil.

Descontos são válidos em mais de 850 restaurantes espalhados pelo país, um bom número deles encontra-se em São Paulo. E você pode utilizar quantas vezes quiser o ano todo.

O valor anual é de apenas R$ 149,90. Ou então R$ 12,49 por mês. Ao assinar você recebe um cartão metálico para apresentar no restaurante e pronto – já tem tudo o que precisa.
 
 
 
Categorias
0
Cemitérios
Cidades
Ciência
Cultura e Lazer
Dicas
Economia
Educação
Esporte
Gastronomia
Iphone
Meio Ambiente
Moda
Mundo
Natureza
Notícias
Parques
Planeta Bizarro
Política
Prefeituras
Saúde
Tecnologia
windows 10
posts bloguei Posts
Setembro de 2010 5  postagens    
Fevereiro de 2011 5  postagens    
Março de 2011 26  postagens    
Maio de 2011 19  postagens    
Julho de 2011 11  postagens    
Agosto de 2011 11  postagens    
Janeiro de 2012 19  postagens    
Julho de 2012 8  postagens    
Outubro de 2012 1  postagens    
Novembro de 2012 8  postagens    
Maio de 2013 4  postagens    
Junho de 2013 16  postagens    
Outubro de 2013 1  postagens    
Novembro de 2013 1  postagens    
Dezembro de 2013 1  postagens    
Janeiro de 2014 4  postagens    
Junho de 2014 9  postagens    
Agosto de 2014 1  postagens    
Setembro de 2014 1  postagens    
Novembro de 2014 1  postagens    
Dezembro de 2014 5  postagens    
Janeiro de 2015 7  postagens    
Fevereiro de 2015 36  postagens    
Março de 2015 19  postagens    
Abril de 2015 17  postagens    
Maio de 2015 29  postagens    
Junho de 2015 16  postagens    
Julho de 2015 44  postagens    
Agosto de 2015 73  postagens    
Setembro de 2015 214  postagens    
Outubro de 2015 238  postagens    
Novembro de 2015 198  postagens    
Dezembro de 2015 125  postagens    
Janeiro de 2016 70  postagens    
Fevereiro de 2016 125  postagens    
Março de 2016 126  postagens    
Abril de 2016 28  postagens    
Junho de 2016 1  postagens    
Todos os Posts
 
Untitled Document