bloguei
  Eu blogo, tu blogas, ele bloga, nós blogamos e todos dão opinião.
bloguei Ribeirão Preto Dicas, Notícias e Muito mais...
 
 iPhone 7 poderá ter apenas 6 mm de espessura
Em março vimos as primeiras informações sobre a bateria do iPhone 7, sendo alegado um componente com capacidade máxima de 1.826 mAh, isso é 111 mAh extras comparado ao que é oferecido no iPhone 6s. Um aumento de 6,5% pode parecer muito pouco de uma geração para a outra, mas como foi informado anteriormente, Apple continua na sua ânsia em deixar o iPhone anoréxico.

Agora foi revelado pelo site Slashgear, a partir de um compilado de rumores recentes sobre o iPhone 7, que o novo smartphone da Apple deve ser lançado com medidas que vão entre 6 a 6,5 mm de espessura. O iPhone 6s conta com 7,1 mm, sendo considerado um smartphone bem fino, apesar de ligeiramente mais ‘gordinho’ que o iPhone 6, com medidas de 6,9 mm de espessura. Mesmo a empresa reduzindo as medidas consideravelmente, será possível aumentar a bateria graças a mudanças na estrutura do chipset Apple A10.

Os rumores sobre um iPhone 7 extremante fino não vem de hoje. No início do mês passado foi informado que Apple tinha planos de remover o conector padrão para fones de ouvido, isso daria liberdade para a fabricante enxugar ainda mais as medidas do aparelho. Mesmo sendo bastante fino, o smartphone ainda é cogitado a vir com sensor duplo para a câmera, além de contar com estabilização óptica de imagem e módulo fabricado pela Sony com capacidade máxima de 12 megapixels. O segundo cuidaria de aumentar o ângulo de visão ao estender o caminho que precisa ser percorrido pela luz, carregando a estabilização óptica de imagem, reduzindo os tremidos e ruídos, e zoom óptico, capaz de aproximar imagens em duas ou três vezes.

Parece que tudo indica para mudanças mais significativas no próximo iPhone. Será que os clientes da empresa fazem tanta questão de ter um smartphone com apenas 6 mm de espessura, ou seria melhor um mais espesso com bateria acima de 2.000 mAh?

Fonte: tudocelular.com/
 
 
 Empresa garante estar próxima de desbloquear também o iPhone 6
A empresa de tecnologia de Israel Cellebrite, a mesma que ajudou o FBI a hackear o iPhone 5c no caso dos disparos em San Bernardino, se diz otimista quanto ao processo de desbloqueio do iPhone 6, que é ainda mais seguro que o primeiro modelo desbloqueado por ela.

A história por trás deste caso, no entanto, é um tanto diferente do primeiro. O italiano Leonardo Fabbretti queria acessar as fotos, notas e mensagens do iPhone de seu filho adotivo, Dama, que faleceu de câncer ósseo em setembro do ano passado aos 13 anos de idade.

Naturalmente, Fabbretti enviou uma carta à Tim Cook, CEO da Apple, no dia 21 de março, explicando sua situação e pedindo para que a empresa o ajudasse. O pessoal da Apple tentou acessar os dados de Dama pelo iCloud, mas descobriram que não conseguiriam ultrapassar as barreiras da empresa. Ainda que tenham expressado a natural simpatia, os atendentes da Apple disseram que não seriam capazes de ajudar Fabbretti neste caso.

Após ver a história dele nas notícias, a Cellebrite se ofereceu para desbloquear gratuitamente o iPhone 6 para o rapaz, que e encontrou com alguns funcionários da empresa na última semana no norte da Itália.

Segundo Fabbretti, a reunião com os funcionários da Cellebrite "correu bem" e que o grupo está otimista sobre as chances de conseguir desbloquear o aparelho. "Eles foram capazes de baixar os diretórios com o conteúdo do iPhone, mas ainda há trabalho a ser feito, a fim de acessar estes arquivos".

O FBI conseguiu desbloquear o iPhone 5c com ajuda da Cellebrite em março, mas ainda existem alguns pequenos detalhes no processo. De acordo com uma informação revelada recentemente, apenas o modelo 5c pode ser desbloqueado graças às medidas de segurança adotadas pela Apple nos últimos modelos.

Enquanto a Apple tem sido muito pró-criptografia desde revendo as medidas de segurança do iOS em 2015 , a empresa também reconheceu que há, provavelmente, nunca será um pontoquando um dispositivo é completamente unhackable.


Fonte: tudocelular.com/
 
 
 FBI tenta novamente obrigar Apple a destravar um iPhone
Você achava que o embate entre a Apple e o FBI tinha chegado ao fim depois do caso de San Bernardino? Parece que ele foi apenas o começo. Depois que a agência do governo revelou que não precisava mais da ajuda da Apple para acessar iPhones criptografados, ela ajudou no destravamento de outro celular no Arkansas. 

Porém, na sexta-feira (8), o FBI informou à um juiz federal em Nova York que era necessário compelir a Apple a destravar um celular apreendido num caso de tráfico de drogas no Brooklyn. 

O caso novaiorquino tem uma aparência similar ao que aconteceu em San Bernardino. Assim como o caso do terrorista, a corte ficou do lado da Apple e julgou que o FBI exagerou ao tentar forçar a colaboração da Apple para destravar o iPhone de um traficante de Nova York. 

Segundo as afirmações do diretor do FBI, James Comey, a ferramenta de hacking da agência funciona apenas no iPhone 5c e modelos anteriores do celular, por isso o FBI precisaria da ajuda da Maçã para acessar os dados do iPhone 5s com o iOS 7 instalado. 

Para especialistas, não é claro se o FBI realmente precisa da ajuda da Apple, uma vez que o iOS 7 não tem a "trava de segurança" que foi o grande entrave do FBI para acessar o iPhone de San Bernardino. 

O que se sabe no momento é que existem pelo menos uma dúzia de outros casos em que a Apple é chamada para ajudar a destravar iPhones. A caminhada será longa. 

Via The Next Web
Fonte: http://canaltech.com.br/
 
 
 O que esperar do evento da Apple
iPhone SE, novo iPad Pro e mais: o que esperar do evento da Apple hoje (21)

A Apple fará às 14h00 (horário de Brasília) desta segunda-feira (21) seu primeiro evento do ano para anunciar novos produtos. A conferência, que será transmitida ao vivo, acontecerá na sede da empresa em Cupertino, na Califórnia, e deve trazer a revelação de alguns dispositivos muito especulados pela imprensa especializada nos últimos meses. Ao que tudo indica, o evento de hoje marca uma transição entre os gadgets anunciados pela Maçã em setembro - iPhone 6s, iPad Pro e alguns updates no iOS e no Apple Watch - e aquilo que a corporação reserva para a WWDC 2016, em junho, e na apresentação do segundo semestre, quando deve exibir a sétima geração de seu smartphone. Ou seja: podemos esperar por alguns anúncios importantes, mas menores do que esses futuros eventos. Entre um modelo de 4 polegadas do iPhone e um iPad Pro mais compacto, separamos as principais novidades que devem ser anunciadas pela Apple logo mais à tarde. Veja abaixo. iPhone Quando a primeira versão do iPhone 6 foi revelada, em setembro 2014, muitas foram as críticas ao CEO da empresa, Tim Cook. O aparelho, que se adaptou à febre dos smartphones com telas gigantes com a variante 6 Plus, foge da ideia até então pregada por Steve Jobs: de que os telefones lançados pela Apple não teriam mais do que 5 polegadas. No entanto, os celulares se tornaram sucesso de vendas, o que fez com que os modelos com menos polegadas ficassem fora do foco da companhia. Só que a Apple reconhece que nem todos os usuários gostam de displays maiores. Por isso, os rumores apontam para o lançamento de uma edição especial do iPhone que manteria as especificações do iPhone 6s, mas em um corpo com tela na casa das 4 polegadas e, consequentemente, por um preço inferior. Contudo, não se sabe se o design dos telefones será o mesmo da sexta geração ou do iPhone 5s.

O aparelho em questão tem sido chamado de iPhone SE ("SE", de "special edition", ou edição especial, na tradução livre), o primeiro smartphone da fabricante que não teria um número específico em sua nomenclatura. Ele teria o processador A9, 2 GB de memória RAM e opções de armazenamento de 16 GB e 64 GB. Também deve contar com suporte ao Live Photos, conectividade Bluetooth 4.2, Wi-Fi 802.11 ac e chip NFC para uso do sistema de pagamentos móveis Apple Pay. A câmera principal deve ter entre 8 MP e 12 MP, com gravação em resolução 4K. Recentemente, o Apple Insider reportou que a empresa chegou a gravar cenas para um comercial inteiramente filmado com a câmera do novo iPhone para mostrar a qualidade do componente.

Ainda segundo os boatos, o dispositivo deve custar entre US$ 350 e US$ 450, mais barato que os modelos atuais do iPhone 6s, que saem a partir de US$ 649. Apesar de sair mais em conta, o valor não deve ser o principal atrativo, principalmente nos países emergentes, onde a Apple já tentou conquistar mais usuários com o iPhone 5c, que não agradou e custava quase o mesmo do que as versões mais avançadas. O lançamento do iPhone SE deve acontecer poucos dias após seu possível anúncio nesta segunda-feira. O mais provável é que isso aconteça até a sexta-feira do dia 1º de abril, quando a Apple completa 40 anos de existência. 


iPad

Faz algum tempo que não temos nenhuma novidade na linha Air. E há um motivo: a chegada do modelo Pro, no ano passado. Alguns rumores indicam que a Apple irá anunciar a terceira geração do iPad Air e que o aparelho será bastante parecido com o iPad Pro. Isso inclui algumas de suas características avançadas, como quatro alto-falantes, suporte para caneta stylus (Apple Pencil), um processador mais veloz, 128 GB de capacidade interna e um conector lateral para o encaixe de um teclado externo. O que sites internacionais têm apostado é que o dispositivo será menor, e por esta razão deve ser encaixado na linha Air. Ao que tudo indica, o gadget terá um display de 9,7 polegadas, mas custará US$ 599 - US$ 100 a mais do que o iPad Air 2 vendido atualmente. Especula-se que o tablet pode até adotar o nome de iPad Pro mini pelo tamanho reduzido. Em todo caso, a Apple deve anunciar alguma melhoria significativa para a família iPad e, com isso, tentar conquistar um público maior. 


Apple Watch

 Há aproximadamente um ano, a Apple anunciava o tão comentado Apple Watch. Mas não espere ver uma nova versão do dispositivo agora. De acordo com o TechCrunch, por ser um produto diferente do iPhone e de sua política de atualização anual, a segunda geração do dispositivo deve demorar um tempo para aparecer - o que não significa que não teremos novidades para o smartwatch da Maçã no evento desta segunda-feira. O 9to5Mac afirma que o relógio receberá novas opções de pulseiras, o que pode incluir novas cores e materiais no acessório, além de parcerias com outras empresas do mundo da moda. Fora isso, acredita-se que a companhia lançará o watchOS 2.2, um pequeno update no sistema operacional que vai trazer uma versão adaptada do Apple Maps e permitirá conectar mais de um Apple Watch num único iPhone. 


iOS

Lançado em janeiro para desenvolvedores e usuários cadastrados no programa de testes Beta, o iOS 9.3 deve ser disponibilizado em sua versão final agora com a chegada do suposto iPhone SE. Embora esse update não seja algo principal, como o que é anunciado na conferência anual WWDC, ele possui algumas funcionalidades bem interessantes. Entre elas está um modo noturno, que muda as cores exibidas na tela do aparelho para tornar a leitura menos cansativa para os olhos durante a noite; a possibilidade de criar notas e bloqueá-las usando o Touch ID; e melhorias nos aplicativos News e Saúde.

Outra novidade presente no iOS 9.3 é sua integração com alguns recursos voltados para educação. Por meio do app Classroom (Sala de Aula), os professores, usando um iPad, poderão criar múltiplos perfis dos alunos, direcionar sites e ferramentas específicas aos iPads dos estudantes para auxiliar no aprendizado, além de outras funções que irão ajudar na organização das aulas. Até o momento, esse aplicativo está disponível apenas em algumas escolas dos Estados Unidos. 


Mac OS X e Macbooks 

O mobile deve ser o principal assunto no evento da Apple nesta tarde. Logo, não devemos ver anúncios relacionados ao desktop. Estes, por sua vez, certamente devem acontecer só em junho, na Worldwide Developers Conference, quando a companhia revelar as novas versões do sistema OS X e de seus laptops (MacBook, MacBook Air e MacBook Pro). 


Privacidade

Além de novos produtos, a Apple deve reservar um espaço da apresentação para falar da situação envolvendo a empresa e o FBI, que agora disputam uma batalha nos tribunais dos EUA que pode violar a segurança dos milhões de usuários do iPhone. O caso ganhou repercussão em meados de fevereiro, quando a polícia federal norte-americana obrigou a gigante de Cupertino a desbloquear o iPhone 5c usado por um terrorista que matou 14 pessoas e feriu outras 22 em um ataque na cidade de San Bernadino, na Califórnia, em dezembro do ano passado. A Apple disse que ajudaria como pudesse nas investigações, mas que, pelo fato do aparelho estar bloqueado com senha, seria praticamente impossível acessar as informações contidas nele sem colocar em risco os dados dos outros donos de iPhone. Depois, o órgão federal sugeriu que a Maçã criasse uma versão de seu sistema operacional só para que o celular do terrorista fosse acessado, mas a empresa também recusou a ideia de burlar a própria criptografia.

Além da Apple, outras empresas de tecnologia são contra a determinação do FBI, pois, segundo elas, isso criaria um precedente para futuros casos que poderiam obrigá-las a criar brechas de segurança em seus serviços em prol da Justiça. Até a Organização das Nações Unidas (ONU) acredita que esse procedimento vai contra os direitos humanos e que poderia desencadear uma "caixa de Pandora". Por conta de toda essa polêmica, a Apple pode reforçar seu compromisso com a segurança e anunciar alguma ferramenta que, de certa forma, tranquilize os usuários e donos de iPhone. Aqui, essa novidade poderia ser um novo mecanismo de encriptação, por exemplo. 


Como assistir a transmissão ao vivo

É válido lembrar que estamos fazendo nossas apostas do que a Apple deve anunciar hoje com base em rumores divulgados nos últimos meses, mas quem tem a última palavra é sempre a companhia. Ou seja, vamos esperar para ver o que ela nos reserva. Se acha que mais algo importante deve entrar nesta lista, não se esqueça de postar nos comentários abaixo. O evento (em inglês) será transmitido em tempo real via streaming, a partir das 14h00 (horário de Brasília), direto de Cupertino. Para acompanhá-lo, basta acessar o site oficial da Apple. A página é compatível com iPads, iPhones e iPods Touch com o iOS 7.0 ou superior, Macs com o Safari 6.0.5 ou superior rodando o OS X 10.8.5 ou superior, ou PCs com o navegador Microsoft Edge no Windows 10. Também será possível assistir o evento nos modelos de segunda, terceira e quarta geração da Apple TV rodando o Software 6.2 ou superior.

Fonte: http://canaltech.com.br/
 
 
 Esquema vazado mostra suposto iPhone 7 com mudanças no design
Como já era de se esperar, uma série de novos rumores sobre o lançamento da próxima geração do iPhone já teve seu início na internet e as coisas começaram a ficar cada vez mais intensas. Tendo em mente que o suposto "iPhone 7", como vem sendo chamado, só será anunciado no segundo semestre deste ano, o site NowHereElse.fr divulgou imagens com desenhos técnicos do dispositivo, revelando assim algumas diferenças externas no seu design final.

As imagens que mostram a parte traseira do telefone refletem nos rumores de que a Apple pode remover as linhas horizontais que são das antenas do dispositivo. Também vemos que o chassi do aparelho deve passar por algumas mudanças mais robustas, como nas bordas que passam a ser mais arredondadas para facilitar na pegada.

Um outro detalhe que também deve ser considerado nestas primeiras imagens é que o sensor de câmera parece ter ganhado mais espaço no corpo do aparelho, sugerindo que a Apple pode fazer mudanças mais fortes também na câmera traseira do modelo. Isto, porém, não quer dizer necessariamente que a Apple vai investir em um sensor duplo para a câmera traseira, mas talvez que o único sensor utilizado pelo aparelho tenha ganhado melhorias mais significantes.

Mas também não podemos descartar a ideia de que o sensor duplo de câmera poderá ser utilizado na próxima geração. As imagens deste artigo são do modelo com tela de 4,7 polegadas, enquanto que esta tecnologia deverá ser exclusiva para o modelo maior com tela de 5,5 polegadas (iPhone 7 Plus).

De acordo com a fonte que revelou as imagens, este modelo também é ligeiramente mais fino se comparado com os atuais modelos. Também não conseguimos ver nenhum detalhe sobre a entrada para fones de ouvido, que é mais um detalhe que pode ser removido nesta nova geração.

Como sempre, as imagens devem ser tomadas com um certo ceticismo, afinal tudo isto se trata de rumores. Outro detalhe engraçado é que o projeto de um futuro iPhone está sendo visualizado em um computador com uma versão claramente mais antiga do Windows. Um pouco bizarro, mas nada de tão anormal.


fonte: http://www.tudocelular.com/
 
 
 Conheça todas as funções do botão Home do seu iPhone
O botão “Home” está presente no iPhone desde a sua primeira versão, com lançamento em 2007 – feito pelo próprio Steve Jobs. De lá pra cá, a Apple vem adicionando funcionalidades a este botão físico que, ao longo de todas as gerações, mantém praticamente o mesmo design do primeiro iPhone.

Como aumentar o espaço do iCloud pelo iPhone
Todo mundo sabe que o Home leva para a tela inicial do dispositivo. Existem, porém, outras funções compatíveis. Por isso mesmo, preparamos uma lista para mostrar outras funcionalidades pouco conhecidas que podem ser ativadas nos iPhones, iPads e iPods Touch. Confira.

Voltar para a tela inicial do sistema
Esta é a principal e mais utilizada função do botão Home. Quando o usuário está navegando em algum site ou mesmo dentro de qualquer aplicativo, seja ele nativo ou não, basta apertar o botão Home para voltar à tela inicial do sistema, onde podemos ver a grade de apps do usuário.
Esta é uma forma simples e rápida de voltar ao início do sistema. De lá, o usuário poderá abrir outros apps e realizar outras atividades.

Desbloquear o aparelho
A Siri, assistente virtual presente no iOS desde 2011, com o lançamento do iPhone 4S, já fala português e também pode ser chamada através do botão Home. Para isso, basta pressioná-lo por alguns segundos. A Siri será ativada e então você poderá dar alguns comandos a ela, como pedir para fazer pesquisas, abrir aplicativos e também configurar alarmes e lembretes.

Abrir a multitarefa para fechar apps em segundo plano
Caso o usuário queira fechar os aplicativos que estão abertos em segundo plano no iPhone, ele também pode fazer isso por meio do botão Home. Ao apertá-lo duas vezes seguidas, você verá todos os aplicativos que estão em execução no iPhone. Daí, basta arrastá-los para cima para fechá-los.

Tirar print
Caso queira tirar uma “print” da tela do seu iPhone, também precisará recorrer ao botão Home. Para fazer isso, aperte simultaneamente o botão Home com o Power. A tela vai piscar e você ouvirá o som de um obturador, semelhante a uma câmera. Pronto, esse é o sinal de que a print foi tirada com sucesso.
Ativar o “Modo Uma Mão” nos iPhones maiores
O iPhone 6 Plus e o 6S Plus possuem uma tela bem grande, de 5,5''. Esse maior tamanho de tela dificulta o uso do celular com apenas uma mão. Porém, a Apple incluiu uma função chamada de “Reachability”, que ficou popularmente conhecida como “Modo uma mão”.

Ao dar dois toquinhos no botão Home (sem pressionar), o topo da tela desce alguns centímetros, permitindo que você alcance determinados apps e botões com o dedão, sem precisar usar a outra mão para isso.

Entrar no modo DFU
O modo DFU é usado para fazer uma restauração de software profunda no iOS. Geralmente é usado quando você está tendo muitos problemas com o iPhone, como travamentos diversos, lentidão e desligamentos repentinos.


Fonte: techtudo.com.br/
 
 
 Projeto independente adiciona segunda tela ao iPhone
O seu smartphone pode ser o dispositivo mais tecnológico e útil do mundo, na sua opinião, mas ainda assim, apresenta um “problema” grave: 50% de sua área é inutilizada. Foi justamente para resolver isso que uma startup de Palo Alto, nos Estados Unidos, criou o popSLATE 2, uma case para iPhone que transforma a parte de trás do aparelho em uma segunda tela. O acessório amplia ainda mais as funcionalidades do dispositivo, mas sem incorrer em um maior consumo de energia. Notícias e informações do cotidiano, por exemplo, podem ser lidas diretamente da parte de trás do iPhone, que também pode atuar como um relógio “permanente”, com um visor que nunca se apaga. E essas são apenas algumas das funções possíveis, que também permitem a visualização de notificações e alertas.

Tudo isso acontece pela “mágica” da e-ink, a tinta eletrônica que traz grande contraste e qualidade na exibição de informações, só que em telas monocromáticas que quase não gastam energia. Isso permite que o popSLATE 2 não apenas faça as vezes de leitor digital, mas também se mantenha funcionando durante todo o tempo na mesma medida em que dá aquela autonomia extra para o iPhone. A ideia empolgou muita gente, e no Indiegogo, onde ainda está acontecendo a campanha de financiamento coletivo para produção do acessório, a meta inicial já foi batida mais de oito vezes. Atualmente, os criadores da case contam com mais de sete mil apoiadores e já arrecadaram mais de US$ 625 mil, sendo que, inicialmente, pediam US$ 75 mil para transformar o projeto em realidade. Disponível somente para iPhone 6 e 6s, ou suas versões Plus, o popSLATE 2 pode ser adquirido pelos financiadores da campanha por US$ 79, cerca de R$ 290, nas cores branco e preto. O valor, de acordo com os criadores, traz um desconto de 45% para quem acreditar no projeto e o lançamento está marcado para julho de 2016. Até o fim do ano, a ideia é lançar o produto também nas prateleiras, para aqueles que não participaram da campanha.

Fonte: http://canaltech.com.br/noticia/
 
 
 IPhone 7 pode adotar tela de AMOLED igual à do Moto X
Outra vantagem das telas AMOLED são os pretos mais profundos e cores mais saturadas

Rumores sobre o próximo iPhone – chamado até então de iPhone 7 – dão conta de que a Apple estaria conversando com gigantes da tecnologia para fechar um acordo de fabricação de telas AMOLED para ele. Desde o primeiro iPhone até o 6S, a companhia usou telas IPS LCD nos celulares. No entanto, empresas como Samsung, LG, Foxconn e Sharp podem começar a produzir e fornecer os novos displays para a Apple.

As informações de bastidores, inclusive, aumentaram as expectativas de que o próximo iPhone chegue com a novidade no lançamento, que deve ocorrer ainda em setembro de 2016. Por enquanto, não há informações sobre outros dispositivos, mas produtos como iPad e iPod também trazem telas IPS LCD. Quer saber o que pode mudar na tela do iPhone? Confira os detalhes a seguir.

As telas AMOLED são bastante elogiadas pelos especialistas, e algumas propriedades exclusivas delas chamaram a atenção da Apple. Para a companhia, seria interessante ter determinados recursos desse tipo de display nas próximas gerações do iPhone.

Por exemplo, uma das principais vantagens é o menor consumo de energia, porque o painel é capaz de iluminar apenas os pixels (os pontinhos luminosos) em uso. Já em uma tela LCD, todos os pixels precisam ser iluminados, mesmo que a maior parte não esteja em uso.

Há bons exemplos de fabricantes que souberam aproveitar as telas AMOLED, como foi o caso da Motorola com o Moto X. Com a função Moto Tela, quando o usuário recebe alguma notificação, a tela acende apenas os pixels necessários para exibir a notificação, e todo o resto continua desligado.

Isso economiza energia, uma vez que a tela não precisará ser ativada completamente para você ler uma mensagem ou notificação.

A duração das baterias dos iPhones sempre foi muito criticada, e a migração para as telas AMOLED poderia melhorar a duração da carga. Além disso, a utilização desse tipo de display permite a remoção de uma camada no painel do aparelho. Para utilizar telas LCD em um smartphone, por exemplo, é necessário incluir uma camada de iluminação para pixels. Essa composição não é necessária com telas AMOLED, o que poderia deixar o iPhone mais fino e leve.

Outra vantagem das telas AMOLED são os pretos mais profundos e cores mais saturadas. Há quem critique a saturação das cores nesses painéis, mas também há quem prefira. Com os devidos ajustes no sistema operacional, a Apple conseguiria encontrar uma solução para isso, agradando a maioria dos usuários, sem abrir mão do preto mais realista e de tons mais vivos.

É importante, porém, não confundir AMOLED com Super AMOLED. O segundo é um tipo de painel usado na linha Galaxy, da Samsung, como o Galaxy S7, Galaxy S6, Galaxy S5, entre outros telefones. A diferença é que a tela Super AMOLED tem menos camadas do que o outro tipo, incluindo uma camada sensível ao toque direto na tela. Com isso, uma parte de vidro foi retirada da estrutura, permitindo que os smartphones fiquem mais finos.

Para completar, as telas Super AMOLED contam com mais sub-pixels, as unidades de cor que formam cada pixel. Quanto maior esse número, melhor fica a definição. A partir disso, a tela é capaz de exibir um número maior de cores e com mais intensidade de luz.

Fontes: 
- Com informações do TechTudo 
- http://180graus.com/
 
 
 Saiba para quanto deve cair o preço do iPhone 5s
iPhone SE por US$ 450? Saiba para quanto deve cair o preço do iPhone 5s

Com um novo iPhone no gatilho, Apple estaria se preparando para tornar sua atual vitrine de celulares mais atraente aos consumidores. De acordo com previsões realizadas pelos analistas Gene Munster, da empresa Piper Jaffray, e Rod Hall, parte da equipe da J.P. Morgan, dois dos grandes nomes de especialistas no mercado de telefonia móvel, o novíssimo smartphone com estampa de maçã, marcando o retorno da gigante de Cupertino a usar telas de 4 polegadas, chegará às varejistas por um valor próximo a US$ 450, ou aproximadamente R$ 1.610, usando a cotação atual do dólar como base de conversão, ignorando os impostos que são cobrados no Brasil.

Para não tirar o brilho da novidade, consequentemente, o atual modelo "intermediário" da companhia estadunidense, iPhone 5s, terá seu valor inicial reduzido, conforme o previsto em uma ocasião anterior. Acredita-se que ele parta de US$ 350, ou até menos.

Traduzindo ao nosso contexto, a quantia de US$ 350 pode ser transformada em cerca de R$ 1.255, no mesmo estilo de conversão supracitado. Tanto o iPhone 5s quanto o novíssimo modelo de 4 polegadas, informalmente chamado de iPhone SE, seriam os mais baratos da Apple ao redor do mundo, focando em mercados emergentes para conquistar ainda mais entusiastas, como na Índia, o segundo maior do mundo, e no Brasil, por exemplo, onde há carência e grande procura de produtos mais em conta.

Naturalmente, estima-se que os valores cobrados em território tupiniquim, se é que o lançamento do iPhone SE irá afetar os preços, permaneçam elevados, visto que a Maçã é considerada a marca mais elitizada em celulares vendidos em solo nacional. A título de comparação, o iPhone 5s de 16 GB de espaço nativo é encontrado por R$ 2.299 no site da própria empresa, enquanto o mesmo aparelho é encontrado por US$ 372 na Índia.

Para o iPhone SE, espera-se uma versão melhorada do iPhone 5s, contando com o mesmo visual, basicamente falando, mas com especificações técnicas melhoradas, incluindo a tela IPS LCD de 4 polegadas, usando a resolução 1136 x 640 pixels para a exibição de conteúdo, mesmo chipset usado no iPhone 6s, A9, portando um processador de dois núcleos, cada um deles rodando a 2,0 GHz, e a PowerVR GT7600 como placa gráfica, 2 GB de RAM, câmera de 12 megapixels, câmera frontal de 5 megapixels, bateria superior e apenas dois modelos, o com 16 GB e o com 64 GB de memória para o armazenamento interno, isto tudo compactado em uma estrutura de somente 7,65 milímetros de espessura, vendido em cinza espacial, prata, dourado e ouro rosé.

Apple já marcou um evento para o dia 21 de março, onde deve apresentar o mais novo smartphone, fiquem atentos.

Fonte: tudocelular.com
 
 
 Apple deve apresentar novo iPhone e iPad ainda neste mês
São Paulo – A Apple publicou hoje (10) em seu site oficial um convite para um evento no dia 21 de março em Cupertino, na Califórnia. A expectativa da imprensa internacional é que um novo iPhone seja anunciado nessa data.

No entanto, o dispositivo que será revelado provavelmente não será o iPhone 7. Na realidade, a empresa deve lançar um aparelho muito mais parecido com o iPhone 5s.

De acordo com o especialista Mark Gurman do site 9to5Mac, ele será chamado de iPhone SE (Special Edition) e terá uma tela de quatro polegadas. Além disso, seu design será um pouco mais arredondado com bordas curvas.

No quesito configurações, o iPhone SE terá muitas das características encontradas no modelo 6s, como o Live Photos, o Apple Pay e a ativação da Siri por comando de voz. Além disso, seu processador será um A9, o mesmo do último iPhone.

Ainda segundo o 9to5Mac, a Apple irá parar de fabricar o iPhone 5s quando o SE entrar no mercado. Com relação ao preço, o novo dispositivo deve ser mais barato do que o 6s. A queda no valor pode ser uma jogada da Apple para estimular os usuários do iPhone 5s, que não possuem um poder aquisito alto, a comprarem um novo aparelho da marca.

Outro gadget que deve ser anunciado no evento é o novo iPad com tela de 9,7 polegadas – ou seja, do mesmo tamanho do display do iPad Air 2. Pouco se sabe sobre o aparelho, apenas que ele será uma versão menor do iPad Pro com suporte para o Apple Pencil, a caneta que permite que o usuário desenhe e escreva no tablet. A empresa também deve apresentar novas ferramentas e acessórios para o Apple Watch.

O anúncio da Apple chegou dias depois do Google revelar o Android N, a nova versão de seu sistema operacional, de forma inesperada. Aliás, a empresa do CEO Tim Cook não costuma lançar novos produtos, especialmente o iPhone, em março – geralmente as apresentações da companhia são feitas em setembro.

Agora, é esperar para ver quais serão as surpresas que a Apple reserva para o dia 21 de março. 

Tópicos: Apple, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Apple Watch, Relógios inteligentes, Inovação, iPad, Tablets, iPhone e iPad, iPhone, Smartphones, Celulares

Fonte: http://exame.abril.com.br/
 
 
 Primeira foto de case para iPhone 7 não mostra entrada para fone de ouvido
É muito provável que, daqui algumas semanas, a Apple apresente um novo iPhone para o público. Porém, esse não será o aguardado iPhone 7 que alguns podem estar esperando. De acordo com os rumores mais fortes e próximos da realidade, a Maçã apresentará uma variação do smartphone com tela de 4 polegadas, o suposto iPhone SE.
Porém, embora ainda esteja longe de ser oficialmente apresentado, alguns vazamento sobre o iPhone 7 já estão acontecendo. O mais recente deles mostra uma suposta capa de proteção para o smartphone que não apresenta a tradicional entrada para o fone de ouvido.

Apesar de surpreendente, essa informação com certeza não é uma novidade para os que estiveram antenados nos últimos rumores sobre o iPhone 7. Desde o começo do ano já é discutida a possibilidade de o smartphone chegar às lojas sem o tradicional conector de 3,5 mm usado para a conexão de fones de ouvido.
Porém, essa é uma das primeiras vezes que temos a oportunidade de "comprovar" que isso é verdade, uma vez que o acessório realmente não traz tal entrada. Mas é bom não dar muito crédito para essas imagens: por conta da sua baixa resolução e o material genérico – aquele tradicional silicone usado em muitas capas – usado na construção desse acessório, esse bem que pode ser apenas um vazamento falso para chamar atenção.

Prepare-se para os adaptadores
Mas se o iPhone 7 não tiver uma entrada 3,5 mm, como faremos para conectar nossos fones de ouvido? A solução é algo que a Apple já utiliza há um bom tempo: adaptadores. É provável que, com o lançamento do iPhone 7, vejamos uma série de novos adaptadores surgindo, de opções que vão permitir a você usar seu fone de ouvido atual a acessórios feitos para que a pessoa possa conectar seu fone enquanto carrega o celular.
Se tudo isso é uma péssima notícia para quem não queria gastar mais (afinal, você vai ter que gastar mais com caríssimos adaptadores ou fones de ouvido Lightning), é bom lembrar mais uma vez que isso não é novidade para a companhia. E nós eventualmente nos acostumamos com isso, como ocorreu quando a Apple se livrou de outras conexões anteriormente.


Parece que nem mesmo as petições feitas pelo público vão fazer diferença para o caminho tomado pela empresa. De fato, até as fabricantes de acessórios para iPhone já estão se preparando para o fim da entrada de 3,5 mm; logo, é bom começar a juntar dinheiro para comprar mais alguns dos adaptadores nada baratos da Apple – ou o possível fone de ouvido sem fio da Beats que a Maçã deve lançar junto do iPhone 7.

Fonte: tecmundo.com.br
 
 
 O que podemos esperar do iPhone SE
O lançamento de um novo modelo de iPhone sempre leva a internet à loucura. Toneladas de rumores e especulações circulam pela web, na tentativa de descobrir o que a Apple está tramando para o seu próximo smartphone. A bola da vez é o suposto modelo de 4 polegadas do gadget, que agora está sendo chamado apenas de iPhone SE. 

Para tentar organizar melhor essa grande quantidade de informações, o site CNET fez uma curadoria dos últimos rumores, vazamentos e pronunciamentos duvidosos acerca da próxima geração de iPhones. 

Datas de anúncio e lançamento Parece haver um consenso crescente de que o novo iPhone será anunciado ainda no mês de março, possivelmente no dia 15, data do evento onde a Apple deve revelar também a nova geração do iPad Air. Outro rumor plausível é o de que o dispositivo pode chegar às lojas poucos dias depois do seu anúncio oficial , marcando mais uma novidade no calendário da Maçã, que ainda não se pronunciou sobre os rumores. 

Design 
Embora a possível introdução de um novo iPhone de 4 polegadas seja iminente, ainda não existe um consenso sobre a sua forma específica. Mesmo os fabricantes de cases ainda parecem estar confusos em relação ao assunto. Eles ainda não confirmaram um único tamanho, com medidas precisas, e nem mesmo a posição do botão de energia, que às vezes aparece na lateral do aparelho, e às vezes sobe para o topo do telefone. Fonte relatam que a Apple já desenvolveu uma série de novos protótipos, e Ming-Chi Kuo, analista que ajuda a abastecer a cadeia de especulações, previu que a companhia vai realmente apostar num modelo menor, de 4 polegadas. Já em relação ao design, não se sabe ao certo se o iPhone SE seguirá os passos do iPhone 5S e de seu corpo em alumínio, ou então se ele vai apelar para o policarbonato do colorido iPhone 5C. No início de fevereiro, o site japonês Mac Otakara informou que o novo smartphone pode vir nas cores prata, cinza espacial e uma tonalidade de rosa diferente daquela adotada no iPhone 6S. Ao que tudo indica, o modelo também não virá equipado com a tecnologia 3D Touch, uma vez que isso exigiria um encolhimento das bordas para que a tela ficasse maior em um dispositivo relativamente pequeno. Múltiplas fontes também deram conta de que o novo iPhone terá as mesmas medidas do iPhone 5S – cerca de 124 mm de comprimento, 59 mm de largura e 7,5 mm de espessura. Isso fortalece o consenso de que o iPhone SE será esteticamente semelhante ao 5S, mas alguns rumores mais recentes dão conta de que ele vai adotar alguns componentes de software e estéticos dos modelos mais recentes. 

Segurança 
O Financial Times informou que a Apple está trabalhando em maneiras de criptografar dados armazenados no iCloud, o que poderia frustrar a justiça norte-americana, que luta para conseguir acessar informações de alguns iPhones. O jornal New York Times também tocou no assunto segurança ao dizer que os engenheiros da Maçã estão trabalhando em novas medidas de segurança para evitar que seus smartphones sejam hackeados. 

Display 
Há um rumor particularmente forte sobre uma tela de safira, que ofereceria um maior grau de resistência a riscos e quedas do que os modelos atuais. Na verdade, os modelos mais modernos de Apple Watch já trabalham com este material. Alguns veículos de comunicação, como a Forbes, têm relatado que o iPhone SE pode ter uma tela 2.5D, que se refere a uma leve curvatura presente nas bordas do vidro que cobre a tela do smartphone, semelhante à encontrada no iPhone 6 e 6S. A Apple também deve manter a tecnologia LCD em seu display. 

Interior 
Anteriormente, acreditava-se que o SE usaria uma tecnologia "velha" sob seu capô. No entanto, várias fontes sugeriram que o iPhone SE pode vir equipado com um processador A9 e 2GB de RAM, algo que o colocaria em pé de igualdade com o iPhone 6S no quesito desempenho. Outros relatos indicam que o SE terá uma bateria de 1642 mAh, que é ligeiramente maior do que o modelo de 1570 mAh do iPhone 5S. Também é esperada a adição da tecnologia NFC, uma vez que ela é necessária para o funcionamento do Apple Pay. Em relação à câmera, não devemos ver grandes alterações, pois provavelmente será mantido o mesmo modelo de 8 megapixels do iPhone 6. Além disso, é quase certo que a empresa deixará de lado a estabilização ótica de imagem encontrada no topo de linha 6S Plus. Em relação ao armazenamento interno, não espere opções de 128GB. O iPhone SE deve manter-se no padrão 16GB, 32GB e 64GB. 

Preço 
Esta é uma das informações mais esperadas quando o assunto é iPhone. Durante anos, os analistas têm esperado o lançamento de um iPhone mais acessível. Mas qual será a estratégia adotada para o modelo SE? Será que a Apple vai reduzir o seu preço para disputar com modelos de grande apelo popular, como o Moto G? Ou será que manterá o preço nas alturas, por se tratar de um modelo novo? A resposta, novamente, é uma incógnita. No entanto, se a ideia é substituir o iPhone 5S na parte inferior da linha de smartphones da Apple, a aposta segura é que o preço permanecerá o mesmo do antigo modelo. Enquanto não temos nenhuma confirmação sobre o assunto, alguns analistas apostam que o preço do próximo iPhone ficará na faixa de US$ 400 a US$ 500.


Fonte: http://canaltech.com.br/
 
 
 ONU adverte sobre riscos de pedido do FBI para desbloqueio de iPhone
"Forçar a Apple a criar programas informáticos para minar os elementos de segurança de seus próprios telefones" pode ter "consequências negativas para os direitos humanos das pessoas em todo o mundo", afirmou nesta sexta-feira o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos.

"Com o objetivo de resolver um tema de segurança relacionado à encriptação em um caso, as autoridades correm o risco de abrir uma Caixa de Pandora com implicações extremamente prejudiciais para os direitos humanos de milhões de pessoas, incluindo sua segurança física e financeira", disse Zeid Ra'ad Al Hussein, em um comunicado divulgado em Genebra.

Na quinta-feira, a Apple pediu a um tribunal federal dos Estados Unidos que desconsidere a ordem judicial que exige que a empresa colabore com o FBI no desbloqueio de um iPhone.

Uma petição apresentada em um tribunal da Califórnia no caso que envolve um dos agressores do ataque de San Bernardino afirma que a ordem judicial extrapola a faculdade legal do governo e viola os direitos constitucionais de liberdade de expressão da Apple.

"Não é um caso que concerne um só iPhone. Esse assunto diz respeito sobretudo ao Departamento de Justiça e o FBI, que buscam obter através da justiça um perigoso poder que o Congresso e o povo americano os negaram: a capacidade de obrigar empresas como a Apple a trair os interesses fundamentais em matéria de segurança e proteção da privacidade de centenas de milhões de indivíduos em todo o mundo", afirmou a Apple no documento que apresentou à justiça.

"Nenhum tribunal jamais autorizou isso que o governo pede agora, nenhuma lei apoia um uso tão ilimitado e amplo no processo judicial e a Constituição o proíbe", insiste.

O diretor da Polícia Federal dos Estados Unidos (FBI), James Comey, disse na quinta-feira que o pedido desse organismo à justiça para que se ordene à empresa Apple o desbloqueio de um iPhone para a investigação do atentado em San Bernardino não pretende criar precedente.

"A luta da Apple sobre esse iPhone não está destinada a enviar uma mensagem ou a criar um tipo de precedente", declarou Comey diante de uma comissão do Congresso.

O FBI busca simplesmente exercer sua competência em uma investigação em curso, destacou.


Fonte: zh.clicrbs.com.br/
 
 
 Disputa entre Gradiente e Apple pela marca Iphone chega ao STJ
IGB, dona da Gradiente, queria que questão chegasse também ao STF.
Empresa diz que 'continua confiante na Justiça brasileira'.

A IGB Eletrônica, dona da marca Gradiente, anunciou nesta terça-feira, 1º, que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) aceitou o pedido de analise do recurso especial sobre o uso da marca Iphone pela Apple no Brasil.

A companhia brasileira, que trava uma disputa com a gigante norte-americana pela marca Iphone, informou que o recurso extraordinário também visava remeter a disputa para julgamento do Supremo Tribunal Federal, mas não foi admitido. A IGB irá recorrer dentro do prazo legal.

A Gradiente pediu o registro do nome Iphone em 2000 e o obteve em 2008. A Apple lançou em 2007 nos Estados Unidos o seu smartphone iPhone, que começou a ser comercializado no Brasil no ano seguinte.

Só em 2008, a Apple pediu o registro da marca no Brasil, mas teve seu pedido negado pelo Instituto Nacional Propriedade Intelectual (INPI) devido à antecedência do registro da empresa brasileira. A IGB Eletrônica disse que "continua confiante na Justiça brasileira".

Representantes da Apple não foram localizados para comentar o assunto.

FOnte: http://g1.globo.com/
 
 
 Apple desenvolve sistema para tornar iPhone inviolável
San Francisco, 24 fev (EFE).- A Apple está desenvolvendo novas medidas de segurança que tornariam impossível o acesso a um iPhone bloqueado com senha, algo que o FBI vem tentando por meios judiciais, informou nesta quarta-feira o jornal "The New York Times".

A publicação nova-iorquina indicou que se Apple tiver sucesso na atualização das medidas de segurança, algo que os especialistas dão por feito, a companhia criaria um enorme desafio técnico para o FBI e outras agências, inclusive se o governo dos EUA ganhar o caso aberto na Justiça contra a empresa.

O governo americano solicitou a ajuda da Apple com um iPhone utilizado por um dos autores do ataque terrorista ocorrido em dezembro na cidade californiana de San Bernardino, no qual 14 pessoas morreram e 22 ficaram feridas.

O FBI tem em seu poder o telefone, mas não conseguiu acessar seus dados e solicitou à Apple que desenvolvesse uma nova versão de seu sistema operacional para poder burlar o bloqueio de segurança do dispositivo.

Uma juíza federal ordenou na semana passada que a Apple colaborasse com o FBI, uma exigência da qual a empresa tecnológica se nega a cumprir, em um caso polêmico que poderia chegar até a Suprema Corte do país.

O executivo-chefe da Apple, Tim Cook, disse hoje, em uma entrevista à rede de televisão "ABC", que a segurança dos americanos é "incrivelmente importante".

Para Cook, no entanto, a proteção das informações dos cidadãos também é extremamente importante e o executivo insistiu que se a empresa acatar os pedidos do FBI, isso abriria um precedente perigoso e tornaria seus usuários "incrivelmente vulneráveis".

"Isso criaria um precedente que ofenderia muita gente", afirmou o responsável da Apple.

O diretor do FBI, James Comey, insistiu que o caso de San Bernardino tem um alcance "reduzido" e afeta um único aparelho de telefone, mas Cook assegura que isso não é correto.

Cook argumenta que a técnica que a Apple deveria desenvolver para atender aos pedidos do FBI "poderia ser utilizada várias vezes em muitos dispositivos".

O executivo alega que isso seria o equivalente a "uma chave-mestra capaz de abrir milhões de fechaduras, desde restaurantes e lojas, até casas".

"Nenhuma pessoa razoável consideraria que isso é aceitável", disse Cook na semana passada.

A Apple pediu na segunda-feira ao governo dos Estados Unidos que retirasse o pedido que exige que a companhia ajude o FBI e que, ao invés disso, criasse uma comissão oficial para avaliar os problemas gerados pelo crescente uso da criptografia.

"Nosso país sempre foi mais forte quando esteve unido", afirmou a Apple em informação publicada ontem em seu site, na qual disse que a melhor forma de avançar nesse caso seria que o governo "retirasse" suas exigências e formasse uma comissão ou algum tipo de painel para avaliar a situação.

"A Apple adoraria participar de um esforço desse tipo", garantiu a companhia. 


Fonte: http://economia.uol.com.br/
 
 
 Veja os argumentos pró e contra o desbloqueio do iPhone para o FBI
Nas últimas semanas a internet tem sido tomada por notícias sobre a polêmica entre Apple e FBI. Enquanto nomes como Tim Cook, Mark Zuckerberg e Edward Snowden se posicionam contra o órgão policial, outros como Bill Gates e John McAffe defendem a necessidade do FBI em descriptografar o iPhone 5C do atirador que matou 14 pessoas no atentado de San Bernardino, na Califórnia.

Entenda o caso

Em 2 de dezembro do ano passado, 14 pessoas foram mortas e outras 22 feridas na cidade californiana. O atentado foi chamado pela mídia como “O massacre de San Bernardino”.

Recentemente, a juíza federal norte-americana Sheri Pym ordenou que a Apple colaborasse com o FBI e desbloqueasse um iPhone 5C que era usado por um dos autores do homicídio em massa. Os investigadores alegam que o smartphone pode contar informações cruciais para a investigação.

A Apple, por sua vez, recusou a ordem judicial alegando que “trata-se de uma medida sem precedentes” e que considera “uma ameaça à segurança de seus usuários”.

Com isso, surgiu uma grande discussão norteada na segurança e privacidade dos usuários contra a necessidade de órgãos públicos de obterem acesso a dados particulares com a intenção de garantir o bem-estar público. Personalidades do mundo da tecnologia se posicionaram dos dois lados. Veja abaixo os argumentos a favor e contra a decisão da Apple.

Argumentos a favor da Apple

Tim Cook, atual presidente da Apple, foi o primeiro nome a se mostrar contra o pedido do FBI que quer incluir uma funcionalidade ao iPhone que permita que códigos de acesso sejam implantados eletronicamente permitindo que o smartphone possa ser desbloqueado eletronicamente usando "força bruta". 

Cook ainda rebate o argumento do governo que diz que esse tipo de recurso só poderá ser utilizado uma única vez por aparelho. "Isso não é verdade. Uma vez criada, a técnica poderia ser usada diversas vezes, em qualquer número de dispositivos.  Seria o equivalente a uma chave mestra capaz de abrir centenas de milhões de fechaduras", explicou.

Além dele, Mark Zuckerberg, do Facebook, afirmou no primeiro dia do Congresso Mundial de Telefonia Móvel (MWC) que é “solidário a causa da Apple” e que considera errada e ineficiente a descriptografia forçada com a intenção de aumentar a segurança. Segundo ele, o acesso a dados de usuários não resolveria o problema da segurança pública.

Segundo o CEO do Facebook, a rede social irá continuar a “lutando agressivamente contra exigências de que as empresas enfraqueçam a segurança de seus sistemas”. Mesmo assim, ele também condenou os atos terroristas e disse que não há lugar para esse tipo de atividade nos serviços que oferece.

Além do Facebook, o Twitter também se posicionou a favor da Apple no caso, conforme escreveu Jack Dorsey, um dos criadores da plataforma.

Já para Edward Snowden esse “é o caso tecnológico mais importante da década”. O ex-agente da NSA e um dos homens mais procurados pelo governo dos Estados Unidos por vazar informações secretas sobre os métodos de vigilância do governo norte-americano a cidadãos do mundo inteiro, disse que o FBI está tomando a decisão incorreta no caso, já que pode dar força para empresas de tecnologia são mais confiáveis do que a própria polícia. 

“O FBI está criando um mundo no qual os cidadãos confiam na Apple para defender seus direitos, em vez de ser o oposto”, escreveu em uma rede social.

Argumentos a favor do FBI

Nesta terça-feira, Bill Gates se posicionou contra a empresa e a favor do FBI. Em entrevista, o ex-CEO da Microsoft afirmou que “este é um caso específico em que o governo está pedindo acesso a informação”. Segundo ele, trata-se de um caso em particular e não algo generalizado que irá afetar todos os usuários, principal argumento de quem se posiciona contra a medida jurídica expedida.

John McAfee, fundador do antivírus McAfee, foi outro nome que se colocou contra a gigante de tecnologia. Com críticas irônicas, o executivo afirmou que a Apple considera que se acatar à decisão judicial será “o começo do fim da América”.

Para apimentar ainda mais a discussão, McAfee se colocou à disposição do FBI para desbloquear o smartphone. “Com todo o respeito a Tim Cook e à Apple, eu trabalho com uma equipe dos melhores hackers do planeta. Então aqui está minha oferta para o FBI: Vou, de forma gratuita, descriptografar as informações no telefone com minha equipe. Assim, a Apple não precisará colocar uma backdoor em seus aparelhos”, disse.

O público norte-americano também mostrou-se mais inclinado ao lado do FBI na disputa. Uma pesquisa realizada pelo Pew Research Center divulgou que 51% dos cidadãos dos Estados Unidos entrevistados acreditam que a Apple deve ajudar o FBI a desbloquear o iPhone de San Bernardino, enquanto apenas 38% defendem a fabricante. Cerca de 11% dos entrevistados não souberam opinar.

Fonte: olhardigital.uol.com.br/
 
 
 Bill Gates está do lado do FBI em caso sobre iPhone e Zuckerberg apoia Apple
O caso judicial envolvendo a Apple e o FBI por conta do iPhone bloqueado de um terrorista responsável por um tiroteio em San Bernardino, nos Estados Unidos, ganhou novos personagens. Dois grandes magnatas da tecnologia se posicionaram sobre o caso.
O primeiro deles é Bill Gates, cofundador da Microsoft. Ao jornal Financial Times, ele afirmou que empresas de tecnologia deveriam ajudar o governo em casos de terrorismo. "Essa é uma situação específica em que o governo pede acesso à informação. Eles não vão perguntar coisas gerais, eles querem um caso particular", disse.

Segundo Gates, o caso não é diferente de você perguntar coisas ao seu banco ou companhia telefônica. "Digamos que você enrolou uma faixa no disco rígido e disse 'não me faça cortar a faixa porque você vai me fazer cortá-la muitas vezes", comparou, apoiando o FBI.
Zuckerberg é contra
Já o fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, publicizou o apoio à Apple no caso durante a MWC 2016, citando a privacidade como principal argumento. "Acreditamos na criptografia. Eu acredito que não seja a coisa certa tentar bloquear isso dos principais produtos que as pessoas querem usar. E acho que essa não será a regulação ou política econômica correta a se fazer", argumentou.
Publicidade

Porém, ele ainda confirmou que ajudaria o FBI em casos de terrorismo ou simpatizantes do ISIS "como pudesse", especialmente excluindo esses usuários do site.
O caso "FBI vs. Apple" envolve pedidos da agência para que a empresa instale um backdoor naquele aparelho para permitir o acesso à informações ou forneça o desbloqueio de dispositivos em um caso especia — o de San Bernardino. Porém, a polêmica é que isso seja requisitado mais vezes no futuro, até se tornar um padrão em investigações. Anteriormente, a Google já havia declarado apoio à Maçã, enquanto o candidato à presidência dos EUA, Donald Trump, pediu boicote à Apple.

[Atualizado]
Pouco depois de gerar polêmica com suas palavras, Bill Gates veio novamente a público — dessa vez através do jornal Bloomberg — afirmando estar "desapontado" com os relatos de que ele estaria apoiando o FBI nessa história.

E de que lado ele estaria, nesse caso? Na verdade, Gates preferiu tomar uma posição mais moderada sobre o assunto: sem apoiar nenhum dos lados necessariamente, o magnata disse que era necessária uma maior discussão sobre o caso, em busca de um equilíbrio maior entre ambos.

“Eu acredito que, com as travas de segurança adequadas, existem casos em que o governo, para nosso bem – como parar o terrorismo, que pode se tornar pior no futuro – que isso é valioso”, explicou ele. Quando questionado sobre o lado que ele apoia, porém, Bill preferiu permanecer neutro: “as cortes vão decidir isso”. “Essas questões vão ser decididas no Congresso”, continuou.


Fonte: tecmundo.com.br
 
 
 Apple pede que EUA anule desbloqueio de iPhone de terrorista
Apple pediu nesta segunda-feira que o governo dos Estados Unidos retire o pedido que exige que a empresa ajude o FBI a acessar um iPhone para uma investigação sobre terrorismo.

O CEO da Apple, Tim Cook, afirmou em e-mail enviado aos funcionários e em uma série de perguntas e respostas no site da empresa que aceitar esse pedido teria consequências "perigosas".

"O que está em risco é a segurança de centenas de milhões de pessoas que cumprem a lei. Isso estabeleceria um perigoso precedente que ameaça as liberdades civis de todo o mundo", destacou Cook.

A Apple se negou na semana passada a proporcionar o acesso do governo americano a um iPhone usado por um dos autores do tiroteio de dezembro na cidade californiana de San Bernardino, no qual morreram 14 pessoas.

A juíza federal Sheri Pym ordenou na terça-feira da semana passada que a Apple ajude os agentes do FBI (polícia federal americana) a acessar os dados do telefone.

O Departamento de Justiça americano foi um passo além na sexta-feira, ao apresentar uma moção para obrigar que a empresa tecnológica cumpra com o solicitado pelos tribunais.

A moção chega antes mesmo do prazo limite de 26 de fevereiro que a Apple tem para responder formalmente à juíza Pym.

A empresa sugeriu à Casa Branca, em uma série de perguntas e respostas publicadas em seu site, criar uma comissão governamental para avaliar os problemas gerados pelo crescente uso da encriptação.

"Nosso país sempre foi mais forte quando unido", declarou a Apple em informação publicada nesta segunda-feira em seu site, no qual diz que a melhor forma de avançar neste caso seria o governo "retirar" suas exigências e formar uma comissão ou algum tipo de painel para avaliar a situação.

"A Apple participaria com prazer de um esforço desse tipo", garantiu a companhia.

A empresa lembra que o pedido do governo se baseia em desenvolver uma nova versão de sistema operacional iOS para driblar as proteções de segurança quando a tela do telefone está bloqueada.

A Apple ressalta que, com isso, seria criada uma função nova ao permitir que se introduzam senhas de forma eletrônica e não manualmente. A gigante tecnológica destaca que atender essa solicitação teria duas repercussões "perigosas".

"A primeira é que o governo faria com que criássemos um sistema operacional completamente novo para seu uso", afirmou Apple, que lembrou que, uma vez feito isso, o FBI poderia desbloquear o telefone mediante o uso de "força bruta", como se chama o sistema eletrônico que usa milhões senhas até acertar a combinação correta.

A segunda das consequências "perigosas" seria, segundo a Apple, a abertura de um precedente legal que ampliaria os poderes do governo.

"Não sabemos aonde isso pode nos levar", alertou a empresa em comunicado.

Fonte: noticias.terra.com.br
 
 
 10 coisas que o novo Galaxy faz que o iPhone não faz
A Samsung anunciou nesta edição do Mobile World Congress dois novos smartphones: Galaxy S7 e Galaxy S7 Edge. 

Os dispositivos, que devem competir diretamente com o iPhone 6s e o iPhone 6s Plus, trazer uma série de novidades, como o carregamento rápido sem fio e melhorias na hora de fotografar. 
Confira 10 coisas que o Galaxy S7 faz que o iPhone não faz:

1. Resistente à água
Apesar dos rumores que surgiram no ano passado, os iPhones não são oficialmente à prova d'água. A Samsung, no entanto, revelou publicamente que os novos celulares são classificados como IP68, ou seja, resistentes à poeira e água em uma profundidade de mais de um metro por até 30 minutos.

2. Carregamento rápido
O Galaxy S7 tem carregamento rápido via microUSB. Ainda não há informações oficiais, mas espera-se que o dispositivo carregue, pelo menos, com a mesma velocidade do Galaxy S6, isto é, duas horas. O iPhone 6s leva cerca de três horas para realizar a mesma tarefa.

Em 30 minutos, o Galaxy S7 pode carregar até 60% da bateria.

3. Carregamento sem fio
Outra vantagem em relação ao carregamento é o fato de o dispositivo conseguir carregar sem fio rapidamente. De acordo com a Samsung, o método chega a ser mais eficiente do que o carregamento com fio.

4. Foco automático mais rápido

5. Fotos melhores no escuro

6. Expansão via cartão microSD

A Samsung voltou atrás e decidiu trazer de volta a possibilidade de expansão de armazenamento. Agora, é possível adicionar até 200GB ao smartphone. A Apple não permite tal manobra.

7. Bateria maior.
O Galaxy S7 tem bateria de 3,000mAh e o S7 Edge tem uma bateria 3,600mAh. O iPhone 6s, por sua vez, tem bateria de 1,715 mAh e o iPhone 6s Plus tem bateria de 2,750 mAh.

8. Samsung Pay funciona em leitores regulares de cartão de crédito.
Enquanto o sistema de pagamentos da Apple funciona apenas em terminais que suportem a tecnologia NFC, o Samsung Pay funciona em máquinas normais de cartão. Com isso, é possível que ele seja aceito em mais locais do que o da Apple.

9. Tela "always-on"
A Samsung tem uma tela que fica sempre ativa, permitindo ao usuário verificar informações básicas, como data, hora e notificações sem precisar "ligar" mesmo o smartphone, como acontece no iPhone. Na prática, isso significa um consumo de bateria a cada vez que clicar na tela.

10. Widgets nas bordas da tela curvada
É possível acessar os apps favoritos, contatos, notícias e até criar novos atalhos para ações, como escrever mensagens de texto, diretamente da tela curvada do dispositivo.


Fonte: http://olhardigital.uol.com.br/
 
 
 Como adicionar um cartão de crédito à sua conta do iCloud
Adicionar um cartão de crédito na sua conta do iCloud pode ser muito útil. Assim, é possível comprar apps e adquirir outros serviços da Apple pelo próprio iPhone ou iPad. O valor cobrado vem registrado no boleto de pagamento do cartão.

Vale ressaltar que a maioria das compras na App Store e no iCloud são calculadas em dólar, o que eleva o preço dos serviços. Veja, no passo a passo abaixo, como cadastrar um cartão de crédito à sua conta pelo iPhone.

Passo 1. Na página inicial do iPhone, acesse “Ajustes”. Depois, selecione “iCloud”;

Passo 2. Toque em cima do seu nome e, na sequência, em “Pagamento”;

Passo 3. Clique na opção abaixo de “Método de pagamento principal” para adicionar um cartão;

Passo 4. Insira os dados do seu cartão e outras informações solicitadas. Ao terminar, selecione “Próximo”.

Pronto. Repita o procedimento sempre que quiser alterar o cartão de crédito cadastrado no iCloud.


Fonte: techtudo.com.br
 
 
 Novo relatório aponta para mudanças no design do iPhone 7
Um relatório divulgado pelo site asiático Digitimes revela que a Apple entrou em contato com várias empresas que podem fazer parte da cadeia de produção do iPhone 7. 

A ordem é que as companhias se preparem para aumentar significativamente sua capacidade produção no terceiro e quarto trimestres deste ano.

Uma das empresas, a Cirrus Logic, deve se beneficiar da suposta decisão da Apple de remover o plug jack de 3,5mm do iPhone 7. 
Segundo os rumores, a Maça e a Cirrus devem trabalhar juntas para definir um novo padrão de design para o smartphone, que poderá ser muito mais fino que os modelos atuais. Vazamentos indicam que o próximo iPhone pode ter apenas entre 6 e 6,5 milímetros de espessura.

Outro dado aponta que a Analog Devices vai fornecer componentes para a possível câmera dupla do iPhone 7 Plus e, por último, o Digitimes fala a respeito da TSMC, que deve ser a encarregada de produzir todos os lotes do próximo chip A10. O padrão a ser utilizado no novo processador deve ser o FinFET de 16nm, o que indica que os novos chips devem ser energeticamente mais eficientes que os modelos atuais (A9 e A9X).

Fonte: tecmundo.com.br/
 
 
 O significado da i de iPhone, iPad, iMac e do resto dos produtos Apple
A resposta está em um vídeo de Steve Jobs, de 1998, que pode ser assistido no YouTube

O escritor Walter Isaacson conta na biografia de Steve Jobs – e os que trabalharam com o gênio confirmam – que o fundador da Apple não deixava escapar um mínimo detalhe. Ele tinha uma obsessão pela perfeição que se traduzia não só no design e nas funções técnicas de seus produtos, mas também na escolha de seus nomes: iMac, iPod, iPhone, iPad, iTunes... Todos eles já fazem parte do nosso vocabulário cotidiano, mas, qual é o seu significado? Por que se repete esse mesmo padrão com uma i minúscula no começo de cada palavra?

Essa é uma pergunta frequente em fóruns de discussão na internet, como o de Quora, que parece ter encontrado a resposta em uma das apresentações marca da casa feitas por Steve Jobs, em 1998. O evento da própria companhia, para apresentar o primeiro modelo de iMac, pode ser visto, mesmo que em baixa qualidade, neste vídeo no YouTube. E nele se encontra a explicação sobre a letra i: “iMac vem da união entre a emoção da internet e a simplicidade do Macintosh”, afirmava seu criador.

“Nosso foco é a necessidade de uso número um que os consumidores dizem querer em seu computador: poder se conectar à internet de forma simples e rápida. Esse é o objetivo desse produto”, explica Jobs durante a apresentação.

Internet: era a esse elemento que Jobs queria que os consumidores associassem seu computador. Mas não era só isso. O iMac, assim como aparece nos slides mostrados por ele durante o evento, também estava baseado em outros quatro conceitos que começam com a letra i: “indivíduo, instruir, informar e inspirar”.

Desde esse primeiro iMac de 1998, quase todos os produtos lançados pela Apple mantiveram a letra i, uma característica particular de seus nomes, e também a conexão com a internet, como forma de identidade: o reprodutor de arquivos em mp3 iPod, o revolucionário smartphone iPhone, o tablet iPad...

Mas também existem exceções. A companhia abriu mão da letra i para lançar, nos últimos anos, seu relógio – que se chama Apple Watch, e não iWatch – e também sua proposta de televisão portátil, a Apple TV.

Fonte: brasil.elpais.com/
 
 
 Como adicionar uma biografia no Facebook pelo iPhone
O app do Facebook para iPhone permite ao usuário acrescentar uma biografia pessoal que fica em destaque no perfil. A descrição pode conter até 101 caracteres e serve como uma forma de mostrar sua experiência de vida ou sua trajetória profissional para seus contatos na rede social.

Apesar de curto, o texto é uma oportunidade de se mostrar um pouco melhor para seus contatos. Veja como encontrar a função pelo aplicativo do Facebook para iPhone.

Passo 1. Abra o Facebook e toque sobre o ícone de três barras no canto inferior direito da tela. Em seguida, toque em seu nome de usuário para acessar seu perfil.

Passo 2. Toque em “Adicionar uma pequena biografia”. Feito isso, escreva um texto de no máximo 101 caracteres no local indicado e toque em “Salvar” para finalizar o procedimento.

Aproveite a dica para falar um pouco sobre você e mostre aos seus contatos suas experiências e habilidades.

Fonte: techtudo.com.br
 
 
 Como criar seu próprio emoji no iPhone
O Emoji Me Face Maker é um app gratuito para iPhone e iPad (iOS) que oferece a você a possibilidade de criar emojis com a sua cara no celular. Para isso, o aplicativo conta com uma grande coleção de rostos, cabelos e detalhes como expressões faciais. Isso tudo permite fazer personagens bem parecidos com você. 

O programa é útil para ganhar mais opções de emojis, principalmente para quem gosta de personalizar o celular. Depois de criar o ícone, ainda é possível editar, para fazer novos emoticons a partir dele. Confira a seguir como criar seu próprio emoji no iPhone. 

Criando o emoji

Passo 1. Na tela inicial do Emoji Me Maker, toque no botão “+”  para começar a criar seu emoji.

Passo 2. A área de edição será aberta. Vale notar que há uma barra vermelha para o usuário selecionar o que deseja mudar na figurinha. É possível escolher rosto, tom de pele, cabelo, olhos, sobrancelhas, boca, ouvidos, bigode e acessórios.

Passo 3. Logo abaixo da barra vermelha, há itens e detalhes para adicionar ao emoji. Toque para escolher ou deslizar os dedos, e ver outras opções.

Passo 4. Na parte inferior, é possível escolher as cores do objeto ou detalhe em edição.

Passo 5. Se quiser comparar o emoji com alguma foto sua ou de amigo, toque sobre o botão de câmera ao lado do personagem.

Passo 6. Nas opções que aparecem, escolha tirar uma foto ou copiar foto da galeria. 

Passo 7. Se escolher a galeria, selecione a imagem desejada. Em seguida, ela será posicionada ao lado do emoji. 

Pronto! Agora seu emoji estará salvo na sua galeria. É possível também compartilhar a imagem diretamente do aplicativo em redes sociais como Twitter e Facebook.


Mudando as emoções ou editando um emoji já pronto

Passo 1. Na tela inicial, toque sobre o emoji que acabou de criar.

Passo 2. Na tela seguinte, arraste os dedos para o lado, para mudar a emoção do personagem.

Passo 3. Se quiser editar a aparência do emoji, toque sobre “Edit”. 

Pronto! Agora você já sabe como editar seus emojis. 


Criando cartões personalizados

Passo 1. Para criar um cartão personalizado, toque sobre o item “Pictures”, na barra inferior do app.

Passo 2. O app exibirá diferentes opções de cartões. Em seguida, escolha algum deles.

Passo 3. Uma tela de exibição será aberta, em que será possível personalizar o cartão.

Passo 4. Quando terminar, toque em “Send” e decida se prefere salvar, enviar por e-mail, SMS ou compartilhar nas redes sociais. 



Fonte: techtudo.com.br/
 
 
 No duelo de gigantes, veja o comparativo entre iPhone 6s Plus e Galaxy Note 5.
Tela grande: você ama ou odeia? Parece que muita gente não consegue ficar no meio termo, e ou adora os smartphones gigantes, ou não suporta a ideia de algo que não encaixe tão bem no bolso. O fato é que, gostando ou não, eles são uma tendência. Na Ásia, especificamente, eles são uma realidade, e esta preferência está rapidamente se espalhando pelo globo.

Um exemplo disso é a Apple. Avessa a aumentar a tela do iPhone por tantos anos, viu a oportunidade de criar o iPhone 6 Plus, e agora o 6s Plus, que rapidamente caíram no gosto do público.

No entanto, você não pode falar de tela grande sem citar a Samsung. A empresa mantém a linha Galaxy Note desde 2011, e o aparelho sempre foi notável por trazer o que a coreana tinha de melhor em tecnologia móvel. O Galaxy Note 5 não é diferente.

Mas qual destes gigantes é o mais interessante? Vamos descobri já.

Desempenho
Nós temos batido nesta tecla repetidamente: é muito difícil comparar sistemas diferentes, com base em componentes diferentes com arquiteturas diferentes. Por isso, não é possível dizer “este é dual-core e é inferior a este octa-core” olhando apenas uma lista de especificações.

Por este motivo, recorrer a testes de desempenho, os famosos benchmarks, é importante. Eles tentam estabelecer um comparativo justo, observando o resultado dos aparelhos nos testes e oferecendo uma pontuação. Basta comparar a pontuação para termos um resultado mais próximo da realidade.

 Neste quesito, o teste mais popular é o AnTuTu, que avalia vários critérios de desempenho e dá uma pontuação ao final. Para tristeza dos fãs do Android e da Samsung, o teste classifica o iPhone 6s Plus como o aparelho mais rápido do ano passado, com pontuação de mais de 130 mil. O Galaxy Note 5 é um dos aparelhos mais parrudos, mas ainda não faz frente à pontuação do iPhone, atingindo no máximo cerca de 66 mil pontos.

A vitória é do iPhone 6s Plus, mesmo tendo apenas metade da memória RAM do Note 5.

Câmera
O Galaxy Note 5 e o iPhone 6s Plus tem algumas das melhores câmeras do ano passado, tornando a disputa interessante, mas ainda assim é favorável à Samsung, como aponta o ranking da DxOMark, a principal referência em câmeras no mundo. Os aparelhos do ano passado da empresa, que usam todos os mesmos sensores e softwares, figuram no topo da lista.

A Samsung traz um sensor traseiro de 16 megapixels com abertura de f/1.9 na câmera traseira, que favorece a fotografia em ambiente com iluminação ruim e permite o registro mais veloz de imagens, com estabilização óptica de imagem e câmera frontal de 5 megapixels. Enquanto isso, a Apple conta com uma câmera traseira de 12 megapixels com uma abertura f/2.2; a câmera frontal também era de 5 megapixels. Uma diferença em comparação com o iPhone 6s, é que o Plus tem estabilização óptica, que permite fotos e vídeos melhores em movimento, suavizando o famoso efeito da mão que treme.

Quando falamos em vídeo, os dois aparelhos se aproximam bastante, já que ambos são capazes de registrar imagens em 4K. Mesmo assim, a vitória é do Galaxy Note 5.

Software
Entendemos que haja um empate entre Android e iOS, e quem usa um dificilmente gosta do outro. No entanto, a TouchWiz não é o Android, e ela é, sim, inferior ao equilíbrio que o iOS tem nas plataformas da Apple.

É importante observar que a Samsung tem melhorado em software, mas ainda não está em pé de igualdade. O Note 5 tem algumas peculiaridades boas, as principais referentes à caneta S-Pen, que é incrivelmente responsiva e ótima de usar. No entanto, a TouchWiz ainda é notavelmente conhecida por ser mais pesada, propensa a travamentos e por ser mais confusa e poluída do que a versão limpa do sistema, idealizada pelo Google.

A competição com o iOS fica desbalanceada. O software da Apple pode ter suas restrições em comparação com a liberdade que o Android proporciona, mas ainda assim é um sistema redondo, otimizado para o hardware que o sustenta, possibilitando um excelente desempenho. O iPhone 6s Plus ainda tem o recurso do 3D Touch, que faz diferença em usabilidade e deve se popularizar conforme os desenvolvedores adotarem a ideia em seus apps.

O iPhone 6s Plus é vencedor.

Tela
É a especialidade da Samsung, e é também a vez de a Apple ficar para trás. O iPhone 6s Plus é muito bom com sua tela Full HD (1920x1080) de 5,5 polegadas, e reproduz cores com bastante fidelidade. Em resumo, é excelente olhar para a tela do iPhone.

O problema é que poucas empresas no mundo fazem telas como a Samsung, e a empresa aproveita o momento de lançamento de seus smartphones para propagandear também do que é capaz na área de displays. Isso se reflete no painel de 5,7 polegadas com resolução 2K (2560x1440). Além disso, o fato de usar o AMOLED, que é mais econômico e reproduz a cor preta melhor do que o LCD do iPhone.

Como sempre, é possível questionar-se se tantos pixels em um painel tão pequeno quanto o de um celular realmente faz a diferença. Contudo, apesar da discussão se precisamos ou não de tantos pixels, o fato é que mais deles ainda é melhor, e favorece também o uso como dispositivo de realidade virtual com um Cardboard ou Gear VR.

Vitória, portanto, do Galaxy Note 5.

Preço

Para tristeza dos fãs da Apple, esta é uma categoria que não tem discussão. O Note 5 pode ter sido lançado pelo valor de R$ 3,8 mil, mas já é possível encontra-lo na faixa entre R$ 2,6 mil e R$ 3 mil. Enquanto isso, o iPhone 6s Plus não vai reduzir seu preço até que a próxima versão seja lançada. Por enquanto, ele não é encontrado por menos de R$ 3,8 mil na versão de 16 GB (que ninguém deveria ter).

Vale observar, no entanto, que a diferença se anula se, por um acaso, a pessoa tiver a oportunidade de comprar um smartphone no exterior. Nos Estados Unidos, por exemplo, os dois têm basicamente o mesmo preço.

No entanto, como somos um site brasileiro, e a maior parte de vocês, leitores, também são daqui, a vantagem é do Galaxy Note 5.

Conclusão

Como sempre dizemos nestes comparativos, nós levamos em consideração o critério técnico para dar o parecer final. Se consideramos os aparelhos empatados, aí olhamos para o preço para comparar custo-benefício.

Aí, infelizmente, não dá para o iPhone. A política de preços da Apple faz com que o aparelho não desvalorize ao longo do ano, como acontece com seus competidores. O Note 5 pode ter sido lançado a um preço próximo do iPhone 6s Plus, mas seu custo já caiu demais em várias lojas, tornando-o uma opção de qualidade e muito mais acessível.

Assim, a vitória é do Galaxy Note 5.

Fonte: olhardigital.uol.com.br/
 
 
 Apple se nega a desbloquear iPhone de autor de tiroteio
Washington - A empresa de tecnologia Apple se nega a desbloquear o telefone iPhone usado por um dos autores do tiroteio de dezembro na cidade californiana de San Bernardino (EUA), no qual morreram 14 pessoas.

Em comunicado emitido pelo diretor executivo da empresa, Tim Cook, a Apple afirma que a ordem emitida pelo FBI, que investiga o atentado, teria "graves consequências para a segurança" dos usuários da marca tecnológica.

"O governo dos Estados Unidos pediu à Apple que dê um passo sem precedentes, que ameaça a segurança de nossos usuários", disse Cook no comunicado.

"Nos opomos a essa ordem, que tem implicações além do caso que se elucida", afirma.

Uma juíza federal dos Estados Unidos ordenou na terça-feira à Apple que ajude o FBI a desbloquear e ter acesso ao telefone iPhone usado por um dos dois autores do tiroteio de dezembro em San Bernardino (Califórnia), no qual morreram 14 pessoas.

De acordo com a ordem emitida pela magistrada Sheri Pym, a Apple deverá fornecer ao FBI "assistência técnica razoável" para que os investigadores tenham acesso ao dispositivo móvel, o que fundamentalmente se traduz em "pirateá-lo" para desativar o sistema de segurança que elimina os dados do telefone se não for introduzido o código correto após várias tentativas.

Se a Apple desativar esta função, os investigadores federais poderão testar quantas combinações forem necessárias para o código de segurança pessoal do iPhone sem medo de que os dados sejam perdidos e, quando encontrarem a correta, possam acessar o celular e toda a informação que este contenha.

O telefone era operado por Syed Farook, um dos autores do massacre, embora seja propriedade de seu empregador, a administração do condado de San Bernardino, que já deu seu consentimento para a revista.

Desde setembro de 2014, os dados da maioria dos aparelhos da Apple estão codificados e a eles só se pode ter acesso com uma chave. Se for introduzido um código errado por dez vezes, o aparelho apaga automaticamente todos os dados.

"O governo está pedindo à Apple que pirateie nossos usuários e que mine décadas de avanços sobre segurança e proteção", diz Cook no comunicado.

"Opor-se a esta ordem não é algo que fazemos superficialmente. Devemos enfrentar o que achamos que é um excesso do governo dos Estados Unidos", afirmou.

Fonte: exame.abril.com.br
 
 
 Erro 53 no iPhone entenda o que é e suas consequências
Donos do iPhone 6 e 6 Plus têm sofrido com o Erro 53, problema que se caracteriza como a “morte do aparelho". Os relatos indicam que a falha ocorre com celulares que tiveram o botão home danificado, mas apenas depois que esses smartphones são atualizados para o iOS 9.

Na maior parte dos casos, o bug é gerado em iPhones que passaram por reparos técnicos não oficiais, ou seja, em serviços de assistência técnica que não são da Apple. No entanto, há casos em que não houve conserto de terceiros, e o telefone simplesmente parou de funcionar após o dano no botão. Entenda melhor como o Erro 53 funciona e como ele pode afetar seu iPhone. 

A mensagem de erro aparece segundos após a instalação do iOS 9. Depois de exibida, o celular é desabilitado e fica praticamente inútil. Todas as fotos, arquivos e quaisquer dados são perdidos e não podem ser recuperados. Não há nenhum alerta de aviso sobre o problema, nem correção, por enquanto.


Download grátis do app do TechTudo: dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

Antes de fazer a atualização do software, porém, o iPhone funciona normalmente. Essa é uma das razões pelas quais a falta de aviso por parte da Apple se torna mais grave, uma vez que os usuários poderiam não realizar o update, caso soubessem dos riscos. 

Embora trate-se de uma situação bastante específica, já existe muitos relatos na internet. No fórum oficial da Apple, por exemplo, o usuário Arjunthebuster afirma que seu iPhone, comprado em Dubai, caiu no chão em fevereiro de 2015 e a tela ficou levemente danificada. Apesar disso, nove meses depois, em novembro, o cliente foi surpreendido pelo Erro 53, após instalar a versão mais recente do iOS. 

A principal reclamação de Arjunthebuster é a cobrança de 1.240 AED (cerca de R$ 1.340) pelo reparo, já que a garantia não vale para smartphones quebrados. O usuário, porém, alega que não deseja uma nova tela, mas apenas a correção do Erro 53. “Eu ainda não entreguei o iPhone para o serviço [técnico] de fora [da Apple] ainda, então ele está dentro da garantia”, afirma.

Já o fotógrafo do jornal britânico The Guardian, Antonio Olmos, fez o reparo com terceiros. Ele estava na Macedônia quando deixou o iPhone cair, em setembro de 2015. Como estava a trabalho e não tinha tempo, resolveu consertar o iPhone pela região, que não conta com Apple Store. Mas foi somente há algumas semanas, quando fez a atualização para o iOS 9, que o telefone falhou. Ao levar o iPhone à assistência oficial, em Londres, Olmos foi informado que não havia nada a ser feito. 
O fotógrafo pagou £ 270 (aproximadamente R$ 1.500) pela substituição do aparelho. Na versão americana ou inglesa do site da Apple, é possível consultar previamente o valor do conserto em diferentes situações. No Brasil, a tabela está indisponível, criando a necessidade de descrever problemas via email para a fabricante, o que deixa o processo mais lento.

Um porta voz da Apple admitiu em comunicado que o erro é proposital. “Nós levamos a segurança dos clientes muito a sério, e o Erro 53 é resultado de verificações de segurança para proteger clientes. O iOS verifica se o sensor Touch ID corresponde corretamente aos outros componentes do celular. Se o iOS encontra uma incompatibilidade, a verificação falha e o Touch ID é desativado. A medida de segurança é necessária para proteger o iPhone e impedir fraudes no sensor Touch ID. Se um cliente encontra o Erro 53, nós o incentivamos a entrar em contato com o suporte da Apple”, disse.

A resposta, porém, não agradou a todos. O escritório de advocacia PCVA Law, sediado em Seattle, entrou com uma ação coletiva contra a Apple por causa da falha. A alegação é de que a política da empresa viola as leis de defesa do consumidor nos Estados Unidos, já que estaria obrigando os clientes a usarem a assistência técnica da própria companhia, que é muito mais cara que a de terceiros.

“O primeiro objetivo é fazer com que todos os clientes com iPhones afetados sejam equipados com telefones funcionando, sem os esmagadores custos que milhares de pessoas estão enfrentando no momento com o erro 53″, disse o advogado à frente da ação coletiva, Darrell Cochran.


Fonte: techtudo.com.br/
 
 
 Apple vai lançar novos iPhone e iPad em março, afirma blog
Empresa não deve aceitar pedidos antecipados para os novos dispositivos.

A Apple está perto de lançar os novos modelos de iPhone e iPad em 15 de março, e quer começar as vendas dos dispositivos na mesma semana, informou o blog de tecnologia 9to5Mac, citando fontes.

A Apple, que introduzirá um novo telefone de 4 polegadas, apelidado de “iPhone 5se” e um novo iPad Air no evento de lançamento, não deve aceitar pedidos antecipados para os novos dispositivos, diz o blog.

A gigante de tecnologia entrou um teto na demanda por iPhones. O aumento de 0,4% nas vendas no primeiro trimestre fiscal foi o menor aumento da história para as vendas de iPhones desde que o celular foi lançado em 2007.

O novo iPhone 5se é projetado para estimular atualizações de hardware nos iPhones para clientes que buscam dispositivos mais rápidos sem chegar aos tamanhos de tela muito maiores dos iPhone 6s e 6s Plus.

Fonte: ipnews.com.br/
 
 
 Ministério gasta R$ 13 milhões em iPhone 6 e celulares para servidores
Ministério Público Federal abriu um pregão eletrônico para resolver algumas questões que estavam incomodando: o edital "tem como objetivo o atendimento à crescente demanda por serviços corporativos disponibilizados nos sítios institucionais e também outros órgãos, tais como: correio eletrônico institucional, serviço de mensagem instantânea, nuvem de dados corporativa, dentre outros". No momento da abertura, o MPF supostamente esperava gastar R$ 2 milhões em equipamento. Porém, parece que tudo escalou de uma maneira assustadora.

Traduzindo o que foi escrito, já que o linguajar utilizado em editais nem sempre favorece a leitura de todos, o MPF buscava comprar equipamentos eletrônicos de alguma operadora para poder trocar emails, mensagens de textos (seja WhatsApp ou SMS), utilizar a nuvem para armazenar arquivos e "outros serviços".

Atualização: recebemos a seguinte mensagem, de uma suposta servidora do MPF: "Sou servidora do MPF e nós não recebemos celulares funcionais. Os celulares são apenas para os membros , os Procuradores da República. Nós, servidores, na verdade, não concordamos com essa compra e estamos há 10 anos sem reajuste, recebendo exatamente o mesmo salário".

Para isso, o Ministério Público Federal estabeleceu supostamente R$ 2 milhões para comprar 300 acessos móveis de categoria 1, 250 acessos de categoria 2, 150 USB e 200 cartões SIM para iPad. Novamente, traduzindo: 300 iPhone 6 e 250 Sony Xperia ou Moto G para os servidores realizarem serviços corporativos.

Contudo, ao final do pregão eletrônico, que foi vencido pela Claro, o MPF acabou contratando os planos e equipamentos por mais de R$ 13 milhões, como indicou o GuardianDF. A assinatura do edital é do pregoeiro Gilson Jorge Teles Marinho.

Sobre a escolha dos 300 aparelhos iPhone 6, o MPF declarou o seguinte no pregão: "a opção por dispositivos do fabricante Apple (iPhone 6 ou superior) se deu em função do parque já existente, garantindo que o investimento, as pesquisas e as implementações já realizadas permaneçam incorporadas ao patrimônio, tangível e intangível da instituição, além de garantir a entrega de serviços já familiares aos usuários e com níveis de segurança satisfatórios".

Qual foi a estimativa?
O GuardianDF indica que a estimativa inicial era de R$ 2 milhões, como você pode ver no print abaixo. Contudo, olhando o edital, não encontramos essa estimativa, apenas realmente os R$ 13 milhões (Print II) que foram contratados. 

A questão é outra
R$ 252 mil para planos SMS e R$ 129 mil para MMS. São R$ 381 mil para ferramentas obsoletas que, qualquer servidor com um iPhone 6 em mãos, sabe que existem soluções gratuitas para isso — só para citar, WhatsApp e Telegram. Século XXI, amigos. Além disso, se a Claro foi contratada para os planos e o serviço é apenas corporativo, os aparelhos funcionam na mesma rede. SMS para a mesma operadora não costuma ser gratuito, caro leitor?

Fonte: tecmundo.com.br
 
 
 iPhone 5se poderá chegar em rosa vivo e cor dourada, eliminada
iPhone 5se poderá chegar em 'rosa vivo'; cor dourada será eliminada [rumor]

Um novo iPhone com tela de 4 polegadas poderá ser lançado a partir de março, sugeriu o site japonês Mac Otakara. Sob o título de iPhone 5se, o aparelho deverá contar com aspectos técnicos semelhantes aos do iPhone 5s; especula-se, porém, que o design do iPhone 6s e iPhone 6s Plus é que poderá adornar o suposto flagship.

O celular, ainda segundo os últimos rumores, deverá chegar às prateleiras também em “rosa vivo” ou “rosa quente” (“hot pink”, em inglês). A edição dourada, contudo, poderá ser eliminada. Esta não é a primeira vez que a tão peculiar tonalidade é sugerida por fontes não oficiais aos lançamentos da Apple (durante o desenvolvimento do iPhone 6S, o anúncio de um smartphone em “rosa vivo” foi cogitado – o que chegou ao mercado, porém, foi a edição em ouro rosa do pomposo dispositivo).

Desta vez, o blog japonês afirma que variações em prata e em space gray (cinza), além do “rosa vivo” do iPhone 5se, vão estar disponíveis – isso se nenhuma confusão quanto à tradução das cores tiver sido feita. O evento que pode resultar no anúncio do iPhone 5se deverá ser realizado no dia 15 de março, conforme especula o 9to5Mac.

São esperadas as apresentações do iPad Air 3 e de novidades ainda desconhecidas relacionadas também ao Apple Watch. Nenhum pronunciamento oficial foi feito até o momento pela Apple. 

Fonte: .tecmundo.com.br/
 
 
 A polêmica do erro 53que desabilita o iPhone 6 que passou por conserto não oficial
A polêmica do ‘erro 53’ que desabilita o iPhone 6 que passou por conserto ‘não oficial’

Seu nome é "erro 53" - e é implacável.
A mensagem aparece após a última atualização do sistema operacional da Apple, o iOS 9, em aparelhos iPhone 6 que passaram por algum reparo "não oficial" (fora dos centros de serviço autorizados). E faz com que o telefone deixe de funcionar.

O erro, na verdade, não é novo. Em informação publicada no site de suporte técnico da Apple e atualizada em 21 de dezembro, a empresa explica: "Quando o iOS encontra um módulo de Touch ID (o sistema de reconhecimento de impressões digitais do iPhone) não identificado ou inesperado, a verificação falha".
E completa: "Por exemplo, uma mudança de tela não autorizada ou defeituosa pode causar um erro na verificação". Neste caso, segundo a empresa, deve-se contatar o suporte da Apple para "informações sobre preços para consertos fora da garantia".
A novidade é que com o iOS 9 não importa se o reparo fora dos serviços autorizados ocorreu há semanas ou meses. O software identifica a operação e desabilita o telefone.
Image copyrightGetty
Image caption
A Apple informou que o erro é uma medida de segurança para prevenir o uso de sensores fraudulentos de Touch ID.
Quando isso ocorre, dados sem cópias de segurança (como fotos) ficam inacessíveis.
Até agora não há uma forma de reverter esse erro, nem nas lojas oficiais da Apple, e também não se sabe quantos usuários foram afetados.
'Medida de segurança'
Em comunicado enviado à BBC, a Apple informou que o erro 53 é "resultado de revisões de segurança".

"Levamos a segurança dos nossos clientes muito a sério", diz a nota. "O iOS checa se o sensor de Touch ID em seu iPhone ou iPad coincide de forma correta com outros do dispositivo".
"Se o iOS encontra um desajuste, essa checagem falha e o Touch ID, incluindo a função Apple Pay, é desabilitado. Essa medida de segurança é necessária para proteger seu dispositivo e prevenir o uso fraudulento do sensor de Touch ID".
A Apple recomenda a usuários que verificaram esse erro a procurar o suporte oficial da empresa.

Sem alternativa
Usuários costumam recorrer a reparos não autorizados por dois motivos básicos: porque são mais baratos ou pela ausência de empresas autorizadas onde vivem.

O fotógrafo Antonio Olmos, que se diz viciado em produtos Apple, disse ao jornal inglês The Guardian que teve que recorrer a um reparo pirata quando trabalhava na Macedônia durante a atual crise de refugiados.
"Meu telefone caiu, e como precisava dele desesperadamente para trabalhar, mandei consertá-lo numa loja local, pois não há lojas da Apple na Macedônia. Consertaram a tela e o botão Home (início), e funcionou com perfeição", disse. Mas apenas até a atualização do software.
"Como uma companhia pode deixar seus próprios produtos inúteis com uma atualização e nem alertar os clientes sobre isso?", questionou o fotógrafo.
Uma possível solução, segundo especialistas em tecnologia, seria dar a opção aos usuários de recalibrar os aparelhos em uma loja Apple, evitando que os aparelhos deixassem de funcionar.

Fonte: http://www.bbc.com/
 
 
 iPhone 7 Plus terá câmera dupla
O iPhone 7 Plus, com lançamento previsto para setembro deste ano, deverá ser o primeiro celular da Apple com tecnologia de câmera dupla. Ela adquirida pela fabricante em 2015. Segundo o analista de mercado Ming-Cho Kuo, o smartphone terá um sensor duplo de 12MP fabricado pela Sony – com direito a zoom ótico em vez do tradicional zoom digital.

Contudo, há dúvidas sobre a capacidade do sistema iOS de administrar e alternar as imagens de alta resolução geradas pelos dois sensores. Vale lembrar que o LG G5 deve trazer um sensor duplo na câmera principal, solução já implementada com sucesso pela HTC no seu top de linha de 2014, o M8.

Com lançamento distante, ainda há poucas informações sobre quais inovações o iPhone 7 ou a versão Plus podem trazer. Os rumores dão conta de que haverá um sistema de sensores capazes de absorver impactos de quedas, protegendo o display; um mecanismo de proteção contra água; e novos fones de ouvido que "aprendem" o gosto musical do usuário. Todos esses recursos são baseados em patentes descobertas recentemente.

Fonte: techtudo.com.br
 
 
 Patente da Apple revela iPhone capaz de se consertar automaticamente
Os próximos modelos de iPhone – entre eles o iPhone 7 – poderão ter a capacidade de “se regenerar”, se depender de uma patente registrada pela Apple. O documento fala sobre uma tecnologia para que o celular conserte os próprios erros e lesões, o que evitaria gastos com assistência técnica e ainda aumentaria a durabilidade do smartphone.

A ideia não é exatamente inovadora, já que modelos da LG, como G Flex e G Flex 2, já podem recuperar a traseira de arranhões, por exemplo. No entanto, segundo o documento, o iPhone poderá corrigir problemas físicos ainda mais graves. A patente foi registrada pela Apple em julho de 2014, mas só foi publicada no dia 7 de janeiro pelo United States Patent and Trademark Office

O aparelho poderá se regenerar automaticamente ao detectar, por exemplo, a entrada de água no alto falante ou com testes de diagnóstico para fixação de pixels mortos (dead pixels) na tela.
 Além disso, assim que o telefone perceber uma área molhada – através da monitoramento do ambiente, ele será capaz de ativar um tom alto pela saída de som, expulsando a água. Isso tudo, é claro, de forma automática. 

Problemas com a câmera e a conectividade do celular poderião ser resolvidos da mesma maneira, sem ser necessário levar o iPhone para reparos. Para completar, testes mais demorados poderiam ser realizados durante a noite, para não atrapalhar o uso do cliente.

A ideia, sem dúvidas, é animadora, já que poderia economizar bastante dinheiro com assistência técnica ou evitar consertos que colocam os celulares em risco. Apesar disso, a patente pode demorar para chegar ao mercado, sem previsão de lançamento para os aparelhos da Apple, tanto no exterior quanto no Brasil. 


Fonte: techtudo.com.br/
 
 
 iPhone 6s e iPhone 6s plus começam a ser vendidos no Brasil
Preços dos novos smartphones da Apple variam de R$ 4 mil a R$ 4,9 mil.

Câmera mais potente e 3D Touch são as novidades dos aparelhos.

A Apple iniciou nesta sexta-feira (13) a venda de seus novos smartphone, iPhone 6s e iPhone 6s plus, por preços que variam entre R$ 4 mil e R$ 4,9 mil.

As versões do iPhone 6S e 6S Plus têm opções de armazenamento de 16 GB, 64 GB ou 128 GB, e chegam nas cores prata, cinza espacial, dourado e ouro rosado. O iPhone "tradicional" tem tela de 4,7 polegadas, enquanto que a versão plus possui um display de 5,5 polegadas.
Lojas de varejo, como a de operadoras e de eletrônicos, começam a vender os aparelhos a partir da 0h01 desta sexta. As lojas da Apple no Brasil, no Rio e em São Paulo, abrem em horários comercial.

Câmera
A versão do smarphone da Apple lançada este ano deu atenção especial à câmera, que não ganhava uma atualização de respeito desde 2011, quando o iPhone 4s ganhou uma câmera de 8 MP, saindo dos 5 MP da versão anterior do aparelho. No iPhone 6s, a câmera para fotos agora é de 12 MP, e concentra a maioria das novidades do produto.
Não só as fotos ficaram (um pouco) melhores em relação ao iPhone 6, como agora é possível gravar vídeos com resolução 4K, que é quatro vezes superior à resolução Full HD.
Os amantes de selfies também foram beneficiados com a nova câmera frontal do aparelho, que agora é de 5 MP e tem um flash ao estilo "gambiarra", já que a tela do celular pisca rapidamente no brilho máximo para iluminar ambientes com pouca luz.

Live Photos
Ainda falando de fotografia, outro recurso apresentado no iPhone 6S é o Live Photos - ao ativar a função na hora de bater uma foto, o celular registra um segundo e meio de áudio e vídeo antes e depos da foto, deixando-a com a cara de GIF.


3D Touch
Essa foto é visualisada em sua forma "animada" ao pressionar a tela um pouco mais forte - outra novidade exclusiva do iPhone 6S, chamada 3D Touch.

Por meio de um sensor de pressão no aparelho, o smartphone sabe o quanto de força está sendo imprimida na tela, e possibilita ativar funções ou comandos opcionais. É possível acessar atalhos de aplicativos sem a necessidade da abri-los primeiro, como ir diretamente para o modo selfie da câmera ou pular para a tela de uma nova postagem para o Instagram, por exemplo.

O 3D Touch funciona aliado a sensores que ficam entre o painel de retroiluminação do display e o vidro da tela, que monitoram a diferenças microscópicas de distância entre os componentes. Aliado a tudo isso, há um motor tátil que "vibra" quando o 3D é acessado, dando uma resposta física ao usuário.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 3D Touch: entenda a nova tecnologia da tela do iPhone 6S
Os iPhone 6S e o iPhone 6S Plus, lançados pela Apple na última quarta-feira (9), trazem um recurso que promete transformar o modo como o celular reconhece o toque do usuário: o 3D Touch. Com a novidade, o iPhone conseguirá identificar diferentes níveis de intensidade de toque para ativar diferentes ações. 
iPad Pro tem tela de 12,9” e canetinha stylus Apple Pencil
A nova tecnologia, que nos rumores era chamada de Force Touch, terá aplicações práticas em diversos apps como Instagram, Facebook Messenger , entre outros. Entenda o que o 3D Touch será capaz de fazer. 

O que é?
Apesar do nome, a nova tecnologia da Apple não tem nada a ver com o 3D presente nos filmes do cinema. Na verdade, o 3D Touch é uma forma de reconhecimento da densidade de toques e nada interfere na reprodução de imagens. Ou seja, ela adiciona novos comandos gestuais ao smartphone.
Para tornar o 3D Touch real, a Apple implementou novos sensores atrás do vidro e integrados ao painel LCD do aparelho capazes medir a força aplicada sobre a tela. Assim, os novos iPhones conseguem identificar não só os toques na horizontal e vertical, mas também sentir a a sua profundidade. 

Assim como no novo MacBook, o iPhone 6S virá com um componente capaz de oferecer pequenas vibrações conforme o usuário aplica a força à tela do telefone. Assim, ao clicar no celular, o usuário terá a impressão de estar usando um trackpad. 
O Mate S, smartphone da Huawei lançado na IFA, também conta com a tecnologia usa os dados de pressão exercida pelos dedos sobre o display para acionar recursos como zoom em imagens.
Para que serve?
Com o 3D Touch o iPhone será capaz de reconhecer uma gama muito maior de gestos e suportar muito mais atividades. Logo na tela inicial do sistema, por exemplo, o usuário poderá selecionar o aplicativo da câmera de forma suave para escolher entre: tirar uma selfie, gravar um vídeo normal, em câmera lenta ou tirar uma foto tradicional. 

A novidade também funcionará em aplicativos terceiros, permitindo que o usuário acesse as notificações do Instagram sem ter que entrar na tela inicial do app. No geral, o 3D Touch promete ser bastante útil para visualizar informações sem sair da tela anterior - estilo pop-up. 
Ao receber uma mensagem com um endereço, por exemplo, bastar clicar sobre o local para abrir um mapa em uma janela menor, como um preview. O mesmo valerá com miniatura de sites, caixa de e-mails e mais.

A janela pop-up também poderá ser exibida em tela inteira. Para isso, basta realizar um toque mais forte no conteúdo aberto - esse movimento é conhecido como "Peek and Pop". Ao arrastar o dedo durante uma pré-visualização, o usuário poderá realizar outras ações, que dependem da aplicação que estiver aberta. 
O 3D Touch também substituirá o conhecido gesto feito para visualizar todos os aplicativos abertos no iPhone. Ao invés de clicar duas vezes no botão Home do celular, o usuário deverá pressionar fortemente a extremidade da tela. Além disso, será possível transformar o teclado virtual do sistema em um trackpad, ao aplicar mais força na tela do aparelho.

Por fim, os aficionados por personalização poderão utilizar a nova tecnologia para ativar os papéis de parede animados na tela de bloqueio. O recurso deve funcionar tanto para os wallpapers padrão da Apple tanto para as novas Live Photos, apresentadas nesta quarta-feira (9).
Em quais aparelhos?
Inicialmente, o 3D Touch estará disponível somente nos mais recentes lançamentos da Apple: iPhone 6S e 6S Plus. Estão de fora até mesmo do iPad Pro e o iPad Mini 4. No mundo, o lançamento do smartphone será no dia 25 de setembro, mas o Brasil terá de esperar mais um pouco - ainda não há previsão de lançamento por aqui. 

A simples atualização para o iOS 9, que será lançado mundialmente no dia 16 de setembro, não dará acesso aos recursos do 3D Touch, que necessita dos novos sensores implementados nos iPhone 6S para funcionar. 
 
 
 iPhone pode ganhar detector de fumaça no futuro, revela patente
O iPhone e outros dispositivos da Apple podem vir equipados com um detector de fumaça no futuro. É isso que indica uma patente registrada pela empresa e divulgada nesta terça-feira (1). Com o projeto, será possível acoplar a tecnologia aos eletrônicos.

Se o usuário estiver dormindo, ou não perceber o início do incêndio, o celular poderia alertá-lo e e chamar ou Corpo de Bombeiros. 
Segundo o site Apple Insider, a partir dos dados coletados pelos outros sensores do iPhone, as informações completas são encaminhadas para as autoridades, como a localização do incêndio, a temperatura do ambiente e se o proprietário está próximo do aparelho e do fogo.

Integração com HomeKit
Num cenário de casa completamente conectada, a detecção de incêndio por parte do iPhone poderia dar início a uma série de ações de combate ao fogo, pré-determinadas pelo Apple HomeKit.
Detectores funcionam por luz e identificam a presença de fumaça interceptando raios luminosos, ou por ionização, em que a fumaça interrompe um circuito, provocando um alarme. O modelo para o celular seria menor, para caber nos limites de espaço de um smartphone, mas teria as mesmas capacidades dos modelos convencionais.

Apesar de descrever o uso da tecnologia em uma série de dispositivos e a possível integração com o HomeKit, a liberação da patente não garante a aplicação do projeto de imediato nos lançamentos da Apple.
 
 
 As novas melhorias que virão no iphone 6s
No começo de junho, a Apple apresentou ao mundo todas as novidades que serão vistas no sistema operacional iOS 9. Como você deve saber, o sistema operacional ainda está em fase Beta, sendo que seu lançamento oficial deve ser coincidente com a chegada de novos aparelhos no mercado, os sucessores da atual geração de smartphones da fabricante, composta por iPhone 6 e iPhone 6 Plus.
Mas o que podemos esperar destes novos aparelhos? Será que eles serão somente dois modelos ou existe uma surpresa a caminho? Confira agora mesmo o nosso apanhado de informações para saber quais são as grandes probabilidades em relação à próxima geração dos aclamados smartphones da Apple. Será que os iPhones estão prestes a receber uma grande novidade?

Os novos modelos
É quase impossível que a Apple anuncie um “iPhone 7” neste ano. A considerar os últimos anos da empresa, as grandes chances estão em “iPhone 6S” e “iPhone 6S Plus”. Estes dispositivos seriam a evolução natural do aparelho, contando com algumas atualizações de hardware — que nós abordamos com mais detalhes logo à frente — e pequenas melhorias.
Mas existe outra possibilidade ainda pouco clara para o mercado internacional. Alguns rumores de fontes ligadas à Apple apontam para a chegada de um smartphone com dimensões reduzidas: o iPhone 6C. Ele seria uma resposta da fabricante aos consumidores que não se adaptaram às telas maiores, chegando com cerca de 4 polegadas e um design similar ao visto no iPhone 5C.
Caso este aparelho seja confirmado, é bem provável que a Apple o coloque no mercado com o hardware visto na atual geração de dispositivos e o trate como uma opção de baixo custo para os consumidores. Se isso vai mesmo acontecer, só saberemos quando a própria Apple realizar os anúncios oficiais.

Mudanças no design
Como já dissemos, o iPhone 6S deve ser uma evolução natural da atual geração, mas isso não significa que ele chegará ao mercado com o design idêntico ao dos atuais aparelhos. É claro que não estamos falando sobre mudanças radicais no layout dos dispositivos, mas não podemos descartar a possibilidade de que os novos iPhones cheguem ao mercado com novas cores.
De acordo com o site Apple Insider, o novo iPhone deve contar com uma nova opção “Rose Gold” — chegando pronta para competir com os modelos dourados do Galaxy S6 e do Galaxy S6 Edge. Existe também outra possibilidade, ainda que menos provável... Cogita-se a chance de a Apple lançar um dispositivo de luxo similar ao “Apple Watch Edition”, com acabamento em ouro e preços bem elevados.
Surgiram novas imagens que supostamente são do novo iPhone 6S. Como você pode ver na galeria abaixo, o novo aparelho não terá diferenças na estrutura externa, mas traz alguns pequenos ajustes nos encaixes internos.

Novo hardware
O iPhone 6 ainda utiliza 1 GB de memória RAM, e muitos consumidores afirmam que isso é o bastante para a execução do iOS. Mesmo assim, por estratégias de mercado, é bem possível que a fabricante anuncie o novo modelo com 2 GB de memória — ficando menos distante dos principais nomes do Android, que já apresentam 3 GB e até 4 GB em alguns casos mais específicos.
Em relação aos processadores, não há muitas dúvidas de que a fabricante vá trazer o Apple A9 para os novos aparelhos. Também sem grandes surpresas, ele será apresentado com recursos para melhoria no processamento central e gráfico, sendo ainda responsável por uma redução no consumo de energia. As únicas dúvidas estão nos valores que isso vai representar oficialmente.
Nas outras configurações do aparelho, devemos ver uma bateria um pouco mais robusta, mas nada que realmente se sobressaia nas novidades.

Force Touch
O sistema Force Touch foi introduzido pela Apple nos relógios Apple Watch e agora deve ser levado também para os iPhones. Caso você não saiba, o recurso permite que os consumidores configurem o aparelho para que ele interprete diferentes níveis de pressão na tela, sendo que isso pode resultar em diversas ações distintas.
O Force Touch também já pode ser visto no Macbook e você pode conferir aqui como isso funciona com mais detalhes. Nos iPhones, a tecnologia deve permitir que os consumidores tenham acesso a uma série de comandos mais completos do que nos outros dispositivos — pois os smartphones podem usar o sistema tanto nos comandos básicos quanto nos aplicativos.

Tela
Nas versões principais — iPhone 6S e 6S Plus — do smartphone, é bem pouco provável que haja alguma mudança em resolução e tamanhos de tela. Mas existem alguns rumores surgindo acerca do material utilizado para a construção das telas. Há quem ainda aposte nos materiais de cristal Sapphire, mas poucos especialistas acreditam que a Apple volte a falar nessas telas para smartphones — lembrando que alguns modelos do Apple Watch utilizam esse material.
Agora, o que deve acontecer com a nova versão do iPhone é a instalação do sistema mais recente da Corning, o Project Phire. A fabricante promete que isso traz a mesma proteção dos cristais Sapphire, mas com um custo de fabricação mais baixo e muito mais facilidade na manufatura.

Melhorias na câmera
Desde a chegada da primeira versão dos iPhones, a Apple é reconhecida por produzir smartphones com câmeras de alta qualidade. Não há uma edição dos dispositivos que não tenha sido citada entre os melhores “câmera-phones” dos anos em que foram lançados e isso deve acontecer novamente em 2015, assim que os iPhones 6S e 6S Plus forem anunciados oficialmente.
Isso exige melhorias a cada versão. Por causa disso, são grandes as chances de que o sensor dos novos iPhones seja um pouco melhor do que o visto anteriormente. Estima-se que a Apple apresente a câmera do novo iPhone com 12 megapixels (em vez dos 8 atuais), mas ainda não se sabe o que mais haveria de mudanças nos recursos de captura.
 
 
 Evento de lançamento do iPhone 6S e de novos iPads já teria data marcada
De acordo com um vazamento vindo do BuzzFeed, a Apple já tem uma data marcada para seu evento de lançamento dos novos iPhones: 9 de setembro de 2015. Espera-se que a companhia lance pelo menos o iPhone 6S e o 6S Plus, mas o rumor ainda especula sobre a presença de novos modelos dos iPads no mesmo evento.
Essa estratégia seria um tanto diferente para a Maçã, que tradicionalmente traz novos smartphones em setembro e novos tablets em outubro. Ou seja, sempre em datas diferentes. Ainda assim, essa não seria a única novidade para o tal evento: a marca deve também apresentar a nova versão da Apple TV, produto que está estagnado na mesma geração há três anos.
Juntamente com isso, a companhia ainda apresentaria o seu serviço de TV por assinatura via internet. Basicamente, essa seria uma forma de driblar as operadoras de TV por cabo e satélite e entregar conteúdo ao vivo para os clientes diretamente pela web.

iPad grandão?
Ainda não há informações concretas sobre o hardware dos novos smartphones, tablets nem sobre o aparelho de streaming, mas alguns rumores especulam sobre uma novidade na tela dos iPads. Neste ano, a Apple poderia finalmente lançar seu iPad Pro, com tela de 12’’, mas os vazadores do BuzzFeed não acreditam muito nisso.
Sobre os iPhones, como neste ano a Apple deve apresentar aparelhos da linha “S”, o hardware e a aparência deles não devem mudar muito. O que a marca pode trazer é algum recurso interessante para atrair novos compradores, como o Force Touch.
Essa data de 9 de setembro parece ser o dia mais provável que está em consideração na Apple, mas há a possibilidade de o evento acontecer em qualquer outro dia da mesma semana. No ano passado, os iPhones 6 e 6 Plus apareceram no mercado exatamente nesta data.
 
 
 Sony Xperia Z4 vs iPhone da Apple 6
A Sony lançou oficialmente o seu mais recente smartphone da capitânia, o Xperia Z4 ontem, no que era um anúncio muito tranquila e under-the-radar.
À primeira vista, parece muito semelhante ao seu antecessor, o Xperia Z3, mas como ele se compara a outros telefones no mercado? Mais especificamente, como ele se compara ao da Apple iPhone 6?
Vamos dar uma olhada mais de perto.

Projeto
Tendo acabado de dizer que o Xperia Z4 parecido com o Z3 à primeira vista, esta ainda permanece após uma inspeção mais próxima do smartphone. Os dois telefones são praticamente idênticos, com a Sony continuando o tema de um olhar mais quadrada quando comparado com o iphone 6.
Medindo 146 x 72 x 6,9 milímetros, o Z4 é ligeiramente mais alto e mais largo que o iPhone 6, que vem em 138,1 x 67 x 6,9 milímetros. Smartphone da Sony também é significativamente mais pesado, pesando 15g mais do que o aparelho da Apple.
Este aumento de tamanho e peso provavelmente não vai ser maciçamente perceptível para quem gosta de um grande telefone, mas pode demorar um pouco para se acostumar para alguém mais familiarizado com telefones menores.

Exibição
O Xperia Z4 limpa o chão com o iPhone 6 na frente da tela, embalagem um 5,2 polegadas tela de pixels 1920 x 1080 em comparação com da Apple de 4,7 polegadas esforço 1344 x 750.
A densidade de pixels 424ppi também é maior do que a do significado iPhone (326ppi), apesar dos esforços da Apple para fornecer saturação de cores de alta qualidade, parece que a Sony saiu por cima.

Câmera
Novamente, as especificações mostram que a Sony está bem à frente da Apple em termos de câmeras, com o Z4 caracteriza uma poderosa câmera traseira de 20,7 megapixels e câmera frontal de 5.1 megapixels, em comparação com 8 megapixels e 1,2 megapixel esforços do iPhone.
Dito isto, a Apple faz para essa lacuna de outras maneiras. Sua tecnologia iSight na câmera traseira do iPhone 6 proporciona maior desempenho e consistência que permite a Apple para fora tirar muitas outras câmeras no mercado.
Nós não tivemos a chance de testar completamente as duas câmeras em bairros próximos ainda, mas este poderia ser um jogo muito mais perto do que parece à primeira vista.

Sob o capô
Internamente, o Xperia Z4 possui um processador Qualcomm Snapdragon 810, a execução de um quad-core Cortex-A53 CPU clock de 1.5GHz e um quad-core Cortex-A57 CPU com clock de 1.4GHz.
Apesar de este ser o chip mais recente Qualcomm, usado pelos gostos de HTC One em seu Smartphone M9, calor excessivo é conhecido por ser um problema, por isso poderia ser um ponto de discórdia para o Z4.
Em comparação, o iPhone 6 executa um processador dual-core da Apple A8 com clock de 1.4GHz, significativamente menor do que o Z4.
Em termos de memória, a Sony tem embalado 3GB de RAM para o Z4 e uma base de 32 GB de armazenamento interno, em comparação com 1GB de RAM e 16GB de armazenamento da base da Apple. O iPhone 6, no entanto, incluem um modelo de 128GB em sua faixa, enquanto você precisará de um cartão microSD para alcançar este nível no Z4.

Veredito
A minha primeira reacção quando vi as especificações desses dois telefones foi que o Xperia Z4 leva a coroa. As câmeras são significativamente mais forte em termos de megapixels e seu processador octa-core é muito mais poderoso, tornando este parecer uma vitória confortável.
Na minha opinião, as categorias de concepção, de tamanho e peso são mais atraentes no iPhone 6, mas 2930 mAh do Z4 faz trunfo que a do iPhone 6 (1,810mAh), que é um fator importante.Além disso, o Xperia Z4 continua a ser à prova de água com certificação IP68, então eu acho que não sair por cima no final.
 
 
 A batalha dos lançamentos do note 5 e iphone 6s plus
Data de lançamento
Todas as indicações são de que a Samsung vai lançar o Galaxy Note 1 pouco antes de maio os rumores apontam para 12 de agosto, o que lhe daria quase um mês de antecedência. Para os 6s iPhone Além disso não há nenhuma confirmação oficial, mas há rumores de que o lançamento será em setembro . Tudo o que eu tenho dito para iOS da Apple em setembro e provavelmente virá no outono, como em outras ocasiões, os 6s iPhone Além disso acompanhar a apresentação oficial do novo sistema operacional móvel da empresa californiana.
Modelos semana passada AT & T e da Verizon Galaxy Nota 5 foram confirmados, o que sugere que a chegada do dispositivo pode ser iminente. No começo havia uma conversa de 21 de Agosto, mas os últimos rumores sugerem que mesmo poderia antes.

Tamanho e resolução de tela
O Samsung Galaxy Note 5 é suposto que possuem uma tela de 5,7 polegadas e resolução de Quad HD (2560 x 1440). Por seu lado, a Apple não vai fazer grandes mudanças nas dimensões do 6s iPhone Além disso , mantendo os 5,5 polegadas e usando um display Retina HD para reprodução de maior qualidade de conteúdo de vídeo.

Características Únicas
Se prestarmos atenção aos rumores, tanto o iPhone Nota Samsung Galaxy 5 e 6s o Plus vêm com duas funções originais relacionados ao controle e interação. Ele vem no caso da nota 5 S-Pen caneta escrito à mão livre e desenhar na tela. Por seu lado, a Apple vai introduzir a tecnologia de toque Força já sabemos do MacBook e do relógio inteligente da Apple Assista .
Graças a  Força de toque do dispositivo pode detectar diferentes níveis de pressão exercida sobre a tela, permitindo que um novo conjunto de comandos e funções de controle, dependendo do aplicativo ou ferramenta que você precisa para usar.

Melhorias Camera iPhone 6s Além disso,
Enquanto rumores sugerem que o Samsung Galaxy Note terá um sensor de 16 megapixels principal e uma de 5 megapixels secundário, como fizera na Nota 4, iPhone Mais de 6s falando de melhorias significativas, aumentando 1,2-5 megapixels na parte frontal (para melhorar a qualidade de selfies) e um sensor de 12 megapixels principal ea capacidade de fotografar em qualidade 4K.

Mais poder
O poder de processamento de ambos os dispositivos estarão entre as mais altas da grande final. Dois dispositivos projetados para usuários exigentes e pode cumprir as tarefas diárias sem problemas de velocidade ou falhas.
Além disso 6s iPhone terá uma maior autonomia , a bateria mais extenso e um novo processador Qualcomm para dobrar a velocidade de conectividade LTE. No caso da Samsung, a nota 5 vai usar o novo processador Exynos 7422 com 4 GB de RAM. A este respeito, o iPhone 6s Além disso permanecerá em apenas 2 GB se os rumores acabam por ser bem sucedido.

Modelos premium
Samsung finalmente acabou tomando uma direção similar ao de design da Apple, plástico abandonando seus dispositivos para começar a usar materiais Premium. No caso de 6s para iPhone Mais de grandes mudanças são esperadas , será sim uma revisão interna que oferece a Apple estendendo processamento tecnologias de potência e de dispositivo.
Samsung, por outro lado, passou a copiar alguns elementos básicos do projeto da Apple: bateria não-removível, remover slots de memória microSD e uso de materiais na habitação premium.

Opções de armazenamento
Opções de memória Storage Plus para iPhone 6s ainda não foram confirmados , mas sabemos que nenhum dos dois dispositivos terão slot para cartão microSD. Rumores indicam que a memória no caso de o novo iPhone para iPhone 6s e 6s Além disso, poderia deixar o modelo de 16GB para usar 32 GB , enquanto continua com modelos de 64 GB e 128 GB de memória, enquanto em Para Samsung Galaxy Note podem ser modelos com 32, 64 e 128 GB.

Novas opções de cores
Além disso 6s iPhone vêm em cinza espaço, prata, ouro e, possivelmente, um novo e exclusivo versão em ouro rosa . Por seu lado, a Samsung vai incluir quatro cores para nota 5 acordo com rumores: branco, preto, prata e verde.

OS
A grande luta, além do design e poder, é na seção do sistema operacional. The Apple iPhone Além disso 6s vêm com o lançamento da nova plataforma iOS em setembro , atualmente disponível em versão beta, enquanto que no caso do Samsung Galaxy Note maio haverá nenhuma notícia, basta executar a versão Android 5.1.1 Lollipop.
 
 
 iPhone 6s vs Samsung Galaxy S6: O que sabemos até agora
Julho foi um mês movimentado para o iPhone rumores 6s eo Samsung Galaxy S6. Com uma versão para iPhone 6s supostamente se aproximando , queremos dar uma olhada em algumas das principais coisas que os compradores precisam saber como nós fazemos o nosso caminho para o mês de agosto.
Em fevereiro Samsung emitiu sua resposta às 6 iPhone e dispositivos Android superior vôo com o lançamento do Samsung Galaxy S6 e S6 Galaxy Borda. As duas iniciativas emblemáticas surgiu na MWC 2015, com uma tonelada de poder de fogo e que recebeu excelentes críticas em cima de sua liberação em abril .
Galaxy Samsung S6 e S6 Galaxy Borda foram duelo do iPhone e iPhone 6 6 Plus durante vários meses agora, porém, parece que eles estão indo para ver o aumento da concorrência da Apple e seu icônico do smartphone.
O iPhone 6s não está confirmada, mas graças a uma avalanche de vazamentos e rumores , é claro que a Apple está planejando um lançamento do iPhone 2015 para substituir modelos do ano passado.
No mês passado, vimos uma série de iPhone 6s rumores delinear potenciais especificações e detalhes de data de lançamento. Estes detalhes, e outros, vai ser extremamente importante para aqueles que estão procurando em uma marca novo smartphone nos próximos dias e semanas.
Nós também vimos uma série de Galaxy S6 detalhes relacionados surgir em julho . E com aqueles e os rumores iPhone 6s em mente, queremos dar uma olhada em como estes dispositivos estão comparando agora. Isso inclui uma olhada especificações, mas ele também dá uma olhada em algumas das coisas que não estiveram no centro das atenções.
Aqui está o que você precisa saber sobre o iPhone 6s vs. Galaxy S6 à medida que avançamos em agosto.

Data de lançamento do iPhone 6s
Se você está tentando decidir entre comprar o Galaxy S6 ou à espera para o iPhone 6s para chegar, sei que você provavelmente só tem poucas semanas antes de você vai ser capaz de comparar os dois.
A Apple não tem meios para fora convida portanto, não tem um iPhone 6s confirmada data de lançamento. O que temos, porém, é confirmada 9 iOS da Apple data de lançamento (queda), o fim do ano fiscal da Apple (28 de setembro), e um recente anúncio da T-Mobile. Temos também vários rumores que apontam para o início da produção do iPhone 6s.
No mês passado, vimos uma série de rumores sugerem a início da produção do iPhone 6s  à frente da data de lançamento do dispositivo. Parceiros de fabricação da Apple são esperados para pegar o ritmo em agosto, um sinal de que uma liberação provavelmente virá no próximo mês.
No final de julho, T-Mobile começou a oferecer um acordo que permite aos consumidores para comprar o iPhone 6 ou iPhone 6 Plus agora e depois mudar para os novos modelos antes do final do ano. O programa tem duração até 08 de setembro, o que significa que há uma boa chance de o lançamento do iPhone 6s não virá antes disso.
A Apple normalmente libera seus iPhones antes do final de seu ano fiscal. O exercício social da empresa termina em 28 de setembro, o que significa que uma versão para iPhone 6s é provável que ocorra antes disso. E com uma data de lançamento iOS 9 confirmado para a queda (queda começa em 23 de setembro), está olhando como liberação da Apple para iPhone 6s será semelhante ao iPhone 6 lançamento do ano passado.
Nada está escrito em pedra, mas todos os sinais estão apontando para setembro e potenciais Galaxy S6 / iPhone 6s compradores vai querer preparar como se o iPhone 6s será antes do final do próximo mês.

iPhone 6s vs. Galaxy S6 Especificações
O Samsung Galaxy S6 é um carro-chefe a partir de 2015 e, portanto, ele vem com algumas especificações de alta potência , incluindo um ecrã Quad HD resolução, câmera de 16MP excelente, e um processador octa-core Exynos 7 que ajuda a oferecer jogos de alta performance, multitarefa e mais .
O iPhone 6s é uma flagship rumores a partir de 2015 e, assim, é rumores de ter algumas especificações de alta potência , incluindo dois de exibição tamanhos Retina, uma nova câmera de 12MP na parte traseira, câmera de 5MP na frente, e um novo processador A9 que pode vir equipado com um chip Qualcomm que ajuda a fornecer dados LTE mais rápido .
Aqui está um resumo das especificações a bordo do Galaxy S6 e 6s iPhone rumores. Principais diferenças incluem resolução de tela, Force Toque exibição tecnologia, e armazenamento:

Galaxy S6
5.1-inch monitor Quad HD - 2560 x 1440 pixels de resolução a 577 PPI.
5.1 polegadas Galaxy variante S6 Borda com visor curvo
16MP câmera traseira de 5MP câmera / de frente
Exynos 7420 processador octa-core
3GB de RAM
32GB / 64GB / 128GB de armazenamento interno
Android 5.1.1 Lollipop

iPhone 6s (rumores)
4,7 polegadas Retina Display (iPhone 6s)
5,5 polegadas Retina Display (iPhone 6s Plus)
Força toque exibe
Processador A9 com o chip Qualcomm (LTE mais rápido, melhor bateria)
2 GB de RAM
12MP câmera traseira / câmera de 5MP FaceTime
Armazenamento de 16 / 32GB / 64GB / 128GB
iOS 9
A maioria dos analistas acredita que Força toque de tecnologia de exibição do Apple, o novo processador e bata na RAM, e as melhorias para a câmera do iPhone serão os três maiores mudanças no iPhone e iPhone 6s 6s Plus.

Design diferenças e semelhanças
O Samsung Galaxy S6 e S6 Galaxy Borda chegou com uma nova linguagem de design da marca, que oferece uma taça de volta e bordas de metal. É um fator de forma de prémio que claramente foi inspirado pelo que a Apple fez com o iPhone projeto ao longo dos anos. Mudança da Samsung veio com algumas desvantagens embora.
O projeto Galaxy S6 não dispõem de uma bateria substituível e vem sem um slot para cartão microSD que significa que você está preso com o armazenamento interno ea nuvem. O Galaxy S6, no entanto, vêm com um sensor de impressão digital baseada em toque que é muito melhor do que os sensores no Galaxy Note 4 e Galaxy S5.
IPhone deste ano provavelmente não será o iPhone 7 , como é não deverá entrar com um completo no redesign . Em vez disso, o iPhone 6s é esperado para manter um projeto que é semelhante aos fatores de forma all-metal do iPhone 6 e iPhone 6 Plus.
Isto também significa que o iPhone 6s, como o Galaxy S6, provavelmente não virá com uma bateria removível ou armazenamento expansível. Há também uma boa chance de ele contará com o bem-conhecido sensor de impressão digital touch ID da empresa embutido no botão home.
O que isto significa é que você pode entrar em uma loja agora e obter hands-on com o Galaxy S6 e iPhone 6 / iPhone 6 Plus. Familiarize-se com a forma como eles se sentem em sua mão e em seu bolso. Se você fizer isso, você provavelmente tem uma boa idéia sobre como o iPhone 6s projeto irá comparar com o Galaxy S6.

Alterações à maneira que você Comprar
Agora, para alguns outros menores, mas importantes detalhes sobre o iPhone 6s vs. Galaxy S6 confronto.
Primeiro, você vai querer saber que as transportadoras estão preparando para a queda com algumas alterações à forma como você vai comprar o iPhone ou Galaxy 6s S6.
AT & T recentemente batido o preço da sua taxa de ativação em um contrato de dois anos até 45 dólares e promulgou uma nova taxa AT & T próxima atualização de US $ 15 . Ambos afetam o Galaxy S6 e quaisquer iPhones potenciais que o planejamento da Apple para lançar ainda este ano.
Uma fonte confiável disse recentemente Gotta Be Móvel que a morte de contratos de dois anos a Verizon está próximo. Estamos informados de que o interruptor da Verizon da Verizon Borda para planos de pagamento de dispositivo é o precursor para a próxima mudança. Nosso palpite é que a Verizon vai fazer isso antes do iPhone 6s chega. Nós não temos sido capazes de confirmar que embora.

Mais barato Galaxy S6
Com os novos telefones Galaxy e iPhones no caminho, Samsung viu-lo apto para cortar o preço do Galaxy S6 e S6 Galaxy Borda  que significa que eles vão certamente ser mais barato do que o iPhone 6s em alguns lugares.
Nós ainda não temos um 6s confirmados iPhone ou 6s para iPhone Mais de preço, mas a Apple está preso a um ponto de partida $ 199,99 preço para seu carro-chefe por isso não estamos à espera de nada mais ou menos do que isso neste momento.
Procure mais promoções Galaxy S6 a surgir em agosto e setembro como transportadores e varejistas reagir aos vários lançamentos que ocorrem neste outono.
O Samsung Galaxy Note e Galaxy 5 S6 Borda + são esperados em 13 de agosto.
 
 
 O iPhone 6 Plus, com case impermeável, sobrevive meses no mar
Uma coisa engraçada sobre viagens nas quais você experimenta algumas coisas novas é que nada é previsível e tudo (nem sempre coisas boa) pode acontecer. O usuário do imgur "ehtnaerokyug" divulgou um relato bem interessante no dia 29, dizendo que, ao praticar kayak, acabou deixando o seu iPhone 6 Plus cair no mar. No entanto, antes da viagem, ele tinha comprado uma case na Amazon da empresa Kobert Internacional, esta que protege o iPhone e é impermeável.
"Bem, infelizmente, eu caí na água (risos) e eu estava em pânico porque eu pensei que ia morrer ainda que estivesse usando colete salva-vidas, mas foi porque meu pé ficou preso em algas."
Ainda que pareça dramático, o rapaz realmente ficou apavorado com a situação e perdeu o seu iPhone sem perceber – o aparelho estava preso em seu pescoço. "Eu fiquei realmente triste naquela hora [que percebeu que estava sem o seu iPhone]", disse ele. Um dos trabalhadores do local que aluga os barcos também voltou para o mar para tentar encontrar o telefone, mas não teve muita sorte. "Eu então coloquei o meu telefone no modo perdido e deixei meu número e o de amigos para quem encontrasse ele". Depois de uma semana de espera, ele desistiu e se contentou que o seu iPhone havia sido "engolido" pelo mar.
Já no dia 8 de maio deste ano, ele recebeu uma notificação de que o iPhone estava ligado e havia sido rastreado. Sorte pura. Então, ele marcou um encontro com o outro rapaz que havia encontrado o aparelho para pegá-lo de volta.
"Quando cheguei ao local marcado, o iPhone estava no mesmo saco que eu tinha comprado na Amazon!" A pessoa que encontrou o aparelho havia ido praticar mergulho e viu o aparelho perto de uma rocha, ainda na bolsa. Claro, o rapaz que teve o seu aparelho resgatado ficou imensamente feliz por tê-lo novamente.
Como o iPhone não foi molhado nem um pouquinho, continuou em perfeito estado. Talvez ele não tivesse tanta sorte assim se a bolsa estivesse sido rasgada ou algo do tipo, mas este relato entra para mais uma daquelas listas de coisas incríveis e inusitadas que se acontecem na vida.
Há pouco tempo, publicamos um relato semelhante onde um iPhone 5C também foi submerso na mesma situação e foi resgatado pelo proprietário após ficar 152 dias no mar.
Como já aconteceu com estes dois rapazes, não queria esperar para que o mesmo aconteça com você e compre também uma dessas cases se for fazer alguma viagem e decidir entrar no mar com o seu celular. Nunca se sabe.
 
 
 o grande iphone 6 plus e o sony xperia z3+
Antes um ponto fraco para a Apple, o tamanho do display do iPhone hoje é seu diferencial, quando se trata do iPhone 6 Plus, phablet de 5,5 polegadas da marca, maior que o último Sony Xperia Z3+, conforme indicado em comparação no site Comparar Celular, que detalhou também as especificações das duas telas. Clique aqui para ler a matéria completa com a comparação dos dois celulares.

FICHA TÉCNICA DO IPHONE 6 PLUS
Fabricante: Apple Inc.;
Categoria: phablet high-end;
Série: oitava geração;
Antecessor: iPhone 5S (lançado no Brasil em 22 de novembro de 2013)
Anúncio oficial no Brasil: 14 de novembro de 2014;
Anúncio oficial no exterior: 17 de setembro de 2014 (EUA, Austrália, Canadá, China, França, Alemanha, Japão, Cingapura, Reino Unido e Hong Kong);
Slogan: "Bigger than bigger" ("maior do que maior", em tradução livre);
Sistema Operacional: Apple A8;
Operadoras: Claro, Oi, Tim e Vivo;
Preço no Brasil: R$ 3.499,00;
Preço no exterior: US$ 814,99 (cerca de R$ 2.485,00).

DADOS GERAIS DO SONY XPERIA Z3+
Fabricante: Sony Mobile Communications
Anúncio oficial no exterior: quebrando todas as expectativas de um possível lançamento em setembro, o aparelho foi lançado restritamente para o Japão, no último dia 20 de abril;
Anúncio oficial no Brasil: até o momento, não há nenhuma previsão de lançamento, nem mesmo se o modelo assumirá o nome de Xperia Z3+ ou Xperia Z4;
Sistema Operacional: Android 5.0 Lollipop;
Preço no Brasil: caso assuma o preço de seu antecessor, pode sair na faixa de 2.099 reais, na versão de 16 gigabytes;
Preço no exterior: estimativa de 499 dólares, na versão de 16 gigabytes;
Antecessor: Sony Xperia Z3, 3ª geração da linha Xperia Z;
Anúncio do antecessor: 4 de setembro de 2014.
Possíveis variantes: Sony Xperia Z4 Ultra e Sony Xperia Z4 Compact.
 
 
 Capa traseira de suposto iPhone 6s Plus exibe pequenas mudanças em sua estrutura
A Apple deve anunciar no início de setembro o iPhone 6s e sua versão Plus, renovando assim a sua linha de smartphones com novas tecnologias presentes no mercado. De uns tempos pra cá, os rumores acerca destes dispositivos se tornaram cada vez mais frequentes, o que é normal se considerarmos que estamos a poucas semanas de seu lançamento.
Agora, uma galeria de imagens foi divulgada demonstrando o que seria a capa traseira do iPhone 6s Plus, indicando assim que teremos algumas mudanças em sua estrutura com relação ao que é visto no atual iPhone 6 Plus. Algo que pode ser notado logo de cara é o aumento no tamanho do espaço reservado para o alto-falante do dispositivo, o que significa que poderemos ter uma grande melhoria neste quesito.
Além disso, o responsável pelo vazamento afirmou que o material com o qual a parte traseira do aparelho é construído é muito mais resistente do que tínhamos no modelo anterior, sendo pouco provável que ele passe pelo mesmo problema de envergamento que tivemos no iPhone 6 Plus. Isto vai de encontro a um rumor recente de que os novos produtos da Apple serão construídos em alumínio da série 7000, sendo este o mesmo composto utilizado em equipamentos voltados para atividades físicas de alto desempenho como bicicletas de corrida.
Com o que é visto nas imagens, entretanto, não é possível esperarmos grandes mudanças em termos de design, pois todos os elementos externos vistos são posicionados exatamente da mesma forma como temos atualmente, o que inclui a câmera, o flash dual-LED, e as portas localizadas em sua lateral inferior. Assim como tivemos nos recentes MacBooks, contudo, é especulada a presença de uma porta USB Type-C ao invés da conexão Lightning utilizada já há algum tempo.
Como nada foi confirmado pela Apple até o momento, não é possível atestarmos a veracidade de nenhuma das imagens disponibilizadas, sendo necessário aguardarmos que a própria companhia decida se pronunciar sobre o assunto para que possamos saber quais serão as reais características do novo phablet de Cupertino. Entretanto, dificilmente temos uma mudança realmente notável na geração "s" do iPhone, o que dá uma chance maior destas fotos serem bem próximas do que veremos em breve.
O iPhone 6s Plus deve ser anunciado junto à sua versão menor no próximo dia 11 de setembro, ganhando uma novíssima cor ouro rosé em adicional aos tradicionais modelos em branco, dourado, e cinza espacial, e sendo vendido já na semana seguinte em vários locais do mundo
 
 
 Veja aqui comparação dos displays do iPhone 6 e iPhone 6S
O anúncio do iPhone 6S só deve ocorrer em 9 de setembro, porém as informações sobre o novo smartphone da Apple não param de pipocar na internet. O site MacManiak publicou recentemente um vídeo (que você pode conferir no topo do texto) comparando o iPhone 6 com o iPhone 6S e trazendo mais detalhes sobre a tela e os componentes do dispositivo.  
As diferenças são bem sutis, já que só o posicionamento das partes internas que foi modificado – aparentemente, tudo o que vemos na carcaça do iPhone 6 será mantido. Essas diferenças supostamente ocorrerão para acomodar o uso do Force Touch (utilizado também no Apple Watch) e, por isso, o cabo flex (responsável por conectar o componente com o restante das peças) teve que ser reposicionado.
Em vez de dois conectores verticais, também encontramos aqui um horizontal e vertical – como você pode conferir nas fotos abaixo. Quanto às especificações, é esperado um chipset Apple A9 mais rápido, 2 GB de RAM e uma câmera traseira de 12 megapixels. Seja como for, somente com o anúncio oficial da Apple poderemos ter 100% de certeza sobre essas especificações.
Veja o video no link a seguir:
https://www.youtube.com/watch?v=GdAGoCGRqUk&feature=youtu.be
 
 
 Segundo blog chinês, iPhones 6S e 6S Plus realmente serão mais espessos
Informações do iPhone 6S e 6S Plus não param de pipocar em vários sites estrangeiros nos últimos dias, e hoje temos mais alguns detalhes do futuro aparelho da Apple. Já sabemos que o iPhone 6S possui 7.1 milímetros de espessura em vez dos 6.9 milímetros do iPhone 6; um leve aumento de tamanho que deve ter ocorrido devido ao acréscimo do recurso Force Touch. O mesmo ocorre no iPhone 6S Plus, que foi de 7.1 milímetros para 7.3 milímetros.
O Force Touch (como já mencionamos aqui no TecMundo) é capaz de identificar a quantidade de força que você faz sobre o visor para realizar diferentes tipos de comandos, algo já visto no Apple Watch. Com exceção do aspecto mencionado, as demais dimensões dos novos dispositivos continuarão iguais às do iPhone 6 e 6 Plus (inclusive, ainda teremos a câmera traseira protuberante no aparelho). Não existem mudanças visuais.
De acordo com um blog chinês, podemos ver algumas supostas imagens do iPhone 6S (veja a galeria logo abaixo). A fonte diz que essas imagens foram obtidas através de funcionários antigos da Foxconn – onde os dispositivos foram construídos. Você também pode visualizar fotos de demais componentes dos smartphones, como o botão Home que está com contornos dourados.
 
 
 Comparativo do G Flex 2 vs iPhone 6 Plus
O iPhone 6 Plus é o maior e mais parrudo smartphone que a Apple tem no mercado nacional, até mesmo lá fora. Do outro lado deste comparativo, coloquei o aparelho da LG com o hardware mais potente de todos, que é o G Flex 2 e seu polêmico processador Snapdragon 810. Qual dos dois será o melhor? Vale o investimento extra no iPhone, ou a economia ao levar o Android é realmente positiva?

Design
A Apple adota um corpo totalmente feito em metal, com exceção para a parte frontal de vidro. Esta escolha resulta em um acabamento mais refinado e, infelizmente, um smartphone que é bastante escorregadio nas mãos. O G Flex 2 continua com o plástico em mente, mas a curvatura do corpo do aparelho encaixa melhor na mão, pode regenerar alguns riscos leves e ainda permite até entortar levemente, sem qualquer dano para o dispositivo. Em beleza, o iPhone é o vencedor aqui. Em durabilidade e conforto, o G Flex 2. Empate técnico.

Hardware
Por aqui há uma grande diferença em números, já que a LG escolheu o mais parrudo processador da Qualcomm para o G Flex 2, que é o Snapdragon 810 rodando oito núcleos. São quatro núcleos em 1.5 GHz e outros quatro núcleos em 2 GHz, acompanhado de 2 GB de memória RAM e 16 GB de memória interna, junto de uma GPU Adreno 430. Já o iPhone é mais modesto, entregando um chip A8 com processador dual-core de 1.4 GHz, acompanhado de 1 GB de memória RAM, opções entre 16 GB, 64 GB e 128 GB de memória interna e uma GPU PowerVR GX6450. Esta sopa de letrinhas resulta em um desempenho que não está tão longe um do outro, como sugerem os dados técnicos. O G Flex 2 abriu primeiro o Facebook, Twitter e Instagram em nossos testes. Para jogos, o Real Racing 3 conseguiu abrir mais rápido no iPhone, mas a jogatina foi muito semelhante em ambos os casos - uma taxa de quadros por segundo quase que igual, com os mesmos efeitos e detalhes para os dois lados. Vencedor por aqui: G Flex 2.

Câmera
O G Flex 2 conta com 13 megapixels de câmera traseira, que briga com os 8 megapixels do iPhone 6 Plus. O resultado final das imagens é muito semelhante entre ambos os aparelhos para imagens com boas condições de luz, enquanto em fotos noturnas o G Flex 2 é um pouco superior ao exibir mais detalhes e uma maior quantidade de brilho entrando. Vencedor por aqui: G Flex 2.

Conclusão
O G Flex 2 custa, em média, R$ 1 mil mais barato do que o iPhone 6 Plus e isso já seria uma forma de declarar a vitória para o aparelho da LG. Junto disso, temos uma câmera um pouco superior para o G Flex 2, junto de design que proporciona uma pegada mais confortável e o corpo mais resistente, para fecharmos a vitória do G Flex 2. Por fim, na bateria temos quase que um empate técnico, já que o G Flex 2 entrega 3.000mAh contra 2.915mAh de seu concorrente por aqui, o que resulta em uma autonomia de poucas horas extras já no segundo dia de uso.
 
 
 Produção do iPhone 6s irá atrasar em até duas semanas diz famoso analista
Ming-Chi Kuo, um analista que possui um histórico impressionantemente positivo quando se trata de assuntos da Apple, veio a público mais uma vez pela companhia KGI Securities para falar acerca da produção em massa do iPhone 6s e a variante phablet, iPhone 6s Plus. De acordo com o profissional de mercado que atua no continente asiático, a fabricação das peças e montagem da carcaça dos futuros modelos da gigante de Cupertino irá atrasar em até duas semanas, forçando a tomada de ações visando não atrasar a estreia comercial da próxima dupla a integrar a família de smartphones com a maçã estampada em suas carcaças.
Ainda nas palavras de Ming-Chi Kuo, o atraso obrigou a Apple a cortar notavelmente a taxa de montagens do iPhone 6 e iPhone 6 Plus a favor de seus sucessores, então acredita-se que as duas semanas adicionais não irão afetar no calendário de distribuição pública dos lotes do iPhone 6s e iPhone 6s Plus. As duas corporações industriais responsáveis pela manufatura do par com iOS são a Foxconn e a Pegatrox, sendo que a primeira, presente de modo massivo em terras taiwanesas e chinesas, está em cargo de 60% dos processos inclusos na preparação dos exemplares dos aparelhos, mantendo seu cargo de fornecedora e sócia mais rentável da Maçã.
Em termos técnicos, espera-se que o iPhone 6s e sua variante de dimensões avantajadas tenham a mesma aparência encontrada nos dispositivos atuais da Apple, portando apenas mudanças internas, como a implementação do chipset A9, trazendo um processador de litrografia mais eficiente e uma placa gráfica mais poderosa na reprodução de recursos tridimensionais, 2 GB de RAM, câmera de 12 megapixels e a tecnologia Force Touch, que já está presente no smartwatch da marca e no novíssimo Macbook, permitindo a diferenciação de pressões na superfície da tela, adicionado mais funções ao iOS.
Reza a lenda que a Apple reunirá sua melhor equipe de palestrantes em um evento marcado para 11 de setembro a fim de apresentar suas novidades mais recentes aos seus fãs. E, tão impressionante quanto nos anos passados, tanto o iPhone 6s quanto o iPhone 6s Plus já devem ser disponibilizados um dia depois da cerimônia, portanto sendo encontrados na loja virtual e estabelecimentos físicos da Maçã a partir de 12 de setembro. Se tudo ocorrer como o planejado, os preços praticados pelos celulares remodelados serão os mesmos cobrados pelas versões de 2014. Vamos aguardar ansiosamente pelo próximo mês.
 
 
 Imagem sugere pequenas mudanças no design do iPhone 6s
Desta vez, uma nova imagem publicada por informantes industriais que alegam proximidade aos planos da gigante de Cupertino, é possível analista algumas mudanças sutis que devem acontecer no design do iPhone 6s, revelando a forma dos botões físicos ligeiramente mais arredondados e integrados em comparação aos mesmos componentes presentes em seus antecessores, iPhone 6 e a variante phablet iPhone 6 Plus, que trazem duas partes separadas.
Naturalmente, os entusiastas da Maçã ou simplesmente entendedores de tecnologia já não esperavam por alterações bruscas na aparência do novo dispositivo da companhia dos Estados Unidos. A razão disto está na próxima linha que a Apple irá atualizar, ‘iPhone s’, que geralmente chega às prateleiras apenas com novos componentes internos. Sendo assim, imagine o exato mesmo visual encontrado no iPhone 6, porém com mais ‘poder de fogo’ encontrado em sua lista de especificações técnicas, cujo resultado é destinado a quem já é um adepto ao gadget da marca estadunidense, mas quer desfrutar de uma fluidez aprimorada.
As mudanças internas incluem a adição de mais memória volátil, responsável por armazenar os dados temporários de aplicativos, saltando para 2 GB de RAM, a troca do chipset que funciona como ‘cérebro digital’ do eletrônico, ganhando um processador com clock superior, placa gráfica mais potente e arquitetura com menos nanômetros, isso tudo integrado no módulo A9. Finalizando, especula-se que a Maça implemente sua tecnologia própria de diferenciação de toques e níveis de pressão na tela, Force Touch, que já se encontra no Apple Watch e nos Macbooks mais recentes, oferecendo funções adicionais de interação com a interface iOS.
Todas as alterações devem ser compactadas em uma carcaça mais espessa e resistente do que a anterior, servindo como prevenção a acidentes como o #BendGate, polêmica criada na época de lançamento dos modelos atuais de iPhone quando algumas unidades sofreram variações em seu ângulo, sendo entortados com ‘facilidade’. Sabendo disto, Apple deve lançar o iPhone 6s e iPhone 6s Plus para, além de promover uma rapidez avantajada, corrigir os infortúnios vividos pela geração de 2014.
 
 
 Novas imagens exibem suposto iPhone 6s em linha de produção
A Apple irá apresentar sua nova geração de iPhones em setembro, cumprindo assim o cronograma que temos visto ano após ano na empresa. Até o momento, foram coletadas algumas informações importantes sobre o aparelho, como um grande upgrade em sua câmera principal que agora será capaz de filmar em 4K e algumas novas funções como o Force Touch, que deve acarretar em um aparelho levemente mais grosso que seus antecessores.
Recentemente, vimos o vazamento de imagens que seriam da parte traseira do iPhone 6s, demostrando que o dispositivo deve contar com pouquíssimas mudanças em sua estrutura e design, contando apenas com algumas melhorias em pontos criticados do atual iPhone 6. Agora, chegou a vez do pessoal do nowhereelse.fr liberarem algumas fotos da suposta linha de produção do novo smartphone da Maçã, permitindo assim que vejamos um pouco de seu painel frontal.
De acordo com as imagens, não é possível notarmos nenhuma diferença com relação ao atual dispositivo da Apple, sendo basicamente o mesmo componente visto nos modelos anunciados no último ano. Ainda assim, vale destacar que não foram revelados detalhes sobre o material com que as peças foram fabricadas, sendo esperada finalmente a troca do Gorilla Glass pelo Safira nesta geração.
Como não tivemos qualquer confirmação por parte da Apple sobre a veracidade das imagens divulgadas, não podemos acreditar que elas foram de fato capturadas nas linhas de produção do novo smartphone da empresa, restando aguardarmos que algo mais concreto seja liberado para que possamos saber quais serão as suas reais características. De acordo com o que tivemos até o momento, o novo iPhone 6s deve contar com a mesma tela de 4,7 polegadas , porém com o chipset Apple A9, 2GB de RAM e uma câmera principal de 12MP, com um módulo frontal de 5MP.
 
 
 O iPhone 6S terá pelo menos 32 GB de memória interna
Os iPhones com 16 GB de memória interna podem estar com os dias contados. A partir do iPhone 6S, previsto para chegar às lojas neste ano, a Apple deve adotar a versão de 32 GB como modelo mais básico para seus smartphones. Os rumores sobre o tema não são novos, mas foram reforçados pela imprensa especializada nesta semana.
Vale lembrar que o Galaxy S6 e Galaxy S6 Edge, apresentados na Mobile World Congress 2015, apresentam ao menos 32 GB de espaço interno.
Com cada vez mais necessidade de espaço para fotos, músicas e aplicativos, os 16 GB dos iPhones de hoje passam a parecer pouco. Além disso, a falta de slot para cartões de memória agrava a situação para os compradores de smartphones da Apple. Enquanto isso, aumentar o armazenamento do sucesso do iPhone 6 para ao menos 32 GB é natural.
Ao anunciar o iPhone 6 e iPhone 6 Plus, a Apple revelou modelos com máximo de 128 GB de espaço interno, o dobro do que existia até o iPhone 5S. Curiosamente, o modelo atual do iPhone não oferece 32 GB (ele pula de 16 GB para 64 GB).
O iPhone 6S deve ser apresentado em setembro deste ano, segundo o calendário tradicional da Apple. Também é esperada a renovação do iPhone 6 Plus. A companhia não se manifestou sobre o tema.
 
 
 Lançamento do iphone 6c adiada para 2016
Os sucessores do iPhone 6 têm gerado informações ainda não confirmadas na Internet. As mais recentes divulgadas por sites de tecnologia revelam que a Apple vai lançar dois modelos ainda este ano, o 6S e 6S Plus, que deverão ser apresentados no habitual evento da marca, em setembro.
Já o iPhone 6C (mais pequeno do que os modelos S) não deverá estar disponível em 2015, contrariando informações anteriores que davam conta que a marca iria lançar três smartphones ainda este ano.
O modelo 6C, sucessor do 5C e que deverá ter um tamanho semelhante a este e ao 5S, estava, de acordo com o Business Insider, a ser desenvolvido desde o início de 2015.
As mais recentes informações, avançadas pelo DigiTimes, revelam que existe a possibilidade do iPhone 6C chegar apenas aos consumidores no segundo trimestre de 2016. Assim, fica posto de lado o rumor de que a Apple ia cancelar a produção deste modelo.
 
 
 Apple utilizará liga de alumínio 60% mais forte no iPhone 6S
A Apple deverá utilizar uma nova liga de alumínio super resistente na construção do seu próximo top de linha, provavelmente o iPhone 6S. De acordo com jornal Taiwan Economic Daily, o metal é 60 % mais forte do que o utilizado na geração atual e corresponde a 1/3 da densidade do aço inoxidável.
Denominado de “Série 7000”, o material já foi utilizado no Apple Watch e deve trazer resistência suficiente ao novo iPhone, para evitar o “entortamento” da carcaça. Para ter uma ideia da força deste tipo de metal, ele é largamente utilizado na construção de bicicletas de competição. Outra novidade que o 6S irá herdar do Apple Watch é a tecnologia chamada de Force Touch, que permite ao sensor toque capacitivo identificar toques leves e toques pesados no display.
Além da nova carcaça e sensor de toque, o iPhone 6S pode vir equipado com um novo Retina Display e processador A9 de 64 bits, ambos desenvolvidos pela Samsung. É provável que não ocorram alterações no tamanho da tela, mantendo-se a resolução HD/4,7 polegadas no iPhone 6 e Full HD/5,5 polegadas no iPhone 6 Plus.
É quase certo que a Apple mantenha sua agenda histórica e apresente os seus novos aparelhos em setembro. Até lá novas informações devem surgir.
 
 
 IPhone 6S pode ter conexão à Internet turbinada sem gastar mais bateria
Os novos modelos de iPhone devem ser anunciados em setembro, mas rumores apontam que tanto o iPhone 6S, como o 6S Plus, virão com novo modem 4G, que permitirá downloads de até 300 mbps. Essa velocidade é o triplo do atual smart da Apple. De acordo com o site 9to5mac, o chip super veloz, desenvolvido pela Qualcomm, ainda reduz o consumo de bateria.
O modem MDM9635M, também conhecido como “Gobi” ou “9X35”, foi apresentado pela Qualcomm em 2013, aparentemente, sendo aproveitado somente este ano. O iPhone 6 e o iPhone 6 Plus, tops de linha atuais da Apple utilizam a geração anterior deste chip, a “9X25”, que atinge velocidades de download de até 100 mbps.
Outra informação trazida pelo site revela que a nova geração “S” deverá ter mesmo um novo par de câmeras digitais. Um documento vazado por um funcionário da Foxconn revela que os sensores terão 5 e 12 megapixels, nas câmeras frontal e traseira, respectivamente. Nos modelos atuais, são 1,2 e 8 megapixels.
Para acomodar as novidades, os novos iPhones devem “engordar” 0,1 mm na versão 6S e 0,3 mm na versão 6S Plus. A fabricante de cases ITSkins, já trabalha nos acessórios para os novos aparelhos e deixou escapar os projetos com as suas medidas. Consolidando os dados vazados até o momento, os modelos S terão um novo processador 64 bits A9, 2 GB de memória RAM e um novo corpo de alumínio super-resistente.
Há ainda o rumor de uma nova cor, a ouro rosé, e do novo sensor de toque inteligente Force Touch, mas até agora nada foi confirmado. A Apple não comenta vazamentos.
 
 
 Câmera de 12 MP do iPhone 6s ainda seria protuberante
Talvez um fator da aparência do iPhone 6 e iPhone 6 Plus tão comentado quanto as listras de proteção à antena na parte posterior da estrutura seja a presença de uma protuberância na área onde o sensor fotográfico está localizado. Piadas foram feitas pelos rivais e houve uma quantidade notável de reclamações partindo de usuários do iOS, porém isso não limitou as vendas da Apple, que bateu todos os recordes possíveis de venda. Desta forma, em seus próximos modelos, a gigante de Cupertino parece não querer mudar o ingrediente que destacou a câmera da estrutura principal, mantendo a parte saltada ao adicionar um componente de 12 megapixels.
Segundo o blog NowhereElse, que sempre está por dentro das situações industriais em solo chinês, as imagens acima foram retiradas de fornecedoras que já estão trabalhando a todo o vapor para entregar os lotes pedidos pela Apple antes da apresentação formal do iPhone 6s e iPhone 6s Plus. As fotografias do sensor fotográfico, que ainda está em fase de produção, revelam que devemos realmente esperar por câmeras que formam relevo na carcaça posterior dos futuros celulares com iOS, mantendo exatamente a mesma aparência de seus antecessores, algo comum em relação à linha 's' da empresa dos Estados Unidos.
De fato, acredita-se que os novos iPhones possuam basicamente a mesma estrutura das versões do ano de 2014, incluindo o tamanho de tela, 4,7 polegadas no smartphone e 5,5 polegadas no phablet. Sabendo disto, devemos aguardar somente por alterações no interior dos produtos, incluindo o salto de 8 megapixels para 12 megapixels na câmera principal, a presença de um chipset aprimorado, cujo processador e placa gráfica rodariam em um clock superior, além de usar menos energia para funcionar, aliando-se a uma bateria com capacidade avantajada em miliamperes a fim de impulsionar a autonomia dos aparelhos renovados.
 
 
 Apple está trabalhando em iPhone 6S na cor rosa
De acordo com as imagens vazadas na última semana e alguns novos rumores, a Apple já estaria trabalhando na nova versão do iPhone. De acordo com fontes que trabalham em fornecedores e parceiros da Apple, o processo de fabricação do iPhone 6S já está em andamento e inclui uma versão rosa do aparelho.
O analista Ming-Chi Kuo da KGI Securities foi o primeiro a relatar que a Apple estava planejando adicionar uma nova opção de cor ao seu smartphone ainda neste ano. Apesar das imagens mostrarem apenas uma carcaça do atual iPhone 6 pintada de rosa, ela mostra como o iPhone 6S nesta cor deverá parecer, visto que o novo modelo deverá ter aparentemente poucas mudanças no design externo, com diferenças apenas nas entradas e saliências do aparelho, bem como o encaixe do hardware dentro da carcaça.
A nova opção de cor oferecerá aos usuários a oportunidade de escolher entre quatro cores diferentes - além da rosa, o iPhone é comercializado nas cores ouro, cinza e prata.
Segundo as fontes, a Apple está planejando enviar para as lojas ao menos 50 milhões de unidades do iPhone 6S no último trimestre do ano, quando as vendas costumam aumentar consideravelmente devido às festas de final de ano. Considerando a fabricação do iPhone 5S, iPhone 6, iPhone 6 Plus e agora o iPhone 6S, a Maçã chegaria a alcançar a marca de 240 milhões de unidades produzidas neste ano, um aumento considerável em relação aos 192 milhões de aparelhos fabricados em 2014.
A chegada do iPhone 6S é prevista para acontecer em setembro e deve trazer algumas modificações consideráveis em relação aos modelos anteriores, como o aumento para 2 GB de RAM, melhoria no sensor da câmera, um processador mais rápido e a tecnologia Force Touch, o que tornaria a experiência do iPhone ainda mais fluída e satisfatória.
 
 
 Apple perde a liderança em vendas de smartphones na China mesmo com o lançamento do iphone 6
A Apple não é mais rainha do mercado de smartphones na China, segundo a empresa de pesquisa Canalys. Para o segundo trimestre do ano, a fabricante local, Xiaomi, se recuperou com uma quota de mercado estimada de 15,9%, roubando o primeiro lugar da Maçã. Em segundo temos a Huawei que apresentou um ótimo resultado no mercado de smartphones em 2015 com um total 15,7% das vendas. A demanda por telefones de ambos os rivais locais da Apple empurrou a empresa para o terceiro lugar, depois de ter sido a protagonista deste setor nos dois últimos trimestres.

No último trimestre de 2014, o iPhone 6 e iPhone 6 Plus ajudaram a Apple a prender o primeiro lugar na China pela primeira vez, de acordo com a Canalys, superando tanto Xiaomi e Huawei. Dado que o preço de venda do iPhone é maior do que o de telefones feitos por fornecedores chineses, Canalys chamou isso de "um resultado surpreendente" naquele momento. A Apple manteve a sua posição dominante na China durante o primeiro trimestre de 2015, segundo a empresa de pesquisas International Data Corporation, com uma quota de 14,7% e os embarques de 14,5 milhões de mercado.

O que há por trás da mudança nas fileiras? O iPhone 6 e iPhone 6 Plus agora estão com 10 meses de idade, e a próxima geração da Apple tende a ser revelada em setembro. A demanda para a formação atual tipicamente tende a diminuir com cada novo trimestre. Sendo o segundo trimestre da Apple (terceiro trimestre fiscal) geralmente o mais fraco. Além disso, o mercado de smartphones chinês tornou-se mais saturado e lento, levando a uma maior consolidação entre os principais fornecedores. Ambos oferecem uma vasta gama de produtos de nível médio com preços mais acessíveis aos consumidores.

"O mercado chinês de smartphones continua a amadurecer, permanecendo estagnado trimestre a trimestre", disse o analista da Canalys, Jingwen Wang, em um comunicado de imprensa. "A competição entre as principais marcas nunca foi tão intensa. Huawei registrou os maiores embarques de smartphones em sua história, sem comprometer a sua margem de produto ou rentabilidade."
Em seu breve comunicado de imprensa, Canalys não especificou a quota de mercado no segundo trimestre da Apple na China. Mas um relatório do Counterpoint Research previu números de participação de mercado de 15,8% para Xiaomi, 15,4% para Huawei e 12,2% para a Apple, de acordo com o TechCrunch. Embarques de smartphones da Apple na China manteve-se forte, de acordo com Counterpoint, apesar da desaceleração sazonal.

China continua a ser um forte mercado para a Apple. Durante o primeiro trimestre do ano, a China passou oficialmente os EUA como maior mercado para o iPhone. Durante o segundo trimestre, as vendas do smartphone da Maçã no país mais que dobrou, de acordo com a Apple. China está no caminho certo para adicionar quase US$ 60 bilhões em vendas para as receitas globais e quase US$ 15 bilhões em receita operacional em 2015, da Apple, disse Counterpoint. No entanto, o CEO da empresa, Tim Cook, reconheceu que a China poderia ver algumas dificuldades de fornecimento por causa de problemas econômicos.

A China é o maior mercado de smartphones do mundo. Mas a demanda por celulares vem caindo. O crescimento do mercado de smartphones do país durante todo 2015 será relativamente plano, previu o IDC China. O país é muitas vezes considerado como um mercado emergente, mas a realidade é que a grande maioria dos telefones vendidos na China são smartphones, semelhante a outros mercados de primeiro mundo como os EUA, Reino Unido, Austrália e Japão.
 
 
 Novidades nas musicas do iphone 6
O Apple Music permite que os usuários acompanhem seus artistas favoritas através do Connect. O recurso já vem habilitado e, por padrão, você já está seguindo os cantores e bandas das músicas da sua biblioteca do iCloud. Confira as dicas sobre como usar o Connect para seguir seus artistas e bandas favoritas.

Configurando o seu perfil
Passo 1. No iOS, abra o novo aplicativo de músicas e toque sobre o botão no canto superior esquerdo da tela. Em seguida, toque sobre o seu nome;
Passo 2. Toque em “Editar”, no canto superior direito da tela. Por fim, entre com um apelido (@nome) e adicione uma foto;
Passo 3. Para configurar o seu perfil no computador, usando o iTunes, clique sobre o seu nome de usuário, à esquerda da barra de buscas. Em seguida, clique sobre o seu nome;
Passo 4. Por fim, edite o seu nome, adicione um apelido e, após fazer os ajustes desejados, clique em “Salvar” ;
Passo 5. No iOS, abra o novo aplicativo de músicas e toque sobre o botão localizado no canto superior esquerdo da tela. Em seguida, toque em “Seguindo”. A lista de artistas que você está seguindo será carregada;
Passo 6. Toque em “Não seguir” para deixar de acompanhar um artista. Caso queira seguir alguma banda ou músico, toque em “Seguir mais artistas e curadores”. Por fim, localize-o e toque em “Seguir”;
Passo 7. No iTunes para computador, o usuário pode usar a busca integrado do aplicativo para localizar um artista ou banda;
Passo 8. Nos resultados da pesquisa, acesse a página do artista ou banda clicando sobre o resultado na seção “Artistas”;
Passo 9. Por fim, clique em “Seguir” para acompanhar os trabalhos do artista;
Passo 10. No iOS, o feed de notícias do Connect pode ser acesso pelo aplicativo de músicas, tocando sobre o botão localizado no canto inferior direito da tela;
Passo 11. Caso esteja no computador, basta abrir o iTunes e clicar em “Connect”, na barra superior da janela.

Pronto! Com essas dicas, você poderá usar o Connect para acompanhar os trabalhos dos seus artistas e bandas preferidas.
 
 
 Como boquear musicas consideradas explicitas no iphone 6
Alguns usuários do Apple Music, serviço de streaming de músicas, se depararam com um problema, no mínimo, inconveniente. Algumas faixas e até mesmo álbuns inteiros estavam desativados. Inicialmente se pensou que eram porque tais faixas não estavam disponíveis no Brasil, mas não é bem por aí.
As faixas ficam marcadas como explícitas e são "puladas" pelo player, que mostra os títulos em cinza. Em rádios e playlists, elas também não aparecem. Álbuns de rap chegam a ficar totalmente bloqueados.
Uma rápida investigação nos dados da faixa, mostra que as músicas que contém "letras vulgares" ou outras palavras de baixo calão são classificadas como “Inadequadas" e marcadas por um "E" vermelho. 
A Apple entende que essas músicas são ofensivas e acha por bem escondê-las dos seus usuários, de forma conservadora. Aprenda a ativar tais faixas e ouça a música que você quiser no PC ou no iPhone.

Passo 1. Acesse o aplicativo “Ajustes” e depois vá em “Geral”. Em seguida, toque em “Restrições”;
Passo 2. Toque em “Ativar Restrições”, se ela já não estiver ativa. Será necessário digitar a sua senha duas vezes;
Passo 3. Vá até a sessão “Conteúdo permitido” e acesse o item “Música e Podcasts”;
Passo 4. Ative a opção “Explicit”. Se ela já estiver ativada, desative e logo em seguida ative novamente;
Passo 5. Volte para a tela anterior e desative as restrições, se assim desejar.

Quem usa o Apple Music pelo computador, seja ele Windows ou Mac, pode se deparar com a mensagem abaixo no iTunes (programa necessário para ouvir o streaming em desktops). Ela também bloqueia música classificadas como "Explicit". Confira como resolver o problema no computador.

Passo 1. Acesse o menu do iTunes, tocando no botão do canto superior esquerdo e depois vá em "Preferências";
Passo 2. Na janela que abrir vá até a opção "Parental";
Passo 3. Nela, desmarque a caixa de seleção que diz "Músicas com conteúdo explicíto".

Pronto, desta forma você poderá resolver o problema de músicas desativadas e ouvir qualquer música.
 
 
 Como melhorar a qualidades da chamada do iphone 6
O iOS conta com uma opção de acessibilidade que permite deixar o som das chamadas telefônicas com menos ruído. O recurso, embora seja destinado a pessoas com necessidades especiais, pode ser usado para melhorar a qualidade das ligações em ambientes com muito barulho. Confira como ativar o "cancelamento de ruído" em seu iPhone.

Passo 1. Acesse as configurações do iOS e toque em “Geral”;
Passo 2. Em seguida, toque em “Acessibilidade”. Por fim, deslize a tela até a seção “Audição” e ative a opção “Cancelamento de Ruído”.

Pronto! Com essa dica simples, a qualidade do som das suas ligações deve melhorar em ambientes com muito ruído.
 
 
 Como receber ligações apenas dos favoritos no iphone 6
Bloquear contatos no iPhone é uma excelente opção para quem não deseja ser incomodado. O que pouca gente sabe é que a ferramenta “Não Perturbe” conta com uma opção que permite receber ligações apenas de contatos favoritos. Para entender a função, veja o nosso passo a passo.

Passo 1. Siga até as configurações do sistema e acesse “Não Perturbe”. Em seguida, entre em “Permitir Ligações de”;
Passo 2. Marque a opção “Favoritos”. Agora, com Não Perturbe ligado, você receberá apenas ligações de seus contatos marcados como favoritos. Para ligar o Não Perturbe é simples. Basta abrir a central de controle do iOS e tocar sobre o ícone de lua.

Pronto. Aproveite a dica e mantenha seu iPhone recebendo ligações apenas de pessoas que você considera importantes.
 
 
 Você realmente sabe usar o seu iphone 6? Confira
Apesar do preço "salgado", o iPhone 6 trouxe recursos que o mantiveram no pódio de melhores smartphones do mercado. Porém, diante de tantas funcionalidades, boa parte das pessoas sequer sabe o que fazer para tirar o máximo de proveito do aparelho e do sistema iOS. Confira uma lista cheia de dicas e truques para deixar o smart da Apple ainda melhor.

1. Crie uma ficha médica para situações de emergência 
O iOS 8 tem uma funcionalidade que pode ser muito útil em casos de emergência. Os usuários que desejarem podem cadastrar uma ficha médica dentro do app Saúde - aplicativo nativo do iPhone 6. Nela é possível informar dados importantes como tipo sanguíneo, ficha médica, contatos para recorrer em casos urgentes e mais. O mais interessante é que esses dados podem ser acessados a qualquer momento, sem precisar desbloquear o iPhone. 

2. Economize bateria deixando a tela do aparelho em preto e branco
O iPhone permite que o usuário customize uma série de opções do aparelho, inclusive a cor da tela. Para deixá-la em preto e branco, entre em "Ajustes" > "Geral" > "Acessibilidade" > "Tons de cinza". Este recurso pode ser um ótimo aliado para economizar a bateria do seu gadget.

3. Ligue o Acesso Guiado para limitar os apps que podem ser abertos
Esta função pode ser muito interessante para quem tem criança em casa. Isso porque ela limita seu dispositivo a um único app e permite que você controle quais recursos estarão disponíveis para serem usados. Dessa forma, você poderá restringir temporariamente o dispositivo iOS a um app específico ou desativar áreas da tela que não são pertinentes. Para isso, acesse "Ajustes" > "Geral" > "Acessibilidade" > "Acesso guiado". Este é um recurso pouco conhecido, mas permite que pais controlem o que seus filhos acessam e funciona também para bloquear o conteúdo de outros adultos enxeridos. 

4. Oculte imagens do álbum de fotos
O iPhone 6 traz um recurso que permite "esconder" imagens do álbum de fotos. Para isso, pressione a figura que deseja ocultar e aguarde. O iPhone mostrará duas opções: copiar e ocultar. Aperte em Ocultar e a imagem não vai mais aparecer naquele álbum.  

5. Edite textos dentro do Bloco de notas
Uma função bem legal do iPhone 6 é poder editar textos dentro do Bloco de notas - app nativo do dispositivo. É possível colocar palavras em negrito, itálico, sublinhada ou até acrescentar imagens dentro do documento. Para editar uma palavra, selecione-a - como no procedimento usado para copiar. Depois de selecionada, vão aparecer opções como "Cortar", "Copiar", "Colar" e uma seta para o lado direito. Clique na seta e você poderá ver mais opções. Feito isso, aperte em BIU. Pronto, agora você verá alternativas como colocar em negrito, itálico ou sublinhado. 
Para inserir uma foto dentro do texto, selecione uma palavra e você verá a opção "Inserir uma foto". Ao clicar, o iPhone te redirecionará para o álbum de fotos. Basta selecionar a que você deseja que apareça. 

6. Nomeie grupos de mensagens 
Para facilitar a vida dos usuários, o gadget da Apple criou uma função que ajuda a organizar o app nativo Mensagens (ou SMS). É possível nomear conversas quando mais de uma pessoa fizer parte da mensagem. Basta acessar a palavra "Detalhes", no topo direito da tela e escolher um nome para o grupo, como mostra a foto acima. Simples, não é? 

7. Compartilhe sua localização com um contato
Ainda falando sobre o aplicativo Mensagens, é possível usar o programa para enviar sua localização para um contato. Para isso, entre em "Detalhes" e aperte "Compartilhar Localização". Você pode selecionar se deseja compartilhar sua localização por uma hora, até o fim do dia ou sem limite - como indica a imagem acima. 

8. Configure seu smart para apagar mensagens frequentemente 
Existe uma forma de configurar o aplicativo Mensagens para que as conversas trocadas com outros contatos sumam de acordo com o tempo que você programar. Para isso, entre em "Ajustes" > "Mensagens" > "Manter mensagem". Selecione se você deseja mantê-las por tempo indeterminado, um ano ou 30 dias. 

9. Escaneie seus cartões de crédito
Para quem costuma fazer compras online, essa pode ser uma ótima funcionalidade. O iOS 8, além de salvar o número dos seus cartões de crédito, ainda permite usar a câmera para escanear um cartão. Assim, os usuários não precisam mais perder tempo digitando os números e o risco de digitar algo errado acaba, pois os dados como nome, número e data de validade do cartão são preenchidos automaticamente. O recurso também está disponível no Safari, quando um campo de cartão de crédito é identificado – basta tocar em “Preenchimento Automático” e “Usar Câmera”.

10. Veja qual app está acabando com a sua bateria
O iOS 8 conta com um recurso útil para quem precisa passar muito tempo com o iPhone ou iPad longe da tomada. Agora, o sistema registra o gasto energético de cada aplicativo e "dedura" os vilões da bateria. Com essa informação, o usuário pode desinstalar o aplicativo, evitar usá-lo quando precisar poupar a bateria ou bloquear a execução em segundo plano. Para isso, entre em "Ajustes" > "Geral" > "Uso" > "Uso da bateria". 
Após identificar os aplicativos que mais consomem bateria, você tem três opções: desinstalar, evitar usá-los quando estiver com pouca carga ou desativar a atualização em segundo plano.
 
 
 Novo aparelho para o iphone 6 plus e o ipad
Os óculos AirVR prometem levar os usuários do iPhone 6 Plus e iPad mini a uma realidade virtual em 3D. O novo par de lentes foi divulgado no site Kickstarter, e seu projeto de financiamento coletivo precisa arrecadar US$ 20 mil (R$ 47 mil) até o dia 16 de outubro. O dispositivo custa US$ 49 (R$ 115, sem impostos), com previsão de entrega para dezembro deste ano, caso o produto seja um sucesso. No Brasil, a empresa canadense Metatecture cobra um frete que é variável, que deve ser escolhido pelo próprio cliente.
A tecnologia do AirVR é similar ao Gear VR, da Samsung, que utiliza aparelhos móveis Galaxy como visores. Ele também concorre com o Oculus Rift, cuja fabricante foi comprada pelo Facebook em março, por US$ 2 bilhões (R$ 4,7 bilhões). O par de lentes do AirVR é estereoscópico, ou seja, passa a impressão de imersão em um ambiente tridimensional. A versão que funciona com o iPhone 6 Plus se chama AirVR+.
O acessório apresenta um painel de botões chamado TouchStrip, que permite mexer com aplicativos de seu tablet ou smartphone assim que ele estiver conectado. A tecnologia MFi iOS também possibilita ligar gamepads para apreciar jogos com o AirVR. O gadget tem acelerômetro, giroscópio, GPS, sistema de desenvolvimento Unity e pesa 190 gramas no modelo padrão normal. A versão para iPhone 6 Plus pesa um pouco menos: 150 gramas.
Os chamados PhotoVR e MovieVR são aplicativos que fornecerão novas dimensões de fotografias e filmes armazenados. Já o programa PanoramaVR oferece a opção de registro de imagens em 360 graus.
 
 
 Descubra como liberar espaço no seu iphone 6
Todo mundo que tem um iPhone ou iPad e já se deparou com pouco espaço no disco do smartphone sabe o quanto esta situação pode atrapalhar funções comuns, como tirar fotos e instalar aplicativos. É comum tentar solucionar o problema apagando as imagens ou removendo outros apps, mas existem outras medidas que podem ser tomadas para ajudar. Veja uma lista com dez dicas para ganhar espaço no iOS.

1. Libere espaço com o app PhoneClean
A primeira dica é baixar o aplicativo PhoneClean no TechTudo Downloads. O programa fará uma varredura no sistema operacional e hard disk de seu aparelho, buscando arquivos que estejam sobrando e que "congestionam" a memória do telefone ou do tablet. Dentre os tipos de arquivos que serão limpos, estão caches, cookies, dados offline e temporários.
Esta também uma ótima dica para os que estão sentindo que o iOS está mais lento do que deveria, uma vez que o programa ajuda na otimização do smartphone e, consequentemente, fará com que ele fique mais rápido.

2. Limpe a lista de leitura do Safari
O Safari, navegador nativo do iOS, tem uma função bem legal, a lista de leitura, que permite ao usuário salvar qualquer link para ler posteriormente. Porém, como o recurso disponibiliza todo o conteúdo salvo para ler até offline, isso significa que ele salva esses dados no seu iPhone, e guarda tudo em cache.
Para apagar todo esse conteúdo, basta ir em Ajustes > Geral > Uso > Gerenciar Armazenamento > Safari. Ao fazer isso, você verá o botão “Editar” no topo. Aperte ali e exclua a Lista de Leitura Offline.

3. Faça backup de suas fotos e vídeos
É inevitável: apagar as fotos e os vídeos do seu smartphone é a maneira mais rápida de conseguir espaço livre no disco do aparelho. Para você não perder esse conteúdo, faça o backup para um computador, um HD externo ou mesmo para nuvem, através dos serviços disponíveis como Dropbox, iClound, Skydrive e outros. 

4. Limpe o histórico do navegador 
Pode parecer óbvio, mas pouca gente faz. Para recuperar o espaço ocupado pelos dados do histórico, vá em Ajustes > Safari> Limpar Histórico e dados dos sites. É simples, mas resolve boa parte do problema.

5. Pare de salvar as fotos originais no Instagram
Toda vez que você compartilha uma foto no Instagram, o aplicativo salva no seu celular uma foto diferente com os filtros que você utilizou, além da foto original. Dessa forma, você fica com duas fotos praticamente iguais no dispositivo. Para que a rede social pare de salvar essas fotos duplicadas, entre no Instagram e vá até as configurações do app. Depois basta desmarcar a opção “Salvar fotos originais”.

6. Não guarde as mídias do WhatsApp
Com a troca de imagens e vídeos pelo WhatsApp cada vez mais comum, os smartphones ficam ainda mais sem espaço livre. Para resolver esse inconveniente, entre no mensageiro e clique em Ajustes. Depois, acesse Ajustes de Conversa e desmarque a opção Salvar Mídia Recebida, como mostra a imagem.

7. Não mantenha duas fotos iguais ao usar o recurso HDR
O recurso HDR, do inglês “High Dinamic Range” ou “Grande Alcance Dinâmico”, ajusta imagens que têm áreas claras e escuras (entenda o que é a função HDR no app de câmera do iOS). Porém, para conseguir uma foto com essa característica, a câmera captura, pelo menos, três imagens com exposições diferentes da mesma cena. Isso pode fazer com que o seu álbum de fotos do iOS tenha imagens repetidas.
Para se certificar de que você não está com fotos duplicadas no iPhone ou iPad, entre em  Ajustes > Fotos e Câmera > e desmarque a opção no final Manter Foto Normal.

8. Mantenha só as músicas que você realmente ouve
Pare e pense: você realmente precisa de todas as músicas que estão no seu smartphone? Se a resposta for não, faça uma varredura do que você não escuta mais e apague as músicas que você não ouve com tanta frequência.
Aproveite e apague suas músicas duplicadas. O iTunes faz isso autonomamente, o que é muito útil para organizar sua biblioteca. O recurso pega o nome de todas as faixas e lista as que possuem nomes iguais.

9. Elimine mensagens antigas SMS ou do iMessage
Poucos conhecem esse recurso, mas o iPhone permite que os usuários do iMessage apaguem automaticamente as mensagens. Por padrão, a configuração vem em “Sempre”, o que fará com que as mensagens não sejam apagadas nunca, porém, você pode mudar esse tempo de armazenamento para um ano ou 30 dias. Para isso, entre em Ajustes > Mensagens > Manter Mensagens. Clique no tempo de sua preferência.

10. Descubra quais apps estão monopolizando mais espaço 
É bem simples descobrir quais apps estão gastando mais a memória do seu smartphone. Para isso, entre em Ajustes > Geral > Uso > Gerenciar Armazenamentos. Agora, resta decidir quais aplicativos ficam e quais você vai remover do aparelho.
 
 
 Transgrida o IOS do seu iphone 6 de IOS 9 para IOS 8.4
O iOS 9 teve a primeira versão beta pública lançada no início de julho e trouxe várias novidades. Se você instalou para testar os novos recursos e está com problemas, pode voltar para o iOS 8.4. Confira a dica e veja como reinstalar a última versão do sistema anterior ao beta. O procedimento é o mesmo para iPhones, iPads e iPods.

Preparativos
Passo 1. Em seu computador, acesse o site ipsw.me. Nele, selecione o modelo do seu aparelho e, à direita, a última versão estável do iOS – em verde. Vale ressaltar que só é possível voltar para a versão mais recente. Nesse caso, o iOS 8.4;
Passo 2. O download pode demorar algumas horas para ser concluído, dependendo da velocidade da sua conexão. Nesse tempo, caso ainda não tenha feito, aproveite para instalar o iTunes e fazer um backup do seu aparelho, tanto no computador quanto pelo iCloud;

Desativando busca
Passo 3. Para restaurar um iPhone, iPod ou iPad com a versão anterior do sistema, primeiro é necessário desativar a ferramenta de busca. Para isso, Acesse as configurações do iOS e toque em “iCloud”. Em seguida, toque em “Buscar iPhone” – ou “Buscar iPad”;
Passo 4. Desative a opção “Buscar iPhone” ou “Buscar iPad”, dependendo do tipo do seu dispositivo. Por fim, digite a senha da sua conta iCloud, para desativar a busca;

Fazendo downgrade
Passo 5. Após concluir o download do arquivo IPSW, abra o iTunes e conecte o seu gadget ao computador. Em seguida, clique sobre o ícone do dispositivo, no canto superior esquerdo da janela;
Passo 6. Pressione a tecla “option” e, à direita, clique sobre o botão “Restaurar iPhone…”. Caso esteja usando o Windows, pressione a tecla “shift”;
Passo 7. Por fim, localize o arquivo IPSW baixado e confirme que deseja restaurar o dispositivo. Algumas pessoas recomendam colocar o iPhone ou iPad em modo DFU antes de restaurar o sistema, mas o procedimento não é obrigatório.

Pronto! O seu iPhone ou iPad será restaurado com a versão estável do iOS. Se você fez backup dos dados durante o processo de configuração inicial, terá a opção de restaurá-los.
 
 
 Impressão 3D chega ao iPhone 6 com lançamento de novo scanner
O iSense, scanner 3D doméstico para iPod, agora também está disponível para iPhones. A 3D Systems, empresa desenvolvedora do aparelho, anunciou o lançamento nessa semana, além de uma grande atualização para o aplicativo do gadget, tanto para usuários de iPad como de iPhone. 
O novo iSense é compatível com os smartphones iPhone 6 e iPhone 6 Plus e também conta com uma case exclusiva que pode ser encaixada no iSense. Já a nova versão do aplicativo é gratuita e oferece maior acompanhamento, mapeamento de textura e aumento da velocidade, se tornando até três vezes mais rápido que as versões anteriores.
O dispositivo, com design compacto, transforma o iPhone em um scanner 3D com reconhecimento automático de objetos para extrair aspectos precisos e até mesmo fundos visualmente complexos. O escaneamento pode ser feito entre cinco e 30 segundos e o app ainda apresenta corte rápido e ferramentas de valorização e solidificação.
A partir do aplicativo, você envia o comando para uma impressora 3D para que os objetos possam ser impressos. O iSense é compatível com qualquer modelo de impressora 3D da 3D Systems. A empresa oferece modelos dos mais diversos, com preços que variam entre o equivalente a R$ 3,4 mil e mais de R$ 250 mil, dependendo do tamanho máximo do objeto, resolução, tecnologia de impressão e matéria-prima.
A chegada do iSense aos smartphones pode ajudar a popularizar a tecnologia de impressão 3D. Como o dispositivo é compacto e muito simples de usar, pode fazer sucesso entre os usuários de iPhone. Com ele, é possível criar presentes de última hora e diversos objetos de decoração, por exemplo. Porém, a necessidade de ter uma impressora 3D pode dificultar, já que aumenta muito os custos.
O iSense para iPhone pode imprimir objetos em 3D em questão de poucos minutos. Ele está disponível para pré-venda no Cubify e outros distribuidores e começará a ser distribuído no dia 7 de julho. Ele custa U$ 499 (cerca de R$ 1.550,69 em conversão direta) e pode ser enviado para o Brasil.
 
 
 novamente uma batalha da samsung e apple com o iphone 6 e o galaxy note edge
O iPhone 6 é o melhor smartphone que a Apple tem em mãos hoje, sem considerar que o iPhone 6 Plus é exatamente o mesmo aparelho em resolução maior de tela. Para brigar com ele pelo título deste comparativo, peguei o melhor aparelho que existe na linha Note, que é o Note Edge - ao menos antes do lançamento do próximo modelo, que deve ocorrer durante a IFA deste ano, em Berlin.

Design

Há diferenças bem grandes dos dois lados, principalmente quando a tela curvada para a direta do Note Edge está em evidência. O iPhone 6 é o único deste comparativo que vai com corpo todo feito em alumínio - tirando as partes onde há conectores de antenas e que são de plástico, pequenos pontos de plástico cinza claro. Nenhum dos aparelhos é de grande referência na hora de pegada, mas o Note Edge consegue ser o pior por conta da tela curvada, que tira mais da metade da espessura da lateral direita e, desta forma, acaba removendo uma das partes onde seus dedos vão fazer força para poder levantar o celular da mesa. O iPhone 6 conta com bordas levemente arredondadas e isso também é ruim, por mais que o metal apresente textura levemente áspera, mas não é áspera o suficiente para segurar tudo no lugar. Sinceramente, neste ponto, os dois perdem.

Hardware

O Note Edge aposta em um processador quad-core, que é um Snapdragon 805 rodando em 2.7 GHz, acompanhado de 3 GB de memória RAM, GPU Adreno 420 e 32 GB ou 64 GB de espaço interno. O iPhone 6 apresenta um chip A8 que entrega um processador Cyclone dual-core de 1.4 GHz, acompanhado de 1 GB de memória RAM, GPU PowerVR GX6450 e opções entre 16 GB, 64 GB e 128 GB de memória interna e, diferente do Note Edge, não há espaço para um microSD. Em números parece que o Note Edge passa um caminhão de desempenho em cima do iPhone, mas a diferença não é tão absurda assim. Em apps do cotidiano, o Note Edge abriu mais rápido o Facebook e Instagram, mas o iPhone conseguiu abrir primeiro o Twitter e apresentou uma barra de rolagem muito mais fluida do que no Note Edge. Abrindo o Real Racing 3 o Note Edge carregou primeiro o jogo, mas em uma diferença de tempo menor do que nos apps anteriores. Em algumas ocasiões raras, o Note Edge apresentou uma taxa de quadros por segundo inferior ao iPhone. Vencedor? Pelo geral, apostamos no Note Edge.

Câmera

O iPhone 6 melhorou bastante a qualidade da câmera traseira quando seu antecessor, sem tocar no número de megapixels. Ainda há 8 megapixels contra 16 megapixels do Note Edge. O resultado final é superior no smartphone da Samsung em qualquer cenário, mas o iPhone consegue vencer na hora de oferecer uma interface mais veloz - é só tocar e a foto é tirada, sem necessidade de segurar firme por algum tempo, como exige o Note Edge em fotos noturnas. Por conta de uma interface mais amigável, o iPhone 6 é o vencedor por aqui.

Conclusão

O Galaxy Note Edge chegou ao mercado com ares de superioridade por conta da tela curvada para a lateral, que é realmente bonita e bem apresentada. Ele, infelizmente, ainda está no Android 4.4, mesmo com a versão 5.1 do Android já nas mãos dos desenvolvedores e das empresas fabricantes. Por outro lado, o Edge conta com a ótima caneta S Pen, que vai muito além do que apenas uma caneta para tocar na tela. Ele ainda vem com alguns apps interessantes como o pacote Office e armazenamento em nuvem, mas há uma penca de apps que poderiam ser desinstalados de fato e não apenas desativados. Como o custo do Note Edge é menor do que a versão mais básica do iPhone 6, que entrega a metade da memória interna, o Note Edge é nosso vencedor - mesmo com a incômoda sensação de abandono da Samsung por conta do Android atrasado.
 
 
 Estabilização ótica do iPhone 6 Plus parece ser desativada em vídeos
Quando a Apple renovou sua linha de celulares, uma das grandes novidades foi a presença de um sensor fotográfico com estabilização ótica de imagem em seu modelo maior, iPhone 6 Plus, removendo os famosos tremidos ao realizar uma gravação de vídeo e aperfeiçoar o resultado final de fotos. Entretanto, parece que a tecnologia só é válida quando um momento estático está sendo capturado, e não quando os clipes estão sendo registrados. Não há confirmação oficial da gigante de Cupertino, entretanto, mas a equipe do PhoneArena apontou motivos bem plausíveis de se acreditar que o método é desabilitado em vídeos.
O comparativo acima, publicado meses atrás pelo próprio site de telefonia móvel, revela a notável diferença entre a gravação de vídeo com a câmera de 16 megapixels do Galaxy Note 4, usando a estabilização ótica de imagem, e a captura do clipe do mesmo cenário com o sensor de 8 megapixels do iPhone 6 Plus.
 Nota-se que, aparentemente, Apple optou por utilizar a estabilização cinemática de imagem, que se baseia apenas no software instalado para suavizar o movimento quando se está realizando a gravação de vídeo. Reforçando tal teoria, ainda há o trecho sobre o assunto no próprio site oficial da Maçã: iPhone 6 Plus introduz a estabilização ótica de imagem, que trabalha com o chipset A8, giroscópio e coprocessador de movimento M8 para medir a informação e oferecer movimentos precisos da lente a fim de compensar a vibração da mão [na captura do conteúdo] em baixa iluminação. A fusão conjunta de exposições longas e curtas de imagem também ajuda a reduzir o movimento de objetos. Essa única integração de hardware e software entrega lindas fotos em ambientes com pouca luz — diz a Apple em sua página oficial do iPhone 6 Plus. 
Ainda não há motivos especulados para a medida que a Apple tomou em relação à utilização da estabilização ótica de imagem na gravação de vídeos, pois o conjunto de processador e coprocessador tornariam "fácil" a implementação da tecnologia também quando um clipe está sendo feito. Quem realmente entende de fotografia pode ter percebido isso antes, mas até o presente momento a gigante de Cupertino ainda não usou meios oficiais para tratar sobre o assunto. Se a falta da função fará uma grande diferença antes da compra, depende do ponto de vista de cada consumidor.
 
 
 O iPhone 6 e o Galaxy S6 em perigo? Novo touchscreen com leitor de digital ameaça o sensor dos devices
A nova tecnologia mistura o leitor de digitais com o Gorilla Glass, dispensando o touch ID da Apple.

Nesta terça-feira (21), a empresa americana Sonavation apresentou uma nova tecnologia que transforma a tela do smartphone em leitor de digitais. A ideia é trazer ainda mais segurança à identificação de digitais que existem em aparelho como o iPhone 6 e o Galaxy S6, que vivem disputando para saber quem é o melhor. O sensor de leitura 3D fica integrado ao vidro super resistente Gorilla Glass, presente na maioria dos smartphones do mercado.

Para funcionar, um leitor 3D ultra fino (0,4mm) é aplicado sobre a tela do smartphone. Ele é capaz de perceber a textura das digitais e identificar com precisão a identidade do dono do aparelho. Isso permite acesso seguro à redes socias, como ocorre no Galaxy S6. A parte boa é que ele consegue fazer a análise do polegar mesmo que ele esteja sujo de gordura ou molhado... Só falta funcionar embaixo d'água, já que as telas atuas não alcançam tal proeza.

O presidente executivo da Sonavation, Karl Weintz, destacou a importância que a empresa dá para segurança dos usuários: "Consumidores e empresas estão confiando em dispositivos móveis mais do que nunca, e nosso progresso fornece algo novo, com mais opções de custo e segurança para os fabricantes", explica. Mesmo assim o novo sensor de digital ainda não tem data para chegar aos dispositivos.
 
 
 Tela grande do iPhone 6 causou lesão em cotovelo, diz jogador da NBA
O jogador da NBA Matt Bonner, do San Antonio Spurs, passou parte da temporada 2014-2015 com uma lesão no cotovelo que diminuiu seu desempenho em arremessos de 3 pontos. O ala-pivô disse ao jornal “Concord Monitor” que é o responsável pelo desconforto foi o iPhone 6, porque as dimensões do aparelho forçam o usuário esticar mais o dedo para alcançar os ícones.
“Eu odeio dar desculpa”, afirmou o jogador, ao justificar por que sua porcentagem de bolas de três convertidas caiu durante a temporada. “Eu fui criado para nunca dar desculpas. Mas eu passei dois meses e meio em que eu tive ‘cotovelo de tenista’ e, durante esse tempo, era tão penoso para mim arremessar que eu já me encolhia todo antes mesmo de pegar a bola, ‘Oh, isso vai me matar’”.
Com o cotovelo esquerdo lesionado (o que apoia a bola), Bonner sofreu de dezembro de 2014 até o Jogo das Estrelas, em fevereiro de 2015. Durante o período, seu índice de bolas de três convertidas caiu para 32,4%. Antes, era de 42,8% e permaneceu assim depois. Com isso, seu desempenho caiu para 36,5%. Depois de atribuir o ano fraco à lesão, Bonner tentou explicar como havia se machucado. “Todo mundo vai achar isso hilário, mas está é minha teoria de como eu tive isso”, começou.
 “Quando o novo iPhone surgiu, era um pouco maior do que o anterior, e eu acredito que porque eu comprei esse celular, foi tenso usá-lo. Você tem de esticar mais [os dedos] para alcançar os botões, e eu honestamente acredito que foi assim que acabei desenvolvendo isso [a lesão].” O ala-pivô não especificou se falava do iPhone 6 ou do iPhone 6 Plus. De qualquer forma, com telas de 4,7 e 5,5 polegadas, respectivamente, os dois aparelhos são os maiores celulares que a Apple já criou. Assista ao vídeo do G1 sobre o iPhone 6 Plus.
Bonner diz ter falado com um dos técnicos de condicionamento do Spurs sobre a lesão. O preparador físico afirmou que sofreu de um machucado similar depois de gastar muito tempo jogando um game em seu celular.
Apesar de não ser um dos maiores talentos que a NBA já viu desfilar por suas quadras, Bonner possui dois títulos da liga. Na última temporada, o Spurs ficou pelo caminho. Perdeu a primeira partida dos playoffs para o Los Angeles Clippers.
 
 
 Saiba porque o iPhone 6 continuará a ser um sucesso
Mercado está mais recetivo a smartphones com ecrãs grandes, o que pode resultar em grandes vendas para o iPhone 6 com um preço reduzido.
Os dois modelos do iPhone 6 podem tornar-se os mais vendidos de sempre da Apple, de acordo com as previsões avançadas por um analista da Cowen Group.
Em comentários ao Business Insider, o analista Timothy Arcuri referiu que com o lançamento do próximo iPhone no final do ano o iPhone 6 e iPhone 6 Plus terão uma redução de preço, o que fará aumentar as vendas sobretudo do Plus, com um ecrã de 5.5 polegadas.
“Penso que o iPhone 6 terá uma procura muito mais longa do que previram para o trimestre de setembro,” comentou Arcuri, apontando que o mercado está mais recetivo que nunca a smartphones de ecrã grande.
 
 
 O iPhone 6 Plus explode conectado à tomada em Hong Kong
No último fim de semana, em Hong Kong, uma mulher afirma que o seu iPhone 6 Plus de 128GB literalmente explodiu enquanto carregava pela madrugada, fazendo com que não somente a tela do aparelho fosse danificada, mas derretendo significativamente a tampa traseira e componentes internos do dispositivo.

A mulher diz que conectou o seu iPhone ao carregador por volta de 1h no sábado, deixando o dispositivo sobre a mesa ao lado de sua cama. Cerca de sete horas mais tarde, ela foi acordada por um grande estrondo e se deparou com o seu iPhone em chamas.

Ela não se feriu, mas diz que pedirá indenização à Apple. A mulher afirma que utilizou somente produtos autênticos da Apple na hora do incidente, incluindo o carregador. Ela observa, ainda, que estava usando um cabo de carregamento do iPad, o que não deva interferir e/ou fazer grandes diferenças em um caso como estes.

Lo Kok-kung, funcionário do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Politécnica de Hong Kong, disse ao Daily Apple que o incidente pode ter acontecido por uma questão de curto-circuito ou sobrecarga.

"O recurso que corta a energia automaticamente do aparelho na hora de carregá-lo pode ter ficado fora de ordem, portanto, a bateria acabou explodindo devido ao calor excessivo", disse Lo em entrevista.

Casos envolvendo iPhones e explosões acontecem, mas são raros. Esta não é a primeira vez que ouvimos falar de um incidente como estes e provavelmente não será a última, no entanto, esta pode não ser uma falha generalizada e deve não acontecer com outros proprietários do mesmo modelo.

Assim como já é esperado, a Apple deverá solicitar o iPhone 6 Plus da mulher para que possa fazer suas próprias investigações.
 
 
 Aparelho que transforma o seu iphone 6 em uma camera retro top faz sucesso
A Lumenati CS1 é uma case que permite criar filmes ao estilo “clássico” usando um iPhone 6. O aparelho oferece troca de lentes frontais e o usuário pode compartilhar as gravações salvas em formato digital. A câmera de mão foi publicada em um projeto do Kickstarter e está fazendo sucesso na web.
Para quem é fã da câmera retrô, o design da  Lumenati CS1 vai agradar, só que em uma versão mais moderna. Para funcionar, o usuário precisa encaixar o iPhone 6 em uma abertura lateral. Um dos destaques é a possibilidade de trocar de lentes, em resolução HD, dentre opções de Wide, Macro, Olho de Peixe e mais.
A usabilidade também é feita ao modo antigo: está presente visor óptico e suporte para segurar com uma das mãos. As funções são controladas com um app para iOS, que permite editar trechos das gravações, conferir o resultado e compartilhar. Em dimensões, a câmera de mão é compacta com 177,8 x 152,4 x 76,2 mm.
Nas funções, estão presentes filtros, microfone, luzes internas, foco manual e automático, sensor de iluminação, estabilização automática, controle de exposição e mais recursos. O projeto publicado na Kickstarter pelo escocês Scott McDonald, Co-fundador da Lumenati, já avançou sua meta inicial,que era de US$ 75 mil. Se conseguirem mais do que US$ 125 mil, o usuário poderá escolher versões em cores diferenciadas do aparelho.
O valor do modelo básico da Lumenati CS1 é de US$ 150 (cerca de R$ 470), na cor branca. O envio é feito para qualquer lugar do mundo, inclusive Brasil, com previsão para fevereiro de 2016. O desenvolvedor já tem planos de adaptar a câmera retrô para o próximo modelo de iPhone.
 
 
 Os top 5 smartphones de 2015 e o iphone 6 esta entre eles
Smartphones são os objetos de desejo dos viciados em tecnologia. Com eles podemos jogar, integrar com nossos outros dispositivos e ter uma central de entretenimento, usar para ver tv ou ouvir música, ler e-mails, trabalhar, falar através das redes sociais, criar uma lan, fazer qualquer tipo de coisa com algum app específico, navegar via GPS, e, acreditem, até ligar e mandar sms.

As principais empresas do ramo lutam a cada dia para trazer uma nova atualização, função, câmera com mais definição, mais memória, mais espaço para armazenamento, mais fino, maior tela, mais velocidade de resposta e processamento, enfim, melhor hardware a cada nova geração e lançamento. Quem sai ganhando com isso somos nós, consumidores que gostamos de estar sempre com o aparelho mais up to date do mercado.

O único probleminha é que essa exclusividade tem um preço - altíssima na maioria das vezes. Mas, para nos dar uma - boa - ajuda, temos cupom ponto frio.

Vamos ver então quais são os 5 aparelhos mais desejados pelos amantes de tecnologia atualmente.

iPhone 6 Plus
Embora lançado em 2014, o iPhone 6 Plus merece estar nessa lista, claro que devido mais ao fato de ter mais um marketing pesado do que um hardware condizente com o preço. Independente disso o iPhone é a marca de smartphones mais desejados do mundo. É bem verdade que pelo preço ele deveria ser mais potente, afinal, os concorrentes entregam mais, cobrando menos. Mas mesmo assim, seja você um fanboy ou um hater da Apple, em uma coisa todos concordamos: O aparelho é top!

Com tela de 5.5 polegadas com proteção anti-risco da Apple, o iPhone 6 Plus conta com uma resolução Full HD de 1920 x 1080 (o que dá uma densidade de 401 pixels por polegada), chipset Apple A8 e para rodar tudo isso um processador Cyclone dual-core de 1.4 GHz. O provessamento gráfico fica por conta de uma GPU quad-core Power VR GX6450.

A versão top vem com 128 GB de armazenamento interno para garantir que você nunca passe por um aperto, precisando apagar fotos, vídeos, apps, etc. Falando em fotos, elas serão tiradas com uma câmera traseira de 8 MP ou então com qualidade de 1.2 MP caso seja uma selfie com a câmera frontal. A bateria tem 2915 mAh, uma das melhores entre os tops de linha. O aparelho roda ainda o iOs 8, talvez o sistema operacional mobile mais seguro e estável do mercado.

Pontos positivos:
Sistema operacional confiável
Até 128 gb de armazenamento
Lindo

Pontos negativos:
Apenas 1 chip
Sem espaço para cartão de memória
Câmeras fracas em relação aos concorrentes da mesma faixa de preço
Apenas 1GB de memória RAM

Galaxy S6 Edge 
Lançado recentemente para ser a principal arma da empresa sul-coreana contra o iPhone 6 Plus, o Samsung Galaxy s6 Edge dá conta do recado e entrega um excelente aparelho em todos os quesitos. Sua principal marca é o design que conta com uma tela curvada totalmente funcional e sensível ao toque que se estende até as laterais do aparelho e apresentam algumas interações exclusivas com o usuário.

Sua segurança estará totalmente garantida, pois o S6 Edge vem com o sistema de unlock via digital mais avançado do mercado. O Android 5.0.1 também chega trazendo muitos apps nativos e super-úteis, como o S Health, seu personal trainer particular. Outro quesito muito importante são os testes de benchmarks, e aqui o Edge arrasou. O top dos tops da Samsung já foi testado aqui pelo Oficina e aprovado. Confira tudo que pudemos falar sobre ele após os testes.

Quanto às especificações de hardware temos: Tela de 5.1 polegadas protegida com o Gorilla Glass mais potente da atualidade (versão 4), 577 ppi, processador Exynos 7420 octa-Core  (4 núcleos de 1,5 GHZ e 4 núcleos de 2,1 GHZ), gpu Ma T760, 3 GB de memória RAM, até 64 GB de armazenamento interno, câmera frontal de 5 MP e traseira de 16 (faz vídeos de resolução 4k a uma taxa de 30 quadros por segundo. No conjunto de câmera temos uma traseira de 16 MP e frontal de 1,2. A diversão é garantida por horas através de uma bateria de 3600 mAh.

Pontos positivos:
Design e usabilidade das Edges
Ótimas funcionalidades e apps
Desempenho impecável
Setup de câmeras incríveis

Pontos negativos:
Sem espaço para cartão de memória
Bateria poderia durar mais
Android ainda precisa otimizar a TouchWiz

Sony Xperia Z3+
A Sony também entrou sério na briga pra ver quem tem o melhor smartphone do mercado. E eles não vieram fracos não. Evolução do Z3, outro sucesso de vendas e de críticas, o Sony Xperia Z3+ é já está confirmado para o Brasil e tem previsão de vendas para os próximos meses. Enquanto isso o aparelho já está sendo comercializado em países asiáticos desde o dia 10 de junho deste ano com o nome de Xperia Z4 e as primeiras impressões são animadoras.

As expectativas dos ocidentais são motivadas por um hardware poderoso, afinal, são 3GB de memória RAM, processasdor Qualcomm Snapdragon 810 hepta-core 64 bits (4 núcleos de 2,0 GHz e outros 2 núcleos de 1,5 Ghz), 32 GB de armazenamento interno (além do espaço para cartão MicroSD), GPU Adreno 430, bateria com 2930 mAh de capacidade, câmera traseira de 20,7 MP e frontal de 5 MP. O tamanho dele é aquele ideal para quem não gosta de telefones gigantescos, mas quer uma tela grande o suficiente para ver Netflix, fotos, jogos, etc. São 5.2 polegadas e resolução Full HD.

Esperamos com ansiedade esse aparelho top aqui nos reviews do Oficina.

Pontos positivos
Memória RAM
Câmeras potentes
Processador e GPU excelentes

Pontos negativos
Pouco armazenamento interno para os celulares da última geração
Alguns vão achar que a tela deveria ser maior

Lg G4
Trata-se do aparelho mais poderoso da marca sul-coreana, carrega altas expectativas, e, prepare-se: já está em nossa redação e, em algumas semanas, entrará na nossa sessão de reviews o/

Se você tem/teve ou leu nosso review do G3 vai notar muitas semelhanças com o seu predecessor, o G3, principalmente no que diz respeito à estética. A principal característica são os botões na traseira do aparelho e a traseira levemente curvada presente cada vez mais nos últimos lançamentos da marca. Aliás, se você gosta da parte visual do aparelho vai se identificar com o LG G4. São dezenas de traseiras disponíveis, desde capinhas de plástico com diamantes até aquelas com detalhes em couro.

O hardware também acompanha a grandeza do aparelho. São 32 GB de memória interna (expansível até 128 GB), 3 GB de memória RAM, câmera traseira de 16 e frontal de 8 MP, processador Hexa-core (4 núcleos de 1.44 GHz e outros 2 núcleos de 1.82 GHz). Este hardware, juntamente a uma GPU Adreno 418, irá gerar excelentes gráficos 4k de 2560 x 1440 a serem exibidos em uma tela de 5.5 polegadas protegida com Corning Gorilla Glass 3, e a bateria tem 2900 mAh de capacidade. Top, hein?

Pontos positivos:
Vídeos 4k a 60 FPS
Resolução 4k – melhor entre os tops
Melhor câmera frontal dentre os tops
Aceita cartões de memória com até 128GB de capacidade

Pontos negativos:
Poderia ter Gorilla Glass 4
Botões na traseira (ponto negativo extremamente pessoal)

Moto Maxx 
O Moto Maxx é o mais desejado dos aparelhos da Motorola, sem dúvidas. E mesmo que ele tenha sido lançado em 2014, tem todo o direito de figurar na lista dos tops 2015, afinal, em termos de hardware, foi o melhor dos smartphones que já passaram aqui pelo Oficina.

O aparelho tem tela de 5.2 polegadas com resolução 4k de 2560 x 1440 pixels de resolução. Olha só o hardware dele como é potente: São 3 GB de RAM, processador Qualcomm Snapdragon 805 quad-core 2,7 GHz Krait 450, GPU Adreno 420, armazenamento interno de 64GB, câmera traseira de 21 MP (faz vídeos 4k a taxa de 30 FPS), frontal de 2MP, Gorila Glass 3 e bateria com incríveis 3900 mAh.

Achou incrível as configurações? Então clica no título ali em cima e corre pra ler nosso review completo e assistir nosso reviewdeo.

Pontos positivos:
Melhor resolução (4k), memória RAM e bateria entre os tops de linha
Conjunto de câmeras excepcional
Melhor hardware que já passou pelo Oficina

Pontos negativos:
Não possui entrada para cartão de memória externo
Poderia ter Gorilla Glass 4
Design (ponto negativo extremamente pessoal)
 
 
 Comparativo de leitores biométricos: Galaxy S6 vs iPhone 6 vs Note 4 vs Huawei Mate7 vs Meizu MX4 Pro
Aparelhos foram colocados lado-a-lado em várias categorias, para ajudar usuários a escolher o que melhor se encaixa em suas necessidades
Leitores biométricos estão cada vez mais presentes nos smartphones e tablets nos dias de hoje. Tudo começou com o Toshiba PORTEGE G500, em 2007, depois em 2011 com o Motorola Atrix 4G, sendo adotado em seguida pela Apple no iPhone 5S e pela Samsung no Galaxy S5, e atualmente podemos vê-los em diversas implementações dos mais diferentes tipos, seja em aparelhos top de linha ou de médio custo. Esses sensores migraram de laptops e sistemas de segurança para nossos bolsos, especialmente, por tornarem nosso dia-a-dia mais simples, e por reforçarem a segurança de nossos dados pessoais.
Após a implementação da Apple, a impressão digital começou a ser largamente explorada em diversas situações, seja para desbloquear os aparelhos, autenticar informações, ou até mesmo fazer pagamentos, especialmente com a indústria de pagamentos móveis crescendo em um ritmo impressionante. A própria Samsung já evoluiu bastante sua tecnologia biométrica, especialmente se compararmos os sensores presentes nos Galaxies S6 e S6 Edge, aos utilizados no S5, Alpha e Note 4. Agora, fabricantes como a HTC, Huawei, Meizu e até mesmo Motorola estão preparando-se para entrar de cabeça nessa tecnologia, especialmente após o anúncio do Android M, que contará com APIs dedicadas a esse tipo de segurança. Pensando nisso, o site PhoneArena resolveu fazer uma comparação entre diversos dos sensores oferecidos atualmente no mercado, para ajudar um possível comprador que esteja em dúvida sobre qual aparelho possui a melhor implementação desse tipo de funcionalidade.
Para esse comparativo, foram selecionados 5 aparelhos, todos lançados nos últimos 10 meses: Galaxy S6, iPhone 6, Galaxy Note 4, Ascend Mate7 e Meizu MX4. As propriedades e funções de cada um foram listadas na tabela abaixo:
Também foram considerados pontos como o design e ergonomia, que mesmo sendo uma variável difícil de se comparar (afinal de contas, cada um tem um gosto diferente), entrou como sendo um diferencial no processo. Para começar, o tamanho dos sensores tem um papel muito importante para quem utiliza esse tipo de tecnologia; Quanto maior o aparelho, menos necessidade ele tem de que o sensor seja posicionado em sua parte frontal, logo abaixo da tela, como é o caso do Galaxy Note 4, foi aí que o Huawei Ascend Mate7 e suas gigantescas 6 polegadas brilharam, pois a empresa teve a sacada genial de colocá-lo na parte traseira logo abaixo da câmera, facilitando ainda mais o seu uso. O tamanho do dispositivo também colabora para seu manuseio e facilidade de derrubá-lo enquanto tentando acionar o sensor, o que deu ao Note 4 uma nota ruim, por causa do posicionamento inadequado de seu leitor biométrico.
Outro ponto a ser considerado, foi a facilidade de desbloqueio do aparelho, onde o Ascend Mate 7 ficou para trás, pois todos os outros possuem o botão home e o sensor biométrico posicionados na mesma peça, o que também o colocou em vantagem em outra categoria, vendo que seu leitor não é tão óbvio quanto o de seus concorrentes, e fica escondido na parte traseira, colaborando para um design mais harmonioso no portátil. Ficamos decepcionados ao ver que nenhuma das soluções oferecem a possibilidade de releitura, caso o dedo não seja posicionado de forma correta, forçando o usuário a retirá-lo do sensor, e tentar novamente.Ficamos decepcionados ao ver que nenhuma das soluções oferecem a possibilidade de releitura, caso o dedo não seja posicionado de forma correta, forçando o usuário a retirá-lo do sensor, e tentar novamente.
É claro que cada um tem sua preferência de marca, ergonomia, acabamento, design, etc., mas venhamos e convenhamos, os números não mentem: O Huawei Ascend Mate7 levou uma vantagem óbvia nessa comparação. Não só ele foi um dos que apresentou uma maior “confortabilidade”, como também tem um plus sob a concorrência, que é o fato dele poder desbloquear a tela sem sequer ela estar ativa. A fabricante chinesa Meizu também mostrou que está melhorando, e cada vez mais, alcançando seus concorrentes, especialmente pelo fato de ser uma das únicas (junto com a Huwaei) a apresentar a opção de bloquear determinados apps no aparelho. As soluções da Apple e do S6 da Samsung também se saíram bem nos testes, mas especialmente a Apple, deveria considerar uma aproximação um pouco mais precisa em seus próximos portáteis.
 
 
 Capa de iphone 6 que transforma smartphone em estúdio faz sucesso na Internet
A nova case para smartphone Olloclip traz um sistema integrado de fotografia móvel e promete transformar seu dispositivo em um estúdio portátil. O sistema combina uma capa protetora resistente com uma série de acessórios para garantir o melhor resultado. O gadget está em fase de arrecadação no site de financiamento coletivo Kickstarter e tem feito sucesso.
Desenvolvido pela empresa que dá nome ao aparelho, Olloclip vem junto com um kit que conta com um clip para os dedos que fará com que você nunca mais segure o smartphone da mesma forma. Além disso, ele também conta com um tripé, tanto para paisagem quanto para retrato, um conjunto de adaptadores para flash e microfone. O case ainda conta com lentes 4 em 1: macro, olho de peixe, ultra-largas e uma especial para selfies.
Usar carregador de outra marca estraga o celular? Descubra no Fórum do TechTudo.
A novidade também promete ser ideal para aqueles que utilizam muito aplicativos de streaming, como Periscope e Meerkat, e também o próprio Snapchat ou Instagram. Ele irá permitir que o usuário filme com maior segurança e praticidade, além de garantir imagens de alta qualidade. O dispositivo está disponível em versões para iPhone 6 e iPhone 6 Plus.
Olloclip ultrapassou a meta de U$ 100 mil (cerca de R$ 318.260). O pacote mais simples pode ser comprado por U$ 35 (cerca de R$ 111,39) e pode ser enviado para o Brasil, com uma taxa de entrega de U$ 20 (cerca de R$ 63,65). As entregas estão previstas para começaram em setembro de 2015.
 
 
 Polícia chinesa desmonta esquema de falsificação de iPhone
Fábrica em Pequim fabricou mais de 41 mil smartphones falsos da Apple.
A carga custava US$ 19,6 milhões; alguns aparelhos chegaram aos EUA.

A polícia de Pequim fechou uma fábrica que produziu mais de 41 mil iPhones falsos, avaliados em até US$ 19,6 milhões, incluindo alguns que chegaram aos Estados Unidos, e prendeu nove suspeitos em uma operação de combate à pirataria.
A Apple é uma das marcas mais populares na China, onde as autoridades aumentaram os esforços nos últimos anos para desfazer a reputação do país de produzir produtos falsificados.

Autoridades tomaram medidas mais duras para impor direitos de propriedade intelectual, pressionando as empresas a registrarem marcas e patentes e reprimindo falsificações.
A polícia prendeu nove pessoas, incluindo um casal que comandava a operação, após uma busca em maio na fábrica, que funcionava sob o disfarce de uma loja de manutenção de aparelhos eletrônicos na periferia norte da capital chinesa.
Os detalhes foram divulgados em uma publicação nas redes sociais neste domingo (26) pela Secretaria de Segurança Pública em Pequim.
A polícia apreendeu 1,4 mil aparelhos e grandes quantidades de acessórios durante a operação em 14 de maio. Nos Estados Unidos, os novos aparelhos da Apple podem chegar a custar acima dos US$ 649, dependendo do modelo.
 
 
 Estudo mostra que cada vez menos pessoas estão interessadas no iPhone 6
Uma pesquisa feita pela firma de investimento Piper Jaffray com 1.016 consumidores americanos indica que o número de pessoas interessadas em adquirir um iPhone 6 pode não ser tão grande quanto muitos pensam.

Como você pode ver pela tabela logo abaixo, 34% das pessoas cadastradas têm interesse em adquirir outros aparelhos recentes da Maçã. O motivo, segundo o Apple Insider, está no fato de que a linha atual do iPhone – com principal destaque para o iPhone 5S – é poderosa o suficiente para garantir uma maior sobrevida em comparação aos modelos anteriores.

“Apesar de nossa pesquisa ser focada nos EUA, nós acreditamos que os dados sugerem que o iPhone, particularmente o modelo 5S de alto desempenho, continua a ter um poder de permanência, visto que um terço dos consumidores de smartphones americanos esperam comprar um iPhone nos próximos seis meses”, disse o analista Gene Munster.

É importante notar que a empresa ainda espera que os dados mudem, com uma queda no interesse tanto pelo 5S quanto pelo 5C, com a chegada do iPhone 6. Mesmo assim, os números provam que as linhas de aparelhos da Apple prometem tornar-se cada vez mais fortes, continuando atrativas para o público mesmo após a chegada de seus sucessores.
 
 
 Clone do iphone 6 criado e ja como se fosse o próximo modelo da marca o iphone 6s
A indústria dos clones chineses da Apple é rápida; muitas vezes, mais rápida que a própria Apple. Este é o caso do iPhone 6s lançado recentemente por lá e que está disponível por algo entre US$ 135 e US$ 156, dependendo do modelo (e com entrega gratuita no Brasil).

O Goophone i6s tem tela de 4,7 polegadas e resolução de 1280 x 720, além de um processador quad-core de 1.3 GHz. Ele vem nas cores tradicionais do aparelho e também no mesmo tom de rosa que supostamente será adotado pela Apple na próxima linha de iPhones.

Mas o que impressiona é que o smartphone é muito parecido com o iPhone, tendo ambos lado a lado é até difícil descobrir qual é o original e qual é o clone. O Android 4.4 que vem nele foi modificado com tanta eficiência que ficou praticamente igual ao iOS, e a caixa - também idêntica à da Apple - contém acessórios que foram até embalados da mesma forma que os do iPhone.
 
 
 O aparelho recém lançado pela apple o iphone 6 explode
Desde seu lançamento nos Estados Unidos, o iPhone 6 vem dando o que falar. As primeiras polêmicas envolvendo o novo smartphone da empresa da Maçã foi de que os aparelhos entortavam. Boato que foi confirmado por vários testes de usuários e viciados em tecnologia espalhados pela internet.
Agora apareceu o primeiro caso de combustão do aparelho. O iPhone 6 de Phillip Lechter pegou fogo após sua bateria entortar no bolso da calça.
Lechter é um palestrante, empreendedor e também fã da Apple. O americano disse em seu site que o iPhone 6 estava no bolso da sua calça com uma capa de couro e que incendiou na semana passada. Ele diz ainda que ficou surpreso com o acontecimento.

” – Foi uma experiência surreal. Se não tivesse acontecido comigo, não iria acreditar”
Lechter disse em seu depoimento no próprio site que o modelo que explodiu em seu bolso foi um iPhone 6. O smartphone foi recebido por ele em Setembro e tinha menos de um mês de uso. O caso aconteceu em Tucson, cidade do estado americano do Arizona.

O iphone pegou fogo no bolso da calça de Lechter, ele estava em um carrinho com o filho. O carrinho era puxado pela bicicleta de sua esposa. Ele ainda postou um vídeo no seu canal oficial no youtube do que sobrou de seu celular  após a explosão.
Ele conta que após um acidente o carrinho quase caiu e que provavelmente isto tenha causado o entortamento na bateria, que foi a suposta causa do super-aquecimento e explosão do aparelho.
 
 
 Garotos de 15 anos entram na loja pra entortar o iphone 6
Apesar do comunicado da Apple informando que apenas nove iPhones 6 Plus teriam entortado, consumidores foram às lojas da companhia para provar que os smartphones dobram com facilidade. Seja por brincadeira ou em protesto a Apple, que garantiu que os usuários que enfrentassem problemas identificado como de fábrica, conseguiriam o reparo, algumas pessoas filmaram a ação e publicaram no Youtube.

Um vídeo com garotos de 15 anos mostra a tentativa de encurvar os celulares apesar do aparente pouco esforço. Sem medo de mostrar seus rostos, os garotos fazem uma breve introdução na filmagem e se divertem com a possibilidade de cometer crime de destruição de patrimônio. Logo depois, chegam na loja e forçam os iPhones do mostruário até que ele entorte. Os garotos kylei e danny moram na zona de Norwich, em Inglaterra.
No vídeo ainda se consegue ouvir um comentário, “Estivemos na loja Apple a dobrar e a partir os iPhones, que deve ser ilegal ou algo do género. Honestamente, nem quero saber porque é culpa da Apple“, conclui. Os prejuízos ascendem aos 3000 euros.
 
 
 Nos EUA um vendedor troca casa de três quartos por iPhone 6 ou iPhone 6 Plus
Três quartos, garagem para dois carros, construída com tijolos em estilo colonial, área útil de 223 m², dois andares, dois banheiros. Uma casa com essa descrição está à venda em Detroit (EUA). A estimativa do mercado é que valha quase US$ 50 mil, mas, à espera de comprador há pelo menos 124 dias, o dono aceita trocá-la por um dos novos iPhones lançados pela Apple ou por um iPad de 32 GB.
O vendedor tenta encontrar um novo dono para a propriedade desde junho, quando cobrava US$ 5 mil. Sem sucesso, baixou o preço para US$ 3 mil, mas aceita o iPhone 6 ou o iPhone 6 Plus. Destravados os aparelhos com maior capacidade (64 GB) entre os dois modelos chegam a US$ 850 e US$ 950. Os dispositivos podem dar as chaves ao comprador mesmo que usuários apontem que dobrem facilmente.
“Parece que ele [vendedor] quer a versão premium, mas eu tenho certeza de que ele está disposto a negociar”, afirmou o corretor do imóvel Larry J. Else ao canal de TV “Fox 2”. “É uma oferta real”, justifica.
Um anúncio do imóvel foi colocado no site de corretagem “Zillow”, que o avalia em US$ 48,5 mil. A área total do terreno chega a 404 m². Algumas informações do classificado dão uma pista de que o preço do iPhone não vai ser o único gasto que um possível comprador terá de desembolsar.
Em impostos referentes ao imóvel são pelo menos US$ 6 mil. Além disso, a informação de que a casa necessita de “investimento especial” sinaliza de que reformas são necessária para torná-la habitável.
A urgência do vendedor pode ser explicada pela situação financeira enfrentada pela cidade de Detroit. A ex-capital do automóvel caiu em declínio desde que o eixo do mercado das quatro rodas foi deslocado dos Estados Unidos para países asiáticos. Ainda assim, casas ao redor desse imóvel em questão são avaliadas, por exemplo, em US$ 41 mil e US$ 43 mil.
 
 
 O iPhone 6 Plus de 128GB leva 10 a segundos a mais para ligar do que o modelo de 16GB
Na hora de optar por um modelo de iPhone com maior capacidade interna, claramente, os consumidores que possuem uma graninha a mais no bolso escolhem um modelo com o máximo de memória interna para salvar o máximo de arquivos possíveis. No entanto, existe uma ligeira diferença entre os modelos com mais armazenamento interno do que os que possuem menos, e a explicação pode ser um pouco mais lógica do que parece.

Um teste feito pelo pessoal do iClarifield compara os modelos do iPhone 6 Plus com 128GB e 16GB, em um teste bem simples de boot - para comprovar qual deles liga mais rápido. É claro, este tipo de teste não influencia em nada no funcionamento dos dois aparelhos, no entanto, é curioso notar que o dispositivo com mais memória interna leva quase 10 segundos a mais para ligar depois que o modelo de 16GB já está ligado.

Ambos os dispositivos haviam sido restaurados para o iOS 8.0 recentemente, ou seja, o teste foi feito com os dois dispositivos sem nenhum dado a mais na memória.

 A Apple não deu nenhuma explicação para este acontecimento, no entanto, seguindo a lógica, o modelo de 128GB demora mais tempo exatamente por possuir armazenamento maior, então, o hardware acaba levando alguns segundos a mais na hora de ligá-lo.

 
 
 Apple lança iPod Touch com processador de iPhone 6 e aumenta preço do produto no Brasil
A Apple acaba de lançar uma nova versão para o iPod Touch após passar três anos sem anunciar atualizações para o dispositivo.

Além de novas cores, o aparelho traz o potente processador A8, presente também no iPhone 6, e coprocessador M8 para monitoramento de atividades físicas. Ele também ganhou uma versão com maior capacidade, de 128GB – as demais também serão mantidas (16GB, 32GB e 64GB) e suporte a Wi-Fi 802,11ac.

A câmera traseira do dispositivo ganhou upgrade, agora com qualidade de 8 megapixels, e a câmera frontal traz um modo contínuo para selfies mais rápidas. Uma mudança notável foi a retirada da pequena saliência usada para pendurar a alça Loop no iPod.

Outros aparelhos que ganharam atualização foram o iPod Nano de 16GB e o iPod Shuffle de 2GB, que agora estão disponíveis nas cores rosa, azul e dourado, além do prateado e cinza escuro.
O preço dos produtos também sofreu mudanças e está um pouco mais salgado. O iPod Shuffle, que saía por R$ 329 na loja agora custa R$ 399. O iPod Nano passa de R$ 949 para R$ 1.179 e o iPod Touch ganhou um aumento notável e passa a custar a partir de R$ 1.429 em vez de R$ 1.149.
 
 
 Nos games o iphone 6 supera o galaxy s6 e muitos outros aparelhos
Em um teste realizado pelo GameBench, que colocou o iPhone 6 contra os aparelhos Galaxy S6, Nexus 6 e HTC One M9, os dispositivos da Apple superaram facilmente os gadgets com Android em termos de desempenho e estabilidade no gameplay de jogos de todos os gêneros, apresentando uma vantagem média de 10%. 
Os testes demonstram que o iPhone 6 obteve uma performance melhor em termos de média de FPS, bem como na quantidade mínima de quadros por segundo alcançada. Isso significa que o mais recente smartphone da Maçã é uma opção mais estável no que diz respeito a frames por segundo, já que consegue sustentar as exigências da jogatina e raramente despenca para menos de 30 fps. 
A estabilidade invejável dos dispositivos iOS é justificável. Afinal, o iPhone utiliza menos memória RAM e opera exigindo menos do hardware, dado que um aplicativo de entretenimento é, na maioria das vezes, melhor otimizado para o iOS.
Para contornar a falha de engenharia que privilegia os pixels sem dar poder a GPU dos dispositivos Android, os desenvolvedores dos jogos acabam realizando um pequeno "downgrade" gráfico para fazer com que o projeto ao menos rode no sistema. Por conta disso, o mesmo game pode entregar experiências completamente diferentes em plataformas distintas com o mesmo sistema. 
Além disso, o estúdio responsável pelo jogo pode definir uma taxa máxima de quadros para estabilizar o desempenho durante a jogatina, o que acaba interferindo diretamente na qualidade da imagem. Embora o Galaxy S6 consiga se esforçar para oferecer uma resolução melhor (1080p contra 720p do iPhone), justamente por conta de sua tela Quad HD, o desempenho do jogo acaba sendo afetado com travamentos ocasionais e quedas bruscas na taxa de fps.
 
 
 O iPhone 6 alcança 47,5 milhões de unidades vendidas e infla cofres da Apple
Apesar de apresentar queda nas vendas se comparado aos dois primeiros trimestres do ano, iPhone 6 ainda consegue superar o mesmo período de vendas no ano passado.

Não é nenhum segredo que o iPhone 6 da Apple é um sucesso de vendas; Em evento recente FY15, Cupertino reiterou o sucesso de seu último lançamento no segmento de smartphones, exibindo os resultados financeiros para o terceiro trimestre fiscal de 2015. Os resultados denotam uma excelente trajetória comercial do iPhone, fazendo as vendas de smartphones da Apple subirem de 37,5 em 2014, para 47,5 milhões de unidades, ou seja, um aumento de 35% se comparado ao mesmo período do ano passado.
 
Apesar desse aumento, houve uma queda se comparado aos dois primeiros trimestres do ano, onde o iPhone 6 conseguiu 74 e 61 milhões de vendas, mas geralmente, terceiros trimestres sempre representam uma queda de vendas para qualquer modelo, especialmente quando levamos em consideração que rumores sobre um possível novo modelo já devem circular na web constantemente a essa altura, não é mesmo? 
Enquanto isso, o Apple Watch parece ser completamente o inverso; O relógio inteligente da maçã parece não ter correspondido às expectativas, tendo previsão de 60% de queda nas vendas, algo até já comentado aqui por nós em um artigo anterior, onde discorremos sobre a demanda decrescente do gadget, especialmente após o mês de Junho. O resultado abaixo do esperado fez com que a Apple não dedicasse uma atenção especial ao número de vendas do Apple Watch, colocando-o possivelmente junto da categoria “Outros” em suas próximas presentações de lucros da empresa. O Apple Music, embora não tenha dados oficiais revelados, foi mencionado pela imprensa como “um serviço de recordes históricos”, aquecendo rumores de que foi, sem sombra de dúvidas, uma ótima aposta por parte da empresa de Tim Cook.
 
O iPad, não apresenta muita melhora, perdendo cada vez mais sua força no mercado; Durante o segundo trimestre do ano, cerca de 10,93 milhões de unidades de iPad foram vendidas, um valor 18% abaixo do mesmo período no ano passado, apresentando uma queda de 13% nas vendas se comparado ao primeiro trimestre de 2015. No final das contas, as vendas de iDevices conseguiram render à Apple US$10.700 milhões de lucro líquido, representando um crescimento econômico significativo para a firma, que registrou cerca de US$7.700 milhões no mesmo período do ano passado.
 
 
 Comparando cameras de alguns celulares entre eles o iphone 6 e o galaxy s6
A própria OnePlus tem buscado promover seu dispositivo liberando informações oficiais e imagens que confirmam as principais características técnicas do smartphone. Mas há também os dados extraoficiais oriundos de mãos como as do Youtuber Marques Brownlee, que produziu um vídeo hands on com o OnePlus 2 falando sobre as capacidades fotográficas do dispositivo.

Algumas das imagens usadas por Brownlee estão disponíveis na rede social Imgur, mas você pode conferir nas galerias abaixo em forma de comparativo como o OnePlus 2 se sai diante de desafiantes como o Galaxy S6, iPhone 6 Plus, LG G4 e até mesmo seu antecessor, o Oneplus One, para comparar a evolução do quesito câmera de uma geração para a outra.

Excetuando o OnePlus One, os desafiantes do OnePlus 2 apresentam resultados bastante semelhantes, mas as imagens do novo “Flagship killer” parecem muito mais vivas e brilhantes, um ponto muito positivo para o aparelho que custará abaixo de US$ 450. Resta saber se o conjunto todo agradará os usuários, já que apesar de contar com leitor biométrico, memória RAM de 4GB e outros recursos de ponta, chegará integrando o controverso processador Snapdragon 810 da Qualcomm.
 
 
 Os iPhones da Apple atingem recordes de vendas na China no Japão e na Coreia do Sul
A decisão da Apple de trocar o tamanho de tela do iPhone 6 e 6 Plus parece estar valendo a pena nos mercados asiáticos.
As vendas no Japão, China e Coreia do Sul estão todas em níveis recordes, afirma um novo relatório da Counterpoint Research, e a Apple está agora desafiando marcas da região.
Na Coréia do Sul, território de origem da Samsung, a Apple teve 33% do mercado em novembro passado, mais do que duplicando a participação de 15% que detinha antes do lançamento do iPhone 6 e 6 Plus. Isto coloca-a bem à frente da sul-coreana LG (14%) e não muito atrás da própria Samsung, cuja quota de mercado caiu de 60% para 46%.
“Nenhuma marca estrangeira foi além da quota de 20% na história da indústria de smartphones da Coreia,” disse o analista Tom Kang, em comunicado de imprensa. “[O mercado] sempre foi dominado pela líder mundial de smartphones, a Samsung. Mas o iPhone 6 e 6 Plus têm feito a diferença aqui”.
Uma história semelhante está acontecendo no Japão, onde a quota de mercado da Apple saltou em novembro para 51%. Ao mesmo tempo, as quotas de mercado das empresas nacionais caíram, com a Sony passando de 30% em julho, para 17% em novembro.
Já na China, a Maçã ainda encontra alguns problemas com a Xiaomi e Lenovo, que ficaram em primeiro e segundo lugar, respectivamente, com 18% e 13%. A Apple teve 12%.
“Com o lançamento do Note & Note Pro da Xiaomi, vai ser uma batalha feroz no segmento premium”, disse Shah, acrescentando que as coisas parecem especialmente ruins para a Samsung, que está agora sendo “atacada de ambos os lados”.
 
 
 iphone 6 realmente é a prova d'água?
Há tempos os usuários de iPhone pedem por um dispositivo à prova d’água. Para a alegria destes, foi revelada recentemente um pedido de patente para uma solução da Apple que poderá trazer este benefício aos nossos iGadgets. E ela pode usar a nanotecnologia para isso.

A concorrência oferece hoje alguns dispositivos resistentes à água, mas para isso eles usam o método tradicional, de vedação da carcaça, que acaba ocupando um espaço interno importante na estrutura. Visto que a Apple já optou por designs finos, aumentar o volume agora só para torná-lo resistente à água seria um retrocesso para ela. É por isso que uma das opções é usar uma tecnologia moderna, capaz de proteger da água sem prejudicar o design.

A patente prevê o uso de materiais químicos que sejam hidrofóbicos, ou seja, que façam repelir a água. A ideia não é nova e até mesmo já foi sugerida no passado pelo nosso leitor JanjaBoy.
Com isso, não seria preciso nenhum sistema de vedação no interior do aparelho, bastaria revestir os componentes principais com o material hidrofóbico, para que a água não entrasse em contato com circuitos elétricos delicados. Assim, a Apple não precisaria se preocupar em alterar em nada seu design.
Como sempre, não é possível saber com certeza se a patente um dia se tornará realidade. Mas pelo menos demonstra que a Apple está procurando soluções para isso.
Confira como a substancia funciona em: https://www.youtube.com/watch?v=IPM8OR6W6WE&feature=youtu.be
 
 
 as novidades que o iphone 6 vem trazendo
Alcançabilidade
Com o recurso Alcançabilidade, fica mais fácil alcançar os itens na parte superior da tela usando apenas uma das mãos. É só tocar duas vezes no botão Início sem pressionar para que a tela desça até o seu polegar. Depois que você seleciona o que quer, a tela volta para cima.

Veja tudo maior
Veja mais do seu conteúdo com a visualização padrão ou amplie com o zoom da visualização. Ajuste a visualização em Ajustes Tela e Brilho.

Navegue com apenas um deslize
Deslize da esquerda para a direita para voltar ou ao contrário para avançar. Isso também funciona em muitos apps, como o Safari, o Mail e o 

Mensagens.
Faça mais coisas no modo de visualização horizontal do iPhone 6 Plus
Alguns apps, como Calendário, Relógio, Bolsa e Mensagens, aproveitam a tela maior para mostrar mais conteúdo na horizontal.

Câmera na Central de Controle
Para acessar sua câmera rapidamente em qualquer tela, inclusive a Tela Bloqueada, deslize para cima e toque no botão da câmera.

Grave vídeos melhores
Habilite “Gravar Vídeo a 60 FPS” em Ajustes, Fotos e Câmera para gravar o dobro de quadros por segundo.

Selecione a velocidade da câmera lenta
Escolha a velocidade da câmera lenta tocando no ícone FPS na tela da câmera. Depois escolha entre 240 qps e 120 qps em Câmera para ter um efeito de câmera lenta nos seus vídeos.

Modo contínuo
Agora você pode registrar vários momentos de uma ação com a sua câmera FaceTime HD. O modo contínuo tira 10 fotos por segundo em sequência. O iPhone analisa todas elas em tempo real e sugere as melhores do grupo.

Modo timer
Toque no ícone de timer na parte superior da tela para ajustar o timer em 3 ou 10 segundos. Para ativar o modo timer e o modo contínuo, é só manter pressionado o botão da câmera e soltar quando você estiver pronto.

Ajuste a exposição
Toque em qualquer lugar da tela e deslize para cima ou para baixo para capturar a quantidade certa de luz para a sua foto.
Tire fotos usando os botões de volume
Pressione o botão de Aumentar ou Diminuir volume para tirar uma foto. Você também pode tirar fotos usando os botões de volume no seu Apple EarPods com controle remoto e microfone.

Corrigir e recortar
Corrija a linha do horizonte e faça o recorte perfeito em todas as suas fotos. Basta tocar em Editar e depois no ícone de recortar.

Ajuste a luz e a cor
Dê às suas fotos um acabamento melhor usando os controles inteligentes para encontrar a luz perfeita, realçar as cores e até melhorar o azul do céu.

Fotos no mapa
Veja a localização das suas fotos em um mapa tocando no nome do local em Anos, Coleções ou Momentos.

Busca com sugestão inteligente
Toque no ícone de busca e veja opções de busca por data, horário em que a foto foi tirada, local e nome do álbum. Com mais um toque, você tem acesso às fotos tiradas nas proximidades, fotos favoritas ou fotos tiradas no mesmo dia do ano passado.

Álbuns Inteligentes
Os Álbuns Inteligentes guardam suas fotos panorâmicas, no modo contínuo e fotos ocultas, além dos vídeos HD, em câmera lenta e em time lapse. E o álbum Apagado Há Pouco guarda as fotos apagadas durante 30 dias, caso você mude de ideia.

Oculte fotos
Dê um toque e mantenha pressionada uma foto para que ela fique oculta de Momentos, Coleções e Anos. Você pode visualizar todas as fotos ocultas acessando o álbum de fotos ocultas.

Responda às notificações
Deslize para baixo em uma notificação de nova mensagem para responder sem sair do app que você está usando.

Envie uma foto ou vídeo rápido
Compartilhe o que você está vendo no mesmo momento. Mantenha o botão da câmera pressionado e deslize para cima para tirar uma foto ou deslize para a direita para gravar um vídeo.

Coloque sua voz nas mensagens
Mantenha o botão de microfone pressionado para gravar sua mensagem e deslize para cima para enviar. Para ouvir uma mensagem, segure o iPhone perto da orelha e ouça ou toque no botão Reproduzir.
Gerencie as mensagens de grupos
Comece uma conversa em grupo e dê um nome a ela. Inclua as pessoas que desejar, remova as indesejadas e saia da conversa quando quiser. Ou toque em Detalhes, habilite o Não Perturbe e leia as mensagens em outro momento.

Compartilhe sua localização
Você pode compartilhar onde está com as pessoas que quiser, durante o tempo que quiser. Basta tocar em Detalhes e selecionar Compartilhar Localização. Quando seus amigos escolhem compartilhar suas localizações, você vê todos eles em um mapa.

Toque para visualizar os anexos
Toque em Detalhes para ver todos os anexos de uma conversa. Dê um toque e mantenha um anexo pressionado e toque em Mais para salvar ou excluir diversos itens de uma vez.

Texto preditivo
O iPhone pode oferecer sugestões de palavras que são muito úteis. Mantenha pressionado o botão de emoticon sorridente ou globo, depois toque em Preditivo para ativar ou desativar.

E aí Siri
Para falar com a Siri em viva-voz, basta dizer “E aí Siri” com seu iPhone conectado a uma fonte de energia. Para ativar esse recurso, vá até Ajustes 

Geral Siri.
Identifique uma música
A Siri sabe o nome da música que está tocando onde você está. É só perguntar “Que música está tocando?” e ela diz o nome da música e do artista.

Previsões expandidas
Veja todos os seus locais juntando os dedos na tela para ter uma visualização reduzida. Deslize para cima em um local para ver uma previsão expandida e mais detalhes.

Não perca nenhum compromisso
Insira e selecione o endereço no campo Localização de um novo evento, depois escolha Tempo de Viagem para receber um alerta na hora de sair para ir a pé ou de carro.

Veja outra mensagem
Deslize para baixo na barra de título de uma mensagem que você estiver escrevendo. Quando quiser voltar para a sua mensagem, toque no título dela na parte inferior da tela.

Veja tudo mais perto com o Flyover
Na visualização padrão, toque nas cidades com um ícone 3D para fazer um tour aéreo impressionante com o Flyover.

Obtenha a versão para computador
Se você quiser ver a versão completa de um site para computador em vez da versão para dispositivos móveis, basta tocar no campo de busca, puxar a tela dos seus favoritos para baixo e depois tocar em Versão para Computador.

Atalho para contatos favoritos
De qualquer tela, pressione o botão Início duas vezes para ver a interface multitarefa. Agora, você vê também as pessoas de quem mais gosta. A parte superior mostra os rostos das pessoas com quem você falou recentemente. Deslize para a direita e veja seus contatos favoritos também. 
Basta tocar em um deles para ligar, enviar mensagens de texto ou iniciar uma chamada por FaceTime.

O texto é lido para você
Vá até Ajustes Geral Acessibilidade Fala e ative Falar Conteúdo da Tela. Depois vá até um app e deslize de cima para baixo com dois dedos. Todo o conteúdo da página será lido para você.
 
 
 Ficha Técnica do Iphone 6
O Apple iPhone 6 é um smartphone iOS com características inovadoras que o tornam uma excelente opção para qualquer tipo de utilização, representando um dos melhores dispositivos móveis já feitos. A tela de 4.7 polegadas é um verdadeiro record que coloca esse Apple no topo de sua categoria. A resolução também é alta: 1334x750 pixel. As funcionalidades oferecidas pelo Apple iPhone 6 são muitas e todas top de linha. Começando pelo LTE 4G que permite a transferência de dados e excelente navegação na internet, além de conectividade Wi-fi e GPS presente no aparelho. Tem também leitor multimídia, videoconferência, e bluetooth. Enfatizamos a boa memória interna de 128 GB mas sem a possibilidade de expansão. Em um smartphone deste nível, não poderia faltar uma câmera de 8 megapixels que permite ao Apple iPhone 6 tirar fotos com uma resolução de 3264x2448 pixels e gravar vídeos em full HD a espantosa resolução de 1920x1080 pixels. A espessura de apenas 6.9 milímetros torna o Apple iPhone 6 um dos telefones mais finos que existem. 
 
 
 comparando os smartphones de duas marcas rivais a apple com o iphone 6 e o samsung com o galaxy s6
Desempenho: Galaxy S6
O que faz um smartphone rodar bem é a combinação entre seu processador, memória RAM e espaço para armazenar arquivos. O Galaxy S6 é octa-core, ou seja, com oito núcleos de processamento, 3 GB de RAM, que é o que permite esse processamento acontecer sem falhas, e versões de 32 GB, 64 GB ou 128 GB para que os usuários guardem seus apps, fotos e conteúdo em geral. O iPhone 6 tem processador com apenas dois núcleos, 1 GB de RAM e edições de 16, 64 e 128 GB.Ou seja, neste trio de componentes, o S6 é bem superior. Na bateria idem. O iPhone 6 tem 1.810 mAh, enquanto o Galaxy conta com 2.600 mAh. Ou seja, tem a maior capacidade para manter o telefone ligado – o que também se faz necessário por ele ter um hardware que exige muito mais. Além disso, segundo a Samsung, o carregamento dele é duas vezes mais rápido do que o do iPhone e conta também com carregamento sem fio.
De resto, eles são bem parecidos: conectividades WiFi, Bluetooth, NFC e 4G, sistema de pagamentos, auxiliares por voz, programas voltados para a saúde do usuário, leitores de digitais e aplicativos de suas fabricantes pré-instalados. O que decide mesmo a comparação, então, é o fato de o Galaxy S6 ter um “poder de fogo” muito maior do que o do iPhone 6.

Dimensões: iPhone 6
O iPhone 6 é mais portátil do que o Galaxy, mas por pouco. O gadget da Apple mede 138.1 x 67 x 6.9 mm e pesa 129 gramas. Já o da Samsung tem 143.4 x 70.5 x 6.8 e 138 gramas. Não é uma diferença grande, mas ela existe a favor do iPhone, que é mais baixo, mais leve e menos largo. O S6 só conta com uma espessura menor, mas somente 0.1 mm.

Design: Empate
Se nas dimensões eles são quase iguais, no design isso também acontece. E, desta vez, não é possível nem dizer onde um é melhor do que o outro, porque parece que o GalaxyS6 foi inspirado no iPhone concorrente. De tanto ouvir críticas do acabamento em plástico dos seus telefones, a Samsung resolveu fazer seu novo top com alumínio e metal. O resultado foi ótimo, deixando-o com aspecto mais sofisticado. Porém, bem parecido com o iPhone.Os dois têm bordas bem arredondadas, tamanhos parecidos, e até cores, como prata e dourada, semelhantes. A decisão aqui é de cada usuário. No geral, o iPhone 6 parece ter um visual mais leve, mais clássico, enquanto o S6 tem um acabamento que dá a impressão de ser mais robusto. Enquanto o iPhone causa impressão de fragilidade, o aparelho da Samsung 
parece mais resistente.

Tela: Galaxy S6
A Apple sempre teve displays de encher os olhos, mas desta vez a Samsung parece ter corrigido os erros. O esquema de cores dos displays dos aparelhos da empresa sul-coreana sempre foi criticado, e desta vez todos elogiam. Além disso, ele apresenta 2560 x 1440 pixels, ou seja, uma resolução QuadHD, contra um tradicional 750 x 1334 pixels da tela Retina do iPhone 6. Uma diferença de 251 pixels por polegada (577 no S6 e 326 no iPhone).Isso significa que a tela do S6, mesmo sendo ligeiramente maior do que a do iPhone, consegue ter uma qualidade melhor. Quanto mais pixels, mais detalhes pode se ver na imagem. Além disso, a tela do novo smartphone da Samsung conta com Gorilla Glass 4, que é a mais recente versão do revestimento de vidro fornecido pela empresa Corning para dar mais resistência aos displays de aparelhos telefônicos.

Câmeras: Galaxy S6
Novamente, a diferença vai além das especificações técnicas. Nas demonstrações feitas no palco do MWC 2015, quando revelou o S6, a Samsung mostrou que o aparelho tem câmeras superiores. Com 16 megapixels na traseira e 5 megapixels na frontal, tem ótima qualidade de imagem. Possui estabilizador óptico nas duas, além de HDR e sistema de baixa luz. Na traseira, conta até com um modo profissional, em que o usuário pode usá-lo como uma câmera DSLR.O iPhone 6, apesar de numericamente parecer muito inferior, com 8 megapixels e 1,2 megapixel, nas câmeras traseira e frontal, respectivamente, não tem o desempenho ruim. Pelo contrário. Conta com um dos melhores sensores já feitos pela Apple. No entanto, ainda assim, não oferece tanta variedade de recursos como o Samsung. Portanto, mais uma vitória para o S6 neste comparativo.

Sistema operacional: Empate
A Samsung melhorou muito seu sistema operacional, com uma Touchwiz mais limpa visualmente e também com a plataforma mais limpa literalmente, com menos aplicativos pré-instalados. No entanto, o Android ainda tem alguns pontos de defeito, como a segurança e aplicativos que ainda chegam primeiro ao iOS. Apesar disso, o sistema da Apple, que tem ótima usabilidade e é muito amigável, também é mais restrito quanto à personalizações e conexões com outros sistemas. Cada um tem pontos positivos e negativos, e essa disputa é o usuário quem resolve. Ambos têm o que de melhor (e pior) suas plataformas podem oferecer.
 
 
 A câmera do iphone 6 pode ser umas das melhores do mercado atualmente
Quando a Apple lançou o iPhone 6, críticas negativas sobre a câmera de 'apenas' 8 megapixels não foram poucas. Entretanto, para a surpresa de muitos, uma equipe de especialistas levaram o sensor do smartphone ao máximo em um teste que envolve padrões industriais e o uso diário.

A DxO Labs, empresa responsável pela a experiência, utilizou o benchmark DxOMark para pontuar o componente de acordo com o seu desempenho em diversos fatores. Tanto o iPhone 6 quanto o Plus receberam a nota 82, sendo que o Galaxy S5 e o Xperia Z3 ficaram juntos no patamar de 79. Consequentemente, dando o título de "melhor câmera em smartphones" para os iGadgets.
Ainda de acordo com a análise da companhia, não há muita diferença entre os dois modelos do iPhone. Ambas apresentam resultados respeitáveis com uma boa exposição geral, autofoco impressionante tanto em alta e baixa luminosidade, renderização de cores superior, preservação de detalhes e um flash de qualidade.
A gravação de vídeo também foi testada e a pontuação, novamente, não decepcionou. Em razão da estabilização ótica no Plus e a tecnologia Focus Pixels, as tremidas são quase inexistentes. O novo sensor da Apple conta com uma abertura de f/2.2" e com pixels de 1.5 mícrons.

Em compilados anteriores, a real performance em imagens e vídeos foi retratada por usuários comuns, ressaltando o desempenho em situações comuns no dia-a-dia. A possibilidade de gravação em super câmera-lenta, time-lapse e em FULL HD (60 fps) chama a atenção dos apaixonados por fotografia.
 
 
 batalha de gigantes o incrível iphone 6 e o iphone 6 plus
O iPhone 6 e o iPhone 6 Plus são os smartphones lançados pela Apple em 2014. Os aparelhos são tops poderosos, e chegam ao mercado rodando iOS 8. Um tem tela de 4,7 polegadas e o outro é a estreia da marca em foblets, com uma tela de 5,5 polegadas. Confira no comparativo a seguir as diferenças e semelhanças dos novos smartphones da Apple.

Tela
Começando pela diferença mais aparente, as telas dos iPhones 6 e 6 Plus não se diferem somente no tamanho. O foblet iPhone 6 Plus é o primeiro da companhia a alcançar a resolução Full HD (1920 x 1080 pixels) na tela, resultando em densidade de 401 ppi, a maior até hoje em um iPhone. Já o iPhone 6, com tela de 4,7 polegadas, tem resolução e densidade de pixels menores: 1134×750 e 326 ppi.O modelo Plus tem consideravelmente maior espaço de tela e ainda conta com 2 milhões de pixels a mais para gerar uma imagem mais bem definida. Com isso, a Apple também passa a permitir rotação na horizontal nos apps, inclusive na própria tela inicial – segundo a companhia, já há diversos otimizados para o novo tamanho disponíveis na loja oficial.

Design
Os novos dispositivos ficaram ainda mais finos que o antecessor 5S, mas o iPhone 6 é o campeão. Ele mede somente 6,9 mm de espessura, contra 7,1 mm do iPhone 6 Plus. Mesmo assim, por ser consideravelmente maior, o Plus pode até dar a impressão de ter espessura mais fina, já que a diferença é mínima. 
De resto, os dois são exatamente os mesmos. O design renovado é inspirado no iPad Mini e traz bordas mais arredondadas, que parecem se juntar à tela na parte da frente. Feita de alumínio, o smartphone será disponibilizado em três cores: branco, cinza e dourado.

Câmera
Os dois trazem sensores de 8 megapixels iSight, mas a diferença fundamental está no sistema de estabilização de imagem. No iPhone 6, há 
um sistema digital que regula a imagem e impede que tremidas atrapalhem fotos e, principalmente, gravação de vídeos. Já no modelo Plus, o mecanismo é óptico, resultando possivelmente em resultados muito mais apurados, como os vistos na excelente câmera do Nokia Lumia 1020.
Em resumo, apesar do iPhone 6 certamente conseguir tirar belas fotos, as imagens capturadas no iPhone 6 Plus deverão sofrer menos tremidas, o que deve agradar principalmente a quem fotografa em movimento. 

Bateria
Muitos esperavam que iPhones maiores significassem mais bateria, mas não é isso que ocorre no iPhone 6. Segundo o CEO da Apple, Tim Cook, ele tem rendimento “igual ou melhor” ao 5S na maioria das tarefas, se destacando somente em algumas atividades, como reprodução de áudio, que passa de 40 horas para 50 horas de um modelo para o outro.
O iPhone 6 Plus, por outro lado, promete rendimento um pouco melhor. Apesar da tela Full HD, a bateria de capacidade maior equipada no gadget dura até 80 horas de reprodução de áudio, 14 de vídeo (11 no iPhone 6) e 24 horas de conversação via 3G (14 no iPhone 6). Isso quer dizer que, por mais que não haja melhora em aspectos importantes como navegação 4G ou Wi-Fi, o foblet é o que oferece mais autonomia.
 
 
 As melhorias do iphone 5s para o iphone 6
Após o lançamento do iPhone 6 e iPhone 6 Plus, muitas são as dúvidas dos usuários em saber o que os novos ‘brinquedinhos’ da Apple têm a oferecer. Separamos algumas delas para que você fique por dentro das novidades do sucessor do 5S:

O que mudou no novo iPhone?
O iPhone 6 ficou maior e mais fino, ganhou um novo processador A8 com 64 bits, melhorias na tecnologia 4G (LTE), tecnologia NFC (permite aos aparelhos enviar dados, bastando uma simples aproximação entre telefones), além de ter ganho um ‘irmão’ um pouco maior, o iPhone 6 Plus.

Qual o tamaho da tela do iPhone 6? 
O iPhone 6 tem tela de 4,7 polegadas, enquanto o Plus conta com uma de 5,5 – ambos têm como destaque a tela Retina em HD, com 1 e 2 milhões de pixels, respectivamente.

Qual a câmera do iPhone 6?
A nova iSight, na traseira dos modelos, continuará com 8 megapixels, porém virá com 1.5µ pixels, ƒ/2.2 de abertura, além de um novo sensor e outras melhorias.

Qual a cor do iPhone 6? 
Os aparelhos também contam com três opções de cor (cinza, prata e dourado), com diversas capinhas dos mais variados estilos, como couro ou silicone.

Quanto tempo dura a bateria do iPhone 6?
Sem dar muitos detalhes, a Apple garante que os novos smartphones têm desempenho de bateria no mínimo igual à da geração atual, isso se não for melhor. O iPhone 6 Plus garante 24 horas de conversação em 3G, enquanto o normal fica em 14 horas – o iPhone Plus ainda permaneceria 16 dias ligados em modo standby contra 10 do modelo menor.

Qual é a diferença entre o iPhone 6 e o iPhone 6 Plus? 
O iPhone 6 Plus conta tela maior, melhor qualidade em fotografias e vídeos, bateria com maior duração entre outras, além do preço que será um pouco maior.
 
 
 o smartphone iphone 6 que explodiu na india
Desta vez o caso aconteceu na Índia onde um iPhone 6, com apenas 2 dias de uso, explodiu durante uma chamada, o que levou o dono do equipamento a apresentar queixa na polícia.Recorrentemente lá surge uma nova história de um equipamento que explode seja a carregar a bateria, em chamada ou noutra situação.

Desta vez o caso ocorreu ao indiano Kishan Yadav, habitante de Gurgaon (Haryana), dono de um iPhone 6 com apenas 2 dias de uso que, segundo indica, explodiu durante uma chamada telefónica.

A notícia foi avançada pelo jornal “The Times of India” e Yadav conta que se encontrava no seu carro a conversar com um amigo pelo iPhone 6 quando verificou que saíam faíscas do smartphone. A reação do indiano foi atirar o iPhone pela janela do carro e este, que se encontrava muito quente, explodiu no chão.

Yadav afirma que estava a utilizar o sistema de comando por voz e que a bateria deveria ter uma carga de 70%. O indiano reconhece ter tido sorte por ter escapado ileso deste incidente: “Poderia ter queimado o meu rosto”.
Após o ocorrido, Yadav dirigiu-se à loja onde comprou o iPhone e recomendaram-lhe que contactasse a Apple. Assim o fez e, a marca da maçã, pediu que ele enviasse o smartphone para que pudessem proceder à substituição do mesmo.A causa desse explosão ainda não foi identificada. Normalmente esses acidentes ocorrem por conta do uso de carregadores e outros acessórios piratas.

Ainda assim, Yadav apresentou queixa na polícia, indicando que havia comprado o seu iPhone 6, de 64GB na versão cinza, no dia 18 de Junho por 945 dólares (cerca de 845€).

A Apple comunicou à imprensa que estava a avaliar o incidente e afirma que, desde o lançamento do iPhone 6 a Outubro de 2014, que não tinha ainda recebido qualquer reclamação do smartphone na Índia.
 
 
 
Categorias
0
Cemitérios
Cidades
Ciência
Cultura e Lazer
Dicas
Economia
Educação
Esporte
Gastronomia
Iphone
Meio Ambiente
Moda
Mundo
Natureza
Notícias
Parques
Planeta Bizarro
Política
Prefeituras
Saúde
Tecnologia
windows 10
posts bloguei Posts
Setembro de 2010 5  postagens    
Fevereiro de 2011 5  postagens    
Março de 2011 26  postagens    
Maio de 2011 19  postagens    
Julho de 2011 11  postagens    
Agosto de 2011 11  postagens    
Janeiro de 2012 19  postagens    
Julho de 2012 8  postagens    
Outubro de 2012 1  postagens    
Novembro de 2012 8  postagens    
Maio de 2013 4  postagens    
Junho de 2013 16  postagens    
Outubro de 2013 1  postagens    
Novembro de 2013 1  postagens    
Dezembro de 2013 1  postagens    
Janeiro de 2014 4  postagens    
Junho de 2014 9  postagens    
Agosto de 2014 1  postagens    
Setembro de 2014 1  postagens    
Novembro de 2014 1  postagens    
Dezembro de 2014 5  postagens    
Janeiro de 2015 7  postagens    
Fevereiro de 2015 36  postagens    
Março de 2015 19  postagens    
Abril de 2015 17  postagens    
Maio de 2015 29  postagens    
Junho de 2015 16  postagens    
Julho de 2015 44  postagens    
Agosto de 2015 73  postagens    
Setembro de 2015 214  postagens    
Outubro de 2015 238  postagens    
Novembro de 2015 198  postagens    
Dezembro de 2015 125  postagens    
Janeiro de 2016 70  postagens    
Fevereiro de 2016 125  postagens    
Março de 2016 126  postagens    
Abril de 2016 28  postagens    
Junho de 2016 1  postagens    
Todos os Posts
 
Untitled Document