bloguei
  Eu blogo, tu blogas, ele bloga, nós blogamos e todos dão opinião.
bloguei Ribeirão Preto Dicas, Notícias e Muito mais...
 
 Ministro do STF separa Eletronuclear da Lava Jato
Na prática, a medida tira as investigações sobre a estatal das mãos do juiz Sergio Moro

ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), concluiu nesta sexta-feira (30/10), que o inquérito sobre o esquema de corrupção na companhia estatal Eletronuclear deve ser separado do processo da Petrobras. Na prática, a medida tira das mãos do juiz Sergio Moro, da 13ª Vara da Justiça Federal no Paraná, as investigações sobre o caso que surgiu no âmbito da Operação da Lava Jato.

Com a medida, os autos relacionados à estatal do setor elétrico deverão ser encaminhados à Justiça Federal no Rio de Janeiro, onde se localiza a sede da Eletronuclear. A informação foi obtida com exclusividade pelo jornal O Estado de S.Paulo.
Relator da Lava Jato no STF, Teori já havia determinado a suspensão do processo por meio de liminar concedida no começo de outubro, a pedido da defesa de Flavio Barra, executivo da empreiteira Andrade Gutierrez. Na oportunidade, os advogados de Barra alegaram que o caso não tinha relação com o esquema na Petrobras.

A situação é similar à dos processos da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e do ex-ministro Paulo Bernardo. Os dois foram citados em depoimentos colhidos na Justiça Federal do Paraná em meio às investigações da Lava Jato. No entanto, o esquema investigado relaciona-se a fraudes em contratos de serviços prestados no Ministério do Planejamento por uma empresa de São Paulo. Por causa disso, Zavascki concordou com a tese de que o caso não se relacionava ao inquérito da Lava Jato e concluiu que não deveria mais relatá-lo no STF.

Desse modo, pediu que o processo fosse redistribuído a outro ministro - Dias Toffoli acabou sorteado. Isso fez também com que as investigações em primeira instância deixassem de ser comandadas por Moro.

Em 22 de setembro, o plenário STF aprovou a decisão de Zavascki por 8 votos a 2. Os ministros também decidiram repassar as provas contra Gleisi para o novo ministro relator e determinaram que o caso em primeira instância passasse a tramitar na Justiça Federal de São Paulo, onde os crimes teriam ocorrido.

A assessoria da Procuradoria-Geral da República avalia que a decisão do ministro do Supremo sobre a Eletronuclear deve ser submetida ao plenário da Corte. Falando em tese, o ministro Marco Aurélio Mello tem entendimento diferente. "O declínio da competência da relatoria suscita a redistribuição. Portanto, a investigação em primeira instância deve ser encaminhada para o Rio de Janeiro", disse ele à reportagem.

PMDB
O caso do esquema da Eletronuclear envolve o senador Edison Lobão (PMDB-MA), ex-ministro de Minas e Energia. Ele foi citado pelo dono do UTC, Ricardo Pessoa, que fez acordo de delação premiada.

Em um dos seus depoimentos, Pessoa afirmou que teve um encontro Lobão, em 2014, e em que ele pediu R$ 30 milhões para campanhas eleitorais do PMDB. De acordo com o delator, o então ministro solicitou um porcentual entre 1% e 2% do valor total do custo das obras tocadas por um consórcio formado pela UTC e mais seis empreiteiras na usina de Angra 3, cuja administração cabe à estatal Eletronuclear.

Ainda no seu depoimento, Pessoa contou que também participaram da reunião os executivos Dalton Avancini, da Camargo Correa, e Flavio Barra, da Andrade. Avancini, que também fez acordo de delação premiada, confirmou o encontro. No começo de outubro, quando concedeu liminar suspendendo a ação, Zavascki criticou o fato de o nome de políticos terem sido omitidos durante os depoimentos coletados por Moro.

"É de se estranhar, portanto, que, na oportunidade da tomada do depoimento, as autoridades responsáveis pela diligência não tenham tido o elementar cuidado de questionar o colaborador sobre a identidade dos agentes políticos beneficiários das supostas propinas", escreveu o ministro do STF.

Como Lobão tem foro privilegiado por ser senador da República, o inquérito relacionado a ele permanecerá no STF, mas não mais com Zavascki.


Fonte: http://epocanegocios.globo.com/
 
 
 Governo aprova juros mais altos para consignado de aposentados
Decisão foi aprovada pelo Conselho Nacional da Previdência Social.
Mudança passará a valer somente com publicação no 'Diário Oficial'.


O Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) aprovou, nesta quinta-feira (29), aumento das taxas de juros do crédito consignado (com desconto na folha de pagamento) de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), informou o governo.

Para empréstimo pessoal, o percentual passa de 2,14% para 2,34% ao mês. Já para empréstimos feitos pelo cartão de crédito, a taxa sobe de 3,06% para 3,36% ao mês, acrescentou o Ministério da Previdência Social.
A mudança passa a valer somente com a publicação no Diário Oficial da União de Resolução do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o que está previsto para acontecer nos próximos dias, explicou o governo.
O Conselho Nacional de Previdência Social debatia o aumento da taxa de juros do crédito consignado de aposentados e pensionistas desde maio deste ano. Segundo o Ministério da Previdência, o sistema financeiro que opera o crédito consignado para aposentados e pensionistas pedia um aumento maior ainda – o que não foi aceito.

O limite do crédito consignado também foi ampliado de 30% da renda para 35%, segundo lei sancionada no dia 22 de outubro.
De acordo com o texto, esse percentual a mais, de 5%, só poderá ser usado para bancar as despesas com cartão de crédito. Ou seja, além de o trabalhador poder pedir um crédito ao banco equivalente até 30% do que ganha por mês, como antes, ele também poderá comprometer mais 5% do seu salário para pagar suas dívidas com cartão de crédito, que tem taxas de juros muito mais altas.
Uma pessoa que recebe R$ 2.000 por mês antes podia comprometer com empréstimo em folha até R$ 600 (30%). Com a nova regra, esse valor sobe para R$ 700 (35%), e desse total, R$ 100 só podem ser usados para pagar as dívidas do cartão de crédito.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 IGP-M acelera a 1,89%, o mais alto para outubro desde 2002
Em setembro, índice da FGV que reajusta maioria dos contratos de aluguel foi de 0,95%


RIO - O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) foi de 1,89% em outubro, informou a Fundação Getulio Vargas nesta quinta-feira. É o mais alto para o mês desde 2002, quando o índice ficou em 3,87%. Considerando qualquer mês, é o mais alto desde junho de 2008.

Em setembro, taxa foi de 0,95%, o índice mais alto para meses de setembro desde 2013. Em outubro de 2014, a variação foi de 0,28%. A variação acumulada em 2015, até outubro, é de 8,35%. Em 12 meses, a alta é de 10,09%, pela primeira vez acima de 10% e o mais alto desde os 12 meses encerrados em abril de 2011 (10,6%).

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de energia elétrica e aluguel de imóveis. O cálculo é feito com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

O componente com maior peso no IGP-M, com 60%, é o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA). Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) tem 30% da composição do índice geral e o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) tem peso de 10%.

Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias em outubro: IPA, de 1,30% para 2,63%, IPC, de 0,32% para 0,64%, e INCC, de 0,22% para 0,27%.



Fonte: oglobo.globo.com/
 
 
 WhatsApp vs rivais, veja quais funções não estão no mensageiro popular
O WhatsApp é o aplicativo de mensagens mais popular do país, mas não significa que seja o líder também em quantidade de recursos. Concorrentes como Skype, Viber e Facebook Messenger trazem inúmeras funcionalidades que ainda não chegaram ao mensageiro (mantido pelo Facebook), deixando-o para trás na hora, por exemplo, de fazer uma videochamada ou compartilhar arquivos de todo tipo. 

Confira uma lista de funções que rivais têm e o WhatsApp não tem.

O WhatsApp demorou algum tempo para implementar as chamadas de voz, então pode-se dizer que haverá certamente uma espera grande para que a função e videochamadas chegue ao aplicativo. Com isso, concorrentes saem na frente ao oferecer videoconferências gratuitas pela web, celular e tablet, seja Android ou em dispositivos da Apple com o FaceTime. A funcionalidade é encontrada no Skype, Messenger e Hangouts, entre outros.


Compartilhar stickers
Emojis são cada vez mais populares, mas há momentos em que os stickers são mais úteis para revelar um sentimento a alguém. Esses adesivos digitais, porém, ainda não estão disponíveis no WhatsApp, obrigando o usuário a lançar mão de alternativas como Line, que tem um pacote próprio com várias opções, além de Telegram, Viber e Messenger – no chat do Facebook para Android e iOS, é comum encontrar stickers comemorativos do carnaval ou de filmes, por exemplo.


Deletar mensagens depois de um tempo
O Snapchat é o app mais famoso com mensagens que se autodestroem, mas alternativas como o SIMSme dão um passo além: é possível até programar quanto tempo suas conversas ficarão disponíveis antes de sumirem do seu telefone e do seu amigo. Além disso, o aplicativo criptografa fotos, vídeos e outros conteúdos multimídia, em um conjunto de funções oferecidos também pelo Telegram.
O WhatsApp, por outro lado, não oferece nada disso.


Traduzir mensagens automaticamente
Apesar de o Android Marshmallow (6.0) já possuir recurso de tradução rápida praticamente em qualquer lugar, só apps como o WeChat oferecem essa função no iPhone. Assim, é possível usar o app chinês para conversar com estrangeiros sem maiores problemas, aproveitando a tradução simultânea dentro do próprio app, algo que o WhatsApp não tem no iOS ou em versões anteriores do Android.



Usar outros apps para melhorar o chat
O Facebook lançou, em março de 2015, uma plataforma que permite ao Messenger obter extensões para melhorar o chat. Assim, por meio do app oficial para dispositivos móveis, é possível acessar o Giphy, para criar GIFs, o PicCollage, para fazer montagens de fotos, ou o Talking Tom Cat, para mudar sua voz em uma mensagem de áudio. Para isso, basta abrir o menu e escolher entre as várias opções. Apesar de ser detido pelo Facebook, o WhatsApp não aproveita esta plataforma de extensões.



Compartilhar qualquer arquivo
O compartilhamento de arquivos no WhatsApp é restrito a áudio, vídeo, fotos, contatos e localização, algo ultrapassado facilmente por apps como o Telegram. O app russo usa sua poderosa nuvem para transmitir qualquer arquivo guardado no celular, tablet ou desktop, desde que tenha até 1,5 GB, tornando-o uma poderosa ferramenta de trabalho colaborativo.



Fazer ligações para fixo e celular
O WhatsApp já tem chamadas de voz, mas só via internet para outro amigo que também está disposto a gastar o pacote de dados para receber a ligação no celular. Se você precisar chamar números fixo ou celulares, terá que usar opções como Skype e Viber, que cobram planos mensais ou pacotes de minutos para efetuar ligações para telefones comuns.



Fonte: techtudo.com.br/
 
 
 Inflação do aluguel acumula alta de 10% em 12 meses, diz FGV
De setembro para outubro, IGP-M passou de 0,95% para 1,89%.
Preços no atacado e no varejo subiram e pressionaram o índice.

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), também chamado de inflação do aluguel, porque é usado para reajustar a maioria dos contratos imobiliários, fechou o mês de outubro em alta de 1,89%, contra 0,95% no mês anterior. Com isso, o indicador acumulou aumento de 8,35% no ano e de 10,09% em 12 meses, de acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Considerando apenas o mês de outubro, a taxa é a mais alta desde 2002, quando chegou a 3,87%.
Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem de setembro para outubro: o Índice de Preços no Atacado subiu de 1,30% para 2,63%, o Índice de Preços ao Consumidor, de 0,32% para 0,64%, e o Índice Nacional da Construção, de 0,22% para 0,27%.
São Paulo
No início desta semana, o sindicato da habitação de São Paulo disse que os contratos novos de aluguel ficaram, em média, 0,5% mais baratos em setembro, na comparação com o mês anterior. Frente a setembro do ano passado, a queda é ainda maior, de 2,1%, contra inflação de 8,4%, medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), no acumulado do mesmo período.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Cientistas do MIT desenvolvem tecnologia que permite "ver" atrás de paredes
Tecnologia RF Capture usa frequências de rádio para ver pessoas do outro lado da parede. Solução poderia ser aplicada no cinema e computação gráfica

Pesquisadores do Laboratório de Ciência da Computação e Inteligência Artificial do MIT estão trabalhando em uma tecnologia chamada RF Capture, que usa frequências de rádio para ver pessoas do outro lado da parede. 

A equipe por trás da RF Capture tem trabalhado em uma tecnologia semelhante desde 2013. Eles a usaram para rastrear movimentos sutis de corpos humanos atrás das paredes, como respiração, mas o novo sistema já é capaz de ver detalhes ainda mais refinados. 

De fato, a RF Capture é tão precisa que consegue identificar indivíduos dentro de certos limites, rastrear pequenos gestos manuais e mesmo ver silhuetas de pessoas do outro lado da parede. 

O estudante de PhD Fadel Adib é o principal autor do estudo que descreve a tecnologia que será apresentada na conferência de computação SIGGRAPH Asia no próximo mês. Ele indicou que a tecnologia poderia ser aplicada na indústria cinematográfica e video games. 

“Hoje em dia atores precisam usar marcadores em seus corpos e se movimentarem em uma sala específica cheia de câmeras”, disse a MIT por meio de anúncio. 

“A RF Capture permitiria a captura de movimentos sem os sensores e poderia rastrear movimentos mesmo atrás de móveis e paredes”, completou. 

Fora isso, a equipe já começou a trabalhar em um produto que usa a RF Capture para ajudar a prever e prevenir quedas para pessoas idosas. Chamado de Emerald, o sistema é desenhado para identificar padrões de movimentos como queda e analisar seu gatilho para descobrir se há ou não risco de uma queda iminente.



Fonte: idgnow.com.br
 
 
 Feira de tecnologia começa nesta quarta-feira em Campina Grande
'Inovação Colaborativa e Sustentável' é o tema deste ano do evento.
Feira acontece na UEPB, em Campina Grande, até sábado (31).

Começa nesta quarta-feira (28) a 13ª Feira de Tecnologia (Fetech) no Centro de Integração Acadêmica da Universidade Estadual de Campina Grande (UEPB) em Campina Grande. O evento propõe um diálogo entre universidades, empresários e população sobre os problemas e inovações na preservação do meio-ambiente.
O tema deste ano da feira é ''Inovação Colaborativa e Sustentável" e acontece até o sábado (21). Segundo a organização, o evento vai reunir pesquisadores das áreas de Tecnologia da Informação, Saúde, Tecnologias Limpas, Ciências Ambientais, Sustentabilidade, Tecnologia Social, Agronegócio e Economia Criativa.

Já nesta quarta-feira, ocorre a 1º Rodada de Negócios da Economia Digital com 10 empresários paraibanos para debater os assuntos. Além deste, acontece também outros eventos dentro da feira, como a Olimpíada da Inovação da Paraíba, uma maratona de jogos digitais , uma Feira de Artesanato Sustentável, o Congresso de Inovação e Ciências Ambientais e Sustentabilidade.
De acordo com a diretora do Parque Tecnológico de Campina Grande, Veruska Brasileiro, a Fectech já considerada um "celeiro de inovação". "Temos a presença de dois laboratórios de referência, um deles produz próteses em 3D, reduzindo o tempo cirúrgico, e o outro é o único que produz próteses mamárias no estado", conta. Ela também destaca a programação voltada para os amantes dos games. "Tivemos um grande número de inscrições e os desenvolvedores vão estar criando seus jovgos dentro da Fetech em tempo real", promete.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 ANS anuncia novos procedimentos que planos de saúde deverão cobrir
ANS anuncia novos procedimentos que planos de saúde deverão cobrir
Teste rápido para dengue e chikungunya passam a ser cobertos em 2016.
Número de consultas com fisioterapeuta e psicoterapeuta foi ampliado.

A Agência Nacional de Saúde (ANS) divulgou nesta quarta-feira (28), uma nova lista de procedimentos que deverão ter cobertura obrigatória pelos planos de saúde em 2016. Foram acrescentados 21 procedimentos em relação à última lista, entre eles o teste rápido para dengue (o exame atualmente disponível demora 7 dias) e o teste para febre chikungunya.


A nova lista, que começa a valer a partir de janeiro de 2016, inclui a ampliação do número de consultas com fonoaudiólogos, fisioterapeutas e psicoterapeutas.
Pacientes com transtornos da fala e da linguagem, que hoje têm direito a 24 sessões de fonoaudiologia por ano, passarão a ter direito a 48 sessões anuais. No caso da fisioterapia, os pacientes passarão a ter direito a duas consultas para cada nova doença diagnosticada (hoje, têm direito a apenas uma consulta por doença). As sessões de psicoterapia passarão de 12 para 18 por ano.
Os pacientes com câncer de próstata terão à disposição mais um medicamento oral para tratamento em casa. As consultas de nutrição para as grávidas também foram ampliadas: agora elas têm direito a 12 durante o ano.
Entre as novidades do rol de procedimentos da ANS está a possibilidade de aquisição de desfibrilador para evitar morte súbita. Outro procedimento incluído foi o tratamento da incontinência urinária com uso de toxina botulínica (botox).
Os deficientes auditivos também terão uma nova possibilidade de tratamento coberto pelos planos de saúde: um implante que é ancorado no osso.
A agência também anunciou que uma cirurgia na área da oftalmologia, a dermatocalase, deixou de ter cobertura dos planos de saúde, atendendo a uma orientação da Sociedade Brasileira de Oftalmologia. De acordo com a agência, existe um outro procedimento coberto pelos planos que pode ser oferecido a pacientes que necessitarem desse tipo de intervenção.
O anúncio feito nesta quarta-feira é resultado da revisão periódica do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde e se aplica a 50,3 milhões de consumidores em planos de assistência médica e outros 21,9 milhões em planos odontológicos.


Veja, abaixo, os 21 novos procedimentos de cobertura obrigatória pelos planos de saúde:

Prótese auditiva ancorada em osso
Prótese vibratória auditiva fixada por um pino de titânico ao osso

Implante de cardiodesfibrilador multissítio – trc-d (gerador e eletrodos)
Dispositivo de terapia de ressincronização cardíaca com função de desfibrilação projetado para tratar insuficiência cardíaca

Implante de monitor de eventos (looper implantável)
Equipamento implantado abaixo da pele que é acionado pelo paciente durante os sintomas para diagnóstico diferencial de palpitações, perdas de consciência, dor no peito e outros sintomas

Focalização isoelétrica da transferrina
Consiste em teste, pelo método de isoeletrofocalização, para detecção de todos os subtipos de defeitos congênitos da glicosilação tipo 1

Vitamina e, pesquisa e/ou dosagem
Pesquisa e/ou dosagem da vitamina E para pacientes com ataxia cerebelar

C4D fragmento
Exame de Pesquisa de C4d em amostras de biópsia de rim transplantado para diagnóstico de rejeição induzida por anticorpos

N-RAS
Exame de mutação do gene N-RAS para os pacientes que tenham que utilizar medicação em que conste em bula a análise de presença/mutação dos genes para o início de tratamento.

Laserterapia para o tratamento da mucosite oral/orofaringe
Terapia a laser da inflamação da mucosa. A mucosite é uma inflamação da parte interna da boca e da garganta que pode levar a úlceras dolorosas e feridas nessas regiões. Caracteriza-se por atrofia do epitélio escamoso, lesão vascular, infiltração inflamatória e ulceração. Geralmente ocorre no revestimento mucoso da boca devido a irritantes químicos, quimioterapia ou radioterapia.


Tratamento de hiperatividade vesical: injeção intravesical de toxina butolínica
Aplicação de toxina botulínica no tratamento da urgência de urinar com incontinência urinária e aumento do número de micções e nictúria (necessidade frequente de urinar durante o
dia, noite, ou ambos). É sintoma de hiperativação do músculo detrusor da bexiga urinária que contrai anormalmente com alta frequência e urgência.


Orquidopexia laparoscópica
Procedimento cirúrgico em que um testículo não descido é suturado dentro do escroto em bebês e crianças do sexo masculino. A orquidopexia também é feita para tratar a torção testicular em adultos e adolescentes.


Anticorpos antipeptídeo cíclico citrulinado - IGG (anti-CCP)
Exame laboratorial de sangue utilizado para auxílio diagnóstico de artrite reumatoide. A citrulina (Cyclic Citrullated Peptide) é um aminoácido resultante de modificação da arginina. Anticorpos dirigidos contra a citrulina (anti-CCP) são encontrados em pacientes com artrite reumatoide.


Antígeno NS1 do vírus da dengue
Exame laboratorial de sangue utilizado para auxílio diagnóstico de dengue. Na dengue, muitas vezes o diagnóstico sorológico não é capaz de confirmar casos suspeitos com evolução grave, já que a febre hemorrágica pode ocorrer na janela imunológica, quando as pesquisas de IgM e IgG são negativas. Nesses casos, a pesquisa do antígeno NS1 apresenta sua melhor utilidade, permitindo o diagnóstico nos primeiros cinco dias de doença.


Chikungunya, exame de anticorpos
Exame laboratorial de sangue utilizado para auxílio diagnóstico da febre Chikungunya, que é uma doença viral parecida com a dengue.


Dengue, anticorpos IGG, soro (teste rápido)
Exame laboratorial de sangue, do tipo rápido, utilizado para auxílio diagnóstico de dengue.


Dengue, anticorpos IGM, soro (teste rápido)
Exame laboratorial de sangue, do tipo rápido, utilizado para auxílio diagnóstico de dengue. Tipo de exame continua continuação


Entamoeba histolytica, anticorpos igm - pesquisa e/ou dosagem (amebíase)
Exame laboratorial de sangue para auxílio diagnóstico da amebíase. A infecção pela “Entamoeba Histolytica” pode ser assintomática, causar doença invasiva intestinal ou doença
extra intestinal. O teste é útil, por exemplo, na distinção entre abscessos hepáticos amebianos e piogênicos.


HLA B27, fenotipagem (exame)
Alguns antígenos HLA estão relacionados à presença de determinadas doenças. A associação mais frequente é a das espondiloartropatias inflamatórias, como a espondilite
anquilosante, com o antígeno HLA-B27. A pesquisa também é indicada para identificar risco do acometimento de descendentes. Elevada incidência do antígeno HLA B27 tem sido relatada na síndrome de Reiter, uveíte anterior, artrite reativa e artrite psoriática. Este antígeno não é um marcador da doença, uma vez que está presente em aproximadamente 10% dos indivíduos normais. O resultado deve ser associado aos achados clínicos e radiológico sugestivos destas doenças.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Empresas assinam acordo e comemoram dia histórico para o esporte brasileiro
Um dia histórico para o esporte brasileiro. Assim foi classificado o evento realizado nesta quarta-feira em São Paulo em celebração à assinatura de 20 empresas ao Pacto pelo Esporte.

O fato foi comemorado e exaltado pois, pela primeira vez no país, a iniciativa privada lançou mão de forma conjunta de um artifício para levar mais transparência a confederações, federações e clubes.

Por meio deste documento, as empresas que atuam no esporte almejam que o dinheiro investido em patrocínios e outros projetos seja melhor utilizado pelas entidades esportivas. Em outras palavas: elas exigirão práticas de gestão e governança mais eficazes como pré-requisito para estabelecer parcerias.

Com o pacto, imagina-se que escândalos como desvio de recursos e má utilização de dinheiro diminuam no âmbito esportivo, já que o cerco estará mais fechado.

- Não podemos mais correr o risco de nos associar a entidades ligadas a práticas de má gestão - falou Paulo Nigro, presidente da empresa farmacêutica Aché, durante o evento.

Uma das signatárias é o Banco do Brasil, que recentemente retirou (mas retomou depois) seu aporte à Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) após as denúncias de pagamentos indevidos de comissões durante a presidência de Ary Graça.

Nesta quarta-feira, representantes destas empresas e das entidades Atletas pelo Brasil e Instituto Ethos, que farão parte do corpo diretivo do Pacto pelo Esporte, se reuniram na capital paulista para o anúncio. Diversos ex-atletas, membros das empresas participantes e o ministro do Esporte, George Hilton, estiveram presentes.

- Hoje é um dia importantíssimo para o esporte. O incentivo ao esporte tem que ser mais do que uma política de estado, deve envolver todos os setores - disse o ministro em seu discurso.

Veja a lista das 20 empresas signatárias do Pacto pelo Esporte 
Aché 
Banco do Brasil 
Bradesco 
BRF 
Carrefour 
Centauro 
Coca Cola 
Construtora Passarelli 
Correios 
Decathlon 
Estácio 
EY 
Gol 
Itaú 
Johnson & Johnson 
McDonald's 
P&G 
Somos Educação 
TAM 
Vivo



Fonte: esportes.terra.com.br/
 
 
 Indígenas reivindicam reconhecimento como precursores de esportes olímpicos
Entre as 11 modalidades disputadas nos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas (JMPI), em Palmas, capital do Tocantins, três são chamadas de "esportes ocidentais". É o caso da natação, atletismo e futebol de campo. Todas as outras são encaradas como "jogos nativos".

Alguns desses esportes nativos, no entanto, são disputados nos Jogos Olímpicos e conhecidos pelo público esportivo mundo afora. Os mais disseminados são canoagem, arco e flecha (tiro com arco) e arremesso de lança (lançamento de dardo).

Por que, então, da separação?

"Os esportes ocidentais dominaram o mundo, foi uma forma de globalização dos povos ocidentais, só que cada povo indígena tem seu esporte nativo", explica à reportagem Lucio Xavante, liderança do povo homônimo.

A prática do arco e flecha, canoagem e arremesso de lança, por exemplo, faz parte até hoje do cotidiano das comunidades indígenas. São esportes que aliam entretenimento à sobrevivência. Através deles, além de se divertirem, os povos originários se locomovem, caçam, pescam e guerreiam.

"Não sei se algum dia nós vamos ter o direito reconhecido dos esportes nativos dos povos indígenas, mas a gente tem que lutar por isso. Há várias modalidades que já existiam. A gente tem que buscar esse direito da autoria dos esportes nativos", conta Lucio Xavante ao UOL Esporte.

Nos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, o arco e flecha é o esporte mais badalado. Na prova da modalidade, os participantes têm direito a três tentativas. O alvo - moldado com o desenho de um peixe - fica a 10 metros de distância.

Etnias brasileiras como Karajá, Wai Wai e Javaé, além de representantes da Argentina, Guiana Francesa e Mongólia, participaram da prova. Para Olivier Auguste, guerreiro da etnia Kalinâ, da Guiana Francesa, o nível do arco e flecha é elevado.

"Estou impressionado com o nível dos meus irmãos, que estão usando diferentes tipos de arco e flecha. Sou o melhor na minha aldeia, e estou feliz por ver que vou competir com um nível mais alto do que o meu. Essa é a primeira vez que estou participando de uma competição mundial", disse Olivier.

Para o indígena Paulo Manoel, da etnia brasileira Wai Wai, do Pará, o importante da prova de arco e flecha é justamente a simbologia que a prática traz consigo. "É com isso que nós caçamos, precisamos dele para buscar nosso alimento e acertar um alvo traz muita alegria para nós. Estou feliz em participar desse momento junto com os parentes do Brasil e de povos de outros países", explicou Manoel. É este o significado de esporte nativo.

Tradição e Olimpíada
Alguns dos esportes nativos dos povos indígenas são modalidades indispensáveis nos Jogos Olímpicos. Afinal, quem imagina a Rio-16 sem o atual campeão mundial de canoagem, o brasileiro Isaquias Queiroz? Ele é natural de Ubaitaba, na Bahia, cujo significado em Tupi-Guarani é "cidade das canoas". Pura coincidência?

A canoagem de velocidade, especialidade de Isaquias, está presente na Olimpíada desde os Jogos de 1936, em Berlim. A modalidade slalom foi introduzida depois, em 1972, em Munique. Mas, como sugere o nome da cidade do maior canoísta brasileiro, cuja ocupação dos Tupis data do ano 1000, a canoagem já estava presente na vida dos povos originários muito antes de ser alçado à condição de esporte olímpico.

O tiro com arco - que se assemelha ao arco e flecha – apareceu pela primeira vez nos Jogos de 1990, em Paris. Mas a prática moderna da modalidade, com novos equipamentos e regras, foi inaugurada apenas em 1972, em Munique.

O lançamento de dardo (que é uma lança reta, ou seja, pode ser entendido como arremesso de lança) está presente no imaginário olímpico desde 700 antes de Cristo. O esporte fazia parte do pentatlo nos Jogos Olímpicos da Antiguidade e era disputado em duas modalidades: alvo e distância. Foi integrado à Olimpíada moderna em 1908, em Londres.

Além destes, outros esportes nativos presentes no JMPI se assemelham às modalidades olímpicas, como é o caso das lutas corporais, que lembram o wrestling, cuja prática também remonta aos Jogos Olímpicos da Antiguidade.

"A luta corporal é uma simbologia que nossos avós e tataravós relatavam milenarmente. Isso é uma história que vai passar de pai para filho", finaliza Lucio Xavante, sobre o esporte nativo de seu povo.



Fonte: olimpiadas.uol.com.br
 
 
 Palocci é condenado por improbidade como prefeito de Ribeirão Preto (SP)
O ex-ministro Antonio Palocci (Governos Lula e Dilma) foi condenado por ato de improbidade administrativa quando exercia o cargo de prefeito do município de Ribeirão Preto (SP), em 2002. Na ocasião, o petista teria contratado uma gráfica sem licitação para fazer o 'Guia da Cidade' contendo publicidade do governo municipal.

O juiz Reginaldo Siqueira, da 1.ª Vara da Fazenda Pública, impôs a Palocci sanções da Lei da Improbidade: suspensão por três anos dos direitos políticos, proibição de contratar direta ou indiretamente com o poder público e multa de R$ 38,7 mil, equivalente a três vezes o contracheque que recebia, na ocasião, como chefe do Executivo municipal.

A defesa de Palocci, sob responsabilidade do advogado José Roberto Manesco, nega que ele tenha cometido irregularidades e informou que vai recorrer.

Também foi condenado à mesma sanção o ex-prefeito Gilberto Maggioni, que sucedeu o petista em 2003 - naquele ano, Palocci assumiu o Ministério da Fazenda no primeiro governo Lula.

Segundo o Ministério Público Estadual, autor da ação civil pública, os pagamentos das gestões Palocci e Maggioni para a editora se prolongaram até 2007. A Promotoria ingressou com duas ações civis. Na primeira, a Justiça já inocentou Palocci.

A condenação do ex-ministro foi publicada dia 16. O juiz Reginaldo Siqueira, da Vara da Fazenda Pública, considerou que ainda que se tratasse de hipótese de dispensa ou inexigibilidade de licitação, "havia a necessidade de formalização do processo, até para justificar a escolha do fornecedor e do preço".

O magistrado destacou que notas fiscais e empenhos "nem ao menos" especificaram o teor da publicidade. Siqueira considera que esse detalhe é fundamental nesse tipo de contratação. O juiz destacou que outras editoras de Ribeirão Preto poderiam fazer o mesmo trabalho.

Defesa
O advogado José Roberto Manesco reagiu enfaticamente à sentença que condena o ex-ministro Antonio Palocci com base na Lei de Improbidade Administrativa. "Esse assunto é antigo, no plano criminal até já foi arquivado pelo Supremo Tribunal Federal."

Manesco observa que o Tribunal de Justiça de São Paulo já inocentou Palocci - e também o sucessor do petista, Gilberto Maggioni - em uma primeira ação civil pública do Ministério Público Estadual sobre o mesmo caso, a contratação da gráfica para fazer o 'Guia da Cidade'.

"Naturalmente, vamos recorrer (da condenação imposta pelo juiz da Vara da Fazenda Pública de Ribeirão Preto). Não houve improbidade nenhuma. A Promotoria dividiu em duas ações um mesmo fato, considerou eventos diferentes. O processo tem que ser único."

Gilberto Maggioni não foi localizado. Sua defesa também vai recorrer.


Fonte: noticias.uol.com.br/
 
 
 Ribeirão Preto, SP, recebe 12ª edição do Dia Internacional da Animação
Exibições gratuitas podem ser conferidas pelo público até 4 de novembro.
Programação do festival conta com animações do Brasil e do mundo

Produções do Brasil e do mundo podem ser conferidas gratuitamente até 4 de novembro em Ribeirão Preto (SP) na 12ª edição do Dia Internacional da Animação (DIA).
Realizado em mais de 200 cidades do país e em 40 países simultaneamente, o evento celebra a primeira projeção pública de imagens animadas do mundo, as pantomimas luminosas, exibidas pelo francês Charles-Émile Reynaud, no Museu Grevin, em Paris, no final do século 19.
Nesta quarta-feira (28), data em que se comemora o Dia Internacional da Animação, o Espaço A Coisa terá exibições da mostra nacional e internacional a partir das 19h30.
A programação de quinta-feira (29) será no Cine Cauim, que receberá a mostra infantil a partir das 14h30 e a mostra nacional, a partir das 19h30.
No dia 3, será a vez do Centro de Artes e Esportes Unificado, no Jardim Florestan Fernandes, na zona leste da cidade, promover sessões da mostra infantil e paulista a partir das 19h. O mesmo local recebe, no dia 4, exibições da mostra nacional e internacional.
Confira abaixo a programação completa do evento:
Locais e datas em Ribeirão Preto

Espaço A Coisa
Data: 28 de outubro
Horário: 19h30
Endereço: Rua João Penteado ,nº 167, bairro Jardim Sumaré

Cineclube Cauim
Data: 29 de outubro
Horário: 14h30 e 19h30
Endereço: Rua São Sebastião, nº 920, Centro.

CEU DAS ARTES - Centro de Artes e Esportes Unificado
Data: 3 e 4 de novembro
Horário: 19h
Endereço: Rua: Benedito Jacinto de Souza, nº 330, bairro Jardim Florestan Fernandes.

Mostra Nacional

O Átomo Brincalhão
Direção: Roberto Miller

Ed
Direção: Gabriel Garcia

Occupation: Animator
Direção: Bruna Berford

Castillo y el Armado
Direção: Pedro Harres

Los Rosales
Direção: Daniel Ferreira

Faroeste: Um autêntico Wstern
Direção Wesley Rodrigues

Mostra Infantil

Miss e Grubs
Direção: Jona Brandão e Camila Kamimura

Voa João
Direção Humberto Avelar

Não Seja Quadrado
Direção: Isaac Braz

Menina Bonita do Laço de Fita
Direção Diego Lopes e Cláudio Bitencourt

Kid Chup
Direção: Carolina Giannini Veirano e Guilherme Ghussn

Batalha de Máscaras
Direção: Iuri Araújo

Hugo, o Monstro
Direção Humberto Avelar

O Fim é o Começo
Direção: Agner Rebouças, Bruno Pere, Rodrigo Eba, OTA e Thiago Vaz

As Pintas de Junior
Direção: Humberto Avelar

Tênis da Hora
Direção: Thomas Larson

Mostra Paulista

Sapo Martelo
Direção: Jonas Brandão

Kid Chup
Direção: Carolina Giannini Veirano e Guilherme Ghussn

O Fim é o Começo
Direção: Agner Rebouças, Bruno Pere, Rodrigo Eba, OTA e Thiago Vaz

Tênis da Hora
Direção: Thomas Larson

Jam – Piscar de Olhos
Direção: César Cabral             

Rái Sossaith – Tostão
Direção: Thomas Larson        

Miss e Grubs
Direção: Jonas Brandão e Camila Kamimura               

Rái Sossaith - Caoduchampignon
Direção: Thomas Larson        

Rainbow: A Story About Life
Direção: Eduardo Wahrhaftig
       
Rái Sossaith – Vegano
Direção: Thomas Larson        

Guida
Direção: Rosana Urbes



Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Governo sobe para R$ 225 mil preço do imóvel do Minha Casa, Minha Vida
Limite das faixas 2 e 3 vale para as regiões metropolitanas do DF, RJ e SP.
Para regiões metropolitanas do CO, N e NE, teto sobe para R$ 180 mil.

O Conselho Curador do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) aprovou nesta terça-feira (27) novos limites de preços para os imóveis da terceira etapa do Minha Casa Minha Vida, cujas contratações, segundo Elton Santa Fé Zacarias, secretário-executivo do Ministério das Cidades, podem ter início ainda no fim deste ano.

A última vez que os preços máximos dos imóveis do Minha Casa Minha Vida, programa habitacional do governo, haviam sido corrigidos foi no ano de 2012. O preço máximo dos imóveis do programa, que vale para as regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, passou de R$ 190 mil para R$ 225 mil, informou.

Nas regiões metropolitanas, ou seja, nas maiores cidades, das regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, o valor máximo passou a ser de R$ 180 mil, e nas regiões metropolitanas do Sul, de Minas Gerais e do Espírito Santo, passou para R$ 200 mil.
Para os municípios abaixo de 20 mil habitantes, o teto passa a ser de R$ 90 mil. O secretário-executivo do Ministério das Cidades não soube informar o preço máximo anterior para estes imóveis.


3 milhões de unidades
Segundo Zacarias, do Ministério das Cidades, a meta de três milhões de unidades contratadas até 2018, anunciadas pela presidente Dilma Rousseff durante a campanha presidencial do ano passado, "depende muito mais de questões orçamentárias do que legais". Ele explicou que não haverá uma Medida Provisória fixando esta meta.

 "Não tem mais meta física. Não vai haver mais Medida Provisória. A meta dela [presidente da República] continua sendo os três milhões de contratações. Se ela [Dilma Rousseff] quiser mandar uma MP escrevendo isso, tudo bem", declarou o secretário-executivo do Ministério das Cidades, explicando que o governo deverá trabalhar com decretos presidenciais e portarias interministeriais para regulamentar o programa.

Novas regras
Em setembro, o governo mudou as regras para financiar imóveis pelo programa Minha Casa, Minha Vida, em anúncio feito pelo Ministério das Cidades. As principais mudanças são a criação de uma faixa intermediária de renda, entre R$ 1.800 e R$ 2.350, e o aumento dos juros cobrados para famílias que recebem a partir de R$ 2.350 por mês.

Entenda as novas regras do programa Minha Casa, Minha Vida
As novas regras só serão válidas para novos contratos e devem fazer parte da terceira etapa do programa, ainda sem data para ser lançado. O Minha Casa, Minha Vida permite a beneficiários de várias faixas de renda financiar a casa própria a juros mais baixos que as taxas cobradas no mercado.

De acordo com nota divulgada pelo Ministério das Cidades, o valor limite de renda para se beneficiar da faixa que oferece casas totalmente subsidiadas pelo governo passará de R$ 1,6 mil para R$ 1,8 mil. As prestações continuarão a ser pagas em 10 anos. Esses beneficiários não pagam juros.

Para famílias que recebem até R$ 800, a parcela será de R$ 80; quem recebe entre R$ 800 e 1,2 mil, pagará 10% da renda; para renda entre R$ 1,2 mil a R$ 1,6 mil, o percentual será de 15%; e para renda entre R$ 1,6 mil a R$ 1,8, será de 20%.
A faixa intermediária criada pelo governo, chamada de faixa 1,5, terá subsídio de até R$ 45 mil do governo. O beneficiário que se encaixar nessa categoria terá que pagar taxa de juros de 5% ano.

Os juros a partir da chamada faixa 2 serão aumentados. Famílias com renda de até R$ 2.700 terão juros de 6% ao ano. As com renda de até R$ 3.600, 7%. Atualmente, quem ganha até R$ 2.455, paga 5% ao ano. Já quem tem renda entre R$ 2.455,01 e R$ 3.275 paga 6% ao ano.
Na Faixa 3, também haverá aumento de juros. Quem recebe até R$ 6.500, pagará juros anuais de 8%. Hoje, são cobrados até 7,16% de juros ao ano para quem ganha até R$ 5 mil.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Camiseta com jeito esportivo é tendência no street style
Sabe aquelas camisetas de futebol americano? Amplas, com números e o nome dos times? Então, elas estão com tudo fora dos campos também, viu? É a sport fever, minha gente!

O estilo esportivo vai entrar em campo, cara leitora! Depois de os tênis invadirem a moda, agora é a vez das camisetas com jeito de uniforme de futebol americano dominarem a cena. Duvida? A gente te mostra. Durante o SPFW as influencers Mariah Bernardes e Martha Graeff apostaram na peça – que pode ser chamada de jérsei, ok?

A dica é “quebrar” o clima esportivo, então deixe o tênis de lado. Vá de peças com mood sexy (aproveite que a camiseta é comprida e faça um jogo de mostra-esconde com short míni). Pra arrematar a produção, sapatos delicados são a pedida: vale investir em sandálias de tiras finas ou no bom e velho escarpim. É vitória na certa!


Fonte: revistaglamour.globo.com
 
 
 Secretário da Educação se reúne com dirigentes para explicar reestruturação
91 dirigentes de ensino foram convocados.
Grupo ligado a Apeoesp faz vigília em frente à Secretaria.

O secretário estadual da Educação, Herman Voorwald, se reúne na manhã desta terça-feira (27) com os 91 dirigentes de ensino do Estado de São Paulo. A reunião, que começou por volta das 9h30 na sede da Secretaria de Educação, na Praça da República, Centro da capital, foi marcada para que o resultado do plano de reestruturação da rede de ensino fosse apresentado com detalhes aos responsáveis regionais.
Durante o encontro, um pequeno grupo ligado ao Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) permanecia em frente ao prédio da secretaria em uma espécie de vigília.
Acompanhados de um carro de som que tocava sucessos do cantor Tim Maia, eles aproveitavam para fazer panfletagem com os pedestres que por ali passavam. A ideia dos sindicalistas é promover uma grande manifestação contra a gestão das escolas públicas.
O ato está marcado para acontecer na quinta-feira (29), às 17h, no vão livre do Masp, e conta com o apoio de diversas entidades de movimentos sociais, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST).
Reorganização
A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (26) que a reorganização do ensino escolar vai afetar diretamente 94 escolas, que serão 'disponibilizadas', mas que continuarão sendo usadas na área da educação. Desse total, 66 já têm o novo uso definido e poderão abrigar unidades de ensino técnico ou ainda virar creches e escolas municipais, por exemplo. As outras 28 ainda têm destino incerto.
Ao todo, a reorganização do ensino vai disponibilizar 1,8% das 5.147 escolas do estado. No total 1.464 unidades estarão envolvidas na reconfiguração, mudando o número de ciclos de ensino que serão oferecidos.

Segundo a secretaria, 311 mil alunos terão de mudar de escola do total de 3,8 milhões de matriculados. A mudança atinge ainda 74 mil professores.
Lista
A lista das escolas atingidas será divulgada até o final da semana.
A reorganização vai separar a maioria das escolas em unidades de ensino fundamental 1, para crianças do 1º ao 5º ano; ensino fundamental 2, do 6º ao 9º ano; e ensino médio.
O número de escolas com ciclo único vai subir de 1.443 unidades para 2.197, ou seja, um aumento de 754 escolas. Com isso, 43% das escolas do estado terão apenas um ciclo. Para a Secretaria da Educação, a melhora no rendimento dos alunos nas escolas de ciclo único é de 15%.
O número de escolas com dois ciclos cai 18%, indo de 3.209 para 2.635. Já a quantidade de escolas com três ciclos cai de 495 para 315 unidades – queda de 36%.

Processo de transferência
O secretário estadual da Educação, Herman Voorward, explicou que após o dia 14 de novembro a secretaria vai abrir um novo processo de transferência de alunos.
Voodward defendeu a mudança pretendida pela secretaria. "É muito claro que isto melhora o aprendizado das crianças", afirmou.
Segundo a secretaria, 2.956 salas que estavam ociosas passarão a ser aproveitadas com a reorganização.
A ideia é que professores e outros profissionais da escola, além da própria estrutura, possam estar voltadas a crianças de determinada faixa etária.
Segundo a Secretaria da Educação, os alunos que vão precisar ser transferidos serão matriculados em escolas que ficam até no máximo 1,5 km de suas casas. Eles serão informados sobre o endereço da nova unidade até o mês de novembro.


Demanda menor
O secretário da Educação, Heman Voorward, defendeu a nova metodologia e disse que ela está sendo adotada num contexto de redução de demanda.
O número de alunos caiu de 6 milhões nos anos 90 para 3,8 milhões atualmente, fato motivado principalmente pela redução da natalidade e pela absorção de alunos pelas redes municipais e particulares.
Segundo Voorward, o fator principal para a reorganização do ensino é o benefício pedagógico de ter a estrutura e a equipe especializada na faixa etária em que a escola atuará.
Segundo o Idesp (sistema de avaliação das escolas estaduais), em 2014 as escolas de ensino médio com três segmentos tiveram desempenho 7,8% inferiores à média do estado. Por outro lado, as de segmento único ficaram 18,4% acima.
“Se nós formos analisar os bons resultados em termos internacionais, esse é o procedimento adotado pelos países com os quais a gente se compara sempre”, disse o secretário.
Economia
Questionado sobre a economia que o estado fará com a mudança, Heman Voorward afirmou essa não é a preocupação da secretaria. A reestruturação continuará ocorrendo gradativamente nos próximos anos.
O secretário também falou sobre queixas de estudantes a respeito do aproveitamento dos espaços ociosos para uma diminuição de alunos por sala – hoje são 40 alunos no ensino médio, por exemplo. Voorward disse que primeiro é necessário mudar a gestão para depois discutir uma mudança de número de alunos.

Ministério Público
O Ministério Público do Estado abriu um inquérito civil para apurar a reorganização das escolas estaduais anunciada pela Secretaria Estadual de Educação.
Entre outros esclarecimentos, a promotoria do órgão quer saber se de fato unidades serão fechadas e quais os benefícios que o governo espera com a mudança. A Defensoria Pública de São Paulo também já havia pedido explicações à secretaria.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 5 tecnologias brasileiras que transformam o agronegócio
São Paulo – O EXAME Fórum Agronegócios, que aconteceu nesta segunda-feira (26), em São Paulo, teve foco no desenvolvimento da tecnologia no agronegócio. Os palestrantes falaram do uso de drones, computação em nuvem e da biotecnologia para aumentar a produtividade.

“A avenida de tecnologia e de bioeficiência ainda vai crescer muito no Brasil. A enormidade de dados, o poder computacional e o monitoramento 24 horas ajudarão a aumentar a produção”, disse Roger Ingold, presidente da Accenture, empresa de consultoria em gestão e serviços de tecnologia.

Paulo Herrmann, presidente da John Deere Brasil, compartilha do mesmo ponto de Ingold. Segundo ele, a biotecnologia para o agronegócio avançou muito e as empresas não estão explorando todo o potencial do que já existe.

“Não devemos fazer tecnologia pela tecnologia. Precisamos gerenciar o que já temos para aumentar a produção agrícola”, acrescenta Herrmann.

Mas quais são essas tecnologias? Quem respondeu essa pergunta, durante o evento, foram startups brasileiras que oferecem produtos e serviços que facilitam o trabalho de agricultores e proprietários de agronegócios.

Rastreamento de carne

Uma das startups que se apresentaram no EXAME Fórum foi a Safe Trace. Com o lema “do pasto ao prato”, a companhia criou um aplicativo de rastreamento de carne.

O acompanhamento do produto é feito desde a identificação do boi na fazenda, quando ele recebe um brinco eletrônico. Depois disso, quando o animal atinge os sete meses, um chip é colocado nele. Desse modo, o histórico genético, sanitário e de manejo dos animais é armazenado e atualizado por um software.

Após o abatimento, a carne do boi recebe um selo da empresa e um código de barras. “Com o selo da Safe Trace e o código, o consumidor tem acesso total ao processo por que a carne passou”, contou Vasco Picchi, sócio fundador da Safe Trace.

Segundo Picchi, a vantagem de utilizar o software é que a produção fica mais eficiente e o cliente sente-se mais seguro.

Tablet amigável

Outra startup que desenvolveu um aplicativo para o agronegócio é a Strider. O produto oferecido pela empresa é, basicamente, um tablet com um programa que pode ser usado em modo offline. Com ele, o produtor pode manejar pragas, controlar aplicações e monitorar indicadores de fertilidade e umidade.

“Nós queremos ser a peça que falta no ecossistema do agronegócio, que é a tecnologia da informação”, disse Luiz Tângari, fundador e presidente da Strider.

Segundo Tângari, existem quatro fatores que tornam a tecnologia de sua empresa importante: ela é barata e focada na segunda geração de agricultores. “Os nossos aplicativos são voltados para os filhos dos produtores, que serão os donos das fazendas no futuro. Por isso, nossa plataforma é amigável e parecida com o WhatsApp e o Facebook.”

Drones contra as pragas

O rastreamento de áreas agrícolas é o foco da XMobots, uma startup especializada no desenvolvimento, fabricação e operações de drones. De acordo com Giovani Amianti, fundador e presidente da empresa, o foco da XMobots é na agricultura de precisão.

“Com os nossos produtos, o agricultor consegue saber mais sobre a topografia de suas terras, as linhas de plantio e também detectar pragas e fazer a contagem do gado”, disse. Ele ainda conta que é possível fazer o controle do desmatamento em áreas de preservação.

Os veículos da XMobots já têm certificado da ANAC e prestam seus serviços para empresas de agronomia e grandes cooperativas. “A nossa ideia é internacionalizar a empresa e abrir o capital em 2016 ou 2017”, finalizou Amianti.

Agentes biológicos

A BUG aposta no mercado da biotecnologia para ajudar no desenvolvimento do agronegócio brasileiro. A empresa foi criada em 2001 e produz agentes, como vespas, ovos e parasitoides para o controle biológico de pragas.

De acordo com Alexandre Pinto, sócio da BUG, o controle biológico é vantajoso para as empresas, pois visa a sustentabilidade. Com o uso de agentes, o agricultor não precisa utilizar inseticidas, o que diminui as chances de poluição do ecossistema e intoxicação de funcionários.

As vespas e outras pragas são criados nos laboratórios da startup. Mas também são introduzidos insetos selvagens na criação, para que a variabilidade genética aumente.

Plataforma online

O Osalim é um site para realização de negócios no setor agrícola. A partir da plataforma, agricultores e clientes promovem a compra e a venda de grãos de consumo, sementes e insumos agrícolas.

Segundo Antônio Carlos Bentin, sócio fundador da Osalim, as negociações e as transações comerciais feitas pelo site são rápidas e seguras. Até agora, quatro empresas utilizam a plataforma online.

Fonte: exame.abril.com.br/
 
 
 Powerline, entenda como essa tecnologia vai revolucionar suas redes WiFi
Começou ontem (26) em São Paulo capital a edição 2015 da Futurecom, evento que visa discutir novas tecnologias de telecomunicações e prever tendências para esse mercado. O TecMundo esteve presente e pôde acompanhar alguns seminários pré-feira que serviram como ponto de partida para o congresso.

Uma dessas apresentações foi a da HomePlug Alliance, consórcio formado por 44 empresas cujos objetivos são certificar e desenvolver novos protocolos para a tecnologia de Power Line Communication (PLC). Já falamos sobre esse conceito aqui no TecMundo; trata-se daqueles extensores que utilizam a rede elétrica para expandir o alcance de sua rede de internet.

Rob Ranck, diretor da aliança, prevê que o Brasil logo se tornará um grande mercado para esse tipo de dispositivo, ressaltando que se trata de uma tecnologia complementar ao bom e velho WiFi. Com o advento do conceito de Internet das Coisas, é cada vez mais comum vermos televisores inteligentes e eletrodomésticos que precisam estar conectados à rede para funcionar de forma eficiente.

Avanços no setor

Essa mesma visão é compartilhada por Purva Rajkotia: o diretor de produto da Qualcomm Atheros comenta que os roteadores (certificados pela WiFi Alliance) são essenciais para dispositivos móveis, enquanto os dispositivos HomePlug podem ser usados para conectar aparelhos que naturalmente precisam estar sempre plugados em uma tomada. O executivo também ressalta o crescimento desse mercado ao longo dos últimos anos, afirmando que mais de 180 milhões de powerlines já foram vendidos desde 2011.

Rajkotia destaca que a HomePlug Alliance conta atualmente com três especificações para seus produtos: a Green PHY é otimizada para consumir menos energia elétrica, a AV representa a tecnologia “padrão”, e a recém-anunciada AV2 possui um desempenho até três vezes maior do que o protocolo original. Dispositivos com tal especificação possuem suporte a beamforming, ou seja, direcionam sua rede WiFi especificamente para os dispositivos conectados.

Além disso, embora os powerlines geralmente sejam vistos como um item de varejo, o executivo comenta que muitas provedoras de banda larga ao redor do mundo (especialmente aquelas que oferecem serviços de IPTV, ou seja, televisão por internet) têm adotado esses gadgets para oferecer uma melhor experiência para seus assinantes. Na América Latina, a principal companhia a adotar essa postura é a Telmex, do México.

Atendendo às novas demandas

Nelson Ito, gerente de negócios ISP da TP-LINK, subiu ao palco e exemplificou por que os powerlines são necessários nos dias de hoje. “Para assistir a um filme na Netflix em resolução HD, por exemplo, você precisa de uma rede de 5 Mbps, sendo necessária uma conexão de 25 Mbps para vê-lo em Ultra HD”, comentou, ressaltando o aumento do número de conteúdos na qualidade 4K.

De acordo com testes feitos pela própria TP-LINK com dispositivos próprios disponíveis no mercado, a taxa de transferência média alcançada por um repetidor comum é de 10 Mbps, enquanto os powerlines podem alcançar 50 Mbps com facilidade. Embora a companhia só ofereça dois modelos de extensores PLC nas gôndolas brasileiras (ambos com especificação AV), Nelson ressalta que a marca vem fazendo um amplo trabalho para educar o país a adotar essa tecnologia, participando inclusive de eventos de grande porte como a BGS 2015.

Mas, afinal, como funciona?

Vale a pena explicar novamente como os powerlines funcionam para quem ainda não conhece essa tecnologia. Trata-se de um pequeno gadget que, ao ser conectado ao seu roteador e em uma tomada comum, transforma toda a sua rede elétrica em uma rede de internet, puxando a conexão do router através de um cabo RJ45.

A partir daí, coloca-se uma segunda peça em qualquer tomada em outra parte de sua residência e ela se transforma em um segundo roteador, podendo também ser usada como ponto de internet cabeada através da porta ethernet. A ideia é usar a fiação de cobre já estabelecida em sua casa para aumentar o alcance de sua rede WiFi, sem ter que se preocupar com interferências físicas como paredes. Com a tecnologia PLC, todos os cômodos de uma construção são interligados de forma simples e eficiente.

Embora ainda seja difícil encontrar powerlines aqui no Brasil, eles já fazem um sucesso absurdo lá fora. No mercado estrangeiro, é possível achar até mesmo modelos que são equipados com sockets, para que você não perca aquela tomada onde o dispositivo está ligado. Na China, já são comuns também os roteadores com módulos PLC integrados, que já transformam sua rede elétrica em uma rede de internet assim que ele for eletrizado. Infelizmente, não há previsão para a chegada desse tipo de aparelho no Brasil.


Fonte: tecmundo.com.br
 
 
 Greve deixa situação caótica nos serviços de saúde do Distrito Federal
Paralisação causada por atraso no pagamento de reajustes e gratificações já dura 19 dias. O quadro, que já era precário, está ainda pior com a greve.

A greve dos médicos chega a quase 20 dias. O Bom Dia vem acompanhando o caos na saúde pública da capital federal. O serviço, que já era precário, com a greve está ainda pior. A saúde pública está paralisada. O motivo da greve é o atraso no pagamento de reajustes e gratificações para médicos, enfermeiros e técnicos. Pacientes buscam, de hospital em hospital, atendimento e não conseguem.
Precisa de consulta?
“Não tem médico, não tem nada, ninguém da equipe para atender”, reclama uma paciente.
Precisa de atendimento de emergência?
Matei o serviço porque estou doente, a gente trabalha pagando isso aí e na hora que precisa, não tem”, queixa-se a ajudante de cozinha Ana Maria.
E cadê a maca? A moça chegou em trabalho de parto e deu à luz na recepção, no banco.
Sim, estamos em Brasília. Esses são os hospitais do Distrito Federal.

“Ficar aqui fazendo o quê? Melhor fechar, se o médico não quer trabalhar”, diz outra moradora que procura consulta.
O pior é que não tem para onde correr. O pessoal sai de um hospital, vai para outro e não consegue atendimento. Em um dos maiores do Distrito Federal o Bom Dia Brasil não conseguiu nem saber se há médicos na emergência porque o chefe da noite não atendeu à reportagem. A greve está completando 19 dias nesta terça-feira (27).
Fizemos como os pacientes, seguimos para outro hospital.
A sala que devia ser a de triagem, não está nem aberta. Está trancada. Como não tem médico, não tem a triagem para encaminhar as pessoas para o atendimento. O recepcionista diz que casos urgentes estão sendo atendidos e ele está fazendo a seleção.
Médicos, enfermeiros e técnicos dizem que também anda faltando de tudo nos hospitais. A bebê Sofia fraturou o ombro e olha o que disseram para o pai, o auxiliar de cozinha Valdinei Godoi:
“Mandaram eu enfaixar em casa. Eu não sou médico. Disseram: ‘não tem como, pega uma fralda, um paninho, faz assim’”, relata o pai.
Seu Geraldo até conseguiu tomar soro e remédio para a dor. Acabou o remédio e nada do médico voltar. Ele foi para a porta do hospital, ainda com a agulha no braço, e ninguém nem se deu conta.
“Estava vazio lá, eu saí aqui para fora e ninguém falou nada”, diz.
Médico reclama do pagamento e da falta de condição. O governo do Distrito Federal, da falta de dinheiro.
“Não há dinheiro, por isso não estamos pagando, então essa é uma greve inócua, quando você não tem condição de fazer o pagamento, não adianta buscar a greve porque o dinheiro não vai aparecer”, afirma o chefe da Casa Civil do DF, Sérgio Sampaio.
A farmácia de alto custo ficou fechada três semanas. Abriu. Mas 10 mil pessoas foram prejudicadas nesse período. Agora tem mutirão para colocar a entrega em dia.
A ordem foi da Justiça, que mandou também a greve dos médicos acabar. Eles recorreram e não voltaram. Enquanto isso, a população que, sem greve, já sofre, com a greve vive o caos.
E vai pedir informação para ver!.
“Eles não dão, dizem: ‘não sei não, senhora’ e vão embora, dão as costas para a gente, parece que a gente é cachorro, é isso, eu me sinto um lixo”, queixa-se a dona de casa Maria das Graças.
O governador Rodrigo Rollemberg disse que não tem  como negociar com os servidores. Alega que é impossível pagar o retroativo do reajuste no ano que vem. Rollemberg ainda prometeu cortar o ponto dos servidores que desrespeitarem a decisão da Justiça  já no próximo mês.


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Confiança da indústria aumenta, mas nível ainda é o segundo menor da série
Indicador avançou 2,3% em outubro, segundo a FGV.
Ìndice que mede as expectativas cresceu 8,9% e puxou alta da confiança.

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas avançou 2,3% em outubro, passando para 67,5 pontos. Apesar da alta, o nível do indicador é ainda o segundo menor da série histórica. O nível mais baixo foi registrado em setembro, quando chegou a 66 pontos.

O que mais contribuiu para o resultado foi a alta de 8,9% do Índice de Expectativas (IE) para 69,7 pontos. Já o Índice da Situação Atual (ISA) recuou 4%, para 65,2 pontos, atingindo o mínimo da série.

“A alta do Índice de Expectativas em outubro é um resultado favorável, mas que deve ser interpretado como uma sinalização de atenuação, no quarto trimestre, dos números negativos que vêm retratando a evolução da produção e do emprego do setor desde o início do ano. Em relação aos seis meses seguintes, as expectativas continuam piorando, indicando que o setor continua pessimista em relação à perspectiva de uma melhora contínua do ambiente dos negócios” afirma Aloisio Campelo Jr., superintendente-adjunto para ciclos econômicos da FGV/IBRE, em nota.
No âmbito das expectativas, o item que mede o ímpeto de contratações pelas empresas industriais nos três meses seguintes foi o que mais contribuiu para a evolução do Índice de Expectativas em outubro. A proporção de empresas prevendo aumento do pessoal ocupado cresceu de 6,1% para 7,8%, enquanto a parcela das que projetam redução passou de 34,5% para 24,9%.

O indicador de nível de estoques foi o que exerceu a maior influência na diminuição do Índice da Situação Atual. A proporção de empresas com estoques em excesso aumentou de 22% para 24,5%, o maior patamar desde julho de 2003 (25,7%). A parcela de empresas com estoques insuficientes diminuiu de 1,3% para 0,3% do total.
O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) apresentou estabilidade em outubro, ao aumentar 0,2 ponto percentual, de 76,5% para 76,7%.



Fonte: g1.globo.com
 
 
 Governo revisa de novo meta fiscal de 2015 e vê rombo de R$ 51,8 bilhões
O déficit previsto para o orçamento deste ano é o maior da história.
Com isso, contas públicas ficarão no vermelho em 2014 e em 2015.

O governo revisou nesta terça-feira (27) para baixo a meta fiscal de 2015 para um déficit primário (despesas maiores do que receitas, sem contar os juros da dívida pública) de R$ 51,8 bilhões, o equivalente a cerca de 0,8% do Produto Interno Bruto (PIB), - o maior rombo fiscal da história para as contas do governo.
Considerando os estados e municípios, englobando todo o setor público consolidado, o déficit será um pouco menor: de R$ 48,9 bilhões. O documento propondo a alteração das metas fiscais ainda tem de ser aprovado pelo Legislativo.
Com a confirmação de que as contas públicas ficarão no vermelho em 2015, serão dois anos consecutivos de resultados negativos - algo também inédito. No ano passado, o setor público (governo, estados, municípios e empresas estatais) registrou um déficit primário inédito de R$ 32,53 bilhões, ou 0,63% do PIB.


No ofício encaminhado ao Congresso pelos Ministérios do Planejamento, Orçamento e Gestão e da Fazenda encaminhado ao Congresso Nacional, o governo também confirmou que a previsão de rombo para as contas públicas neste ano também não incorpora as chamadas "pedaladas fiscais" - que são os atrasos de pagamentos do governo a bancos públicos, de modo que o déficit tende a ser maior ainda neste ano.
O número da nova meta fiscal para o ano já tinha sido antecipado mais cedo pelo deputado Hugo Leal (Pros-RJ), relator do projeto de lei que altera a meta fiscal deste ano, após reunião com o ministro Nelson Barbosa nesta terça-feira (27).
"Nas despesas, não houve nenhuma alteração. Na realidade, o que você tem é a não expectativa das receitas administradas. O que o governo trabalha é com um déficit para 2015 de R$ 51,8 bilhões. Essa é a meta levando em consideração a frustração das receitas previstas e a queda da arrecadação", declarou Leal.

Nova meta não incorpora pedaladas fiscais
Segundo o relator, a meta fiscal de 2015 pode ser modificada dependendo do que vier a ser incorporado para o pagamento ainda neste ano [das pedaladas]", disse o deputado.

Os valores das pedaladas não foram informados, mas o governo diz, no documento, que a meta de déficit poderá ser elevada caso estes valores sejam pagos ao FGTS, ao BNDES, ao Banco do Brasil e à Caixa Econômica Federal.
O ministro do Planejamento, que tinha prometido anunciar a revisão da meta fiscal até o fim da semana passada (o que não aconteceu) não comentou a nova estimativa.
Em evento em São Paulo, Levy disse a jornalistas na tarde desta terça que a meta seria revisada com previsão de déficit "próximo de 1% do PIB".
Risco de déficit ainda maior
No documento encaminhado ao Congresso, a equipe econômica informa ainda que a nova meta considera receitas de R$ 11,05 bilhões para os leilões de hidrelétricas. Caso essa receita seja frustrada, diz o documento, o déficit primário poderá ser maior ainda - de R$ 62,87 bilhões para as contas do governo federal.
Também nesta terça-feira (27), o Ministério de Minas e Energia informou que irá adiar o leilão de 29 usinas hidrelétricas com concessões vencidas, previsto para ocorrer no dia 6 de novembro deste ano. Segundo o governo, a nova data ainda será definida, mas o leilão ainda está previsto para o mês de novembro.
Segunda revisão da meta para 2015
Esta não foi a primeira vez que a nova equipe econômica baixou a meta fiscal deste ano. Em 22 de julho, a meta foi revisada pela primeira vez. Antes disso, o governo informava que estava buscando um superávit primário de R$ 66,3 bilhões para o setor público, o equivalente a 1,2% do PIB, no ano de 2015.
Há cerca de três meses, essa meta foi abandonada e revisada para um superávit de apenas R$ 8,7 bilhões, ou 0,15% do PIB - valor que também está sendo descartado nesta terça-feira.

Levy comenta contas públicas
Levy disse nesta terça-feira que uma série de fatores este ano limitaram a capacidade de contingenciamento do governo.

"Tivemos sucessivas revisões no crescimento do PIB, por várias razões e drásticas reduções da receita e por isso também sucessivas e drásticas reduções da receita. Nossa capacidade de reagir a isso, nossa ferramenta do contingenciamento se viu limitada", disse.

Para Levy, a aprovação da agenda tributária e do Orçamento 2016, que prevê retorno de superávit, é que irá garantir o reequilíbrio das contas públicas e a retomada do crescimento da economia.
Na medida que resolver o Orçamento de 2016 de uma maneira séria, segura, eu tenho convicção que a economia vai voltar a crescer, e vai voltar a crescer rápido", afirmou.

Aumentos de tributos já feitos
A confirmação de que as contas públicas terão um rombo recorde neste ano acontece apesar do aumento de vários tributos. Desde o início de 2015, o governo elevou tributos sobre combustíveis, automóveis, empréstimos, importados, receitas financeiras de empresas, exportações de produtos manufaturados, cerveja, refrigerantes e cosméticos e sobre a folha de pagamentos, além de ter buscado recursos do lucro do FGTS e de ter postergado o pagamento do abono salarial.


O governo também atuou, neste ano, na limitação de benefícios sociais, como o seguro-desemprego, o auxílio-doença, o abono salarial e a pensão por morte, medidas já aprovadas pelo Congresso Nacional, e efetuou um bloqueio inicial de R$ 69,9 bilhões no orçamento deste ano, valor que foi acrescido de outros R$ 8,6 bilhões em julho. Os principais itens afetados pelo contingenciamento do orçamento de 2015 são os investimentos e as emendas parlamentares.
Recentemente, para tentar equilibrar o orçamento do ano de 2016, foi enviada ao Congresso Nacional a proposta de retorno da Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira (CPMF), um novo aumento da tributação sobre a venda externa de produtos manufaturados, a redução de benefícios para a indústria química e propôs o aumento do Imposto de Renda sobre ganhos de capital na venda de imóveis.
Plano para o crescimento
O reequilíbrio das contas públicas é considerado fundamental pela equipe econômica e pelos analistas do mercado financeiro para a retomada da confiança na economia brasileira e, também, para a volta do crescimento do PIB. Atualmente, a economia passa por um período de recessão e, segundo analistas, vai demorar para voltar a crescer.
O ministro Joaquim Levy tem dito que a primeira etapa para o retorno do crescimento é a retomada de superávit para as contas públicas, seguida pela queda dos juros, aumento da demanda, alta do crédito, do emprego, dos investimentos e queda da inflação. Seu plano também consiste em atacar problemas estruturais da economia que permitam o aumento da oferta, por meio da reforma reforma do ICMS - tributo estadual - e da Previdência Social, entre outros.

Nesta terça-feira, Levy votou a defender que a solução para o Orçamento de 2016, que prevê o retorno da CPMF, é que garantirá a volta do crescimento. "Temos que agir rápido, é fundamental que se converta para uma solução para o orçamento de 2016, porque ele é que vai trazer a confiança que obviamente tem uma barganha clara"

O fraco desempenho das contas públicas, juntamente com as dificuldades de o governo passar medidas de ajuste fiscal no Congresso Nacional, tem levado as agências de classificação de risco a cortar a nota brasileira. Nos últimos meses, as três maiores agências (Moody’s, Standard & Poors e Fitch) baixaram a nota da dívida do Brasil. A Standard & Poors retirou o grau de investimento do Brasil - espécie de "selo de bom pagador" usado como referência para investidores.
Além disso, um esforço fiscal maior também é considerado importante para o controle da inflação e para permitir uma queda da taxa básica de juros no futuro.

Neste momento, a taxa Selic está em 14,25% ao ano, o maior patamar em nove anos. Nesta quarta-feira (21), o Banco Central manteve a taxa estável neste patamar e informou que desistiu de tentar trazer a inflação para o centro da meta, de 4,5%, em 2016. Segundo a indicação do BC, a inflação em torno da central deverá acontecer somente em 2017.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Dólar cai ante real antes de decisão do Fed
Na véspera, a moeda norte americana caiu 0,51%, a R$ 3,8969 na venda.
Mercado segue atento a decisão do Fed, BC dos Estados Unidos.

O dólar recua ante o real no início dos negócios desta quarta-feira (28), acompanhando o movimento nos mercados externos antes da decisão de política monetária do Federal Reserve, banco central norte-americano, nesta tarde.

Às 9h09, a moeda norte americana recuava  0,55%, a R$ 3,8752 na venda. Veja a cotação do dólar hoje.

Na véspera, a moeda norte americana caiu 0,51%, a R$ 3,8969 na venda. No mês, o dólar acumula queda de 1,73%. No ano, há valorização de 46,57%.

O Fed deve deixar inalterada a taxa de juros nesta quarta-feira e pode ter dificuldades para convencer investidores céticos de que pode apertar a política monetária antes do fim do ano diante dos obstáculos econômicos globais e dos Estados Unidos.
Ação do BC
Nesta manhã, o Banco Central dará continuidade ao seu programa diário de interferência no câmbio, seguindo rolagem dos swaps cambiais que vencem em novembro, com oferta de até 10.275 contratos, que equivalem a venda futura de dólares.

Até agora, o BC já rolou US$ 8,705 bilhões, ou cerca de 85% do lote total, que corresponde a US$ 10,278 bilhões.

Por que expectativas de alta nos juros dos EUA fazem o dólar subir?
Juros mais altos nos Estados Unidos atrairiam para aquele país recursos aplicados atualmente em outros mercados, como o Brasil. Com o país mais atraente para investimentos, aumentaria a demanda por dólares - fazendo assim seu valor subir em relação a moedas como o real.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 740 mil patrões se cadastraram no eSocial; prazo termina no sábado
Ao mesmo tempo, mais de 660 mil domésticos foram cadastrados.
Receita reduziu expectativa e espera 1 milhão de cadastros.

Mais de 744 mil empregadores domésticos fizeram seu cadastro no site do eSocial até as 17h destaterça-feira (27), de acordo com dados da Secretaria da Receita Federal. O número de empregados inscritos continua menor, superando a marca de 660 mil cadastros.
O número mostra crescimento frente ao patamar de até as 14h desta segunda-feira (26), quando 652 mil patrões e 590 mil empregados domésticos estavam cadastrados.

Segundo a Receita, o número de patrões cadastrados é maior porque o primeiro passo é fazer o cadastro como empregador para, depois, fazer o registro do empregado.
O cadastro é necessário para que o empregador possa recolher o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e outros encargos, que começaram a valer neste mês, pelo Simples Doméstico.
(O eSocial é o site em que o patrão deve registrar todas as informações sobre o empregado para emitir uma guia para pagar todos os tributos. Veja como funciona e o passo a passo para fazer o cadastro mais abaixo)
Nesta segunda-feira (26), o chefe da Divisão de Escrituração Digital do órgão, Clóvis Peres, informou que a estimativa de cadastramento de patrões e de empregados foi reduzida de 1,5 milhão para 1 milhão. "É uma estimativa delicada. Aqui estamos com um produto que é muito inovador, que ataca uma área do mercado que tem uma informalidade grande", justificou ele.
Com base nesse nova previsão de cadastramento, o representante do Fisco avaliou que o ritmo está bom. "Só hoje pela manhã 40 mil empregadores se cadastraram. Estamos felizes com o ritmo. Mostra que há um esforço da sociedade em se regularizar e que o aplicativo tem cumprido o seu objetivo. A gente sabe que, depois de reunir todos documentos, o cadastramento não leva mais os que meia hora", declarou.
O Ministério do Trabalho informou que, de um total de 6 milhões de trabalhadores domésticos no país, em torno de 2,1 milhões têm carteira assinada. A Receita Federal, porém, informou ter dúvidas sobre essa estatística, mas avaliou que deve haver um ganho de formalização com a necessidade de cadastramento.

Prazos e multa
O prazo para o cadastramento de empregadores e empregados no eSocial vai até 31 de outubro. "Caso não seja realizado, o empregador estará descumprindo a lei", segundo a Receita. Não há punição prevista para quem atrasar esse cadastramento, e sim multas para os patrões que perderem o prazo do pagamento (6 de novembro).
Já o cadastramento dos empregados que tiverem sido contratados a partir de outubro deve ocorrer até um dia antes do início das atividades, acrescentou o Fisco.
A Receita confirmou que mesmo os patrões que fizerem o cadastro até a data limite para o primeiro pagamento no novo modelo estarão aptos a fazer o recolhimento dos encargos e demais tributos no prazo - ainda que o registro tenha sido feito depois de 31 de outubro.
Caso o atraso seja na data do pagamento, no entanto, haverá a cobrança de multa de 0,33% ao dia de atraso, limitada a 20%.

Abatimento no Imposto de Renda
A Receita Federal explicou que o empregador que desejar abater os gastos com o INSS do empregado doméstico na declaração do IR de 2016 deverá colocar seu CPF no cadastramento, e não de outra pessoa da família, para poder realizar esse procedimento.
No IR de 2015, relativo ao ano-base 2014, o limite de abatimento é de R$ 1.152,88. Esse valor correspondeu à alíquota de 12% aplicada sobre o salário mínimo de R$ 724 vigente no ano passado.
Caso o empregador pague mais de um salário mínimo, ele não pode abater todo o valor gasto com a contribuição patronal do INSS.
Guia única, englobando o FGTS
Com o cadastramento, o empregador passa a registrar as informações sobre o trabalhador e emite uma guia para recolher todos os tributos – o chamado Simples Doméstico define um regime unificado para pagamento de todos os tributos e demais encargos, inclusive FGTS.

Os novos direitos estão previstos na chamada PEC das Domésticas, lei que foi aprovada em abril de 2013. Mas eles só foram regulamentados no último mês de junho, e apenas agora começam a valer.
Com a entrada em vigor desses direitos, o empregador terá obrigatoriamente que cadastrar seus empregados no site do eSocial. O primeiro pagamento nesse novo modelo, referente a outubro, deverá ser feito até 6 de novembro.
A Receita diz ainda que, em média, leva-se cerca de 15 a 20 minutos para realizar o  cadastramento inicial no site.
O governo federal divulgou, no site do eSocial, uma cartilha com orientações para os empregadores de trabalhadores domésticos.


Veja como funciona o cadastro e o recolhimento os tributos:

– O empregador deve iniciar seu cadastro preenchendo os seguintes dados:
Nome completo
Data de nascimento
CPF
NIS (Número de Identificação Social).
O NIS pode ser o Número de Inscrição na Previdência Social - NIT, no Programa de Integração Social - PIS, no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público - PASEP, ou no Sistema Único de Saúde - SUS.

– A cartilha explica que, antes de realizar o cadastramento dos trabalhadores, o empregador poderá verificar se o CPF e o NIS estão aptos para serem utilizados no sistema. Está disponível na página inicial do eSocial o link “Consulta Qualificação Cadastral”.
– Depois do cadastro do empregador, é preciso realizar o cadastro do empregado, informando os dados do contrato.
– O empregador precisará realizar seu cadastro e de seus empregados apenas uma vez, mas a folha de pagamento deverá ser feita mensalmente.
– O empregador precisa documentar no sistema ocorrências como afastamentos (por doenças, licenças, férias etc), comunicado de acidente de trabalho, aviso prévio e demissão.
– Ao fechamento de cada mês, é emitida uma guia para o pagamento de todos os tributos e do FGTS.

VEJA O PASSO A PASSO PARA FAZER O CADASTRO:
1. Acesso ao sistema
O usuário encontra o espaço para acessar o sistema no canto superior da tela. Existem duas opções para fazer o acesso: certificado digital ou código de acesso.
A primeira opção é para quem possui um certificado digital e-CPF. O site da Receita Federal reúne orientações para quem quer ter um certificado digital. A segunda opção, de código de acesso, é para quem não tem certificado digital.
Para acessar o sistema com código de acesso, o empregador deverá clicar em “primeiro acesso” para gerar o seu código. O sistema irá solicitar: CPF, data de nascimento e Número dos recibos de entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF), dos últimos dois exercícios. Caso o empregador não tenha feito declaração do IR no último exercício, será solicitado o número do título de eleitor.
2. Cadastro do empregador
No primeiro acesso, o sistema trará o CPF e nome vinculados ao código de acesso gerado. Então, é preciso informar telefone e e-mail para contato, e em seguida clicar no botão “salvar”.

É possível adicionar informações complementares, como opção pelo registro eletrônico de empregados e indicativo de situação da pessoa física, mas elas não são obrigatórias.
3. Cadastro do empregado
Segundo a cartilha, o empregador deverá cadastrar todos os seus empregados nesta opção, inclusive aqueles que foram admitidos antes de 1º de outubro de 2015. Para fazer isso, é preciso clicar no botão “Cadastrar/Admitir” na tela de Gestão de Trabalhadores.
A cartilha explica ainda que os empregados admitidos antes de 1º de outubro de 2015 deverão ser cadastrados no sistema até o fechamento da folha de pagamentos da competência 10/2015 (prazo limite em 06/11/2015). Para empregados contratados a partir do dia 1º de outubro de 2015, o registro no eSocial deverá ocorrer até um dia antes do início das atividades.

Os dados do empregado que o sistema irá solicitar para fazer o cadastro são:
- CPF
- Data e país de nascimento
- NIS
- Raça/cor e escolaridade
Em seguida, o campo “Data de admissão” deverá ser preenchido com a mesma data de assinatura na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). Os campos “Grupo” e “Categoria do trabalhador” já são preenchidos automaticamente e não permitem alterações.
Depois, devem ser informados o número, série e UF (Estado) da CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social), telefone e e-mail para contato. O sistema ainda irá pedir o endereço do empregado e informações sobre dependentes, caso a pessoa possua.
4. Preenchimento dos dados de contrato 
O sistema irá pedir informações sobre o contrato de trabalho. É preciso informar qual é o tipo de contrato (determinado ou indeterminado), cargo, salário base e periodicidade de salário (mensal, semanal, quinzenal etc.).

Caso o empregador já recolha o FGTS (o recolhimento passa a ser obrigatório em 01/10/2015, mas o empregador já tinha a opção de fazer isso voluntariamente antes disso), é preciso preencher a data em que ele começou a realizar os recolhimentos para aquele empregado.

Caso o usuário informe que o local de trabalho é o mesmo informado como endereço do empregador, o campo é preenchido automaticamente. Mas, se esse não for o caso, é preciso informar o local onde o empregado irá trabalhar clicando em "informar outro endereço".
Em seguida, o empregador deve apontar qual foi a jornada de trabalho contratada, escolhendo entre três opções: semanal, 12 x 36 ou demais tipos (escala, turno de revezamento, permutas, horários rotativos, etc.).
Com exceção da opção de 12 x 36, o sistema apresenta em seguida opções para preencher o detalhamento da jornada.


Se precisar alterar alguma informação sobre o empregado ou sobre o contrato, o usuário deverá acessar a página de dados cadastrais e contratuais, na tela "gestão de trabalhadores".
Clicando sobre o nome do trabalhador, o empregador terá acesso aos links dos dados cadastrais e contratuais. Ao clicar na opção que deseja alterar, é preciso em seguida clicar em "alterar dados cadastrais" ou "alterar dados contratuais", conforme o caso.
VEJA COMO REGISTRAR EVENTOS TRABALHISTAS:
O acesso aos eventos trabalhistas poderá ser feito clicando em “Trabalhador”, em seguida em “Registrar Evento Trabalhista”, depois no nome do empregado e na matrícula. Essa mesma opção poderá ser acessada em “Trabalhador”, depois “Gestão de Trabalhadores” e em seguida clicando no nome do empregado e depois no link “Evento Trabalhista”.
Veja os eventos que devem ser registrado (com exceção de folha de pagamentos, fechamentos de mês e aviso prévio, que não foram disponibilizados pela cartilha).
1. Afastamentos
Os afastamentos – tais como doenças e licença maternidade – devem ser registrados no
tópico “Afastamento Temporário”. O empregador precisa informar a data de início do afastamento e o motivo. Para isso, é necessário escolher um tipo dentro da lista disponível no próprio campo. Caso o afastamento já tenha terminado, é possível informar também a data de término.

2. Acidente de trabalho
Para esse motivo de afastamento, além do registro do evento no eSocial, a Comunicação de
Acidente do Trabalho (CAT) também é obrigatória.
A empresa ou o empregador doméstico deverão comunicar o acidente do trabalho à Previdência Social até o primeiro dia útil seguinte ao da ocorrência. É possível fazer a CAT pelo site da Previdência.

3. Mudança no afastamento
A cartilha explica que, para o eSocial, cada passo do afastamento é registrado como um evento/registro. Portanto, a inclusão de um afastamento é um evento, o registro posterior do retorno do empregado é considerado outro evento. Da mesma forma, a alteração do motivo de afastamento também é considerada um novo evento.
Muitas vezes, por questões de avaliação de perícia médica e/ou decisão judicial, o afastamento por doença não relacionada deve ser alterado.
O link para registro de alteração do motivo de afastamento está localizado na tela
"Movimentações Trabalhistas".
Ainda segundo a cartilha, para alteração de motivo de afastamento, nos casos em que já houve o registro do retorno, é necessário excluir previamente o registro/evento de retorno para que o sistema aceite o comando de alteração do motivo. Após a alteração do motivo de afastamento, o empregador poderá incluir novamente a data de retorno do empregado.
4. Retorno de afastamentos
O retorno de afastamentos – caso não tenha sido informado no momento do registro do
início do afastamento – deve ser realizado pelo empregador através do link "Retorno de
Afastamento Temporário" localizado na tela de Movimentações Trabalhistas.

5. Férias
Para registrar o aviso de férias, o empregador deve acessar o sistema com 30 dias de antecedência e clicar em "registrar férias".
É preciso preencher o período e informar se haverá a conversão de parte das férias em dinheiro. Empregador e empregado também podem entrar num acordo e dividir as férias em períodos diferentes, desde que uma das partes tenha ao menos 14 dias. Isso também deve ser registrado no sistema.

Após preencher todos os campos, o empregador deverá clicar em “Salvar Aviso de Férias”.
No dia em que o empregado sair de férias ou em data posterior, o empregador deverá acessar o sistema novamente e clicar em "registrar saída de férias". Será exibida uma tela detalhando o período aquisitivo e com a situação "Em andamento".
Ao clicar sobre o período aquisitivo para abrir a programação de férias, serão exibidos os links para impressão do aviso de férias e recibo de pagamento.
É preciso também registrar o retorno de férias, no dia do retorno do empregado ou em data posterior.





Fonte: g1.globo.com
 
 
 Vegetarianos veem luta legitimada após OMS ligar carne a câncer
OMS colocou produtos como salsicha e salame na lista de carcinogênicos. 

Já carne vermelha é fator de risco 'provável' para o câncer.

Associações vegetarianas e veganas afirmaram nesta segunda-feira (26) que a publicação de um relatório que relaciona o consumo de carne vermelha e embutidos ao risco de câncer legitima sua luta em favor de dietas alternativas à alimentação com carnes.

"Quantas crises alimentares nós devemos enfrentar antes que as pessoas se deem conta de que as proteínas animais não são boas para nós", reagiu Jasmijn de Boo, presidente da Vegan Society, organização criada em 1944 com sede na Grã-Bretanha.
"A salmonela nos anos 1980, a 'vaca louca' nos anos 1990, a febre aftosa nos anos 2000, a carne de cavalo há dois anos e agora isso: não adianta passar de uma carne para outra. É mais saudável e melhor para o meio ambiente e para os animais ser vegano", disse à AFP o líder da associação que prega a exclusão total de todos os produtos de origem animal da alimentação, mesmo o leite e o queijo.

"Mais do que reduzir nosso consumo (de produtos à base de carne), nós devemos retirá-los completamente da nossa dieta. Existem muitas alternativas", defendeu.
Em nome da União Europeia dos Vegetarianos, que aceitam os produtos à base de leite, Renato Pichler declarou estar "contente que a OMS tenha aceito a conexão entre o consumo de carnes e certos cânceres".

Para Brigitte Gothière, pota-voz da organização L214, que também prega a ausência total de produtos de origem animal da alimentação em nome do respeito aos seres vivos, "o estudo da OMS é mais um argumento em favor de uma alimentação que exclui os produtos à base de carne".

"As dietas veganas são normalmente criticadas pelos médicos, mas este estudo mostra que ser vegano também nos protege de algumas doenças", alfinetou.

Diante da pecuária extensiva, "a questão da ética face aos animais se impõe cada vez mais, talvez até mais do que a questão da saúde", acrescentou Brigitte Gothière.

A Agência Internacional para a Pesquisa sobre o Câncer (IARC), uma agência da Organização Mundial da Saúde (OMS), colocou o consumo excessivo de carnes processadas, como embutidos ou frios, no Grupo 1 de risco de levar ao desenvolvimento de câncer, principalmente o colorretal.

Entre os cânceres mais frequentemente associados à carne, aparecem o câncer colorretal e em quantidade menor, os cânceres de próstata e do pâncreas, segundo o estudo.
Tire suas dúvidas sobre o consumo desse tipo de alimento e o risco de câncer:


Carne processada é tão perigosa quanto cigarro?

As carnes processadas foram colocadas na lista do grupo 1 de carcinogênicos, que já inclui tabaco, amianto e fumaça de diesel. Porém, segundo os especialistas, isso não significa que esse produto é tão perigoso quanto o cigarro, por exemplo.
A carne processada foi incluída nessa categoria, pois existem evidências claras de sua relação com o câncer. Porém o aumento de risco do câncer ocasionado pelo tabaco é muito mais significativo.
“Ao colocar a carne processada no grupo de carcinogênicos, ela fica no mesmo patamar que o fumo, por exemplo, em que a recomendação é não consumir”, diz o cirurgião oncologista Samuel Aguiar Junior, diretor do Departamento de Tumores Colorretais do A.C.Camargo Cancer Center.
“Porém, o consumo esporádico e em pequenas quantidades de carne processada não leva a um aumento do risco de câncer comparável ao tabaco”, afirma.
Segundo o Cancer Research UK, enquanto 86% dos casos de câncer de pulmão estão ligados ao uso de tabaco, 21% dos casos de câncer de intestino estão ligados ao consumo de carne processada e vermelha.




As pessoas devem parar de comer carne?

A classificação não significa que as pessoas devem parar de comer carne. Aguiar Junior observa que a carne vermelha fresca, não processada, é um componente importante da alimentação e o consumo adequado traz benefícios para a saúde.
Segundo o oncologista, uma quantidade considerada segura é 70 gramas por dia para homens e 55 gramas por dia para mulheres.
Para o médico Gilberto Lopes, oncologista clínico do Grupo Oncoclínicas do Brasil e membro da Sociedade de Oncologia Clínica Americana (Asco), a dieta do brasileiro é caracterizada por ser rica em carne vermelha: o ideal seria reduzir o consumo a no máximo três vezes por semana.
Já em relação à carne processada, não se sabe qual seria uma quantidade segura. O que a revisão de estudos provida pelo IARC concluiu foi que o consumo de uma porção de 50 gramas por dia de carne processada aumenta o risco de câncer colorretal em 18%.
Para se ter uma ideia, uma única salsicha pesa 50 gramas, três fatias finas de presunto pesam 40 gramas, sete fatias de salame pesam 40 gramas e uma linguiça pode chegar a 100 gramas.




O que é considerado carne processada e carne vermelha?

Segundo a classificação da IARC, carne vermelha são todos os tipos de carne de mamíferos como vaca, porco, cordeiro, carneiro, cavalo e cabra.
Já as carnes processadas, também conhecidas como embutidos, são aquelas com adição de sal ou outros produtos para realçar o sabor e aumentar o tempo de conservação, ou que tenham sido fermentadas ou defumadas.
Esses produtos geralmente contêm carne de vaca ou de porco, mas também incluem os produzidos com carnes de aves e outros produtos relacionados à carne, como sangue. Entre eles estão bacon, toucinho, presunto, salsicha, linguiça e salame.




A carne é a única causa so câncer colorretal?


Não. Segundo o oncologista Aguiar Junior, a carne vermelha não é o único vilão do câncer de intestino.
Para se prevenir a doença, além de moderar o consumo de carnes vermelhas e processadas, é indicado adotar uma dieta mais rica em verduras, frutas e cereais, além de aumentar as atividades físicas.





Fonte: g1.globo.com/bemestar/
 
 
 Prejuízo da Embraer aumenta e chega a R$ 387,7 milhões no 3º trimestre
No segundo trimestre, prejuízo foi menor, de R$ 24,3 milhões.
Nos três primeiros meses do ano, empresa havia lucrado R$ 399,6 milhões.

A fabricante de aviões Embraer teve prejuízo líquido atribuível a acionistas de R$ 387,7 milhões no terceiro trimestre, quase 16 vezes acima das perdas de um ano antes, de R$ 24,3 milhões. No segundo trimestre, a companhia havia registrado lucro de R$ 399,6 milhões.

No ano, de janeiro a setembro, a fabricante acumula perdas de R$ 184,2 milhões.
A companhia afirma que a depreciação do real frente ao dólar no terceiro trimestre, de 56%, foi o principal fator que contribuiu para o aumento das despesas administrativas e comerciais, quando comparadas as do mesmo período do ano passado.

O resultado da empresa foi impactado por variação cambial, com a dívida líquida da companhia subindo de R$ 685,2 milhões no final do terceiro trimestre de 2014 para R$ 2,558 bilhões ao fim de setembro deste ano.

A companhia informou no balanço que mantém estimativas de desempenho financeiro para 2015.

No terceiro trimestre, a Embraer disse ter entregado 21 aeronaves comerciais e 30 executivas (21 jatos leves e nove grandes). No acumulado dos primeiros nove meses de 2015, foram entregues 68 aeronaves comerciais e 75 executivas (57 jatos leves e 18 grandes).

Apesar do resultado, a companhia teve alta de 62% na receita líquida do período, para R$ 4,577 bilhões. Enquanto a geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) cresceu para R$ 570,3 milhões, ante R$ 311,3 milhões um ano antes.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Bancários decidem pelo fim da greve em 24 estados e no DF
Bancários decidem pelo fim da greve em 24 estados e no DF; veja a lista
Após 21 dias, paralisação termina em todos os bancos privados do país. 
Em alguns bancos públicos e nos estados de MT e RR, greve continua.


Após 21 dias de paralisação, bancários de 24 estados e do Distrito Federal decidiram, na noite desta segunda-feira (26), encerrar a greve da categoria, iniciada no dia 6 de outubro. Em todos os bancos privados, as agências voltam a funcionar nesta terça-feira (27). Em alguns estados, os funcionários dos bancos públicos decidiram manter a greve. (Veja abaixo a situação em cada estado).
A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) propôs reajuste de 10%, em resposta à reivindicação de 16% da categoria. Os sindicatos nos estados de Mato Grosso e Roraima rejeitaram a proposta e decidiram manter a greve em todos os bancos.
Veja onde a greve chegou ao fim, total ou parcialmente:

– ACRE
Funcionários de bancos privados e do Banco do Brasil decidiram encerrar a greve. Na Caixa Econômica Federal e no Banco da Amazônia, entretanto, a paralisação continua.

– ALAGOAS
A greve termina nos bancos privados e na Caixa Econômica Federal. No Banco do Brasil e Banco do Nordeste do Brasil (BNB), a paralisação continua.
– AMAPÁ
 Os bancários aceitaram a proposta, e todas as agências retomam o trabalho nesta terça (27).

– AMAZONAS
Funcionários do Banco do Brasil e de bancos privados decidiram encerrar a paralisação. Apenas os bancários da Caixa Econômica Federal e do Banco da Amazônia (Basa) seguem em greve.
– BAHIA
Trabalhadores de bancos públicos e privados na Bahia decidiram encerrar a greve. Apenas funcionários do Banco do Nordeste decidiram continuar a paralisação.

– CEARÁ
Os funcionários dos bancos privados decidiram encerrar a greve. A paralisação continua no Banco do Brasil, Banco do Nordeste (BNB) e Caixa Econômica Federal.
– DISTRITO FEDERAL
Bancários decidiram terminar a greve da categoria nos bancos privados e no Banco do Brasil. Os funcionários do Banco de Brasília (BRB) seguem em greve, e os da Caixa farão uma nova assembleia nesta terça-feira. 

– ESPÍRITO SANTO
Bancários decidiram encerrar a greve.

– GOIÁS
Funcionários dos bancos privados e do Banco do Brasil encerraram a greve. Bancários da Caixa Econômica Federal seguem com a paralisação.

– MARANHÃO
Sindicato decidiu pelo fim da greve. Apenas as agências do Banco do Nordeste e Banco da Amazônia continuarão fechadas.

– MATO GROSSO DO SUL
Os bancários do estado decidiram encerrar a greve.

– MINAS GERAIS
Os trabalhadores de Belo Horizonte e região decidiram encerrar a greve da categoria, assim como os bancários de Uberlândia e de Uberaba.

– PARÁ
Bancários das instituições privadas e do Banco do Estado do Pará (Banpará) encerraram a greve. A paralisação continua no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal.

– PARAÍBA
Bancários de todo o estado decidiram encerrar a greve, exceto BNB.

– PARANÁ
Os bancários de Curitiba e Região Metropolitana decidiram encerrar a greve.

– PIAUÍ
Os bancários do Piauí decidiram encerrar a greve. A informação foi confirmada pela diretoria de recursos humanos do Sindicato dos Bancários do Piauí.
– PERNAMBUCO
Os funcionários dos bancos privados decidiram encerrar a greve. No Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Caixa Econômica Federal, os bancários decidiram seguir com a paralisação.

– RIO DE JANEIRO
A categoria aceitou voltar ao trabalho. Funcionários de entidades privadas e públicas – da capital e do interior – se dividiram em votações diferentes, mas o resultado foi o mesmo em todas as assembleias.
– RIO GRANDE DO NORTE
A greve será mantida nos bancos públicos: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco do Nordeste. Os bancos privados voltam a funcionar nesta terça-feira (27).

– RIO GRANDE DO SUL
Os funcionários dos bancos privados decidiram pelo fim da greve. Em relação aos bancos estatais, ainda não foi divulgada a decisão da categoria.
Em Santa Maria, a greve também acabou. Em Rio Grande, no Sul do estado, apenas funcionários do Banco do Brasil seguem em greve. Nas regiões de São Sebastião do Caí, Santa Cruz do Sul e Ijuí, novas assembleias serão realizadas a partir das 8h de terça-feira (27) para definir a situação.
– RONDÔNIA
Os funcionários do Banco do Brasil e bancos particulares decidiram pelo fim da greve. Os bancários da Caixa Econômica Federal optaram por continuar parados.

– SANTA CATARINA 
Bancários de bancos privados, da Caixa e do Banco do Brasil na Grande Florianópolis e todos da região de Criciúma, no Sul do estado, decidiram encerrar a greve. Outras regiões ainda fazem assembleias.

– SÃO PAULO
O sindicato do estado de São Paulo decidiu pelo fim da greve. Os bancários de Limeira também voltam ao trabalho. Segundo o sindicato da categoria, que engloba também a cidade de Iracemápolis (SP), as 34 agências públicas e privadas dos dois municípios já foram abertas nesta segunda-feira (26).

Os bancários de Sorocaba e região aprovaram o fim da greve. As agências bancárias públicas e privadas do Alto Tietê também retornam o atendimento nesta terça. Em Piracicaba, São José do Rio Preto, Araçatuba e região , São Carlos, Araraquara e Rio Claro e região e em Campinas, a decisão também foi pelo fim da greve.

– SERGIPE
Os bancários do estado encerraram a greve.

– TOCANTINS
Bancários decidiram retomar o trabalho nesta terça.

Reajuste salarial de 10%
A última proposta apresentada pela Fenaban foi de reuste salarial de 10%, aplicáveis aos salários, benefícios e participação nos lucros, além de correção de 14% no vale-refeição e no vale-alimentação.

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), os bancos aceitaram também abonar 63% das horas dos trabalhadores de 6 horas, de um total de 84 horas, e 72% para os trabalhadores de 8 horas, de um total de 112 horas.
Assim, após a volta ao trabalho, os bancários irão compensar, no máximo, uma hora por dia útil, até o dia 15 de dezembro.
Inicialmente, os bancos ofereceram um reajuste de 5,5%, enquanto os bancários reinvindicavam uma correção de 16% nos salários.
"A nova proposta da Fenaban, apresentada no 19º dia da greve, significa a manutenção do modelo que vinha sendo colocado em prática nos últimos anos, de reposição integral da inflação mais aumento real e abono parcial dos dias parados", informou a Contraf, em nota.
Em 12 meses, até setembro, a inflação acumulada chegou a 9,77%, segundo o IPCA-15, medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
A greve da categoria entou nesta segunda-feira em seu 21º dia. Durante a paralisação, mais de 12 mil das 22.975 agências instaladas no país chegaram a fechar as portas para o público.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Mosquito da dengue pode transmitir nova virose chamada nyong-nyong
64 municípios de MS têm alta incidência da dengue, diz secretaria de saúde.
Especialista alerta para possíveis epidemias de novas doenças no estado.


O mosquito aedes egypti, conhecido por transmitir doenças graves como a dengue, a febre chikungunya e a zika, também transmite uma nova virose descoberta por especialistas: a nyong-nyong.

Assim como nas outras viroses, a febre é um dos sintomas mais comuns, segundo o infectologista Rivaldo Venâncio. "No caso do vírus nyong nyong, ele pertence à mesma família, ao mesmo vírus da família chikungunya, vírus que dão acometimento primariamente mais intenso nas articulações", explicou.

Por isso, onde há dengue, há mosquito aedes egypti e também podem ocorrer doenças semelhantes. Segundo o último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), 64 dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul têm alta incidência da dengue. Foram mais de 30 mil casos notificados.

Segundo o médico patologista e pesquisador da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) e da Universidade Federal da Bahia (UFB), Mitermayere Galvão dos Reis, Mato Grosso do Sul pode ter em breve epidemias de zica, chikungunya e nong, provocada por novo vírus descoberto.


Para controlar o vírus em caso de epidemia, ele acrescenta que é preciso desenvolver políticas públicas específicas para medidas de contenção, como o controle do mosquito em determinada área, por exemplo.

Disseminação
Atualmente, a disseminação dos vírus pelo planeta ocorre com mais rapidez que no passado, segundo o especialista. “No passado os vírus eram transmitidos pelas aves migratórias. Levava cinco ou seis meses para que um vírus que aparecia na Ásia chegar ao Brasil ou ao Polo Norte. Hoje, com os aviões, o indivíduo pode se infectar lá na Ásia e dois dias depois ele está aqui no Brasil com o vírus”, afirmou Reis.

De acordo com ele, em terras estrangeiras, onde há um mosquito apropriado para transmissão, como o Aedes Aegypti no Brasil, existe a possibilidade do vírus ser difundido e ocorrer uma epidemia.



Fonte: g1.globo.com/
 
 
 5 novas tecnologias que podem revolucionar o mundo em breve
O mundo está mudando rapidamente, e todos os anos novas tecnologias são apresentadas ao mercado e às nossas vidas. Muitas parecem ousadas demais, um tanto estranhas e verdadeiramente inovadoras – o fato é que é difícil acompanhar tudo o que é criado, já que avanços são feitos em diferentes áreas, que vão da medicina à agricultura.

Determinadas tecnologias são capazes de realmente transformar as nossas vidas, impactando milhões de pessoas e modificando o modo como nos relacionamos em sociedade. Hoje, vamos falar aqui no TecMundo sobre algumas dessas invenções e avanços que podem revolucionar o mundo que conhecemos muito em breve. Então, vamos lá:

1 – Impressoras 3D
As impressoras 3D estão longe de se tornarem extremamente populares, porém as projeções para esse campo são enormes, sem falar das múltiplas aplicações que elas oferecem. Os preços já estão diminuindo, e impressoras que antes custavam US$ 30 mil já podem ser encontradas por US$ 3 mil – modelos mais rápidos, baratos e eficientes que estão em desenvolvimento.

É um campo que cresce aproximadamente 35% todos os anos: em 2011, o valor de mercado das impressoras 3D estava cotado em US$ 1,7 bilhão e pode atingir US$ 6,5 bilhões em 2019. De acordo com James Ross, gerente sênior da Alliance Bemstein, o modo tradicional de produção será diretamente afetado e, por exemplo, não precisaríamos de tantas fábricas na China. Próteses médicas, acessórios variados, peças mecânicas – inúmeros itens podem ser feitos por essas máquinas e com igual qualidade.

2 – Edição dos genes humanos
Existem várias doenças resultantes de problemas genéticos, predisposições que carregamos conosco desde que nascemos. Graças ao melhor entendimento do genoma humano e das mutações genéticas, médicos e cientistas já podem detectar sinais de Alzheimer e outras doenças com antecedência. E se nós pudéssemos modificar esses genes ou identificá-los muito mais cedo para lutarmos contra o declínio mental de um indivíduo?

Esses estudos têm ganhado bastante destaque nos últimos anos, crescendo continuamente. Com o avanço tecnológico desse campo, poderemos tratar dezenas de doenças que possuem raízes no genoma humano. Várias empresas de biotecnologia já receberam fundos para pesquisar possíveis tratamentos, como a Bluebird Bio e a Juno Therapeutics, que já ganharam US$ 116 e US$ 120 milhões respectivamente.

A capacidade de editar ou substituir genes específicos depende de vírus modificados, como o vírus adenoassociado (AAV), que pode entrar no organismo de alguém e substituir os genes defeituosos por bons. Outro método consiste em remover algumas células, tratá-las com um vírus modificado, e, depois, recolocá-las no corpo de um paciente. Por exemplo, a diabetes do tipo I pode ser totalmente evitada. Esses métodos podem se mostrar um tanto caros, porém à medida que mais empresas investem os preços tendem a baixar.

3 – Estoque e produção de energia solar
Há tempos sabemos que novas fontes de energia precisam ser criadas e aperfeiçoadas conforme a população mundial cresce e a demanda aumenta. Os painéis solares fotovoltaicos já estão presentes em muitos países, porém eles não a nossa fonte primordial de energia – não funcionam no período noturno e não podem estocar energia.

A maioria dos painéis solares só atinge 44% de eficiência e muitos nem ficam próximos desse número. Muito deve ser aperfeiçoado para o boom dos painéis solares realmente ocorrer, algo previsto para 2025. De acordo com o cientista David Mills, a energia solar tem potencial para competir diretamente com os combustíveis fósseis em um futuro muito próximo.

Além disso, o preço dos painéis tem diminuído drasticamente, o que contribui para a popularização. Segundo Mills, os painéis solares podem realmente mudar o modo como o mundo consome energia. Em breve será possível que um proprietário comum compre os seus próprios equipamentos e os instale, tornando-se completamente independente de energia.

4 – Um processo mais barato de dessalinização
Países do Oriente Médio já utilizam as tecnologias de dessalinização há muitos anos, transformando água do mar em água doce. Em um mundo dominado por oceanos, é no mínimo irônico que nós enfrentemos um futuro seco e que a água seja tão escassa em muitas regiões.

Apesar de a dessalinização já existir, é um processo extremamente caro, bancado principalmente por países ricos, como Israel e Emirados Árabes (alguns países africanos, por exemplo, não têm condições de custear tais valores). Contudo, esse quadro está mudando e pode transformar o mundo em um futuro breve.

Quando a água salgada é convertida em água doce, o material restante é jogado fora. No entanto, além de estar cheio de sal, também existem muitos tipos de metais que podem ser extraídos desse resíduo em vez de desperdiçá-los. Se fosse possível coletar os minerais durante o ato de dessalinização, os custos do procedimento se tornariam muito menores, já que teríamos um novo produto no final do processo.

5 – A internet das coisas
O conceito da internet das coisas diz que passaremos por um tipo de revolução tecnológica que une computação e comunicação, dependente dos sensores wireless e da nanotecnologia. É esperado que até 2025 os carros, as casas e vários tipos de aparelhos estejam diretamente conectados, de modo popular, em inúmeros países – até 2022, estima-se que mais de 50 bilhões de objetos se liguem à internet desse modo (de acordo com a Intel).

Quando tudo estiver conectado, imagina-se que teremos um grande avanço no campo de inteligência artificial e robótica – e os robôs se tornarão muito mais possíveis. Os objetos se ligarão de modo sensorial e inteligente, trazendo todos os benefícios da informação integrada.

FONTE(S): WT Vox, CNBC, Make Use Of.
tecmundo.com.br/
 
 
 Kumbh Mela, a maior peregrinação do mundo, testa tecnologia ao máximo
Nashik (Índia), 27 out (EFE).- As novas tecnologias encontraram no festival hindu Kumbh Mela na Índia, a maior peregrinação do mundo com milhões de pessoas, o banco de testes ideal para experimentar aplicativos de informática que ajudem a organizar a multidão.

O Kumbh mela ou Kumbhamela acontece de forma rotatória a cada certo número de anos, dependendo de cálculos astronômicos, em quatro pontos do país asiático, em Allahabad, Haridwar, Ujjain e Nashik, para onde milhões de hindus vão durante várias semanas para se banhar em rios sagrados para purificar seus pecados.

A maior "mela" (feira ou reunião em híndi) ocorre a cada 12 anos no Ganges em sua passagem por Allahabad, no norte da Índia, e em sua edição de 2013 reuniu cerca de cem milhões de pessoas.

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (EUA) realizou então o projeto Kumbhathon, para estudar como as novas tecnologias podem ajudar na organização da cidade temporária montada para essa imensa quantidade de gente durante o mês e meio que aproximadamente dura o festival.

"O Kumbh Mela é uma coisa previsível, mas incontrolável", declarou à Agência Efe Ramesh Raskar, um dos pesquisadores do projeto.

Há dois anos em Allahabab morreram 36 pessoas em um corre-corre e pensando nisso, o Kumbhathon desenvolveu uma rede informática e de telecomunicações que permita controlar a multidão, com medidores de passagem de peregrinos em pontos conflituosos e aplicativos para telefones celulares que avisam sobre incidências.

"Através do Kumbhathon, nossa equipe levou a inovação tecnológica para o Kumbh Mela. Fomentamos que gente inovadora tenha ideias para enfrentar os grandes problemas que surgem e os guiamos para que desenvolvam protótipos que podem ser testados no mercado", ressaltou outro dos pesquisadores, John Werner.

Membros da equipe acudiram ao último Kumbh Mela, realizado durante os últimos dois meses em Nashik, no oeste da Índia, para provar estes protótipos.

Os aplicativos de informática desenvolvidos permitem às autoridades supervisionar o movimento de peregrinos, desde que cheguem por estrada ou ferrovia a Nashik até a margem do rio Godawari em sua passagem pela cidade.

Ali, milhares de peregrinos de todas as idades abarrotam os acessos ao rio no meio de um coro de assobios de centenas de policiais, obcecados com que ninguém pare para evitar engarrafamentos, nem corra provocando uma correria.

"É o momento mais crítico e são necessários todos os dados em tempo real da multidão para prevenir qualquer problema", comentou a pesquisadora Margarete Church.

Os aplicativos com as quais a equipe trabalha informam além dos alojamentos disponíveis para os fiéis em grandes carpas, dos pontos de distribuição de comida a cargo de entidades beneficentes ou de onde ficam as assistências médicas.

"O trabalho não está de todo feito, por isso que seguiremos trabalhando entre os empreendedores locais e os pesquisadores de nossa equipe na busca de mais soluções inovadoras", disse Church.

Nashik é um desses quatro lugares nos quais a lenda conta que se derramou o néctar da imoralidade de um "kumbh" ou jarro disputado entre deuses e demônios, após lutar por ele 12 dias, equivalentes a 12 anos terrenos.

Por isso, banhar-se em seu rio durante o Kumbh Mela, algo que só é permitido durante o festival, liberta dos pecados de toda a vida até aquele momento.

Embora a maioria dos fiéis entrem vestidos, muitos "sadhus" (santos) com a testa pintada e o cabelo trançado ao estilo rastafári o fazem nus.

"Há muita gente porque é o último banho, cerca de 780 mil pessoas calculam", disse Yayesh Shrivastan, morador de Nashik, em referência à última oportunidade de se submergir até o Kumbh Mela de 2016 em Ujjain. 



Fonte: noticias.uol.com.br/
 
 
 Governo zera imposto de importação para carro elétrico e a hidrogênio
Modelos considerados 'verdes' pagavam alíquota de 35%.
Híbridos com motor a combustão variam de zero a 7%.

O governo federal zerou o Imposto de Importação para automóveis movidos unicamente a eletricidade ou hidrogênio, que tinham alíquota de 35%. A resolução foi publicada nesta nesta terça-feira (27) pela Câmara de Comércio Exterior (Camex) no Diário Oficial da União.

Os modelos híbridos, que trabalham com propulsor elétrico aliado a outro tradicional a combustão, continuarão com alíquota entre zero e 7%, dependendo da cilindrada e da eficiência energética. A medida entra em vigor hoje.
A  Camex já havia reduzido o tributo dos veículos híbridos sem tecnologia de recarga externa (com motor a combustão) em setembro do ano passado. Os modelos beneficiados podem levar até 6 pessoas e não ter motor acima de 3.0 litros.
A ampliação da medida afeta poucos exemplares no mercado brasileiro, mas abre caminho para que outros desembarquem por aqui, com fabricação local ou não.
Os carros "verdes" emitem pouquíssima ou nenhum poluente na atmosfera, em comparação com os movidos a gasolina ou diesel, mas o preço alto de aquisição ainda é a maior barreira para a popularização.

Frota pequena
Segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico, o país conta com cerca de 3 mil veículos elétricos e híbridos. A frota total do país, em julho, era de 89 milhões de veículos, segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).
Atualmente, apenas um modelo de carro elétrico, o compacto BMW i3, é comercializado no país: ele foi lançado em 2014 por R$ 226 mil.
Há 4 modelos de carros híbridos:o sedã Ford Fusion Hybrid (R$ 142.000), o hatch Toyota Prius (R$ 114.350), o Lexus CT200 (lançado em janeiro último, a partir de R$ 134.000) e o esportivo BMW i8 (lançado em 2014 por R$ 799.950).

Hidrogênio?
A resolução publicada nesta terça-feira já engloba veículos impulsionados por hidrogênio, que por enquanto só existem no Japão. Estes modelos funcionam com eletricidade gerada ao misturar combustível de hidrôgenio e o oxigênio do ar. O resultado da reação é apenas vapor de água e calor.
A Toyota lançou comercialmente no ano passado o Mirai, primeiro modelo movido a célula de hidrogênio fabricado em larga escala no mundo, mas a Honda promete apresentar um rival no Salão de Tóquio, que começa ainda nesta terça-feira. A BMW também espera lançar um carro alemão movido a hidrogênio até 2020.

Mais incentivos
Na cidade de São Paulo, os veículos elétricos e híbridos têm desconto de 50% no Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e estão isentos do rodízio municipal, que proíbe a circulação no centro expandido em determinados horários por 1 dia da semana. Em setembro, os modelos "verdes" somavam 387 na capital e 723 no estado.
Outros 7 estados dão isenção de IPVA a modelos elétricos: Piauí, Maranhão, Ceará, Sergipe, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Pernambuco. Além de São Paulo, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul também dão desconto de 50% no imposto para esses veículos.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Mercedes-Benz terá van futurista autônoma no Salão de Tóquio
Modelo foi chamado de Vision Tokyo pela fabricante alemã.
Evento começa no próximo dia 28, no Japão.

A Mercedes-Benz anunciou que mostrará uma van autônoma com ares futuristas no próximo Salão de Tóquio 2015, que começa em 28 de outubro, no Japão. Ainda sem detalhes técnicos, o Vision Tóquio também foi classificado como "luxuoso e progressivo" pela fabricante alemã.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Conheça os teclados mais caros do mundo e veja o que eles têm de melhor
O teclado é uma peça importante para os usuários que curtem passar um bom tempo no computador, como é o caso dos gamers. Com isso, escolher bem este dispositivo é importante não só para garantir a realização dos comandos com fluidez, mas também para o conforto de uso. Apesar de existirem versões mais simples, com preços mais acessíveis, também há modelos mais rebuscados, com valores bem “salgados” e diversos tipos de material. Veja a lista com os teclados "ostentação" mais caros do mundo.

1. Happy Hacking Keyboard HP Japan
O Happy Hacking Keyboard é um teclado compacto de até 65 teclas e 30 cm de largura, mas mantém as mesmas funcionalidades de um dispositivo padrão de 104 teclas. A ideia é que, por ser menor, os usuários consigam mais agilidade na hora de utiliza-lo e digitar. Esse pequeno detalhe, além da mudança do Control para o lugar do Caps Lock, fazem o teclado ter uma ótima fama entre os usuários. O produto, projetado pela Fujitsu, está disponível em diferentes modelos e o preço pode chegar a US$ 4.400 (o que em conversão direta pode passar de R$ 10 mil).

2. Optimus Popularis Keyboard
Pode parecer estranho, mas os teclados também podem ser símbolo de status, e o Optimus Popularis Keyboard é um bom exemplo disso. Apelidado como “o paraíso dos geeks”, o teclado conta com 113 teclas, sendo que cada uma delas contêm um pequeno monitor colorido de OLED de 48×48 pixels. Além das letras e números, o aparelho pode representar ícones, animações GIF, desenhos, entre outras opções. Além disso, também é possível colocar um mostrador de carga de CPU ou um relógio analógico em uma das teclas do dispositivo, por exemplo. O acessório pode chegar a custar em torno de R$ 4 mil.

3. Optimus Maximus Keyboard
Criado pela empresa russa Art Lebedev Studio, este dispositivo é totalmente customizado de acordo com o que as preferências do usuário. O Optimus permite maior interação por exibir dinamicamente a função atual de teclas. Quando o usuário pressiona a tecla shift, as imagens mudariam para versões de maiúscula. O preço é de R$ 2.400.

4. 2000-IS-DT Keyboard
Criado pelo Stealth Computer, o 2000-IS-DT Keyboard é um teclado de aço inoxidável, com uma barreira óptica isolada que garante proteção 4X de NEMA (National Electrical Manufacturers Association). O teclado é um dos mais caros do mundo e pode custar até R$ 2.200.

5. Fingerworks Keyboard Touchstream
O Fingerworks é um teclado com uma proposta bem diferente. O aparelho funciona apenas com TouchStream. O aparelho é ideal para pessoas com dificuldades ou problemas de saúde, pois não exige força nem esforço dos pulsos para digitar. Isso devido a forma e a posição das teclas, que permitem uma redução na pressão dos tendões. O aparelho pode custar até US$1500, o que pode significar até R$ 5 mil.

6. Datamancer Custom Keyboard
Apesar de ter um design antigo, ele não tem nada de antiquado. O teclado tem luzes LED com jóias, molduras de bronze e teclas de cromo. Disponível em preto e branco, o aparelho pode ser usado via USB, e é aceito pelos sistemas Mac e PC. Tem um custo de US$1500 (o que dá aproximadamente R$ 5 mil).

8. Professional II DataHand Keyboard 
Criado em 1992, pela empresa Industrial Innovations, o aparelho tem uma proposta bem diferente dos demais: são 2 teclados completamente separados. Isso porque um deles é para a mão esquerda e outro para a mão direita, o que permite ao usuário colocar cada mão onde quer que seja mais confortável no momento da digitação. Para comprar um desses, você pagará nada menos que US$ 675, o que daria aproximadamente R$ 2.500.

9. Kirameki Pure Gold Keyboard
Produzido no Japão pela empresa Wazakura Studios, este teclado tem um brilho revestido com 100% de ouro puro. Porém, o modelo está disponível apenas em japonês, com  86 teclas, 2 portas USB, opções de esquerda, direita e centro para o cabo conector e uma base ajustável. O preço para ostentar um desses é de US$360, aproximadamente R$ 1.300.
 
 
 Conselho de Ética deve receber nesta semana representação contra Cunha
Presidente da Câmara tem de enviar processo após três sessões ordinárias.
PSOL e Rede pedem cassação de Cunha por contas secretas na Suíça.


O prazo de três sessões ordinárias para que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), envie ao Conselho de Ética representação por quebra de decoro parlamentar contra ele próprio, protocolada por PSOL e Rede, deve terminar nesta semana.
O documento que pede a cassação do mandato do peemedebista foi protocolado no último dia 13, mas ainda não foi enviado ao conselho.
No Código de Ética da Câmara, o prazo limite para que esse despacho ocorra é de três sessões ordinárias no plenário da Casa.
Cunha decidiu que só enviará o documento depois de esgotado esse prazo. Até o final da semana passada, tinham sido realizadas duas sessões. A terceira está marcada para as 14h desta terça-feira (27).

Transcorrido esse prazo, a Mesa Diretora, presidida por Cunha, tem até o dia seguinte para entregar a representação ao Conselho de Ética, que poderá, então, instaurar procedimento de investigação.
Na representação contra o presidente da Câmara, PSOL e Rede argumentam que ele mentiu em depoimento à CPI da Petrobras, em março, quando disse que não tinha contas no exterior.
Em documento enviado pela Procuradoria Geral da República, o procurador-geral, Rodrigo Janot, confirmou que Cunha tem contas na Suíça.
Quando a representação contra Cunha chegar ao Conselho de Ética, será marcada uma reunião para escolha do relator, que deverá elaborar um relatório preliminar.
Nessa fase, o relator só analisa se foram cumpridos requisitos formais e se o autor da representação apresentou uma denúncia bem fundamentada.
O relatório preliminar, pela continuidade ou não do processo, é apresentado e votado no colegiado.
Se aprovada a continuidade, o relator abrirá prazo de dez dias para a defesa do deputado acusado e, depois, elabora um parecer recomendando absolvição, censura, suspensão ou cassação do mandato.
O relatório é, então, votado no Conselho de Ética. Toda essa tramitação no colegiado deve durar, no máximo, 90 dias.
Se aprovada alguma punição, o processo segue para o plenário. Eventual cassação do mandato precisa dos votos de pelo menos 257 dos 513 deputados.


Plenário da Câmara
No plenário, os deputados podem discutir o projeto de lei para regularizar recursos e imóveis não declarados no exterior para o Brasil, uma das medidas do pacote de ajuste fiscal do governo.
Também na pauta de votação há uma proposta para se estender o Bolsa Família para a adolescente gestante e solteira em situação de pobreza ou extrema pobreza.
O texto original fixava o pagamento mensal de R$ 50 para a gestante, que subiria para R$ 100 se ela comprovasse estar regularmente matriculada na escola.
A relatora da proposta, deputada Teresa Surita (PSB-MS), entendeu, porém, que a medida poderia ser “um incentivo à gravidez precoce” e retirou essa parte do texto.
Ela acabou acolhendo uma sugestão de outro projeto que tramitava junto e propôs em seu texto incluir a realização do exame citopatológico do colo do útero, conhecido como Papanicolau, entre as exigências para a concessão do benefício.
Atualmente, o Bolsa Família exige a comprovação, quando for o caso, de acompanhamento nutricional e de saúde, incluindo pré-natal, e a frequência escolar de 85% em estabelecimento de ensino regular.



Plenário do Senado
O primeiro item na pauta de votação dos senadores é a medida provisória que permite que empresas com dificuldades financeiras temporárias reduzam a jornada de trabalho dos funcionários, com a respectiva diminuição de salário.
O texto, já aprovado pela Câmara dos Deputados, cria o Programa de Proteção ao Emprego (PPE) e prevê que a jornada de trabalho pode ser reduzida em até 30% com a redução proporcional do salário pago pelo empregador.
Se os senadores aprovarem da forma como foi votado pela Câmara, o texto vai à sanção presidencial. Se houver mudança, a medida provisória deverá voltar para análise dos deputados.
O trecho mais polêmico do texto foi retirado pelos deputados. É o que estabelecia que as condições de trabalho combinadas em convenção ou acordo coletivo prevaleceriam sobre a legislação trabalhista, desde que não contrariassem ou inviabilizassem direitos previstos na Constituição e nas convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT).
Depois de os senadores votarem a medida provisória, pode ser colocado em votação o projeto que define crimes de terrorismo. Hoje a legislação brasileira não prevê esse crime.
Em caso de eventual atentado, os atos praticados seriam enquadrados com base em outros crimes, como homicídio doloso (intencional) e porte de arma de uso restrito, por exemplo.
No texto aprovado pela Câmara dos Deputados, um trecho gerou discordância entre os senadores – o que destaca que a proposta não se aplica a manifestações políticas, movimentos sociais, sindicais, religiosos, que tenham com o objetivo de defender direitos, garantias e liberdades constitucionais.
Na semana passada, o relator da proposta no Senado, senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), apresentou seu relatório e retirou esse trecho. Ele argumenta, no documento, que, ao explicitar os conceitos de terror generalizado e de extremismo político, o projeto já "afasta por completo os temores de eventual criminalização de movimentos sociais com propósito legítimo".
Se a versão do senador for aprovada, o texto tem de retornar para nova votação na Câmara dos Deputados.


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Governo retira pedaladas e rombo será de até R$ 50 bi
Proposta será enviada ao Congresso até amanhã, sem incluir manobra fiscal

BRASÍLIA - O governo encaminhará ao Congresso Nacional até amanhã mensagem propondo mudança na meta fiscal para 2015, com projeção de déficit entre R$ 45 bilhões e R$ 50 bilhões. A regularização das chamadas “pedaladas fiscais” (atrasos no repasse de recursos devidos pelo Tesouro aos bancos públicos) ficará de fora do cálculo do déficit até a decisão final do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre o tema, com a publicação do acórdão. O governo espera que o Tribunal indique se a dívida precisa ser paga à vista ou pode ser parcelada.

Ministros da área econômica e parlamentares da Comissão Mista de Orçamento passaram o fim de semana fazendo cálculos para fechar as contas. Segundo o deputado Hugo Leal (PROS-RJ), relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2015, a nova meta vai considerar apenas a frustração de receitas do Orçamento. Ele informou que o objetivo é votar o relatório com as alterações na meta juntamente com o projeto da LDO, nesta quarta-feira.

— Essa é a linha que vou trabalhar. Com a frustração e a queda das receitas, o déficit ficará em torno de R$ 50 bilhões, mais para baixo do que para cima — disse o parlamentar ao GLOBO.



Segundo Leal, as conversas entre as áreas do governo (Fazenda, Planejamento e Casa Civil) e a Comissão do Orçamento caminharam para um consenso de que é melhor tratar a dívida do Tesouro com os bancos públicos separadamente. O governo avalia que o mais prudente é aguardar a decisão final do Tribunal para contabilizar e regularizar essas dívidas. Só vai ser considerada nas contas de 2015, por enquanto, a parcela das “pedaladas” que já foi paga ao longo do ano, cerca de R$ 7,5 bilhões. Segundo cálculos do TCU, o total desse passivo chega a R$ 40 bilhões.

— O mais importante é que o governo já entendeu o recado do TCU e vem pagando a dívida. Neste ano, pagou cerca de R$ 7,5 bilhões, referentes a 2010 e 2011 — disse o deputado.

Ele explicou que há ainda divergências sobre a forma de contabilizar os débitos. Segundo fontes do governo, na mensagem ao Congresso será explicada a forma que o governo pretende regularizar as pedaladas. Se esses débitos fossem contabilizados integralmente nas contas de 2015, o rombo deste ano poderia superar R$ 80 bilhões.

Na sexta-feira, o TCU divulgou nota informando que ainda não há decisão sobre as “pedaladas fiscais”. O recurso da União, que questiona parte desses débitos, ainda está em fase de análise pela secretaria responsável, e o relatório do ministro Vital do Rêgo sobre o tema terá que ser votado pelo plenário do Tribunal.

RECEITAS EXTRAS

Segundo o deputado Hugo Leal, o governo ainda espera receber este ano receitas extraordinárias de R$ 11 bilhões, referentes à outorga nas concessões de usinas hidrelétricas, cujos contratos não foram renovados. Esta é a única receita extra que deve entrar no caixa este ano:

— O que vai acontecer em 2015 é aquilo que a gente já esperava, diante da frustração de receitas (extraordinárias) e da vertiginosa queda na arrecadação, principalmente de agosto para cá.

A proposta que o governo encaminhará ao Congresso vai alterar mais uma vez a meta fiscal de 2015. A última alteração, enviada em julho mas ainda não apreciada pelos parlamentares, previa superávit de R$ 8,7 bilhões (0,15% do PIB). Confirmado o déficit de R$ 50 bilhões nas contas, será equivalente a 0,89 % do PIB.

Esta será a terceira vez que o governo altera a meta fiscal de 2015. Originalmente, ela era de superávit de R$ 143,2 bilhões, ou 2,5% do PIB. Quando a equipe econômica do segundo mandato assumiu, ainda em dezembro, ela foi alterada para superávit de R$ 66,3 bilhões, ou 1,2% do PIB. Com a arrecadação em queda livre e despesas engessadas, o governo foi obrigado, em julho, a propor mais uma mudança da meta e agora é forçado a fazer isso de novo, dessa vez para déficit.

A arrecadação de tributos e contribuições federais teve em setembro o pior resultado para o mês em cinco anos, desde 2010. Segundo a Receita Federal, entraram nos cofres públicos R$ 95,239 bilhões, queda real de 4,12% em relação a 2014. No acumulado do ano até setembro, o governo arrecadou R$ 901,053 bilhões, 3,72% menos do que no mesmo período de 2014.



Fonte: oglobo.globo.com
 
 
 De olho em moda da barba longa, empresários investem em barbearia
Irmãos investiram R$ 250 mil em negócio no interior de São Paulo.
Mercado de higiene pessoal para homens cresceu 25% nos últimos anos.

Uma nova moda entre os homens é usar longas barbas, estilo conhecido como lumbersexual. A expressão é uma variação da palavra lumberjack, que significa lenhador em inglês, conhecidos por usarem barbas compridas. Para cuidar desse novo visual dos homens, empresários investem em produtos e serviços só para o público maslino.

Os irmãos Rogério Lima e José Lima montaram uma barbearia há um ano, em Jundiaí, interior de São Paulo, voltada para atender aos clientes que querem cuidar da barba de lenhador. O investimento foi de R$ 250 mil para reformar, equipar e decorar o salão. Hoje, os irmãos faturam R$ 40 mil por mês e a barbearia cresce 40%, mesmo num ano de crise econômica.
Nos últimos cinco anos, o mercado de higiene pessoal para homens cresceu 25% em todo o mundo. No Brasil, os melhores desempenhos vieram dos produtos para banho, cabelos e barba.
Para a barbearia em Jundiaí, quem oferece os produtos é o empresário Danilo Mendes. Ele começou a produzir cosmético para homens quando percebeu o crescimento da demanda e a falta de produto nacional no mercado.
A empresa de Mendes fatura R$ 60 mil por mês. Pra captar dinheiro para o negócio, Danilo trabalha com o investidor Wellington, que já vende 1200 unidades de cosméticos por mês para o Brasil, Europa e Estados Unidos.


CONTATO:

BARBEARIA DO VAVA
Av. Nove de julho, 1717 – Anhangabaú
Jundiaí/SP – CEP: 13208-056
Telefone: (11) 3964-6080
Email: luziranterini@ig.com.br
Site: www.barbeariadovava.com.br
 
 
 O que está em alta e o que saiu de moda depois da SPFW de inverno
Encerrada na última sexta-feira, a semana de desfiles trouxe uma moda inverno viável (poucas loucurinhas, muito pé no chão), alguns bons conceitos e uma ou outra surpresa. Para o bem e para mal. Primeiro as boas: o número de modelos negras requisitadas pelas marcas aumentou, o desfile mais lindo da temporada falou de amor e, com o dólar em alta, as matérias-primas nacionais voltam à cena com bordados artesanais e estampas alegres e coloridas. Por outro lado, o dinheiro está curto. O evento, apesar de ter voltado para o prédio da Bienal, no Parque do Ibirapuera, encolheu. E as principais modelos brasileiras não vieram desfilar, com exceção de Carol Trentini, que se apresentou para a Ellus.
Muitos estilistas pareceram focados e trouxeram coleções melhores do que as anteriores. Os grandes nomes nacionais brilharam. Reinaldo Lourenço fez um desfile muito inspirado, com a azulejaria portuguesa como mote. Alexandre Herchcovitch resgatou seu lado underground e sua série de looks pretos era fetichista, sensual e intrigante. Oskar Metsavaht voltou à velha forma trazendo roupas esportivas muito chiques. Gloria Coelho, partindo de referências recorrentes (guerreiros, anos 1960, nórdicos), fez uma coleção poderosa com casacos de couro elegantes e golas modernas de pele de carneiro e coelho.

Ronaldo Fraga acertou a mão com peças femininas e desejáveis. E com uma performance poética, na qual um casal de modelos se despiu e se vestiu na passarela - ela colocou a roupa dele; ele, a dela. Um ato delicado, que fala sobre um dos assuntos mais em alta na moda atualmente, o "sem gênero". No começo do século passado, as mulheres romperam a fronteira do guarda-roupa masculino e adotaram a calça comprida, o terno e o pulôver. Agora, é a vez deles. No desfile de Ronaldo, homens apareceram de saia. Mas não é só isso. Encabeçado na Europa pelo estilista italiano Alessandro Michele, da Gucci, o conceito propõe uma moda que transita entre os gêneros, com roupas que parecem femininas demais para os homens e masculinas demais para as mulheres.

Em tempos em que subverter e chocar é tão difícil porque todo mundo já viu de tudo, a nudez foi banalizada e a liberdade para se vestir é quase que total, Ronaldo Fraga apostou no sentimento mais universal e nobre: o amor. Como não se emocionar com um desfile que começa ao som de Teresinha e termina com Tanto Mar, duas das mais românticas músicas de Chico Buarque?

Ao insistir em um trabalho artesanal, criativo e nem sempre tão comercial, Fraga é um sobrevivente no mundo do fast fashion. A moda rápida da era das redes sociais, em que tudo é para ontem, inclusive o sucesso de vendas, tem um calendário apertado de coleções e desfiles a ser cumprido. A moda é para os fortes. E, na semana passada, um dos mais geniais e festejados estilistas da atualidade no mundo sucumbiu a ela. Na quinta, 22, a Dior anunciou a saída de seu diretor criativo, Raf Simons, que estava há apenas três anos e meio no cargo. O assunto dominou as rodas de fashionistas do mundo todo e de São Paulo também. O estilista belga vinha fazendo um trabalho marcante à frente da maison e o processo criativo de seu desfile de estreia foi registrado no documentário Dior e Eu, que estreou nos cinemas nacionais em agosto.

O filme mostra toda a aflição durante o desenvolvimento de sua primeira coleção de alta costura. "As pessoas que sofrem mais com essa velocidade atual da moda são, sem dúvida, os criativos que são o coração e a alma da indústria", escreveu a jornalista inglesa Suzy Menkes, crítica de moda respeitada que hoje trabalha para a Vogue. "Sem eles, não há moda - apenas uma série de ideias que ecoam; nada muito novo; apenas a repetição vestida de algo inventivo."

Hoje, as principais grifes lançam cerca de oito coleções por ano. Com o mercado voltado para a produção ininterrupta de moda, com linhas que chegam semanalmente às lojas, e marcas de fast fashion dominando o varejo, a velocidade imposta aos criadores de prêt-à-porter é desafiadora. Uma prática cada vez mais comum são as parcerias amarradas entre redes e criadores conceituados. No Brasil, a Riachuelo vem promovendo esse tipo de jogada com apresentações na fashion week. Nesta temporada, a estilista Lethicia Bronstein, famosa entre as atrizes de novela e influente nas redes sociais, assina uma linha para a empresa com 78 modelos. Todos eles foram colocados à venda nas lojas da rede no mesmo dia do desfile, enquanto as coleções das demais marcas deverão ir para as vitrines só em março do ano que vem.

É um mundo novo, ao qual os antigos criadores, que trabalham ainda seguindo os antigos modelos de negócio, precisam se adaptar. Uma surpresa chata dessa vez foi a notícia de que Alexandre Herchcovitch ainda não renovou seu contrato com a InBrands, empresa proprietária da marca Herchcovitch; Alexandre. Seu desfile sombrio, cheio de referências às suas antigas coleções, abriu a semana de moda levando provocações fetichistas para a passarela, montada em pleno saguão da Prefeitura Municipal de São Paulo. Ele pode ter sido o último do estilista à frente da marca que criou, há 20 anos, ajudando a estabelecer a cultura de moda nacional contemporânea. No Brasil e na moda, as coisas estão assim, em suspenso. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Fonte: dgabc.com.br
 
 
 Ciência descobre quanto tempo permanecemos conscientes após morrer
É basicamente um consenso entre o seres humanos o questionamento da seguinte dúvida: o que acontece quando morremos? Pensando nisso, a ciência desenvolveu vários tipos de pesquisa voltadas a essa área.

E, agora, uma equipe de cientistas da Universidade de Southampton, no Reino Unido, confirma uma descoberta incrível. Os pesquisadores dizem saber por quanto tempo funciona a consciência humana após a morte clínica.

O estudo em questão foi desenvolvido, segundo os pesquisadores, em larga escala. Foram 2 mil pessoas que já atravessaram períodos de morte clínica e retornaram. Mais de 40% dos entrevistados afirmam que estavam conscientes durante todo esse tempo.

Depois das pesquisas com essas pessoas, os médicos chegaram à conclusão de que há um período estimado de tempo em que as pessoas ficam conscientes. Segundo eles, esse meio-tempo teria a duração entre dois e três minutos.

No total, afirmam os pesquisadores, apenas 150 dos 2 mil entrevistados afirmaram que, no período, tiveram pela consciência e lembraram das técnicas e tratamentos que salvaram suas vidas naqueles momentos. Já outros 330 afirmam que não tiveram ajuda médica para voltar à vida.


Fonte: br.noticias.yahoo.com
 
 
 Produtores de feijão preto mesclam tecnologia com técnicas antigas
Região de Prudentópolis deve colher 19 mil toneladas de feijão preto.
Conheça as técnicas usadas pelos maiores produtores do grão.

A região de Prudentópolis é a maior produtora de feijão preto do Brasil - aproximadamente 12% da produção brasileira vêm do Paraná. Para atingir este índice, produtores de feijão aliam o uso de tecnologia com a tradição das técnicas antigas, aumentando a produtividade.

As velhas matracas possibilitam o cultivo do grão em terrenos íngrimes e cheios de pedras. Um serviço braçal que, nos dias de hoje, permite tornar toda terra produtiva. "Se eu botasse uma máquina, um trator, no meio das pedras, não daria para trabalhar", explica o produtor José Lessi. 

Já Alisson Junior Fabri planta 120 hectares com auxílio de máquinas agrícolas mais modernas. Este ano a sua área de produção cresceu. "O clima favorece, o solo ajuda. Esperamos uma produtividade de uns 50 sacos por hectare", diz. 
A estimativa do Deral - Departamento de Economia Rural é colher na região de Prudentópolis, nesta safra, 19 mil toneladas. Sendo que 85% da produção é feijão preto.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Planos de saúde privados perdem 164 mil clientes só em setembro
São Paulo - O mercado de planos de saúde médico-hospitalares registrou, só em setembro, a perda de 164.400 clientes. Fechou o mês com 50,260 milhões de beneficiários - queda de 0,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os dados são do boletim Saúde Suplementar em Números, produzido pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (Iess) e que será divulgado na próxima semana. No terceiro trimestre de 2015, em relação ao trimestre anterior, a queda foi de 0,5% - o que representou a saída de 236.210 beneficiários.

"Avaliamos que, na comparação anual, que não sofre influência de efeitos sazonais como na análise trimestral, a queda de 0,3% representa uma quase estabilidade, o que demonstra a resiliência desse setor em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) e até ao nível de emprego", analisa Luiz Augusto Carneiro, superintendente executivo do Iess.

Já no trimestre, observa Carneiro, a queda foi mais acentuada e confirma o que já ocorria na soma dos três meses anteriores. Entretanto, segundo ele, não é possível afirmar que essa seja uma tendência, porque não se espera que a atividade econômica mantenha a intensidade de queda registrada nos últimos 12 meses.

De acordo com os números do boletim, na comparação anual, houve uma maior queda no total de vínculos de planos individuais. O total de beneficiários de planos do tipo caiu 1% em setembro, em relação ao mesmo mês do ano passado. Isso equivale a 87.500 vínculos a menos. No trimestre, a queda foi de 0,5%, ou 51.880 planos.

Na comparação anual, o total de vínculos com planos coletivos - aqueles pagos pelas empresas como benefício aos funcionários - permaneceu praticamente estável, com ligeira retração de 0,1% e desligamento de 47.300 beneficiários.

Aumento

Na contramão desse movimento, nos planos coletivos por adesão houve aumento de 0,6%, ou 39.700 vínculos. Por outro lado, na comparação trimestral, os planos coletivos por adesão também registraram queda, de 0,9%, a maior entre todos os tipos de contratação, com a saída de 61.090 beneficiários.

Isso demonstra, na visão de Carneiro, do Iess, que os planos coletivos por adesão podem estar perdendo fôlego. "Nossa hipótese é que os planos coletivos por adesão receberam, num primeiro momento, a migração de beneficiários de planos empresarias de trabalhadores que perderam o emprego. Entretanto, com o agravamento da crise financeira e o efeito sobre renda, é possível que os beneficiários de planos coletivos por adesão, independentemente do momento de ingresso, tenham dificuldade para conseguir manter seus planos, o que levou à saída de mais de 60 mil beneficiários", analisa.

A expectativa do superintendente executivo do Iess é de que o setor deve fechar o ano em queda, mas em proporção inferior à retração do Produto Interno Bruto (PIB) e do nível de emprego. "O plano de saúde é um benefício muito valorizado pelos funcionários das empresas. Então, é natural que, enquanto houver condições financeiras, os beneficiários e as empresas tentarão preservar esse benefício."

O executivo destaca ainda que a diminuição de beneficiários é proporcionalmente menor do que a queda do PIB. "Então, é de se esperar que o mercado sofra com a crise econômica, mas em intensidade menor do que outras áreas da economia."


Fonte: noticias.uol.com.br/
 
 
 Comandos de voz distraem motorista por até 27 segundos, diz estudo
Estudo comparou diversos sistemas multimídia nos EUA.
Dificuldades com comandos não são questão de prática.

Cada vez mais presentes nos automóveis novos, as centrais multimídia levantam diversas questões sobre segurança. Os comandos de voz foram introduzidos para permitir que o motorista continue com os olhos na estrada ao mesmo tempo em que faz uma ligação telefônica, muda o rádio de estação ou dá coordenadas ao GPS.
No entanto, dois estudos divulgados na quinta-feira (22) pela fundação americana para segurança no trânsito (AAA Foundation for Traffic Safety) mostram que usar a voz para acessar o sistema ainda coloca o motorista em risco.


Segundo informou a agência Associated Press (AP), o estudo feito pela Universidade de Utah apontou que o condutor leva até 27 segundos para retomar a atenção total ao tráfego depois de usar os comandos de voz.
A pesquisa comparou diversos sistemas multimídia das principais marcas. O resultado mostrou que os equipamentos do Chevrolet Equinox, Buick Lacrosse e do Toyota 4Runner são os que menos atrapalham os motoristas, por serem mais intuitivos e com maior compreensão da fala.
Os sistemas do Ford Taurus, Chevrolet Malibu, Volkswagen Passsat, Nissan Altima, Chrysler 200 e Hyundai Sonata ficaram pouco abaixo, mas o pior de todos foi o do Mazda6. Segundo o estudo, no Mazda6 os motoristas precisavam de mais etapas e de mais repetições para serem entendidos.
A Mazda afirmou que o modelo 2016 terá um sistema mais avançado, que deve minimizar as dificuldades. "Estamos sempre em busca de novas maneiras para fazer com que a interface entre usuário e máquina seja mais simples e intuitiva", afirmou a fabricante japonesa em comunicado.

Não é questão de prática
Na pesquisa, 257 motoristas ficaram com o veículo por 5 dias, mas as tarefas que foram complicadas no primeiro dia continuaram sendo problemas nos dias seguintes. Os melhores sistemas ainda tiravam a atenção do condutor por pelo menos 15 segundos.

Motoristas com mais idades levaram mais tempo para retomar a atenção no trânsito do que os mais jovens.
Para Joel Cooper, professor-assistente de psicologia e um dos autores dos estudos, os sistemas exigem comandos muito específicos para cada função, e, mesmo que o motorista use os comandos corretos, ele pode não ser compreendido.
Os condutores se distraem mais quando tentam entender o problema. "Os sistemas não são bons o suficiente. Eles prometem ser uma alternativa segura, mas nem sempre cumprem o prometido", afirmou Cooper à AP.
Celulares
Um outro estudo com 65 participantes comparou os sistemas de comandos de voz de aparelhos celulares. A conclusão foi de que o Google Now, presente nos telefones Android, é mais intuitivo que a Siri, da Apple, e a Cortana, da Microsoft.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Sucessor do Renault Clio é flagrado no interior de São Paulo
Kwid já é vendido na Índia, partido do equivalente a R$ 15,3 mil.
Por aqui, deve chegar apenas em 2017, com motor 1.0 de três cilindros.

Recém-lançado na Índia, o Renault Kwid foi flagrado pela primeira vez no Brasil, pelo internauta Marcio Rogerio Roncaglia. As fotos foram feitas na cidade de Valinhos (SP). O subcompacto aparece com camuflagem leve, adesivado e com o logotipo da Renault coberto.
De acordo com Roncaglia, o modelo possuia direção do lado direito, assim como os modelos que rodam na Índia. "Já havia visto ele uma vez neste condomínio empresarial. Algumas empresas ali são fornecedoras de montadoras", comentou.

Mesmo com o disfarce, é possível ver traços da carroceria, portas e maçanetas, claramente inspirados no Sandero.
A maior diferença, contudo, está nos faróis, mais esguios e na traseira, com lanternas menores.

Nota da redação: o Kwid é a opção mais barata da Renault na Índia. Apresentado em maio, ele já é vendido por lá, a partir de 256 mil rúpias, o equivalente a R$ 15,3 mil, na cotação desta terça-feira (20).

Esta versão mais básica, porém, é extremamente despojada. A lista de ausências é maior do que a de itens de série. Se há ar-condicionado, faltam assistência na direção, vidros e travas elétricos, rádio, para-choques na cor do veículo, calotas e até saídas de ar centrais.  

A opção mais completa, RXT, custa o equivalente a R$ 21.011, e traz direção elétrica, vidros elétricos, faróis de neblina, airbag para o motorista, quadro de instrumento em dois tons, bagagito do porta-malas e até central multimídia MediaNAV. 

Em todos os casos, o conjunto mecânico é o mesmo. O motor 0.8 litro de três cilindros desenvolve 54 cavalos. A transmissão é manual de cinco marchas. O compacto tem 3,68 m de comprimento, 2,42 m de entre-eixos e 1,58 m de largura. Em uma comparação com veículos de entrada no Brasil, ele é 7 cm mais comprido do que o Volkswagen Up, porém, 13 cm menor do que Fiat Uno e Renault Clio. No entre-eixos, fica na média do segmento. 

Procurada pela reportagem, a Renault não comentou o assunto. O G1 apurou que o modelo chega apenas no início de 2017, como sucessor do veterano Clio. Atualmente, o hatch é vendido em versão única, com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricos, por R$ 35.397.

O Kwid, no entanto, não deve ser tão equipado nas versões de entrada. Com objetivo de ser um modelo de volume, deve começar na casa dos R$ 30 mil, para brigar com as versões mais simples do Volkswagen Up e com o subcompacto que a Fiat deve lançar no ano que vem.

Mesmo com a proposta do baixo custo, o Kwid nacional deve ser mais refinado do que a opção indiana. Os retrovisores da versão indiana, por exemplo, com visual extremamente simplório, não devem ser utilizados no carro nacional.

Rodas presas com apenas três parafusos devem ganhar um reforço. Entre os equipamentos, o Kwid certamente ganhará airbags frontais e freios ABS para atender a legislação nacional. A central deve equipar apenas versões mais caras, no entanto.
A principal mudança, porém, será no "coração" do carro. O pequeno tricilíndrico de 799 cm³ deve dar lugar a um novo três cilindros, mas de 1 litro. Este motor, contudo, será desenvolvido pela Renault. Isso descarta a possibilidade da marca utilizar o motor semelhante que a Nissan adota na dupla March/Versa. Vale lembrar que a montadora francesa é dona da japonesa.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Saiba como customizar o Menu Iniciar do Windows 10
Windows 10 chegou nessa quarta-feira (29) e trouxe, entre tantas novidades, a tão aguardada volta do Menu Iniciar. Ele retornou no novo sistema operacional da Microsoft com um design inspirado na versão anterior — e, como toda novidade, ele pode deixar os novos usuários um pouco confusos no início. Calma, estamos aqui para ajudar você a brincar e a customizar essa nova ferramenta.
Como nas demais versões do Windows em que esteve presente, o Menu Iniciar está disponível inicialmente no lado inferior esquerdo da tela. No lado esquerdo dessa janela você confere a lista dos programas instalados, enquanto no lado direito está disponível uma série de aplicativos dispostos no design do antigo menu principal do Windows 8.
Para ajustar o tamanho desse menu, basta seguir para o topo direito da janela. Você encontrará uma série de flechas, e bastará clicar e arrastar o mouse para redefinir a medida que você preferir.
O visual do Menu Iniciar pode ser editado na seção “configurações”, indo logo em seguida para “personalização”. Neste menu também é possível encontrar a função “Iniciar”, onde serão disponíveis opções para você ordenar automaticamente os aplicativos mais recentes ou os mais usados.
Ao clicar em algum dos programas do Menu Iniciar com o botão direito, uma pequena janela abrirá com opções específicas para aquele aplicativo. Aí será a oportunidade de você retirar ele dessa ferramenta, de ajustar o tamanho do ícone ou de desativar outras opções relacionadas a ele. Da mesma forma, clicar e arrastar o ícone com o botão esquerdo possibilitará que você ordene os aplicativos no menu.
Esperamos que, com essas dicas, você já tenha dominado a "arte secreta do Menu Iniciar". Caso esteja procurando mais ferramentas e curiosidades sobre o Windows 10, saiba que o TecMundo também fez um Super Especial explicando todos os detalhes sobre o novo sistema operacional da Microsoft. Corre lá pra saber mais sobre essa novidade que está quase bugando a internet!
Se você ainda não tem um Windows original para atualizar, clique aqui e compre o Windows 10 direto na Microsoft Store.
 
 
 Microsoft vai oferecer 10 anos de suporte gratuito para o Windows 10
Mais uma boa notícia para quem deseja migrar para o Windows 10: a empresa anunciou que o suporte gratuito para a nova versão do sistema operacional se estenderá até 2025. Vale lembrar que a atualização para o SO também será gratuita para os usuários do Windows 7 e 8.
A empresa explicou através de um post que vai oferecer o suporte-padrão nos primeiros cinco anos (até 2020) e que depois vai oferecer cinco anos de suporte adicional (até 2025), totalizando 10 anos.
Além disso, a Microsoft não vai cobrar nenhum valor dos usuários do Windows, mesmo daqueles que adquirirem o SO após o período de atualização gratuita de um ano. A empresa também anunciou recentemente que as atualizações automáticas serão obrigatórias para todos, sem a opção de desativar esse recurso.
Atualizações para todos
Na postagem, a companhia também disse que vai enviar atualizações do Windows 10 mesmo se a fabricante dos componentes do computador deixar de fornecer atualizações de firmware para o dispositivo.
É claro que o Windows 10 poderá deixar de ser compatível com o hardware existente daqui alguns anos, mas a Microsoft ainda oferecerá atualizações e patches de segurança aos usuários durante o período de uso. 
 
 
 Windows 10 e dificuldades na ativação incomodam usuários
Nesta quarta-feira (29 de julho), a Microsoft começou a liberar o sistema operacional Windows 10 para os consumidores que haviam feito o cadastro de reserva. Apesar de ganhar elogios de muitos usuários e especialistas, é preciso ter em mente que o SO ainda pode sofrer com algumas instabilidades. Uma das mais frequentes no momento está na dificuldade em realizar a ativação da licença do sistema — o que é essencial para uma série de funções.
Na redação do TecMundo, nós atualizamos dois computadores que contavam com o Windows 8.1 para o Windows 10. Em um deles, fizemos uma atualização "por cima" do SO e no outro fizemos uma instalação "limpa" — em um disco rígido que estava vazio. Nos dois casos o mesmo problema foi identificado: as chaves de ativação da Microsoft foram negadas e o sistema operacional Windows 10 não foi ativado nos computadores.
Apesar de isso não significar que o sistema está ilegal, há algumas funcionalidades que ficam bloqueadas. Um dos exemplos mais evidentes é a personalização dos planos de fundo, que fica completamente impossibilitada sem a ativação. O departamento de TI do TecMundo entrou em contato com a Microsoft para sanar o problema e foi informado que a desenvolvedora está trabalhando em formas de resolver a demanda.
 
 
 Google Tradutor ganha novo rival o Translator 10 Beta é para Windows 10
A Microsoft lançou o Tradutor 10 Beta, um novo aplicativo de traduções para o Windows 10 desktop e móvel. O software tem recursos como armazenar favoritos, histórico de traduções e pesquisas e promete substituir os outros app no sistema operacional. A solução é uma nova alternativa ao famoso Google Tradutor, da gigante de buscas.
Microsoft vai encerrar Zune em novembro; é a vez do Groove Music
O design do Translator procura aproveitar melhor o espaço da tela. Uma barra lateral permite gerenciar com facilidade os pacotes de idiomas baixados, além de acessar traduções salvas.
O resultado das traduções no app pode ser ouvido clicando no ícone de sons ao lado de cada palavra. Também é possível salvar clicando no ícone de estrela. Para acessar os termos salvos, basta clicar no botão localizado na barra lateral.
A versão mantém várias funções que já existiam no Tradutor do Windows 10, como tradução através da câmera e de voz através do microfone. Ele também permite baixar pacotes de idiomas para fazer traduções offline, o que é útil na versão móvel pois evita o gasto de dados móveis.
O Tradutor 10 ainda está em fase beta, o que significa que alguns recursos podem não funcionar corretamente. A interface do aplicativo está em inglês, mas a possibilidade de usá-lo em outro idioma só deve ser adicionada quando a versão final for lançada.
 
 
 Como pesquisar por qualquer tipo de arquivo no Windows 10
O Windows 10 ganhou um método de pesquisas interna aprimorado. No novo sistema operacional da Microsoft é possível definir configurações de indexação avançadas para encontrar qualquer tipo de arquivo através da Cortana. A dica é útil para quem precisa achar propriedades e conteúdos de arquivos de forma rápida e simples. 
Windows 10: Microsoft explica confusão entre Microsoft Edge e EdgeHTML
Saiba como configurar e usar o novo recurso do Windows 10 para nunca mais perder um arquivo no meio da confusão do sistema.
Passo 1. Clique sobre a barra de pesquisa e busque por "Opções de Indexação". Em seguida, clique no resultado correspondente, como na imagem abaixo; 
Passo 2. Clique em “Avançado” para acessar as configurações extras das Opções de Indexação;
Passo 3. Acesse a aba “Tipos de Arquivo”;
Passo 4. Para finalizar, marque a opção “Indexar Propriedades e Conteúdo do Arquivo”.
Pronto. Com essa dica será muito mais fácil encontrar arquivos no seu computador.
 
 
 Microsoft detalha polêmica sobre privacidade no Windows e na Cortana
O Windows 10, lançado há dois meses, virou alvo de dúvidas dos usuários por causa dos termos de privacidade e também pela forma como o sistema capta as informações de uso dos indivíduos. Em uma postagem no blog oficial do Windows, o chefe da divisão de desenvolvimento, Terry Myerson, tranquilizou os usuários ao afirmar que a Microsoft não espiona ninguém.
No texto, Myerson explica todas as formas pelas quais o Windows 10 coleta informações sobre o usuário, ressaltando que esses dados são referentes ao comportamento de uso e de estatísticas de performance que, compilados posteriormente, servem para alimentar o processo de desenvolvimento de atualizações e melhorias do sistema.
“O Windows 10 coleta informações para que o produto funcione melhor para você. Você está no controle, com a possibilidade de determinar que tipo de informação é coletada”, diz Myerson.
No evento Microsoft Insights, realizado em São Paulo no final de setembro, Rico Malvar, cientista-chefe do Microsoft Research no Brasil, também debateu as preocupações sobre privacidade em torno do comportamento do Windows 10.
Em relação aos questionamentos sobre a Cortana, o cientista explicou o objetivo da Microsoft com uma analogia com as relações entre seres humanos dentro de ambientes de trabalho. “Sua assistente pessoal é aquela pessoa que você confia, que vê seu calendário, lê alguns dos seus e-mails, vê parte da documentação que você está produzindo”, afirmou Malvar.
Para o cientista-chefe, os usuários podem pensar na Cortana como assistente pessoal e, se quiserem que ela os ajude, ela vai poder ler os e-mails.  "A nossa visão é dar essa capacidade de ajudar o usuário cada vez mais e em cenários cada vez mais complexos”, completou Malvar.
Segundo a postagem de Terry Myerson no blog oficial do Windows 10, ajudar o usuário não significa dizer que a Microsoft usa a Cortana para espionar o conteúdo desenvolvido e acessado.  
“Você está no controle sobre todas as informações que nós coletamos e pode, a qualquer momento, mudar as suas definições de privacidade”, explica Myerson.
Outro ponto questionado a respeito das informações que a Microsoft coleta via Windows 10 diz respeito aos relatórios sobre travamentos e erros. Ao relatar um episódio de erro e bug dentro do sistema, os usuários têm dúvidas se a Microsoft não tem acesso aos arquivos envolvidos no processo. Por exemplo, se o usuário estava lendo um documento, vendo um filme, editando vídeos ou fotos pessoais durante o travamento, a Microsoft poderia ter acesso a cópias desses arquivos.
Myerson garante que a Microsoft, em hipótese alguma, coleta qualquer tipo de arquivo dos computadores dos consumidores e que são tomadas uma série de precauções para que informações que possam identificar uma pessoa não sejam obtidas pela telemetria do Windows 10.
Diferentes perspectivas de privacidade
Rico Malvar, no Microsoft Insights, lembrou que as perspectivas dos limites de privacidade tendem a ser diferentes em cada sociedade, o que acaba resultando em desafios para a criação de um produto que atenda uma audiência global.
“Temos que estudar e saber o que as pessoas querem e como os grupos e a sociedade se comportam em termos de privacidade. Aqui [no Brasil] você vai em uma loja, compra um café e todos pedem seu CPF para a nota fiscal. Por outro lado, se você vai nos Estados Unidos e pergunta qual o número do seguro social de alguém, a pessoa vai perguntar o porquê”, lembra Malvar.
 
 
 Como aumentar o tamanho do texto do Windows 10
Aumentar o tamanho dos itens da interface do Windows pode ser bastante útil para quem tem dificuldades de ler o texto em tamanho padrão. Para isso, o sistema operacional da Microsoft conta com um recurso que permite ampliar o tamanho da fonte dos aplicativos sem prejudicar a resolução e a qualidade da imagem. Ficou interessado? Confira o passo a passo e veja como aumentar o tamanho dos textos no Windows 10.
Passo 1. Clique com o botão direito do mouse no papel de parede e, no menu de contexto, selecione “Configurações de exibição”;
Passo 2. Logo acima de “Orientação”, arraste a barra até a escala desejada e clique em “Aplicar”;
Passo 3. Será necessário fazer logout para aplicar o novo tamanho de fonte. Salve o trabalho e clique em “Sair agora” ou em “Sair mais tarde”, caso não queira fazer logout no momento;
Passo 4. Você também pode selecionar um tamanho personalizado para a fonte de cada item da interface do Windows. Para isso, vá em “Configurações de vídeo avançadas”;
Passo 5. Em seguida, clique em “Dimensionamento avançado de texto e outros itens”;
Passo 6. Agora, selecione a opção desejada, escolha o tamanho da fonte ao lado e clique em “Aplicar”. Dessa forma, apenas o tamanho da fonte dos itens selecionados será alterada;
Passo 7. Caso queira selecionar uma escala personalizada para todos os itens, clique em “use estas configurações de exibição”;
Passo 8. Digite ou selecione a escala desejada e selecione “OK”. Quanto maior a porcentagem, maior o tamanho do texto;
Passo 9. Por fim, clique em “Aplicar” e “Sair agora” para fazer logout e alterar o tamanho da escala do sistema e aplicativos.
Pronto! Agora, quando você fizer o login novamente, a área de trabalho e os aplicativos do Windows terão o tamanho do texto alterado.
 
 
 Microsoft paga até R$ 600 por computador velho na troca por um novo
Uma promoção da Microsoft no Brasil quer encorajar usuários a trocarem seus computadores por modelos novos aceitando o PC antigo como parte do pagamento. São aceitos modelos com até seis anos de fabricação, desde que estejam em perfeito estado de funcionamento e com poucas avarias, sejam eles notebooks, desktops ou 2-em-1 com qualquer sistema operacional.
Dependendo da avaliação do preço computador novo adquirido, os valores pagos podem variar entre R$ 200 e R$ 600. Veja como aproveitar a vantagem.
A Microsoft não está muito preocupada em saber as configurações do seu computador antigo. Para ser aceito, basta que ele não esteja com a tela quebrada ou com danos graves – segundo as instruções online, até notebook com teclado avariado podem ser contabilizados. São aceitas máquinas com qualquer sistema operacional, entrando na promoção Macs e Chromebooks, além de PCs com Windows.
O passo a passo para participar inclui primeiro comprar um computador novo, enviar comprovantes por e-mail, como cópia da nota fiscal e foto da caixa, juntamente com um formulário preenchido online. Depois disso, a empresa promete entrar em contato para dar instruções detalhadas de envio do produto de troca, que deve ser despachado em até 30 dias a partir da data de compra do PC novo.
Os valores de reembolso variam entre R$ 200 para compras de produtos novos entre R$ 1.100 e R$ 1.499, R$ 300 para R$ 1.500 a R$ 2.499 e R$ 600 para compras de computadores com preço de nota fiscal acima de R$ 2.500. A Microsoft estipula até 28 dias para depositar o valor direto na sua conta, contatos a partir do recebimento do PC usado via Correios. Para compensar o frete, o consumidor também receberá R$ 40 fixos junto com o reembolso.
A oferta só vale para compras de novos computadores de qualquer fabricante com Windows 8.1 ou Windows 10 instalado, feitas entre os 6 e 27 de outubro de 2015 em um varejista brasileiro – não são considerados smartphones, tablets e all- in-ones, assim como modelos Surface. Para conferir mais detalhes, acesse a página oficial da promoção.
 
 
 O que é Continuum? Conheça a aposta da Microsoft para PCs e celulares
O Windows 10 tem entre seus grandes recursos o modo Continuum. Com ele, a Microsoft pretende fazer com que o sistema se adapte a diferentes modalidades de uso, especialmente em computadores híbridos e smartphones, evitando erros de usabilidade do Windows 8 em diferentes resoluções de tela e hardwares. Veja como a novidade vai funcionar no sistema operacional e fique por dentro de tudo.
Afinal, o que é o Continuum?
Quando o Windows 8 foi lançado, a Microsoft enfrentou muitas críticas, já que o sistema trazia para computadores com mouse e teclado uma interface que funcionava bem apenas em tablets. Com isso, muita gente preferiu retornar para o velho Windows 7 e esperar para adotar o sistema mais recente. Agora, com o Continuum, a Microsoft pretende acabar com esses problemas e trazer novas funções.
Como foi possível perceber nas Builds do Windows 10, o novo sistema da Microsoft terá toda a interface clássica, com menu iniciar e múltiplas janelas. No entanto, como ficam tablets, computadores híbridos e dispositivos 2-em-1? É aí que o modo Continuum entra, possibilitando uma repleta readaptação do sistema para o tipo de configuração que o usuário deseja usar no momento, touch ou teclado e mouse.
A funcionalidade irá se estender ainda aos telefones. Nesse caso, esse modo deve fazer com que os aparelhos funcionem como um computador ao serem conectados em monitores, mouses e teclados.
Continuum no computador
Se você tem um computador híbrido com tela touchscreen, o Windows 10 deve funcionar de forma bem parecida com o Windows 7 enquanto estiver usando o mouse e o teclado físico. Ou seja, se clicar no botão do Iniciar, ele será exibido como uma pequena “aba” com diversos atalhos e blocos dinâmicos, assim como todo aplicativo será aberto em janelas tradicionais e redimensionáveis na área de trabalho.
Vídeo: Relembre as últimas novidades da Microsoft na Build 2015
Já ao dobrar o seu computador, ou destacar a tela para usá-lo como tablet, o Windows 10 se readaptará para funcionar de forma parecida com o Windows 8. Nesse caso, o modo Continuum fará com que o menu Iniciar volte a ser exibido em tela cheia, bem como os aplicativos ocuparão todo o display, com possibilidade de dividir a tela ao meio. O sistema aceitará os gestos para alternar entre programas, abrir a central de notificações e outras funcionalidades, como ocorre na versão atual da plataforma.
O Continuum também reconhecerá o caminho inverso. Ou seja, ao conectar o teclado novamente ou dobrar o computador para o modo laptop, o Windows 10 voltará a exibir janelas e menu Iniciar clássico.
Continuum em celulares
Durante a Build 2015, a Microsoft exibiu também como o modo Continuum funcionará em smartphones. A proposta para esses aparelhos é praticamente a inversa dos computadores. Para ativá-la, será necessário conectar o seu telefone a um monitor, mouse e teclado, fazendo com que este passe a funcionar como uma espécie de computador, usando o hardware e processador do seu smartphone. 
O modo Continuum dos smartphones fará com que os aparelhos exibam uma área de trabalho nos monitores como a do Windows 10 em um computador. A diferença é que, ao clicar no botão Iniciar, será exibido a tela inicial do seu telefone com os blocos dinâmicos na posição que você escolheu. Além disso, os aplicativos instalados do telefone poderão ser abertos em janelas redimensionáveis, facilitando a vida de quem deseja fazer diversos trabalhos ao mesmo tempo. Tudo, claro, de forma adaptada à tela.
Uma característica bastante interessante revelada pela Microsoft é que o Continuum para smartphones reconhecerá também os atalhos do teclado. Assim, você pode copiar e colar algo usando o clássico "Ctrl + C" e "Ctrl+V", entre outras possibilidades. Os telefones serão capazes ainda de trabalhar com as duas telas, possibilitando que se faça algo no aparelho móvel e outra atividade no display auxiliar.
 
 
 Como mudar as suas configurações de privacidade no Windows 10
O Windows 10 traz diversos recursos contextuais, como a Cortana, que aprende os gostos do usuário para sugerir melhores resultados de pesquisa. Porém, essa vantagem tem um preço: ao atualizar, você concede permissão à Microsoft para gravar tudo o que você faz com o PC, incluindo histórico de navegação e até senhas de redes Wi-Fi. Se você se sente desconfortável com isso, veja como resolver.
Passo 1. Abra as configurações do Windows no menu Iniciar;
Passo 2. Acesse a opção “Privacidade”;
Passo 3. Em “Geral”, desabilite as opções do ID de anúncios e histórico de escrita para impedir que a empresa saiba sobre seu histórico de navegação e conteúdo de e-mails e outros textos digitados em apps nativos;
Passo 4. Em “Localização”, escolha quais apps têm acesso à sua localização;
Passo 5. Em “Fala, escrita e digitação”, desative a obtenção de dados pela Cortana.
Essas são as questões de privacidade mais sérias, embora você também possa desativar outros recursos, como controle da câmera e microfone. Vale lembrar também que esse tipo de informação já é obtido por outros provedores de serviço e fabricantes de produtos, como o Google, que deixa opções de monitoramento sempre ativadas por padrão em todos os serviços.
Antes de desativar algo, é importante também saber que alguns apps poderão ter seu funcionamento comprometido. O Skype, por exemplo, precisa de autorização para usar câmera e microfone para funcionar, e a Cortana precisa saber o seu histórico de navegação e outras preferências para conseguir sugerir conteúdo adequado. 
No final das contas, para aproveitar todos os recursos do Windows 10, é preciso oferecer seus dados em troca.
 
 
 Deputados comparam com 'hospitais de guerra' unidades de saúde do AP
Comissão de Saúde mostrou relatório de vistorias em hospitais estaduais.
Sesa diz que propostas de deputados servem como 'referência' na gestão.

Deputados que compõem a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) apresentaram nesta quinta-feira (22) o relatório parcial de vistorias feitas em hospitais de Macapá, Santana, Porto Grande e Ferreira Gomes. No documento, os parlamentares comparam a “hospitais de guerra” as unidades no estado e fazem 21 propostas para Secretaria de Saúde (Sesa).
O documento foi entregue ao Ministério Público (MP), Tribunal de Contas do Estado (TCE) e conselhos regionais. A Sesa informou que vai considerar as propostas e vai usá-las como “referência”.
O vice-presidente da Comissão de Saúde, deputado Antônio Furlan (PTB), afirmou que o quadro atual do setor no estado é resultado de falta de “prioridade” praticada pelos governos estaduais ao longo do tempo.

“Há um descaso com a saúde pública. Mandamos cem requerimentos aos secretários da pasta, mas não tivemos nenhuma resposta. Então fomos para as vistorias e fizemos 21 propostas que serão encaminhadas aos gestores. Infelizmente, acredito que a saúde no estado não é prioridade. Nossos hospitais são da década de 1950 e não tivemos nada de novo. O Hospital Metropolitano, por exemplo, esbarra em entraves políticos entre a prefeitura de Macapá e o governo”, comentou o deputado.
Entre as propostas elaboradas pelos parlamentares estão a implantação de controle de medicamentos, ações de infraestrutura, políticas de abertura de novos leitos, criação e comitês de trabalho e do Plano Estadual de Saúde.
O secretário adjunto da Secretaria de Saúde, Antônio Teles, afirmou que todos os relatórios de recomendações e propostas enviadas para a pasta servem como “referência para a gestão”.
“Todos os relatórios encaminhados para a Sesa a gente usa como referência para a gestão, mas atualmente, o principal problema da saúde é estrutural. Posso dar como exemplo a atenção primária, na qual o estado não fazia o repasse há quatro anos. Nem no orçamento esses repasses estavam contemplados. Além disso, quase todo o recurso financeiro é com gasto de pessoal”, disse Teles acrescentando que a Sesa trabalha fazendo ações pontuais.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Inflação pelo IPC-S é pressionada pelo aumento da gasolina
Inflação pelo IPC-S é pressionada pelo aumento da gasolina
Indicador ficou em 0,67% na terceira prévia de outubro, diz FGV.
Também subiram preços de gastos de comunicação e despesas diversas.

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) registrou leve aceleração da segunda para a terceira prévia de outubro, chegando a 0,67%. A maior pressão de alta partiu, novamente, do aumento do preço da gasolina.

Três das oito classes de despesa componentes do índice registraram em suas taxas de variação, com destaque para o grupo transportes (de 1,17% para 1,57%).
Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: comunicação (de 0,15% para 0,18%) e despesas diversas (de 0,06% para 0,07%). 
Na contramão, desaceleraram as variações dos grupos relativos a alimentação (de 0,52% para 0,46%), educação, leitura e recreação (de 0,54% para 0,23%), vestuário (de 0,68% para 0,59%) e habitação (de 0,71% para 0,68%).
O grupo saúde e cuidados pessoais repetiu a taxa de variação registrada na última apuração, 0,54%.

Veja a variação de preços de alguns itens:
Medicamentos em geral (de 0,12% para 0,18%)
Artigos de higiene e cuidado pessoal (de 0,42% para 0,17%)
Hortaliças e legumes (de -8,60% para -10,91%)
Salas de espetáculo (de 1,98% para 0,33%)
Calçados (de 0,58% para 0,23%)
Eletrodomésticos e equipamentos (de 0,37% para 0,19%)
Mensalidade para internet (de 0,14% para 0,36%)
Alimentos para animais domésticos (de -0,32% para 0,37%)


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Vagas temporárias terão retração de 35% este ano, diz entidade do setor
Final de ano promete gerar 105 mil vagas temporárias no país.
Possibilidade de efetivação é de apenas 6 mil trabalhadores.

Até o final do ano, devem ser contratados 105 mil temporários em todo Brasil, uma retração de 35% na comparação com 2014, quando foram mais de 163 mil vagas, de acordo com a pesquisa da Federação Nacional dos Sindicatos das Empresas de Recursos Humanos, Trabalho Temporário e Terceirizado (Fenaserhtt) e do Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão de Obra e de Trabalho Temporário no Estado de São Paulo (Sindeprestem).


A expectativa é de que 32 mil contratados sejam jovens em situação de primeiro emprego. A previsão de efetivação após o fim contrato temporário é de apenas 6 mil trabalhadores.

A maior parte dos contratos firmados nesta época do ano possivelmente deve durar entre 61 e 90 dias, segundo 48% das empresas pesquisadas. De todos os temporários selecionados, 70% serão treinados pelas contratantes.

Para Vander Morales, presidente da Fenaserhtt e do Sindeprestem, as contratações serão pautadas por necessidades pontuais, ou seja, primeiro as empresas avaliam a real necessidade de expandir temporariamente a quantidade de funcionários para depois contratar. “O trabalho temporário é fundamental para a economia, sobretudo em tempos de crise econômica, porque encurta e facilita o encontro entre candidatos e vagas”, diz.

Perfil
No geral, os temporários têm entre 22 e 35 anos (72%) por se tratar de uma época do ano com intensa movimentação, que exige mais esforço e dedicação. Em relação ao nível de escolaridade, espera-se que 61% do contratados tenham ensino médio completo; 18% com ensino técnico; 16% com nível universitário e 5% com primeiro grau.

Efetivação
De acordo com as entidades, as empresas estão receosas com os rumos da economia e, por isso, evitam contratar até que haja certa estabilidade. Mas, apesar da crise, ainda existem aquelas que precisam recompor o quadro de funcionários. Por isso, a expectativa é de que quase 6 mil temporários sejam efetivados pelas contratantes após o término do contrato.

Comércio e indústria
A indústria e o comércio são os principais contratantes do trabalho temporário no final do ano. Diferente do que ocorreu nos anos anteriores, em 2015 a indústria responderá por 67% (cerca de 70 mil) das contratações e o comércio 33% (próximo de 34 mil). Somente o comércio do estado de São Paulo será responsável por admitir mais de 17 mil trabalhadores temporários até o final do ano.

“O setor industrial, acometido pelos efeitos da crise econômica, reduziu ao máximo o quadro de funcionários efetivos para conseguir se manter em atividade. Agora, para atender as demandas de final de ano, precisa recompor a força de trabalho e para isso contrata temporários”, explica Morales.
Na indústria, os cargos mais requisitados são das áreas operacional (39%), administrativa (24%), comercial (20%) e técnica (17%).

Os principais requisitos são experiência anterior (38%), dinamismo (32%), facilidade para trabalhar em grupo (25%), outros - comprometimento, motivação, entusiasmo - (5%)

Os benefícios destacados pelas empresas contratantes são vale-refeição (51%), vale-alimentação (26%), seguro de vida (22%) e outros - convênio médico, vale-transporte (1%)

No comércio, os cargos mais solicitados são vendedor (48%), repositor (25%), fiscais de loja (22%), promotor de vendas (4%) e crediário (1%).

Os principais requisitos são facilidade em lidar com o público (35%), experiência anterior (34%) e dinamismo (31%).
 
Fonte: g1.globo.com
 
 
 Mudanças à mesa, com dólar alto, iguarias nacionais tomam lugar de importadas
Indústria brasileira aproveita fase e vê aumento nas vendas; espumantes nacionais já têm saída 20% superior à do ano passado.

Em vez de geleia francesa, doces do rincão gaúcho; em vez de shortbread cookie escocês, biscoitos amanteigados de Nova Friburgo; em vez de marzipã alemão, por que não frutas cristalizadas de Carmo de Minas?

Em resposta à alta do dólar, essas são algumas das alternativas oferecidas pelo empresário carioca Hélio Casagrande na delicatessen Cosa Nostra, no Rio, que outrora contava com mais de 80% de produtos importados.
A substituição de importações é um dos efeitos do dólar batendo na casa dos R$ 4, levando empresários como Casagrande a abrir mais espaço para produtos brasileiros. Sua loja em Ipanema continua a oferecer itens estrangeiros, mas os nacionais são agora quase metade dos produtos à venda.
Na outra ponta, setores da indústria brasileira como os de vinhos e queijos estão se beneficiando de mais espaço nas prateleiras de lojas e mercados.
Casagrande afirma que está "dançando conforme a música" – como fez para atravessar os anos de hiperinflação e os sucessivos planos econômicos dos anos 1980.

"Estamos nos reinventando. Descobrimos um nicho bacana, de produtos regionais que fomos buscar em cidadezinhas no país todo", afirma. "Eles têm preços mais acessíveis e uma qualidade fantástica que agrega valor."
Ele espera que os preços mais em conta ajudem a impulsionar as vendas na loja – que, com a crise econômica, caíram quase de 30%.
O freio no consumo vem atingindo o comércio como um todo, com quedas consecutivas de vendas desde o começo do ano.
De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a intenção de consumo das famílias atingiu neste mês o menor nível desde que o índice começou a ser calculado, em 2010.
A CNC acaba de revisar a retração esperada este ano de -2,9% para -3,6%. Será o primeiro resultado negativo desde 2003.
A vez do vinho nacional?
Com a pressão do dólar sobre produtos importados, indústrias nacionais como as do queijo e do vinho acabam sentindo um efeito colateral positivo.
De acordo com o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), dados preliminares do mercado interno indicam que, do ano passado para cá, a venda de vinho branco nacional teve aumento de 5%; de tinto, 8%; e de espumantes, mais de 20%.
Para o gerente de promoção do Ibravin, Diego Bertolini, o momento é oportuno para aumentar a presença do produto nacional em um mercado que ainda tem preconceito com o vinho brasileiro.
"O dólar alto é um dos fatores que está ajudando o vinho brasileiro a ganhar competitividade. A gente nunca viu supermercados e distribuidores querendo trabalhar o vinho brasileiro com tanta força", afirma.
O varejo costuma ter maior rentabilidade com vinhos importados, afirma. Com o dólar alto, porém, o produto estrangeiro se torna menos lucrativo, pois empresários vêm reduzindo a margem de lucro para manter os preços competitivos.
O fator novela
Dentro deste cenário, o espaço para o vinho nacional tende a crescer, explica Bertolini. E o fato de a atual novela das seis da Rede Globo ter como palco o mundo do vinho também ajuda. A trama de Além do Tempo é ambientada na Serra Gaúcha, principal polo produtor do país, com profissionais do vinho como protagonistas.
"Isso vai ajudar a impulsionar as vendas de vinhos e espumantes no fim do ano", aposta ele.
O viés positivo é um alento para uma indústria que também sofre com a alta de matérias-primas importadas, como a cortiça, e o aumento das tarifas elétricas.
"Não é um ano fácil. A rolha é importada, a produção das garrafas demanda muita eletricidade, a maior parte dos insumos aumentou. A nossa margem (de lucro) também está diminuindo. Mas, ao contrário de outras categorias, para nós o momento é interessante e temos que aproveitar para consolidar o setor", diz.
Ele descreve o sentimento em relação à crise com um "emoticon" imaginário: "Não é que estejamos rindo de uma orelha a outra. É uma carinha triste, mas com um sorrisinho discreto".
Efeito 'turista rico'
Esse efeito "gangorra" do dólar alto, com os impactos negativos e se equilibrando, também é sentido em restaurantes, sobretudo os que estão na rota de turistas estrangeiros.
É o caso do Le Pré Catelan, em Copacabana. Dono de uma estrela Michelin desde abril, quando a prestigiosa publicação francesa distribuiu suas primeiras distinções no Brasil, o restaurante do Hotel Sofitel sente ao mesmo tempo com o efeito-crise – que aperta os gastos dos clientes brasileiros – e o efeito-real-barato – que abre as mãos dos estrangeiros.
"Com a crise, os brasileiros estão preocupados com o futuro e diminuindo os gastos. Vão a restaurantes mais baratos, pensam bem no que vão escolher e, quem sabe, vão preferir tomar uma cerveja em vez de um vinho", diz Roland Villard, chef executivo do Sofitel.
Para os estrangeiros, porém, por um punhado de dólares pode-se chegar muito mais longe. O Brasil – e o Rio, mesmo com seus preços proibitivos – de repente ficou muito mais barato para quem chega com moedas fortes.
"Para qualquer estrangeiro ficou mais interessante vir ao Brasil. Porque podem gastar mais e aproveitar mais a viagem com o mesmo dinheiro", diz Villard.
Como exemplo da disposição extravagante, ele conta que a casa vendeu alguns vinhos da linha superior na última semana – na faixa de R$ 5 mil a garrafa.
Ainda assim, a estratégia não é a de se apoiar nos comensais estrangeiros. O chef afirma que, para não afastar a clientela nacional, os preços do restaurante não acompanham a inflação.
"Adaptamos o menu para segurar os preços e manter o movimento, de modo a evitar prejuízo sobre o resultado final", afirma.
Sessões Netflix e ceia turbinada
Se a recessão está levando o movimento em restaurantes e lojas a cair, o mesmo não se observa, necessariamente, em supermercados.
Na rede carioca Zona Sul, que tem 35 lojas distribuídas pela cidade, o vice-presidente comercial Pietrangelo Leta afirma que o volume de vendas vem se mantendo. As pessoas estão segurando os gastos na rua – e seu negócio ganha com isso, afirma.
"Muita gente está trocando o cinema pelo Netflix, o restaurante pela refeição em casa. Acho que muitos clientes vão fazer essa substituição", considera.
Mesmo no fim do ano, quando a compra de produtos importados para as ceias natalinas pode sofrer um baque, Leta aposta no contrário.
"Com a variação cambial, muita gente vai deixar de viajar no fim do ano. Então a ceia pode ficar mais rica para compensar. O cliente vai deixar de fazer aquela viagem para a Itália ou para a Argentina, então vai fazer uma ceia mais caprichada, convidar mais gente", avalia.
Ele afirma que a rede não vai reduzir o foco em produtos importados, que atualmente representam cerca de 16% da gama ofertada. Porém, tem buscado saídas para amenizar o impacto para o consumidor, como parcerias com fornecedores antigos para conseguir condições de compras mais vantajosas e redução da margem de lucro.


Natal antecipado
Semana que vem o empresário Hélio Casagrande já inaugura a decoração natalina na sua delicatessen em Ipanema. Um Papai Noel de 1,50 m estará saudando os clientes na porta com um animado "Ho! Ho! Ho!". Diante da perspectiva de as vendas natalinas caírem, ele resolveu começar mais cedo.
"A gente sabe que o nível de estresse de todo mundo é muito grande em relação à política e à economia. Mas não acredito que as pessoas vão deixar de comprar coisas para o Natal."
Ele dá exemplo das alternativas nacionais que ele vêm oferecendo aos seus clientes. Os 200 g de patê de foie gras nacional saem a R$ 39,80, contra R$ 139 pelo francês; o queijo de ovelha da Serra da Mantiqueira custa R$ 25,90, enquanto o manchego espanhol, também de ovelha, sai a R$ 39 (150g); e os biscoitos amanteigados de Friburgo custam R$ 9,90, versus os R$ 39,90 pelos shortbread cookies escoceses.
A quem não se dispõe a pagar R$ 390 por uma champanhe Louis Roederer, ele sugere um espumante Dal Pizzol em edição comemorativa, a R$ 149.

Seja qual for a escolha etílica, porém, a dica de todos os entrevistados é estocar bem a adega até o fim de novembro, já que em dezembro começa a valer o aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre vinhos, espumantes e destilados – decretado pelo governo em setembro como parte das medidas para equilibrar as contas públicas.
E aí, seja com variantes nacionais ou importados, o brinde a 2016 custará um pouco mais ao consumidor.


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Ataque de mascarado a escola sueca foi crime racista, afirma polícia
Testemunhas afirmam que agressor escolheu vítimas por sua origem étnica.
Ele usava capacete similar ao de soldados nazistas e matou duas pessoas.

A polícia da Suécia investiga nesta sexta-feira (23) o ataque de um mascarado com arma branca em uma escola em Trollhättan (sudoeste do país), que matou um aluno e um professor, como um crime com motivação racista.
"Constatamos que se trata de um crime de ódio com características racistas. O que constatamos a partir das declarações das testemunhas é que escolheu as vítimas por sua origem étnica", declarou a televisão pública SVT Niklas Hallgren, chefe da investigação policial.

Para sustentar essa teoria, a polícia, que ontem matou o agressor, se apoia também em vários achados em seu apartamento, que não foram especificados, e em sua vestimenta -- ele usava um capacete similar ao dos soldados nazistas na Segunda Guerra Mundial.
A polícia não encontrou conexões com ambientes de extrema-direita ou nazistas, embora meios de comunicação suecos disseram ontem à noite que ele simpatizava com grupos dessa ideologia e anti-imigração.


Hitler
O jovem de 21 anos e residente em Trollhättan, que segundo revelaram vários jornais se chamava Anton Lundin-Petterson, publicou em sua conta no YouTube vídeos de um blogueiro neofascista sueco e filmes que glorificam Adolf Hitler e a Alemanha nazista.
Em seu perfil da rede social Facebook, ele apoiou a campanha do ultradireitista Democratas da Suécia, terceira força parlamentar, por um referendo contra a imigração.
A escola de Kronan, onde aconteceram os fatos, tem uma grande proporção de alunos de origem estrangeira.



Fonte: g1.globo.com
 
 
 Festival IBU reúne gastronomia com shows de jazz e rock em Goiânia
Evento promete reunir os melhores cafés especiais e cervejas artesanais.
No dia do aniversário da capital, sobe ao palco a cantora Gal Costa.

O festival IBU Goiânia promete reunir as melhores marcas de cerveja artesanal e exclusivos produtores de café neste final de semana, no Centro Cultural Oscar Niemeyer. O evento também conta com shows de blues, jazz e rock.
Na sexta-feira (23), o saxofonista da banda Móveis Coloniais de Acaju, Esdras Nogueira, inaugura o palco do IBU. Ele apresenta canções do seu novo disco, intitulado Capivara.

A principal atração musical do sábado (24), dia do aniversário de Goiânia, é o show de Gal Costa, que se apresenta no Palácio da Música. O ingresso para o show dela é cobrado à parte da entrada para o evento.
Ainda no sábado, a banda Dom Casamata se apresenta com seu trio instrumental: baixo, bateria e guitarra. A programação de domingo (25) conta com o músico Pedro Martins, que venceu o Festival de Jazz de Montreaux.
De acordo com a organização, estão previstas cerca de 30 tendas de cerveja artesanal e dez, de café especial. A estrutura também conta com bares, praça gastronômica e palcos para apresentação musical de bandas e DJs.
Serviço:
Festival IBU Goiânia
Data: de 23 a 25 de outubro
Horário: dia 23: a partir das 18 horas/ dias 24 e 25: a partir das 14 horas
Local: Centro Cultural Oscar Niemeyer
Mais informações: www.ibugoiania.com.br


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Sem os holofotes do SPFW, Moda Recife promove três dias de desfiles na capital pernambucana
Versão pernambucana das semanas de moda ocorre no Paço Alfândega até o sábado (24), enquanto estilistas reclamam mais incentivos no ramo

Enquanto o São Paulo Fashion Week promove, desde o último domingo, os desfiles da temporada de Inverno 2016, estilistas da capital pernambucana exibem no Recife, a partir de hoje, coleções para o próximo verão. Apesar do delay - o Verão 2016 ganhou as passarelas da capital paulista em abril passado - o Moda Recife, que segue até o sábado, chega à oitava edição como principal evento do ramo na cidade. Reúne, em três noites de programação, no Paço Alfândega, Centro do Recife, 12 desfiles, assinados por nomes como Flávia Azevedo (Club Noir), Jan Souza e Frederico Ferreira (Frederico F.) - são quatro apresentações a mais, em relação à edição passada. Não tem, porém, a dimensão de outras semanas de moda, como o Minas Trend (Minas Gerais) e o Dragão Fashion (Ceará). 

Para o produtor do evento, Ricardo Coller, a captação de recursos é o principal entrave à projeção do Moda Recife, cujo tema deste ano é Não faça roupa, faça moda. “Há poucos incentivos nas esferas pública e privada, como ocorre em outros eventos culturais das áreas de música ou teatro, o que restringe a estrutura do projeto”, explica. Este ano, todo o aporte financeiro do Moda Recife vem de instituições particulares, com orçamento total estimado em R$ 400 mil. Coller aponta, ainda, a ausência de canais destinados exclusivamente à moda na imprensa local como obstáculo para a divulgação. O Funcultura, principal edital de fomento público, no entanto, prevê a inclusão do ramo entre os beneficiados desde o fim do ano passado - por força de lei. Coller garante, porém, a continuidade do projeto. E antecipa: no próximo ano, os desfiles estão marcados para a última semana de setembro, provavelmente no mesmo local.  

>> SERVIÇO
Moda Recife 2015
Quando: 22 a 24 de outubro, das 17h às 22h
Onde: Paço Alfândega (Rua da Alfândega, 35 - Bairro do Recife)
Quanto: Entrada franca
Informações: 3053.9858

>> ESTILISTAS
Flávia Azevedo
Formada em nutrição e pós-graduada em neurologia, e estilista Flávia Azevedo ingressou no ramo da moda há sete anos, quando criou a marca Club Noir. Nesta sexta, desfila cerca de 40 peças da coleção Curvas, inspirada nos traços do arquiteto Oscar Niemeyer. Preto e branco dominam os looks, com toques de amarelo, azul e vermelho. Cetim, voil e tricoline estão entre os tecidos, além de recortes manuais em renda e couro, simulando as curvas de Niemeyer. “Nos faltam incentivos públicos voltados para a moda, além de mais projetos no ramo. Paulo Borges [idealizador do São Paulo Fashion Week] já cogitou organizar algo por aqui, mas faltam recursos, estrutura. Há mais obstáculos do que facilidades.”, diz Flávia.

Fernando Perdigão
Alagoano convidado para o evento, o estilista autodidata Fernando Perdigão desenvolve, desde a década de 1980, projetos envolvendo o filé alagoano (técnica local de bordado). Coordena organização voltada à capacitação e ao emprego de mulheres carentes na produção dos bordados. No Moda Recife, desfila a coleção Urbanos 2, encerrando o line-up do evento. Todos os looks são produzidos à mão, em tonalidades de branco, preto e cinza, com pinceladas coloridas. “Para alavancar a moda no Recife, precisamos de patrocínio e de mais espaço especializado na mídia. É necessária uma vitrine para mostrarmos nossas ideias. Só assim os patrocinadores apostarão nelas”, declara. 

an Souza
Capixaba radicado há 35 anos em Pernambuco, Jan é conhecido no mercado local de casamentos - ele produziu mais de 3 mil vestidos de noiva. No Moda Recife, dá continuidade à tríade de desfiles em comemoração aos 45 anos de carreira, com coleção toda confeccionada em seda pura e pintada à mão pela artesã Fátima Motta. Cássio Bonfim abre o desfile com performance, vestindo look assinado por Jan. “Paris vive da moda e do turismo. Nós precisamos aproveitar melhor esse ramo. Ficamos esperando incentivos públicos e privados e, quando vemos, se passaram 30 anos. São muitas dificuldades nos bastidores”, avalia. 

Frederico Ferreira
Frederico desfilou com marca própria (Frederico F.) pela primeira vez em 2011, no Moda Recife. Este ano, dá sequência à coleção Beleza roubada, inspirada no filme de Bernardo Bertolucci, com peças de estilo balneário. Os looks remetem ao clima da Itália, em tons de azul e com tecidos leves, já visando o revéillon do Recife, incluindo peças de banho feitas à mão. “O Recife precisa de uma injeção de capital no ramo da moda, as pessoas precisam ser convidadas para acompanhar os eventos locais. Não temos veículos voltados para o setor. E, por fim, ainda precisamos combater o preconceito em relação ao que é produzido no Nordeste”, analisa Frederico. 


Fonte: diariodepernambuco.com.br/
 
 
 Vant produzido em São Carlos, SP, vai monitorar a Floresta Amazônica
Aeronave vai carregar sensores para proporcionar 'viagem ao passado'. 
Objetivo é tentar entender efeito de populações antes da colonização.

Uma aeronave não tripulada vai ajudar o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) a monitorar a Floresta Amazônica. O vant está sendo produzido em São Carlos (SP), em uma parceria com a University of Exeter, da Inglaterra, e vai carregar diversos sensores para proporcionar uma “viagem ao passado”.
“[O objetivo é] Tentar entender o efeito de populações passadas, antes da colonização das Américas, na vegetação da Amazônia e, com o entendimento de como eles utilizaram essas florestas antigamente, produzir melhores informações do que a gente está observando no presente, do comportamento dessas florestas no presente, e também, a partir daí, produzir modelos para a previsão dos efeitos de mudanças climáticas nas florestas tropicais”, contou Luiz Aragão, pesquisador do Inpe.
Os sensores também são capazes de captar imagens em infravermelho e medir a quantidade de clorofila das plantas, dados que podem ajudar a prevenir e combater queimadas como as que têm destruído a floresta.
“A gente consegue calcular o balanço de carbono, que é o quanto ela absorve menos o que ela está emitindo, para produzir informações que possam ser colocadas dentro de modelos para fazer previsões a longo prazo”, afirmou o pesquisador. “E aí políticas públicas podem ser implementadas baseadas nesse tipo de informação”, disse.

Aeronave
O modelo tem quase dois metros de comprimento por quatro de envergadura e possui um sistema de segurança para casos de emergência. “Algum sistema dele deu uma falha, automaticamente ele vai disparar um dispositivo que vai abrir o pára-quedas. Quando abre o pára-quedas, ele corta todo o sinal de transmissão da aeronave. Ele tem um localizador, um spot, e onde ele cair a gente localiza”, explicou o piloto Ney Souza.
A aeronave conta ainda com um motor três vezes mais potente do que o convencional e é composta com fibra de aramida, material usado em coletes à prova de bala. Tudo para que consiga cumprir com os objetivos do estudo.
“Essa aeronave vai voar em várias regiões do país, na região Amazônica, Vale do Paraíba, o Estado de São Paulo como um todo, e nós precisamos coletar dados em vastas áreas. Imagens de alta definição, em que você consegue ver carros, pessoas”, detalhou o pesquisador Thiago Batista dos Santos.
Outra característica do modelo é a autonomia de voo, maior do que a de outras aeronaves. “Ela foi projetada para voar entre quatro horas e meia e cinco horas, e em uma altitude de 300 metros do solo. Com outras aeronaves isso não é possível”, completou Santos.


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Orçamento de 2016 da União prevê R$ 400 milhões para saúde e educação
Explicação para o aumento do prazo para apresentação do relatório final da LDO é que algumas bancadas não seguiram as recomendações de dar prioridade às obras em andameno ou licitadas

É aguardada para a próxima semana a votação do relatório final da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016. A presidente da Comissão Mista de Orçamento, senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), esticou o prazo de entrega da matéria pelo relator da Comissão, deputado Ricardo Teobaldo (PTB-PE), que deverá apresentar seu relatório nesta quinta-feira (22). A previsão é que sejam destinados recursos em torno de R$ 400 milhões para saúde e educação.

A CMO prevê uma divisão em quatro emendas de R$ 100 milhões, para as áreas de saúde e educação. Serão contempladas as unidades de Saúde Nacional; o Programa de Prevenção ao Uso de Drogas, do Ministério da Justiça; o programa de Apoio ao Desenvolvimento da Educação Básica; e o programa Assistência Médica Qualificada e Gratuita a todos os níveis da população, por meio de atividades educacionais e de pesquisas no campo da Saúde.

Já a explicação para o aumento do prazo para apresentação do relatório final da LDO é que algumas bancadas não seguiram as recomendações de dar prioridade às obras em andameno ou já licitadas, de forma a garantir o investimento.

“Nós mandamos um expediente dizendo que havia uma emenda impositiva para cada Estado, uma prioridade regional. Explicamos que, preferencialmente, indicassem obras que estivessem em andamento ou já licitadas, porque o governo não pode iniciar novas obras sem recursos”, afirmou Rose.

Para o relator Ricardo Teobaldo, apresentar novas obras em plena crise política e econômica apresentaria o risco de não ter o investimento concluído.

“Na última semana recebi ligações de diversos coordenadores de bancadas questionando sobre as indicações que poderiam fazer sobre novas obras. Expliquei que não é proibido. No entanto, há o risco de o Estado perder o investimento. Mas a opção é de cada bancada, para determinar o que é mais importante”, assinalou ele.

A deputada professora Dorinha (DEM-TO) anunciou que o Democratas ainda não fechou acordo sobre a votação da LDO. 

“O DEM não tem acordo sobre a LDO. Essa é a posição do partido neste momento”, disse.

O Plano Plurianual que projeta orçamento para o período compreendido entre 2016 e 2019 deverá receber emendas ao relatório preliminar até a próxima sexta-feira (23). Já ao relatório final, o prazo para apresentação de emenda será entre 29 deste mês até 6 de novembro.

O deputado Zeca Dirceu (PT-PR), relator da matéria, afirmou que o atraso na entrega do relatório preliminar ocorreu por conta da instabilidade do cenário econômico. 

“Temos uma boa proposta de PPA e os atrasos foram por conta do cenário econômico instável e outros debates que estão em andamento nas comissões em diversas área, como saúde e educação. Agora, vamos abrir prazo para emendas e permitir que todos os parlamentares dialoguem conosco e apresentem as suas propostas”.

O relator da Lei Orçamentária Anual (LOA), deputado Ricardo Barros (PP-PR), propôs o corte de R$ 10 bilhões no programa Bolsa Família, para 2016. Segundo ele, o corte deverá impedir o ingresso de novos beneficiários.

“Mais de 70% dos beneficiários estão empregados”, frisou. 

Na avaliação da senadora Rose de Freitas, a proposta enfrentará resistência na CMO. 

“Uma matéria complicada como essa, que mexe com a área social, vai enfrentar resistência”, disse.



Fonte: folhavitoria.com.br/
 
 
 Empresas apostam em benefícios de saúde para reter talentos
Os salários ainda estão estagnados, mas os empregadores encontraram uma nova forma de ajudar a atrair e reter funcionários: benefícios de saúde.

Ter um bom plano de saúde se tornou mais vital do que nunca na hora da contratação, segundo uma pesquisa recente da Sociedade de Gestão de Recursos Humanos (SHRM, na sigla em inglês).

Segundo o estudo, as empresas em geral estão se apoiando nos benefícios para seduzir funcionários atuais e potenciais.

Dos 460 profissionais de recursos humanos que participaram da pesquisa, 33 por cento disseram que suas organizações utilizaram benefícios de algum tipo no ano passado -- de licenças remuneradas a programas de bem-estar -- para evitar que funcionários de todos os níveis deixassem a empresa.

Isso revela um aumento em relação aos 18 por cento, apenas, que apostavam nos benefícios como forma de reter talentos em 2012.

De todas as regalias, contudo, os benefícios de saúde foram de longe os mais frequentemente usados para a retenção de funcionários.

No total, 80 por cento dos profissionais de RH que participaram da pesquisa citaram benefícios de saúde, mais do que aposentadoria e férias, como uma forma de reter talentos, contra 58 por cento em 2012.

“Existem caminhos e combinações que os empregadores podem utilizar para tornar seus planos de saúde mais atraentes”, disse Evren Esen, diretor dos programas de pesquisa da SHRM.

“Uma empresa pode oferecer cobertura de saúde, mas essa cobertura pode não ser a melhor. Ela pode não incluir certos tipos de benefícios, como cirurgia Lasik ou bariátrica”.

Além de cobrir serviços médicos de alto custo, como tratamentos de fertilidade e congelamento de óvulos, algumas empresas oferecem uma variedade de planos de saúde que um grupo mais amplo de trabalhadores considera mais atrativo. Se o pacote de benefícios inclui uma conta-poupança em saúde, por exemplo, um empregador poderia injetar algum dinheiro inicial para impulsionar o fundo.

Alguns empregadores também podem cobrir uma parcela maior da contribuição do funcionário para o benefício, disse Esen. Os empregadores arcam, em média, com cerca de 76 por cento do custo dos prêmios do plano de saúde, segundo a pesquisa da SHRM.

Essa proporção bate com os dados das conclusões da Fundação Família Kaiser em sua Pesquisa de Benefícios de Saúde do Empregador de 2015, que pontuou que os trabalhadores contribuem, em média, com apenas 18 por cento do prêmio nas coberturas individuais e com 29 por cento do prêmio no caso das coberturas familiares -- um número que não mudou estatisticamente de 2010 para cá.

Mudança à vista

As coisas poderiam mudar em breve. Os empregadores gostariam de limitar os custos com saúde, que subiram tanto para os funcionários quanto para os empregadores nos últimos 10 anos.

Os prêmios totais aumentaram 61 por cento, segundo Kaiser, e os funcionários estão arcando com uma porcentagem cada vez maior dessa conta. Os participantes da pesquisa da SHRM acreditam que os funcionários pagarão mais da metade do prêmio em um futuro próximo. Contudo, como a retenção de talentos é o problema número 1 enfrentado pelas empresas, segundo outra pesquisa da SHRM, os empregadores não podem transferir uma parcela muito grande do encargo financeiro para seus funcionários.

“Os empregadores sabem que o plano de saúde é algo muito importante para os funcionários, mas os custos estão tornando muito difícil para os empregadores continuar oferecendo planos de saúde como antes”, disse Esen. “Eles estão entre a cruz e a espada”.

Contudo, a cobertura de saúde enquanto benefício não vai deixar de existir tão cedo. Apesar das previsões de que os intercâmbios criados pela Lei de Proteção e Cuidado ao Paciente, dos EUA, acabarão com a era da saúde paga pelo empregador, a maior parte dos empregadores não descartou o benefício.

“Isso seria chocante demais para os funcionários. Eles estão nessa relação com seus empregadores há muito tempo no quesito saúde”, disse Esen. “Talvez mais empresas esperassem passar para um tipo diferente de sistema e estão vendo que isso realmente não é possível no momento”.


Fonte: exame.abril.com.br
 
 
 Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2015 é aberta oficialmente em Brasília
Durante evento, ministra em exercício elogia esforço do País para desenvolver setor

O Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade, em Brasília, recebeu nesta terça-feira (20) a abertura oficial da 12ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), com presença de diversos estudantes. A temática da edição deste ano é Luz, Ciência e Vida, em referência ao Ano Internacional da Luz, estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) para 2015. 

Em discurso, a ministra em exercício da Ciência, Tecnologia e Inovação, Emília Ribeiro Curi, ressaltou o comprometimento do Estado brasileiro com o desenvolvimento do setor. 

"Na edição de 2015, contamos com mais de 2 mil instituições participantes, com 640 cidades, totalizando cerca 850 eventos e 26 mil atividades em todo o Brasil", comemorou. "Com essa dimensão, a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia constitui evento de fundamental importância, não só para a divulgação da produção científica do País, mas também para despertar interesse pela pesquisa e pela inovação tecnológica", acrescentou Curi. 

A meta do evento é mobilizar a população, em especial crianças e jovens, em torno do universo da Ciência e Tecnologia (C&T), para estimular a criatividade e a atitude científica. Além disso, todos podem conhecer e discutir os resultados alcançados pelos projetos apresentados e a relevância e o impacto das pesquisas. 

"Esta edição da Semana é de especial importância para o MCTI, pois coincide com a comemoração dos 30 anos da criação do Ministério. Trata-se, portanto, de reviver uma história de três décadas, que marcam o despertar de uma consciência acerca da importância da ciência e da inovação tecnológica para o desenvolvimento econômico do País e para a oferta de melhores condições de vida à sua população", disse a ministra em exercício.  

Abóbada

Uma das atrações que mais chamaram a atenção do público foi o Visualdome, um espaço inflável de 200 m2, em formato de planetário. Na abóbada acima dos visitantes, projetores de alta potência compõem um verdadeiro cinema em 360º. Por meio da tecnologia trazida pelo MCTI, os espectadores podem conhecer um pouco da história da relação do homem com a luz. A 12ª SNCT vai até 25 de outubro.


Fonte: brasil.gov.br/
 
 
 Secretário da Educação comenta término do serviço de pré-escola em instituições estaduais
A medida, publicada na segunda-feira no Diário Oficial, determina que novas turmas de níveis A e B não poderão ser abertas pela rede estadual de ensino a partir de 2016

A partir do próximo ano, escolas estaduais do Rio Grande do Sul não poderão abrir novas turmas de níveis A e B. A medida, publicada no Diário Oficial na última segunda-feira, vai ao encontro da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 1996, que determina a Educação Infantil como competência municipal.

Alunos destas séries já matriculados em instituições a cargo do Estado não serão afetados — aquelas que ofertaram o nível A neste ano poderão disponibilizar o nível B no próximo. O que acontecerá é que nenhuma criança poderá entrar no nível A da rede estadual em 2016, e, a partir de 2017, a educação desta faixa etária (de quatro a cinco anos) será de responsabilidade total do município. A mudança somente não se aplica às escolas indígenas e às rurais e àquelas que oferecem Curso Normal (magistério) e Curso Normal Aproveitamento de Estudos (para estudantes do Ensino Médio que desejam ser professores).

O secretário afirmou que a medida se faz necessária, pois, atualmente, existe uma repartição de competências, em que o município é responsável por administrar e prever vagas para a Educação Infantil e Ensino Fundamental, enquanto, ao Estado, cabe administrar também os ensinos Fundamental e Médio.

— Quando o Estado matricula uma criança na Educação Infantil, ele não recebe o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), porque a competência pela educação infantil é do município. Assim, o município também não recebe e acabamos perdendo esse recurso. Por esse motivo, optamos por essa medida — afirma o secretário.

A maior preocupação de pais e profissionais da educação é de que não existam escolas municipais ofertando vagas suficientes em todas as regiões do Estado. No entanto, um dos parágrafos da medida estabelece que, em caso de impossibilidade de atendimento da demanda em determinada localidade pela rede municipal de ensino, a Secretaria Estadual da Educação pode autorizar a abertura de novas turmas de Educação Infantil.

— Os pais de alunos nessa idade podem ficar tranquilos. Se o município não tiver condição de atender, tentaremos uma parceria, e, em última instância, ofereceremos o serviço, por mais que não seja uma atribuição do Estado. Em primeiro lugar, está o direito constitucional dessas crianças à educação — salientou o secretário da pasta, Carlos Eduardo Vieira da Cunha.


O Plano Nacional da Educação (PNE), sancionado no ano passado pela presidente Dilma Rousseff, determina que todas as crianças de quatro e cinco anos precisam estar matriculadas em escolas até 2016. Contudo, um estudo realizado pelo Tribunal de Contas do Estado, divulgado em janeiro, revelou que há carência de 86,6 mil vagas da pré-escola em municípios gaúchos.

Vieira da Cunha informou que um levantamento da oferta começou a ser feito na segunda-feira.



Fonte: zh.clicrbs.com.br/
 
 
 De jogadora de vôlei a promessa da moda nacional. Conheça a modelo Ariane Norbel
Com o cabelo à la Mica Arganaraz, top argentina que recentemente conquistou o mundo da moda mundial, a fresh face Ariane Norbel, 21 anos, é a grande aposta da Way Model Management. Mineira natural de Belo Horizonte, Ariane faz uma ótima temporada nacional e já desfilou para marcas como GIG Couture, Lilly Sarti, Ellus, Reinaldo Lourenço e Alexandre Herchcovitch, para quem desfilou com os seios à mostra. Confira a entrevista com a modelo:



Ariane, como foi seu início de carreira e onde foi a sua estreia?

Quando eu fiz 15 anos e comecei a modelar, faltava uma semana para o Minas Trend Preview. Eu já caí direto na semana de moda! Dois dias antes eu já tinha alguns desfiles e fui bem na temporada. A partir disto, começaram a fluir outros trabalhos como catálogos e editoriais. Eu era muito focada no vôlei e acabei caindo de paraquedas no mundo da moda, mas depois eu fui aprendendo, procurando conhecer as pessoas. Logo após, fui pra Nova York, onde peguei oito desfiles e foi ótimo.



O que você fazia antes de iniciar sua carreira no meio da moda?

Eu joguei vôlei por seis anos. Sempre fui muito focada no esporte. Pratiquei a vida inteira. Já joguei handebol, basquete, vôlei e, se não fosse modelo, seria jogadora profissional! Até consegui uma proposta para jogar em Nova York. Aí caí nesse meio da moda, que amo hoje em dia. Às vezes dá até vontade de chorar… não de tristeza mas de felicidade porque é tanta emoção. Eu gosto muito! A moda é uma família muito grande.



O que mudou em você desde o seu começo?

A personalidade é a mesma! Alegre, sou a Ariane espontânea! Eu era mais tímida, e agora eu tenho mais atitude. Eu não tenho mais vergonha. Eu tinha vergonha de mostrar quem eu era,e agora não tenho mais.



Você mudou seu corte de cabelo recentemente, certo?

Sim! Eu tinha um cabelo comprido e reto. O mesmo corte de sempre. Há uns 3 meses eu comecei a cortar e repicar e foi ficando mais conceitual e fashionista. Cortar a franja transformou muito! Parece que começou do zero! É mais a minha cara, meu estilo. Todo mundo está comentando e adorando!



Você se inspira em alguma modelo, tem algum ícone?

Eu gosto da Izabel Goulart e da Freja Beha Erichsen! Inclusive estão falando que eu estou parecendo com ela, por causa da franja. Também gosto de acompanhar as revistas de moda e o Instagram!



O que você quer para o futuro? Quais são teus sonhos?

Eu tenho um foco. Eu quero ser Angel da Victoria’s Secret. Desde que comecei, sempre me falam que eu tenho rosto e corpo de Angel. Em 2016, quando eu voltar para Nova York, vou focar nisso!



E o que você faz quando não está trabalhando?

Eu gosto de estar com minhas amiga, ir ao parque e aproveitar o tempo! Conversar e ler livros. Agora eu estou aprendendo a tocar bateria! Está sendo bem legal!



Fonte: ffw.com.br
 
 
 O que faz uma produtora de moda
Todos sabem que o mercado da moda é um segmento em desenvolvimento, e algumas funções associadas a esse ramo são desconhecidas do grande público, uma delas é a da produtora de moda. A produtora de moda deve ter um vasto conhecimento do mundo da moda e daquilo que se envolve, direta ou indiretamente com a moda, como tendências, estilistas, materiais, arte, cinema, maquiagem, música, etc.
 

Quem explica tudo e Priscilla Pontes. 
Para Priscila, ser produtora de moda é quem busca as referências, cria uma imagem e opina no resultado final da produção. A ideia é montar looks e produções confortáveis os quais colabore com o tipo de corpo, com a tonalidade da pele com o estilo da locação e com a desenvoltura das poses.


A produtora executa com facilidade os trabalhos de produção. É comunicativa, articulada, objetiva e clara. Responsabilidade, organização e comprometimento são essenciais para esse trabalho. A criatividade é o segredo para escolher boas peças de roupas. Favorecer os pontos fortes e esconder os pontos fracos é a solução para um bom trabalho de styling.


Trabalhos executados pela Produtora de Moda:

→ Montar de 5 a 7 looks para o ensaio.
→ Levar objetos de cena adequados com a locação.
→ Acompanhar durante todo o ensaio.
→ Divulgar nas redes sociais.
→ Ajudar a cliente a se comportar leveza e espontaneidade diante as fotos.
→ Levar fotos para inspirar a cliente.
→ Escolher os acessórios de cada produção.


Fonte: clickpb.com.br/
 
 
 Vendas no comércio em Ribeirão Preto têm pior resultado em 12 anos
Queda de 6,88% em outubro é a 10ª consecutiva registrada pelo Sincovarp.
Apesar de crise, economista diz que cenário deve mudar no final do ano.

As vendas no comércio de Ribeirão Preto (SP) registraram em setembro o pior desempenho dos últimos 12 anos, com redução de 6,88% em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados do Sindicato do Comércio Varejista (Sincovarp).

Essa é a décima queda consecutiva registrada na cidade: desde dezembro do ano passado, os lojistas vêm amargando resultados negativos. O último e mais forte havia sido em agosto, quando as vendas caíram 5,24%, em comparação com 2014.
Apesar da crise econômica, o economista Marcelo Bosi Rodrigues afirma que a tendência é de que o cenário comece a mudar a partir de novembro, com a aproximação das festas de fim de ano. Isso porque, ele diz não acreditar em um resultado pior que o registrado no ano passado.
Em dezembro, as transações caíram 2,68%, amargando o segundo pior desempenho de 2014. “Nós não acreditamos em uma queda sobre queda. O cenário econômico está pior, mas, o consumidor está calejado. Não estamos falando de crescimento econômico, mas de um pouco mais de vendas”, afirma.


Segmentos
Entre os 18 mil lojistas filiados ao Sincovarp, cerca de 200 são pesquisados todos os meses. A amostra leva em consideração a participação de cada setor. Em setembro, todos registraram queda, mas o pior resultado ficou com o segmento de cine/foto, cujas vendas despencaram 13,35%.
Em segundo lugar no ranking ficou tecidos/enxoval, seguido de livraria/papelaria, com resultados negativos de 10,36% e 8,33%. A venda de móveis e presentes teve queda de 7,10% e 5,18%. A lista termina com redução de 5,06%, 4,32% e 1,05% na comercialização de roupas, calçados e produtos de ótica, respectivamente.
O cenário já era esperado, com base nos dados do mês anterior. Em agosto, apenas o segmento de ótica apresentou resultado positivo: uma modesta alta de 0,63%, em comparação com o levantamento de agosto do ano passado.
O economista explica que a crise econômica nacional está fazendo os consumidores terem receio de gastar. Ainda segundo Rodrigues, produtos não considerados essenciais são os primeiros cortados da lista de compras. Entre os itens básicos, ocorre a substituição por outras marcas, mais baratas.
“O lojista está bem desanimado. Foi um resultado que jogou um balde de água fria nos comerciantes. Isso faz com que os lojistas sejam bastante criativos, tentem fazer promoções, ações no sentido de estimular o consumidor para que ele venha para as lojas”, afirma.


Eletrodomésticos
Única que ainda apresentava crescimento constante, a venda de eletrodomésticos também despencou nos últimos dois meses, com resultado negativo de 8,78% em agosto e de 7,2% em setembro, em comparação com 2014.
A explicação do economista para o desempenho é o mesmo para os demais segmentos: corte de compras de produtos com preços mais elevados. Rodrigues afirma ainda que fatores como a alta do dólar e o fim da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para artigos da chamada linha branca afetaram diretamente as vendas.
“Você tinha um movimento de troca de televisores por smart TVs. Toda essa tecnologia vem trazendo um apelo de consumo de substituição. Talvez, isso tenha perdido o fôlego ou, mais do que isso, perdido os valores. O consumidor, nesse momento em que estamos vivendo, vai segurar a compra do que é mais caro”, diz.


Fonte: g1.globo.com
 
 
 São Paulo terá mais de 34 horas de esporte na Virada Esportiva 2015
Prevista para acontecer no próximo final de semana (dias 24 e 25), a 9ª Virada Esportiva, organizada pela Prefeitura de São Paulo e também pela Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação do município, promete não deixar o paulistano parado. E opções para isso não faltarão: no total, estão programadas mais de 34 horas de atividades físicas, clínicas e oficinas de esporte espalhadas por mais de 400 endereços. Cerca de dois mil eventos irão transformar São Paulo no maior centro esportivo do mundo.

A programação da Virada Esportiva 2015 estará dividida por grupos específicos de atividades: aquáticos, artes marciais, atletismo, clínicas e oficinas, corrida e caminhada, dança, digitais, esportes com bola, esportes de arremesso, esportes sobre rodas, exercícios aeróbicos, ginástica, modelismo, radicais de aventura, raquetes e tacos, recreativos, saúde/estética, simuladores, skate, tabuleiro/jogos de mesa, Terceira Idade e virada paraesportiva. O link completo da programação você pode acessar aqui: http://viradaesportiva.prefeitura.sp.gov.br/#programacao

A Virada trará para o público atividades mais tradicionais aos praticantes de modalidades esportivas, como futebol, vôlei, futsal, handebol, basquete, beisebol, futebol americano e rúgbi, entre outros. Mas também haverá espaço para modalidades bastante populares nas escolas, por exemplo, como a queimada, que está prevista para acontecer em três locais: CEE Rubens Pecce Lordello (dia 24, das 10h às 11h, na Av. Lins de Vasconcellos, 804); CE Raul Tabajara (dia 24, das 11h às 13h, na R. Anhanguera 484, Barra Funda) e Centro Esportivo Juscelino Kubitschek (dia 24, Rua Inácio Monteiro 55, Cidade Tiradentes).

O grupo de esportes radicais e de aventura também promete ser uma atração à parte na Virada Esportiva. O Centro Esportivo e de Lazer Tietê (Av. Santos Dumont, 843) receberá nos dias 24 e 25 atividades de bungee jump, entre 10 e 18h. No mesmo local, também irão acontecer atividades de asa delta, sábado e domingo.

A exemplo do que aconteceu em 2014, também haverá este ano a Virada Paraesportiva, com diversas atividades voltadas para atletas com deficiência física. Estão previstos eventos adaptados de bocha, futsal, basquete, tênis, judô, golfe, capoeira, vôlei e atletismo, além de uma palestra sobre audição.


Fonte: esportes.terra.com.br/
 
 
 Toyota Mirai vira carro do filme De volta para o futuro
Empresa reuniu atores da trilogia para lançar modelo nos Estados Unidos.
Em vídeo, veículo utiliza hidrogênio proveniente de lixo para rodar.

Aproveitando a data em que McFly desembarca em "De volta para o futuro 2", exatamente 21 de outubro de 2015, a Toyota preparou um lançamento especial do Mirai no mercado norte-americano.

O modelo se transformou em carro do filme, substituindo o DeLorean DMC-12, original máquina do tempo da película.
A empresa aproveitou e comparou os dois veículos, mostrando a capacidade de ser movido com energia proveniente do lixo.

No caso do DeLorean fantasioso do filme, o lixo era diretamente transformado em combustível, enquanto o Mirai utiliza hidrogênio, que poderia ser proveniente de lixo coletado por usinas.

O Mirai pode percorrer cerca de 650 quilômetros com um tanque de hidrogênio, que demora 3 minutos para ser recarregado totalmente.
A partir da mistura entre hidrogênio e oxigênio, se produz a eletricidade que movimenta o veículo.

O carro emite apenas vapor de água ao invés de gases poluentes para o efeito estufa.

Marcas aproveitam data
Se a montadora americana que fazia o DMC fechou as portas há quase três decadas, outras marcas aproveitaram a data em que McFly desembarca em "De volta para o futuro 2", 21 de outubro de 2015, e criaram ações homenageando o filme.
Antes do lançamento do Mirai, a Toyota convocou os atores Michael J. Fox (Martin)  e Christopher Lloyd (Dr. Brown), protagonistas do filme, para comentar as previsões do filme que se passa em 1985, para o, na época, longínquo ano de 2015.
Na conversa, em uma lanchonete, eles comentam sobre filmes 3D, uma realidade nos dias de hoje, e sobre trocar mensagens por meio de aparelhos de fax, aparelho já ultrapassado. Em outro vídeo, a montadora japonesa anunciou que irá anunciar uma novidade na data.
Já a marca de luxo do grupo, a Lexus, apesar de não ter relacionado sua criação ao filme, desenvolveu um skate voador, chamado de Hoverboard. Um equipamento similar foi mostrado no filme, como algo comum em 2015.
O skate, que é construído com blocos supercondutores, é apenas um protótipo, e não deve ser comercializado.


Mercedes-Benz
Outra montadora sem relação com o filme, a Mercedes-Benz criou uma série de filmetes para promover o conceito de veículo autônomo F 015. São três vídeos, que mostram algumas previsões do filme para este ano: robôs que passeiam com cães, a trilha de fogo em que o DeLorean chega ao futuro e o skate voador.
Em todos, o F 015 aparece como parte comum da cena, que sempre termina com os créditos da marca alemã agradecendo do Dr. Brown pela inspiração aos engenheiros da montadora.



Ford
A Ford, conterrânea da extinta DeLorean, criou um vídeo no YouTube, no qual anuncia um novo "acessório" para os modelos Fiesta e Focus. Trata-se de um capacitor de fluxo, o mesmo equipamento que faz com que o DMC-12 viaje no tempo.
No vídeo, a marca ainda faz algumas referências ao filme. Uma delas, é a necessidade de 1,21 gigawatts para que o aparelho funcione. A outra, é que, para que a viagem seja completada, o veículo precisa estar a 88 milhas por hora (141 kn/h). Tudo exatamente como em 'De volta para o futuro'.
A propaganda ainda adverte aos possíveis compradores, de que o capacitor deve ser utilizado apenas com fins recreativos, e que, interferir em eventos históricos importantes é ilegal e pode trazer consequências inesperadas para toda a humanidade.



Fonte: g1.globo.com
 
 
 Rio recebe o maior evento de gastronomia do mundo
Cidade foi a primeira cidade da América Latina que recebeu encontro.
Diretor comercial afirmou que Rio de Janeiro cria tendências.


O Rio recebe nesta quarta-feira (14) um evento internacional de gastronomia e hotelaria, o Sirha. O encontro será realizado pela primeira vez na América Latina e irá reunir 93 expositores. Com a expectativa de receber mais de 10 mil visitantes, o objetivo do evento é levar solução e inspiração para os profissionais do serviço de alimentação.

O diretor comercial do Sarha, Rubens Slaviski, afirmou que o evento escolheu o Rio como a primeira sede na América Latina porque é uma cidade que lança tendências. De acordo com ele, o Rio é um polo criador em diversas áreas.

"O Sirha é um evento que acontece na França já há 30 anos, o maior evento de gastronomia do mundo e ele tem algumas duplicações em cidades que lancem tendências em áreas gastronômicas. A gente escolheu o Rio de Janeiro porque é um polo lançador de tendências de todos os setores. Na moda, nos esportes e também na gastronomia o Rio lança tendência", afirmou Slaviski.

A exposição será realizada entre os dias 14 e 16 de outubro no Centro de Convenções Sul América, no Centro do Rio. O público pode encontrar stands de food trucks, exposição de marcas dos setores alimentício e hoteleiro, além de poder acompanhar uma competição que irá levar um chef brasileiro para uma competição internacional. O vencedor da etapa brasileira pode representar o Brasil na Copa do Mundo de lá Patisserie, que será realizada na França, em 2017.



Fonte: g1.globo.com
 
 
 Copom se reúne e deve manter de novo juro estável
Com alta do dólar e frouxidão fiscal, mercado já vê IPCA em 6% em 2016.
Assim, expectativa se distancia da meta central de 4,5% do ano que vem.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne nesta quarta-feira (21) e deve manter novamente os juros básicos da economia em 14,25% ao ano - permanecendo assim no maior patamar em nove anos. Em setembro, na reunião anterior do Comitê, os juros já tinham ficado inalterados.
A expectativa é da maior parte dos analistas do mercado financeiro e tem por base indicações da própria autoridade monetária. Na semana passada, em evento do Fundo Monetário Internacional (FMI), no Peru, o presidente do BC, Alexandre Tombini, voltou a dizer que a estratégia da instituição, para a taxa de juros, é de manter o atual nível "por um período suficientemente prolongado" de tempo.

Ao subir os juros ou mantê-los elevados, o Banco Central tenta controlar o crédito e o consumo, atuando assim para segurar a inflação, que tem mostrado resistência neste ano por conta da alta do dólar (que encarece insumos e produtos importados) e dos preços administrados - como telefonia, água, energia, combustíveis e tarifas de ônibus, entre outros.
Por outro lado, ao tornar o crédito e o investimento mais caros, os juros altos prejudicam o nível de atividade da economia brasileira e, também, a geração de empregos. Para este ano, o mercado prevê uma retração do PIB de 3% e, para 2016, de 1,22%. Se confirmado esse cenário, será a primeira vez, desde 1948, o país registra dois anos seguidos de contração na economia.
Sistema de metas e objetivo de 4,5% em 2016
Pelo sistema de metas de inflação vigente na economia brasileira, o BC tem de calibrar os juros para atingir objetivos pré-determinados. Para 2015 e 2016, a meta central de inflação é de 4,5%, mas o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que serve de referência, pode oscilar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida.
Para este ano, a previsão do próprio Banco Central, porém, é de uma inflação de 9,5%. Os analistas do mercado acreditam que o IPCA deverá somar 9,75%. Com isso, a inflação deverá superar o teto do sistema de metas em 2015, algo que não acontece desde 2003.

O Banco Central tem dito, entretanto, que a inflação convergirá para a meta central de 4,5% em 2016. Essa foi a principal promessa do presidente do BC, Alexandre Tombini, após ser confirmado no cargo para a segunda gestão da presidente Dilma Rousseff. O compromisso foi assumido ainda no fim do ano passado e reafirmado várias vezes no decorrer de 2015.
Para economistas, a alta da inflação penaliza, principalmente, os mais pobres. Em documentos oficiais, o próprio BC avalia que taxas de inflação elevadas "subtraem o poder de compra de salários e de transferências, com repercussões negativas sobre a confiança e o consumo das famílias" e "reduzem o potencial de crescimento da economia, bem como de geração de empregos e de renda".
'Deterioração' do cenário para 2016
Apesar da recessão na economia e do aumento do desemprego, fatores que atuam para conter a alta dos preços, a inflação ainda segue pressionada pelas tarifas públicas e pela alta do dólar - que soma cerca de 45% em 2015.
Além disso, a queda na previsão de superávit primário, a economia feita para pagar juros da dívida pública, em 2015 e 2016, também torna mais difícil a tarefa do Banco Central de tentar conter as pressões inflacionárias. Em julho, o governo baixou a meta fiscal deste ano, de 1,2% do PIB, para apenas 0,15% do PIB, ou R$ 8,7 bilhões, e revisou o objetivo de 2016 de um superávit de 2% do PIB para 0,7% do PIB.
Nesta semana, o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, admitiu que o governo deverá revisar novamente para baixo a meta fiscal de 2015 - algo que o mercado financeiro já dava como certo.
Segundo o blog do Camarotti, os ministros da junta orçamentária falam de um déficit de R$ 20 bilhões neste ano, mas o valor pode ser até maior - o que dificultaria a obtenção, também, da meta de 2016. Para o próximo ano, o governo se apoia na CPMF para tentar reequilibrar as contas, o que analistas consideram difícil de passar pelo Congresso Nacional.
Essa deterioração do cenário, com dólar pressionado e metas fiscais menores, já tem gerado impacto nas projeções do mercado para a inflação de 2016 e também para 2017. Até o início de agosto, os economistas dos bancos, ouvidos pelo BC, previam um IPCA de 5,4% para 2016 e por volta de 4,6% para 2017. Desde então, as estimativas pioraram e as expectativas já saltaram para 6,12% para o próximo ano e para 5% em 2017.
'Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come'
Para o presidente da Lecca Financeira, Luis Eduardo da Costa Carvalho, o Banco Central está em situação difícil, porque a puxada nos juros, de 3,25 pontos percentuais de aumento entre o fim do ano passado e setembro de 2015, ainda não produziu efeitos plenos na inflação, mas já está acentuando a desaceleração da atividade econômica, o que também é ruim para as contas públicas porque gera menos arrecadação. "Eu acho que estamos diante de um quadro que se correr o bicho pega se ficar o bicho come", declarou.
Para ele, o Banco Central já tem perfeita consciência, neste momento, que não vai conseguir trazer inflação para meta (central de 4,5%) no fim do ano que vem como estava "sonhando". "Acho que já há hoje uma resignação geral de que a situação chegou em um ponto em que não tem mais muito o que fazer", avaliou. Segundo Costa Carvalho, há o risco, até mesmo, de o IPCA superar o teto de 6,5% em 2016 - como já vai acontecer neste ano.
"O Banco Central vai se restringir a tentar manter o câmbio [dólar] em um nível mais palatável, que é uma forma de tentar evitar que o preço do dólar alto impacte as importações e o custo de várias atividades", afirmou o economista. Em sua visão, o atual cenário econômico é o "pior de todos". "Você tem recessão junto com inflação alta e a política monetária [de definição dos juros] se mostrando incapaz de conter a inflação e agravando a recessão", declarou.
De acordo com ele, o que ajudaria a melhorar a situação seria a aprovação das medidas fiscais - de reequilíbrio das contas públicas, via aumento de tributos, como a CPMF, e contenção de gastos - pelo Congresso Nacional. "O processo foi tão longe que as ferramentas existentes pouco efeito produzem. Ou o ajuste fiscal vem por medidas aprovadas no Congresso ou não resta muito mais o que fazer via política monetária [alta dos juros para conter a inflação]", concluiu.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Tecnologia de 2015 superou invenções do filme De volta para o futuro II
Público de 1989 não podia imaginar que aparelhos como o smartphone integrariam cotidiano dos nossos tempos.

Quando Marty McFly e "Doc" Brown chegam ao ano de 2015 com a ajuda de uma máquina do tempo, direto de 1985, eles encontram um admirável mundo novo de carros voadores movidos a lixo, sapatos auto-amarráveis e garçons-robôs. Para o público em 1989, quando os CDs eram o mais recente lançamento tecnológico, a comédia de ficção científica De volta para o futuro II retratou um mundo excitante 30 anos à frente no qual as pessoas iriam voar em hoverboards que desafiam a gravidade, vestindo roupas autoajustáveis e que secam sozinhas, enquanto os cachorros eram levados para passear por um drone.

Lamentavelmente, muitos dos dispositivos previstos pelos roteiristas que enviaram a dupla excêntrica do filme - e seu carro DeLorean transformado em máquina do tempo - para o futuro, especificamente 21 de outubro de 2015, não se concretizaram.

No entanto, em muitos aspectos, o 2015 da realidade é ainda mais diferente do que os cineastas Robert Zemeckis e Bob Gale poderiam ter imaginado, dizem futuristas que estudam e projetam tendências. O que as pessoas podem fazer atualmente com os smartphones era quase inconcebível na época. 

"Suas capacidades atualmente, incluindo o acesso a todas as informações do planeta, teria certamente surpreendido até mesmo os mais futuristas de 30 anos atrás... que não imaginaram que um telefone poderia se tornar algo além de falar e escrever mensagens", declarou Ross Dawson, futurista baseado em Sydney.

"Na época em que o filme foi feito, as pessoas olhando para a realidade de hoje em dia a considerariam bastante impressionante", disse. Tecnologias que atualmente as pessoas não conseguem viver sem - como Google e Wikipedia, redes sociais como Facebook e Twitter, smartphones com GPS e sistemas de compras on-line - teriam sido difíceis de prever quando o filme foi lançado.

Mundo sem e-mail
No filme, Marty, interpretado por um jovem Michael J. Fox, recebe um aviso de demissão em casa por fax - uma tecnologia agora ultrapassada que parecia de ponta na década de 1980. A revolução da internet estava chegando e o mundo ainda não havia conhecido os e-mails. 

Em 1985, apenas um quarto das casas nos Estados Unidos possuía um forno micro-ondas, e os aparelhos de videocassete eram um dispositivo que todos queriam ter. Atualmente as pessoas podem comprar para suas casas uma impressora 3D na internet por algumas centenas de dólares, que pode produzir qualquer coisa, de uma arma que esguicha água a uma que atira balas.

As pessoas de 2015 podem fazer downloads de músicas e assistir a filmes em "streaming" - termos que nem mesmo existiam em 1985.
 
Hoje em dia é possível modificar o genoma humano para corrigir um problema no DNA que provoca uma doença, criar carne de hambúrguer a partir de células-tronco das vacas, e uma sonda-robô foi enviada a um cometa a centenas de milhões de quilômetros da Terra. 

"Os seres humanos se acostumaram muito rapidamente às inovações", disse Dawson, fundador da Future Exploration Network, que oferece serviços de planejamento de cenários.

Ainda assim, o filme acertou em alguns pontos. Existem telas planas, videochamadas, tablets e aplicativos com previsões meteorológicas. Embora ainda não esteja sendo plenamente usada, é possível contar com a tecnologia biométrica para pagar contas ou destravar portas através das impressões digitais, e óculos inteligentes semelhantes aos utilizados pelos filhos de Marty já estão a caminho.

Mais ciência que ficção
"Eles foram realmente muito visionários ao acertar em tantas coisas", declarou Thomas Frey, do DaVinci Institute, um think tank futurista. "Mostraram isso de uma maneira cômica, apatetada, na verdade, mas acho que eles fizeram um trabalho fenomenal na época ao antecipar coisas que devem ter parecido bastante ridículas na época". 

Algumas previsões estavam à frente do seu tempo. "Há trinta anos, a maioria dos futuristas apontariam uma chance de mais de 50% de existirem carros voadores em 2015, declarou o futurista independente Jack Uldrich por telefone a partir de Minneapolis. "Existem algumas empresas que estão trabalhando em carros voadores, mas o que elas não têm é a decolagem (vertical)", como demonstrado pelo DeLorean de Doc.

Inovadores se inspiraram no filme: a empresa com sede na Califórnia Hendo está criando uma hoverboard que funciona com repulsão magnética. A fabricante de tênis Nike está trabalhando nos sapatos auto-amarráveis como os utilizados por Marty.

O que vem agora
A ficção científica influenciou os avanços científicos através das eras, mas a tarefa pode se tornar mais difícil à medida que o desenvolvimento tecnológico se acelera exponencialmente.

A série original Star trek (1966-1969), por exemplo, é um bom exemplo de antencipação do futuro através das mentes inventivas de seus redatores, pois em seus antigos episódios é possível ver os protótipos do celular, do disquete, do DVD, do tablet e do scanner. Será que os seres humanos se teletransportarão, viajarão no tempo, ou descobrirão o segredo da vida eterna em 2045? Quem sabe, dizem os especialistas. 

"Uma das coisas que poderíamos facilmente ver em 30 anos são... humanoides e outros robôs como uma parte completa do nosso ambiente", disse Dawson. Também é provável que "as pessoas utilizem seus pensamentos para controlar o mundo ao seu redor, até mesmo utilizando seus pensamentos para se comunicar diretamente com outras pessoas", afirma.

Dawson prevê um futuro não com carros voadores, por si só, e sim com casulos anto-conduzidos - uma alternativa mais barata e segura. Uma coisa que o filme errou fortemente: os advogados não foram abolidos. "Acho que um monte de gente gostaria que isso tivesse se tornado realidade", brincou Uldrich - mas então quem resolverá as disputas entre humanos e robôs no futuro?


Fonte: divirta-se.uai.com.br/
 
 
 Semana de Ciência e Tecnologia mostra relação entre luz e conhecimento humano
Com o tema Luz, ciência e vida, foi aberta oficialmente hoje (20), em Brasília, a 12ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. O evento, que vai até domingo (25), tem mais de 28 mil atividades previstas em 662 municípios de todo o país.

Segundo o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, o objetivo é popularizar a ciência e mostrar à sociedade sua importância no desenvolvimento do país e incentivar a atitude científica e a inovação.

Para a ministra Ciência Tecnologia e Inovação em exercício, Emilia Rodrigues, a semana representa um esforço conjunto do governo e de empresas com o objetivo de expandir o alcance do conhecimento científico no Brasil.

“Sabemos que o país passa por um momento de desafios. Temos toda a consciência de que superar as nossas dificuldades, no longo prazo, somente será possível por meio do desenvolvimento científico e tecnológico”, disse Emília.

A escolha do tema desta edição foi baseada em decisão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que proclamou 2015 como Ano Internacional da Luz, com objetivo de celebrar a luz como matéria da ciência e do desenvolvimento tecnológico.

Instituições de pesquisa, agências de fomento e organizações sociais compõem a programação nacional da semana, que reúne também palestras, debates, simpósios, minicursos, exposições e oficinas.

Exposição
Em Brasília, um dos destaques da semana é um espaço de 200 metros, em formato de planetário, onde são projetadas imagens da história da construção do conhecimento humano e a relação com a luz. “A gente pode ver aqui como a luz é importante para as nossas vidas e está presente em várias parte das ciências”, disse a estudante Natália Cunha.

Crianças e jovens podem aproveitar a feira para conhecer equipamentos usados por estudiosos, como a bobina de Tesla. “O equipamento é um transformador, que produz altas tensões elevadas sob elevadas frequências. Com a alta tensão, a bonina transforma o ar em condutor de eletricidade e faz esses raios”, explica o monitor Thiago Soares, de 19 anos.

Em outro estande, crianças e adolescentes desenham, com a ajuda de um ilustador, qual seria a cidade do futuro, com foco na sustentabilidade. “As crianças conseguem, com isso, ver as dificuldades que enfrentamos com o clima e os desafios do futuro”, afirmou a professora Janaína Batista.

No Distrito Federal, as atividades ocorrem no Pavilhão do Parque da Cidade, área central de Brasília. A programação completa está disponível no site da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.


Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br
 
 
 Gás é 50% mais econômico para carros em RJ e SP, indica estudo
Estudo sobre custo do GNV foi divulgado nesta terça pela Abegás.
Cálculo não leva em conta custo de instalação dos kits de gás natural.

Dirigir um carro movido a gás natural veicular (GNV) chega a ser 50% mais econômico em estados como São Paulo e Rio de Janeiro, em relação à gasolina e ao etanol, mostrou um estudo divulgado nesta terça-feira (20) pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás).

O cálculo foi feito em 19 estados onde os três combustíveis são distribuídos e leva em conta apenas o custo benefício do GNV nas bombas ao consumidor, e não o custo de instalação dos kits nos carros, que é de cerca de R$ 4 mil, de acordo com a Abegás.
Em pelo menos três estados do Sudeste, a gasolina ou etanol consomem mais que o dobro do GNV por quilômetro. Em São Paulo, um quilômetro com GNV custa R$ 0,15 contra R$ 0,31 da gasolina. No Rio e Espírito Santo, a vantagem é até maior: R$ 0,16 x R$ 0,35 e R$ 0,15 x R$ 0,32, respectivamente. A economia é de 51,61% em São Paulo, 54,28% no Rio e 53,12% no Espírito Santo.

Em comparação ao etanol, o GNV é 50% mais barato em São Paulo e 57,89% no Rio – em terras capixabas, é de 58,33%. Em Minas, os percentuais de economia com o GNV são de 45,45% ante a gasolina (R$ 0,18 x R$ 0,32) e de 43,75% ante o etanol (R$ 0,18 x R$ 0,32).


Economia mensal
A economia mensal pode variar de R$ 463 (em Santa Catarina) a R$ 480 (no Rio Grande do Sul), por exemplo, se o combustível de comparação for o etanol. No Paraná, o volume economizado seria de R$ 368 substituindo o etanol. Se utilizasse gasolina em vez de GNV, o motorista teria que desembolsar R$ 375 adicionais em Santa Catarina, R$ 371 no Rio Grande do Sul e R$ 378 no Paraná.

Na Bahia, por exemplo, é possível economizar R$ 423 (se o GNV for utilizado em vez da gasolina) e R$ 451 (em vez do etanol). Em Pernambuco, os números são de R$ 414 e R$ 438, respectivamente; no Sergipe, de R$ 404 e R$ 470, respectivamente.
Cálculo
Os dados levam em conta calculados pela Abegás de acordo com o consumo médio do Fiat Siena – veículo que traz no manual o consumo médio com GNV, gasolina e etanol – e com a média de preços dos três combustíveis de cada estado na segunda semana de outubro, conforme tabela da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), entre os dias 11 e 17 deste mês.
Para fazer o cálculo, a Abegás usou como referência o Fiat Siena, veículo que indica em seu manual o consumo médio com GNV, etanol e gasolina. Com GNV, o Siena rende 13,2 quilômetros por metro cúbico. Já a gasolina faz 10,7 quilômetros por litro e o etanol, 7,5 quilômetros por litro.
O levantamento traz dados dos seguintes estados: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.
O gás natural veicular é um combustível gasoso com propriedades químicas que substituem os combustíveis tradicionais para motores. As frotas de empresas estatais brasileiras foram as primeiras a aderir ao gás, mas foi após o Decreto nº 1.787 de 12 de janeiro de 1996, quando então foi liberado o seu uso em veículo particular, que o GNV se popularizou entre os motoristas brasileiros.



Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Prévia da inflação oficial tem maior índice para outubro desde 2002
Em setembro, IPCA-15 chegou a 0,39% e, em outubro, em 0,66%.
Gasolina, gás de cozinha e comida fora de casa pressionaram o indicador.

Os preços da gasolina, do botijão de gás e das refeições que os brasileiros fazem foram de casa aumentaram e puxaram a alta da prévia da inflação oficial, que avançou de 0,39% em setembro para 0,66% em outubro. Esse índice foi o mais elevado para um mês de outubro desde 2002, quando o IPCA-15 atingiu 0,90%.
Os números foram divulgados nesta quarta-feira (21) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No ano, a prévia da inflação oficial acumula alta de 8,49%. De acordo com a série histórica da pesquisa, é o maior resultado, considerando o período de janeiro a outubro, desde 2003. Naquele ano, o indicador ficou em 9,17%. Em 12 meses, o IPCA-15 chegou a 9,77%, bem acima do teto da meta de inflação do Banco Central, de 6,5%.

O resultado em 12 meses está acima do que previram os economistas do mercado financeiro no boletim Focus mais recente. Para 2015, a expectativa é de que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) feche o ano em 9,75%. Se confirmada a estimativa, representará o maior índice em 13 anos, ou seja, desde 2002 – quando somou 12,53%.

De setembro para outubro, o que mais pesou para que o índice avançasse foi o aumento de preços dos grupos de gastos relativos a habitação (de 0,68% para 1,15%), a transportes (de 0,78% para 0,80%) e a alimentação e bebidas (de -0,06% para 0,62%).
De acordo com o IBGE, entre todas as pressões sobre o IPCA-15, a maior foi a do botijão de gás, que ficou 10,22% mais caro em outubro. Esse aumento ainda ficou abaixo do reajuste máximo permitido pela Petrobras a partir de setembro.



Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Os realities culinários e as novas tendências da gastronomia
Um milhão seiscentos e sessenta e sete mil foi o número de tweets que a tela do “MasterChef Brasil” contabilizou assim que o último episódio do programa chegou ao fim, pouco depois da uma da manhã. O reality culinário se mostrou um fenômeno de mídia sem igual, com milhões de comentários nas redes sociais, memes compartilhados e notícias na imprensa. E é exatamente esse poder da influência social e digital que nos levanta uma nova questão: a necessidade das marcas e empresas adaptarem a publicidade ao que realmente atinge hoje as pessoas. Os métodos precisam ser reinventados constantemente para conquistar os clientes.
 
O sucesso que os programas estrangeiros como o norte-americano Chopped, os britânicos Hell´s Kitchen, Top Chef e Cake Boss fazem há alguns anos, traz com força para o nosso País essa influência. O programa da BAND contribuiu para consolidar os realities de gastronomia como uma forte tendência no Brasil. O SBT também já tem dois, a Globo um e o GNT estreou há pouco tempo o “Que seja doce”. A verdade é que a televisão está cheia de programas de culinária e gastronomia dos mais variados tipos. Desde os que ensinam receitas, até os reality shows competitivos, aos que mostram novas tendências gastronômicas.  Já ficou evidente que esse novo cenário é um ótimo outdoor para as propagandas de diversas marcas. Aquela tradição de publicar anúncios em grandes revistas e jornais está, cada dia mais, dando lugar à publicidade menos incisiva, em programas que estão em alta.
 
Toda essa visibilidade para a indústria alimentícia não é à toa. Muito se fala, discute e estuda sobre alimentação e tendências gastronômicas. Se antes os fast-foods como o Mc Donald´s eram os escolhidos como melhor opção para aquela refeição rápida e gostosa, hoje as pessoas estão, cada vez mais, adotando outros tipos de hábitos alimentares e tentando resgatar as formas de consumo mais naturais e saudáveis em busca de maior qualidade de vida.
 
Essa mudança de hábito fez com que o mercado de bares, restaurantes, lanchonetes e padarias adaptassem suas refeições para esse novo perfil. Não apenas nesse segmento, empresas de todos os tipos também precisam alinhar os processos de marketing e publicidade com consumidores mais exigentes em relação à qualidade do produto que consomem e ao envolvimento sustentável que a marca tem.
 
Um estudo realizado recentemente, o Brasil Foods Trends – 2020 revelou que a demanda por alimentos mais saudáveis é uma das maiores tendências para os próximos 10 anos. Os estabelecimentos que não acompanharem essas mudanças estarão fora do mercado em poucos anos. E mais do que isso, a disseminação do gourmet e dos pratos lindos e mirabolantes feitos em programas como o MasterChef fazem com que o consumidor queira ainda mais: receitas inovadoras, opções diferenciadas, estética na comida e praticidade e bons preços. Como fazer tudo isso?
 
 Entramos agora em uma outra tendência, influenciada por toda essa mudança no perfil dos consumidores e essa “gourmetização” dos alimentos tão assistida nos programas gastronômicos. Uma dica: Sabemos que comida de rua não é nenhuma novidade. Porém, uma reinvenção desse conceito se tornou uma febre em diversos locais no mundo e, mais recentemente, no Brasil também. 
 
É isso mesmo. O food truck é a nova tendência do mercado gastronômico. Com inovação na forma de vender e também nos pratos, os empreendedores e chefes de cozinha encontraram nesse negócio a oportunidade de ter o seu próprio empreendimento com um custo mais baixo, além de poder inovar nos pratos. A proposta dos restaurantes é justamente levar opções de comida gourmet para as ruas, lanches rápidos, mas não industrializados e pouco saudáveis como os fast-foods tradicionais conhecidos e ainda, com valores acessíveis.
 
Para se ter uma ideia, por causa do crescimento dessa demanda, uma oficina de São Paulo que transforma veículos normais em food trucks, teve um aumento de 150% em suas encomendas neste ano, com um faturamento em média de R$ 150 mil por mês. Sucesso em todo o mundo, as comidas vendidas pelos food trucks já até viraram programa de TV. No Brasil, o programa da GNT, Food Truck: A Batalha estreou há pouco tempo e já é recorde de audiência. 


Fonte: segs.com.br
 
 
 Jóquei brasileiro é campeão em esporte tradicional britânico
Silvestre de Sousa, do Maranhão, teve 132 vitórias na temporada de turfe. Rainha Elizabeth II é presença garantida nas famosas corridas.

Um brasileiro do Maranhão é o novo campeão de uma das competições mais tradicionais e charmosas do Reino Unido.

No país das tradições, essa é uma das mais antigas e um prazer declarado da Rainha Elizabeth II, que monta, cria e torce. A monarca é presença garantida nas famosas corridas de Ascot, onde as mulheres se enfeitam e os jóqueis se exibem.
No turfe britânico, os melhores atletas e seus cavalos, são tratados como semi-deuses. O esporte, que injeta quase 4 bilhões de libras na economia todos os anos, só perde pro futebol em números de espectadores. E existem até dois canais de televisão dedicados exclusivamente às corridas.
Nos últimos anos, os locutores ingleses tiveram que aprender um novo nome: Silvestre de Sousa. E agora o brasileiro levantou o troféu de campeão. Um reconhecimento às 132 vitórias na temporada - bem mais do que o segundo colocado, que só ganhou 96. A conquista foi comemorada ao lado de quem mais importa: o filho, a mulher e a mãe.
“É muito orgulho. Quando eu penso na minha carreira, da onde eu comecei pra onde eu estou hoje, é uma história muito longa”, diz o jóquei Silvestre de Sousa.
História que começou no Maranhão, ao lado de nove irmãos. Silvestre só foi montar o primeiro cavalo de corrida aos 17, em São Paulo. Logo depois, veio o convite para treinar na Europa. A língua foi uma barreira, o frio, também. Mas Silvestre gosta de superar obstáculos. E a saga do jóquei que prefere montar cavalos azarões está apenas começando.
“Nunca desista dos seus sonhos. Quem sonha tem capacidade de chegar a qualquer lugar. Talvez eu nunca sonhei tão grande que nem onde eu estou hoje. Mas eu sempre sonhei em ser alguém”, afirma Silvestre.


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Marcas de carro pegam carona com 'dia do filme' De volta para o futuro
Em propaganda, Ford anunciou que irá vender capacitor de fluxo.
Já Toyota, reuniu atores para falar das previsões para o 2015 da trama.


É evidente que o carro mais famoso de "De volta para o futuro" é o DeLorean DMC-12, usado pelo personagem Martin McFly para viajar pelo tempo.
Se a montadora americana fechou as portas há quase três decadas, outras marcas aproveitaram a data em que McFly desembarca em "De volta para o futuro 2", 21 de outubro de 2015, e criaram ações homenageando o filme.

Toyota
A Toyota convocou os atores Michael J. Fox (Martin)  e Christopher Lloyd (Dr. Brown), protagonistas do filme, para comentar as previsões do filme que se passa em 1985, para o, na época, longínquo ano de 2015.
Na conversa, em uma lanchonete, eles comentam sobre filmes 3D, uma realidade nos dias de hoje, e sobre trocar mensagens por meio de aparelhos de fax, aparelho já ultrapassado. Em outro vídeo, a montadora japonesa anunciou que irá anunciar uma novidade na data.
Já a marca de luxo do grupo, a Lexus, apesar de não ter relacionado sua criação ao filme, desenvolveu um skate voador, chamado de Hoverboard. Um equipamento similar foi mostrado no filme, como algo comum em 2015.
O skate, que é construído com blocos supercondutores, é apenas um protótipo, e não deve ser comercializado.

Mercedes-Benz
Outra montadora sem relação com o filme, a Mercedes-Benz criou uma série de filmetes para promover o conceito de veículo autônomo F 015. São três vídeos, que mostram algumas previsões do filme para este ano: robôs que passeiam com cães, a trilha de fogo em que o DeLorean chega ao futuro e o skate voador.
Em todos, o F 015 aparece como parte comum da cena, que sempre termina com os créditos da marca alemã agradecendo do Dr. Brown pela inspiração aos engenheiros da montadora.

Ford
A Ford, conterrânea da extinta DeLorean, criou um vídeo no YouTube, no qual anuncia um novo "acessório" para os modelos Fiesta e Focus. Trata-se de um capacitor de fluxo, o mesmo equipamento que faz com que o DMC-12 viaje no tempo.
No vídeo, a marca ainda faz algumas referências ao filme. Uma delas, é a necessidade de 1,21 gigawatts para que o aparelho funcione. A outra, é que, para que a viagem seja completada, o veículo precisa estar a 88 milhas por hora (141 kn/h). Tudo exatamente como em 'De volta para o futuro'.
A propaganda ainda adverte aos possíveis compradores, de que o capacitor deve ser utilizado apenas com fins recreativos, e que, interferir em eventos históricos importantes é ilegal e pode trazer consequências inesperadas para toda a humanidade.


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Incentivo para o esporte paralímpico
Acontece até Domingo, 25, a Copa CAIXA Loterias de Futebol de 5 - Série A, no Rio de Janeiro. Diversas equipes estaduais estão disputando a principal competição brasileira da modalidade, entre elas, a Associação Gaúcha de Futsal para Cegos - AGAFUC/RS, que tem no seu time o medalhista de ouro, Emerson de Carvalho (foto). O paratleta, que é patrocinado pela marca Furukawa, é um exemplo de perseverança.

Com sua história de vida, Emerson, que já fez parte da equipe que conquistou o tricampeonato brasileiro nas Paralimpíadas de Londres/2012 e conquistou as taças da Copa Cidade de Saitama e do Torneio de Yokohama, no Japão em 2013, objetiva servir de motivação para outras pessoas com necessidades especiais para que se envolvam com a prática esportiva. 

"Sempre sonhei com uma medalha olímpica e este sonho foi realizado. Temos que perseverar e nunca desistir, mesmo enfrentando momentos muito difíceis", diz o paratleta. “Com meu exemplo busco motivar outras pessoas como eu a encontrar no esporte de alto nível mais alegria de viver, fazendo novos amigos e abrindo cada vez mais portas para as grandes oportunidades”, acrescenta ele.

Emerson destaca que, sem o apoio de patrocinadores que contribuem desde o período de preparação para as competições, seria difícil a sua permanência no esporte de alto rendimento. Por isso, ele pede que as empresas, a exemplo da Furukawa, invistam mais em paratletas. “O esporte para nós é mais que o simples competir, é o modo mais incrível de podermos estar incluídos socialmente”, finaliza.

SERVIÇO: 
Para saber mais sobre a Copa CAIXA Loterias de Futebol de 5 - Série A, acesse: http://cbdv.org.br/evento/copa-caixa-loterias-de-futebol-de-5-serie-0


Fonte: noticias.r7.com/
 
 
 Ministério da Saúde começa a distribuir medicamentos para hepatite C
A nova terapia vai beneficiar cerca de 30 mil pacientes. O Ministério da Saúde já enviou os medicamentos ao DF e os demais estados deverão receber em novembro

O Ministério da Saúde começa a distribuir dois novos medicamentos para hepatite C, o sofosbuvir e daclatasvir. A nova terapia, que será ofertada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), aumenta as chances de cura e diminui o tempo de tratamento aos pacientes com hepatite C. Os medicamentos já foram enviados ao Distrito Federal e, a partir do próximo mês, começam a chegar ao restante dos estados.

Os dois medicamentos atendem a cerca de 80% das pacientes que farão uso da nova terapia, composta também pelo Simeprevir, cuja distribuição, pelo Ministério da Saúde, está prevista para o mês de dezembro. Ao todo, 30 mil pessoas serão beneficiadas com o novo tratamento, no período de um ano.

“Todos os brasileiro que preencham os requisitos para ter acesso ao novo tratamento receberam os medicamentos. Este é um momento histórico para a saúde pública brasileira que passa a ofertar um tratamento revolucionário e inovador. Estamos fazendo um grande esforço para assegurar este benefício”, afirmou o ministro da Saúde, Marcelo Castro.

O investimento total para a oferta dos três medicamentos no SUS é de quase R$ 1 bilhão. O Ministério da Saúde conseguiu negociar os preços dos medicamentos com as indústrias farmacêuticas, com descontos de mais de 90% em relação aos preços de mercado. O custo para o tratamento integral, que leva em média de 12 semanas, é de cerca de US$ 9 mil.

“A chegada dos novos medicamentos para a hepatite C demonstra o esforço do Ministério da Saúde em oferecer um tratamento inovador, com expectativa de mais de 90% de chance de cura. São pacientes que convivem com as consequências graves da doença, como o câncer, a cirrose hepática e que muitas vezes pode levar o pacientes a necessidade de um transplante”, avaliou o ministro.

Além de anunciar o cronograma de distribuição do novo tratamento, o ministro da Saúde, Marcelo Castro, entregou, nesta terça-feira (20), os frascos dos medicamentos à primeira paciente beneficiada com a nova terapia. A paciente Helenisar Campos Cabral Salomão é moradora do Distrito Federal.

“A nova terapia já está disponível no Distrito Federal e está sendo enviada para todos os estados do país. Caberá às secretarias estaduais de saúde a distribuição dos medicamentos aos municípios. A expectativa é que esse encaminhamento leve cerca de 15 dias. Assim, esperamos que no início de novembro os pacientes estejam recebendo os medicamentos em todo o país”, infomou o secretário de Vigilância em Saúde (SVS), Antônio Nardi.

NOVO EXAME – O Ministério da Saúde também incorporou, recentemente no SUS, um novo exame para avaliar o grau de comprometimento do fígado dos pacientes com hepatite C. A Elastografia Hepática Ultrassônica irá facilitar o diagnóstico aos pacientes que irão utilizar estes novos medicamentos. O exame é seguro, eficaz e efetivo para a definição do estágio da fibrose hepática, quando comparada à biópsia hepática que é o atual padrão de diagnóstico. Este exame possui níveis de sensibilidade e especificidade significativas, com a vantagem de ser um indolor e não invasivo.

INDICAÇÃO DO TRATAMENTO - As novas medicações vão beneficiar pacientes que não podiam receber os tratamentos ofertados anteriormente, entre eles os portadores de coinfecção com o HIV, cirrose descompensada, pré e pós-transplante e pacientes com má resposta à terapia com Interferon, ou que não se curaram com tratamento anterior. A meta é ampliar a assistência às hepatites virais, minimizando as restrições impostas pelo tratamento anterior. A nova terapia garante ao paciente mais conforto e qualidade.

O diretor do Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita, lembrou que o novo tratamento já estava previsto no novo protocolo para as hepatites, lançado em julho deste ano: “O protocolo prevê que os novos medicamentos sejam disponibilizados aos pacientes com co-infecção HIV/Hepatite C, aos pós-transplantados de fígados e outros órgãos e outras indicações específicas. Isso irá possibilitar que possamos dobrar o número de pacientes atualmente em tratamento”, ressaltou o diretor.

O tratamento oferecido, desde 2012, é o composto por dois esquemas terapêuticos, as terapias dupla e tripla com o Interferon Peguilado, que é injetável e combinado com outros medicamentos. O tratamento tem duração de 48 semanas.

“Nesse primeiro momento, temos cadastrados cerca de 11 mil pacientes que receberão de imediato os medicamentos. A previsão é que esse número chegue a 30 mil pacientes nos próximos doze meses”,  avaliou Fábio Mesquita.

O SUS garante o acesso aos medicamentos de combate à doença para todos os pacientes diagnosticados e com indicação de tratamento medicamentoso. Vale ressaltar que, nem todas as pessoas que contraíram o vírus, precisam ser medicadas, sendo uma recomendação estabelecida por protocolo e avaliação médica.

SITUAÇÃO DA DOENÇA - Em 13 anos de assistência à doença no SUS, foram notificados e confirmados 120 mil casos, e realizados mais de 100 mil tratamentos. Atualmente são 10 mil casos notificados ao ano. Estima-se que a tipo C seja a responsável por 350 e 700 mil mortes por ano no mundo. No Brasil, são registrados cerca de três mil mortes por associadas à hepatite C.

Desde 2011, o país também distribui testes rápidos para a hepatite C. Naquele ano, foram distribuídos 15 mil testes, sendo que em 2014 o número saltou para 1,4 milhão. Este ano, está prevista uma compra de 3 milhões de testes, que serão distribuídos nos próximos anos.

Sem diagnóstico até 1993, a hepatite C, como a hepatite B, é uma doença de poucos sintomas. As formas mais comuns foram a transfusão de sangue e infecção hospitalar na década de 80, sendo outras formas de transmissão são o compartilhamento de objetos de uso pessoal e para uso de drogas. A transmissão sexual ainda é um tema muito debatido por pesquisadores de todo o mundo.

Fonte: Ministério da Saúde  /  alagoas24horas.com.br
 
 
 Ciclistas de Ribeirão Preto vencem etapa da Copa São Paulo e se aproximam do título
A etapa de Gavião Peixoto da Copa São Paulo de Ciclismo aproximou ainda mais os ciclistas João Henrique Scaranti e Gabriela Martins, da Equipe de Ribeirão Preto do título da temporada. Liderando as categorias juvenil feminina (até 16 anos) e infanto-juvenil masculino (até 14 anos), a dupla não decepcionou e venceu mais uma prova do campeonato. Com o resultado, Scaranti soma sua sexta medalha de ouro no ano, enquanto Gabriela chega a sua quarta.

“Eles estão cada vez mais próximos de serem campeões. É claro que temos que manter o foco para as outras etapas, mas as chances de títulos são enormes. A Gabriela, inclusive, vai para o tricampeonato consecutivo”, disse o técnico das categorias de base da Equipe de Ciclismo de Ribeirão Preto, Fernando Bassanezi.

Ainda na prova de Gavião Peixoto, a Equipe de Ribeirão Preto subiu ao pódio mais quatro vezes. Na categoria júnior masculino (até 18 anos), o quarto lugar foi de Filipe Tetslaff e o quinto de Vítor Tavares. Já na juvenil masculino (até 16 anos), João Pedro Rossi ficou com o bronze e Luiz Guilherme Tempesta conquistou a quarta posição.

“Nossos atletas foram guerreiros. Conseguiram superar um circuito muito duro, que tinha uma subida de 12% de inclinação, além do forte calor que fez na cidade. Eles nos ajudaram a somar mais pontos no ranking geral da Copa”, afirma Bassanezi. A penúltima etapa da Copa São Paulo acontece no próximo domingo (25), em Brodowski. A largada está prevista para as 9h, na Avenida Rebouças.


Fonte: Prefeitura de Ribeirão Preto
 
 
 Poupatempo Ribeirão Preto auxilia na inscrição para cursos técnicos
Alunos da Etec farão o atendimento, além de divulgarem cursos da instituição e tirarem dúvidas sobre o programa Acessa SP e e-poupatempo

Com o objetivo de auxiliar jovens na matrícula para cursos técnicos, o Poupatempo Ribeirão Preto recebe até sábado (24) uma equipe da Etec (Escola Técnica Estadual) José Martimiano da Silva, que estará à disposição dos interessados para auxiliar no preenchimento de formulários e da ficha de inscrição.

Além disso, os representantes irão divulgar os cursos da instituição e tirar dúvidas dos interessados nos programas Acessa SP (internet gratuita) e no e-poupatempo (serviços públicos on-line), disponibilizados pelo programa Poupatempo.

SERVIÇO
Auxílio na inscrição de cursos técnicos, ajuda no preenchimento de formulários e da ficha de inscrição - no Poupatempo Ribeirão Preto
Serviço disponibilizado até sábado (24) por alunos da Etec  
Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h, e aos sábados, das 9h às 15h
Endereço: Avenida Presidente Kennedy, 1500 – Ribeirão Preto


Fonte: saopaulo.sp.gov.br
 
 
 Ferramenta digital facilita o acesso a pontos turísticos de Ribeirão Preto
Considerada Capital do Agronegócio, Ribeirão Preto recebe a cada ano grandes eventos nos mais diversos segmentos. Saúde, tecnologia e entretenimento são alguns dos atrativos que reúnem anualmente milhares de pessoas no município. Para garantir suporte aos turistas, a Secretaria Municipal de Turismo, tem realizado diversas ações, como a implantação de placas e totens de orientação na cidade e parques públicos, além da criação do guia digital, que traz informações dos principais pontos turísticos do município.

A ferramenta, disponibilizada no mês de julho, pode ser acessada por computador -www.ribeiraoturismo.pmrp.com.br - celular, notebook, iPhone e também pode ser baixada como aplicativo pelo sistema Android. Tótens também foram instalados no Palácio Rio Branco, sede da Prefeitura, Cava do Bosque, Centro Cultural Palace e Secretaria da Fazenda.

A ferramenta traz informações de cada ponto turístico, descrição, endereço, telefone, dia e horário de visitação. No guia estão inseridos os roteiros gastronômico, cultural, parques, compras, esportivo, religioso e roteiro 4C, que inclui café, chope, cerveja e cachaça.

O processo de download é simples e totalmente gratuito. Basta uma conexão com a internet, via Wi-Fi ou 3G.

Confira o passo a passo de sua instalação:

1 - Em seu celular abra um leitor de QR Code de sua preferência.

2 - Em seguida, posicione a câmera no QR Code, que te direcionará até a página do download.

Código que direciona até o download (http://ribeiraoturismo.pmrp.com.br/contato).

3 - Aparecerá na tela de seu celular uma permissão para a realização do download, aceite-a e pronto, o Guia Digital começará a ser instalado em seu celular.

4 - Depois disso, o aplicativo já estará disponível na tela inicial de seu celular.



Fonte: Prefeitura de Ribeirão Preto
 
 
 Ribeirão Preto recebe Villa Mix Festival em sua segunda edição
Conhecida como a ‘Califórnia Brasileira’ por estar no centro de uma das regiões mais prósperas do Estado de São Paulo, Ribeirão Preto se prepara para receber a segunda edição do Villa Mix Festival no dia 24 de outubro, no Parque de Exposições, com abertura dos portões às 15h e mais de oito horas de muita música boa ao vivo.
No casting, artistas que estão estourados por todo o Brasil e pelo mundo: os anfitriões Jorge & Mateus, a rainha do axé, Ivete Sangalo, os irmãos goianos Matheus & Kauan, o jovem e promissor cantor que venceu o quadro ‘Iluminados’ do programa do Faustão, Jefferson Moraes, a dupla Humberto & Ronaldo, o sertanejo universitário de Campo Grande, Bruninho & Davi, os renomados e talentosos, Bruno & Marrone e, claro, muita agitação dos DJs Alok e da Larissa Lahw.

O Villa Mix Festival é considerado um dos maiores e mais conceituados eventos do país e vem se consagrando ainda mais a cada evento, inclusive, na edição de Goiânia em 2015, entrou para o GUINNESS WORLD RECORDS como a maior estrutura de palco do mundo, marca essa que era da banda U2.
Em Ribeirão Preto, a festa conta com quatro setores: Villa VIP, Villa Extra, Villa Prime – todos com praça de alimentação e open bar de água, cerveja e refrigerante; Prime com diferencial de open bar de Whisky; e o setor Backstage Golden Mix, contendo todos os itens anteriores, mais energético, Whisky 12 anos, Espumante, Vodka Premium e Buffet de pratos quentes. Lembrando que a classificação é de 18 anos e obrigatória apresentação de documento oficial com foto para entrar no evento.
Os ingressos podem ser adquiridos através do site www.ticmix.com e os preços podem variar de acordo com os setores.



Fonte: folhageral.com
 
 
 Parques de Ribeirão Preto estendem horário de funcionamento até fevereiro
Espaços passam a funcionar de segunda-feira a domingo, das 6h às 22h.
Parque Tom Jobim, na zona norte, é único que fica aberto 24 horas por dia.

Três parques públicos de Ribeirão Preto (SP) ficarão abertos por mais tempo durante o horário de verão, válido em dez estados brasileiros até 21 de fevereiro do próximo ano. O objetivo da medida é que os moradores possam se exercitar e desfrutar dos espaços durante às noites.
Com exceção do Parque Tom Jobim, que funciona 24 horas por dia, gratuitamente, os parques Doutor Luiz Carlos Raya, Maurílio Biagi e Prefeito Luiz Roberto Jábali, o Curupira, passam a funcionar de segunda a domingo, das 6h às 22h.
Fechado há dois anos, após um deslizamento de pedras, o Parque Roberto de Melo Genaro, entre as avenidas Caramuru e Santa Luzia, permanece interditado. Já o Parque Morro do São Bento, na Avenida Capitão Salomão, continua funcionando apenas de quarta-feira a domingo, das 9h às 15h.
Confira os endereços dos parques com horário diferenciado:
- Parque Doutor Luiz Carlos Raya: Rua Severino Amaro dos Santos, bairro Jardim Botânico;
- Parque Maurílio Biagi: Rua Felipe Camarão, bairro Vila Virgínia (ao lado da rodoviária);
- Parque Prefeito Luiz Roberto Jábali: Avenida Costábile Romano, bairro Ribeirânia.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Presidente da Samsung é de novo o acionista mais rico da Coreia do Sul
Lee Kun-hee acumula títulos no valor de US$ 10,1 bilhões.
Aos 73 anos, está internado após infarto no dia 10 de maio de 2014.

O presidente da Samsung Electronics, Lee Kun-hee, hospitalizado por causa de um infarto desde maio do ano passado, voltou a ser em 2015 o acionista mais rico da Coreia do Sul, segundo os dados publicados nesta segunda-feira (19) por uma companhia de análise financeira.
Lee acumula títulos no valor de cerca de 11,48 trilhões de wons (US$ 10,130 bilhões), o que representa 13,6% mais que o ano passado e lhe mantém à frente da lista anual elaborada pelo site analista de mercado "Chaebul.com".
O magnata do gigante tecnológico sul-coreano é seguido de perto pelo presidente da multinacional de cosmética AmorePacific, Suh Kyung-bae, que possui 9,67 trilhões de wons em ações (US$ 8,619 bilhões), 47,5% mais que em 2014.
Lee, de 73 anos e considerado o máximo diretor do Grupo Samsung além de presidente do ramo de eletrônica, sofreu um infarto no dia 10 de maio de 2014 e foi hospitalizado para receber um tratamento de reanimação cardiopulmonar.
Seu único filho homem, Lee Jae-yong (também conhecido como Jay-yong), de 47 anos, assumiu o grupo e desde então os rumores sobre uma substituição definitiva foram constantes nos meios de imprensa sul-coreanos.
Jae-yong ocupa, além disso, o terceiro posto na lista dos acionistas mais ricos da Coreia do Sul, com 8,66 trilhões de wons (US$ 7,591 bilhões), o que representa um aumento de 145,3% em comparação com o ano passado.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Na Suécia, Dilma defende a CPMF e afirma que Levy continua no cargo
Na Suécia, Dilma defende a CPMF e afirma que Levy continua no cargo
Segundo a presidente, volta do tributo irá 'estabilizar as contas públicas'.
Ela disse que saída de ministro da Fazenda não chegou a ser discutida.

A presidente Dilma Rousseff afirmou neste domingo (18) que a volta da CPMF é "crucial para o país voltar a crescer" e para reequilibrar as contas públicas do país. Ela também rebateu as críticas do presidente do PT, Rui Falcão, que defendeu a saída do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e disse que ele continua no cargo.
"O Brasil precisa aprovar a CPMF para que a gente tenha um ano de 2016 estável, do ponto de vista do reequilíbrio de nossas finanças", afirmou a presidente. "Nós acreditamos que a CPMF é crucial para o país voltar a crescer", completou depois.
"Estabilizar as contas públicas para quê? Para que o país volte a crescer, para que se perceba que o Brasil tem uma solidez fiscal que vai permitir que nós… Sem a CPMF isso é muito difícil, não vou dizer assim é ‘impossível’. Vou te dizer o seguinte: está no grau de dificuldade máximo. A CPMF é crucial para o país", disse.

Sobre a permanência de Levy no governo, Dilma disse que a opinião do presidente do PT não era a do governo. Em entrevista publicada na edição deste domingo do jornal "Folha de S. Paulo", Falcão defendeu que haja uma mudança na política econômica ou a eventual substituição de Levy, caso ele não siga a orientação de Dilma na área. A sexta-feira (16) foi um dia de fortes rumores sobre a permanência dele no cargo, com reflextos até nos mercados.
"Eu acho que o presidente do PT pode ter a opinião que ele quiser. Não é a opinião do governo. Então, a gente respeita a opinião do presidente do PT, até porque ele é o presidente do partido que integra a base aliada, do partido mais importante, mas isso não significa que ela seja a opinião do governo", disse também a presidente.

Questionada sobre uma reunião com o ministro na última sexta, Dilma negou que uma eventual saída dele do cargo tenha sido discutida. "Não tocou-se nesse assunto. Não tinha nenhuma insatisfação dele, até porque essa entrevista [de Rui Falcão] não tinha ocorrido", afirmou.

A presidente também reclamou das especulações sobre a saída de Levy da Fazenda. "Eu não sei como é que sai essas informações. Agora, elas são muito danosas, porque de repente aparece uma informação que não é verdadeira", disse.
Os rumores ganharam força após críticas públicas, nos últimos dias, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que sustentou que o governo deveria abandonar de forma imediata o ajuste fiscal em implementação pela equipe de Levy.

Em outra parte da entrevista, quando voltou a ser questionada sobre Levy, Dilma reiterou que o ministro não está de saída nem que discutiu o assunto numa reunião na sexta.
"Ele não está saindo do governo. Ponto! Eu não toco mais nesse assunto. Me desculpa, qualquer coisa além disso está ficando especulativo. Me desculpa, especulativo. Vocês não farão especulação a respeito do ministro da Fazenda comigo. Não vão fazer. É essa a minha fala final. A partir de agora, não vou mais responder a respeito do ministro Levy. Isso é fantástico! A política econômica dele. Se ele fica, é porque nós concordamos com ela", disse.

Ela afirmou que durante a reunião, foram discutidos "os próximos passos" e a estratégia do governo para aprovar as principais medidas do ajuste fiscal. Além da CPMF, a presidente também destacou a "DRU", sigla para Desvinculação das Receitas da União, mecanismo que dá ao governo liberdade para usar livremente 20% do que arrecada de parte dos impostos.

Dilma afirmou que um dos fatores que levaram ao atual momento de "dificuldade" na economia foi a "desoneração para além do que era desejável", em referência à diminuição de tributos para setores da economia em seu primeiro mandato. Ela disse que "ninguém contava" com a desaceleração da China "nessa proporção" e que não havia como prever a diminuição no preço das commodities.
Crise política
Questionada sobre a crise política no país, ela negou que o governo tenha feito qualquer acordo com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e disse que o acordo dele era com a oposição.
Nos últimos dias, segundo o Blog do Camarotti, com o agravamento das denúncias contra ele, Cunha tem ensaiado uma aproximação com o governo para discutir a possibilidade de ter o seu mandato poupado no processo que responderá no colegiado por suposta quebra de decoro parlamentar. Até então, a estratégia do peemedebista era, respaldado pela oposição, pressionar o governo com a abertura de um processo de impeachment.
Ao comentar as provas da existência de contas na Suíça contra Eduardo Cunha, a presidente afirmou que "lamenta que seja um brasileiro".


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Greve dos bancários completa 11 dias e fecha mais de 12 mil agências
Número total de agências fechadas chega a 12.277 em todo o país.
Canais alternativos estão disponíveis para várias operações, diz Febraban.

No 11º dia de greve dos bancários no país, o número de agências fechadas no país subiu para 12.277, além de 44 centros administrativos, segundo balanço divulgado nesta sexta-feira (16) pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). O número representa aumento de 549 agências em relação ao dia anterior de greve.
De acordo com o Banco Central, o país tem 22.975 agências instaladas no país.
Segundo a Contraf-CUT, não há previsão para a retomada das negociações que possam chegar a um acordo para o fim da greve.
A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), por sua vez, diz que aguarda nova proposta dos bancários para que possa prosseguir nas negociações que resultem em acordo.
Os bancos não fazem levantamentos sobre o impacto da paralisação das agências, mas destacam que as instituições oferecem diversos canais alternativos para a realização de transações financeiras.
De acordo com a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), os clientes poderão fazer saques, transferências e outras operações por canais alternativos de atendimento, como caixas eletrônicos, internet banking, aplicativos no celular (mobile banking), telefone, além de casas lotéricas, agências dos Correios, redes de supermercados e outros estabelecimentos credenciados.
O que pede a categoria 
A greve foi iniciada no dia 6. Os bancários pedem reajuste salarial de 16%, com piso de R$ 3.299,66, e Participação nos Lucros e Resultado (PLR) de três salários mais R$ 7.246,82. A categoria também reivindica vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá de R$ 788 cada. A categoria também pede pagamento para graduação e pós, além de melhorias nas condições de trabalho e segurança.

A proposta apresentada pela Febraban, rejeitada em assembleias, oferece reajuste salarial de 5,5%, com piso entre R$ 1.321,26 e R$ 2.560,23. A Federação propôs ainda PLR pela regra de 90% do salário mais R$ 1.939,08, limitado a R$ 10.402,22 e parcela adicional (2,2% do lucro líquido dividido linearmente para todos, limitado a R$ 3.878,16).
Foram também propostos os seguintes benefícios: auxílio-refeição de R$ 27,43, auxílio-cesta alimentação e 13ª cesta de R$ 454,87,auxílio-creche/babá de R$ 323,84 a R$ 378,56, gratificação de compensador de cheques de R$ 147,11, qualificação profissional de R$ 1.294,49, entre outros. 

Greves em 2013 e em 2014
No ano passado, os bancários fizeram uma greve entre 30 de setembro e 06 de outubro. Os trabalhadores pediam em reivindicação inicial reajuste salarial de 12,5%, além de piso salarial de R$ 2.979,25, PLR de três salários mais parcela adicional de R$ 6.247 e 14º salário. A categoria também pedia aumento nos valores de benefícios como vale-refeição, auxílio-creche, gratificação de caixa, entre outros. A greve foi encerrada após proposta da Fenaban de reajuste de 8,5% nos salários e demais verbas salariais, de 9% nos pisos e 12,2% no vale-refeição.

Em 2013, os trabalhadores do setor promoveram uma greve de 23 dias, que foi encerrada após os bancos oferecerem reajuste de 8%, com ganho real de 1,82%. A duração da greve na época fez a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) pedir um acordo para o fim da paralisação, temendo perdas de até 30% nas vendas do varejo do início de outubro.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Produção de petróleo da Petrobras no Brasil em setembro cai 6,7%
Motivo apontado foi paradas programadas de grandes plataformas.
No acumulado do ano, produção tem crescimento de 4,5% ante 2014.

A produção de petróleo da Petrobras no Brasil em setembro caiu 6,7% ante agosto, para 2,06 milhões de barris por dia (bpd), devido, principalmente, a paradas programadas de grandes plataformas, com destaque à parada da plataforma P-52, para manutenção, conforme comunicado divulgado nesta sexta-feira (16).
No acumulado do ano, a produção de óleo no Brasil atingiu média de 2,132 milhões de barris de petróleo por dia, um volume ainda acima da meta traçada pela companhia para 2015, de 2,125 milhões de barris/dia, o que seria um crescimento de 4,5% ante 2014.
A produção de óleo e gás natural operada pela Petrobras na camada pré-sal em setembro ficou na média de 1,028 milhão de barris de óleo equivalente por dia (boed). A empresa atingiu volume recorde de 1,12 milhão de boed no pré-sal em 15 de setembro.
No mesmo dia, a Petrobras extraiu um recorde de 901 mil bpd de petróleo em campos operados por ela no pré-sal.
A produção média de petróleo e gás natural da companhia no Brasil e no exterior em setembro foi de 2,72 milhões de boed, após um recorde histórico de 2,88 milhões de boed em agosto.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Veja o que vai rolar no SPFW Inverno 2016, que começa neste domingo, 18
A 40ª edição da semana de moda acontece até sexta-feira, 23, na Bienal, no Parque Ibirapuera. Confira detalhes da programação.

O São Paulo Fashion Week chega em sua 40ª edição e comemora 20 anos de muita moda e tendência. Para celebrar a temporada de inverno 2016, os desfiles voltam a acontecer no prédio da Bienal, no Parque Ibirapuera, cenário que já serviu de palco para as grandes estrelas do mundo fashion brilharem. O evento, que começa neste domingo, 18, e só termina no próxima sexta-feira, dia 23, promete muito agito.

Apesar de não ter Gisele Bündchen na passarela - ela fez o último desfile de sua carreira em abril, na edição de verão do SPFW -, 29 grifes apresentam suas coleções. Nos corredores, além de modelos e celebridades, haverá muita badalação. Uma marca de energético irá montar estúdio de tatuagem com Rico Fogaça, o tatuador queridinho dos famosos, para quem quiser levar uma recordação eterna na pele.
Pela primeira vez, fotos do britânico Miles Aldridge (irmão das modelos Lily e Ruby Aldridge) irão colorir as paredes de concreto da Bienal. Aos todo, são 50 imagens de cores saturadas e cenários surreais que retratam temas universais femininos. Confira o line-up e veja quais as atrações de cada dia. Separe o look e capriche no carão!

Domingo (18/10)
O estilista Alexandre Herchcovitch mostrará sua coleção na abertura do SPFW, na Prefeitura de São Paulo. O desfile está marcado para as 17h.
Segunda-feira (19/10)
Desfilam as marcas Animale, Uma por Raquel Davidowicz, Ronaldo Fraga e Lilly Sarti.
A atriz Sophie Charlotte, que está grávida de seu primeiro filho com o ator Daniel Oliveira, é presença confirmada no desfile da Animale, que também terá as atrizes Isabel Wilker e Priscila Sol na plateia. Aliás, a marca vai apostar na silhueta soft com o heavy: muitos casacos de lã e tricô. À noite, é a vez da grife francesa Chanel receber convidados vips um coquetel privé no Terraço Itália Para lançar a coleção de inverno 2016 no Brasil, a maison contará com a presença de sua fidèle Laura Neiva e show de Tiago Iorc para agitar a pista de dança.

Terça-feira (20/10)
É a vez dos desfiles das marcas Vitorino Campos, Iódice, GIG Couture, João Pimenta, PatBo e Ellus.
A atriz Camila Queiroz vai dar rasante no evento e participar do lançamento de uma marca de sorvete. Depois, a Angel da novela “Verdades Secretas” tem lugar na fila A da PatBo. Para fechar a noite, a top Carol Trentini desfilará com exclusividade para a Ellus, que também terá na catwalk a modelo Isis Bataglia, atual queridinha do estilista Ricardo Tisci, da Givenchy, e musa de Donatella Versace.

Quarta-feira (21/10)
Reinaldo Lourenço, Samuel Cirnansck, Apartamento 03, Coven e Hêlo Rocha apresentam suas coleções.
A atriz e modelo Jéssica Córes, a Lyris de “Verdades Secretas”, será uma das estrelas no desfile de alta-costura de Samuel Cirnansck, que buscou na transparência e na luz sua inspiração. Na fila A para ver cada detalhe da coleção e dar muita pinta no evento, famosas como Ana Paula Siebert, Juju Salimeni e a cantora sertaneja Thaeme Marioto. 

Quinta-feira (22/10)
É o dia dos desfiles de Lethicia Bronstein para Riachuelo, Glória Coelho, Fernanda Yamamoto, Juliana Jabour, Lolitta, Lino Villaventura e Osklen.
Estilista queridinha das it girls e das famosas, Lethicia Bronstein vai mostrar coleção de vestido, jeans e camisetas na Galeria Baró, na Barra Funda. A atriz e cantora Sophia Abrahão e as blogueiras Camila Coelho e Thássia Naves já deram o R.S.V.P.

Sexta-feira (23/10)
É a vez das grifes Giuliana Romanno, Patrícia Viera, Wagner Kallieno, Ratier, Colcci e Amapô.
A atriz Paloma Bernardi, que está de férias em Fernando de Noronha, desembarca no último dia do evento para lançar sua coleção cápsula de sapatos e bolsas em parceria com a marca de Fellipe Krein. O evento será na loja do estilista no Shopping Anália Franco. O estilista Wagner Kallieno vai apresentar coleção bem street style. Com pegada punk rock dos anos 1980, os ombros pontuados e cintura marcada prometem ser os hits da estação. Estampas de boca, rosto de Vivienne Westwood e cartazes de banda serão os destaques da coleção. A única grife estreante do SPFW é a Ratier, criada em 2014 pelo DJ Renato Ratier. Ícone da noite paulistana, a marca apresentará coleção cosmopolita e com looks monocromáticos.

Fonte: ego.globo.com/
 
 
 Cidades brasileiras promovem Semana Nacional de Ciência e Tecnologia
A 12ª edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia começa hoje (19) e vai até o dia 25 em diversas cidades. O tema deste ano é Luz, Ciência e Vida e tem como base a decisão da Organização das Nações Unidas de proclamar 2015 o Ano Internacional da Luz. A ideia é destacar a importância da luz e das tecnologias ópticas no dia a dia do cidadão, assim como no futuro e no desenvolvimento das sociedades.

Coordenada pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, a semana conta com a colaboração de secretarias estaduais e municipais, agências de fomento, espaços científico-culturais, instituições de ensino e pesquisa, sociedades científicas, escolas, órgãos governamentais, empresas de base tecnológica e entidades da sociedade civil.

A proposta do evento consiste em aproximar a ciência e a tecnologia da população, promovendo atividades de divulgação científica em linguagem acessível e por meios inovadores, que estimulem a curiosidade e motivem a discussão das implicações sociais da ciência.

De acordo com o coordenador da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, Douglas Falcão, pelo menos 620 cidades já se cadastraram para receber atividades. A expectativa do governo é de que o número ultrapasse mil municípios, superando o total registrado no ano passado: 905 cidades.

Segundo Falcão, mais de 25 mil atividades já foram inscritas para o evento e a previsão é de que o número chegue a 120 mil ou mais, além de 2 mil instituições credenciadas. Em 2014, foram registradas 108 mil atividades inscritas e 924 instituições credenciadas.

“Gostaria de reforçar o convite para que a população em geral acesse o site da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, onde é possível encontrar a programação de todas as cidades. O evento não é só para professor e aluno. Qualquer pessoa curiosa gostará muito do que vai encontrar lá”, afirmou Falcão.


Fonte: ebc.com.br/
 
 
 Tecnologia a favor dos atletas brasileiros nas Olimpíadas 2016
Em uma Olimpíada, a comunicação é fator fundamental para que comissão técnica, atletas e organização otimizem seus trabalhos. Por isso mesmo, a utilização de tecnologia de ponta tornou-se uma das grandes preocupações do COB (Comitê Olímpico do Brasil) para garantir que todos os envolvidos nos jogos de 2016 possam trocar informações em tempo real, com a maior eficiência possível.

O COB conta, já há um ano, com o apoio da Cisco para prover soluções de comunicação e videoconferência (WebEx). Mas, agora, essa parceria deu mais um passo importante. A norte-americana está fornecendo para o Comitê uma estação de colaboração imersiva de última geração, primeira deste modelo a ser instalada no Brasil. a IX5000 possui três telas LCD de 70 polegadas, câmeras 4K de ultra definição e áudio com qualidade de cinema. Para o streaming em Full HD, é necessário uma conexão de 2 a 4 Mbps - nada extraordinário se comparado à realidade das bandas atuais.
Daqui, o Comitê poderá se conectar a outras 54 estações de vídeo colaboração, 30 câmeras HD de vídeo monitoramento, 200 vídeo fones, 25 switches de rede e cinco servidores, além de 200 pontos ligados ao WebEx e Jabber. As licenças, assim como todos os equipamentos, também foram cedidos pela Cisco para os próximos três anos, com possibilidade de renovação da parceria caso a empresa julgue que o COB esteja fazendo bom proveito da estrutura. 

“Estamos vivendo uma verdadeira revolução na gestão esportiva no país e o apoio de iniciativas como esta da Cisco contribui para atingirmos um patamar nunca antes alcançado em termos de organização das entidades esportivas. Estamos muito felizes em ter a oportunidade de utilizar equipamentos de alta qualidade fornecidos pela Cisco em prol do desenvolvimento do esporte nacional”, afirma o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman.
A sala de colaboração imersiva promoverá uma grande economia com custos de viagem - hoje, este orçamento está na casa dos 40 milhões de reais ao ano, que podem ser enxugados bastante com o uso da nova tecnologia cedida pela Cisco. "Essa economia pode representar o que investimos no Diego Hypólito e no César Cielo, por exemplo. É um dinheiro a mais para novos investimentos em atletas promissores", explica Marcus Vinícius Freire, diretor executivo de esportes do COB.

Tecnologia usada na prática


Os equipamentos de telepresença já são usados pelo COB há algum tempo. A diferença, agora, é a qualidade superior dos novos equipamentos. Quando a atleta Laís Souza acidentou-se nos EUA em 2014, seus exames já foram compartilhados com uma junta médica via teleconferência. No Panamericano de Toronto este ano, a videoconferência foi fundamental para a comunicação das 5 sub-vilas que contavam com a presença de brasileiros. "Sempre que estamos em mais de uma vila, a comunicação se torna uma questão mais complicada. Em Toronto, foram 1050 pessoas comunicáveis 24/7 através do WebEx. Isso representa não só uma economia, mas também uma mudança radical da cultura de trabalho", explica Marcus Vinícius. "Às 7 da manhã tínhamos uma reunião com representantes de todos os países envolvidos. Na sequência, tínhamos uma reunião com os times das 5 sub-vilas, também online, para que às 10h já pudéssemos nos encontrar. Ao longo do dia, temos a central de controle para coordenar a movimentação da delegação. Todos têm celular com chip e, assim, é possível saber a localização de todos. Se acontece algum problema, podemos ativar o carro ou a pessoa que estiver mais perto da ocorrência e esse tipo de tecnologia consegue nos ajudar bastante nessa questão".

De acordo com Marcus, em Toronto, mais pessoas puderam trabalhar diretamente com a equipe a partir da sede no Rio, sem necessariamente terem que viajar para o Canadá. "Não é um simples Skype: os atletas podem treinar a distância, os médicos podem acompanhar. Temos muitos treinadores e atletas fora do país e, com os novos equipamentos, podemos compartilhar informações e também apresentações", diz Marcus Vinícius. 
Além dos equipamentos de telepresença cedidos pela Cisco, o COB também conta com o apoio da Microsoft, que fornecerá smartbands e uma infraestrutura em Azure para cruzamento de dados. No banco de dados, há informações de todos os resultados dos atletas de todo o mundo ao longo dos últimos 76 anos e assim, é possível fazer um cruzamento para prever resultados. Por exemplo: é possível saber quem compete melhor de manhã ou à tarde, como se dá a queda de rendimento à medida que a idade daquele determinado atleta avança e como ele vem se desenvolvendo nos últimos meses. Assim, é possível fazer um planejamento esportivo para otimizar os resultados dos atletas - e também definir quem tem mais chances de medalha e, por isso, quem deve levar maiores investimentos. A responsável por fazer este trabalho no COB é a ex-jogadora de vôlei de praia Adriana Behar, que ocupa o cargo de gerente geral de planejamento esportivo na entidade. "Eu vou receber informações em tempo real dos atletas, que usarão a Microsoft Band. Tem algo alterado? Tem stress? Mudou algo? Então, eu posso entrar em contato com aquela pessoa pela video conferência, perguntar se está tudo bem e agir o quanto antes", explica. "A médio prazo, estamos discutido até mesmo o uso do Hololens para treinar virtualmente os atletas", acrescenta Helbert Costa, gerente geral de estratégia do COB.

O que esperar dos Jogos Olímpicos 2016?
"Se tivéssemos acesso às informações que temos hoje, a prata poderia virar ouro facilmente", comenta Behar. O Comitê Olímpico Brasileiro tem uma equipe de 22 profissionais para estudar a chamada "ciência do esporte". Fisiologia, bioquímica, nutrição, preparação mental, até meteorologia e geociência: tudo isso é jogado em um grande banco de dados para otimizar os resultados de cada atleta. "Com a inteligência esportiva e machine learning, conseguimos determinar o padrão do atleta vencedor. Dessa forma, conseguimos até estabelecer uma meta bastante possível para 2016, que é estar em 10º. lugar no quadro de medalhas. Nos Jogos de Londres ficamos em 20. lugar", explica Adriana.


Fonte: canaltech.com.br/
 
 
 VI Festival de Gastronomia Orgânica acontece em São Paulo
Estado de São Paulo é o quarto maior produtor de orgânicos do Brasil

O governador Geraldo Alckmin visitou neste domingo, 18 de outubro, o VI Festival de Gastronomia Orgânica, no Parque da Água Branca. A Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro) apresentou as principais tecnologias e inovações de segurança alimentar.

Durante o evento, aconteceram oficinas de cozinha de alimentação saudável e de hortas caseiras de ervas frescas, na qual profissionais ensinara técnicas para incentivar a utilização de temperos naturais, além de atividades desenvolvidas para o cultivo agroecológico, em especial a orgânico, como a linha de crédito do Fundo de expansão do Agronegócio Paulista (Feap) para a conversão do cultivo convencional para o orgânico.


"Temos aqui alimentação sem agrotóxico, sem produtos químicos, industriais ou artificiais. O alimento é o melhor remédio e a alimentação de qualidade ainda proporciona uma alternativa econômica para o país e pequenos agricultores. Vejo com muito entusiamo essa feira maravilhosa no Parque da Água Branca  e como cresce essa filosofia de vida mais próxima da natureza". Informa o governador. 


Também houve exposição de sementes orgânicas, desenvolvidas pela Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), e da fazenda de orgânicos, da Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio (Apta), ambas da Secretaria de Agricultura e Abastecimento.

Secretaria de Agricultura apoia produção orgânica no Estado

Considerado um grande centro consumidor, o Estado de São Paulo é também o quarto maior produtor de orgânicos do Brasil. A Secretaria de Agricultura vem ofertando apoio irrestrito aos produtores de alimentos orgânicos, assim como faz com os da agricultura convencional. A Secretaria da Agricultura é favorável à alimentação de qualidade, produzida com sustentabilidade e com incremento na renda do produtor rural, utiliza da pesquisa, da assistência técnica e da extensão rural para capacitar seu corpo técnico e apoiar os produtores rurais que trabalham com orgânicos. Promove Dias de Campo, Semanas da Agricultura Orgânica, a edição de publicações específicas sobre o tema, bem como financiamentos e seguro rural.


As Unidades de Produção também tiveram um aumento significativo. Passaram de 10.064 em janeiro de 2014 para 13.323 em janeiro deste ano, ou seja, um acréscimo de 32%. A área total de produção orgânica no Brasil já chega a quase 750 mil hectares, sendo o Sudeste a região com maior área produtiva, chegando a 333 mil hectares. Em seguida, estão as regiões Norte (158 mil hectares), Nordeste (118,4 mil hectares), Centro-Oeste (101,8 mil hectares) e Sul, (37,6 mil hectares). 

Feira de Orgânicos
A Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio da Codeagro, realiza a feira de produtos orgânicos ao lado do Metrô Jabaquara, em São Paulo, todas as sextas-feiras, das 15h às 20h, com entrada gratuita, para aproximar o produtor rural e o consumidor.O objetivo é que a feira sirva de embrião para que outras, nos mesmos moldes, sejam realizadas em diversas regiões do Estado para fomentar o setor de produtos orgânicos e oferecer mais opções de alimentação saudável.

O projeto envolve produtores de Botucatu, Santo André, Suzano, Campinas, Sorocaba, Mogi das Cruzes, São Paulo, Embu Guaçu, Ibiúna e Itapevi. Ele está inserido no Projeto Bom Preço do Agricultor, da Codeagro, que visa articular ações para o desenvolvimento da economia regional, agregando valor à pequena e média produção de hortifrutigranjeiros, produtos agropecuários e agroindustriais. 


Cerca de 30 expositores distribuídos em 800 m² vendendo não apenas frutas e verduras, mas também pães, salgados, café, cosméticos, entre outros produtos. 

O espaço é da própria Secretaria de Agricultura e Abastecimento e já recebe, todos os domingos, das 4h às 13h, uma feira convencional por onde passam 22 mil pessoas, comprando cerca de 190 toneladas de alimentos por domingo.


Apta tem a única unidade que produz batata-semente orgânica

A Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), por meio da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Itararé, é a única instituição brasileira certificada e cadastrada para a produção de batatas-sementes orgânicas. 

A vantagem para os produtores são segurança fitossanitária do material que será plantado, menores custos e diminuição da dependência por sementes importadas. A expectativa é que as batatas-sementes orgânicas comecem a ser liberadas pela Apta para os produtores rurais em 2016.

A produção inicial será de 360mil quilos de batatas-sementes orgânicas das variedades Ibituaçu, Araci, Araci Ruiva, Itararé e Vitória, todas desenvolvidas pelo Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, com excelente qualidade culinária e ideais para a preparação de chips e purê, além da variedade Baraka. 

A UPD da Apta de Itararé é pioneira na produção de batatas-sementes orgânicas para disponibilização a produtores rurais. Para a certificação de 50hectares da Unidade de Pesquisa da Apta foram investidos, aproximadamente, R$ 400 mil, em aquisição de equipamentos e implementos, como tratores, pulverizadores, grade aradora, grade niveladora, plaina e lâmina. Além disso, as câmaras frias da Unidade passaram por revisão e foram identificadas para separar as áreas orgânicas e as convencionais. Um barracão de insumos também foi adequado.


Linha de crédito do FEAP 

O Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (FEAP) possui uma linha de crédito para Agricultura Orgânica. Essa linha foi criada em 2013, para atender a demanda dos produtores rurais convencionais que desejam fazer a conversão para a orgânica, estimulando a produção sustentável. 

O teto de financiamento de até R$200 mil por produtor rural pessoa física ou jurídica, e até R$500 mil por cooperativa e associação de produtores rurais. 

O prazo para pagamento é de 7anos, incluindo a carência de 4 anos. O juro é de 3% ano, com bônus de adimplência de 25% sobre a taxa de encargos de operação.


Fonte: saopaulo.sp.gov.br/
 
 
 Entenda a relação entre obesidade e saúde ocular
A obesidade pode interferir na saúde ocular? Para esclarecer essa dúvida, o Cotidiano conversou com o oftalmologista Ramon Barreto.

Ele explica que a obesidade acarreta aumento da pressão arterial, e isso pode afetar o fundo do olho. É comprovado que a glicemina ou glicose no sangue pode aumentar o risco da diabetes, que traz várias alterações nos vasos sanguíneos da retina, causando a cegueira que, se não tratada em tempo pode ser irreversível.
 
Segundo o oftalmologista, quanto à pressão alta, essa também pode causar a perda da visão. Essas alterações, tanto a diabetes quanto a pressão alta são doenças mais comuns em obesos. Ramon Barreto diz que o colesterol e os triglicerídeos altos prejudicam a circulação sanguínea do fundo do olho e causam problemas de visão: "o corpo todo é afetado com a obesidade, e por isso é importante controlar a glicose, o colesterol, evitar alimentos gordurosos, evitar os fast foods, comer mais frutas e vegetais", aconselha.


Fonte: ebc.com.br/
 
 
 Skate na Base Projeto da PMJP usa o esporte como ferramenta de inclusão social
Mais do que andar sobre rodas, o skate também é um estilo de vida. Seja pelo jeito de se vestir ou pela forma de se comunicar, é fácil identificar quem é adepto do esporte das manobras radicais. Mas o que pouca gente sabe é que o skate também vem sendo usado em João Pessoa como instrumento de promoção da cidadania e inclusão social.

Essa é a aposta da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), que por meio da Secretaria de Juventude, Esporte e Recreação (Sejer), desenvolve o projeto ‘Skate na Base’ para cerca de 100 crianças da cidade. São aulas gratuitas funcionando em quatro polos – Praça da Juventude, no Bairro das Indústrias; Praça do Coqueiral, em Mangabeira; Praça da Amizade, no Rangel; e no Centro de Treinamento Ivan Tomaz, no Valentina Figueiredo.

Para participar, a garotada precisa apresentar declaração comprovando um bom desempenho escolar e termo de responsabilidade concedido pelos pais ou responsáveis. “Trabalhar lado esportivo é importante, mas a responsabilidade social é o que move o projeto”, afirma Jason Alexander, coordenador de Esportes Radicais da Sejer.

Em pouco mais de três meses de atividade, o projeto tem avançado nos dois aspectos e já começa a colher os primeiros frutos. Para o esporte, despontam futuros campeões. Para a sociedade, bons cidadãos, como se vislumbra nos garotos Jan Carlos Romão, 12 anos, e José Almir Feitosa, 14 anos.

“É uma oportunidade que a gente tem de aprender um esporte diferente e fazer novas amizades”, afirma Jan, que divide um dos skates cedidos pela Sejer para as aulas no projeto com o colega José Almir.

“Se não tivesse a praça e o projeto, talvez estivéssemos na rua jogando bola como fazíamos antes. Hoje não me arrependo de trocar o futebol pelo skate, e mesmo que não se torne um atleta profissional no futuro, as lições que se aprendem, os amigos que fiz, e tudo que estamos vivenciando já valem a pena”, afirma José Almir.

Promessas sobre quatro rodas – Na mesma praça, o jovem Stephannio Antas, 15 anos, desponta como uma promessa no skate. As aulas no projeto são levadas tão a sério que ele não pensa duas vezes quando perguntado sobre qual carreira seguir no futuro. “Skatista”, diz com firmeza. “É meu sonho. Pode está longe de se concretizar, mas acredito que estou no caminho certo”, concluiu.

Mas é na Praça do Coqueiral, no bairro de Mangabeira, que o ‘Skate na Base’ guarda a sua maior jóia. Treinando sob os olhares do professor Carlos Eduardo (Dudu) e do pai Jair Bezerra, Jailton Silva, 15 anos, impressiona nas manobras radicais. Campeão do circuito das praças em 2012, o jovem atleta ver no projeto a possibilidade de aprimorar a técnica para disputar competições futuras.

“Cara, esse é o esporte que eu amo e seria muito bacana viver do skate. Já faz quatro anos que pratico, e vejo que consegui evoluir muito desde que o professor me convidou para fazer parte do projeto”, afirma o jovem atleta.

Orgulhoso do filho, Jair Bezerra valoriza o caráter social do Skate na Base que, segundo ele, possui a fórmula ideal. “Esporte com foco nos estudos. É como falo sempre pra ele: se quiser levar o skate a sério, precisa levar os estudos também a sério, assim terá sempre o meu apoio”.

Quebrando paradigmas – O skate chegou ao Brasil por volta da década de 70, teve grande ascensão a partir das décadas de 80 e 90, quando tomou conta dos grandes centros urbanos, local em que nasceu também o preconceito em torno da figura do skatista, comparado até mesmo com marginais.

Quem comprova essa realidade são dois dos professores do Skate na Base que enfrentaram o preconceito como adversário quando eram atletas. “Diziam que era coisa pra quem não liga para os estudos, para família, entre outras coisas. Mas o importante é que a coisa mudou. Hoje os pais deixam os filhos no projeto e veem como o skate é uma família”, afirma Márcio Alexandre, professor do núcleo que funciona na Praça da Juventude, no Bairro das Indústrias.

Uma das primeiras lições que se aprende no skate é levantar quando cair. O ensinamento encorajador não deixa dúvidas: é um esporte de superação e para quem tem atitude, seja para erguer troféus ou para vencer na vida.

“O skate é responsável por tudo que sou hoje. Como atleta tive a oportunidade de viajar o país inteiro. Passar essa experiência para a molecada é algo que não tem preço. Skate na Base resume bem a importância desse esporte na vida de uma criança ou adolescente”, disse Carlos Eduardo (Dudu), professor do núcleo da Praça do Coqueiral, em Mangabeira.

Programação do Projeto Skate na Base:

Praça da Juventude (Bairro das Indústrias)

Aulas – Terças, quintas e sextas, das 15h 30 às 17h

Professor Márco Alexandre

Praça do Coqueiral (Mangabeira)

Aulas – Terças e quintas, das 17h às 19h

Professor Carlos Eduardo (Dudu)

Praça da Amizade (Rangel)

Aulas – Segundas, quartas e sextas, das 15h às 17h

Professor Jonharly Geninho

Centro de Treinamento Ivan Tomaz (Valentina)

Aulas – Quintas e sextas, das 14 às 17h

Professora Luana Barros




Fonte: joaopessoa.pb.gov.br
 
 
 Como ocultar barra de busca do Windows 10
Uma das mudanças mais visíveis do Windows 10 é a nova barra de buscas localizada na barra de tarefas, à direita do menu Iniciar. Além de fazer pesquisas, ela serve principalmente para interação com a Cortana, que atualmente não suporta o português. Ocultá-lá pode liberar espaço para adicionar mais ícones de aplicativos na taskbar do Windows 10. Confira a dica e veja como fazer isso.
Passo 1. Clique em um espaço vazio da barra de tarefas e abra o item “Pesquisar”;
Passo 2. Selecione a opção “Mostrar ícone de pesquisa” para esconder a barra de deixar apenas o ícone, que quando clicado exibe a barra de buscas;
Passo 3. Escolha “Desabilitado” para esconder a barra e o ícone. Dessa forma, você deve abrir o menu iniciar para ter acesso à barra de pesquisas, como acontecia no Windows 7.
Pronto! Com essa dica, você poderá liberar espaço na barra de tarefas para ficar atalhos para mais aplicativos.
 
 
 Usuários do Windows 10 poderão mandar SMS para smartphones
Os usuários do Windows 10 poderão mandar SMS para celulares a partir do próprio PC. Esse recurso, ativado pela assistente virtual Cortana, já foi liberado para quem tem acesso à versão de desenvolvedores mais recente do sistema, lançada na sexta-feira (16).
A funcionalidade deve ser ativada a partir da barra de pesquisas. Basta escrever "enviar SMS" na caixa de busca para que o Windows ative a Cortana e inicie o processo. Ela aparece na tela para perguntar quem é o destinatário da mensagem, e, em seguida, procura esse contato em dentro do app de Pessoas. 
Depois de escrever o recado, é só clicar em “enviar” e pronto. Quando houver resposta, um alerta será emitido, e a janela de conversa será criada, como se fosse um aplicativo de bate-papo, como Hangouts ou WhatsApp. Além disso, é possível enviar mais mensagens e continuar com o assunto de forma prática.
Como todas as funcionalidades que chegam ao Windows Insider, essa ainda está em período beta. Resta saber qual será o posicionamento da Microsoft quanto ao serviço para os próximos meses. Espera-se que a ferramenta chegue em uma atualização antes do fim do ano, mas ainda não há nada confirmado.
 
 
 Windows 10 é instalado automaticamente em PCs antigos
Os usuários do Windows 10 poderão mandar SMS para celulares a partir do próprio PC. Esse recurso, ativado pela assistente virtual Cortana, já foi liberado para quem tem acesso à versão de desenvolvedores mais recente do sistema, lançada na sexta-feira (16).
A funcionalidade deve ser ativada a partir da barra de pesquisas. Basta escrever "enviar SMS" na caixa de busca para que o Windows ative a Cortana e inicie o processo. Ela aparece na tela para perguntar quem é o destinatário da mensagem, e, em seguida, procura esse contato em dentro do app de Pessoas. 
Depois de escrever o recado, é só clicar em “enviar” e pronto. Quando houver resposta, um alerta será emitido, e a janela de conversa será criada, como se fosse um aplicativo de bate-papo, como Hangouts ou WhatsApp. Além disso, é possível enviar mais mensagens e continuar com o assunto de forma prática.
Como todas as funcionalidades que chegam ao Windows Insider, essa ainda está em período beta. Resta saber qual será o posicionamento da Microsoft quanto ao serviço para os próximos meses. Espera-se que a ferramenta chegue em uma atualização antes do fim do ano, mas ainda não há nada confirmado.
As reclamações foram colocadas em teste pelo site Ars Technica na quinta-feira (15), que comprovou que o instalador do Windows 10 está realmente sendo marcado como padrão no sistema. Com isso, a atualização seria executada junto com outros updates, sem que o usuário perceba.
Apesar do computador iniciar a instalação, o software pede que o administrador do PC confirme a ação para concluir o processo. Ou seja, ainda que o instalador inicie, ele não consegue seguir com a atualização. 
Mesmo com a falha, não há perigo de ser surpreendido por um sistema operacional diferente em seu PC, depois de uma atualização do Windows Update. A Microsoft informou que a marcação do Windows 10 como padrão foi um erro e que os usuários logo poderão ver a correção. 
Quem pretende migrar para o novo sistema, basta prosseguir com a instalação, mas vale ficar atento a todas as configurações necessárias para o processo. Programas de seguranças ou um hardware incompatível podem atrapalhar a atualização e causar danos ao computador.
 
 
 Windows 10 traz 'propagandas' de aplicativos dentro do Menu Iniciar
O Windows 10 ganhou uma seção de sugestões de aplicativos no Menu Iniciar, que tem visual e comportamento semelhante ao de anúncios. A novidade, presente na última build para desenvolvedores do sistema da Microsoft, não parece ter qualquer relação com o padrão de comportamento do usuário e o redireciona diretamente para a página do aplicativo. 
A versão do Windows 10 que traz a mudança está disponível somente para membros do programa Windows Insider, ou seja, ainda está em fase de testes. 
A nova seção pode ser atualizada pelo usuário, o que fará com que o aplicativo sugerido seja alterado, ou ainda desativada com apenas dois cliques. Outra forma de desligar o recurso é por meio das configurações do sistema. Basta selecionar "Personalização" e depois "Iniciar". Depois, o usuário deverá desmarcar o item “Exibir sugestões ocasionalmente no Iniciar”.
 
 
 Como desinstalar o Internet Explorer do Windows 10
O Internet Explorer, embora ainda não tenha sido descontinuado, já apresenta sinais de que sua aposentadoria chegará em breve. Em sua última atualização, o IE não trouxe nenhuma novidade e perdeu o posto de navegador padrão para o Microsoft Edge no Windows 10.
Se você não usa mais o Internet Explorer, confira a dica e saiba como desinstalá-lo da última versão do sistema da Microsoft. Dessa forma, além de liberar espaço no HD, você acabará com a confusão de ter dois navegadores instalados no sistema.
Passo 1. Abra o antigo “Painel de Controle” do Windows. Para isso, clique com o botão direito do mouse sobre o botão Iniciar e, no menu que aparece, clique em “Painel de controle”;
Passo 2. Na janela principal do Painel de Controle, clique em “Programas”;
Passo 3. Em seguida, clique em “Ativar ou desativar recursos do Windows”;
Passo 4. Procure por “Internet Explorer 11″ na lista e desmarque-o;
Passo 5. Um alerta informa que alguns recursos do Windows dependem do navegador e eles podem parar de funcionar. Clique em “Sim” para continuar;
Passo 6. Voltando à janela anterior, clique em “OK” e aguarde alguns minutos até que o processo termine. Quando concluir, será necessário reiniciar o computador.
Pronto! Com essa dica, você poderá desinstalar o Internet Explorer do Windows 10 e liberar espaço no HD do seu computador.
 
 
 Sete coisas que o Windows 10 Mobile vai fazer melhor que outros celulares
A chegada do Windows 10 para smartphones é bastante aguardada entre os fãs da Microsoft. Com novas funcionalidades e visual bonito, a experiência dos donos de celulares Lumia será melhorada com o lançamento da plataforma, em dezembro deste ano.
Por isso, o TechTudo listou sete recursos que provam que o Windows 10 promete dar trabalho para os outros sistemas operacionais móveis, como Android e iOS. Conheça as novidades para o Windows Phone a seguir.
1 - Apps universais
Com os aplicativos universais do Windows 10, a fabricante promete revolucionar o universo dos smartphones. Esses apps serão úteis para quem já usa computadores com o sistema operacional, afinal os programas serão adaptáveis para todas as plataformas da empresa.
Chamada de Continuum, a compatibilidade universal garante a um aplicativo Windows funcionar também no PC e no Xbox One. Isso sem precisar de nenhum tipo de remodelação ou versão específica para aquele dispositivo.
2 - Transformar o smartphone em PC
A ideia de transformar o celular em computador com uso de acessórios não é algo recente ou muito inovador. Mas a proposta do Windows 10 é bem mais consistente do que outras sugeridas anteriormente por empresas como Motorola, por exemplo.
O recurso estará disponível apenas para dispositivos mais potentes da Microsoft e dará acesso aos softwares disponíveis na loja virtual. Com a ajuda de outros recursos, como Apps Universais e similaridade entre sistemas, a Microsoft dispara na corrida pela convergência que muitas companhias buscam.
3 - Desbloqueio da tela ao olhar para o telefone
No evento realizado no começo de outubro, um serviço pouco mencionado, mas surpreendente, foi o Windows Hello para smartphones.
Com a ferramenta, basta olhar para o telefone que o aparelho faz o reconhecimento biométrico do rosto. Isso promete garantir maior velocidade no desbloqueio da tela. O Windows Hello não exige hardware adicional e usa apenas a câmera frontal.
4 - Controles de câmera superiores
O Windows 10 Mobile irá trazer como padrão todos os recursos do app Lumia Camera, o mesmo que já vem instalado nos novos dispositivos com Windows Phone 8.1.
Com recursos extras como controle de ISO e foco, o programa da câmera do Windows 10 será muito mais elaborado do que o do iOS e Android, por exemplo. No entanto, muitas das funcionalidades serão aproveitadas somente por quem tem mais experiência com fotografia. 
5 - Cortana
A assistente pessoal Cortana sempre foi um dos recursos que mais chamou atenção no Windows 8.1. Na integração entre PC e dispositivos móveis, a ajudante ficará ainda mais inteligente. Ela ganhará suporte mais amplo a respostas via áudio e poderá responder sobre clima, hotéis, horário de voos e muito mais.
6 - Armazenamento amigável na Nuvem
A Microsoft tem um dos serviços de armazenamento na nuvem mais acessíveis para quem não quer pagar. São 15 GB para guardar qualquer tipo de arquivos, sejam eles fotos, vídeos, documentos ou músicas. O mais interessante é que o serviço também conta com apps para Android e iOS.
Com isso, é possível configurar um único login e senha para capturar os momentos na forma de fotos ou vídeos de vários celulares. Para completar, ao habilitar o backup das fotos da câmera, você pode ganhar mais 15 GB de espaço na nuvem.
7 - Melhor experiência ao procurar por fotos no OneDrive
Um dos recursos ocultos do Windows 10 é a pesquisa por fotos armazenadas no serviço OneDrive. Graças ao reconhecimento de cenas, o serviço organiza as fotos em álbuns, e o resultado impressiona.
O próprio OneDrive já gerencia imagens em várias categorias e consegue identificar fotos de pessoas, locais, comida, animais e outros. No Windows 10 Mobile, esse recurso será ainda mais avançado, graças à integração com a Cortana. Será possível, por exemplo, pesquisar pelas fotos das últimas férias apenas ao perguntar à assistente.
 
 
 Atualização Redstone do Windows 10 pode chegar em 2016
A primeira grande atualização do Windows 10 já está sendo desenvolvida pela Microsoft com previsão de lançamento em 2016. Chamada de Redstone, em referência ao jogo Minecraft comprado em 2014 pela companhia, o update poderá ser dividido em duas fases, distribuídas nos dois semestres do próximo ano, e promete mudanças radicais.
As informações de que a atualização já está em desenvolvimento partem do site WinBeta. A publicação chama atenção para as numerações das versões internas do Windows 10, mencionando a nomenclatura dos arquivos como um indicativo das primeiras prévias do Windows 10 Redstone.
A atualização deve trazer mudanças drásticas na infraestrutura do novo sistema operacional, já que as alterações promovidas pela Microsoft atualmente, em ritmo mensal, tendem a se concentrar apenas em ajustes de funcionalidades, alterações de interface e correções de segurança.
A ideia de trazer as atualizações mais impactantes em grandes pacotes, como o Redstone, confirma a visão estratégica da Microsoft divulgada em maio. A companhia pretende tornar o Windows uma plataforma mais próxima ao modelo de um serviço do que de um sistema operacional. 
 
 
 Continuum não vai rodar em todos os celulares com Windows 10 Phone
O recurso Continuum, que permite transformar o celular num desktop, não vai rodar nos Windows Phone mais antigos – mesmo aqueles atualizados para o Windows 10 Phone. A novidade, que possibilita o uso de mouse, teclado e monitores conectados ao celular, depende de hardware mais poderoso do que o encontrado em alguns dispositivos.
A informação de que o Continuum teria essa limitação era um rumor, até que Microsoft confirmou que o usuário precisa ter um smartphone com o requisito mínimo do processador Snapdragon 808, fabricado pela Qualcomm.
O Continuum exige bastante do hardware do dispositivo porque prevê o uso em telas grandes, ou até em múltiplos displays. Para dar conta de rodar o sistema operacional em várias telas, há a necessidade de que o processador tenha mais capacidade do que as CPU usadas em versões antigas dos smartphones com o Windows.
A exigência pelo processador faz com que até mesmo o Lumia 930, top de linha substituído pelo Lumia 950 e Lumia 950 XL, seja incapaz de rodar o Continuum. O smartphone, a exemplo do Lumia 1520, outro Windows Phone poderoso, utiliza um processador Snapdragon 800.
Outra limitação a ser encarada por quem atualize o Windows 10 Mobile em seu aparelho é a ausência do recurso Windows Hello, que usa leitores biométricos para desbloquear o dispositivo.
 
 
 Alguns celulares com Android vão rodar apps do windows 10
Smartphones com Android vão poder rodar aplicativos programados para o Windows 10 Mobile. Mas não serão todos: somente os celulares equipados com processadores fabricados pela Intel, como o Zenfone 2, da Asus, por exemplo, terão essa capacidade.
O acesso será feito por meio de uma plataforma chamada CrossOver. O serviço utiliza uma camada de compatibilidade com o Windows conhecida como Wine, que permite que donos de celulares Android rodem programas do sistema da Microsoft.
A codificação do serviço é compatível somente com os processadores Intel x86 e x64. Portanto, apenas celulares com esses chipsets serão capazes de rodar apps do Windows 10 nativamente. Além disso, nem todos os programas poderão ser rodados. Uma lista completa foi disponibilizada pelos desenvolvedores no site CodeWeavers.
O Windows 10 para smartphones sai em dezembro, e os primeiros celulares a receberem o sistema serão os novos Lumia 950 e Lumia 950 XL. O lançamento da primeira versão do CodeWeavers para Android está agendado para este mês, mas vale lembrar que o serviço já está disponível para Mac e Linux. Isso permite que usuários rodem seus programas favoritos da plataforma da Microsoft também nestes ambientes.
 
 
 Microsoft corrige falha no Internet Explorer que afeta todos os Windows
A Microsoft liberou uma atualização que corrige uma falha de segurança grave no Internet Explorer, na última terça-feira (13). A vulnerabilidade, que afeta todas as versões do Windows – desde o Vista até o mais recente – permitia que hackers executassem códigos remotamente no PC da vítima, caso ela acessasse uma página da web infectada. A falha está presente no IE versões 7, 8, 9, 10 e 11.
Hackers que conseguirem explorar a vulnerabilidade terão os mesmos privilégios no sistema que o usuário ativo. Dessa forma, quem tiver direitos administrativos no Windows corre mais riscos com essa brecha. 
A correção liberada pela Microsoft aprimora a forma como o navegador lida com objetos na memória e adiciona novas validações de permissão. Segundo a fabricante, as melhorias são suficientes para impedir problemas para os usuários. Ela garantiu que o IE pode ser usado em computadores modernos.
Para continuar usando o browser com segurança, tudo que o usuário deve fazer é instalar as atualizações do Windows Update o mais rápido possível. A falha não está presente no Microsoft Edge, navegador padrão do Windows 10. Mesmo com a chegada do novo browser, o Internet Explorer foi mantido no sistema da Microsoft por questões de compatibilidade.
 
 
 Ministro do Supremo autoriza novo inquérito para investigar Cunha
Procurador-geral Janot fez pedido para apurar supostas contas na Suíça.
Presidente da Câmara nega contas no exterior e recebimento de vantagem.

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, autorizou na noite desta quinta-feira (15) a abertura de um novo inquérito para investigar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

O pedido de investigação foi formulado mais cedo pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
O procurador-geral quer apurar suspeitas de corrupção e lavagem de dinheiro em razão de quatro contas na Suíça atribuídas ao parlamentar.

A existência das contas é apontada em documentação enviada à Procuradoria Geral da República pelo Ministério Público suíço.

Teori Zavascki também autorizou a investigação da mulher do deputado, Cláudia Cordeiro Cruz, e de uma filha dele, supostas beneficiárias dessas contas.

Na semana passada, a Procuradoria recebeu da Suíça extratos bancários e documentos que indicam que Eduardo Cunha era titular das contas.

Em uma, segundo informou o MP suíço, houve um depósito de R$ 1,3 milhão de francos suíços. Segundo a procuradoria, trata-se de dinheiro de propina oriundo de contrato de exploração de um campo de petróleo em Benin, na África.

Cunha nega contas no exterior
Em nota divulgada no último dia 10, Cunha afirmou nunca ter recebido "qualquer vantagem de qualquer natureza, de quem quer que seja, referente à Petrobras ou a qualquer outra empresa, órgão público ou algo do gênero". Também reiterou depoimento espontâneo que deu à CPI da Petrobras no início do ano em que negou possuir contas fora do país.

Nesta sexta, depois do anúncio de que o procurador-geral havia solicitado a abertura de novo inquérito, Cunha disse que o pedido facilitará a defesa.

“Não fui notificado. Meu advogado vai tomar as providências. É natural, eu prefiro que tenha alguma coisa às claras para que eu possa ter acesso. Na medida em que pede a instauração de inquérito, a gente vai ter acesso e poder se defender. Não vejo isso como nenhum problema”, disse. Cunha não quis comentar o fato de a esposa e a filha dele estarem incluídas no pedido de investigação.

Outro inquérito
Em agosto, Eduardo Cunha já tinha sido denunciado pela PGR por corrupção e lavagem de dinheiro, devido à suspeita de ter recebido pelo menos US$ 5 milhões por contratos de aluguel de navios-sonda pela Petrobras.

Nesta quinta, chegou ao STF um complemento a essa acusação, com trechos da delação do lobista Fernando Baiano na qual ele reafirma o repasse.

Documentos da Suíça
Os detalhes sobre as supostas contas secretas foram enviadas pelo Ministério Público da Suíça e chegaram à Procuradoria Geral da República na semana passada.
Os documentos incluem cópias de passaporte, comprovantes de endereço no Rio de Janeiro e assinaturas de Cunha.

Na peça entregue ao STF, a PGR anexou cópia de todo o material que veio da Suíça, inclusive um diagrama que mostra o caminho do dinheiro entre várias contas.

Os investigadores rastrearam o caminho do dinheiro depositado nas contas bancárias, que receberam nos últimos anos depósitos de US$ 4.831.711,44 e 1.311.700 francos suíços, equivalentes a R$ 23,2 milhões.

Os documentos do Ministério Público suíço sobre as contas contêm detalhes como gastos realizados em cartões de crédito, inclusive para gastos pessoais, como um curso de inglês na Malvern College, na Inglaterra, no valor de US$ 8 mil, e para uma academia de Nick Bollettieri, uma das principais formadoras de tenistas no mundo, com pagamento de US$ 59 mil.


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Dólar fecha em queda, após Fitch rebaixar nota do Brasil
Agência de risco manteve o grau de investimento do país.
A moeda norte-americana recuou 0,32%, a R$ 3,8005 na venda.


Após abrir em queda e subir mais de 1% após a Fitch rebaixar nota do Brasil de "BBB" para "BBB-", o dólar voltou a cair e fechou em baixa nesta quinta-feira (15).

A moeda norte-americana recuou 0,32%, a R$ 3,8005 na venda. 

A Fitch manteve o grau de investimento do Brasil. Apesar de a agência ter alertado que Brasil o país pode perder este "selo de bom pagador" no curto prazo, ao colocar o país com perspectiva negativa, os operadores avaliavam que o rebaixamento não deve servir de gatilho para mais uma rodada de pânico como a que assombrou os mercados no mês passado (quando o Brasil foi rebaixado pela Standard and Poors e perdeu o grau de investimento).

Segundo a Reuters, isso não aconteceu agora porque muitos operadores já haviam se antecipado à decisão da Fitch.
"O mercado só vai reagir com bastante força quando houver de fato uma retirada do grau de investimento", disse o operador da corretora Spinelli José Carlos Amado. "Por enquanto, (a decisão da Fitch) deixa o mercado com o radar ligado, mais sensível a altas".

"Parece que o mercado cansou de piorar. Esgotou o estoque", disse à Reuters o operador de uma corretora nacional. "Todas as (moedas) emergentes melhoraram hoje e o Brasil acompanhou, apesar de todo o cenário negativo. Parece que isso tudo já estava no preço".
Veja a cotação ao longo do dia:
Às 9h09, recuava 0,54%, a R$ 3,7919.
Às 9h50, subia 0,12%, a R$ 3,8175.
Às 10h49, subia 0,03%, a R$ 3,814.
Às 11h29, subia 1,17%, a R$ 3,8575.
Às 11h50, subia 1,37%, a R$ 3,865.
Às 12h10, subia 0,7%, a R$ 3,8394.
Às 12h29, subia 0,96%, a R$ 3,8495.
Às 13h10, subia0,74%, a R$ 3,841.
Às 13h50, subia 0,23%, a R$ 3,8214.
Às 14h19, subia 0,10% a R$ 3,8165.
Às 14h45, subia 0,24% a R$ 3,8216.
Às 15h20, subia 0,28% a R$ 3,8234.
Às 15h50, subia  0,03%, a R$ 3,8136.
Às 16h09, caía 0,01%, a R$ 3,8121.
Às 16h40, caía 0,27%, a R$ 3,8023.
Na semana, o dólar tem alta acumulada de 1,11% e no mês, queda de 4,16%. No ano, há valorização de 42,95%.

Grau de investimento
A agência de classificação de risco Fitch rebaixou a nota do Brasil de "BBB" para "BBB-", mas ainda dentro do grau de investimento. A nota "BBB-" é a última dentro do grau de investimento, espécie de selo de país bom pagador de sua divida.

De acordo com a Fitch, o rebaixamento reflete o crescente peso da dívida do governo do Brasil, o aumento dos desafios para a consolidação fiscal e a piora do cenário para o crescimento econômico.

"O ambiente político está dificultando o andamento da agenda legislativa [do Congresso], criando um ciclo negativo para a economia", disse a agência.

Se perder seu grau de investimento pela Fitch ou pela Moody's, o Brasil passará a ser classificado como "grau especulativo" por duas das três principais agências, já que a Standard & Poor's retirou o selo de bom pagador do Brasil no mês passado.

Isso serviria de gatilho para fuga de capitais do país, já que muitos fundos têm regulações internas que os impedem de investir em países com essa característica. Entenda quais são os efeitos da perda do grau de investimento.

Cenário político
Segundo operadores, o mercado brasileiro continuava mais sensível que outros mercados devido à crise política.
Analistas da Guide Investimentos, de acordo com a Reuters, destacaram em nota a clientes o "noticiário político ainda intenso", mas ressaltaram que "tudo indica que continuaremos em 'stand by': Cunha e Planalto tentam costurar acordão", referindo-se ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Expextativa sobre alta de juros nos EUA
Pela manhã, o dólar já havia esboçado movimento de alta, após dados sobre a inflação e o mercado de trabalho nos Estados Unidos atenuarem um pouco as apostas de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, não eleve os juros neste ano.

O núcleo da inflação ao consumidor nos Estados Unidos, que exclui preços voláteis como alimentos e energia, acelerou para 0,2% em setembro, após marcar 0,1% no mês anterior. Os preços ao consumidor como um todo, no entanto, recuaram 0,2%, pressionado pela queda da gasolina.

Além disso, o número de pedidos de auxílio-desemprego atingiu 255 mil na semana passada, novamente o menor nível em 42 anos, sugerindo que o mercado de trabalho norte-americano permanece forte apesar da abrupta desaceleração na criação das vagas de emprego nos últimos dois meses.

As expectativas sobre os juros nos Estados Unidos afetam a tendência do dólar em relação ao real. Isso porque taxas mais altas naquele país Unidos atrairiam para lá recursos aplicados atualmente em outros mercados, como o Brasil. Com o país mais atraente para investimentos, aumentaria a demanda por dólares - fazendo assim seu valor subir em relação a moedas como o real. O Fed aguarda sinais de recuperação da economia dos EUA para subir os juros.

Interferência do BC
O Banco Central deu continuidade nesta manhã ao seu programa diário de interferência no câmbio, seguindo a rolagem dos swaps cambiais que vencem em novembro, vendendo a oferta total de até 10.275 contratos, equivalentes a venda futura de dólares. Até agora, o BC já rolou US$ 5,118 bilhões, ou cerca de metade do lote total, que corresponde a US$ 10,278 bilhões.
 
 
 Fitch rebaixa nota do Brasil, mas país segue com grau de investimento
Nota foi revisada de 'BBB' para 'BBB-', com perspectiva negativa.
Agência cita crescente peso da dívida e a piora do cenário econômico.

A agência de classificação de risco Fitch Ratings rebaixou a nota do Brasil de "BBB" para "BBB-", mas ainda dentro do grau de investimento. A perspectiva foi mantida em negativa, o que significa que o país pode voltar a ser rebaixado em um futuro próximo.

A nota "BBB-" é a última dentro do chamado grau de investimento, espécie de selo de país bom pagador de sua divida. Veja quadro mais abaixo
O rebaixamento do país pela Fitch vem pouco mais de um mês após a agência Standard & Poor's retirar o selo de bom pagador do Brasil.

De acordo com a Fitch, o rebaixamento reflete o crescente peso da dívida do governo do Brasil, o aumento dos desafios para a consolidação fiscal e a piora do cenário para o crescimento econômico.

"O difícil ambiente político está afetando o progresso da agenda legislativa do governo e criando reações negativas para a economia mais ampla", destacou a agência em nota assinada pela analista Shelly Shetty.
Em entrevista exclusiva ao Jornal Nacional, Shetty afirmou que, em termos gerais, a possibilidade de novo rebaixamento da nota de um país colocado em perspectiva negativa é de mais de 50%, e o corte seria feito em um período entre 12 e 18 meses (veja no vídeo acima).

Porém, Shetty afirma que não é possível determinar esse prazo com exatidão, citando como exemplo o próprio caso do Brasil. "No caso do Brasil, nós determinamos a perspectiva negativa em abril e decidimos rebaixar o rating apenas seis meses depois."

Projeções
A agência projeta que o déficit do governo se deteriore e chegue perto de 9% do PIB em 2015.  "O impacto da recessão maior que previsto sobre as receitas do governo, dificuldade na implantação de medidas e um pano de fundo político complicado minaram a estratégia de consolidação fiscal do governo", avaliou.
A Fitch prevê que a economia do Brasil deverá contrair 3% em 2015 e 1% no ano seguinte, projetando que em 2017 deverá haver um "crescimento modesto".

Nota do Brasil em outras agências
No dia 9 de setembro, o Brasil perdeu o grau de investimento na classificação de crédito da Standard and Poor's (S&P), 10 dias após o governo prever inédito déficit primário na proposta orçamentária de 2016.

Com o rebaixamento da Fitch desta quinta, o Brasil fica mais próximo de ter a nota de crédito da sua dívida rebaixada para o grau especulativo por mais de uma agência. Na classificação da Moody´s, o país tem nota "Baa3", nível mais baixo dentro do grau de investimento, tambem com perspectiva negativa (como agora na Fitch).

S&P, Fitch e Moody's controlam uma parcela de mais de três quartos do mercado global de avaliações de risco, o que desperta críticas sobre conflitos de interesse em seus serviços, já que acabam sendo pagas pelos mesmos clientes que deveriam estar examinando, destaca a BBC.

Selo de bom pagador
O grau de investimento é um selo de qualidade que assegura aos investidores um menor risco de calotes. A partir da nota de risco que determinado país recebeu, os investidores podem avaliar se a possibilidade de ganhos (por exemplo, com juros maiores) compensa o risco de perder o capital investido com a instabilidade econômica local.
Alguns fundos de pensão internacionais, de países da Europa ou os Estados Unidos, por exemplo, seguem a regra de que só se pode investir em títulos de países que estão classificados com grau de investimento por agências internacionais. Por isso, essa "nota" permite que o país receba recursos de investidores interessados em aplicar seu dinheiro naquele local.
Levy falou na véspera sobre riscos de um novo rebaixamento
Procurada pelo G1, o Ministério da Fazenda ainda não se manifestou sobre o novo rebaixamento.

Na véspera, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, tinha dito que um novo rebaixamento da nota brasileira por agências de classificação de risco "teria um efeito muito ruim no emprego".
"Se a gente não tiver um orçamento robusto, vamos ter problemas. Teria um efeito muito ruim no emprego outro rebaixamento na nossa dívida. Não ter um orçamento que garanta a manutenção do grau de investimento é botar o emprego e as condições de vida das famílias em risco", declarou ele no Congresso Nacional.

A perda do grau de investimento na classificação da Standard and Poor's (S&P) no mês passado levou o governo a recuar da sua proposta original de Orçamento de 2016 com estimativa inédita de déficit (despesas maiores do que receitas) e a anunciar um pacote de alta de tributos, contemplando a proposta de retorno da CPMF, e bloqueio de gastos, para buscar um superávit de R$ 43,8 bilhões, ou 0,7% do PIB, no ano que vem.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Fitch procura quem governa o Brasil
A tolerância com a crise brasileira está diminuindo rapidamente. A agência de classificação de risco Fitch rebaixou a nossa nota – não foi por falta de avisos. Por sorte, ela ainda manteve o grau de investimento, diferentemente da outra agência que nos segura por um fio, a Moody’s. Nem tanto, entretanto, já que que a perspectiva para as análises futuras é negativa, ou seja, não tem nada no horizonte próximo da economia brasileira que instigue a Fitch a parar por aqui ou mudar de ideia. 

O fio condutor da decisão da agência é a piora no perfil de endividamento público do Brasil. A proporção entre o que o país deve e o que produz está cada vez maior. Pelas estimativas da Fitch, não vai demorar para a dívida pública alcançar 70% do PIB. Além disso, temos a maior taxa de juros do mundo, o que só faz a conta crescer. Como estancar este curso? Para começar, tem que sobrar dinheiro nos cofres públicos para pagar esses juros aí, o famigerado superávit primário. Este então já desapareceu de qualquer cenário mais realista.

Passando dos detalhes técnicos da decisão da Fitch, aparece a justificativa mais objetiva para o rebaixamento – o Brasil está sem comando. Pior, o Brasil está sob o comando da disputa pelo poder, não importa como. É de impressionar a competência de Eduardo Cunha para ter se transformado no pior e no melhor da política brasileira. Pior porque mentiu, foi desmentido, está envolvido diretamente no maior escândalo de corrupção do Brasil. Melhor porque passou a ser o instrumento para o processo de impeachment  da presidente Dilma Rousseff.

Do outro lado da rua está exatamente a presidente Dilma que, até uma semana atrás, era engolida por derrotas sucessivas, entre elas a rejeição das contas de seu governo em 2014 e a falta de quórum para a votação dos vetos aos projetos que ameaçam as contas públicas (mais?). De repente, transformando a derrota em estandarte, Dilma saiu em defesa de seu mandato assumindo as “pedaladas”, acusando “golpe” da oposição, se colocando acima do bem e do mal sobre sua honestidade e resgatando o populismo como promessa de salvar o Brasil e retomar o crescimento - com o mesmo tom adotado na campanha eleitoral do ano passado. O mesmo tom que escondeu a realidade da situação que o país já enfrentava à época.

Mais impressionante ainda é assistir a dança das cadeiras dos interesses individuais na política brasileira. Ninguém mais lembra de ajuste fiscal, saídas para a crise, da inflação batendo em dois dígitos, do desemprego subindo como foguete. Não. Isso é secundário. O importante agora é ficar ao lado de quem vencer a disputa pelo poder – não importa se for com a presidente mais desaprovada da democracia e a responsável pela recessão que o país enfrenta; ou se for ao lado do deputado titular de uma conta escondida na Suíça com US$ 5 milhões, provavelmente oriundos da corrupção e sentado na cadeira que pode sacar Dilma do Palácio do Planalto.

Aí a Fitch olha isso e pergunta: “quem está tocando o país?” Algum palpite? 

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Mais de 600 mil imigrantes chegaram à Europa pelo Mediterrâneo em 2015
Mais de 3.100 morreram ou estão desaparecidos, afirma organização.

Número de chegadas à Grécia tem aumentado nos últimos dias.

Mais de 600 mil imigrantes e refugiados chegaram à Europa após uma viagem pelo Mediterrâneo desde o início de 2015, e mais de 3.100 morreram ou estão desaparecidos, anunciou a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

O porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os refugiados (Acnur), Adrian Edwards, também afirmou que a organização registrou nos últimos dias um aumento do número de chegadas à Grécia, com a média de 85 embarcações por dia.


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Cinco novos países se juntarão ao Conselho de Segurança da ONU
Japão, Ucrânia, Egito, Senegal e Uruguai terão vaga pelos próximos 2 anos.
Órgão tem 15 membros, sendo cinco deles permanentes.

Japão, Ucrânia, Egito, Senegal e Uruguai serão eleitos nesta quinta-feira (15) para integrar o Conselho de Segurança das Nações Unidas pelos próximos dois anos, em meio à tensão Leste-Oeste e ao bloqueio no Oriente Médio.

O ministro ucraniano das Relações Exteriores, Pavlo Klimkin, advertiu que seu país "não será certamente conciliador" com a Rússia, membro permanente do Conselho de Segurança.

Japão, em sua 11ª participação no organismo, integrado pela China, outro membro permanente, mantém disputas territoriais com os chineses.

O Conselho de Segurança conta com 15 membros, sendo cinco permanentes com direito a veto: Estados Unidos, China, França, Grã-Bretanha e Rússia.

Cinco membros não permanentes são eleitos a cada ano pela Assembleia Geral da ONU, assumindo suas cadeiras no dia 1º de janeiro do ano seguinte, por um período de dois anos.
A renovação se realiza sobre uma base regional e os cinco países pré-selecionados este ano estão seguros de sua eleição, diante da ausência de adversários declarados.

Os países em final de mandato no Conselho são Chade, Chile, Jordânia, Lituânia e Nigéria.

Os outros membros não permanentes são Angola, Espanha, Malásia, Nova Zelândia e Venezuela.

Vaga da Ucrânia gera atrito
Mais cedo nesta semana, o ministro ucraniano das Relações Exteriores, Pavlo Klimkin, descreveu a abordagem de Kiev para a Rússia como “definitivamente nada conciliatória... o membro permanente do Conselho de Segurança é um agressor na Ucrânia, conduzindo uma guerra híbrida contra a Ucrânia”.

A Rússia anexou a península da Crimeia, que pertencia à Ucrânia, em março do ano passado, o que deu início a combates entre rebeldes separatistas apoiados por Moscou e tropas do governo ucraniano no leste da Ucrânia. A trégua declarada na região praticamente se manteve durante o mês passado.

Mergulhado em um impasse, o Conselho de Segurança já realizou mais de 30 reuniões sobre a Ucrânia desde a tomada da Crimeia. O embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin, não quis comentar como Moscou irá interagir com Kiev no conselho.

Outro beco sem saída no organismo tem sido a busca de uma maneira de encerrar os quase cinco anos de guerra civil na Síria. A Rússia, amparada pela China, tem procurado proteger o presidente sírio, Bashar al-Assad, seu aliado, das ações propostas por EUA, Grã-Bretanha, França e outros.
Ainda não está claro como o Egito vai agir no Conselho de Segurança. As relações entre Washington e o Cairo esfriaram, e o governo do ex-general Abdel Fattah al-Sisi vem acenando para Moscou.
 

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Volkswagen anuncia recall de 8,5 milhões de automóveis na Europa
Veículos começarão a ser consertados no início de 2016.
Na Alemanha, são 2,4 milhões de carros; mais 27 países estão envolvidos.

A Volkswagen informou nesta quinta-feira (15) que fará o recall de 8,5 milhões de veículos na Europa após o escândalo pela fraude comprovada em um sistema de redução emissões poluentes.
Em comunicado, a Volkswagen elogiou a decisão das autoridades alemãs de implementar um calendário a respeito, o que segundo a companhia "dá aos clientes clareza em relação ao uso ilimitado do veículo no futuro".

O recall, que começará no início de 2016, vale para 28 mercados na Europa e inclui 2,4 milhões de veículos na Alemanha. Fora da UE, cada país especificará quais veículos deverão ser levados às oficinas autorizadas.

A Volkswagen entrará em contato com os clientes para lhes informar diretamente sobre a necessidade de levá-los à oficina. Além disso, os clientes podem visitar o site "www.volkswagen.de/info", criado em 2 de outubro, e consultar o número do chassi do veículo para saber se terá que ser reparado.

A montadora informou que há sites similares das marcas Audi, Seat e Skoda.

Além disso, a Volkswagen deverá apresentar nas próximas semanas às autoridades o novo software para os modelos equipado com um motor diesel manipulado.

A Volkswagen disse na nota oficial que as soluções técnicas podem ser medidas de software e hardware que atualmente desenvolve "para cada série afetada e cada ano de fabricação" .
O novo presidente do grupo Volkswagen, Matthias Müller, e o diretor da marca VW, Herbert Diess, explicaram aos 400 principais diretores da companhia as consequências do escândalo de manipulação de emissões de gases poluentes em alguns dos veículos com motor a diesel, apesar de a empresa não ter informado sobre o encontro.

O grupo Volkswagen reconheceu há pouco mais de três semanas que instalou durante anos um software nos motores a diesel EA 189 que permitia ao veículo reconhecer que estava passando por um teste e fraudar as emissões de óxido de nitrogênio mudando o regime de funcionamento do motor.

As marcas afetadas pela manipulação são VW, Audi, Seat e Skoda, assim como alguns veículos industriais.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Empresa lança software pioneiro para 'piloto automático' em carro elétrico
Programa usado em dois modelos do fabricante Tesla se orienta em estrada, muda de pista e ajusta velocidade conforme trânsito.

A fabricante americana de carros elétricos Tesla lançou uma atualização para o software de seus veículos que possibilita que os carros tenham um modo "piloto automático".
O carro não será totalmente independente, mas o novo software faz com que carro Model S e o novo Model X possam "automaticamente se orientar por uma estrada, mudar de pista e ajustar a velocidade em resposta ao trânsito" à sua volta.

O presidente da Tesla, Elon Musk, afirmou que o modo piloto automático foi criado para aumentar a confiança do motorista.
Mas Musk acrescentou que os motoristas que adotarem o novo software, disponibilizado na América do Norte a partir desta quinta-feira, devem ser cautelosos no uso do programa.

"Esperamos que (o carro) não atropele pedestres. (O software) Deve lidar bem com eles", afirmou Musk para jornalistas.
O presidente da Tesla já esclareceu que, se o carro se envolver em um acidente, o motorista ainda será responsabilizado.

"O motorista não pode abdicar da responsabilidade. Isto virá em algum momento no futuro", disse.

As informações sobre o uso do novo software em outras regiões do mundo serão atualizadas nas próximas semanas, dependendo de aprovação e regulamentação local.


Câmeras e sensores
O novo software da Tesla usa uma combinação de câmeras, radares, sensores e dados de mapeamento para determinar a posição do carro e como deve ser a navegação.

Quando o carro tiver chegado ao destino, poderá escanear o espaço disponível e estacionar sozinho.

Diferente dos projetos do Google, que visam um veículo totalmente autônomo, o plano da Tesla é gradualmente fazer com que o software assuma funções que antes eram do motorista.

Atualmente existem limitações ao software que, segundo Musk, serão resolvidas.

"Se há muita neve será mais difícil o sistema funcionar, então é melhor ter cautela. Essencialmente é como uma pessoa - como uma pessoa pode descobrir que rota deve pegar. Com o tempo, será melhor que uma pessoa", disse.

"No longo prazo será muito melhor que uma pessoa. Nunca fica cansado, nunca bebe nada, nunca está discutindo com outra pessoa dentro do carro. Não tem distrações."

Outros fabricantes de carro, como a BMW e a Volvo, também estão desenvolvendo e implementado funções que concedem graus de autonomia a seus carros.

E o carro totalmente automatizado da Google já percorreu mais de 1,6 milhão de quilômetros, a maior parte na Califórnia.


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Encontro reúne sustentabilidade, moda, design e inovação em Rio Preto
Durante três dias haverá desfiles, exposições, workshops e intervenções.
Além de novidades da área, evento abordará luta contra o câncer de mama.

Um dos maiores eventos de moda de São José do Rio Preto (SP) e região, que promove o encontro entre moda, design, inovação, talento e sustentabilidade, começa nesta quinta-feira (15) e vai até o próximo sábado (17), no Riopreto Shopping. Neste ano, além de falar sobre as principais novidades da área, o Riopreto Shopping Weekend vai abordar a luta de mulheres contra o câncer de mama, já que este é o mês de combate á doença.
De acordo com a organização do evento, a Praça 3 de Eventos do shopping será transformada em um palco com desfiles, exposições, workshops, tutoriais, intervenções e palestras. Tudo de graça.

Além de moda, assuntos como sustentabilidade, design, inovação, comportamento, estilo e saúde vão ser abordados. Um dos principais focos deste ano será a luta de mulheres contra o câncer de mama. Na grade de atividade haverá oficinas de auto-maquiagem, uso de turbantes e exposições de fotos sobre como as mulheres podem lidar melhor com a doença durante o tratamento. Todas as atividades são gratuitas.



Confira a programação:

Quinta-feira (15/10) 
Das 13h às 17h - Workshop Tutorial de Amarração de Turbantes com Alain Monteiro e Válter Luís, do Senac Rio Preto.
Das 13h às 17h – Workshop Automaquiagem: inspiração temática Outubro Rosa, com Caio Toledo e Alain Monteiro, do Senac Rio Preto.
Às 13h - Palestra Auto estima: como enfrentar os desafios e defender interesses, com a professora Juliana Ferrari, do Senac Rio Preto. Ela vai fazer debate sobre como confiar em si.
Às 20h - Palestra Outubro Rosa, Turbantes e Trajetória Profissional com o estilista Dudu Bertholini. O estilista falará sobre o turbante como ornamentos religiosos de várias culturas e de que forma foi inserido na moda e se tornou símbolo estético de apoio às mulheres em tratamento oncológico
Das 21h às 22h - Desfiles de lojas do shopping

Sexta-feira (16/10)
Das 13h às 17h - Workshop Customização Camisetas e Tênis: dicas e ideias para personalizar com Natália de Souza Vianna, do Senac Rio Preto. Participantes devem levar camisetas e tênis para customizar.
Das 17h às 21h - Workshop Toy Art Brinquedo de Arte com o objetivo de ensinar a contemporânea prática que produz arte usando brinquedos misturando design e moda, com Aline Eloá Bernardi de Souza, professora do Senac Rio Preto.
Das 14h às 18h - Módulo Design com Leandro Marcato, fundador da Veromobili, que traz um time de designers expoentes desta área. O time de designers cria móveis bem-humorados e com preço justo, pensados nos mínimos detalhes para que o consumidor final consiga montar tudo em menos de 30 minutos, usando apenas uma chave phillips que acompanha o produto. Todos os produtos têm design assinado por brasileiros e feito à mão em uma fábrica no interior paulista. Muitos profissionais deste time estarão em Rio Preto. Entre os participantes está o designer Hugo Sigaud, um coletivo carioca formado por Caio Bahout, Lucas Portes e Vinicius Mesquita, a designer Má Nieyama, a dupla formada pelos irmãos Luis Gustavo e Giselle Boacnin e a jornalista Paula Queiroz.
Às 19h - Palestra Moda Sustentável com Cássia Guimarães, estilista, e profissionais envolvidos com o tema meio ambiente.
Às 20h - Desfile de Moda Jardim do Éden, projeto Moda Sustentável.
Às 21h - Desfiles de lojas do shopping.
Às 21h15 - Palestra e lançamento do livro "A construção do Corset: da modelagem até o acabamento", da especialista em comunicação em moda Ana Laura Marchi Berg.


Sábado (17/10)
Das 13h às 17h - Workshop Toy Art Brinquedo de Arte com o objetivo de ensinar a contemporânea prática que produz arte usando brinquedos misturando design e moda, com Aline Eloá Bernardi de Souza, professora do Senac Rio Preto.
Das 17h às 21h - WWorkshop Customização Camisetas e Tênis: dicas e ideias para personalizar com Natália de Souza Vianna, do Senac Rio Preto. Participantes devem levar camisetas e tênis para customizar.
Das 17h às 18h - Palestra Temas e Produções/Inverno 2016 com Dalva Ferrari, coordenadora de moda e design do Senac Rio Preto.
Das 18h às 19h - Mesa Redonda “Processo Criativo com Alain Monteiro, Maria Fernanda Guarniero, Mariah Arantes e Mayra Nagy.
Às 19h - Palestra Moda Sustentável com Cássia Guimarães, estilista, e profissionais envolvidos com o tema meio ambiente.
Às 20h - Desfile de moda Jardim do Éden, projeto moda sustentável.
Das 20h às 21h – Desfiles delojas do shopping


Todos os dias
Das 10h às 22h - Mostra de móveis assinados por jovens designers - Veromobili
Das 10h às 22h - Exposição Moda Consciente - com mostra de equipamentos antigos de tecer, produtos naturais usados para tingimentos de fios, matérias primas orgânicas destinadas à produção de tecidos e amostras de tecidos: orgânicos, alternativos e sustentáveis.
Das 10h às 22h - Exposição Ecobags - inspirados pelo livro “Ecobags - Moda e Meio Ambiente” da estilista, jornalista e apresentadora do programa GNT Fashion, Lilian Pacce, alunos da gradução em Moda do Centro Universitário Senac, Campus Santo Amaro, fizeram 105 ecobags que fazem parte do acervo permanente da Modoteca da Biblioteca do Centro Universitário Senac.
Das 10h às 22h - Exposição fotográfica Outubro Rosa em Turbantes - exposição de 20 fotografias clicadas pelos alunos do curso Formação Básica em Fotografia, exibindo turbantes produzidos pelos funcionários do Sanac Rio Preto na Campanha do Voluntariado 2015 em prol da campanha Outubro Rosa para o Instituto do Câncer (ICA) do Hospital de Base de Rio Preto.
Das 10h às 22h - Exposição de amarração de tecidos com temas do inverno 2016, com 15 looks criados pelo estilista Alain Monteiro, professor do Senac, inspirados nos temas Vitoriano Gótico, Boho 4ever e Je Suis Moderna.
Das 10h às 22h - Exposição Crie Moda Inclusiva - Com trabalhos do grupo Deficientes Olimpienses Associados (D.O.A), que mostra por meio da arte e da fotografia que as pessoas com deficiência estão inseridas no mesmo contexto que toda a sociedade, com Mariah Arantes, vencedora do concurso regional de Moda Inclusiva em Araçatuba e realizador do mundo fashion com deficientes da região.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Chef de cozinha alagoana é finalista de concurso de gastronomia no RJ
Giovanna Mayer disputa o Bocuse d’Or, as 'Olimpíadas da Gastronomia'.
Competição vai escolher três finalistas para representar o Brasil no México. 

A chef de cozinha alagoana Giovanna Mayer é uma das oito finalistas do concurso de gastronomia Bocuse d'Or, competição considerada as Olimpíadas dos Chefs, que acontece durante a edição brasileira do Salão Gastronômico Sirha até sexta-feira (16), no Rio de Janeiro.

Ela se destacou na competição após preparar dois pratos, um de carne e outro de peixe, fazendo uso de ingredientes determinados pelos jurados do concurso.

Aos 23 anos, Giovanna Mayer é a chef mais nova no páreo e se inscreveu no concurso quando ainda estudava gastronomia, em Barcelona, na Espanha.

Para ser selecionada, ela enviou duas receitas. A de carne tinha que conter a raiz chamada 'ora pro nóbis', e na de peixe era obrigatória a inclusão do chuchu.

“Quando recebi o convite para participar da seleção no Brasil foi uma surpresa! Eu realmente não esperava. Foi um desafio pensar nessas receitas com essas especificidades, ainda mais com o 'ora pro nóbis' que eu nem conhecia. Fiz muita pesquisa para selecionar as receitas e enviar’’, revela.

Para selecionar os candidatos, o concurso usou como requisito critérios como originalidade da receita, fidelidade aos ingredientes exigidos e a melhor apresentação do prato.
Já no Rio de Janeiro, Giovanna teve que encontrar um coach para cumprir as regras da competição. O chef Erik Noka foi o eleito. O mês que antecedeu a disputa foi dedicado aos treinos.
Na hora de cozinhar, a precisão em cada detalhe da receita foi crucial. O primeiro prato tinha que ser entregue com cinco horas de prova, e a segunda receita, no final da prova. Giovanna conta que não teve nem tempo de olhar para os jurados durante a prova do primeiro prato, pois já tinha que se concentrar em terminar o segundo.

“A gente sempre acha que pode fazer melhor. A cozinha é um lugar muito frágil, algo pode dar errado se eu me desconcentrar por um minuto. Mas ainda bem que consegui terminar e colocar em prática tudo que treinei. Agora, é torcer e esperar o resultado’’, conta.

Competição
O concurso acontece desde 1987 e foi criado pelo chefe Paul Bocuse, que há 50 anos garante ao seu restaurante três estrelas do Guia Michelin, nota máxima da tradicional publicação que seleciona bons restaurantes e hotéis em diversas regiões do mundo.

A seleção para a grande final, que acontecerá em Lyon, na França, dura 18 meses. São selecionados jovens de 24 países do mundo inteiro para competir. A seleção do Brasil vai escolher três finalistas para a competição no México, com concorrentes de 12 países, e de lá sairão os melhores chefs para disputar o grande prêmio.

A chef
Giovanna Mayer é formada pela Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo. Durante a graduação, ela trabalhou no Restaurante Paris 6. Depois de concluir o curso, foi para Lyon, na França, onde estudou na escola do Chef Paul Bocuse, criador do concurso. Em seguida, aperfeiçoou as técnicas fazendo vários cursos da área.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Apple Brasil aumenta preços do iMac, MacBook e Apple TV
A Apple aumentou o preço do iMac e MacBook pela terceira vez em 2015 nas suas lojas brasileiras. As primeiras nos meses de março e maio, e a última nesta terça-feira (13), que elevou os valores em quase 50%. Em alguns produtos, o aumento foi ainda maior.

Além dos notebooks e desktops, alguns acessórios também sofreram aumento de preços. O Magic Trackpad, por exemplo, teve um aumento de 150%. O TechTudo entrou em contato com a Apple do Brasil e, segundo a sua assessoria, os reajustes foram feitos devido a alta do Dólar no país.

Fonte: Techtudo.com.br
 
 
 Receita paga nesta quinta restituições do quinto lote do Imposto de Renda 2015
Serão pagos R$ 1,4 bilhão a 1,23 milhão de contribuintes, diz Fisco.
As restituições virão corrigidas em 6,46%.

A Secretaria da Receita Federal paga nesta quinta-feira (15) R$ 1,4 bilhão em restituições para mais de 1 milhão de contribuintes no quinto lote do Imposto de Renda 2015.
As consultas podem ser feitas no site da Receita, em:
http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/Atrjo/ConsRest/Atual.app/paginas/index.asp
Também podem ser feitas pelo telefone 146 (opção 3) ou por aplicativo para dispositivos móveis (smartphones e tablets).

Valores e número de contribuintes
Segundo o Fisco, o quinto lote do IR 2015 pagará as restituições para o total de 1,23 milhão de contribuintes. As restituições virão corrigidas em 6,46%, índice correspondente à variação da taxa básica de juros (Selic) entre maio e outubro de 2015.

Considerando os valores dos lotes residuais de anos anteriores, as restituições sobem para R$ 1,5 bilhão no lote deste mês, englobando 1,26 milhão de contribuintes, dos quais 19.507 contribuintes são idosos e 2.527 contribuintes possuem alguma deficiência física, mental ou moléstia grave.
De acordo com as regras, depois desses contribuintes, as restituições serão pagas pela ordem de entrega da declaração do Imposto de Renda, desde que o documento tenha sido enviado sem erros ou omissões.

Geralmente, são liberados sete lotes do IR a cada ano, entre junho e dezembro. Os valores das restituições do Imposto de Renda são corrigidos pela variação dos juros básicos da economia, atualmente em 14,25% ao ano. Em 2015, o Fisco recebeu 27,8 milhões de declarações de Imposto de Renda até 30 de abril – o prazo legal.

Como saber se está na malha fina?
A Receita Federal lembra que os contribuintes podem saber se sua declaração do Imposto de Renda caiu na malha fina por conta de erros, omissões ou inconsistências.

Para isso, é preciso acessar a página da Receita Federal e consultar o chamado "extrato" do Imposto de Renda – disponível no e-CAC (Centro Virtual de Atendimento). Nesse local, o contribuinte consegue saber quais pendências ou inconsistências foram encontradas pelo Fisco na sua declaração do IR.
Para acessar o extrato do IR, é necessário utilizar o código de acesso gerado na própria página da Receita Federal ou certificado digital emitido por autoridade habilitada.

Em posse da informação sobre pendências e inconsistências, o contribuinte pode enviar uma declaração retificadora ao Fisco e, deste modo, sair da malha fina. Quando a situação for resolvida, caso tenha direito à restituição, ela será incluída nos lotes do IR.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Petrobras desiste de emitir títulos para captar dinheiro no mercado
Decisão foi tomada devido a condições adversas do mercado de capitais.
Petroleira esperava captar R$ 3 bilhões quando entrou com o pedido.


A Petrobras informou na noite de quarta-feira (14) que entrará com pedido na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para interromper a análise de oferta de distribuição de debêntures - títulos que permitiram a captação de dinheiro no mercado.

A decisão foi tomada devido "a condições adversas do mercado de capitais brasileiro".
No final de agosto, a petroleira informou que havia enviado à Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) um pedido de análise prévia para emitir debêntures no valor total de R$ 3 bilhões.

De acordo com fato relevante, os recursos captados com a emissão seriam destinados a investimentos previstos no Plano de Negócios e Gestão, para o "alongamento" do endividamento da companhia e para o custeio de despesas já feitas.
Segundo comunicado, em função disso, o procedimento de coleta de intenções para precificação dos papéis não será mais realizado na sexta-feira.

Lucro em queda
A estatal tem registrado resultados ruins nos últimos períodos. No segundo trimestre deste ano, a empresa teve lucro líquido de R$ 531 milhões, resultado quase 90% menor que no mesmo período do ano passado, quando teve ganho de R$ 4,9 bilhões.
O resultado veio abaixo das expectativas do mercado e é o pior para um segundo trimestre desde 2012, quando a estatal teve prejuízo de R$ 1,3 trilhão, segundo levantamento da Economática ao G1.

O que é debênture?
Debênture é um título de dívida negociável que dá a seu "dono" um direito de crédito contra a companhia emissora. Quem comprar essas debêntures da Petrobras, por exemplo, caso sejam mesmo emitidas, se tornará credor da petroleira. No Brasil, as empresas recorrem à emissão de debêntures para captar recursos.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Dólar opera em alta, após abrir em queda e abaixo de R$ 3,80
Na véspera, moeda dos EUA caiu 2,08%, a R$ 3,8126.
No mês, divisa acumula queda de 3,86%; no ano, a valorização é de 43,4%.

Após abrir em queda e abaixo de R$ 3,80, o dólar virou e passou a operar em alta nesta quinta-feira (15), com o mercado atento aos desdobramentos da política local e em meio a expectativas que o Federal Reserve, banco central norte-americano, não eleve os juros neste ano, o que ajudaria mercados emergentes.

Às 10h49, a moeda norte-americana subia 0,03%, a R$ 3,814 na venda. Veja a cotação.
Veja a cotação ao longo do dia:
Às 9h09, recuava 0,54%, a R$ 3,7919.
Às 9h50, subia 0,12%, a R$ 3,8175.

Na véspera, a moeda norte-americana encerrou em queda de 2,08%, a R$ 3,8126 na venda, anulando boa parte do avanço de 3,58% registrado na véspera, a maior alta diária em mais de quatro anos.

No mês, a divisa acumula queda de 3,86%. No ano, porém, a valorização é de 43,4%.
Juros mais altos nos Estados Unidos atrairiam para aquele país recursos aplicados atualmente em outros mercados, como o Brasil. Com o país mais atraente para investimentos, aumentaria a demanda por dólares - fazendo assim seu valor subir em relação a moedas como o real.


Estados Unidos
"Nos últimos dias houve muito pessimismo sobre os EUA, com o mercado discutindo até uma alta de juros só no meio do ano que vem. Os dados de hoje estão fazendo essas especulações voltarem um pouco, ajustarem-se à realidade", disse o operador de um importante banco internacional, sob condição de anonimato, lembrando que os juros baixos nos EUA beneficiam mercados emergentes, com investimentos mais atrativos.
O núcleo da inflação ao consumidor nos Estados Unidos, que exclui preços voláteis como alimentos e energia, acelerou para 0,2% em setembro, após marcar 0,1% no mês anterior. Os preços ao consumidor como um todo, no entanto, recuaram 0,2%, pressionado pela queda da gasolina.

Além disso, o número de pedidos de auxílio-desemprego atingiu 255 mil na semana passada, novamente o menor nível em 42 anos, sugerindo que o mercado de trabalho norte-americano permanece forte apesar da abrupta desaceleração na criação das vagas de emprego nos últimos dois meses.
Pesquisa da Reuters mostrou que a expectativa de economistas é que o Fed eleve a taxa de juros em dezembro, mas a confiança nessa aposta vem diminuindo.

Segundo operadores, o mercado brasileiro continuava mais sensível que seus pares devido à crise política. A indefinição sobre eventual processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff vem pressionando o câmbio e levou o dólar a marcar a maior alta diária sobre o real em mais de quatro anos na terça-feira.

Analistas da Guide Investimentos destacaram em nota clientes o "noticiário político ainda intenso", mas ressaltaram que "tudo indica que continuaremos em 'stand by': Cunha e Planalto tentam costurar acordão", referindo-se ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Nesta quinta, o Banco Central dará continuidade à rolagem dos swaps cambiais que vencem em novembro, vendendo a oferta total de até 10.275 contratos, equivalentes à venda futura de dólares. Até agora, a autoridade monetária já rolou US$ 4,606 bilhões, ou cerca de 45% do lote total, que corresponde a US$ 10,278 bilhões.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Saiba tudo o que rolou em desfile de moda que reuniu famosos no Rio
Adriane Galisteu, Claudia Leitte, Bruna Marquezine e Anitta foram destaque na madrugada desta quinta-feira, 15, na 4ª edição do Elle Fashion Preview.


A madrugada desta quinta-feira, 15, foi marcara pela passagem de muitos famosos pela 4ª edição do Elle Fashion Preview, que apresentou par aum público de seletos convidados, uam sequência de desfiles de moda, com modelos que cruzaram a pista de pouso do Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio

Adriane Galisteu foi a primeira estrela a desembarcar no hangar que recebia os convidados da festa. Logo na entrada, a apresentadora atraiu muitos olhares usando uma blusa de renda com ombro único e pantalonas. Ao lado do seu marido, o estiliosta Alexandre Iódice, ela falou sobre a sua ligação com a moda e também comentou sobre a saudade que fica quando está longe do filho, Vittório. Ele fica em casa e e eu morro de saudades dele. Já ficamos nove dias afastados e foi muito ruim", disse.

Em seguida foi a vez de Bruna Marquezine fazer uma aparição relâmpago e monossilábica pelo hangar que era utilizado como ponto de encontro do evento. Com frases curtas e respostas objetivas sobre o seu figurino, do estilista Michael Corbs, ela adotou o silêncio em definitivo quando questionada sobre as declarações do ex-namorado, o jogador Neymar, ao relembrar o passado na web: "Nunca foi e nem será mais uma", declarou o jogador.

A sensação do evento foi Claudia Leitte, que arrancou suspiros dos marmanjos ao surgir com um modelito assinado pela estilista Giuliana Romano, que levantava dúvidas sobre o uso ou não de lingerie por baixo do figurino elegante. "Antes de sair de casa, meu marido pediu que eu mandasse uma foto minha para ele ver como eu estava vestida. Disse para ele que estava com um aperto no peito, mas enviei assim mesmo", comentou Claudinha.

Na lista dos apressadinhos que evitaram falar com a imprensa na entrada, estava o ator Henri Castelli - que chegou com sua assessora e preferiu permanecer quase anônimo no Desfile, dizendo que só posaria para fotos e não daria entrevistas - e o marido da atriz Luana Piovanni, o surfista Pedro Scooby, que em aparições rotineiras em eventos noturnos, está sempre acompanhado por uma legião de amigos sorridentes, festivos e muito expressivos.

Reunindo quase 2 mil pessoas, o desfile de modas encerrou com um Show da cantora Anitta, que trouxe no seu set list clássicos da sua carreira, do funk carioca e o novo sucesso "Bang", que já atingiu a marca de mais de 5 milhões de views no seu canal no Youtube.
"A gente não esperava que fosse esse estouro todo. É o resultado de muito trabalho, de um trabalho de qualidade em equipe. O clipe foi lançado em um dia e minutos depois, de repente, ganhou uma projeção enorme. Estamos com certeza todos em festa e eu só posso agradecer ao carinho e a cumplicidade dos meus fãs", disse Anitta ao EGO em entrevista no seu camarim.

Fonte: ego.globo.com
 
 
 Atraso na indústria brasileira atinge em cheio a tecnologia
Se na crise a preocupação é com a sobrevivência, elas perdem em eficiência e competitividade

A indústria brasileira está ficando para trás no que se refere à tecnologia. Enquanto 53,8% das indústrias no mundo pretendem investir em segurança da informação, essa média no Brasil é de 46,2%. Enquanto o armazenamento em nuvem já é uma realidade para 55,4% das empresas estrangeiras em questão, no Brasil ele está apenas em 25%, e 50% dos industriais brasileiros não pretendem investir nessa ferramenta. Os dados são da pesquisa Monitor realizada no primeiro semestre deste ano pela auditoria RSM, com 1.660 dirigentes de indústrias em 14 países.

“As indústrias brasileiras, com a crise, estão dirigidas para a própria sobrevivência. Mas com isso, estão ficando obsoletas perdendo em eficiência e competitividade”, afirma o dirigente do Sindicato das Empresas de Informática de Minas Gerais (Sindinfor-MG), Rodrigo Fernandes, que também é sócio da Eteg Technology.

Para Fernandes, a indústria ainda tem uma visão imediatista e muito voltada para custos. “O que os clientes nos dizem é que se a tecnologia não é segura, fácil de usar e cortar custos, trazendo benefício financeiro rápido, nem adianta apresentar proposta”, conta o empresário.

Com isso, algumas oportunidades não são aproveitadas, segundo Fernandes. O armazenamento em nuvem é uma delas. “A maioria dos servidores físicos, dentro das empresas, são menos seguros e eficientes do que a nuvem. E os custos acabam sendo menores. Sem dúvida, não utilizar a dúvida é perder uma boa oportunidade para a indústria”, avalia.

Fernandes, porém, lembra que a falta de utilização da tecnologia pode acontecer por falta de produtos desenvolvidos especificamente para as indústrias brasileiras ou falta de diálogo entre as empresas de tecnologia e os industriais. “Recurso não falta, talvez falte sentar à mesa e apresentar as vantagens. As Federações das Indústrias como a Fiemg ajudam nesse processo”, diz.

Segurança. Quando o quesito é segurança da informação, a cultura brasileira não ajuda. “Nunca achamos que vai acontecer com a gente. E não tem jeito, as empresas são feitas e lideradas por pessoas, isso acaba influenciando na decisão de investimento”, analisa o professor de segurança da informação do Instituto de Gestão em Tecnologia da Informação (IGTI), Paulo Gontijo.

“Temos uma cultura, e isso acontece no resto do mundo também, de só tomar uma atitude quando acontece algum problema muito grande. É comum investimentos em segurança da informação acontecerem depois de alguma invasão e prejuízos decorrentes”, diz.

Entre os problemas mais comuns que a segurança da informação tenta evitar, Gontijo cita a paralisação das atividades, “principalmente em linhas de produção informatizadas” e o risco de vazamento de informações, entre eles, dados de clientes e funcionários. 

Legislação
Rigidez. O especialista Paulo Gontijo lembra que o setor bancário e as empresas de capital aberto são regulados com uma legislação rígida no que se refere à segurança da informação.

Hackers do bem ajudam a prevenir ataques a empresas

Quando uma empresa já tem uma cultura de investir em segurança da informação e segurança cibernética, costuma contratar os serviços de hackers éticos ou “white hat”, que tentam invadir as máquinas utilizadas pela organização e apontar falhas nos sistemas de segurança.

“Essa é uma realidade bem específica das grandes empresas” pondera o professor de segurança da informação do Instituto de Gestão em Tecnologia da Informação (IGTI), Paulo Gontijo. Ele afirma, porém, que no Brasil já existe um mercado consolidado para esses profissionais.

“Eles trabalham como consultores, realizando testes de penetração e de invasão. A equipe interna, que cria a estrutura de segurança da empresa, seja uma indústria ou não, é bem maior e mais cara”, explica Gontijo. 

Fonte: otempo.com.br
 
 
 Nova tecnologia ajuda a encontrar bagagem no aeroporto
Serviço da ReboundTag procura a mala nos bancos de dados de itens extraviados em todo o mundo

Uma nova tecnologia acaba de chegar ao Brasil e promete causar uma transformação em aeroportos: o ReboundTAG. Com ele, as pessoas podem identificar rapidamente onde está a bagagem caso ela tenha sido extraviada.

Em tese, é o fim da dor de cabeça dos usuários ao perder as malas durante uma viagem. O funcionamento é muito simples. É instalado um QR Code na bagagem da pessoa. Se a mala for perdida, quem a encontrar irá apenas realizar uma leitura do código com o smartphone e, em seguida, já identificará o dono. Este, por sua vez, irá receber um SMS e um e-mail, sendo informado de onde ela está.

A tecnologia oferece ainda o sistema de Busca Ativa. É um acordo entre a ReboundTAG e a empresa que efetua gestão de bagagens. O sistema procuraria a mala nos bancos de dados de itens extraviados em todo o mundo. Assim, companhias aéreas teriam uma redução significativa das bagagens que permanecem em seus depósitos, entregando-as imediatamente aos seus donos.

"Basta ao usuário, em vez de preencher as informações dos antigos identificadores físicos presentes nas malas, cadastrar-se no site da ReboundTAG e colocar a etiqueta em sua bagagem, sem ter de se preocupar-se com uso de pilhas e outros inconvenientes", comenta Leon Knopfholz, diretor comercial do Projeto Mala Segura e que distribui a tecnologia no Brasil.

Neste primeiro momento, a tecnologia será oferecida ao mercado corporativo formado por Companhias Aéreas, Operadoras e Agências de Turismo, Seguradoras, Hotéis, Grandes Organizações.

A ReboundTAG pode ser customizada com a logomarca de qualquer empresa para oferecer comodidade e segurança para seus clientes.

Fonte: revistapegn.globo.com
 
 
 Apple é condenada por copiar tecnologia criada por universitários
A Justiça do estado de Wisconsin, nos Estados Unidos, declarou a Apple culpada por utilizar uma tecnologia patenteada por uma universidade local sem permissão. A empresa pode ser obrigada a pagar quase US$ 1 bilhão como indenização.

A patente em questão, registrada em 1998 pela Universidade de Wisconsin-Madison, descrevia um processo para aprimorar a eficiência de processadores de dispositivos móveis. A mesma tecnologia foi usada pela Apple na produção dos chips A7, A8 e A8X, presente nos iPhones 5s, 6 e 6 Plus, além de alguns modelos de iPad.

O tribunal responsável pelo caso ainda precisa definir exatamente a extensão dos "danos" causados pela Apple e, assim, calcular a quantia que a empresa deve à universidade. A exigência inicial registrada nos autos é de US$ 860 milhões.

Paralelamente, a Apple enfrenta um outro processo por utilizar a tecnologia "roubada" também na produção dos chips A9 e A9X (das novas gerações do iPhone e do iPad). Se for condenada, as despesas da empresa com indenizações podem superar a marca do US$ 1 bilhão.

Fonte: olhardigital.uol.com.br/
 
 
 Ciclista de Ribeirão Preto é prata na última etapa do Paulista de Resistência
O ciclista  Michel Fernandez, da Equipe de Ciclismo de Ribeirão Preto, conquistou o segundo lugar na etapa de Boituva do Campeonato Paulista de Resistência, realizada na última segunda-feira (12). O campeão da prova foi Márcio Biagi, de Suzano.

A quarta e última fase do Paulista aconteceu no Portal Castelo Branco – Condomínio Industrial Guerino. Os ciclistas percorreram 11 voltas em um circuito de 5,7 quilômetros, totalizando 62,7 km.

O equilíbrio na prova foi marcante do início ao fim e a definição do vencedor foi apenas no sprint final. Com a medalha de prata, Fernandez somou 12 pontos na classificação geral e terminou o campeonato na sexta colocação. O título paulista ficou com Lauro César Chaman, da equipe Memorial/Santos.

Agora, a Equipe de Ribeirão Preto foca a preparação para a segunda etapa da Copa América de Ciclismo, que será em Brasília, no dia 25 de outubro. Michel Fernandez, que esteve na etapa de São Paulo, deve fazer parte do time que vai à capital nacional.

Fonte: ribeiraopretoonline.com.br
 
 
 Ribeirão Preto receberá a Quinta Corrida Kids no final deste mês
A 5ª edição da Corrida Kids em Ribeirão Preto acontecerá no dia 31 de outubro, às 9h.

As crianças entre 2 e 12 anos poderão participar do evento que será realizado pela academia Wellness Sport Club, no campo de futebol da UNAERP (Universidade de Ribeirão Preto). O projeto tem como objetivo motivar o interesse das crianças pelo esporte.

O espaço será dividido em percursos de 50 a 200 metros, de acordo com a idade das crianças participantes. O local também contará com uma área de lazer, com brinquedos e oficinas de arte. “Buscamos também promover a interação social, oferecendo atividades que envolvem respeito, colaboração de equipe e contato com a arte”, explica Lucilene Timóteo, gerente técnica da Wellness e organizadora do evento.

O número de inscrições é limitado e custa R$ 55. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (16) 3965-2000.

Fonte: gcn.net.br/
 
 
 Lula diz que Dilma adotou discurso de Aécio
Ex-presidente atacou o ajuste fiscal do governo da sucessora

SÃO PAULO. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira, durante a abertura do 12º Congresso da Central Única (CUT), que a presidente Dilma Rousseff adotou, após ser reeleita para o seu segundo mandato, o discurso do candidato derrotado Aécio Neves (PSDB). A sua sucessora havia acabado de deixar o local, quando o líder petista atacou também o ajuste fiscal e afirmou que está difícil para os sindicalistas dialogarem com a base por causa dos rumos do governo federal.

— Ganhamos as eleições com um discurso e os nossos adversários perderam as eleições com um discurso. Mas a impressão que passamos para a sociedade é que adotamos o discurso de quem perdeu. É o que está na cabeça do povo — discursou Lula, sem citar neste momento o nome do candidato derrotado por Dilma no segundo turno da eleição do ano passado, o tucano Aécio Neves.

Para Lula, o governo precisa parar de falar em ajuste.

— O que a Dilma tem que saber é este país não pode ficar falando em corte mais uma semana ou um mês. Este país temos que falar em crescimento, com geração de emprego e distribuição.

O ex-presidente disse que está muito difícil para os sindicalistas defender o governo em suas bases.

— Esta gente, do chão de fábrica, está sofrendo, está angustiada — reconheceu Lula.

Segundo o ex-presidente, "não tem um país no mundo que tenha feito ajuste e tenha melhorado a economia ou não tenha elevado a dívida".

O ex-presidente defendeu a ampliação das políticas de crédito por meio de bancos públicos, defendida pouco antes pelo presidente da CUT, Vagner Freitas e incentivou o sindicalista a entregar a proposta ao ministro Miguel Rossetto (Trabalha e Previdência), que estava presente, levar para Dilma.

Durante o seu discurso, Lula chegou a ser interrompido pela plateia aos gritos de "fora Levy", em referência ao ministro da Fazenda, Joaquim Leyy,

— Nunca gostei de jogar a culpa em cima de uma pessoa. No futebol, 11 perdem e, às vezes, a gente culpa só quem perdeu o pênalti — alertou o ex-presidente.

Apesar das críticas, Lula elogiou o discurso feito por Dilma cerca de uma hora antes, classificado por ele como "histórico" e compatível com o adotado por ela na disputa eleitoral do ano passado.

— A Dilminha veio para cá outra Dilma. Essa é a Dilminha que elegemos. Não é aquele discurso que dá a impressão que é o Aécio que está falando, que dá impressão que é (senador José) Serra.

O ex-presidente acusou a oposição de "adotar como política não deixar a Dilma governar" e ainda foi irônico com os adversários.

— A Dilma não ganhou eleição para ficar batendo boca com perdedores. Se eles quiserem chorar, que comprem cebola para descascar.

Fonte: oglobo.globo.com/
 
 
 Sem programa específico para refugiados, Brasil coloca centenas de sírios no Bolsa Família
Segundo governo, dos cerca de 2 mil refugiados sírios no país, cerca de 400 são beneficiados por programa de transferência de renda.

O programador Ali*, de 34 anos, era um homem rico na Síria. Ganhava US$ 4 mil (cerca de R$15 mil) por mês, tinha carro e foi um dos melhores alunos da sua pós-graduação.

"Aqui no Brasil, sou pobre", conta ele, que se mudou há um ano e sete meses para o país sul-americano fugindo da guerra civil.
Sem renda, a solução foi recorrer a um programa criado originalmente para retirar brasileiros da miséria: o Bolsa Família.
Assim como ele, cerca de 400 imigrantes sírios que vieram para o Brasil estão no programa, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. O número se refere a julho. A pasta não informou o valor específico recebido pelos sírios – o benefício médio do programa é de R$ 167 mensais por família.

Após facilitar a entrada de refugiados sírios, o Brasil passou a ser o país que mais recebeu pessoas desse grupo na América Latina. Segundo dados do Ministério da Justiça, 2.097 refugiados sírios vivem no país atualmente - o maior grupo entre os 8.530 refugiados do Brasil, à frente dos angolanos, que são 1.480.
Mas, sem falar a língua e em meio à crise econômica, muitos deles - apesar de terem qualificação profissional ─ não conseguem emprego. O governo brasileiro, diferentemente de outros países, não tem um programa específico apenas para refugiados que ofereça diretamente ajuda financeira a eles.

'Renda zero'
O número de sírios no Bolsa Família tem crescido desde 2013, ano em que o Brasil facilitou a concessão de vistos.
Em dezembro daquele ano, sete famílias com pelo menos um sírio – ou cerca de 25 pessoas ─ estavam entre os beneficiários do programa. Hoje, são 163 famílias.

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, responsável pelo programa, usa o número de famílias, e não de pessoas, para a comparação.

No total, 15.707 famílias com estrangeiros estão no programa.
Para Larissa Leite, da Cáritas-SP, que atende refugiados, o número de sírios incluídos fica abaixo do esperado.
"Principalmente no período da chegada, os sírios têm renda zero. É preciso analisar o que está acontecendo."

O secretário nacional de Renda de Cidadania do ministério, Helmut Schwarzer, diz acreditar que o número de sírios no programa irá crescer.

"Possivelmente a gente ainda vai ter algum aumento. À medida que a documentação das famílias for ficando pronta, que o direito de residência for concedido, pode ser que mais famílias solicitem o benefício."

Língua latina com palavras de origem árabe
Segundo a pasta, todo estrangeiro em situação regular no país pode ter acesso ao programa se atender os critérios para inclusão. "O Bolsa Família nunca teve um proibição de participação de estrangeiros. A lei não os distingue dos brasileiros", disse o secretário.

Para entrar no programa, é preciso que a família tenha renda mensal de até R$ 77 por pessoa ou de até R$ 154 se houver crianças ou adolescentes.

Ali*, que não quis ter o nome revelado porque não se sente confortável com sua situação, descobriu que podia entrar no programa com a ajuda de um vizinho.
Ele veio para o Brasil porque não queria fugir ilegalmente pelo mar (rumo à Europa), o que seria perigoso e o deixaria a mercê de traficantes de pessoas. Além disso, queria "um segundo país", e não "um lugar em que fosse ser tratado como refugiado para sempre."

Ficou em dúvida entre Turquia e Brasil, mas optou pelo último porque achou que aprender português, uma língua latina e com algumas palavras de origem árabe, seria mais fácil.
Para chegar ao país, gastou mais de US$ 10 mil (cerca de R$ 37 mil).

Ficou em um hotel quando chegou, mas suas economias estavam se esgotando muito rapidamente. Com isso, se mudou para um apartamento, onde soube do Bolsa Família.
Ali* ganha R$ 386 por mês para sustentar, além dele, a mulher e três filhos ─ que entraram em escolas brasileiras, uma das exigências do programa.

O valor é 2,5% do salário que recebia na Síria.

Comida e fraldas
Ali* diz que o dinheiro dá para comprar comida e fraldas. "Mas só para isso."
"O maior problema é pagar o aluguel. O Brasil deveria ter uma bolsa refugiado, porque o aluguel é muito caro aqui", diz ele.
A reclamação de falta de apoio é comum entre refugiados sírios.
"Mas tentamos fazer eles entenderem que a inclusão deve ser dentro da realidade local. Estamos em crise. Estamos todos em crise", diz Larissa Leite, da Cáritas-SP.

Larissa afirma, no entanto, que os valores do programa ficam abaixo da necessidade dos refugiados.
"A inclusão de refugiados no Bolsa Família é super positiva - sinal de que há um esforço manter igualdade. Mas, em algumas circunstâncias, essas pessoas precisam de apoio maior, porque não falam o idioma, não conhecem a realidade brasileira", diz ela.

"Não estamos defendendo qualquer tipo de diferenciação em relação à população brasileira. Mas se o Brasil tem compromisso de proteção, essa proteção tem que ser na área social também", afirma.

O Conare (Comitê Nacional para os Refugiados), ligado ao Ministério da Justiça, afirma que a assistência específica aos refugiados no país é feita por meio de repasses para Estados, municípios e organizações da sociedade civil que fornecem auxílio com moradia, aulas de português, cursos profissionalizantes, assistência jurídica e psicossocial e, se for preciso, ajuda financeira.

O Conare anunciou na semana passada a liberação de R$ 15 milhões de crédito extraordinário para assistência a refugiados e imigrantes. Além de serem enviados a estes parceiros, os recursos, de acordo com o órgão, também servirão para "consolidar uma rede de centros de referência e acolhida para imigrantes e refugiados".

Sem tempo para planos
A inclusão de refugiados sírios no programa divide especialistas.
Sonia Rocha, do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets), acha que os refugiados não deveriam estar no Bolsa Família.

"Isso mascara o problema e tira o foco. Precisamos de mecanismos próprios para refugiados nas instituições", diz ela.
"A pobreza deles é temporária ─ a situação se aproxima muito mais daquela de quem perde o emprego e ganha o seguro-desemprego do que de quem é extremamente pobre e precisa de um programa de combate à miséria."

"É uma situação conjuntural, não estrutural."
Já a coordenadora do Centro de Estudos sobre Desigualdade e Desenvolvimento da Universidade Federal Fluminense, Celia Kerstenetzky, avalia que a situação deve ser vista no contexto da "mais profunda crise mundial de refugiados em décadas."
Para ela, como as condições são emergenciais e o Brasil não tem tradição de receber refugiados, "uma resposta imediata humanitária possível me parece ser sim incluir essas famílias no nosso principal programa público de transferência de renda."
"Não há tempo para planos e muita racionalidade", afirma.
"Os sírios podem ter boas oportunidades no mercado de trabalho no médio ou talvez até mesmo no curto prazo, mas enquanto elas continuarem dentro da faixa de renda prevista para o Bolsa Família, o benefício vai continuar sendo pago", conclui o secretário Helmut Schwarzer.

*nome fictício

Colaborou Luis Kawaguti, da BBC Brasil em São Paulo

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Dilma vê golpismo, diz que crise política é séria e pede estabilidade
Dilma vê 'golpismo', diz que crise política é 'séria' e pede estabilidade
Presidente discursou para sindicalistas na abertura do Congresso da CUT.
'Quem tem (...) biografia limpa para atacar minha honra?', indagou.

A presidente Dilma Rousseff afirmou na noite desta terça-feira (13) que o Brasil vive uma "crise política séria" e necessita de "estabilidade política". Segundo ela, a oposição tenta chegar ao poder por meio de "golpe" e busca "construir de forma artificial o impedimento de um governo eleito".

Dilma fez as declarações ao discursar na abertura do 12º Congresso da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em São Paulo, para uma plateia de sindicalistas e políticos, entre os quais o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-presidente do Uruguai José Mujica e o presidente nacional do PT, Rui Falcão.


Logo após falar na necessidade de estabilidade política, o público passou a entoar o coro "Não vai ter golpe". De acordo com a presidente, o que chamou de "terceiro turno" começou no dia seguinte à eleição.
"Nós, sem dúvida nenhuma, vivemos uma crise política séria no nosso país. E que neste exato momento se expressa na tentativa dos opositores ao nosso governo de fazer o terceiro turno. Essa tentativa de fazer um terceiro turno começou no dia seguinte às eleições", afirmou.
Para Dilma, "o artificialismo dos argumentos [da oposição] é absoluto". Segundo ela, "a vontade de se produzir um golpe contra as leis e as instituições é explícita".
"Não há nenhum pudor porque votam contra o que fizeram quando estavam no poder. Envenenam a população nas redes sociais e na mídia. O pior é que espalham o ódio, espalham a intolerância", declarou.

Dilma criticou os "moralistas sem moral" e indagou sobre quem teria biografia para atacá-la.

"Eu me insurjo contra o golpismo e suas ações conspiratórias. Quem tem força moral, reputação ilibada e biografia limpa para atacar minha honra? Quem?", perguntou. Nesse momento, Lula, Mujica e as demais pessoas da plateia levantaram para aplaudir de pé a presidente.

Ela afirmou que o "golpismo" é "escancarado" porque, segundo disse, não há fato jurídico que justifique o impeachment.
"Querem criar uma onda que leve de qualquer jeito ao encurtamento do meu mandato sem fato juridico [...]. Isto é um golpismo escancarado. Eu tenho que esse processo não é apenas contra mim. É contra o projeto que fez do Brasil um país que superou a miséria, que elevou as classes médias, que construiu um mercado interno", afirmou.

Ao defender a sua permanência no cargo, Dilma disse ser presidente para “tratar das boas lutas civilizatórias, como a  luta de gênero, contra o racismo, contra a intolerância, para implementar o Plano Nacional de Educação”.
Ela também pediu unidade: “É a hora de unir forças, a hora da unidade, a hora de arregaçar as mangas, a hora de combater o pessimismo, a intriga política. Quem quiser dialogar, terá o meu governo como parceiro”.
Em seu discurso, Dilma defendeu ainda o uso das chamadas “pedaladas fiscais” – atrasos do governo no pagamento a bancos públicos – como forma de garantir programas sociais.
“O que chamam de pedaladas fiscais são atos administrativos que foram usados por todos os governos antes do meu. Eu quero deixar claro que nós não tivemos nesses atos nenhum interesse a não ser realizar nossas políticas sociais e nossas políticas de investimento.”
Na última quarta-feira (7), o Tribunal de Contas da União aprovou parecer que recomenda a rejeição das contas de 2014 do governo devido a supostas irregularidades, como as "pedaladas fiscais". O parecer deverá ainda ser analisado pelo Congresso Nacional. Foi a segunda vez na história que o TCU recomendou ao Congresso a rejeição das contas de um presidente – a primeira foi em 1937, no governo Getúlio Vargas.
"Nessa política de quanto pior, melhor, não há nenhum comedimento, nenhum limite, nenhum pudor, porque votam contra o que fizeram quando estavam no poder”, declarou Dilma.

Lula
Logo após o discurso de Dilma, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva elogiou a fala da atual chefe do Executivo. "Hoje nós deixamos de ter apenas uma presidenta para ter uma líder política nesse país. Hoje a Dilma não fez o discurso de uma presidenta, ela não veio aqui fazer um relatório das coisas que ela fez. Ela veio dizer 'eu sou presidenta da República Federativa desse país com o voto conquistado do povo brasileiro e eu vou exercer o meu mandato em sua plenitude. Quem quiser evitar, que tenha coragem', disse o petista.

Ele também chegou a admitir que antes o discurso da presidente parecia mais com a fala de membros da oposição. "É essa Dilminha que nós elegemos presidente da República. Não aquele discurso que dá impressão que é o Aécio que está falando. Não é aquele discurso que dá impressão de que é o Serra que está falando. Não é aquele discurso que parece que o Bradesco está feliz e o Itaú está feliz."

Lula voltou, ainda, a justificar as pedaladas fiscais – instrumentos em que o governo deixa de fazer pagamentos a bancos públicos para manter mais dinheiro em caixa – como forma de manter programas sociais. "Ela pegou o dinheiro para poder fazer Minha Casa, Minha Vida, para poder pagar o Bolsa Família. Isso não interessa aos nossos adversários", disse Lula.



Fonte: g1.globo.com
 
 
 Twitter anuncia demissão de até 336 funcionários e reestruturação
Encargos ficarão em US$ 20 milhões, segundo o CEO, Jack Dorsey.
'Vamos ajudar a conseguir um novo emprego', escreveu ele.

A rede social Twitter anunciou nesta terça-feira (13) que vai demitir 336 funcionários, o que corresponde a 8% de seus efetivos totais, dentro de um plano de reestruturação e economia.

Estes cortes, anunciados depois da confirmação como CEO do cofundador Jack Dorsey, custarão até US$ 20 milhões em função dos encargos trabalhistas, explicou o Twitter em um documento da bolsa.

"Tivemos de tomar esta decisão extremamente difícil: pretendemos demitir até 336 pessoas em toda a companhia. Nós vamos fazer isso com o máximo de respeito por cada uma delas", escreveu Dorsey.

"O Twitter irá até onde for preciso para cuidar de cada indivídulo, garantindo generosos pacotes de saída, e para ajudar a conseguir um novo emprego. Vamos aproveitar este momento para expressar nossa gratidão por todos aqueles que estão nos deixando. Vamos honrá-los fazendo o nosso melhor para servir todas as pessoas que usam o Twitter".

A companhia está trabalhando para retomar o crescimento após resultados em julho mostrarem um aumento mais lento da média de usuários mensais desde que a companhia abriu capital em 2013. A empresa publicará resultados de terceiro trimestre em 27 de outubro.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Game inspirado em Minecraft é principal lançamento da semana
'Minecraft: Story Mode' cria história para universo do game de blocos.
Expansão do RPG 'The Witcher 3' também é destaque nesta terça (13).

"Minecraft" sempre dependeu da criatividade dos seus jogadores para contar suas histórias. Mas da parceria entre o estúdio Mojang e a Telltale Games, responsável por "The Walking Dead" e "Game of Thrones", nasceu "Minecraft: Story Mode", um "Minecraft" com história cujo primeiro episódio é um dos lançamentos de destaque da semana.


Também chegam nesta terça-feira "Hearts of Stone", primeira expansão do RPG "The Witcher 3", e uma edição especial do game de aventura inspirado nos filmes "De volta para o futuro". E quem tem Wii U também pode contar com uma nova aventura do dinossaurinho Yoshi, "Yoshi's Woolly World".


'Minecraft' com história
"Minecraft: Story Mode" traz para o universo do game de construção com blocos os pretextos de jogos da Telltale: histórias com múltiplas escolhas e distribuição em formato de episódios. O jogo conta a história de um grupo de amigos que, diante de uma ameaça destruidora, deve se unir para salvar o mundo.

Nessa mesma linha de games "adventure", esta semana tem outros dois destaques. O primeiro é "Back to the Future: The Game - 30th Anniversary Edition", relançamento do game inspirado em "De volta para o futuro" para PlayStation 4 e Xbox One. E o segundo é "Goosebumps: The Game", um jogo aponte-e-clique baseado nos livros de terror de R.L. Stine.

Mais bruxarias
Já gastou algumas centenas de horas em "The Witcher 3"? Então prepare-se para gastar mais com "Hearts of Stone", primeira expansão do RPG da CD Projekt Red. O pacote traz mais de 10 horas de partida e mostra o bruxo Geralt se aventurando em uma nova área para derrotar o bandido Olgierd von Everec, um homem imortal.

O extra pode ser comprado separadamente ou junto do passe de temporada de "The Witcher 3", que será concluído na primeira metadae de 2016 com o lançamento da segunda expansão, "Blood and Wine".


Veja os games que serão lançados nesta semana:
13/10: "Minecraft: Story Mode - Episódio 1" (PS4, Xbox One, Xbox 360, PS3, PC)
13/10: "Back to the Future: The Game - 30th Anniversary Edition" (PS4, Xbox One, Xbox 360)
13/10: "The Witcher 3: Hearts of Stone" (PS4, Xbox One, PC)
13/10: "Dragon Quest Heroes" (PS4)
13/10: "Wasteland 2: Director’s Cut" (PS4, Xbox One)
13/10: "Goosebumps: The Game" (PS4, Xbox One, Xbox 360, PS3)
13/10: "The Talos Principle" (PS4)
15/10: "Broforce" (PC)
16/10: "Yoshi's Woolly World" (Wii U)
16/10: "WRC 5" (PS4, Xbox One, Xbox 360, PS3, PS Vita, PC)


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Saúde deve ser a área prioritária do governo, diz CFM
Brasília - Os brasileiros consideram a saúde como a área que o governo deve dar prioridade, aponta pesquisa realizada em todo o país, encomendada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

No trabalho, 43% dos entrevistados apontaram a saúde como o tema que merece maior preocupação, seguido por educação, com 27%, e combate à corrupção, com 10%.

Embora os números sejam significativos, houve uma queda em relação à pesquisa semelhante, realizada ano passado. Em 2014, 57% avaliaram que a saúde era a área que carecia de maior atenção.

"Acreditamos que a redução não esteja ligada à melhora nas condições de atendimento e infraestrutura de saúde, mas, sim, a problemas que se tornaram mais agudos nas outras área, ligados por exemplo ao Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) e à corrupção", avaliou o presidente do CFM, Carlos Vital.

Uma das principais dificuldades enfrentadas por usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) é o tempo de espera para receber atendimento.

A pesquisa revela que um quarto dos entrevistados aguardava mais de 12 meses para serem atendidos. Do total de ouvidos, 16% disseram esperar entre 6 e 12 meses e 39%, de um a seis meses.

Quanto maior a complexidade do procedimento, maior a dificuldade para o acesso. Para fazer cirurgias, por exemplo, 44% disseram aguardar mais de 12 meses. "É um tempo inadmissível", disse Vital.

Não é por acaso que a maior crítica feita ao SUS é a espera (36%), seguida por falta de médicos (19%), falta de estrutura dos hospitais (15%) e falta de organização (9%). Do total de usuários do SUS, 54% atribuíram nota de 0 a 6 ao atendimento.

De forma geral, a população considera difícil o acesso ao SUS. O equivalente a 63% dos entrevistados, por exemplo, classificou como difícil e muito difícil o acesso a cirurgias e 59%, o acesso a consultas com médicos.

Aqueles que conseguem ultrapassar a barreira do acesso, no entanto, dizem estar satisfeitos com o serviço. Entre os que fizeram cirurgias no SUS, por exemplo, 55% consideraram o atendimento bom ou excelente.

O levantamento indica que a nota dada pelo brasileiro ao SUS é maior do que a dada para o sistema de saúde de forma geral (incluindo aí a assistência suplementar e particular).

A pesquisa revela que 12% dos entrevistados concederam nota máxima ao SUS, bem acima dos 6% que consideraram ótimo e excelente o sistema de saúde de forma geral.

Do total de entrevistados, 86% buscaram o SUS nos últimos dois anos e 83% usaram no período algum serviço ofertado pelo sistema. A maior fatia foi de atendimento em postos de saúde (69%) e consultas (67%). 

A pesquisa encomendada pelo CFM foi feita pelo Instituto DataFolha em todo o país. Foram entrevistados para o trabalho 2.069 pessoas com 16 anos ou mais, entre 10 e 12 de agosto.

Fonte: exame.abril.com.br/
 
 
 Esporte motiva crianças de BH e de SP que sonham em ser profissionais
São meninos e meninas super focados e dedicados aos esportes.
Muitos deixaram a família atrás do sonho de ser atleta profissional.

Seja treinando dribles com a bola ou braçadas largas na piscina tem uma criançada empenhada em virar atleta profissional quando crescer. Em Minas e São Paulo, meninos e meninas são super focados, dedicados, mas sem perder a ternura de criança, jamais.

O sonho de James de Almeida, que tem 15 anos, o fez viajar de Brasília até Santos, no litoral de São Paulo. Ele quer ser goleiro e depois de muitas peladas pelas ruas do bairro onde morava, finalmente ele foi visto por um olheiro.

Hoje, James vive sozinho no alojamento do Santos Futebol Clube. Sozinho, não, com outros 45 meninos, mas a 1.100 quilômetros de casa, do pai e da mãe.

Quando os meninos da vila contam suas histórias, elas vêm carregadas de sotaques do Brasil inteiro. Kaio Ramos veio de Recife e como tem só 13 anos, não pode ficar no alojamento, que só aceita quem tem 14 anos ou mais. Mas ele conseguiu um jeito de vir atrás do sonho. “Meu pai e minha mãe vieram para cá para cuidar de mim e abriram mão de tudo”, diz.

Ivonei Rabelo é de Rondonópolis, uma cidade em Mato Grosso, e está impressionado com a estrutura do centro de treinamento do Santos.

Caio Xavier não se esquece da emoção que sentiu quando recebeu a carta-convite para treinar no Santos e é para se emocionar mesmo. A concorrência é grande! Por isso, além do talento, para se manter por dentro é preciso dedicação e entrega.  E prestar bastante atenção no que diz o técnico.
“Não tem vaga definida. Aqui a gente sabe que mesmo os que estão no banco têm potencial para estar jogando de titular, então eles estão ali atrás querendo uma vaga. Se o titular bobear, o que está no banco vem e pega”, explica Gustavo Roma Feliciano, técnico do sub-13.

Humildade e responsabilidade de gente grande, isso tudo eles têm. E, por isso, muitas vezes é preciso abrir mão da diversão própria da idade para não se desviar do caminho do sucesso na carreira.

Mas não é só o esporte mais famoso no Brasil que tem fãs e atletas mirins tão esforçados. Em Belo Horizonte, confira no vídeo com a reportagem completa, a dedicação da garotada que curte uma piscina.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Esporte chique. Looks e peças-chave com pegada esportiva para ir da academia ao trabalho
Esporte chique! Looks e peças-chave com pegada esportiva para ir da academia ao trabalho

O estilo esportivo definitivamente conquistou o street style. E não pense que isso é resultado apenas da febre do tênis. Algumas peças-chave, de tão versáteis, passaram a se adaptar a diversas produções e ocasiões. No guarda-roupa do momento não podem faltar tops, moletons e camisetas, mesmo que malhar não faça muito o seu estilo. Nas ruas das principais capitais da moda, fashionistas põem à prova essa tendência.

Para adotar, a primeira dica é evitar a dupla legging e camiseta. Essa parceria só dá certo mesmo dentro da academia. Fora dela, o ideal é agregar peças statement para dar um up no visual esportivo.

A camiseta branca é sem dúvida o item essencial, mas na hora de usar, combine com saias assimétricas ou jeans rasgados. Nos pés, os tênis brancos, coloridos ou metalizados entram em cena como acessório indispensável.

Os moletons oversized também podem fazer uma grande diferença na produção final. O segredo está nos contrastes. Combine os modelos larguinhos com saias ou shorts de tamanho mini ou mais ajustados ao corpo para equilibrar as proporções. Um shortinho de corrida fica lindo com uma blusa mais estruturada.

Os tops também merecem um espacinho no closet e podem ser usados com jeans boyfriend ou saias ladylike. Modelos com logos e elásticos aparentes funcionam perfeitamente para o jogo contraste. Camisetões estampados, tênis e óculos sporty entram na lista dos must-haves.

Fonte: revistamarieclaire.globo.com
 
 
 Onde está o problema do esporte no Brasil
Espaço Aberto: 'Onde está o problema do esporte no Brasil?'

As dificuldades enfrentadas no esporte refletem os nossos traços culturais como sociedade. No esporte fica clara a nossa falta de capacidade de pensar e agir coletivamente, realizar planejamentos de longo prazo, avaliar impacto e entender a função social do que fazemos.

Muitos de nós não compreendemos que nossa atuação profissional tem uma função social primordial e não se resume apenas em trabalhar para receber um salário. Se existem professores é porque precisamos de alguém para ajudar os alunos a entenderem o que realmente é fundamental na sua formação. Assim como os médicos que entendem o funcionamento do corpo e como estabilizá-lo quando algo o desequilibra. No esporte, a sua função social não é compreendida com tamanha clareza.

Por que queremos sediar os maiores eventos esportivos do mundo? Qual a razão em investir milhões de reais em patrocínios? Para que transmitir horas de competições e programas esportivos? Por que produzir tantos conteúdos sobre atividades esportivas? Será que tudo se resume só aos aspectos financeiros?

Então, por que ficar triste quando a seleção é eliminada na Copa do Mundo? Ou quando o Brasil está em 25º lugar no quadro de medalhas? Ou se seu time não está no G4?

É porque precisamos de inspiração para superar nossas barreiras diárias, necessitamos de ídolos que nos representem como nação, como time. Precisamos nos motivar a ter uma vida mais saudável e experimentar situações nos jogos e brincadeiras que nos permitirão assimilar valores fundamentais, que somente o esporte nos transmite. Esta é a função social do esporte, que muitas vezes passa despercebida.

O primeiro passo para alguma transformação neste cenário é conseguirmos ver oportunidade na dificuldade. A oportunidade está posta! Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Acreditar que apenas o Estado Brasileiro ou qualquer outro segmento isoladamente é capaz de conduzir esta transformação é um erro. Muitas tentativas já fracassaram neste sentido. Para que esta oportunidade seja aproveitada, precisamos articular diversos setores para que cada um possa se enxergar neste cenário e entender seu papel de transformação. Por isso surgiu o Pacto do Rio. Uma iniciativa que pretende articular seis segmentos (Iniciativa Privada, Poder Público, Organismos Internacionais, ONG's, População e Academia) e criar um modelo de governança participativo, que permita a proposição coletiva de projetos de longo prazo, transparência total na sua execução, monitoramento constante e avaliação de impacto.

A partir dessa semana usaremos este espaço para falar sobre as iniciativas na área do esporte no âmbito do Pacto do Rio.


Fonte: esportes.terra.com.br/
 
 
 Brasil conquista recorde de medalhas na Olimpíada de Astronomia e Astronáutica
O Brasil conquistou o primeiro lugar na 7ª Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (Olaa), encerrada no último domingo, nos municípios do Rio de Janeiro e Barra de Piraí  e estabeleceu um novo recorde de medalhas para o país. A delegação de estudantes do Brasil conseguiu quatro medalhas de ouro e uma de prata.

“Para o Brasil, [o resultado] não podia ter sido melhor. Foi o nosso recorde. Já obtivemos quatro de ouro, no passado, mas com uma [medalha] de bronze. Esta é a maior premiação que já tivemos”, disse o astrônomo João Batista Garcia Canalle, presidente da olimpíada. Dois medalhistas - Gustavo Guedes Faria, de São José dos Campos (SP) e Vítor Gomes Pires, de São Paulo (SP), tiveram a melhor prova em grupo, ficando a melhor prova individual com outra brasileira, Ana Paula Lopes Schuch, de Porto Alegre (RS). O Brasil foi eleito ainda o melhor companheiro da disputa.

A abertura da Olaa e a prova de planetário ocorreram no Planetário da Gávea, na capital fluminense, de onde as delegações seguiram para o Hotel Fazenda Ribeirão, em Barra do Piraí, para  as demais atividades. Os estudantes visitaram o Observatório do Pico dos Dias, em Brazópolis (MG) e o Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro. Antes, eles estudaram com especialistas no Observatório Abrahão de Moraes, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP), e aprenderam mais sobre a disciplina, posteriormente, no Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), em Brazópolis (MG), onde fizeram treinamentos. “O treinamento surtiu efeito”, avaliou Canalle.

O presidente da olimpíada disse que, além de estimular o estudo das ciências, o evento reforça a integração entre os países.

“Não temos provas em grupos de países, porque isso só aumentaria o nível de competição entre nações. Temos duas provas em grupo de três ou quatro alunos, mas cada aluno é de um país diferente. Com isso, você mostra para eles que é assim que se faz ciência, de forma coletiva e com cooperação realmente internacional, diminui as barreiras e aproxima os alunos e os cientistas”.

Incluindo o resultado da 7ª Olaa, o Brasil soma um total de 20 medalhas de ouro, 13 de prata e duas de bronze. Essa foi a terceira vez que o Brasil sediou o evento. Em 2016, a olimpíada deverá ter como sede a cidade argentina de Córdoba. Nos anos seguintes, o evento ocorrerá no Chile (2017), Paraguai (2018) e México (2019).

A 7ª Olaa reuniu 38 estudantes do ensino médio de oito países latino-americanos (Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, México, Paraguai e Uruguai). Todos os alunos se classificaram por meio das olimpíadas nacionais de astronomia e astronáutica de seus respectivos países. As provas foram divididas em teoria, prática e reconhecimento do céu. Canalle acredita que nas próximas edições poderá aumentar o número de países participantes. “Este ano, tivemos o Peru como observador”.

A Olaa foi fundada na cidade de Montevidéu (Uruguai), a partir de uma proposta do Brasil, e é feita desde 2009 sob a coordenação de astrônomos de vários países.

Fonte: ebc.com.br
 
 
 Dez celulares que eram top quando você era criança
Os celulares tops de linha atuais têm leitor de digitais, tela que mede pressão dos dedos, câmeras com mais de 10 megapixels e sistemas operacionais inteligentes. Mas nem sempre foi assim e os mais velhos sabem disso. Nos já remotos anos 90, um display que mostrava o número de quem ligava, como o do Motorola PT-550, era algo fantástico.

Os antigos “tijolões” não tinham muitos recursos, mas fascinavam com suas funcionalidades até então inovadoras e jogos viciantes, como o Nokia 5120 e o jogo da cobrinha. Confira abaixo uma seleção com dez aparelhos que eram de última geração quando você era criança e se lembre de como eram os celulares antes da transformação em smartphones.


1. Motorola PT-550 (1990)
Quem nasceu na década de 80 provavelmente vai se lembrar do Motorola PT-550. O primeiro celular vendido no Brasil chegou por aqui em 1990 e logo ganhou o apelido de “tijolão”, graças aos seus 348 g e 22,8 cm de altura. Também conhecido como MicroTAC 550, ele vinha com o até então inovador flip para proteger as teclas e estava disponível nas cores cinza claro e cinza escuro.
Câmera? Armazenamento? Esqueça tudo isso. Ele só tinha identificador de chamada e agenda telefônica. A bateria também não apresentava um desempenho muito impressionante: 2 horas de conversação e 15 horas em stand-by.
Apesar das especificações que agora parecem irrisórias, na época a tecnologia custava caro. O Motorola PT-550 era vendido a cerca de US$ 3 mil lá fora, uma pequena fortuna pela qual só podia pagar quem era rico (ou quase isso).


2. Motorola DPC650 (1995)
Cinco anos mais tarde a Motorola lançaria o DPC650, outro integrante da família MicroTAC. Muito mais leve que o irmão mais velho, ele pesava 221 g – nada demais considerando os 192 g do iPhone 6S Plus, por exemplo.
Sua bateria de níquel metal hidreto tinha autonomia um pouco melhor, aguentando as mesmas 2 horas de conversação, mas 36 horas em espera. O design também era do tipo flip, que dividia a frente do aparelho com o display monocromático e as 22 teclas.
O manual do usuário destacava como “características excepcionais” o suporte multilíngue, os nove toques de campainha selecionáveis, o contador de tempo de ligação e a possibilidade de definir chamadas prioritárias. A agenda tinha espaço para 20 contatos.


3. Motorola StarTAC (1996)
Lançado em 1996, o Motorola StarTAC é considerado por muitos o primeiro celular a se preocupar com o design. Ele inaugurou o estilo clamshell (também conhecido como concha) e pesava apenas 88 g, o que o tornava o aparelho mais portátil da época.
Mas seu pioneirismo não parou por aí. O telefone também foi o primeiro a ter modo vibração, até então usado apenas nos pagers. Outra característica marcante era a capacidade de plugar uma segunda bateria, dobrando o tempo de conversação.
Seus recursos incluíam envio e recebimento de SMS, funcionalidade incomum nos celulares de então – e que mesmo no StarTAC só foi adicionada nos modelos digitais, lançados mais tarde. Somando todos as versões, cerca de 60 milhões de unidades do aparelho foram vendidas.


4. Nokia 5120 (1998)
O Nokia 5120 era um telefone que operava com a extinta tecnologia TDMA. Ele é lembrado principalmente por ser um dos primeiros a vir com o “Snake”, conhecido no Brasil como “o jogo da cobrinha”. O game só era possível graças a uma outra novidade para 1998, o ano de seu lançamento: uma tela “grande” de 5 linhas e 84 x 48 pixels de resolução.
O corpo com design em barra media 48 x 132 x 31 mm e pesava 170 g. Nada apelativo ou muito diferente para a época, não fosse pelo fato de o modelo ser o primeiro com carcaças frontal e traseira com diferentes cores e intercambiáveis. A antena fixa completava o visual do aparelho.
O celular conseguia enviar SMS (até 160 caracteres), guardava até 100 números na agenda, tinha chamada em espera, alarme, calculadora e uma impressionante lista de chamadas perdidas/recebidas/realizadas. A bateria de NiMh tinha capacidade de 900 mAh, suportando até 3 horas e 15 minutos de conversa e até 200 horas em espera.


5. Nokia 3310 (2000)
Foi com o Nokia 3310, porém, que o jogo da cobrinha se tornou uma febre. O lançamento de 2000 até vinha com três outros jogos – Pairs II, Space Impact e Bantumi -, mas nenhum deles alcançou a popularidade do Snake.
Mas não foi só por causa do game que o modelo da fabricante finlandesa vendeu cerca de 126 milhões de unidades. O Nokia 3310 tinha outros recursos diferenciais, como a previsão de texto T9 e a capacidade de baixar toques (monofônicos). Ele também tinha conversor de moeda, calculadora e cronômetro, além de enviar SMS.
Já com tecnologia GSM, o telefone ostentava uma tela de 84 x 48 pixels, pela qual era possível visualizar proteção de tela e papel de parede. Havia duas baterias: uma removível, de níquel metal hidreto, de 900 mAh e outra interna de íon-lítio, de 1.000 mAh. Ambas tinham autonomia de 2 horas e 30 minutos a 4 horas e 30 minutos de conversação.
O corpo muito resistente também rendeu fama ao Nokia 3310. Pesando 133 g, o aparelho possuía diversas opções de capas frontal e traseiras coloridas, que podiam ser montadas de acordo com o gosto do usuário.


6. Siemens A40 (2001)
Quem não se lembra do celular da Xuxa? Foi assim que o Siemens A40 ficou conhecido por aqui, graças a uma versão especial comercializada pela Oi que vinha com cores e desenhos voltados para crianças e adolescentes, além da assinatura da apresentadora de TV. O “Oi Xuxa” tinha serviços de SMS de piadas e horóscopo, ringtone da música “Ilariê” e mensagem de voz gravada pela apresentadora, mas não apresentava nenhuma alteração no hardware.
Em termos de funcionalidade, o A40 não se destacava particularmente. O modelo era um GSM dual-band que não contava com jogos ou despertador. Havia registro de chamadas – 10 posições para discadas e cinco perdidas, mas nenhuma para recebidas – e caixa postal. Apesar dos poucos recursos, o tamanho compacto (118 x 46 x 27 mm), leveza (122 g) e preço acessível tornaram-no um sucesso de vendas no Brasil.


7. Nokia 1100 (2003)
O inconfundível teclado de silicone do Nokia 1100 marcou uma geração. Ele dividia espaço com um ecrã monocromático de 96 x 65 pixels, além da saída de áudio. O 1100 foi lançado em 2003 e, assim como os demais modelos da Nokia, já vinha com o clássico Snake.
A possibilidade de mudar as capas traseira e frontal também estava presente neste aparelho, que pesava apenas 86 g e tinha 106 x 46 x 20 mm de dimensões. Nada de câmera ainda; o avanço tecnológico mais significativo estava no material da bateria, já fabricada com íon-lítio (850 mAh).


8. Motorola RAZR V3 (2004)
Foi em 2004 que a Motorola lançava o icônico RAZR V3, logo alçado ao posto "sonho de consumo". O sucesso do aparelho foi motivado em grande parte pelo seu design. Fino, com duas telas coloridas e um teclado prateado imitando aço escovado, o telefone fashion passou das 130 milhões de vendas e deu origem à linha Razr.
Os displays chamavam atenção também pelo tamanho e resolução. O principal tinha 2,2 polegadas e 176 x 220 pixels, enquanto o visor frontal era de 96 x 80 pixels. Como o visual era seu principal apelo, o V3 ganhou rapidamente duas versões rosa, uma mais clara e outra “pink”, em adição aos modelos prata e preto.
Mas não só de aparência viveu o V3. Ele trazia conexão com Internet via WAP, permitindo enviar e-mails, além de SMS e MMS. A presença de uma câmera VGA (640 x 480 pixels) também abriu novas possibilidades aos usuários, que podiam inserir fotos dos contatos na agenda para identificar melhor as ligações.
Outras características até então raras eram as conectividades Bluetooth e mini USB. Fora isso, ele reproduzia MP3 e MP4, tinha compositor de toques, permitia baixar sons polifônicos e dispunha de 5,5 MB de armazenamento.


9. Sony Ericsson K750 (2005)
Um ano depois a Sony Ericsson lançou o K750, outro celular com formato barra que fez a cabeça dos brasileiros. A tela TFT de 1,8 polegadas tinha 176 x 220 pixels de resolução, dividindo espaço com o teclado físico nos seus 10 cm de altura por 4,6 cm de largura.
Seu grande atrativo era a “poderosa” câmera de 2 megapixels com flash LED e focagem automática, que ainda fazia captura de vídeo. Outra novidade presente no Sony Ericsson K750 era a entrada para cartão Memory Stick Duo Pro, que podia estender os originais 38 MB de espaço interno para até 2 GB.
Ele vinha ainda com navegador WAP 2.0, Bluetooth, infravermelho, rádio FM e permitia fazer download de jogos e músicas. A bateria já era de íon-polímero, com capacidade de 900 mAh, que permitia até 9 horas de conversação.


10. Sony Ericsson W200 (2007)
O Sony Ericsson W200 apostou na vocação para o áudio e foi considerado um celular-walkman. Com 27 MB de espaço interno mais 2 GB no cartão de memória, o telefone foi anunciado como uma alternativa ao MP3 player, contando com um botão dedicado que levava o usuário direto para o menu musical. É claro que ele tinha rádio FM, e permitia inclusive definir as 20 estações favoritas.
As demais especificações incluíam tela de 1,8 polegadas com resolução de 128 x 160 pixels, câmera VGA, navegador WAP 2.0, gravador de voz e editor de fotos. Curiosamente, o Sony Ericsson W200 não apresentava Bluetooth, fazendo com que o compartilhamento de músicas tivesse que ser feito via cartão de memória ou infravermelho.


Fonte: techtudo.com.br
 
 
 Nostalgia brinquedos tech dos anos 80 e 90 que estão de volta
Nostalgia: brinquedos tech dos anos 80 e 90 que estão de volta

Lembrar da infância dá uma certa nostalgia e a primeira coisa que vêm à cabeça são os brinquedos e jogos de antigamente. Quem nunca cantarolou com "O Meu Primeiro Gradiente" ou ficou com os dedos doendo de tanto jogar Pac-Man que atire a primeira pedra! Sonhos de consumo que garantiam a diversão nos anos 80 e 90 estão de volta e as “crianças” com mais de 25 anos vão se divertir com os pequenos de hoje em dia. 

Confira a lista que o TechTudo preparou com os brinquedos tech mais nostálgicos:

O Meu Primeiro Gradiente
O design continua o mesmo, mas as funções… O Meu Primeiro Gradiente era objeto de desejo das crianças nas décadas de 1980 e 1990. A primeira versão do brinquedo vinha com entrada para fita cassete, botões de controle pausa, avançar, parar e retroceder e um microfone. Agora a versão high-tech possui display de LCD, entradas USB para pendrive (vem acompanhado de um com 8 cantigas) e um microfone e rádio FM. Além disso, é compatível com MP3, possui entradas para fones de ouvido e conector mini USB e cabo para conectar a computadores e transferir as gravações. A memória interna é de 128 MB para gravação e 512 MB para pendrive.
O brinquedo permite gravar músicas, ouvir e cantar com rádio FM e até criar efeitos de voz. As crianças também podem cantar em dupla, pois possui entrada para dois microfones. E ainda é possível tirar a voz do cantor para gravar a sua voz junto somente com a melodia. O brinquedo funciona alimentação de 6 pilhas AA ou em fonte de energia.


Gradiente MPG 2C
Aproveitando o enorme sucesso do gravador, a Gradiente lançou a câmera MPG 2C. Colorida e com sensor de apenas 2 megapixels, o brinquedo é ideal para os pequenos fotógrafos. Além disso, é possível gravar vídeos com áudio em formato AVI de 320 x 240 pixels. A câmera também oferece ferramentas para edição de imagens, como molduras, carimbos, cortar, distorção de rosto e até jogos!
O brinquedo funciona com pilhas AA, a memória interna é de 256 MB e possui entrada para cartões de memória de até 16 GB. A MPG 2C vem acompanhada de um cabo áudio e vídeo para exibição das imagens na TV e um cabo USB para transferir as fotos para o computador.


Genius
O Genius foi o primeiro brinquedo eletrônico comercializado no Brasil. Chamado de “o computador que brinca”, virou febre entre as crianças nos anos 1980 e agora ele está de volta! Com um design repaginado, mas sem fugir do tradicional formato de disco, ele emite sons e acende os painéis de cor e o jogador tem que repetir a sequência dada pelo brinquedo sem errar. São três jogos diferentes e quatro níveis de dificuldade. Uma competição divertida para quem tem boa memória.


Perfil
Saudades dos jogos de tabuleiro? Quem se lembra do Perfil vai adorar saber que agora existe uma versão digital gratuita para dispositivos móveis Android, iOS e Windows Phone. Com opção de jogar sozinho ou em turma, como antigamente, o jogo da Crow traz charadas sobre um lugar, coisa, pessoa ou ano. O aplicativo tem exatamente as mesmas regras do jogo de tabuleiro e traz versão gratuita e pagas.


Master System
O Master System ataca novamente! A nova versão do videogame apresenta um design moderno e atraente, mas sem esquecer o tradicional tom azul escuro e a estampa do memorável porco-espinho Sonic no console com dois joysticks ergonômicos.

Esqueça os antigos cartuchos de jogos, o Master System Evolution conta com 132 jogos com classificação livre na memória incluindo os clássicos como Alex Kidd , Sonic the Hedgehog, Axe, Hang On e Altered Beast.


Mega Drive
O Mega Drive voltou em versão portátil. O videogame foi sucesso há mais de 20 anos e volta para fazer a alegria das crianças e dos adultos de hoje. São 20 jogos na memória incluindo os clássicos, como o Sonic, California Games, Castle of Illusion e Mortal Kombat. E ainda conta com entrada para o MD CARD GAME para jogar mais jogos.
O game tem tela de LCD de 2,8 polegadas e bateria interna recarregável com, aproximadamente, 5 horas de duração. Acompanhado de um cabo de áudio e vídeo é possível jogar na TV.


Furby
O Furby foi lançado no final da década de 1980 e foi sucesso de vendas. O brinquedo eletrônico é um “robô fofo” que interage com as crianças. A nova versão vem com um aplicativo para os pequenos cuidarem do seu Furby: dando comida, banho, fazendo cócegas e brincando e jogando com ele. E ainda, o Furby Boom pode criar ovos! Choque-o para nascer um Furbling, uma pequena e divertida criaturinha virtual. Além da cor tradicional azul, o brinquedo está disponível em outras diversas cores e estampas.


Tamagotchi
O bichinho virtual que era mania entre as crianças na década de 1990 voltou em forma de aplicativo para Android. O jogo é não deixar o Tamagotchi morrer e para isso é preciso alimentá-lo, dar banho e brincar com ele. E agora, o usuário pode obter templates especiais para o jogo. 


Games viraram aplicativos
Os jogos clássicos que fizeram a cabeça da garotada também estão de volta. Um deles é o saudoso Pac-Man. Antes jogados nos fliperamas e no Atari , agora podem ser baixados nos smartphones. O aplicativo do jogo está disponível para Android, iOS e tem versão até para computador Windows.


Outro jogo clássico do Atari que voltou em forma de aplicativo é o Enduro. Game de 1983, produzido para o Atari, está disponível para Android e iOS.

O popular jogo da cobrinha, Snake'97, presente nos celulares Nokia no final da década de 1990 também virou aplicativo. O app desenvolvido pelo mesmo criador da versão antiga está disponível para Android, iOS e Windows Phone.

O tradicional jogo de lógica e raciocínio Tetris também está de volta nos smartphones Android, iOS e Windows Phone. No jogo, o jogador deve empilhar cubos e encaixar em linhas contínuas em uma base sem falhas.

E quem não se lembra do jogo Space Invaders do Atari? Sentiu saudades em destruir ondas de naves com um canhão a laser para ganhar o maior número de pontos possíveis? Agora você já pode baixar o jogo no seu celular. O aplicativo está disponível para Android e iOS.


Fonte: techtudo.com.br
 
 
 Dell anuncia a maior aquisição da história da tecnologia
A Dell acaba de anunciar a aquisição da EMC, empresa de armazenamento de dados. O negócio foi oficializado nesta segunda-feira,12, por US$ 67 bilhões, e deve combinar o domínio da EMC no mercado de armazenamento com a participação da compradora na área de dispositivos.

De acordo com a agência Blooomberg, esta é a maior aquisição já feita no mercado de tecnologia. O montante representa um aumento de 28% nas ações em relação ao dia 7 de outubro, quando o processo de compra era desconhecido.

O negócio vinha sendo discutido diretamente entre os CEOs Michael Dell e Joe Tucci, da EMC. Apenas alguns executivos da Dell foram consultados, mas o plano foi descoberto e informações começaram a aparecer na imprensa no último domingo, 11.

A EMC produz sistemas de armazenamentos de dados, segurança da informação e computação e possui 70 mil funcionários em todo o mundo. No ano passado, a companhia obteve uma receita de US$ 24,4 bilhões.


Fonte: olhardigital.uol.com.br
 
 
 Brasil tem boas práticas na educação, diz consultor inglês
Em tempos de crise econômica e austeridade, é ainda mais importante para o Brasil criar um ambiente em que a educação avance e que boas práticas existentes possam ser compartilhadas, diz o especialista britânico David Albury, que participa de projetos educacionais em diferentes partes do país.

Albury é professor visitante de Estudos de Inovação no King's College, em Londres, diretor da Global Education Leaders' Partnership (comunidade de líderes e consultores em educação) e presta consultoria a redes de ensino em 13 países.

Na cidade gaúcha de Viamão (RS), ele participa de um plano na rede municipal a partir da metodologia chamada de problem-based learning (ensino baseado em problemas), em que questões relevantes aos alunos e suas comunidades são o ponto de partida para o aprendizado prático e para a busca de soluções pelos próprios estudantes.

Albury esteve em São Paulo recentemente para participar do seminário "Liderança e Inovação na Educação", da Fundação Santillana. Ele conversou com a BBC Brasil por telefone:

BBC Brasil - Como é o projeto do qual o senhor participa em Viamão (RS)?

David Albury - Pela (metodologia de) "ensino baseado em problemas", os estudantes participam de projetos e os usam para adquirir conhecimento. Os projetos levantam questões (relativas à comunidade), e os estudantes apresentam ao restante da escola o resultado das pesquisas.

Os estudantes ficam realmente motivados e ganham mais aptidão a aprender, pesquisar, desenvolver habilidades.

BBC Brasil - Como melhorar o desempenho dos estudantes brasileiros, atualmente muito mal posicionados em rankings internacionais de educação?

Albury - De fato é um grande problema: como dar a todos os estudantes do país as habilidades e os conhecimentos que eles precisam para serem bem-sucedidos e prosperarem no século 21.

A primeira coisa é dar condições e apoio para que as escolas e professores desenvolvam boas práticas de ensino, usando exemplos do Brasil e de outras partes do mundo.

É preciso fazer com que as escolas trabalhem juntas de modo que sintam que estão colaborando com um ensino do século 21. Se você cria esse ambiente nas instâncias municipais, estaduais e federal, acho que o (cenário do) país é promissor.

Há centenas de exemplos de inovação de grandes escolas, mas é preciso criar as condições para que essas práticas sejam compartilhadas.

BBC Brasil - Que boas práticas viu no país?

Albury - Fiquei impressionado em especial com uma escola de Viamão em que os estudantes, em grupos, estão realizando projetos nas comunidades ao redor (por exemplo, com reciclagem e arte nas aulas). Dá para ver pelo seu envolvimento que eles estão aprendendo a pesquisar e a resolver problemas.

Há outros projetos em andamento pelo país, como o Escola Digital (plataforma gratuita com videoaulas, jogos e outros recursos de apoio à educação), que ajuda muitas escolas no Brasil a desenvolver recursos digitais e usar tecnologia.

BBC Brasil - Como disseminar mais essas práticas? Uma boa escola pode ajudar uma que não vá tão bem?

Albury - Muito do meu trabalho é ajudar grupos (de determinadas escolas) a se juntarem e compartilharem (seu trabalho), reunindo os professores e elaborando workshops que resultem na criação, em conjunto, de práticas de trabalho com os estudantes.

Espero conseguir também trazer processos e redes de contato do redor do mundo para ajudá-los nesse processo colaborativo e a pesquisar com os próprios estudantes o que eles acham relevante em sua educação.

BBC Brasil - O país ainda tem uma enorme desigualdade na educação. Como combater isso?

Albury - Mesmo nas escolas (que trabalham) em circunstâncias muito difíceis, mesmo nas escolas cujas crianças vêm de famílias muito pobres, é possível criar um ambiente fantástico de aprendizado, que envolva o estudante e o permita desenvolver habilidades básicas.

Claro que é algo de longo prazo, mas o que temos de fazer é juntar a energia e paixão dessas escolas e desses professores.

O governo tem o papel de criar condições para que escolas, professores e entidades parceiras possam colaborar e compartilhar o conhecimento, atravessando fronteiras estaduais.

Não é só uma questão de achar projetos (bem-sucedidos), mas conectá-los para que se tornem ações mais poderosas de aprendizagem.

BBC Brasil - Podemos melhorar a educação no atual ambiente de austeridade e cortes de gastos na educação?

Albury - Claro que algumas mudanças são muito mais difíceis de serem feitas quando há grandes cortes. Mas sei, a partir de exemplos ao redor do mundo e até de alguns lugares no Brasil, que se você (valorizar) o trabalho e o comprometimento de professores que querem ter um impacto no ensino dos alunos, é possível fazê-lo mesmo em tempos de austeridade.

Muitos estudos mostram que quando países estão diante de dificuldades econômicas, a principal prioridade deve ser fomentar a capacidade dos jovens para que eles se tornem agentes da economia.

Então, em tempos de dificuldades econômicas, é ainda mais importante criar um ambiente em que a educação possa melhorar.

BBC Brasil - O ensino médio é considerado a etapa mais problemática atualmente e convive com altas taxas de evasão e defasagem.

Albury - Temos de ser honestos: a principal razão pela qual tantos estudantes desistem da escola é que eles simplesmente não acham a educação oferecida relevante para suas vidas.

Muitas vezes não é que o estudante esteja desconectado da escola, mas sim que a escola está desconectada dele.

Isso é abordado no "aprendizado baseado em problemas": criar projetos que despertem o interesse dos jovens, que lhes façam sentir que o aprendizado é realmente relevante para ele e sua comunidade.

Nosso trabalho como educadores e líderes é desenvolver modos que permitam aos estudantes aprender dessas experiências (práticas), focadas em questões que tenham sentido. É assim que você reduz taxas de evasão e aumenta a adesão.

BBC Brasil - O Reino Unido realizou uma reforma educacional alguns anos atrás. Podemos tirar alguma lição dela?

Albury - A primeira lição é: se você liberar o potencial de professores e estudantes para desenvolver boas práticas, ficará surpreso com o poder das inovações que eles produzem.

A segunda é que a reforma focou muito em dar autonomia a cada escola. O que aprendemos desde então é a importância da colaboração, de facilitar que as escolas trabalhem juntas - dar liberdade para as escolas para que elas consigam desenvolver boas práticas mas também apoio com ferramentas, estrutura e condições de compartilhar suas experiências.


Fonte: noticias.terra.com.br
 
 
 Defesa do meio ambiente também é política, diz Rafael Correa
A defesa mundial do meio ambiente não é apenas técnica, mas também política, porque são os países poderosos os que mais poluem a Terra, afirmou nesta segunda-feira na Bolívia o presidente equatoriano, Rafael Correa, pouco antes de chegar a um evento sobre mudanças climáticas.

"É um problema político, não apenas técnico, há um problema de relação de poder entre os que poluem e os que geram bens ambientais", afirmou o governante que, junto com seus colegas Nicolás Maduro (Venezuela) e o anfitrião Evo Morales, encerrará a conferência de movimentos sociais sobre mudanças climáticas.

Pouco antes de chegar ao evento no povoado de Tiquipaya, sob jurisdição de Cochabamba (centro da Bolívia), o presidente afirmou que "os poderosos são os que poluem e os menos poderosos, os países em desenvolvimento, são geradores de bens ambientais".

"Tudo está em função do poder: se os poluidores fôssemos nós e os produtores de bens fossem eles, há tempos teriam até nos invadido para exigir uma suposta compensação", ironizou.

Para o líder equatoriano, "é indispensável a união de nossos povos".

Correa está interessado, assim como seus dois colegas sul-americanos, na formulação de uma proposta a partir da sociedade civil que seja apresentada na Conferência Mundial sobre o clima (COP21) que será realizada em Paris de 30 de novembro a 11 de dezembro.


Fonte: zh.clicrbs.com.br
 
 
 A moda das caveiras
A caveira pode simbolizar a vontade de voltar ao essencial, sem máscaras

Quando eu tinha uns 11, 12 anos, não sabia se queria ser escritor ou pintor. Cheguei a ousar umas horrendas paisagens a óleo. Mais tarde fiz cursos de desenho criativo. Enfim, as artes plásticas me acompanharam ao longo da vida. Há algum tempo, resolvi fazer caveiras. Fazer é modo de falar, já que os escultores nem sempre são os realizadores finais das obras, mas idealizadores. Comprei caveiras de resina de uma empresa que fornece para uso em escolas. Descobri com dificuldade um ateliê que faz roupas para carnavalescos. Comprei cristais Swarovski. E “fiz” caveiras de cristais colados um a um, pretas, brancas, e até ousei outras cores. Todos que vêm a minha casa adoram, cheguei a dar algumas de presente. Um sucesso. Tanto que um amigo, Luiz Carlos Began, dono de um antiquário e da Baccarat, convidou-me para expor as caveiras, em edição limitada e numerada. Coquetel, lançamento. Eu me senti o máximo e já me via nas páginas da Casa Vogue. Faz uns dois anos. Mas aí fui para Amsterdã. Caminhava por uma rua repleta de galerias quando numa vitrine eu vi... as minhas caveiras! Voei para dentro.

Não eram exatamente as mesmas. Muito parecidas. Cobertas por um tecido brilhoso, de acabamento, juro, inferior às minhas. Mas a assinatura, ah, a assinatura! Era do Damien Hirst, considerado um dos maiores artistas vivos. Sim, eu me havia inspirado nele, que criou uma absurdamente milionária caveira coberta com brilhantes. Creio que a obra de arte atual mais cara do mundo. As caveiras do Damien vinham acompanhadas de um livrinho, sobre seu trabalho com crânios. Custavam uma grana em euros. O esperto havia popularizado sua caveira original! Eu não podia mais fazer meu coquetel. Diriam que estava copiando!

Só então descobri que as caveiras entraram na moda. Fui para a França e comprei a obra de outro artista, uma caveira negra coberta de mariposas. Lindíssima, embora a descrição aqui possa parecer assustadora. Uma outra de cristal. Meu amigo Began, ele de novo, me presenteou com um aparelho de som em forma de uma gigantesca caveira. Incrível. Outro amigo me deu uma caveira de pedra, encontrada na internet.

É fascinante como algo entra na moda. Caveiras sempre foram prestigiadas em grupos de rock. Entre os góticos, darks, punks. É a primeira vez que uma moda iniciada num nicho tão especial conquista as diversas classes sociais. Flávio, outro amigo, me trouxe uma camiseta com caveira, que eu sei que não custou muito. Mas que fica ótima. Em compensação, numa coleção deste ano, a Dolce & Gabbana lançou uma camisa polo coberta de caveirinhas. Comprei. Um amigo me deu uma bijuteria com uma caveirazinha negra. Outro usa um anel com uma enorme caveira, que toma o dedo todo. Caveiras são chiques, estéticas. A dona de uma importante galeria de São Paulo me disse:

– Caveiras estão com tudo.

Outro dia na aula de ioga fiz uma posição estranha, mas na qual me achei muito confortável. O professor explicou.

– Essa é a posição de Kali. Uma deusa que usa um colar de caveiras.

Kali é também uma deusa da destruição. A palavra destruição em si parece assustadora. Mas, quando usada no sentido esotérico, pode significar o fim para o novo começo. Nem sempre a carta da Torre sendo destruída por um raio no tarô, considerada péssima para os iniciantes, é de fato ruim. A Torre pode ruir, para depois se fazer um edifício melhor. É assim que se interpreta o mito da destruição, não como o fim, mas como a chance de um recomeço.

A moda das caveiras pode simbolizar algo assim. A vontade de voltar ao essencial, sem máscaras. Em Hamlet, de Shakeaspeare, quando o príncipe olha uma caveira, numa cena antológica, pergunta:

– Ser ou não ser? Eis a questão.

Na caveira, resta a grande verdade sobre todos nós. Temos um tempo para existir. Para realizar. Tudo termina, desaparece. Grandes questões de ego, vaidades, desaparecerão como pó, como já se foram civilizações inteiras.

Talvez a moda das caveiras, que a princípio pode parecer aterrorizante, até doentia, seja na verdade salutar. As pessoas estão, mesmo que através da arte (e não é para isso que existe a arte, afinal?) e da moda, fazendo um grande questionamento íntimo.

Seja como for, eu aderi. Se tivesse brinquinho de caveira, usava. É uma moda, uma estética. Mas o mundo se renova. Em breve, talvez sejam anjos. Por via das dúvidas, também comprei uma camiseta com umas asas desenhadas. De caveira a anjo, nunca se sabe.

Fonte: epoca.globo.com/
 
 
 Paris sedia desfile de moda de anãs para estimular inclusão
Dwarf Fashion Show seguirá para Dubai e Tóquio

Engana-se quem pensa que, para ser modelo, é preciso ser alta e magra. Em Paris, a terceira edição do Dwarf Fashion Show mostrou que a moda pode ser muito mais inclusiva, e levou às passarelas dez anãs de diferentes nacionalidades vestindo roupas especialmente desenhadas pela agência Creative Business House, de Nova York.

O evento, realizado no Ministério da Cultura da França, já ocorreu também em Nova York e seguirá para Dubai e Tóquio.

"Mais do que um evento, se trata de uma organização que pretende ajudar as pessoas de tamanho pequeno a encontrar um lugar no mundo da moda“, contou uma das porta-vozes do desfile, em declaração reproduzida pelo Hypeness.


Fonte: noticiasaominuto.com.br
 
 
 Oposição faz reunião em Brasília para fechar estratégia de impeachment
Líderes da oposição se reúnem na noite desta segunda-feira (12), em Brasília, para fechar uma estratégia conjunta sobre a abertura de um processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Antes, alguns integrantes da oposição devem fazer uma consulta ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Simultaneamente à reunião dos oposicionistas, o ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, recebe deputados petistas no Palácio do Planalto para organizar a reação do governo.

Entre os oposicionistas, cresce o entendimento de que o melhor cenário seria o acolhimento por Cunha do pedido de impeachment apresentado pelos juristas Hélio Bicudo (ex-PT) e Miguel Reali Junior. Para respaldar a decisão do peemedebista, a oposição deve aditar ao pedido a posição do Ministério Público Federal junto ao Tribunal de Contas da União que já reconhece que houve pedaladas fiscais em 2015.

“Isso irá fortalecer o acolhimento por parte de Cunha”, observa um líder de um dos partidos da oposição.

Mesmo assim, o deferimento imediato por parte de Cunha não é consenso entre os oposicionistas. “O roteiro original poderia dar mais legitimidade, já que Cunha está com a credibilidade arranhada. Por isso, seria melhor ele rejeitar. Em seguida, haveria um recurso para votação em plenário”, argumenta outro líder da oposição.

Para a oposição, o fato da Procuradoria Geral da República ter divulgado a informação com detalhes da movimentação das contas de Eduardo Cunha na Suíça enfraqueceu a posição do presidente da Câmara, justamente no momento em que o pedido de impeachment seria analisado na Casa.

Cresce na oposição o sentimento de que Cunha pode mudar de posição e acolher o pedido de impeachment. Mas, com o adendo da oposição, ele iria aguardar mais alguns dias para definir sua posição.

Oposicionistas também avaliam que a situação política de Cunha é muito delicada. E que o ideal seria ele renunciar à presidência da Câmara. Neste caso, ele ganharia apoio no Conselho de Ética para manter o mandato.

“Como muitos parlamentares estão na mesma situação, o mais prudente seria esperar uma decisão definitiva do Supremo Tribunal Federal”, observou um líder da oposição.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Produtores brasileiros investem em café gourmet para escapar de oscilações na economia
Assim que o sol nasce na Serra de Caparaó, no Espírito Santo, Tarcisio Lacerda leva a reportagem da BBC para um tour em sua propriedade. No passeio em sua picape, por meio das colinas, é possível avistar os trabalhadores colhendo grãos de café nas plantações que tomam o vasto vale ao redor.
O café tem sido a espinha dorsal econômica dessa região há mais de um século.

Por décadas, a família de Lacerda conheceu a riqueza e a pobreza, uma vez que sua renda sempre oscilou em torno do café. Secas, medidas do governo, consumo global e questões cambiais, entre outros fatores, foram bênçãos e maldições que determinavam seu destino.

Mas, nos últimos cinco anos, os fazendeiros dessa região brasileira estão encontrando novas maneiras para comandar seu próprio destino em um cenário global em que, após um período de boom no preço das commodities, economias como a brasileira têm dificuldades para se ajustar à queda na demanda e aos preços menores.

Tarcisio Lacerda levou a BBC até o topo de uma colina e mostrou o segredo deles.

O vale está cheio de plantas de café – mas nem todas necessariamente produzem um bom café. No passado, os fazendeiros costumavam coletar todos os grãos, colocá-los em sacas e embarcá-los em navios rumo ao exterior, aceitando qualquer preço que estivesse listado no mercado de commodities.

Agora, porém, Tarcisio Lacerda e sua família estão separando os melhores grãos – a maioria deles cultivados 1,5 mil metros acima do nível do mar – e produzindo suas próprias marcas especiais com eles. O restante é vendido ao mercado ainda na forma de grãos verdes, ou seja, baratos e não processados.
"Normalmente nós dobramos o preço ao migrar da commodity para a especialidade. Uma saca de café comum vale agora R$ 450, mas nós podemos vender o café especial por cerca de R$ 900 ou R$ 1 mil", conta.

Curtiu? Siga a BBC Brasil no Facebook
A fazenda vizinha à de Tarcisio, a Forquilha do Rio, venceu alguns dos principais prêmios brasileiros dedicados ao café. A qualidade de seu produto se deve às favoráveis condições locais – temperaturas amenas, boa exposição ao sol e altitude elevada.
"Nós sabíamos que nosso café era bom, mas não tínhamos a menor ideia de que era tão bom assim. E foi assim até começarmos a disputar esses concursos, há cerca de cinco anos. Descobrimos o quão valioso ele é", diz Afonso de Abreu Lacerda (que não é parente de Tarcisio) em frente a um armário cheio de troféus.
Em 2012, quando a Forquilha do Rio venceu um dos principais prêmios do país, eles conseguiam vender um de seus lotes por US$ 950 (R$ 3,5 mil), mais que seis vezes o preço da commodity à época.
Hoje, a fazenda exporta seu próprio produto final, com sua marca, para China e Japão.

Revolução dos jovens
A "revolução do café gourmet" ocorre, em parte, graças a Jhone, de 26 anos, filho de Tarcisio.
Quando tinha apenas 15 anos, ele largou a escola e se mudou para a propriedade da família, determinado a aprender tudo sobre o mercado do café.
A cada temporada, pai e filho experimentaram diferentes formas de colheita, secagem e torrefação de seu produto.
Jhone desenhou, construiu e patenteou um novo equipamento para secagem – responsável, em boa parte, por tornar grãos commodity em café gourmet.
Ele também se tornou um Q-Grader licenciado – ou seja, parte de uma categoria altamente qualificada de provadores de café.
Pai e filho começaram a desenvolver sua marca, a Fazenda Santa Rita, após comprarem torrefadoras. Agora, comercializam seus próprios pacotes.


Imposição do mercado
O principal desafio de Jhone Lacerda era produzir café de qualidade pronto para o consumo e, com isso, deixar de depender do mercado das commodities.
"Essa mudança de curso foi algo que o mercado nos impôs. Nós estávamos acostumados a depender do preço das commodities, de aspectos como quanto café as pessoas estavam bebendo em outros países ou se esses locais estavam em crise ou não", diz ele.
"Queremos fazer parte de um setor menor, mas que não depende apenas da demanda. No mercado do café especial, não é a demanda global que determina o preço. É a qualidade do produto que você oferece."
Com esse pensamento, fazendeiros da região estão atuando em conjunto para elevar a qualidade de seus produtos.
E Jhone tem um papel importante: ele usa suas habilidades de provador Q-Grade para aconselhar todos os produtores vizinhos sobre qual preço cobrar por sua produção.
Com outras duas famílias, ele criou o Montanhas do Caparaó, um mix de alguns dos melhores cafés da região, que já venceu um dos principais prêmios do país.
Jhone agora está de volta à escola: ele estuda a produção do café no Instituto Federal do Espírito Santo.

Brasil importa o café brasileiro
Segundo seu pai, o Brasil finalmente acordou de um sono de séculos e sente o cheiro de seu próprio café especial. Seus pais, diz, jamais pensaram nisso.
O país é, de longe, o maior produtor e exportador mundial de café. Cerca de um terço do café mundial vem de terras brasileiras – mas praticamente tudo isso é composto de grãos verdes, com valor agregado muito baixo.
A Alemanha, por exemplo, não colhe café, mas é um dos maiores exportadores globais. Ela importa grãos crus e os transforma em marcas finais, as quais vende para outros países por preços altos.
O valor que o Brasil agrega a seu café é tão baixo que o país importa exatamente os mesmos grãos que exporta – uma lógica que desafia os economistas.
Esse é o caso da mistura que está dentro das cápsulas da marca Dolce Gusto, da Nestlé. Grãos verdes do Brasil são enviados à Alemanha e ao Reino Unido para serem transformados em cápsulas. Essas mesmas cápsulas são, então, exportadas para o Brasil, onde são vendidas aos consumidores locais.
A Nestlé está mudando isso e planeja abrir sua primeira fábrica do produto no país ainda neste ano.
"O Brasil sempre foi o maior produtor e um dos maiores consumidores de café e, por isso, nunca teve de se preocupar em cuidar da qualidade do produto para seus próprios consumidores", afirma Tarcisio Lacerda.

Tendência
No mercado commodity, o preço dos grãos verdes de café depende de fatores como o clima e o consumo mundial.
Mas outros tipos de commodities – como grão de soja e minério de ferro – estão sofrendo, por exemplo, os efeitos da desaceleração da economia chinesa.
Como o Brasil e a América Latina dependem severamente das commodities e do consumo na China, toda a região acaba, por consequência, afetada. As estimativas são que economia brasileira tenha uma retração de mais de 2% neste ano.
O chefe do departamento de relações exteriores do Ministério da Agricultura, Alberto Coelho Fonseca, afirma que produtores de diferentes áreas estão agora tentando agregar valor aos alimentos e exportar produtos refinados como estratégia para compensar a queda dos preços no mundo.
"Um café especial pode ser vendido a um preço 300% maior que o do café comum. Mesmo que eles ainda sejam uma parte muito pequena das exportações, as técnicas de produção de bons cafés especiais podem se espalhar pela cadeia."
No mercado de aves, afirma Coelho Fonseca, empresas brasileiras estão contratando cortadores de carne japoneses para consultoria sobre como produzir cortes "premium" no país antes de exportá-los para o Japão.
Agora, o governo quer ajudar essas marcas "premium" a decolar no exterior.
Na Olimpíada do Rio, no ano que vem, haverá espaços para promover o café especial produzido no país nas Casas Brasil, espaços dedicados a divulgar o turismo brasileiro.
"Cerca de 70% do café preparado por marcas (estrangeiras) como Starbucks, Café Nero e Costa certamente vem do Brasil. Nós precisamos mostrar melhor nossos produtos."

Turismo
Na Serra do Caparaó, os produtores locais encontraram uma outra forma de agregar valor a seus produtos: o turismo.
Fazendeiros abriram cafeterias e hostels nos quais visitantes podem fazer tours de degustação de café, inspirados na experiência dos produtores de vinhos do Vale de Napa, na Califórnia.
O trabalho ainda está no início, mas já ajuda a consolidar a reputação da região.
Cafés especiais são uma relativa novidade no Brasil. Cafeterias gourmet têm sido abertas em grandes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. Muitas delas já carregam as marcas da Caparaó.
Jhone e Tarcisio Lacerda têm grandes planos. Metade dos grãos de suas fazendas já são usados para produzir seu café especial. E, a cada colheita, eles experimentam novas técnicas de produção.
Em apenas cinco anos, percorreram um longo caminho. Mas Jhone Lacerda diz que eles estão apenas começando.
"Nós queremos produzir o melhor café do mundo. Nós queremos que a região da Caparaó se torne reconhecida em todo o mundo."


Fonte: bbc.com/
 
 
 Museu de cera expõe estátuas de celebridades em Ribeirão Preto
Exposição tem 42 réplicas, como a de Michael Jackson e Barack Obama.
Ingressos custam de R$ 30 a R$ 50 e grupos pagam meia entrada.

Estátuas em tamanho real do cantor Michael Jackson, do presidente dos Estados Unidos Barack Obama e do Papa João Paulo II são algumas que podem ser conferidas em uma exposição com 42 peças do Museu de Cera Dreamland, que acontece no Ribeirão Shopping, em Ribeirão Preto (SP).
Essa é a primeira vez que o acervo do museu, o primeiro na América Latina, é levado para o interior de São Paulo. As réplicas são produzidas em ateliês na França e na Inglaterra, e impressionam pelo realismo dos detalhes. Devido ao cuidado especial, uma área climatizada com 700 metros quadrados foi destinada a receber as estátuas.

O curador do museu, João Paulo Silva, explica que cada peça leva de seis meses a um ano para ser produzida e, devido ao trabalho minucioso, passa pelas mãos de até 30 artesãos especialistas em várias áreas.
"São produzidos nos mesmos ateliês em que são feitos os bonecos dos museus europeus. O cabelo, por exemplo, é um processo que leva 40 dias para ser concebido porque são de verdade. É inserido fio a fio, manualmente", diz Silva.
A visitas podem ser realizadas de segunda a sexta-feira, das 15h às 21h15, aos sábados, das 13h às 21h30, e aos domingos e feriados, das 13h às 20h20. A curadoria ainda não estabeleceu até quando o acervo ficará exposto em Ribeirão.
Os ingressos custam de R$ 30 a R$ 50 e menores de 4 anos não pagam. Grupos formados por três ou mais pessoas pagam metade do valor, desde que adquiram os ingressos e entrem juntas. É necessário apresentar documento de identidade na entrada da exposição.

Serviço - Dreamland Museu de Cera
Onde: Ribeirão Shopping - Avenida Coronel Fernando Ferreira Leite, nº 1540, bairro Jardim Califórnia (em frente ao Centro de Eventos)
Ingressos: R$ 30 (segunda-feira), R$ 40 (terça a sexta-feira) e R$ 50 (sábados, domingos e feriados).


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Propaganda em imóveis de Ribeirão Preto será proibida nas eleições 2016
Lei sancionada pela Prefeitura veta faixas e placas em terrenos particulares.
Texto já está em vigor, mas precisa ser regulamentado pelo município.

A Prefeitura sancionou uma lei que proíbe qualquer propaganda eleitoral em imóveis de Ribeirão Preto (SP) a partir das eleições de 2016. O texto, aprovado pela Câmara em setembro, foi publicado no Diário Oficial do Município no dia 6 deste mês e já está em vigor, mas precisa ser regulamentado.
A nova legislação limita ainda mais a publicidade dos candidatos no município, que já não podem pintar muros nem colocar cavaletes em áreas públicas.
Em nota, a administração municipal informou que ainda não há prazo para a regulamentação, que diz respeito a providências e fiscalização.

A lei complementar 2.733 estabelece que, visando preservar a estética urbana, estão proibidas faixas, placas, cartazes e demais materiais correlatos previstos na legislação eleitoral em terrenos particulares.
A redação, no entanto, isenta fachadas de imóveis utilizados como sedes de partidos e comitês eleitorais.
Candidatos que descumprirem a lei estarão sujeitos a penalidades previstas no Código Eleitoral, com multas e cassações de registros. Os proprietários dos imóveis que permitirem a publicidade também sofrerão sanções por parte da Prefeitura, mas as penalidades ainda não foram definidas.
O texto acaba com uma isenção deixada pela Lei Cidade Limpa, que em 2012 regulamentou a publicidade visual nas fachadas de estabelecimentos comerciais, mas abria exceção para o período eleitoral.
Na Câmara, a atual proposta foi assinada por dez vereadores e foi aprovada em duas discussões, em substituição a um projeto anterior de Cícero Gomes da Silva (PMDB) que ainda permitiria a colocação de uma placa de até 0,60 metro por 0,80 metro por imóvel.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Há 50 anos, aposentada de Ribeirão Preto restaura e coleciona bonecas
Becholina do Nascimento estima ter quase 500 brinquedos em casa.
'Eu amo todas, são minhas filhas', afirma a colecionadora de 73 anos.

Desde criança, a aposentada de Ribeirão Preto (SP) Becholina do Nascimento de Paula, de 73 anos, sempre foi apaixonada por bonecas. Sem condições de comprar os brinquedos na infância, foi depois de adulta que sua paixão se transformou em uma coleção de aproximadamente 500 bonecas, em sua maioria restauradas e encontradas na rua.
"Eu amo todas. São minhas filhas", diz a aposentada, que pensa em doar os brinquedos que conseguiu recuperar ao longo de quase 50 anos. Hoje ela os acumula em um cômodo exclusivo para a coleção em sua casa, no Jardim Jandaia, zona norte da cidade.
Becholina conta que, quando tinha apenas 6 anos, ganhou sua primeira boneca de louça de seu pai, mas seu irmão a acabou quebrando em uma brincadeira.

Criada em uma família humilde em São Gotardo (MG), depois do episódio, ela nunca mais ganhou um brinquedo parecido de seus pais. "A gente sofreu muito, eu tinha vontade de brincar e não podia", conta.
Para compensar, reproduzia com frutas e legumes as partes do corpo dos brinquedos tão sonhados ou então fazia objetos de pano.
"Eu pegava o milho e trançava o cabelo da boneca. Pegava chuchu e colocava pauzinho de bambu, fazia boca e olho. Essas eram as minhas bonecas", diz.
Mas o desejo de criança não ficou limitado ao passado e passou a fazer parte de sua vida adulta. Algo que teve início quando, ainda jovem, ela ganhou da vizinha de sua cunhada, em São Paulo, uma boneca prestes a ser descartada. Becholinha aproveitou a oportunidade para pegar o objeto e restaurá-lo por conta própria.
"Eu desmontei e lavei por dentro. Ela era toda de plástico e fui arrumando", explica a aposentada, sobre Isi, o primeiro item de sua coleção.

O fato a motivou a continuar colecionando diferentes exemplares, especialmente aqueles não desejados pelos outros e achados no lixo. Não demorou muito para que familiares, amigos, vizinhos e catadores de lixo começassem a ver em dona Becholina uma referência quando o assunto é restauração de bonecas, principalmente depois que ela comprou uma máquina de costura.
"Eu falo assim: se você achar um braço você traz pra mim que estou precisando de uma doação. Aí eles [as pessoas] trazem."
O motorista Manoel Messias, irmão que na infância quebrou a primeira boneca de louça de dona Becholina, hoje é uma das pessoas que mais a ajudam. "Eu faço os gostos dela. Toda vez que acho uma boneca na rua, vejo um braço, eu trago para ela", afirma.

Hoje, aos 73 anos, a aposentada diz ter 471 bonecas, em sua maioria recuperadas graças à junção de reciclagem e capricho. O apreço é percebido em detalhes, como o cuidado com as roupas, lavadas regularmente, e no modo familiar com que ela se refere aos brinquedos, todos com nome próprio, desde Gabriel e Zezinho a Isabela Chorona e Ana Cristina.
"Quando acordo de manhã é o primeiro lugar que eu vou [o quarto das bonecas]. 'Bom dia, crianças! Como vocês passaram?'", afirma a aposentada ao reproduzir a conversa que estabelece diariamente no quarto de suas bonecas.
Diante do que considera uma conquista pessoal, a aposentada pensa em dar um destino para ao menos parte de sua coleção. Ela gostaria de doar suas bonecas para uma instituição filantrópica e, assim, presentear crianças que realmente valorizem o brinquedo. "Vou fazer essa doação com amor", diz.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Angus Deaton vence o Prêmio Nobel de Economia
Justificativa foi 'sua análise do consumo, pobreza e bem-estar'. 
Deaton é professor na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos.

Angus Deaton venceu o Prêmio Nobel de Economia 2015. A justificativa foi "sua análise do consumo, pobreza e bem-estar", que ajudou governos a melhorar suas políticas por meio de ferramentas como pesquisas residenciais e alterações tributárias. O anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira (12) em Estocolmo, na Suécia.
Deaton é cidadão britânico e norte-americano. Nasceu em 1945 em Edimburgo, na Escócia. PhD em economia pela Universidade de Cambridge, no Reino Unido, ele é professor de economia e relações internacionais na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, desde 1983.
O Nobel de Economia tem uma recompensa de 8 milhões de coroas suecas (US$ 950 mil, o equivalente a mais de R$ 3 milhões).
A Academia Real de Ciências da Suécia disse que o trabalho do microeconomista tem tido grande influência na formulação de políticas públicas, auxiliando, por exemplo, a determinar como grupos sociais diferentes são afetados por mudanças específicas em tributação.
"Para projetar uma política econômica que promova o bem -star e reduza a pobreza, devemos primeiro entender as escolhas de consumo individuais", disse o corpo premiações ao anunciar o prêmio. "Mais do que ninguém, Angus Deaton tem reforçado esse entendimento."

 "Ao vincular as escolhas individuais detalhadas e resultados agregados, sua pesquisa tem ajudado a transformar os campos da microeconomia, macroeconomia e economia do desenvolvimento", destacou ainda a justificativa da Academia Real das Ciências da Suécia.

O trabalho pelo qual Deaton foi premiado é baseado em três questões centrais: como os consumidores distribuem seus gastos entre diferentes bens? Quanto da renda da sociedade é gasto e quanto é poupado? Como podemos medir e analisar melhor o bem-estar e a pobreza?


Reação do premiado
Em seus primeiros comentários públicos depois que recebeu o Nobel, Deaton declarou que, embora a pobreza extrema tenha diminuído drasticamente nos últimos 20 a 30 anos e ele espere que essa tendência se mantenha, não quer parecer um "otimista cego".
O economista afirmou que passa "muito tempo explicando que o mundo está-se tornando um lugar melhor", mas que "ainda há muito o que fazer".
Ele afirmou ter sido surpreendido pelo telefonema informando que tinha sido o vendedor do Nobel 2015.
"Sabia que meu nome estava na lista, mas há muitos nomes nesta lista, e nunca pensei que fosse provável receber o prêmio", declarou durante uma coletiva de imprensa na Universidade de Princeton.


Estudos sobre consumo
Segundo os estudos de Deaton, avaliar a distribuição de gastos dos consumidores é importante não apenas para explicar e prever padrões de consumo, mas também para avaliar a forma pela qual reformas políticas, como mudanças em impostos, afeta o bem-estar das pessoas em diferentes grupos sociais.

Renda gasta e poupada
Para explicar a formação de capital e as magnitudes dos ciclos de negócios, é necessário entender a interação entre renda e consumo ao longo do tempo, destacou a Academia Real das Ciências da Suécia. Em estudos realizados nos anos 90, Deaton apontou que a teoria de consumo prevalecente não poderia explicar as relações reais do assunto se o ponto de partida fosse a renda e o consumo agregados.

Em vez isso, segundo o professor, deve-se analisar como as pessoas adaptam seus hábitos de consumo à sua renda individual, que flutua de maneiras diferentes.


Nos anos 80, o professor desenvolveu o "sistema de demanda quase ideal", como forma de estimar como a demanda por cada mercadoria depende do preço de todos os produtos e rendimentos individuais.


De acordo com a Academia sueca, essa pesquisa demonstra claramente que a análise de dados individuais é a chave para para desembaraçar padrões em dados agregados, com uma abordagem que desde então se tornou amplamente adotada na macroeconomia moderna.

Bem-estar e pobreza
Em suas pesquisas mais recentes, Deaton destaca como medidas confiáveis de níveis individuais de consumo das famílias podem ser usadas para discernir mecanismos por trás do desenvolvimento econômico. O estudo aponta que há "armadilhas" quando se compara a extensão da pobreza em diferentes épocas e locais.

A análise de Deaton exemplifica como o uso inteligente de dados domiciliares pode lançar luz sobre questões como as relações entre renda e consumo de calorias, além da extensão da discriminação de gênero nas famílias.

Segundo a Academia sueca, o foco de Deaton em pesquisas domiciliares ajudou a transformar a economia do desenvolvimento de um campo teórico com base em dados agregados em um campo empírico com base em dados individuais detalhados.
Últimos vencedores
Veja abaixo a lista dos 10 últimos ganhadores do Prêmio Nobel de Economia, com informações da agência France Presse:
2015: Angus Deaton (Reino Unido-Estados Unidos)
2014: Jean Tirole (França)
2013: Eugene Fama, Lars Peter Hansen e Robert Shiller (Estados Unidos)
2012: Lloyd Shapley e Alvin Roth (Estados Unidos)
2011: Thomas Sargent e Christopher Sims (Estados Unidos)
2010: Peter Diamond e Dale Mortensen (Estados Unidos), Christopher Pissarides (Chipre/Reino Unido)
2009: Elinor Ostrom e Oliver Williamson (Estados Unidos)
2008: Paul Krugman (Estados Unidos)
2007: Leonid Hurwicz, Eric Maskin e Roger Myerson (Estados Unidos)
2006: Edmund Phelps (Estados Unidos)


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Para instituições financeiras, queda da economia este ano pode chegar a 2,97%
A projeção de instituições financeiras para a retração da economia continua a piorar. A estimativa para a queda do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, neste ano, passou de 2,85% para 2,97%, no 13º ajuste seguido. Para o próximo ano, a projeção passou de 1% para 1,20%. Essas projeções fazem parte da pesquisa feita pelo Banco Central (BC), todas as semanas.

Na avaliação do mercado financeiro, a produção industrial deve ter queda de 7%, este ano, contra a estimativa anterior de 6,5%. Para 2016, a projeção de retração passou de 0,29% para 1%.

A projeção para o dólar ao final do ano segue em R$ 4. Para o fim de 2016, a estimativa para a cotação da moeda norte-americana subiu de R$ 4 para R$ 4,15.

A estimativa do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu pela quarta vez seguida, ao passar de 9,53% para 9,7%, este ano. Para 2016, no décimo ajuste seguido, a projeção passou de 5,94% para 6,05%.

As projeções para a inflação estão acima do centro da meta (4,5%). E no caso de 2015, a estimativa supera também o teto da meta (6,5%). Para tentar levar a inflação ao centro da meta em 2016, o Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a taxa básica de juros, a Selic, por sete vezes consecutivas. Na reunião de setembro, o Copom optou por manter a Selic em 14,25% ao ano.

A taxa é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve como referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o BC contém o excesso de demanda que pressiona os preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Ao manter a Selic, o comitê indica que ajustes anteriores foram suficientes para produzir efeitos na economia.

A pesquisa do BC também traz a projeção para a inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), que passou de 8,42% para 9,15%, este ano. Para o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), a estimativa subiu de 8,34% para 9,15%, em 2015. A estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe) passou de 9,66% para 9,86%, este ano.

A projeção para a alta dos preços administrados passou de 15,55% para 16%, este ano, e de 6% para 6,27%, em 2016.

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br/
 
 
 Unesco defende combinação de tradição e ciência para prevenir risco de desastres
A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) defendeu a combinação de práticas e saberes tradicionais com conhecimentos científicos para prevenir de forma eficaz e sustentável o risco de desastres.

Em mensagem divulgada hoje (13), no Dia Internacional para a Redução de Desastres Naturais, a diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, disse que não se pode ignorar o conhecimento disponível, em vez disso, é preciso expandir e integrar o conhecimento e a experiência onde quer que possam ser encontrados. "Convido a todos os parceiros e governos para promover essa visão global: é a chave para a construção de sociedades que são tanto mais resilientes quando inclusivas”, afirmou Irina.

Para ela, o conhecimento salva vidas. "Este dia é uma oportunidade para se concentrar na importância vital dos conhecimentos locais, tradicionais e indígenas, na redução do risco de desastres no que diz respeito aos perigos naturais”. A diretora assegurou que a agência “está firmemente empenhada nesse processo, por meio da sua experiência educacional, científica e cultural”.

Ela lembrou que “a contribuição do conhecimento, indígena e local, para a resiliência entre populações vulneráveis foi evidenciada por ocasião do tsunami registado no Oceano Índico em 2004”. Por isso, segundo ela, “a Unesco está comprometida com a maior difusão possível dos conhecimentos indígenas para enfrentar os desafios das mudanças climáticas e dos desastres, especialmente em áreas remotas, como pequenas ilhas, zonas de grande altitude e os trópicos úmidos”.

Citando o impacto desse tipo de iniciativa, Irina Bokova destacou que a Unesco lançou uma iniciativa nas Filipinas, no Timor-Leste e na Indonésia para registrar o conhecimento local que ajuda a prever e mitigar as tempestades, os ciclones e os efeitos das mudanças do clima.

“Tudo demonstra o profundo conhecimento e domínio do ambiente pelos povos que vivem lá, o que deve ser incluído urgentemente nas políticas de gestão de desastres”, acrescentou a diretora na nota.

A Terceira Conferência Mundial das Nações Unidas sobre Redução de Riscos de Desastre, realizada em março deste ano na cidade japonesa de Sendai, fez um apelo para a necessidade de tornar esse conhecimento melhor difundido para o benefício de todos e maior cooperação entre governos, autoridades locais, comunidades e povos indígenas na formulação e implementação de políticas e normas para a prevenção desses desastres.

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br/
 
 
 Quarteto de diálogo nacional da Tunísia vence Nobel da Paz 2015
Grupos tiveram ação decisiva para democracia na revolução de 2011.
Protestos populares derrubaram regime de Ben Ali, há 23 anos no poder.

O Quarteto de Diálogo Nacional da Tunísia ganhou nesta sexta-feira (9) o Prêmio Nobel da Paz de 2015, "por sua decisiva contribuição para a construção de uma democracia pluralista no país durante a revolução de 2011", segundo o comitê que entrega o prêmio.

O quarteto foi formado em 2013, quando o processo de redemocratização do país estava correndo risco de colapsar após assassinatos políticos e protestos se espalharem pelo país.
As organizações dividirão os 8 milhões de coroas suecas (US$ 963 mil) concedidos pelo prêmio, que será entregue em 10 de dezembro em Oslo, na Noruega.

Ele é composto por quatro organizações: a União Geral Tunisiana do Trabalho (UGTT, um sindicato), a União Tunisiana da Indústria, do Comércio e do Artesanato (Utica, patronato), a Ordem Nacional dos Advogados da Tunísia (ONAT) e a Liga Tunisiana dos Direitos Humanos (LTDH).

Durante o anúncio, o comitê do Nobel afirmou que o quarteto “estabeleceu uma alternativa, um processo político pacífico em um período no qual o país estava à beira de uma guerra civil”, e foi “instrumental ao permitir que a Tunísia, em um espaço de alguns anos, estabelecesse um sistema de governo constitucional.”

Segundo o comitê, sua formação garantiu “direitos fundamentais para toda a população, sem distinção de gênero, convicção política ou religião", e seu trabalho permitiu que os avanços alcançados durante a revolução não fossem perdidos.

As organizações representam diferentes setores e valores da sociedade tunisiana. “Com essa base, o quarteto exerceu seu papel de mediador e força motriz para promover o desenvolvimento democrático pacífico na Tunísia com grande autoridade moral”, disse o comitê do Nobel. Por isso, o prêmio foi dado ao quarteto em si, e não às quatro organizações individuais.
O Nobel ressaltou o papel essencial que o quarteto teve na transição da revolução até a realização de eleições democráticas e pacíficas na Tunísia em dezembro de 2014.

Reação dos ganhadores
O chefe da UGTT disse que o prêmio é uma mensagem para a região sobre o poder da negociação e do diálogo e "uma homenagem aos mártires da democracia tunisiana".
"Este esforço feito por nossa juventude permitiu que o país virasse a página da ditadura", acrescentou Houcine Abassi, líder do histórico sindicato.

Revolução de 2011
A Revolução de Jasmim, como ficou conhecido o processo que atingiu a Tunísia entre 2010 e 2011, levou à queda do presidente Ben Ali, que ocupava o cargo desde 1987.
Ela começou com protestos populares após o suicídio de um vendedor ambulante, contra o regime autoritário do presidente. As manifestações foram reprimidas violentamente, e resultaram na derrubada do regime em 14 de janeiro de 2011.

A primeira revolução do tipo no mundo árabe, pegou emprestado o nome da flor branca perfumada símbolo da Tunísia e da pureza, da doçura de viver e da tolerância. A queda do regime de Ben Ali na Tunísia abriu caminho para a Primavera Árabe em outros países da região, como Egito, Líbia e Síria.

Em muitos destes outros países, a luta pela democracia e os direitos humanos não se desenvolveu e foi reprimida. Na Tunísia, entretanto, foi possível ver uma transição democrática e uma vibrante sociedade civil que busca o respeito pelos direitos humanos.

“O quarteto pavimentou o caminho para um diálogo pacífico entre a população, os partidos políticos e as autoridades, e ajudou a alcançar soluções baseadas no consenso para diversos desafios entre as divisões políticas e religiosas", disse o comitê.

Exemplo e desafios
Kaci Kullmann Five, presidente do comitê do Nobel, disse esperar que o prêmio “inspire pessoas a verem que é possível trabalhar junto, que movimentos políticos islamistas e seculares conseguiram fazer isso na Tunísia, com a ajuda da sociedade civil, e que isso é do melhor interesse de todas as pessoas”.
Para o Nobel, o caminho que levou à queda de Ben Ali na Tunísia é “único”. “O exemplo da Tunísia mostra que valor do diálogo e do senso de pertencimento nacional em uma região marcada pelo conflito. A transição também mostra que a sociedade civil pode ter um papel crucial na redemocratização de um país.”
A Tunísia ainda enfrenta grandes desafios políticos, econômicos e de segurança – o comitê do Nobel disse esperar que o prêmio ajude a manter o país no caminho da democracia e seja uma inspiração para outros países no Oriente Médio, no Norte da África e no restante do mundo. “Mais do que tudo, este prêmio quer ser um encorajamento para os tunisianos, que apesar dos grandes desafios lançaram as bases para uma fraternidade nacional.”

Repercussão
O porta-voz das Nações Unidas em Genebra elogiou o prêmio. "Felicito o Quarteto do fundo do meu coração. Precisamos que a sociedade civil nos ajude a avançar nos processos de paz", disse em entrevista coletiva Ahmad Fazwi. "Isto é um exemplo brilhante. A Tunísia é um dos países árabes que o fez melhor desde a chamada Primavera Árabe nessa parte do mundo. Por isso que parabéns também para os tunisianos e para o governo da Tunísia", acrescentou.
A chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, celebrou a premiação. “O Nobel para o Quarteto do Diálogo Nacional tunisiano mostra o caminho para resolver as crises na região: unidade nacional e democracia”, afirmou em sua conta no Twitter.
O presidente francês, François Hollande, disse que o prêmio "consagra o êxito da transição democrática" na Tunísia.
Últimos ganhadores
2014: os vencedores do Nobel da Paz foram o indiano Kailash Satyarthi e a paquistanesa Malala Yousafzay, "pela sua luta contra a supressão das crianças e jovens e pelo direito de todos à educação". A estudante do Paquistão se tornou a mais jovem ganhadora do prêmio.
2013: Organização para a Proibição das Armas Químicas, entidade que supervisiona destruição do arsenal químico na Síria em guerra.
2012: União Europeia (UE), por ter contribuído para pacificar um continente devastado por duas guerras mundiais.
2011: Ellen Johnson Sirleaf, Leymah Gbowee (Libéria) e Tawakkol Karman (Iêmen), por sua luta não violenta em favor da segurança das mulheres e seus direitos a participar dos processos de paz.
2010: Liu Xiaobo (China), dissidente detido, "por seus esforços duradouros e não violentos em favor dos Direitos Humanos na China".
2009: Barack Obama (Estados Unidos) "por seus esforços extraordinários com o objetivo de reforçar a diplomacia internacional e a cooperação entre os povos".
2008: Martti Ahtisaari (Finlândia) por suas numerosas mediações de paz em todo o mundo.
2007: Al Gore (Estados Unidos) e o Painel Intergovernamental sobre as Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU por seus esforços para aumentar o conhecimento sobre as mudanças climáticas.
2006: Muhammad Yunus (Bangladesh) e seu banco especializado no microcrédito, o Grameen Bank, porque "uma paz duradoura não pode ser obtida sem que uma parte importante da população encontre a maneira de sair da pobreza".

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Em visita à Colômbia, Dilma se reúne com presidente e empresários
Petista embarcou para Bogotá na noite desta quinta-feira (8).
Segundo Itamaraty, governos buscam acelerar acordo comercial.

A presidente Dilma Rousseff fará nesta sexta-feira (9) visita de Estado – a mais alta na diplomacia – à Colômbia e, em meio a uma série de compromissos em Bogotá, ela se reunirá com o presidente Juan Manuel Santos e participará de seminário organizado por empresários brasileiros e colombianos.
A agenda na cidade estava prevista inicialmente para a última segunda (5), mas Dilma decidiu adiar a viagem para dar posse, em Brasília, aos dez novos ministros do governo, assistir ao julgamento das contas de 2014 pelo Tribunal de Contas da União (TCU) – que foram rejeitadas – e acompanhar a análise pelo Congresso Nacional dos vetos aos itens da “pauta-bomba”. As sessões no Congresso não ocorreram por falta de quórum.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, o objetivo do encontro entre Dilma e Manuel Santos é acelerar um acordo econômico que quer zerar as taxas de importação colombianas a produtos brasileiros. Ainda segundo o Itamaraty, Brasil e Colômbia buscam ampliar o fluxo comercial, que chegou a US$ 4,1 bilhões no ano passado.
“Os presidentes examinarão temas das agendas bilateral e regional, bem como avaliarão formas de incrementar e diversificar o intercâmbio comercial entre os dois países. Presidirão também cerimônia de assinatura de acordos em diversas áreas, como facilitação de investimentos, comércio automotivo, agricultura e segurança alimentar, educação e pesquisa científica”, informou o Ministério das Relações Exteriores.

Entre os compromissos que a presidente terá na Colômbia, estão a participação no Seminário Empresarial Bilateral, sessão solene no Judiciário, reunião com os presidentes das Casas Legislativas e encontro com o presidente Juan Manuel Santos.
Acordo comercial
O Acordo de Complementação Econômica 59, que trata da taxa zero para importações, foi firmado em 2005 entre os países do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela), Colômbia e Equador. O acordo comercial prevê a redução a zero, de forma escalonada, das tarifas de importação de um lista de produtos comercializados entre os países que assinaram o documento.
De acordo com o Itamaraty, o acordo de redução de alíquotas cobre 80% dos produtos brasileiros que são exportados para a Colômbia. A maior parte dessas mercadorias é de itens industrializados, como automóveis, chassis de veículos, pneus para ônibus e caminhões, semimanufaturados de ferro e aço e, também, produtos químicos.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Utilize os desenhos das crianças para criar almofadas originais
Ideia é ótima para deixar a obra de arte do seu filho eternizada

As crianças adoram rabiscar, desenhar e colorir. Muitas vezes, os desenhos ficam guardados como recordação, mas também podem ser expostos na decoração. Que tal colocá-los nas almofadas da sua casa e deixá-las ainda mais original?

Os desenhos das crianças são estampados em tecido 100% algodão por meio de impressão direta. A confecção da peça é feita com costura simples ou patchwork. A técnica utilizada mantém a maciez do tecido e permite lavar a passar a peça sem que ela seja danificada.

Marion Creutzberg, proprietária da empresa CRiações em Família e Cia., especializada no trabalho de peças personalizadas, conta que os produtos que são confeccionados a partir dos desenhos de crianças estão entre os preferidos.

“Nos encanta a ideia de valorizar e eternizar o desenho infantil, que expressa o que ela vê, sente e imagina, e constitui uma etapa fundamental no desenvolvimento da criança”, comenta Marion.

Para fazer a sua almofada com os desenhos do seu filho, basta enviá-los em papel ou digitalizado por meio da loja virtual (http://www.criacoesemfamilia.com.br). Uma almofada em patchwork, que é uma técnica mais elaborada de costura, custa em torno de R$ 140. Já um boneco feito a partir de uma garatuja custa R$ 58.

Além de almofadas, a empresa também produz fronhas, bonecos-garatuja, cestos organizadores e outras peças de uso pessoal. “As possibilidades são diversas, desde que sejam peças confeccionadas em tecido. A pessoa pode, inclusive, solicitar apenas a impressão e ela mesma confeccionar seus produtos”, diz Marion.

O dia das crianças está chegando e essa é uma ideia original para deixar o quarto dos pequenos e a casa mais alegres.

Fonte: revista.zapimoveis.com.br/
 
 
 Na moda praia o que vale mais, conforto ou elegância?
Final de semana se aproxima e a previsão do tempo indica sol e calor. Legal, vai dar praia! Ir ao cabeleireiro, fazer o pé e a mão e comprar o biquíni. Poxa, o biquíni... 

Não existe uma só mulher que não tenha diversos modelos guardados no armário, mas que saíram de moda. É aí que a gente pergunta: Biquíni sai de moda? E a resposta não poderia ser outra: Claro que sai! 

A cada ano que passa os lojistas lançam novidades que ditam o tom da estação da chamada “beachwear”, ou moda praia, para os que preferirem. Os biquínis costumam chegar junto com a coleção primavera-verão e, acreditem se quiser, eles são responsáveis por quase 40% das vendas durante as estações de calor, segundo a FECOMERCIO. 

Mas o que vale mais? Elegância ou conforto? O ideal é sempre unir os dois, mas isso nem sempre é possível. E na dúvida, pasmem: elas optam pela elegância! 

Grandes magazines como C&A e Renner possuem uma área dedicada à moda praia em suas lojas físicas e virtuais e as chamadas “lojinhas de biquínis” não param de crescer pelo país.

Pensando nesse fato, muitas lojas virtuais criam modelos especiais para diversos gostos e estilos e apostam alto nesse segmento, como é o caso da For Night.

A grife lançou no início da primavera uma bela coleção de biquínis com as cores da estação aliando conforto e elegância para as “passarelas de areia” que vai desde os mais básicos modelos “cortininha” até os mais sofisticados modelos “3D”. As clientes não cansam de elogiar a qualidade dos produtos e a rapidez na entrega, além do frete ser grátis para todo o Brasil, elas garantem: os biquínis da For Night conseguem unir conforto e elegância.

E para você? O que vale mais na hora de escolher seu biquíni, conforto ou elegância? Caso sua resposta seja – “os dois”, não deixe de dar uma passadinha na loja virtual da For Night para conferir a nova coleção; afinal as estações de calor já chegaram e prometem temperaturas altíssimas.


Fonte: noticias.r7.com/
 
 
 Estampas da moda na decoração
Os ambientes residenciais — e por que não os comerciais? — podem se vestir com as tendências da moda e se tornarem ainda mais atrativos, charmosos e bonitos

Moda e decoração volta e meia se esbarram, se completam e dividem tendências. Afinal, cores, formatos, texturas e padronagens podem ser aplicados nas duas áreas. Atualmente, duas estampas, que fazem sucesso na moda há muito tempo como as cinco mais famosas do mundo, estão em alta também no décor, são elas: Pied de Poule e Chevron, com seus padrões geométricos irreverentes.

A Pied de Poule foi eternizada pela Coco Chanel em 1920, já a Chevron é símbolo da marca Missoni, nascida em 1950. Em comum, as duas têm a sofisticação. “Estampas em padrões geométricos são clássicos e podem valorizar o projeto e criar um diferencial. Elas quebram a rigidez e a monotonia”, conta a arquiteta Marina Dubal, do escritório DAD Arquitetura.

A profissional destaca alguns projetos em que utilizou estampas da moda: “Apliquei a Pied de Poule nas paredes e almofadas de um loft contemporâneo. O conceito era realmente singular e permitia ousar. Já em um projeto comercial, usei a Chevron em tapetes do piso em preto e branco. Assim, criei um contraponto com o imóvel antigo”.

Para a arquiteta Carmen Calixto, “as estampas da moda podem renovar os ambientes e atualizar a decoração”. Ela recorreu a esse recurso no projeto de um quarto inspirado em um blogueira de moda. “Usei um papel de parede Chevron para trazer referências do mundo da moda. Essa escolha deixou o ambiente mais moderno e com mais personalidade”, garante Carmen.

Os arquitetos Bruno Vianna e Ivana Seabra também gostam de trazer o frescor da moda para seus projetos. “Nós usamos a estampa Pied de Poule na poltrona porque queríamos usar uma estampa que fosse sofisticada e que pudesse ser usada no ambiente de trabalho também”, comentam.

Projetos diferentes, mas em todos as estampas da moda se destacam e roubam a cena. Isso mostra como o diálogo entre moda e decoração é algo natural. “Como as duas áreas são usadas pelo homem para comunicar seus desejos e necessidades é muito comum que haja mesmo essa troca e parceria”, defendem Bruno e Ivana.


Fonte: arede.info/mulher
 
 
 Secretaria de Saúde alerta para a importância do Outubro Rosa
Idealizado nos Estados Unidos na década de 1990, o Outubro Rosa tem como principal objetivo conscientizar a sociedade e principalmente as mulheres sobre a importância da prevenção e da intensificação dos cuidados com si mesmas além de alertar para os perigos do Câncer de Mama.

No município de João Pessoa, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através da área técnica da saúde da mulher, realiza ações de prevenção ao câncer de mama ao longo de todo o ano, mas durante esse mês as ações estão sendo intensificadas nas unidades de saúde. As atividades acontecem nas unidades de saúde da família (USF), assim como nos serviços especializados, através de palestras, rodas de conversa, estímulo ao autoexame e à mamografia.

A coordenadora da área da saúde da mulher, Tânea Lucena, explica que é no mês de outubro, através das ações do Outubro Rosa que as mulheres mais procuram os serviços de saúde. “É durante o Outubro Rosa que atingimos nosso máximo de mamografias ofertadas, ou seja, realizamos todas as mamografias que ofertamos na rede, o que é uma pena já que a doença não existe apenas nesse mês. É como se a doença ficasse esquecida e fosse lembrada apenas em outubro, infelizmente o câncer de mama pode aparecer em qualquer época do ano”, comenta a coordenadora.

Tânea Lucena alerta ainda sobre a importância da mulher conhecer seu corpo para saber o que é ou não é normal em suas mamas. “Ao identificarem alterações suspeitas, devem procurar imediatamente um serviço de saúde para avaliação profissional, além disso, é recomendado que a mulher faça seus exames de rotina, pois eles ajudam a identificar a doença antes dela começar a apresentar os sintomas”, disse.

“São inúmeros os casos de mulheres que tiveram seu diagnóstico durante as atividades realizadas no Outubro Rosa, alguns foram precoces, outros já nem tanto, por isso a importância de estar sempre fazendo seus exames e não ter medo dos resultados. Câncer de Mama tem cura e quanto antes for diagnosticado a doença, maior as chances de sobrevida da mulher. Vale lembrar ainda que, autoexame não substitui a mamografia ou a ultrassom mamária. Esses exames devem ser feitos ao menos uma vez por ano”, ressalta Tanea Lucena.

Mamografias – De acordo com a área técnica de Saúde da Mulher da SMS, foram realizadas 10,1 mil mamografias na Rede Municipal de Saúde no período de janeiro até agosto de 2015. Mensalmente, o município disponibiliza a realização de 5,2 mil mamografias.

Para ter acesso aos exames, as mulheres devem se dirigir à Unidade de Saúde da Família (USF) mais próxima de sua residência e em seguida serão encaminhadas para os serviços conveniados, onde serão realizados os exames.

A mamografia é uma exame simples, realizado com um aparelho chamado mamógrafo, que tira um raio x da mama. Esse exame permite descobrir o câncer de mama ainda no início.

Câncer de Mama – É o tipo mais frequente de câncer entre as mulheres brasileiras. Nesta doença, as células da mama se desenvolvem de forma anormal, se multiplicando rapidamente. O câncer de mama é uma doença silenciosa, que pode apresentar um caroço na mama e pode vir acompanhado ou não de dor. Em alguns casos, pode haver alteração na pele da mama, com aparência de casca de laranja e também podem aparecer caroços na região das axilas.

As mulheres com mais de 40 anos de idade devem procurar a unidade de saúde mais próxima de sua residência para realizar o exame clínico das mamas por um médico ou enfermeiro. Já a mulher com idade entre 50 a 69 anos deve realizar uma mamografia a cada dois anos.

A coordenadora da saúde da mulher do município alerta também para o fato de que o câncer de mama não acomete apenas mulheres. Mesmo sendo baixo o índice, 1% dos homens também sofre com a doença e devem fazer o autoexame e a mamografia.

O que fazer para se cuidar – A coordenadora de Saúde da Mulher da SMS orienta que hábitos saudáveis são fundamentais para a prevenção contra o câncer de mama, mas também outras doenças. “É importante se alimentar de frutas e verduras, praticar atividade física regularmente, não fumar e não ingerir bebidas alcoólicas”, disse.

Fonte: joaopessoa.pb.gov.br
 
 
 Ministério do Esporte vai regulamentar o pôquer no Brasil
São Paulo – O Ministério do Esporte criará um grupo de trabalho para regulamentar o pôquer como esporte no Brasil. A informação foi dada com exclusividade à EXAME.com pela Confederação Brasileira de Texas Hold’em (CBTH).

Com 4 milhões de praticantes no país, o esporte terá toda sua legislação analisada pelo ministério para ser reconhecida como esporte, assim como já é feito pela Federação Internacional dos Esportes da Mente (IMSA). 

A regulamentação é briga antiga das confederações nacionais para que o círculo competitivo ganhe o mesmo apoio e credibilidade que qualquer esporte tem no país, gere confiança em investidores e atraia novos atletas para a formação de uma liga profissional. Desde 2011 há diálogos entre CBTH e governo para a criação de uma legislação.

Em entrevista a EXAME.com, o presidente da CBTH, Igor Trafane Federal, comemorou a decisão. “O pôquer é uma atividade legal, mas precisa de um regulamento claro para crescer. Só assim poderemos atrair grandes empresas para investir”, afirma. “É algo que vai gerar receita para o governo, um plano de carreira ou regimento civil para os jogadores e dar suporte aos trabalhadores que ingressarem nesse segmento.”

Para o campeão mundial e principal nome do esporte no país, André Akkari, a regulamentação é um grande passo para que o pôquer seja aceito no Brasil como esporte. “Vai haver novos investimentos, mais mercado e jogadores”, afirma. “Agora, cabe à habilidade, ao conhecimento e inteligência daqueles que vão aprovar o regimento em fazer o melhor possível para o esporte.”

Processos parecidos de regulamentação já foram concluídos em países como Canadá, Espanha, França, Grécia, Itália, Noruega e Reino Unido. O grupo vai analisar as regras definidas nestes países, além de estudar também quais regras serão aplicadas para o jogo em plataformas online e ao vivo.

Ainda não há previsão de quando o processo termina.


Fonte: exame.abril.com.br/
 
 
 OMS quer ação urgente de proteção à saúde contra mudança climática
A Organização Mundial da Saúde, OMS, quer uma ação urgente para proteger a saúde dos efeitos causados pela mudança climática.

Segundo a agência da ONU, a mudança climática representa a maior ameaça à saúde global no século 21.

Risco

A diretora-geral da organização, Margaret Chan, disse que "as evidências são esmagadoras. A mudança climática coloca em risco a saúde humana.".

Segundo ela, "já existem soluções e o que o mundo precisa fazer é agir de forma decisiva para mudar essa trajetória".

A OMS afirmou que o acordo sobre o clima, que será firmado em Paris, em dezembro, talvez seja o mais importante documento relacionado à saúde neste século.

Oportunidade

Para a organização, será uma oportunidade não só de reduzir os efeitos da mudança climática e suas consequências, mas também para promover ações que levem a benefícios de saúde.

A OMS quer um acordo com medidas concretas que limitem a mudança climática e aumentem os financiamentos para o setor, incluindo o sistema de saúde.

Além disso, a organização quer a implementação de ações que melhorem a saúde das pessoas, inclusive reduzindo o número de mortes de câncer e de doenças respiratórias e cardiovasculares, que são causadas pela poluição do ar.


Fonte: ebc.com.br/
 
 
 Pai do Android acha que o futuro da tecnologia não é o mobile
Andy Rubin, o "pai do Android", acredita que o futuro da tecnologia não está nos dispositivos móveis. Em um discurso feito nesta semana na Califórnia, Estados Unidos, ele revelou que acredita que a nova plataforma de comunicação não deve ser como conhecemos. "O mobile ainda não está indo embora. Mas acredito que em algum ponto do futuro - não nos próximos 10 ou 20 anos - alguma forma de inteligência artificial, por falta de termo melhor, será a próxima plataforma de comunicação. 

Rubin criou o Playground, um fundo de capital de risco e incubadora que tem como objetivo descobrir qual é a próxima grande coisa, "o que irá além do celular ou do tablet", segundo o desenvolvedor. "Quando você gastar todo o seu tempo interagindo com a tela, você tem que começar a pensar em coisas que não têm uma tela", explicou.

O desenvolvedor aposta ainda que a nova tecnologia será capaz de recolher e analisar todas as informações geradas por dispositivos conectados.


Fonte: olhardigital.uol.com.br/
 
 
 Garça-azul é fotografada no exato momento em que capturava peixe
Cena foi registrada no Refúgio de Aves Migratórias do Rio Bear.
Foto foi clicada por Lloyd Bush, do Serviço de Pesca e Vida Selvagem.

Uma garça-azul foi fotografada no exato momento em que capturava um peixe no Refúgio de Aves Migratórias do Rio Bear, no estado de Utah. A cena foi registrada pelo norte-americano Lloyd Bush, do Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA.


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Câmara de Ribeirão Preto aprova em primeira discussão orçamento de 2016
Câmara de Ribeirão Preto aprova em 1ª discussão orçamento de 2016
Projeto prevê receita de R$ 2,8 bilhões; plenário aprovou 579 emendas.
Mudança por menor margem de remanejamento do Executivo foi vetada.

A Câmara aprovou em primeira discussão nesta terça-feira (8) o projeto de lei que estipula em R$ 2,8 bilhões o orçamento de Ribeirão Preto (SP) para 2016.
Além do texto da Lei Orçamentária Anual (LOA) encaminhado pelo Executivo, foram aprovadas 579 das 590 emendas parlamentares apresentadas inicialmente.
Seis delas foram rejeitadas e tratavam principalmente da redução da margem livre para remanejamento de recursos municipais de 20% para 10%, percentual sancionado pela Prefeitura na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que orienta a elaboração da LOA.

Outras cinco, de autoria Bertinho Scandiuzzi (PSDB), foram retiradas pelo próprio vereador, sob a alegação de que a receita prevista para o ano que vem está superestimada.
A segunda votação do projeto acontece em sessão na próxima quinta-feira (10).


Orçamento 2016
Projetado em R$ 2,886 bilhões, o orçamento de 2016 é 13,14% maior em relação ao que foi apresentado para 2015 e conta com altas na arrecadação em itens como "outras receitas correntes" (106%), receita patrimonial (63,16%), receita de serviços (33,33%), além de altas no IPTU (14%) e do Fundo de Participação dos Municípios (8,77%).
Da receita total, R$ 2,169 bilhões são da administração direta e R$ 697 milhões da administração indireta.
Primeiro a ser discutido na sessão extraordinária, o texto apresentado pela Prefeitura teve 17 votos favoráveis.

Emendas rejeitadas
Na sequência, os vereadores discutiram as emendas. Das 590, seis foram rejeitadas pela Comissão de Finanças sob o argumento de que implicariam em ilegalidade e alterariam o texto original.
Essas foram votadas separadamente das outras e rejeitadas, devido a uma votação empatada com dez votos favoráveis e dez contrários e uma abstenção - quando precisavam de ao menos 12 votos.
Dois itens pediam a redução de 20% para 10% a margem para créditos suplementares, ou seja, de recursos que poderiam ser remanejados dentro do orçamento pela Prefeitura sem autorização da Câmara.

Além de argumentar que os 10% já estavam previstos na LDO, vereadores favoráveis à emenda criticaram o descontrole das contas da administração municipal. "Se nós damos essa liberdade de 20%, estamos contribuindo para o endividamento da cidade", afirmou a Gláucia Berenice (PSDB).

Uma das emendas também solicitava a mudança em um artigo que permite à Prefeitura abrir créditos suplementares para dotações de pessoal e de recursos de outras fontes sem prejuízo ao limite de 20% já permitido.

Mais duas emendas pediam alterações de valores e de nomenclatura em uma seção que classifica as despesas e outra solicitava a supressão de um artigo que prevê o parcelamento de precatórios judiciais pagos pelo município por meio de um acordo judicial firmado com o Sindicato dos Servidores Públicos.

Segundo Marcos Papa, autor dessa emenda, a manutenção desse acordo fere uma decisão do Supremo Tribunal Federal. "Se não suprimirmos estaremos abrindo espaço para que o orçamento seja contestado, porque é inconstitucional", disse.


Fonte: g1.globo.com
 
 
 Após 50 anos, FMI volta a discutir economia global na América Latina
Encontro Mundial será realizado em Lima, no Peru, até domingo (11).
Ministros de finanças discutirão rumos da economia global.

Depois de quase 50 anos, a reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, com ministros de finanças, executivos e acadêmicos de todo o mundo, volta a ser realizada na América Latina esta semana.

Neste ano, Lima, no Peru, vai sediar o encontro que deverá discutir os rumos da economia global, que vem sofrendo com a recuperação lenta dos países desenvolvidos, com a maior desaceleração dos emergentes, com o risco de contágio da expansão mais lenta da China, com a queda no preços das matérias-primas e com a possível alta da taxa de juros nos  Estados Unidos.

Estes deverão ser os eixos centrais da reunião, com delegados dos 188 países-membros do FMI, que ocorrerá até domingo (11). Ao mesmo tempo também acontecerá um novo encontro ministerial do G20, formado pelas 20 maiores economias do planeta. Estão previstas as presenças do ministro da Fazenda Joaquim Levy e do presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini.

No seu relatório mais recente, o “World Economic Outlook”, apresentado em Lima, o fundo reduziu as expectativas de avanço da economia mundial, para 3,1% em 2015 e 3,6%, no ano seguinte, já que grande parte dos países teve suas estimativas de crescimento diminuídas. 

As perspectivas também são desfavoráveis para a América Latina como um todo. Neste ano, a economia do bloco deverá recuar 0,3% e no próximo, deverá crescer 0,8%. Nas economias avançadas, o FMI prevê números positivos – porém, abaixo do que foi anteriormente previsto, chegando a 2% em 2015 e a 2,2%, em 2016.

"As economias da região precisam recuperar o grau de credibilidade, a certeza em termos de que mudanças vão adotar, e para que tipo de diversificação querem avançar", apontou Christine Lagarde, diretor do FMI, em recente pronunciamento, em referência à excessiva dependência das exportações de matérias-primas.
As perspectivas do FMI sobre o desempenho da economia brasileira neste ano também pioraram, e os técnicos já veem uma retração de 3%, o dobro da estimativa anterior, como era previsto. Para 2016, as perspectivas também ficaram negativas. A previsão é de queda de 1,7%.
No final de setembro, a diretora do FMI, Christine Lagarde já havia adiantado que as avaliações não eram positivas para países emergentes como Brasil e Rússia. "Economias emergentes deverão ver seu quinto ano consecutivo de taxas de crescimento em declínio. Países como Brasil e Rússia estão enfrentando sérias dificuldades financeiras. O crescimento na América Latina, em geral, continua a desacelerar rapidamente", afirmou Lagarde, na ocasião.

Hostilidade
O Fundo Monetário Internacional escolheu uma das regiões do mundo mais hostis a sua forma de atuação. Em entrevista à agência France Presse, Claudio Loser, ex-chefe da divisão da América Latina no FMI. "Existe há tempos um discurso no continente segundo o qual o FMI é um instrumento de um novo tipo de imperialismo."

Segundo o ex-dirigente, ao realizar o encontro pela primeira vez em 50 anos na América Latina, especificamente em Lima, o FMI também quer demonstrar que os tempos mudaram e que quer “virar a página”.

"A região não mudou muito nos últimos vinte anos e o Fundo também evoluiu", disse Werner, para quem a relação é "menos conflitiva e mais construtiva que no passado", afirmou em entrevista à France Presse.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Gás de botijão sobe 10%, e inflação acelera na 1ª semana de outubro
IPC-S passou de 0,42% no fim de setembro para 0,63%. 
Taxa vem acelerando desde a segunda semana de setembro.

A inflação calculada pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) acelerou para 0,63% no início de outubro, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (8) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Na semana anterior, o indicador havia ficado em 0,42%.

A principal influência de alta sobre o índice veio do gás de botijão, que ficou 10,49% mais caro nas quatro semanas até 7 de outubro.

Também pesaram sobre o indicador as altas de 1,88% nas tarifas de ônibus urbano; de 0,68% nas refeições em bares e restaurantes; de 1% em plano e seguro de saúde; e de 13,12% no preço da batata inglesa.
Na outra ponta, alguns itens alimentícios ajudaram a conter a alta do IPC-S: as maiores influências de queda vieram dos preços da cebola, que caíram 27,23%, do tomate (-13,6%), mamão (-9,14%), leite longa vida (-0,95%) e cenoura (-9,07%).
O IPC-S vem acelerando desde a segunda semana de setembro, quando ficou em 0,28%, acima da taxa de 0,21% da semana anterior.

Por grupos
Apesar da queda nos preços de alguns itens, o grupo alimentação foi o que mais contribuiu para a alta do IPC-S, com a taxa passando de 0,32% na última semana de setembro para 0,72% na leitura atual. 
Também ficaram maiores as taxas de variação dos grupos transportes (de 0,32% para 0,73%), habitação (de 0,55% para 0,67%), educação, leitura e recreação (de 0,33% para 0,48%), vestuário (de 0,68% para 0,78%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,56% para 0,57%).
Em contrapartida, os grupos comunicação (de 0,22% para 0,18%) e despesas diversas (de 0,14% para 0,10%) apresentaram decréscimo em suas taxas de variação.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Juros do empréstimo pessoal e do cheque especial sobem em outubro
Cinco de sete bancos pesquisados pelo Procon elevaram juros do cheque.
No empréstimo pessoal, apenas o Bradesco subiu a taxa.

As taxas médias de juros cobradas no empréstimo pessoal e no cheque especial subiram em outubro, segundo pesquisa da Fundação Procon-SP.

No caso do cheque especial, a taxa média passou de 11,9% ao mês para 12,28%, um acréscimo de 0,38 ponto percentual. Cinco dos sete bancos pesquisados elevaram suas taxas: Banco do Brasil (de 11,38% para 11,8%), Bradesco (de 11,64% para 11,92%), Caixa Econômica Federal (de 10,35% para 11,38%), Itaú (de 11,63% para 11,93%) e Santander (de 14,24% para 14,84%).

No empréstimo pessoal, a única elevação foi feita pelo Bradesco, cuja taxa passou de 6,57% para 6,61%. Com isso, a taxa média cobrada subiu de 6,26% para 6,27%.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Técnicos são capacitados para licenciar atividades relativas à fauna silvestre
Técnicos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) participam até esta quinta-feira (8) da primeira etapa de capacitação para o licenciamento de empreendimentos e atividades que fazem uso e manejo da fauna silvestre nativa e exótica no Estado. Essa é uma das etapas para que o IAP passe a ser responsável pela gestão da fauna silvestre no Paraná. O repasse dessas atividades para o órgão ambiental estadual atende a Lei Complementar Federal nº 140/2011 e a parceria firmada entre as entidades em 2013 – IAP e Ibama. 

O curso é ministrado por técnicos do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e de Recursos Naturais Renováveis (Ibama), atualmente o único órgão responsável por essa atribuição no Paraná. Ao terminar todas as etapas da capacitação, a alimentação e a gerência do Sistema Nacional de Gestão de Fauna (Sisfauna) passam a ser de responsabilidade do IAP. 

O Sisfauna é uma ferramenta eletrônica de gestão e controle dos empreendimentos e atividades relacionadas ao uso e manejo da fauna silvestre em cativeiro. O sistema conta hoje com um módulo de cadastro e emissão de autorização, o qual permite ao usuário verificar também a situação legal de seu empreendimento. 

Após a capacitação completa de seus técnicos e do cumprimento de outras medidas regulatórias – que já estão em desenvolvimento pelo Instituto em parceria com a comunidade científica e representantes de demais setores de proteção e criação da fauna silvestre – o IAP será responsável pelo licenciamento das atividades relacionadas no Estado. “Estamos em processo de discussão com os representantes de todos os setores envolvidos na questão, e também com universidades, para desenvolver um programa de gestão da fauna no Paraná que servirá de exemplo para outros estados do País. O objetivo é fazer a gestão desse segmento, inibindo cada vez mais o tráfico de animais e garantir o repovoamento e a continuidade das espécies nativas na natureza”, explicou o presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto. 

NA PRÁTICA – Os empreendimentos sujeitos ao cadastramento e licenciamento ambiental seguem as seguintes categorias: Zoológico; Centro de Triagem da Fauna Silvestre; Centro de Reabilitação de Fauna Silvestre; Mantenedor da Fauna Silvestre; Criadouro Científico da Fauna Silvestre para fins de Pesquisa; Criadouro Científico da Fauna Silvestre para fins de Conservação; Criadouro Comercial da Fauna Silvestre; Estabelecimento Comercial da Fauna Silvestre (revenda); Abatedouro e Frigorífico da Fauna Silvestre, entre outros. 

De acordo com o presidente do IAP, para iniciar as atividades é necessário que empreendimentos desse segmento obtenham o licenciamento ambiental e o cadastro no Sisfauna. As duas ferramentas têm o objetivo de propiciar melhor gestão da fauna silvestre em cativeiro e maior controle dos empreendimentos. 

LEGISLAÇÃO – O repasse dessas atividades para o órgão ambiental estadual atende a Lei Complementar Federal nº 140/2011 e a parceria firmada em 2013 entre as entidades – IAP e Ibama. A Lei Complementar estabelece que os órgãos ambientais estaduais passam a ser responsáveis pela análise de solicitações e emissão de autorizações de empreendimentos desse gênero. Assim, as solicitações para novos empreendimentos que envolvem a fauna silvestre deverão ser direcionadas ao IAP. 

Para controlar os processo e licenciar novos empreendimentos, o IAP publicou a portaria nº 299/2013 e a Instrução Normativa Ibama nº 07/2015, que tratam de normas e procedimentos para o Licenciamento Ambiental e para o manejo de animais silvestres em cativeiro. Para isso, foi utilizada como referência a Resolução n° 065/2008 do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Cema), que dispõe sobre o licenciamento ambiental, estabelece critérios e procedimentos a serem adotados para as atividades poluidoras, degradadoras e/ou modificadoras do meio ambiente. 

Fonte: aen.pr.gov.br
 
 
 Projeto que une cultura e tecnologia discute ideias para o museu do século 21
Concebido com o propósito de estabelecer pontes entre a cultura, a arte e a tecnologia, o projeto Sesi Cultura Digital abriu hoje (7), no Museu de Arte do Rio (MAR), na revitalizada Praça Mauá, sua terceira edição, que vai até o próximo domingo (11). É a primeira vez que o evento é feito em um museu e a escolha do espaço está relacionada ao próprio tema desta edição: como devem ser essas instituições no século 21.

Feita na Escola do Olhar, o amplo espaço do MAR dedicado à integração entre arte e educação, a programação terá palestras, debates, workshops, performances audiovisuais e uma maratona hacker. Todas as atividades são gratuitas.

Na abertura do evento, no início da noite desta quarta-feira, o público pôde assistir a uma apresentação do artista digital Henrique Roscoe, que com um instrumento que ele mesmo construiu, propõe uma reflexão sobre o aquecimento global. Apesar das performances, o Sesi Cultura Digital não se propõe a ser um espaço expositivo de obras artísticas. “A arte entra no evento como tema de aprendizado, de como usar a tecnologia na criação de obras”, explica o coordenador do projeto, Ivan Pinto.

Segundo Pinto, o objetivo é discutir o impacto da inovação em todo o panorama da aprendizagem, a começar pela educação formal.  Esse é o tema em debate amanhã (8), a partir das 17h, quando os educadores Cláudio Sassaki, da Geekie, e Anna Penido, do Instituto Inspirare, vão mostrar como a crescente dependência dos meios digitais vêm alterando a relação aluno-professor e as diversas possibilidades de construção de conhecimento. Na sexta-feira (9), a programação será dedicada à cultura maker, isto é, o fazer com as próprias mãos.

“A tecnologia hoje permite à pessoa criar ou customizar seu próprio instrumento de trabalho, adaptando-o ao tipo de serviço que deseja executar. É o caso, por exemplo, das impressoras 3D. Muitas coisas poderão ser criadas em casa, em vez de compradas em uma loja”, diz Pinto. Os participantes do Sesi Cultura Digital terão a oportunidade de aprender, por exemplo, sobre a criação e a prototipagem de projetos de eletrônica que podem ser aplicados em automação residencial.

No sábado (10), o evento vai tratar, especificamente, do tema Museu do Século 21. “Vamos discutir as novas maneiras de disponibilizar os acervos dos museus na internet, que não sejam apenas uma galeria de fotos das obras e o uso das novas tecnologias para produzir conteúdo”, diz o coordenador do projeto.  As questões que envolvem o conceito do que deve ser um museu nos dias de hoje, em que já não basta popularizar o acesso a essas instituições, serão debatidas a partir das 10h30 pelos especialistas Luiz Marcelo Mendes, Daniel Morena, Felipe Lavignatti e André Deak, os dois últimos realizadores do projeto Arte Fora do Museu.

Para encerrar o evento, a programação do domingo (11) é voltada para o público infantil. Na véspera do Dia das Crianças, os pequenos poderão participar, junto com os pais, de atividades de robótica e construção de bonecos animados.

Durante todos os dias do Sesi Cultura Digital, uma atividade competitiva movimento o evento, a Hackathon (maratona hacker). A competição reúne grupos de artistas e inventores, que concorrem a prêmios de R$ 10 mil, R$ 8 mil e R$ 6 mil, respectivamente, para primeiro, segundo e terceiro colocados. Este ano o desafio é desenvolver aplicativos, jogos ou dinâmicas que ajudem a enriquecer a experiência de visitação a espaços culturais.

“O hacker aqui é no bom sentido da palavra. São as pessoas, a cultura das pessoas que tem a curiosidade de criar coisas novas no campo digital. Os 50 participantes têm total liberdade de criação, de formar seus grupos para criar soluções digitais para o museu do futuro”, diz Ivan Pinto.

A programação completa do evento está disponível no site www.firjan.com.br/sesiculturadigital .

Fonte: ebc.com.br
 
 
 Internet do celular vai ficar mais rápida graças à nova tecnologia do Google
Se depender da gigante de tecnologia, chega de "agora não consigo ver, estou no celular"

SÃO PAULO – Os celulares e tablets representam uma fatia cada vez maior do tráfego nos principais sites do mundo. A dinamização e a portabilidade contam a favor, mas a experiência de leitura pela internet móvel ainda é muito inferior ao desktop: ao sair de um aplicativo como o Whatsapp ou o Facebook para abrir uma notícia, por exemplo, o usuário pode encontrar dificuldades e até desistir da leitura. Por pouco tempo, se depender do Google.

A tecnologia Accelerated Mobile Pages (AMP) promete melhorar a experiência de links externos a aplicativos utilizando uma ferramenta que otimiza o carregamento das páginas ao utilizar menos scripts e elementos ocultos. “Se o conteúdo for rápido, flexível e bonito, incluindo anúncios atrativos e eficientes, podemos preservar o modelo de publicação da open web e o fluxo de renda tão importante para a sustentação das publicações de qualidade”, diz a página do projeto.

Mas como funciona?
A ideia é que as próprias publicações utilizem a tecnologia em suas páginas, sem dar trabalho algum ao leitor: no anúncio oficial do lançamento feito pelo Google há uma lista de parceiros noticiosos que inclui a Editora Abril, Editora Globo, Folha de São Paulo, UOL, BBC, The Economist, El País, Financial Times, The Guardian, New York Times, entre muitos outros.

Essas páginas serão convertidas a uma nova modalidade de HTML, o “AMP HTML”, que abre páginas com menos elementos ocultos – aqueles que não são vistos pelo usuário, mas dificultam o carregamento. A nova modalidade será lançada em código aberto ainda nesta quarta-feira (7): para atingir o usuário, basta que as páginas sejam programadas com essa linguagem. Os publicadores mais famosos deverão ser atualizados para atender à demanda: inclusive o WordPress já aderiu.

Outra ferramenta apresentada, compatível com o AMP, é o armazenamento de cache. Ele funciona gravando cópias das páginas no próprio servidor do Google, que possui uma entrega mais rápida. Os sites podem usar gratuita e ilimitadamente esse recurso, mas também podem escolher não aderir a ele.

Esse tipo de solução para a velocidade de navegação móvel já havia sido explorada pelo Facebook Instant Articles e pelo Apple News, mas com uma diferença: nas soluções da rede social e da maçã, o conteúdo migrava diretamente às mãos deles: a leitura era feita pelo app e não pela página da publicação. O ganho de velocidade proposto pelo Google é diferente porque não depende de nenhuma migração de conteúdo, só da adesão ao AMP HTML.

De acordo com o vice-presidente de engenharia para pesquisa do Google, David Besbris, que fez uma apresentação sobre o lançamento hoje, a ferramenta é “realmente importante” para os anunciantes: as páginas que utilizarem a nova tecnologia podem limitar algumas modalidades de publicidade, mas “fundamentalmente, elas são páginas da web – e podem monetizar através de anúncios como quaisquer outras”.


Fonte: startse.infomoney.com.br/
 
 
 Novo índice avalia situação da educação nos municípios
Índice de Oportunidades da Educação Brasileira foi lançado nesta quarta.
Ele foi desenvolvido por Reynaldo Fernandes, ex-presidente do Inep.

Foi lançado nesta quarta-feira (7) em São Paulo um novo índice que mostra como está a educação nos estados e municípios: o Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (IOEB). Ele é uma inciativa do Centro de Liderança Pública com o apoio do Instituto Península, da Fundação Lehmann e da Fundação Roberto Marinho.

De acordo com os dados, o Ceará vai se firmando como bom exemplo.  Três cidades do estado aparecem nos primeiros lugares do índice de oportunidades da educação brasileira.
O país como um todo ficou com nota 4,5.  Sobral parece em primeiro lugar com 6,1 e já virou referência pelo investimento na qualificação de diretores e professores.
Em segundo e terceiro aparecem Groaíras e porteira com 5,9. Nas piores colocações ficaram Caldeirão Grande, na Bahia, (2,4), Primeira Cruz (2,4) e Conceição do Lago Açu (2,1), no Maranhão.
São Paulo é a capital com a melhor colocação, mas atrás de outros 1. 386 cidades do país. Com 5,1, São Paulo é o estado com melhor avaliação seguido de Minas Gerais e Santa Catarina. O Pará ficou em último lugar.
Idealizadores
O IOEB foi desenvolvido por Reynaldo Fernandes, ex-presidente do INEP e autor do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), e por Fabiana de Felicio, que foi diretora de estudos educacionais do INEP.

Os idealizadores explicam que o novo índice é uma soma de vários indicadores.
“São indicadores de resultado e têm indicadores de insumos, também. Qualidade dos professores, tempo de jornada na escola das crianças, experiência dos diretores”, explica Fabiana de Felício, coordenadora do Iobe.

“Nós olhamos nota de prova, olhamos o fluxo - se os alunos estão passando de ano, se têm possibilidade de os menorzinhos em matrícula em educação infantil, e se eles estão completando na idade correta. Então todos esses elementos são capturados no indicador”, afirma Reynaldo Fernandes.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Brincos com formas arredondadas são tendência absoluta para o verão
De Prada a Isabel Marant, passando por Mugler e Christian Dior, diversos estilistas de renome levaram a trend para as passarelas

Depois da argola, do choker e do mix de anéis, chega a vez do maxibrinco voltar a triunfar no mundo das bijoux fashionistas – ainda mais se ele tiver uma bola de paetês, acrílico ou metal em sua composição.

Tudo começou na semana de moda de Milão, quando Miuccia Prada propôs, para o verão 2016 da Prada, uma beauté futurista (com direito a batom feito com pó de ouro) combinada a brincões compostos por enormes bolas de lantejoulas coloridas. Uma combinaçao de beleza e acessórios forte, que causava estranheza no início, mas que ficou no imaginário coletivo durante todos os desfiles seguintes.

Semanas depois, Raf Simons (responsável por modernizar as pérolas há algumas estações) levou as formas arredondadas para a joalheria da Dior, na semana de moda de Paris. Desta vez, ao invés de utilizar-se das pérolas em seus mais variados tamanhos, Raf apostou em brincos e gargantilhas com círculos de metal e acrílico colorido.

Por outro lado, Salvatore Ferragamo bebeu da mesma fonte que Raf Simons se inspirou em estações passadas, levando maxipérolas para brincos compridos e colares. Ainda chique, ainda atual.

Isabel Marant apostou em versões de brincos muito conhecidas pelas brasileiras, que contam com um grande círculo de metal acoplado a uma pequena corrente. Quem nunca teve um brinco nesse shape, que atire o primeiro choker; e é hora de trazê-lo de volta para o closet!

Na Sacai, uma versão semelhante ao brinco de Ferragamo e Prada surge em formato menor, mais delicado.

Na Mugler, a argola é preenchida e vira um disco de metal – ótima opção para quem quer aderir à trendsem ficar com o look datado.

Fonte: vogue.globo.com/
 
 
 Fitness de Pobre. Blogueira cria página sobre dieta barata em MG
Com quase 10 mil seguidores, ela faz sucesso contando sua busca pessoal.
Postagens mostram as dificuldades de quem está na luta para emagrecer.

Emagrecer gastando pouco. Foi perseguindo essa meta que a bacharel em Direito de Pouso Alegre (MG) Ana Lívia de Moraes Rodrigues, de 26 anos, foi parar nas redes sociais com a página "Fitness de Pobre". Com quase 10 mil seguidores, Nina, como é conhecida, conta há três anos os desafios de quem quer perder peso, mas fez as pazes com o próprio corpo. Com dicas simples e baratas, ela procura atingir um público que, assim como ela, quer emagrecer, mas não tem dinheiro para gastar com produtos milagrosos.

"Não adianta eu querer ter o corpo de uma modelo super magra. Meu corpo não é esse. Mas eu quero ficar bem. Hoje eu faço acompanhamento com nutricionista e personal trainer porque as pessoas começaram a me ajudar, mas nem todo mundo tem acesso a isso e acaba ouvindo muita loucura que tem por aí", observa.

Ela não passa exercício, não fala em milagre. Muito menos se dá ao trabalho de esconder quando se sente derrotada por aquela vontade repentina de comer uma pizza gigante. Nina é humana e está certo de que do outro lado da tela outras humanas passam pelas mesmas preocupações que ela.

Pensando diferente
"O que eu acho legal é que a Nina incentiva as pessoas a terem uma alimentação mais regrada e mostrando que isso é possível sem pagar caro", diz a personal trainer e amiga Patrícia Veloso de Aquino.

Educadora física, Patrícia pesquisava assuntos relacionados à boa forma física, quando encontrou "Fitness de Pobre". A linguagem despojada e as dicas que simplificam dietas chamaram a atenção. Ela mesma, especialista em treinamento funcional e musculaçãoe prescrição de treinamento para a terceira idade, nunca havia pensado que comer podia ser muito mais barato.

"Você às vezes vai pelo que está mais fácil e o que está mais fácil nem sempre é o mais em conta", avalia Patrícia. "E a Nina faz a gente pensar. O que eu mais gosto é que, ao contrário de muitas blogueiras, ela não passa dieta ou treino, porque cada um tem sua individualidade biológica. É preciso respeitar a capacidade física de cada um", alerta.

Por meio da página, blogueira e educadora física se reencontraram. As duas estudaram juntas e depois cada uma seguiu o caminho. A dificuldade em seguir uma dieta e o gosto pelo universo fitness reuniu as amigas, que passaram a treinar juntas. Nina passava a contar com suporte técnico para fazer as aulas de musculação que hoje tanto aprecia. De graça, claro, porque o fitness é de pobre.

Como tudo começou
"Eu sempre fui gorda e nunca tive força de vontade ara fazer exercício", diz Nina sobre a época em que chegou a ficar mais de 20 kg acima do seu peso normal. "Então eu fiquei doente", conta.

A infecção de garganta trouxe dificuldades para a blogueira se alimentar. Ela jura que chegou a pesar 70 kg na época e essa experiência mudou sua vida. "Não foi uma intervenção divina nem uma ajuda psicológica. Eu fiquei doente, deu uma diferença e eu resolvi dar um jeito", resume.
A perda de peso trouxe outras preocupações para Nina. Ela não sentia o corpo firme. Detalhes na pele, como celulite e estria, se tornaram evidentes. A então estudante entrou em uma academia e começou a participar grupos fitness na internet. O que eles falavam não fazia sentido para ela.
Comer pode ser barato
"As pessoas comiam umas coisas complicadas, caras, que eram um absurdo. Dieta é uma coisa para se fazer todo dia. Como que eu vou fazer aquilo todo dia, se eu mal tinha dinheiro para comprar o que eu precisava de básico para comer?", questiona.
Uma amiga então sugeriu a criação de uma página para que Nina tivesse o seu próprio grupo de discussão e descobrir caminhos mais fáceis para manter a forma. Nascia assim Fitness de pobre, da qual a jovem se autodenomina "musa, soberana, rainha e proprietária". Com base nas centenas de comentários que o espaço recebe, resta alguma dúvida?

"Nina, você é a melhor de todas. Sabe por quê? Porque é real! Passa as mesmas coisas que a gente, tem que trabalhar, correr atrás e ainda arrumar um tempinho pra malhar", comenta a internauta Caroline Quintanilha. "É isso mesmo, Nina. Por isso você me inspira a cada dia que passa! Você é gente como a gente! Te adoro", declara outra seguidora, Michele Caetano.

Felicidade sem fita métrica
Com Fitness de Pobre, Nina e seus milhares de seguidores se reconhecem. Para a blogueira, foi a descoberta do mundo das verduras e frutas, dos legumes, da comida caseira, do cardápio organizado por dia, dos pequenos truques que tornam a dieta mais fácil. Foi também a descoberta de si mesma.

Ao invés de gastar R$ 20 com uma garrafa de suco que promete desintoxicar o organismo, Nina já sabe que pode comprar frutas e fazer sucos em casa. O custo benefício é óbvio: o dinheiro dura mais tempo e ela tem certeza sobre o que está consumindo.
Para o pré-treino, ela encontrou no café um aliado e no exercídio diário da culinária ela aproveita melhor os alimentos. Com a economia feita, pode investir em produtos integrais e menos industrializados, que, à primeira vista, parecem caros, mas pesam menos no orçamento se comparados com os tradicionais. Tudo é pesado e acompanhado um nutricionista, que a ajuda voluntariamente.

"Eu quero ser saudável. Eu quero ser feliz. Não é a fita métrica que mede isso. Estou quase como eu quero. Só o excesso de pele na região da barriga que me incomoda, mas logo vou conseguir fazer uma cirurgia plástica e fica tudo certo. Hoje eu não fumo mais, não bebo, minha saúde é outra e o melhor, gasto muito pouco com isso", comemora.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Britânico tem conta no Facebook suspensa por causa de nome bizarro
Homem de 30 anos se chama Something Long and Complicated.
Ele se chamava William Wood até 2007, quando mudou legalmente de nome.

Um britânico de 30 anos cujo nome legal é "Something Long and Complicated" (Algo Longo e Complicado) disse que teve sua conta no Facebook suspensa porque os administradores do não acreditaram que esse seria seu nome, mesmo ele apresentando dados de sua carteira de motorista.

Something Long and Complicated se chamava William Wood até 2007, quando mudou seu nome legalmente. Após o caso vir à tona, ele conseguiu recuperar sua conta. Ele disse que tem conta no Facebook há oito anos e já teve problemas outras vezes para confirmar sua identidade, mas o incidente recente foi o mais complicado.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Receita libera consultas ao 5º lote do Imposto de Renda 2015
Serão pagos R$ 1,4 bilhão a 1,23 milhão de contribuintes, diz Fisco.
Valores serão depositados no dia 15 de outubro, acrescentou o órgão.

A Secretaria da Receita Federal liberou nesta quarta-feira (7) as consultas ao quinto lote de restituições do Imposto de Renda 2015 e a lotes residuais (para quem caiu na malha fina) de anos anteriores. Os valores serão pagos em 15 de outubro.
As consultas podem ser feitas no site da Receita, em:
http://www.receita.fazenda.gov.br/Aplicacoes/Atrjo/ConsRest/Atual.app/paginas/index.asp
Também podem ser feitas pelo telefone 146 (opção 3) ou por aplicativo para dispositivos móveis (smartphones e tablets).

Valores e número de contribuintes
Segundo o Fisco, o quinto lote do IR 2015 pagará R$ 1,4 bilhão em restituições para 1,23 milhão de contribuintes. As restituições virão corrigidas em 6,46%, índice correspondente à variação da taxa básica de juros (Selic) entre maio e outubro de 2015.
Considerando os valores dos lotes residuais de anos anteriores, as restituições sobem para R$ 1,5 bilhão no lote deste mês, englobando 1,26 milhão de contribuintes, dos quais 19.507 contribuintes são idosos e 2.527 contribuintes possuem alguma deficiência física, mental ou moléstia grave.
De acordo com as regras, depois desses contribuintes, as restituições serão pagas pela ordem de entrega da declaração do Imposto de Renda, desde que o documento tenha sido enviado sem erros ou omissões.

Geralmente, são liberados sete lotes do IR a cada ano, entre junho e dezembro. Os valores das restituições do Imposto de Renda são corrigidos pela variação dos juros básicos da economia, atualmente em 14,25% ao ano. Em 2015, o Fisco recebeu 27,8 milhões de declarações de Imposto de Renda até 30 de abril – o prazo legal.

Como saber se está na malha fina?
A Receita Federal lembra que os contribuintes podem saber se sua declaração do Imposto de Renda caiu na malha fina por conta de erros, omissões ou inconsistências.
Para isso, é preciso acessar a página da Receita Federal e consultar o chamado "extrato" do Imposto de Renda – disponível no e-CAC (Centro Virtual de Atendimento). Nesse local, o contribuinte consegue saber quais pendências ou inconsistências foram encontradas pelo Fisco na sua declaração do IR.
Para acessar o extrato do IR, é necessário utilizar o código de acesso gerado na própria página da Receita Federal ou certificado digital emitido por autoridade habilitada.
Em posse da informação sobre pendências e inconsistências, o contribuinte pode enviar uma declaração retificadora ao Fisco e, deste modo, sair da malha fina. Quando a situação for resolvida, caso tenha direito à restituição, ela será incluída nos lotes do IR.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 TCU julga contas do governo Dilma Rousseff de 2014 nesta quarta
Ministros também vão avaliar o pedido do Executivo para afastar o relator.
Entre irregularidades apontadas estão as chamadas 'pedaladas fiscais'.

O Tribunal de Contas da União (TCU) julga nesta quarta-feira (7) as contas do governo federal de 2014. Entre as irregularidades apontadas pela corte estão as chamadas “pedaladas fiscais”, que são manobras para aliviar, momentaneamente, as contas públicas.

A Advocacia-Geral da União (AGU) pediu na véspera ao Supremo Tribunal Federal (STF) a suspensão do julgamento, mas ainda não há resposta da corte.

O parecer do tribunal será encaminhado ao Congresso, que tem a palavra final sobre as contas. A análise do TCU, portanto, não tem efeito prático, já que funciona como uma recomendação aos parlamentares, mas uma eventual rejeição poderá ser usada como argumento para abertura de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Antes de julgar as contas, o plenário do TCU irá decidir se acata ou não o pedido feito pela Advocacia-Geral da União (AGU) para que o relator, ministro Augusto Nardes, seja afastado da condução do processo.

O governo alega que Nardes cometeu irregularidade ao manifestar opinião sobre o caso e antecipar publicamente seu voto antes do julgamento. Segundo a AGU, o regimento interno do TCU e a lei orgânica da magistratura – as quais os ministros do tribunal estão submetidos – proíbem os magistrados de emitir opinião sobre processos que estejam conduzindo.

Na semana passada, veio a público o parecer em que o relator recomenda aos demais ministros da corte a rejeição das contas. Nardes garante, no entanto, que não foi o responsável por “vazar” o documento para a imprensa e acusa o governo de tentar “intimidá-lo”.
‘Pedaladas fiscais’
O primeiro pedido de esclarecimentos sobre as contas de 2014 foi feito em junho pelo TCU, com prazo de 30 dias para resposta. Mas, devido à inclusão de novos fatos ao processo, o governo acabou ganhando mais tempo para se defender da suspeita de ter adotado manobras para aliviar, momentaneamente, as contas públicas.
Entre as supostas irregularidades analisadas pelo TCU estão as chamadas “pedaladas fiscais” e a edição de decretos que abriram créditos suplementares sem autorização prévia do Congresso Nacional.

As “pedaladas fiscais”consistem no atraso dos repasses para bancos públicos do dinheiro de benefícios sociais e previdenciários. Essa prática obrigou instituições como Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil a usar recursos próprios para honrar os compromissos, numa espécie de “empréstimo” ao governo.

Nos dois casos, o Executivo nega a existência de irregularidades e argumenta que as práticas foram adotadas pelos governos anteriores, sem terem sido questionadas pelo TCU. As explicações entregues pela AGU na defesa do governo somam mais de 2 mil páginas.

Próximos passos
Depois de o TCU decidir se recomenda a reprovação ou aprovação das contas de Dilma, o parecer tem de ser encaminhado ao Congresso Nacional, que terá a palavra final sobre o caso.
Se as contas do governo forem realmente rejeitadas nessas votações, isso poderá ser usado como argumento para abertura de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, sob o argumento de que ela feriu a Lei Orçamentária e, portanto, cometeu crime de responsabilidade.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Ensaio de moda inspirado em refugiados gera polêmica
Fotos mostram modelo com cerca de arame farpado ao fundo.
Fotógrafo húngaro diz que foi mal interpretado.

Um ensaio de moda inspirado na crise migratória feito por um fotógrafo húngaro gerou polêmica e está sendo acusado nas redes sociais de ser ofensivo e de glamourizar um problema social.

As imagens mostram uma modelo com roupas de marca, celular com capa da marca Chanel e lenço no cabelo em frente a uma cerca de arame farpado. Em algumas fotos, ela aparece “sendo presa” por um policial. Ela também aparece com parte dos seios à mostra em algumas cenas.
O ensaio, batizado de “Der Migrant” (O migrante, em alemão), foi chamado de “oportunista” e “doentio” e por usuários das redes sociais.

O fotógrafo, Norbert Baksa, enviou uma mensagem ao G1 com suas explicações sobre o trabalho. Ele diz que os críticos não entenderam a mensagem e estão "tirando conclusões baseadas em informações parciais e tendenciosas".
“O ensaio não pretende glamourizar essa situação claramente ruim, mas chamar a atenção para o problema e fazer as pessoas pensarem sobre ele”, afirmou.

Baksa afirma que normalmente se recusa a abordar tópicos políticos, mas escolheu o tema desta vez por ser uma situação que “afeta a rotina diária de praticamente todo mundo na Hungria”.

“Nós nunca pretendemos ofender ninguém, apenas chamar a atenção para a complexidade desse problema. Durante a sessão, demos o nosso melhor para respeitar a fé e a convicção das pessoas e não cruzar certas barreiras”, escreveu, acrescentando que as fotos mostram “uma mulher sofrendo, que é também bonita apesar da sua situação, usa roupas de alta qualidade e smartphone”.

Por enquanto o ensaio foi publicado apenas em suas contas no Twitter e no Instagram, mas o fotógrafo afirma ter recebido convites de publicações em vários países com interesse nas imagens.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Exercícios da moda ou a simples caminhada?
Sem excessos e adequada ao perfil do praticante, toda atividade física favorece a vida saudável; leque de opções não para de crescer

O leque de novidades para perder peso e ganhar um corpo bonito não para de crescer, arregimentando adeptos de todos os perfis – daqueles que já praticam uma atividade física e decidem aderir à nova onda aos sedentários que, de repente, resolvem mudar de vida. Tem o crossfit (treinos que combinam força e resistência física), mahamudra (mistura de crossfit com artes marciais e yoga) e power plate (atividades feitas em plataformas vibratórias), entre outras.

Estimular a atividade física é um dos pontos positivos desses modismos. Afinal, sedentarismo e sobrepeso aumentam os riscos de doenças cardíacas e acidente vascular cerebral (AVC), males que, no Brasil, matam mais que o câncer. Aliás, atividade física também ajuda a prevenir alguns tipos de câncer.

Nem por isso vale tudo na hora de escolher o exercício a ser praticado. Dependendo da pessoa e do tipo de atividade física, o sonho de perder rapidamente os quilos a mais ou ganhar uma barriga tanquinho pode se revelar uma aventura arriscada.

“Tudo que é em excesso é ruim. Exercícios extenuantes podem causar problemas musculares, vasculares, nos tendões e até fraturas por fadiga óssea”, alerta o dr. Mário Lenza, ortopedista do Hospital Israelita Albert Einstein. “Toda atividade exige bom senso para ser realizada de forma adequada”, completa ele.

O crossfit, uma prática inspirada nos treinamentos militares, é um exemplo. Por ser uma atividade de alta intensidade, que trabalha vários grupos musculares conjuntamente, pode causar danos musculares e tensões nos tendões em diversas áreas do corpo, especialmente quando o praticante não tem condicionamento físico e quer ir além de seus limites. Em casos extremos e mais raros, lesões das fibras musculares resultam na liberação no organismo de mioglobina, uma substância que afeta os rins, podendo levar à falência renal.

Até exercícios em equipamentos que parecem mais inofensivos, como o power plate, exigem cuidados. O uso adequado dessas plataformas vibratórias agrega, sim, benefícios, conforme sugerem alguns estudos médicos. “Para idosos, ajuda na coordenação motora, equilíbrio e postura, o que contribui para prevenir quedas. Para usuários de forma geral, melhora o desempenho esportivo. Após sessões de power plate, a pessoa corre mais rápido ou pula mais alto, por exemplo”, explica o dr. Mário. Todavia, as mesmas vibrações podem gerar problemas vasculares, derivados da formação de microcoagulações que afetam a circulação sanguínea dos ossos, podendo provocar a necrose óssea, que pode ser transitória ou permanente.

A pressa na obtenção de resultados costuma ser má conselheira. “É comum receber no consultório pacientes com um histórico de sedentarismo que querem, do dia para a noite, se transformar em atletas. Isso é uma armadilha”, adverte o dr. Leandro Echenique, cardiologista do Einstein. Antes de tudo, é indispensável uma avaliação médica prévia para afastar riscos associados a doenças silenciosas, como cardiopatias e lesões dos tendões provocadas pelo próprio sedentarismo. “Uma pessoa com 50 anos de idade, sedentária, com uma placa de gordura silenciosa na coronária, que resolve aderir a uma atividade física de alta intensidade, pode apresentar um infarto”, acrescenta o dr. Leandro. Mas, mesmo sem problemas preexistentes, exercícios de alta intensidade não são recomendados para iniciantes.

Do ponto de vista da saúde, o maior salto de benefícios é obtido quando a pessoa sai do sedentarismo e passa para uma atividade física moderada, como uma caminhada acelerada na qual, mesmo ofegante, o indivíduo consegue falar com quem está ao seu lado. “Ou seja, quem busca saúde não precisa correr a São Silvestre ou ultramaratona”, observa o dr. Leandro. Segundo ele, diversos estudos apontam que os ganhos em termos de proteção cardiovascular são menores quando a pessoa passa da atividade física moderada para a intensa.

Outra boa notícia é que mesmo que os 150 minutos de atividade física moderada por semana (30 minutos por dia, cinco dias da semana) ou 75 minutos de atividade física intensa por semana preconizados pela literatura médica não sejam cumpridos pelo indivíduo, tempos menores já agregam benefícios à saúde.

Um estudo recente com mais de 55 mil pessoas acompanhou corredores e sedentários por um período de 15 anos e mostrou redução de 30% na mortalidade nos corredores em relação aos sedentários. Esse benefício foi semelhante entre os que corriam menos de 60 minutos por semana em comparação ao grupo dos que corriam mais de 180 minutos.

A pessoa também não precisa fazer os 30 minutos diários de atividade física moderada de uma só vez. Esse tempo pode, por exemplo, ser dividido em dois períodos de 15 minutos. Isso pode significar ir para o trabalho a pé ou subir e descer escadas em vez de usar o elevador.

Abolir o sedentarismo, que favorece a gordura abdominal, o diabetes, o aumento do colesterol e triglicérides, é fundamental. Atividades físicas ajudam a prevenir doenças cardiovasculares e a reduzir o risco de cânceres, como o de mama e o de cólon de intestino. “Também ajudam a evitar a osteoporose (perda da massa óssea) e a sarcopenia (perda de massa muscular), dois problemas associados ao envelhecimento”, observa o dr. Mário.

Exercícios aeróbicos regulares combinados com musculação e dieta adequada, além de não fumar, continuam sendo a base para uma vida saudável e boa forma física. Para os sedentários, caminhada ainda é uma boa dica para sair da perigosa zona da inatividade. Para quem tem vida ativa e gosta de exercícios mais intensos, evitar exageros e usar o bom senso é a melhor forma de aproveitar apenas o que eles trazem de bom.

Fonte: progresso.com.br
 
 
 Brasil bate recorde de mortes por dengue, diz Ministério da Saúde
Em oito meses, país registrou 693 óbitos pela doença, o que já transforma 2015 como o ano que teve mais casos de mortes

Brasília - Nos oito primeiros meses do ano, o número de mortes causadas pela dengue no país em 2015 foi de 693, e já constitui o maior índice anual desde que a doença começou a ser monitorada em detalhes, em 1990. O recorde anterior havia sido atingido em 2013, com 674 mortes. O Estado do Rio registrou 17 mortes no mesmo período.

De acordo com o Ministério da Saúde, os 693 óbitos representam aumento no país de 70% em comparação ao mesmo período de 2014, quando foram confirmadas 407 mortes.

Segundo boletim Secretaria de Vigilância Sanitária ligada ao Ministério da Saúde, São Paulo teve 1.516 casos por grupo de 100 mil habitantes registrados até agora, e perde em incidência relativa apenas para Goiás (1.979 casos/100 mil hab.).

INFOGRÁFICO: O avanço da doença no Brasil

No Estado do Rio, foram notificados 55.500 casos suspeitos de dengue, com 17 óbitos: Barra Mansa (1), Campos dos Goytacazes (1), Miracema (1), Paraty (2), Piraí (1), Porto Real (2), Quatis (1), Resende (7) e Volta Redonda (1).

As notificações foram compiladas pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio a partir de dados inseridos no sistema pelos municípios até às 11h do dia 2 deste mês. A secretaria informa ainda que, no momento, nenhum município registra epidemia da doença. De janeiro a agosto de 2014 foram notificados 6.378 casos suspeitos da doença.

A Secretaria estadual de Saúde informou que vem realizando uma série de ações para reduzir os impactos causados pela dengue. Uma delas é a campanha 10 Minutos Contra a Dengue.

O objetivo é estimular a população a investir 10 minutos por semana para eliminar possíveis criadouros em suas casas, já que o ambiente doméstico concentra 80% dos focos.

O site do programa traz uma lista de ações que devem ser feitas semanalmente. O endereço do site é www.riocontradengue.com.br. 

Fonte: odia.ig.com.br/
 
 
 OMS lança novas recomendações sobre a saúde dos adolescentes
Entre os 10 e 19 anos é frequente encontrar tendências à obesidade, à má alimentação e às desordens mentais

A organização Mundial da Saúde (OMS) formulou nesta terça-feira (6) recomendações para melhorar os serviços de saúde aos adolescentes, faixa etária que recebe pouca atenção, apesar de ser o período em que se costuma adotar comportamentos que causam patologias na idade adulta.

Os dados disponíveis indicam que 35% da carga de morbidade no mundo se origina na adolescência. Em 80% dos casos de depressão entre adultos, a doença começou a se manifestar na adolescência.

Dentro do ciclo da vida, entre os 10 e 19 anos é frequente encontrar tendências à obesidade, à má alimentação e às desordens mentais, e em geral é quando se inicia o consumo de tabaco, álcool e drogas.

Especialistas da OMS afirmaram que grande parte dos adolescentes não tem acesso a serviços essenciais de prevenção, nem a atendimento médico adequado quando já sofrem destes problemas. "As desordens mentais são uma área em que as intervenções sanitárias antecipadas podem fazer uma grande diferença na vida adulta", disse Anthony Costello, diretor do Departamento Materno, Neonatal, de Infância e de Adolescência da OMS. "Os adolescentes não são nem crianças nem adultos, são um grupo único, com necessidades específicas, e a fase em que podem se consolidar comportamentos negativos que duram toda a vida", alertou.

Entre as principais recomendações da OMS estão a implementação de serviços sanitários de fácil acesso para adolescentes, com consultas gratuitas ou tarifas reduzidas, que não exijam agendamento nem o consentimento dos pais ou dos tutores.

Os adolescentes também devem estar seguros sobre a confidencialidade das consultas, o que eliminaria o temor de serem vítimas de discriminação. "Os adolescentes precisam ser informados sobre onde buscar atendimento médico. São vulneráveis porque não têm dinheiro, podem ser sensíveis à discriminação e ao contexto sociocultural, o que pode deixá-los muito reticentes a buscar ajuda", explicou Costello.

Os adolescentes de famílias pobres, que sofrem de violência e abusos sexuais ou que consomem algum tipo de droga "são os que mais raramente entram em contato com os serviços de saúde, apesar de serem os que mais precisam deles", acrescentou.

A OMS assinalou que é comum pensar que os adolescentes precisam somente de informação sobre saúde sexual e reprodutiva, ideia que é muito equivocada.

Em nível mundial, as principais causas de mortes entre adolescentes são a depressão e o suicídio, fatores que - segundo os dados disponíveis - são muito mais prevalentes nos países desenvolvidos. "Em alguns dos países de economias mais avançadas, desordens como anorexia, bulimia, baixa autoestima, automutilação, ansiedade, o estresse sob outras manifestações e a depressão alcançam dimensões quase epidêmicas entre os adolescentes", afirmou Costello.

As causas seguintes de mortalidade são, por ordem de importância, aids, violência interperssoal e acidentes de trânsito. Tratam-se, em todos os casos, de doenças ou situações que poderiam ser prevenidas.

Fonte: saude.terra.com.br/
 
 
 Tecnologia verde controla praga nas flores
Técnica de combate com controle biológico diminui em 70% a aplicação de acaricidas em gérberas e crisântemos em SP

O ácaro-rajado é um dos maiores inimigos das flores e outras espécies de plantas, como o morango, pêssego, feijão e algodão. Para limitar os danos causados pela praga, os produtores muitas vezes precisam utilizar largamente vários tipos de acacaridas. “A aplicação constante do produto tem tornado as pragas mais resistentes. Alguns produtores de flores, por exemplo, têm obtido níveis de controle abaixo de 20%”, diz o Mário Eide Sato, pesquisador do Instituto Biológico, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

O Instituto Biológico realizou uma série de estudos junto a produtores de flores em Holambra e Arujá para avaliar a resistência dos ácaros que mais comumente atacam as flores. A partir dessas análises, realizadas em laboratório, foi desenvolvida uma tecnologia para combater o ácaro que prejudica as plantas. Foram selecionados ácaros-predadores, como o Neoseiulus califormicus, e o Phytoseiulus macropolis, que atacam apenas o ácaro-rajado. Essas espécies se alimentam de ovos de outros ácaros, além de ácaros jovens.

Com a técnica, já foi possível diminuir em 70% a aplicação de acaricidas em gérberas e crisântemos, em produtores do Estado de São Paulo. No caso de rosas e orquídeas, os resultados foram ainda mais promissores: a necessidade de utilização de produtos químicos para combater ácaros praticamente zerou, segundo o Instituto Biológico.

Mas não basta somente realizar a liberação dos ácaros-predadores em campo. É preciso fazer o momento correto para efetuar a operação. “Orientamos os produtores a liberar os predadores quando a infestação da praga está baixa, o que aumenta eficácia do controle biológico”, explica Sato.

As principais vantagens do método, segundo o Instituto Biológico, são o baixo impacto ambiental, a menor necessidade de aplicar produtos químicos e uma redução das horas de trabalho necessárias para o controle de pragas. Em geral, os trabalhadores rurais precisam passar por um treinamento para utilizar os acaricidas e, conforme o nível de infestação, pode ser necessário fazer três aplicações por dia em campo. “O controle biológico dos ácaros também propicia flores mais bonitas, que provocam mais impacto ao chegar ao mercado”, diz Sato.

Hoje, o Brasil possui cerca de 8 000 produtores de flores, que cultivam 3 000 variedades em aproxidamente 15 000 hectares totais de área. O setor gera 215 000 empregos. Em 2014, esse mercado movimentou cerca de R$ 5,7 bilhões.

Fonte: revistagloborural.globo.com
 
 
 Tecnologia da Microsoft quer levar Windows 10 a aparelhos Android
Depois da compra da Nokia e com o desenvolvimento da versão mobile do Windows 10, a Microsoft parece ter planos ousados para se reinventar nesse mercado – ou, pelo menos, mais ousados do que imaginávamos. A empresa já tinha mostrado interesse nos aparelhos Android, inicialmente por conta de uma parceria com a Xiaomi. Agora, uma patente surgida há alguns dias mostra que a companhia parece estar bem adiantada na tarefa de permitir que sua plataforma seja incluída – sem dificuldades – em celulares feitos para o sistema da Google.

Embora não haja nenhuma confirmação oficial por parte da Microsoft, o registro feito em março de 2014 e aprovado pelo USPTO no último dia 1º de outubro revela parte dos objetivos do projeto chamado “User Selectable Operating Systems” – algo como “Sistemas Operacionais Selecionáveis pelo Usuário”. Pelo que é possível conferir na documentação, a ideia é que uma ROM do Windows possa ser pré-instalada pelas fabricantes junto a diferentes versões do Android, trazendo o conceito de dual boot para o setor.

Com a tecnologia, esses softwares ficariam armazenados de uma forma compactada até que o consumidor ligasse o aparelho pela primeira vez. A partir daí, o usuário seria guiado pelo assistente de instalação, podendo escolher quais sistemas rodariam no produto – entre Windows e Android – e quais seriam deletados ao fim do processo para liberar espaço em disco. O recurso parece ser uma mão na roda para indecisos de plantão ou para simplesmente qualquer um que quer aproveitar as vantagens das duas plataformas – sem precisar comprar outro item.

A patente não deixa claro se a Microsoft já está em contato com as empresas que produzem esses dispositivos mobile, quais ROMs Android podem ser incluídas na brincadeira ou como o Windows 10 vai se comportar com uma gama tão variada de gadgets. Apesar disso, é interessante ver que a companhia está levando a “briga” para o terreno do inimigo, mostrando bastante confiança na robustez de sua nova plataforma mobile – nada estranho se levarmos em conta o sucesso do produto para desktops.

Para alguns, esse é um indício de que a dona do Windows pode começar a deixar de lado a fabricação de celulares – um mercado bastante disputado – para se focar apenas no desenvolvimento de sistemas operacionais para o segmento. Seja qual for a decisão do império capitaneado por Satya Nadella, não dá para negar que a estratégia é, no mínimo, uma ótima oportunidade de apresentar o software a um público bem mais amplo de usuários. E você, ficaria interessado em testar o Windows 10 com essa tecnologia?

Fonte: tecmundo.com.br
 
 
 Prêmio Gourmet Vip elege os melhores da gastronomia capixaba
A edição deste ano contemplou 50 categorias. Entre os novos premiados estão paletas mexicanas, food truck, carne na chapa e utensílios gourmet e do lar

Requinte, luxo e alta gastronomia. Assim se resume a noite de entrega da 13ª edição do Prêmio Gourmet Vip, que aconteceu na última segunda-feira (5), em Jardim Camburi, Vitória. Uma forma de parabenizar aqueles que prestam serviço de excelência para o público do Espírito Santo. Confira a galeria de fotos da noite de premiação!

Um ano repleto de novidades na premiação! Agora são 50 modalidades diferentes da gastronomia do Estado prestigiadas com o prêmio. O Fala ES, programa responsável pela premiação, está cada vez mais vinculado ao mundo gastronômico.

“Esse prêmio passou a fazer parte do meu programa, o Fala ES, que completa neste ano 15 anos no ar. Então vem com muitas novidades porque eu ganhei um espaço gourmet novo para receber chefs e culinaristas no dia a dia. O Fala ES é o único programa diário ao vivo local que tem toda essa estrutura e o prêmio vem para consagrar esse momento importante de 15 anos do programa no ar com pessoas maravilhosas e queridas que vão ao nosso estúdio”, disse a apresentadora Tais Venâncio.

Alegria dos vencedores e incentivo para os demais candidatos aprimorarem seus serviços com o que há de melhor. O diretor geral da Rede Vitória, Fernando Machado, acredita que o prêmio faz com que os capixabas tenham referências para frequentar os estabelecimentos ao longo do ano. “O Prêmio Gourmet Vip já se estabeleceu e eu acho que é sempre muito bom porque as pessoas elegem os estabelecimentos e esses estabelecimentos a gente tem como referência para frequentarmos durante o ano”. 

Conheça os vencedores:

1) COZINHA ITALIANA    

DOMUS ITÁLICA    32.27%
PREFERITO    23.63%
BACCO    44.1%

2) COZINHA JAPONESA    

SUSHIMAR    29.18%
JAPA SAN    46.69%
YAHOO    24.13%

3) COZINHA CONTEMPORÂNEA    

VALENTINA    33.99%
VILA DOS CHEFS    34.82%
VERO RISTORANTE    31.18%

4) COZINHA DAS MONTANHAS    

DON BENIN    26.53%
ALECRIM    40.68%
VALSUGANA    32.79%

5) COZINHA CAPIXABA    

PAPAGUTH    37.17%
ESPERA MARÉ    39.16%
GOSTO PORTUGUÊS    23.67%

6) COZINHA RÁPIDA - SELF SERVICE    

SALADE VERTE    29.98%
TROPICAL    20.98%
GALETINHO    49.05%

7) COMIDA NATURAL    

BULLY’S    41.85%
BAGUETE’S NATURAL    24.08%
SUCO BAGAÇO    34.06%

8) COZINHA BRASILEIRA    

CANTO DA ROÇA    38.66%
RANCHO FORTE    23.26%
NINHO DA ROXINHA    38.08%

9) COZINHA INTERNACIONAL    

FUEGOS RESTAURANTE    28.23%
ARGENTO PARRILLA    42.81%
EL RACHID    28.96%

10) GASTRONOMIA EM HOTELARIA    

SHERATON VITÓRIA    40.48%
BRISTOL ALAMEDA VITÓRIA    27.76%
BRISTOL – PRAIA DO CANTO    31.76%

11) PRATO EXECUTIVO    

ALEIXO    43.13%
TAURUS    32.93%
PIU ESPECIARIAS    23.94%

12) PIZZARIA    

DON CAMALEONE    34.73%
DISK PIZZA PAULISTA    37.86%
MISTER PIZZA    27.41%

13) CARANGUEJO    

CARANGUEJO DO GIL    22.67%
ILHA DO CARANGUEJO    33.22%
CARANGUEJO DO ASSIS    44.11%

14) HAMBURGUERIA    

MELT HAMBURGUERIA    38.76%
BURGER STATION    29.46%
GOL BURGER SANDUICHERIA    31.78%

15) FRUTOS DO MAR    

ATLÂNTICA    33.47%
TIMONEIRO    28.76%
BOQUEIRÃO    37.78%

16) SORVETERIA    

FIORETTO    43.83%
LA PREMIATTA GELATERIA    28.31%
FREDDO    27.86%

17) PALETAS MEXICANAS    

LOS PALETEROS    45.52%
LAS PALETITAS    35.32%
HELADO MONTERREY    19.16%

18) PADARIA    

MONTE LÍBANO    52.55%
PÃO E COMPANHIA    24.72%
LEDUT CASA DE PÃES    22.74%

19) CAFETERIA    

CAFÉ BAMBOO    32.45%
DELTA Q    40.42%
CAFETERIA NÚMERO UM    27.13%

20) CERVEJARIA    

CASA DO CERVEJEIRO    25.85%
MR BEER    29.5%
LA VILLA CHOPPERIA    44.65%

21) CHOPP EXPRESS DELIVERY    

KAISER CHOPP    19.77%
ASHBY CHOPP    25.37%
BRAHMA EXPRESS    54.86%

22) CHOCOLATES    

LE CHOCOLATIER    45.59%
BRASIL CACAU    25.75%
KOPENHAGEN    28.66%

23) DOCERIA    

CHOCOLATERIA BRASIL    45.27%
DOÇURA    27.94%
CAKE & DELÍCIAS    26.79%

24) CHURRASCARIA    

VICTORIA GRILL    43.41%
GRAMADO    29.6%
MINUANO    26.99%

25) CARNE NA CHAPA    

DI DOMDOM    20.55%
DE LIRA    40.67%
CORONEL PICANHA    38.78%

26) BUFFET INFANTIL    

LOLLYPOP    57.88%
FANFARRA    20.94%
BENDITA HORA    21.18%

27) CERIMONIAL VITÓRIA    

LE BUFFET    59.05%
ITAMARATY HALL    22.28%
CENTRO DE CONVENÇÕES DE VITÓRIA    18.67%

28) CERIMONIAL VILA VELHA    

BOULEVARD HALL    24.94%
LE CHANDON    40.53%
CENTRO DE CONVENÇÕES DE VILA VELHA    34.53%

29) CERIMONIAL SERRA    

STEFFEN    39.72%
PORTO BELLO    37.86%
WARUNG    22.42%

30) UTENSÍLIOS GOURMET    

CRYSTAL GARDEN    31.8%
MGERAIS    35%
CETRINO    33.2%

31) UTENSÍLIOS DO LAR    

MINIPREÇO    36.36%
PONTOMIX    26.58%
NÉRIO & TÂNIA    37.06%

32) VINHOS    

CANTO DO VINHO    27.53%
WINE    55.45%
ESPAÇO D.O.C IMPORTADORA    17.02%

33) HAPPY HOUR    

CENARIUM LOUNGE BAR    22.14%
SPETACOLLO    56.86%
CASA RIO BOTEQUIM    21%

34) CAFÉ    

CAFÉ NÚMERO UM    53.93%
CAFÉ CAFUSO    27.46%
CAFÉ GLÓRIA    18.61%

35) REFRIGERANTE    

UAI    14.43%
COROA    38.27%
ANTÁRCTICA    47.3%

36) ÁGUA    

UAI    13.8%
PEDRA AZUL    58.24%
CAMPINHO    27.96%

37) LEITE    

SELITA    56.8%
ITAMBÉ    23.69%
DAMARE    19.52%

38) QUEIJOS    

RESERVA DOS IMIGRANTES    24.42%
TIROLEZ    21.25%
SELITA    54.33%

39) BISTRÔ    

DELLA BISTRÔ    42.61%
DAJU BISTRÔ    28.77%
AZTECA BISTRÔ    28.62%

40) SUPERMERCADO    

PERIM    47.03%
OK HIPERATACADO    17.01%
EXTRABOM    35.96%

41) PLANEJADOS COZINHA    

ROMANZZA    46.6%
DALMÓBILE    25.56%
BARTZEN    27.84%

42) BISCOITOS    

CLAÍD’S    34.32%
BOM BISCOITO    22.31%
PIRAQUÊ    43.36%

43) COZINHA E RECREAÇÃO    

RANCHO BELISKÃO    39.43%
PICANHA DA PRAIA    30.84%
BACANA    29.73%

44) FOOD TRUCK    

AVENIDA BRIGADEIROS    35.42%
CHICKS GOURMET    28.05%
HASTA LA PISTA    36.52%

45) ARTIGOS PARA FESTAS    

COLMEIA DAS FESTAS    31.37%
CENTRAL DE AVIAMENTOS SÃO PAULO    34.74%
PALÁCIO DAS FESTAS    33.89%

46) BEBEDOUROS    

BEBEDOUROS E CIA    35.36%
HOKEN    17.41%
EUROPA    47.23%

47) CARNES BRANCAS    

UNIAVES    45.04%
KIFRANGO    36.31%
OIFRANGO    18.65%

48) PATISSERIE    

REGINA MEYNARD    31.83%
EDNA JABOUR    38.09%
JÚLIA CANDEIAS    30.08%

49) CHEF DO ANO    

GUSTAVO CORRÊA – ITAMARATY HALL    11.56%
JÚLIO LEMOS – PAPAGUTH    7.12%
ASSIS TEIXEIRA – DOMUS ITÁLICA    13.4%
DUAINE CLEMENTS - LE BUFFET    30.78%
ORLANDO NARDI – PREFERITO    8.13%
FRANÇOIS TEISSONIÈRE - FUEGOS    6.2%
DANILLO AMARAL – CAPRI ITALIANO    14.09%
MATIAS, FERNANDO E CAROLINA SALÉM - ARGENTO PARRILLA    8.72%

50) TOP OF MIND    

LE BUFFET    46.55%
CAFÉ NUMERO UM    12.19%
ITAMARATY HALL    14.2%
DADALTO    11.05%
COFRIL    16.01%


Fonte: folhavitoria.com.br
 
 
 Ribeirão Preto sedia VI Encontro Brasileiro de Coro Cênico
O Coro Cênico Bossa Nossa promove mais uma vez, em Ribeirão Preto, o Encontro Brasileiro de Coro Cênico, entre os dias 8 a 12 de outubro, no Teatro Municipal, Centro Cultural Palace e Cineclube Cauim. Esta é a 6ª edição do evento, que conta com cinco espetáculos de produções de corais brasileiros, sendo um de Ribeirão Preto (Bossa Nossa), um de Jundiaí (Astra), o Canarinhos da Terra (de Campinas) e um de Goiânia (Último Tipo).

Durante o evento será realizada uma agenda paralela de formação com espaço para reflexão teórica sobre esta modalidade artística, que engloba teatro e canto coral. Serão debates, encontros e vivências com regentes de corais e diretores cênicos, entre eles o maestro italiano, Antônio Pantaneschi, que será responsável pela Aula Magna do evento. Segundo Odônio dos Anjos, integrante do grupo Bossa Nossa e um dos organizadores do encontro, o objetivo é mapear e cadastrar grupos que defendem esta prática artística no país e formar plateia para a modalidade artística coro cênico.

De acordo com levantamentos não oficiais, há no Brasil cerca de 40 grupos que desenvolvem o trabalho cênico e musical de forma simultânea. São linhas de trabalho distintas, que valorizam desde a prática do cantar com movimentação, passando pela ilustração da música até a formação cênica mais elaborada. Em todas as produções existentes no país a qualidade musical é o ponto forte de valorização. “São manifestações artísticas com identidades próprias e estilos que preservam as raízes regionais em contraponto com as tendências mundiais para a atuação de coralistas”, explica Odônio.

Para Magno Bucci, um dos organizadores do encontro e diretor cênico do grupo Bossa Nossa, o Brasil produz um trabalho com corais que difere da proposta comum de coro em todo o mundo. “Aquele formato da grande maioria dos corais, identificado por um grupo de cantores estáticos, com vestes próprias e postura formal, já não é mais um traço cultural do Brasil”.  Magno esclarece ainda que o coro cênico é uma ideia em processo de elaboração. “Trata-se de uma definição em progresso, uma modalidade que arrisca conceituações destinadas a buscar fundamentos no estudo da evolução do coro, dos gregos aos nossos dias”, comenta.

O evento é uma iniciativa do Coro Cênico Bossa Nossa e da Secretaria Estadual de Cultura, através de edital do ProAC, com apoio da ONG Cineclube Cauim, Secretaria Municipal da Cultura, Teatro Municipal, Centro Cultural Palace, Toka Produtora de Áudio e Rádio USP.   Todas as atividades são gratuitas. A retirada de ingressos nos locais deve ser feita por interessados uma hora antes das atividades.

Atrações

O Coro Cênico Bossa Nova fará duas apresentações no encontro. A primeira é uma homenagem a Adoniran Barbosa com o espetáculo “Nóis ganha poco, mais nóis si diverti” no dia 8 de outubro, às 21h, além da esperada estreia do espetáculo “Se não for para me fazer voar bem alto nem tire meus pés do chão” no dia 9 de outubro, às 21h – uma produção da música popular brasileira que aponta um panorama das relações entre homem e mulher, especificamente no campo afetivo.

Criado em 1991, o Bossa Nossa reúne hoje oito cantores / atores para a encenação – que interpretarão músicas de Chico Buarque, Itamar Assumpção, João Bosco e Aldir Blanc, Pedro Luís e Carlos Rennó, Lupicínio Rodrigues, Lenine, Paulinho Moska, Francisco Alves e Nilton Barros, Dolores Duran, entre outros.

Também serão destaques as apresentações dos corais Astra (Jundiaí/SP), dia 10/10 – sábado e Canarinhos da Terra (Campinas/SP), 11/10 – domingo. Na segunda-feira, 12 de outubro, Dia da Criança, o VI Encontro trará para a cidade o espetáculo infantil “Circo de Latão” do grupo Último Tipo, de Goiânia (GO)

Agenda: 8 de outubro

21h – Apresentação Artística do Coro Cênico Bossa Nossa (Ribeirão Preto), espetáculo “Nóis ganha poco mais nóis si diverti” – Tributo a Adoniran Barbosa

9 de outubro

21h – Apresentação Artística do Coro Cênico Bossa Nossa (Ribeirão Preto/SP), com o novo espetáculo “Se não for para me fazer voar bem alto nem tire meus pés do chão”

10 de outubro

9h – Atividades de Formação – Aula Magna com o maestro Italiano Antônio Pantaneschi

21h – Apresentação Artística do Coral Astra (Jundiaí/SP), espetáculo “Música e cinema”

11 de outubro

9h – Atividades de Formação – Prática de Coro Cênico com Marcelo Peroni e Vastí Atique

19h – Apresentação Artística do Coral Canarinhos da Terra (Campinas/SP), espetáculo “Qual é?”

12 de outubro

16h – Apresentação Artística com o grupo Último Tipo (Goiânia/GO), espetáculo “Circo de latão”

Serviço

VI Encontro Brasileiro de Coro Cênico

Data: de 8 a 12 de outubro

Locais:

– Apresentações de coros cênicos: Teatro Municipal (Praça Alto do Morro do São Bento, s/ nº)

– Mostra Virtual: apresentação dos grupos brasileiros que enviarem seus trabalhos. Cineclube Cauim (Rua São Sebastião, 920). Todos os dias, das 16 às 19 horas.

– Atividades de formação: com a participação de todos os grupos e dos convidados. Centro Cultural Palace (Duque de Caxias esquina com Álvares Cabral)

Inscrições gratuitas e abertas a todos os interessados através do e-mail producaobossanossa@gmail.com

Fonte: Prefeitura de Ribeirão Preto
 
 
 Físicos que descobriram a massa de neutrinos levam Prêmio Nobel
Partículas-fantasma que quase não interagem com matéria desafiavam teoria.

Arthur B. McDonald e Takaaki Kajida conduziram experimentos de detecção.

O Prêmio Nobel de Física de 2015 foi concedido a Arthur B. McDonald, da Universidade Queens, do Canadá, e Takaaki Kajida, da Universidade de Tóquio, Japão pela descoberta de que os neutrinos, um tipo de partícula elementar, mudam de classe e possuem massa.

Os dois pesquisadores dividem os 8 milhões de coroas suecas (US$ 963 mil) do prêmio. Ambos os pesquisadores trabalharam em experimentos importantes que detectaram essas partículas, muito difícieis de capturar por não possuírem carga elétrica e terem massa extremamente leve.

O estudo de neutrinos que são produzidos pelo Sol, se deslocam no espaço e atravessam a terra como fantasmas sempre foi cercado de mistério antes dos trabalhos de McDonald e Kajida. Físicos acreditavam que essas partículas, que existem em três tipos diferentes, estavam sumindo durante a trajetória, pois boa parte delas não estava sendo detectada.

Isso desafiava princípios básicos da física, porque essas partículas elementares não somem sem deixar pista. Elaborando experimentos sofisitcados com detectores ultrassensíveis em cavernas profundas, para evitar interferências externas, os dois pesquisadores levaram à detecção das partículas que pareciam estar sumindo.

Enquanto Kajita trabalhou na Colaboração Super-Kamiokande, no Japão, McDonald trabalhou na Colaboração do Observatório de Neutrinos de Sudbury, no Canadá.

Os resultados dos experimentos de detecção demonstraram não apenas que os neutrinos mudam de identidade durante sua trajetória do Sol à Terra mas também que eles possuem massa. Até então, a maior parte dos físicos acreditava que os neutrinos eram partículas desprovidas de massa, como o fóton, a partícula de luz.

Neutrinos são as partículas elementares conhecidas mais numerosas do Universo depois dos fótons, e atravessam a Terra vindas de todos os lados. Nossos corpos são atravessados por trilhões deles a cada segundo, daí o apelido de partículas-fantasma. Muitos neutrinos são criados por partículas de raios cósmicos que incidem na atmosfera. Alguns são criados em reações nucleares dentro do Sol.

A confirmação de que neutrinos têm massa contrariava aquilo que era sugerido pelo Modelo Padrão, a teoria vigente da física de partículas, sugerindo que ele não é uma descrição completa da física fundamental.


Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Bancários devem entrar em greve a partir desta terça-feira
Canais alternativos ficam disponíveis para várias operações, diz Febraban.
Categoria pede 16% de reajuste e melhores condições de trabalho.

Bancários de diversos estados devem entrar em greve a partir desta terça-feira (6), por prazo indeterminado, após assembleias realizadas na semana passada, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), os clientes poderão fazer saques, transferências e outras operações por canais alternativos de atendimento, como caixas eletrônicos, internet banking, aplicativos no celular (mobile banking), telefone, além de casas lotéricas, agências dos Correios, redes de supermercados e outros estabelecimentos credenciados.

Os bancários pedem reajuste salarial de 16% com piso de R$ 3.299,66. A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou uma proposta de reajuste de 5,5%, com piso de R$ 1.321,26 a R$ 2.560,23 (veja mais detalhes sobre as reivindicações e a proposta dos bancos no final da matéria). A proposta foi rejeitada pela categoria nas assembleias da última quinta-feira (1).
Na última sexta-feira (2), o Comando Nacional enviou um oficio à Fenaban, para oficializar a aprovação de greve nacional unificada pela categoria.
Veja os sindicatos que aprovaram a greve até as 19h desta segunda, segundo a Contraf:
ABC (SP)
Acre (AC)
Alagoas (AL)
Alegrete (RS)
Amapá (AP)
Angra dos Reis (RJ)
Apucarana (PR)
Araranguá (SC)
Arapoti (PR)
Bahia (BA)
Barra do Garças (MT)
Barretos (SP)
Belo Horizonte (MG)
Blumenau (SC)
Bragança Paulista (SP)
Brasília (DF)
Campina Grande (PB)
Campinas (SP)
Campo Grande (MS)
Campo Mourão (PR)
Campos de Goytacazes (RJ)
Carazinho (RS)
Cariri (CE)
Caxias do Sul (RS)
Catanduva (SP)
Ceará (CE)
Chapecó (SC)
Concórdia (SC)
Cornélio Procópio (PR)
Criciúma (SC)
Curitiba (PR)
Dourados (MS)
Extremo Sul da Bahia (BA)
Feira de Santana (BA)
Florianópolis (SC)
Guarapuava (PR)
Guarulhos (SP)
Ipatinga (MG)
Itabuna (BA)
Itaperuna (RJ)
Irecê (BA)
Joaçaba (SC)
Juazeiro (BA)
Jundiaí (SP)
Limeira (SP)
Londrina (PR)
Macaé (RJ)
Mato Grosso (MT)
Mogi das Cruzes (SP)
Naviraí (MS)
Niterói RJ
Nova Friburgo (RJ)
Paraíba (PB)
Pará (PA)
Paranavaí (PR)
Passo Fundo (RS)
Pernambuco (PE)
Petrópolis (RJ)
Piauí (PI)
Piracicaba (SP)
Ponta Grossa (PR)
Porto Alegre (RS)
Rio de Janeiro
Rondônia (RO)
Rondonópolis (MT)
Roraima (RR)
Santa Cruz do Sul (RS)
Santa Maria (RS)
São Miguel do Oeste (SC)
Santa Rosa (RS)
São Borja (RS)
São Paulo (SP)
Sergipe (SE)
Taubaté (SP)
Teófilo Otoni (MG)
Teresópolis (RJ)
Toledo (PR)
Três Rios (RJ)
Umuarama (PR)
Vale do Paranhana (RS)
Vale do Ribeira (SP)
Vacaria (RS)
Videira (SC )
Vitória da Conquista (BA)
Zona da Mata e Sul de Minas (MG)
O que pede a categoria e o que oferecem os bancos
Os bancários querem reajuste salarial de 16%, com piso de R$ 3.299,66, e Participação nos Lucros e Resultado (PLR) de três salários mais R$ 7.246,82. A categoria também reivindica vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá de R$ 788 cada. A categoria também pede pagamento para graduação e pós, além de melhorias nas condições de trabalho e segurança.

A proposta apresentada pela Febraban, rejeitada em assembleias, oferece reajuste salarial de 5,5%, com piso entre R$ 1.321,26 e R$ 2.560,23. A Federação propôs ainda PLR pela regra de 90% do salário mais R$ 1.939,08, limitado a R$ 10.402,22 e parcela adicional (2,2% do lucro líquido dividido linearmente para todos, limitado a R$ 3.878,16).
Foram também propostos os seguintes benefícios: auxílio-refeição de R$ 27,43, auxílio-cesta alimentação e 13ª cesta de R$ 454,87,auxílio-creche/babá de R$ 323,84 a R$ 378,56, gratificação de compensador de cheques de R$ 147,11, qualificação profissional de R$ 1.294,49, entre outros. 

Greves em 2013 e em 2014
No ano passado, os bancários fizeram uma greve entre 30 de setembro e 06 de outubro. Os trabalhadores pediam em reivindicação inicial reajuste salarial de 12,5%, além de piso salarial de R$ 2.979,25, PLR de três salários mais parcela adicional de R$ 6.247 e 14º salário. A categoria também pedia aumento nos valores de benefícios como vale-refeição, auxílio-creche, gratificação de caixa, entre outros. A greve foi encerrada após proposta da Fenaban de reajuste de 8,5% nos salários e demais verbas salariais, de 9% nos pisos e 12,2% no vale-refeição.

Em 2013, os trabalhadores do setor promoveram uma greve de 23 dias, que foi encerrada após os bancos oferecerem reajuste de 8%, com ganho real de 1,82%. A duração da greve na época fez a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) pedir um acordo para o fim da paralisação, temendo perdas de até 30% nas vendas do varejo do início de outubro.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Governo entrega ao TCU pedido para afastar relator das pedaladas
Argumento é que ministro teria cometido irregularidade ao antecipar voto.
Julgamento e avaliação do pedido serão feitos na quarta-feira, diz Nardes

O governo federal protocolou nesta segunda-feira (5) no Tribunal de Contas da União (TCU) o pedido de afastamento do ministro Augusto Nardes da relatoria do processo que analisa as contas do ano passado da presidente Dilma Rousseff. O documento foi entregue pessoalmente pelo advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, ao presidente da Corte, Aroldo Cedraz.

A medida foi anunciada no domingo (4), em entrevista coletiva concedida por Adams e os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Nelson Barbosa (Planejamento). Para o Executivo, Nardes cometeu irregularidade ao manifestar opinião e antecipar publicamente o voto que deverá apresentar na sessão de julgamento das contas, marcada para quarta-feira (7). O relator nega.
O pedido do governo foi avaliado em uma reunião entre o presidente do TCU e os outros ministros. Ao deixar o encontro, Nardes afirmou que o julgamento das contas está mantido para quarta-feira. “Conversamos com o presidente e ele vai encaminhar o que o [ministro Luís Inácio] Adams encaminhou e nós devemos fazer uma preliminar e na quarta-feira mesmo devemos decidir a questão [do pedido de afastamento feito pelo governo]”, disse.

Nardes ainda afirmou que o governo tenta “tirar o foco” da questão. “Nós entendemos que algumas alegações levantadas é muito mais para tirar o foco da questão principal. Nós estamos tranquilos porque cumprimos toda a regulamentação estabelecida do Regimento Interno do Tribunal de Contas da União e devemos votar com todo o equilíbrio e toda a tranquilidade a matéria”, afirmou.
Argumentos da AGU
Segundo o ministro-chefe da AGU, o regimento interno do TCU e a lei orgânica da magistratura – as quais os ministros do tribunal estão submetidos – proíbem os magistrados de emitir opinião sobre processos que estejam conduzindo.
As contas da presidente da República só poderão ser apreciadas depois que a Corte analisar a solicitação de afastamento. O pedido deverá ser encaminhado ao corregedor do tribunal, para que ele opine se o relator deve ou não ser considerado suspeito para analisar as contas.
Depois, o parecer do corregedor será levado ao plenário da Corte de fiscalização, que deverá analisar o caso antes do julgamento do relatório.
'Governo está tentando intimidar', diz Nardes
Em nota divugada na noite desta segunda, Nardes criticou a atitude do governo federal e disse que “não irá se acovardar” diante do pedido do Executivo para que ele seja afastado do caso.

"O governo está tentando intimidar a mim e ao Tribunal de Contas da União, mas não vamos nos acovardar", afirmou. "Realizamos um trabalho técnico de forma eficiente e coletiva na análide de contas", acrescentou.
No domingo (4), Augusto Nardes já havia divulgado uma nota na qual dizia “repudiar” as críticas do governo sobre a condução do caso no tribunal. O ministro afirmou que não antecipou sua decisão final sobre o julgamento e que apenas disponibilizou seu relatório para os demais ministros do TCU, como manda o regimento interno.

Em seu parecer sobre o caso, o relator das chamadas “pedaladas fiscais” deverá recomendar a rejeição das contas do ano passado pelo Congresso Nacional. A posição dele poderá ou não ser seguida pelos outros ministros da corte.
‘Pedaladas fiscais’
O primeiro pedido de esclarecimentos sobre as contas de 2014 foi feito em junho pelo TCU, com prazo de 30 dias para resposta. Mas, devido à inclusão de novos fatos ao processo, o governo acabou ganhando mais tempo para se defender da suspeita de ter adotado manobras para aliviar, momentaneamente, as contas públicas.

Entre as supostas irregularidades analisadas pelo TCU estão as chamadas “pedaladas fiscais”, que consistem no atraso dos repasses para instituições financeiras do dinheiro de benefícios sociais e previdenciários. A manobra obrigou instituições como Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil a usar recursos próprios para honrar os compromissos, numa espécie de “empréstimo” ao governo.
O Executivo, porém, argumenta que não há irregularidades na prática e que o procedimento já foi realizado pelos governos anteriores, sem ter sido questionado pelo TCU. De acordo com o governo, a mesma justificativa vale para a edição de decretos que abriram créditos suplementares sem autorização prévia do Congresso Nacional – outro ponto questionado pela corte. As explicações entregues pela AGU somam mais de 2 mil páginas.

Congresso Nacional
Depois de o TCU decidir se recomenda a reprovação ou aprovação das contas de Dilma, o parecer tem de ser encaminhado ao Congresso Nacional, que terá a palavra final sobre o caso.

Uma eventual recomendação de rejeição das contas pelo TCU seria inédita, já que a corte nunca votou pela reprovação.

O trâmite prevê que o relatório do órgão de fiscalização seja primeiro avaliado pela Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso e, depois, pelo plenário da Câmara e do Senado – ou em sessão conjunta do Congresso Nacional, caso haja um acordo entre as Casas.

Mesmo que o TCU vote pela rejeição das contas, os parlamentares têm dois caminhos a seguir: podem optar por acolher a sugestão da corte e reprovar as contas ou votar pela aprovação delas.

Se as contas do governo forem realmente rejeitadas nessas votações, isso poderá ser usado como argumento para abertura de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, sob o argumento de que ela feriu a Lei Orçamentária e, portanto, cometeu crime de responsabilidade.

Outro cenário possível caso o TCU rejeite as contas é a aprovação do balanço pelo Congresso. Apesar de pouco provável, a decisão é possível, já que a última palavra é do Congresso. Neste caso, a tendência é que as contas sejam aprovadas com ressalvas. Na prática, as ressalvas não implicam punições significativas. Elas indicam, apenas, que há problemas a serem corrigidos na gestão fiscal para o próximo ano.

Fonte: g1.globo.com
 
 
 Semana de Ciência e Tecnologia da UFRN divulga programação cultural
Vanderlei Bagnato fará conferência de abertura no dia 20 de outubro.
A Semana de Ciência e Tecnologia se estende até o dia 23.

A XXI Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura (Cientec) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) divulgou nesta segunda-feira (5) a programação cultural de 2015. O evento acontece entre 20 a 23 de outubro. Com o tema “Luz: despertando olhares, acendendo ideias”, a semana pretende destacar em suas atividades a importância da luz e das tecnologias ópticas na vida das pessoas.

A conferência de abertura será no dia 20 de outubro, às 9h, no Auditório da Reitoria da UFRN, com palestra do professor, escritor e pesquisador Vanderlei Bagnato, que falará sobre o tema “Luz, ciência, tecnologia e suporte a vida”. Foram confirmados shows da Orquestra da UFRN, Luiz Gadelha, Maíra Sales, Plutão já foi Planeta e da banda pernambucana Eddie.
De 21 a 23 acontece a Feira da Cientec, organizada em pavilhões nos quais acontecem exposições interativas e transdisciplinares das produções dos centros acadêmicos e dos órgãos especializados e suplementares.

A Cientec compreende também reuniões acadêmico-científicas – congressos, seminários, oficinas, minicursos e exposição de pôsteres – e promove a integração acadêmico-cultural por meio de eventos artísticos como apresentações, exposições e discussões pedagógico-culturais.
A semana tem neste ano mais de 2,2 mil projetos inscritos em diversas áreas do conhecimento.
Programação
Dia 20
Manhã
9h – Conferência de abertura: “Luz, ciência, tecnologia e suporte a vida”
Conferencista: Vanderlei Bagnato
Local: Auditório da Reitoria da UFRN
Tarde
Iniciam as atividades com palestras e oficinas distribuídas no campus da UFRN conforme programação disponível no site.
16h - abertura da praça de alimentação.
Noite
Lançamento de 3 filmes na escola de música da UFRN
18h30 - Lançamento do filme nacional “Sem dentes”, que fala sobre o auge do rock brasileiro dos anos 90.
Dias 21, 22 e 23
A feira da Cientec estará aberta pela manhã, à tarde e à noite.
- São mais de 2,2 mil atividades para serem visitadas, como: Planetário, Fazendinha, Parque da Ciência e Museus.
- Atividades acadêmico-científicas (Palestras, Minicursos, Mesas-Redondas) e eventos paralelos.
- Cientec Cultural: Orquestra da UFRN, Luiz Gadelha, Maíra Sales, Plutão já foi Planeta e Banda 

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Moda em Paris cores vivas e plissados para o próximo verão
O próximo verão terá plissados e cores vivas na composição do look feminino, segundo adiantaram as coleções apresentadas nesta segunda-feira em Paris por Hermés, Stella McCartney, Sonia Rykiel e Sacai.

- Hermès: o toque esportivo
Em seu segundo desfile para a maison Hermès, a diretora artística Nadège Vanhee-Cybulski quis dar um toque de "audácia". Após tons de preto, creme e cinza quartzo dos primeiros modelos, surgem azuis, vermelhos e laranjas, realçados por acessórios que incluem pulseiras com ágatas encrustadas.

"Quis destacar a sensualidade do prêt-à-porter feminino", disse a estilista em entrevista à AFP. "É uma elegância sofisticada, mas ao mesmo tempo liberada, com certa audácia, que pode combinar um blazer com uma roupa de banho, um short com uma bolsa de cashmere".

Uma pantalona ampla de seda aparece com tênis e regata de algodão ou uma saia longa com um toque esportivo.

As saias plissadas aparecem com cinto largo. "É uma peça icônica da Hermès, mas às vezes causa medo nas mulheres porque é um pouco clássico. Quis empurrar a atenção para algo que gere mais desejo.", comenta.

O desfile aconteceu nos estábulos do quartel da Guarda Republicana e foi assistido por celebridades como Janet Jackson, Jane Birkin e Kris Jenner.

- O verão colorido de Stella McCartney
A estilista britânica segue fiel a um guarda-roupa que combina feminilidade e conforto em uma coleção cheia de movimento e cores vivas.

São vestidos longos de malha fina e gola polo com estampas grandes que acompanham o movimento do corpo. Apareceram também regatas e saias midi com transparência e sobreposição de listras amarelas, brancas e vermelhas.

Em tons mais neutros de branco, preto e rosa, a alfaiataria inspira Stella McCartney em diferentes variações, desde um conjunto fluido de calça e blazer sem mangas até um vestido tomara que caia com abotoamento duplo e saia longa com fendas.

- Sacai: viva a bandana!
Os plissados também apareceram na coleção da marca japonesa Sacai, se integrando em sobreposições de materiais e silhuetas assimétricas.

Aparecem em look de saia leve e vestido sem manga com listras verticais. Ou em lamê dourado sob um bordado de flores azuis e douradas.

A mulher imaginada pela Sacai usa botas pontiagudas e bandanas nessa coleção de Chitose Abe, com variações em torno da bandana como acessório, presente em bordados sobre túnicas transparentes, estampadas em saias longas ou os dois ao mesmo tempo.

- As novas amazonas de Giambattista Valli
No Grand Palais desfilaram as amazonas de Giambattista Valli. Durante o dia usam minissaias com jaquetas bordadas ou estampadas com temas florais ou gráficos, em um estilo bohemian-chique. Sandálias gladiadoras amarradas até os joelhos dão um toque de segurança à essas amazonas.

À noite a mulher de Valli é mais lânguida, com looks mais longos e fluidos, de seda e em cores vivas.

Assistiram ao desfile na primeira fila a atriz mexicana Salma Hayek e Lee Radziwill, irmã de Jackie Kennedy, que aplaudiram freneticamente o estilista.

- As criaturas noturnas de Sonia Rykiel
O desfile da maison Sonia Rykiel foi dedicado aos pássaros noturnos que começam a viver quando o sol se põe. Para essa criaturas noturnas, Julie de Libran imaginou looks de linhas muito fluidas.

A paleta vai do preto ao branco, passando pelo azul marinho e o laranja. Plissados ou não, os vestidos deixam um ombro à mostra ou até os dois. Pulôveres com mangas amplas aparecem combinados com saias curtas ou longas e sandálias nos pés.

- Saint Laurent: é dia de rock
Com tiara nos cabelos e botas Wellington, a jovem Saint Laurent, concebida por Hedi Slimane, está pronta para assistir ao festival de rock de Glastonbury, na Inglaterra, um dos mais famosos do mundo.

Ela usa jeans e impermeável ou um delicado vestido de renda preta sob uma jaqueta esportiva militar ou de couro, calça jeans ou com estampas de leopardo.

Os seios ficam nus debaixo das transparências ou de devido a alças oportunamente frouxas.

Fonte: zh.clicrbs.com.br/
 
 
 Estilistas disputam likes de olho no futuro da moda
PARIS, FRANÇA  - Há um clima de despedidas e recomeços nesta semana de moda de Paris. E isso não tem a ver com o último desfile de Alexander Wang à frente da grife Balenciaga.  O grande assunto desta temporada de verão 2016 é o papel da moda  e dos estilistas no futuro próximo.

Não cabe mais aos designers definir as "tendências da temporada", mas, sim, mostrar diferentes visões sobre o que a mulher pode querer usar de sua grife predileta. A passarela se transformou num emaranhado de referências à "roupa do futuro", e talvez a melhor definição dessa lógica tenha sido a da Dior, sob a batuta de Raf Simons.

Nas roupas do estilista belga não há referência clara a décadas específicas, apenas uma memória distante da era vitoriana, quando as mulheres usavam camadas e mais camadas de tecidos. Essas camadas apareceram em pequenas obras de arquitetura -um complexo  jogo de alfaiataria difícil de ser copiado.

O ponto entre o masculino e o feminino, fundamental no novo manual da moda, está representado por jaquetas que remetem ao clima militar adotado nas ruas, um provável  reflexo do noticiário sobre a guerra síria e a crise dos refugiados na Europa. Parcas de cetim recebem linhas sólidas e se sobrepõem a delicados shorts de linho com recortes geométricos na barra. Os vestidos, nada simples apesar de minimalistas, têm fendas ovais preenchidas com um delicado trabalho em renda.

A imagem de feminilidade proposta nos looks parece frágil e romântica, mas o estilista se distancia do ideal adocicado do tema. O desfile é muito mais de Simons do que da Dior, manobra perigosa quando a moda vive a era das marcas, na qual estilistas se transformaram em arquitetos a serviço de empresas que precisam gerar burburinho. Wang não conseguiu e pagará com o cargo na  Balenciaga.

BALMAIN NA REDE

Talvez por isso o exibicionismo de Kim Kardashian, socialite americana e rainha das "selfies", seja o mote implícito no verão da Balmain.
Alheio à cartilha das tendências, embora na coleção haja alguns ombros de fora, truque de estilo que já vem desde a semana de moda de Nova York, o estilista Olivier Rousteing investe em decotes geométricos, comprimentos mídi e rendas com pedrarias.

Mestre na arte de causar furor nas redes sociais, o estilista potencializa a noção de "cada grife no seu lugar" ao criar um clube particular de estrelas da internet que postam tudo relacionado à marca em suas contas no Instagram. Kim Kardashian, Kendall  Jenner (meia-irmã de Kim) e a "bombshell" Gigi Hadid estão na caldeirada da Balmain. No atual jogo da moda, ganhará quem tiver mais 'likes'.

Fonte: hojeemdia.com.br
 
 
 Etanol chega a R$ 2,39 em Ribeirão Preto após terceiro reajuste no ano
Combustível ficou 9% mais caro nas bombas dos postos nesta segunda-feira.

Segundo Sincopetro, fim de safra provocou alta, que surpreendeu motoristas.

Depois do aumento na semana passada de 5,8% nos preços da gasolina e do diesel, os motoristas de Ribeirão Preto (SP) foram surpreendidos nesta segunda-feira (5) com o reajuste no valor do álcool combustível. Nas bombas, o etanol está 9% mais caro e já é encontrado a R$ 2,39. A alta é motivada, segundo o  Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo (Sincopetro), pelo final da safra da cana-de-açúcar.
O etanol subiu R$ 0,20 e o aumento foi repassado diretamente ao consumidor. Dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP) apontam que este é o terceiro aumento no preço do combustível no ano, que bateu recorde em fevereiro e sofreu novo reajuste em menos de 20 dias.

"Estamos no final da safra e os custos de produção devem ter aumentado, por isso eles estão repassando para as distribuidora", explicou o diretor do Sincopetro, Osvaldo Manaia. "As distribuidoras estão repassando para os postos. É um aumento substancial, então temos que repassar nas bombas", justificou.

Sem estoque
Na safra 2014-2015, a produção de cana-de-açúcar na região de Ribeirão Preto chegou a 123 milhões de toneladas, o que representou 20% do total colhido no país, segundo dados do Instituto de Economia Agrícola de São Paulo (IEA-SP) e da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).
Apesar dessa representatividade, o professor da Faculdade de Economia e Administração da USP (FEA-RP) Marcos Fava Neves afirma que o preço do etanol não depende unicamente da produção de cana. Segundo ele, o preço da gasolina também influencia diretamente no consumo e, consequentemente, no valor final do álcool combustível nas bombas.
"Esse ano, como o etanol sempre ficou mais barato do que a gasolina, o consumidor utilizou  mais etanol. Isso fez com que o estoque diminuísse nas usinas. Se o estoque está baixo e o consumo está elevado, o preço começa a reagir, mesmo ainda estando na safra, ou seja, produzindo etanol", diz.
Neves explica ainda que entre novembro e abril sempre ocorre um aumento no preço do etanol nas bombas provocado pelo chamado período de entressafra, ou seja, quando as usinas param de produzir. Dessa forma, a expectativa é que no próximo mês os valores do álcool combustível sejam ainda maiores.
"A tendência é que o preço aumente ainda mais, até porque a gasolina deve subir ainda mais também. A previsão é de um cenário de preços bem elevados do combustível no período de entressafra", diz.
Para os consumidores, o cenário é preocupante. A professora Luciana Gomes diz ter sido pega de surpresa quando parou o carro para abastecer na manhã desta segunda-feira em Ribeirão. “Eu moro do outro lado da cidade e para ir trabalhar está cada vez mais difícil, praticamente pagando para trabalhar e o orçamento fica cada vez menor”, reclama.

Reajustes
O último aumento no preço do etanol em Ribeirão Preto foi registrado há 20 dias, quando o preço do combustível subiu de R$ 1,97 para R$ 2,19.

Em fevereiro, o preço do álcool combustível bateu recorde na cidade, quando chegou a R$ 2,27 e atingiu R$ 2,39 em alguns postos. O valor foi o mais alto dos últimos 11 anos. O preço era o maior da região – uma das principais produtoras de álcool combustível do país.

Em julho, o preço caiu e o etanol era encontrado a R$ 1,59 nas bombas, após uma “promoção” dos postos. A baixa procura pelo combustível e o início da safra foram as justificativas apresentadas pelo Sincopetro, na época, para a queda.

Fonte: g1.globo.com/
 
 
 Ribeirão Preto terá Semana do Empreendedor
Nessa segunda-feira (5), celebrou-se o Dia do Empreendedor. Para comemorar  a data, o Sebrae realiza a Semana do Empreendedor, com ações de orientação e capacitação para empresários de micro e pequenas empresas, além dos MEIs. A abertura do evento aconteceu no período da manhã.

A Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto, por meio da Sala do Microempreendedor Individual, é parceira da ação. A Semana do Empreendedor vai até o próximo sábado (10), com uma tenda instalada na Praça Carlos Gomes, com uma programação de oficinas, palestras e uma equipe mobilizada para dar orientações.

A semana começa com o “Movimento Compre do Pequeno Negócio”, lançado em agosto para estimular a sociedade a consumir produtos e serviços fornecidos por micro e pequenas empresas. A ação pretende usar a força dos pequenos negócios.

Fonte: Prefeitura de Ribeirão Preto
 
 
 Entenda a importância das pesquisas que venceram o Nobel 2015
Tratamentos para doenças parasitárias que afetam populações pobres e fazem milhões de vítimas todos os anos foram premiadas neste ano

Pesquisas sobre doenças parasitárias que afetam populações pobres e fazem milhões de vítimas todos os anos foram as vencedoras do Prêmio Nobel de Medicina de 2015, anunciado ontem em Estocolmo. Metade da premiação de 8 milhões de coroas suecas (R$ 3,8 milhões) foi para o irlandês William Campbell e o japonês Satoshi Omura, descobridores de uma droga que combate uma série de verminoses, inclusive a responsável pela elefantíase. A outra metade ficou com a chinesa Youyou Tu, que desenvolveu um tratamento eficaz contra a malária a partir de uma planta conhecida da medicina tradicional chinesa, a Artemisia annua.

A malária afeta 200 milhões de pessoas por ano, causando cerca de 500 mil mortes, principalmente crianças. De acordo com o júri do Nobel, os vencedores “desenvolveram terapias que revolucionaram o tratamento de algumas das doenças parasitárias mais devastadoras”, que “afetam especialmente as populações mais pobres do mundo e representam um enorme obstáculo para melhorar a saúde e o bem-estar humano”.

A decisão de destacar avanços que beneficiam as populações mais pobres foi celebrada por especialistas da área. Carlos Graeff Teixeira, do laboratório de parasitologia molecular do Instituto de Pesquisas Biomédicas da PUCRS, considerou o prêmio uma sinalização importante:

– A maior parte da ciência se preocupa com vírus e bactérias. Vermes não têm charme. Mas eles não deixam de ser importantes. As verminoses são um problema seríssimo, mas afetam os pobres. O mercado não é muito lucrativo, porque essas pessoas não têm recursos para comprar. E a malária é a doença parasitária que mais mata no mundo. São quatro mortes por minuto, mais do que a aids e as guerras. Do ponto de vista político, foi uma premiação interessantíssima. Chama a atenção para um grupo de agentes a que ninguém presta atenção.

Doenças negligenciadas e pouco estudadas

Youyou Tu realizou a pesquisa vencedora do Nobel na década de 1970. A partir de um levantamento em textos médicos chineses e remédios populares, ela coletou 2 mil drogas em potencial. Uma das substâncias pesquisadas foi a artemisinina, hoje considerada o tratamento mais seguro e eficaz contra a malária.

Omura e Campbell foram premiados pela contribuição ao combate de doenças como a oncocercose (inflamação da córnea que leva à cegueira) e a filariose linfática (a elefantíase, que atinge mais de 100 milhões de pessoas e causa inchaços crônicos no corpo). O estudo começou com o japonês, que investigou bactérias retiradas do solo, uma delas eficaz contra parasitas. A partir dela, Campell isolou a substância avermectina, que deu origem à ivermectina, poderosa contra uma série de vermes, inclusive os que causam a oncocercose e a elefantíase.

– As filarioses são doenças negligenciadas e pouco estudadas. Foi realmente muito válida e importante a premiação. Ela valoriza os pesquisadores da parasitologia – avalia o parasitologista Gilberto Fontes, professor e pesquisador Universidade Federal de São João del-Rei (MG) e consultor do programa de controle de filariose linfática do Ministério da Saúde.

Todos querem esse reconhecimento, mas por quê?

Encarado friamente, o Nobel nada mais é do que um prêmio concedido todos os anos por um tanto de comitês formados por suecos e noruegueses. No imaginário, a distinção tornou-se o pináculo da glória em áreas como as ciências, a literatura e a economia. Por algum motivo, a humanidade resolveu reconhecer nos eleitos das academias escandinavas a condição de ícones e gurus.

Por isso, a premiação em dinheiro, ainda que polpuda, é um detalhe quase secundário. Há muito mais em jogo. Um ganhador pode esperar empregos melhores, financiamentos generosos para o que queira fazer ou pesquisar, tiragens respeitáveis para seus livros, convites para palestras e tratamento vip para o resto da vida. Ele passará a ser visto não apenas como sumidade em sua área, mas também como autoridade cuja opinião deve ser ouvida.

– O prêmio não tem preço. A prova é que existem premiações que pagam mais, mas ninguém as trocaria pelo Nobel – afirmou três anos atrás, a um portal norte-
americano, o economista Robert Merton, laureado em 1997.

Premiado em Física em 2004, Frank Wilczek contou à revista New Scientist que, além do reconhecimento de seus pares e das oportunidades multiplicadas, o prêmio granjeou-lhe também convites para festas incríveis. Outro ganhador de Física, Brian Schmidt, de 2011, ficou impressionado com a influência que passou a ter:

– Mais do que tudo, o prêmio me deu uma voz que eu posso usar em favor da ciência. Como laureado do Nobel, meus pontos de vista estão presentes em debates de rádio, artigos e encontros com empresários, legisladores e políticos. Tento usar essa voz com responsabilidade. Uma das armadilhas de ser um Nobel é que também temos muita repercussão ao dar opinião. Com relação a isso, tenho de ser mais cuidadoso.

CURIOSIDADE: Nóbel ou Nobél?

Todo ano é a mesma coisa. Quando saem os prêmios, os brasileiros se dividem entre os que acham que algum pesquisador estrangeiro ganhou o “Nobél” e os que afirmam que ele ganhou o “Nóbel”. Há também os que, na dúvida, utilizam as duas formas alternadamente, de acordo com o sabor do momento.

Qual é a forma certa? O professor de português Cláudio Moreno afirma que o procedimento na língua portuguesa, quando se trata de nomes estrangeiros, é reproduzir a pronúncia do idioma original. É por isso que dizemos Prêmio “Óscar”, e não Prêmio “Oscar”.

Como se sabe, o Prêmio Nobel tem esse nome porque foi estabelecido pelo inventor sueco Alfred Nobel (1833-1896). ZH consultou a Embaixada da Suécia para saber como os suecos dizem o nome de seu compatriota. Eles falam “Nobél”. Ou melhor: o que eles dizem mesmo é algo parecido com “Nobéle”.

Fonte: zh.clicrbs.com.br/
 
 
 Estudantes do Ciência sem Fronteiras concorrem a prêmio na Inglaterra
Premiação

Projeto prevê a construção de módulos flutuantes e navegáveis para levar saúde, educação e pesquisa a comunidades no Camboja

Trabalho produzido como projeto final de intercâmbio de três estudantes brasileiros do programa Ciência sem Fronteiras, na Universidade de Liverpool, na Inglaterra, concorre a um prêmio concedido pela revista britânica Eleven Magazine. O projeto prevê a construção de módulos flutuantes e navegáveis para levar saúde, educação e pesquisa a comunidades que habitam o Tonle Sap, um lago no Camboja.

Com mais de 2 mil quilômetros quadrados de extensão, o lago multiplica seu tamanho durante o período das monções, fortes chuvas que atingem o Sudeste da Ásia, o que desafia a construção de prédios em seu entorno e incentiva a adoção de estruturas capazes de boiar.

O projeto que concorre ao prêmio tem uma praça central flutuante, à qual são acopladas plataformas com sala de aula, posto médico e centro de pesquisa, além de acomodações para os trabalhadores. De acordo com a necessidade, pode haver mais módulos de cada tipo, que podem ser retirados e rebocados por barcos para que a prestação de serviço chegue a outras populações.

Uma das principais preocupações do projeto foi envolver a comunidade e manter o custo de execução baixo. Por isso, o bambu e outros tipos de madeira abundantes na região foram escolhidos. "São materiais que eles usam. Poderíamos usar a própria mão de obra local para fazer as unidades", diz Raisa Barros, da Universidade Federal Fluminense.

Humberto Amorim, da Universidade Federal de Viçosa, acredita que o projeto será bem avaliado pelos jurados e chama a atenção para o fato de que muitos concorrentes, por desconhecimento, não se atentarem a características peculiares a regiões tropicais: "boa parte de projetos de pessoas que moram na Europa tem muitas estruturas transparentes, porque eles acham que o sol é bom e sustentável. Aqui no Brasil, a gente sabe que uma estrutura com teto transparente vira uma estufa".

O projeto está concorrendo em votação popular pela internet até o dia 1° de novembro. O resultado será divulgado no dia 11 do mesmo mês.


Fonte: brasil.gov.br